Diario de uma crianca que nao nasceu

  • Published on
    16-Apr-2017

  • View
    4.137

  • Download
    4

Transcript

  • Ontem foi meu aniversrio... Eu ia completar um ms de vida. Pensei que voc, Mame, fosse me dar uma festinha, como todas as mes.

  • Pensei que voc, Mame, fosse dar ao Papai o beijo que gostaria de dar em mim... Porm, a festinha no foi alegre como eu esperava...

  • De fato, voc foi farmcia e comprou o meu presente. Pena que este presente tenha causado a minha morte e voc no chorou nem um pouquinho...

  • Por que?Porque logo no dia do meu aniversrio?

  • Pensei que voc fosse ficar feliz com a minha chegada, mas voc mame, no me deixou caminhar nem a metade: voc barrou o meu caminho.

  • Eu sabia, sim, que durante uns meses eu iria estragar a sua elegncia, eu seria um peso para a senhora, porm, eu havia prometido a mim mesmo que ficaria bem apertadinho para no prejudicar.

  • Eu deixaria para crescer depois que nascesse para o mundo. Por que me tiraste a vida?

  • Eu sabia que em seu ventre a escurido seria grande. Todavia, a luz que veria depois seria o bastante.

  • Eu iria conhecer o brilho do sol e das estrelas e, principalmente, conhecer Voc e Papai.

  • E tambm teria que ficar muda durante nove meses. Entretanto, iria lhe contar toda a minha felicidade de ter voc como me.

  • Eu iria conversar muito com voc quando estivesse triste, faria tudo para brotar em seus lbios um sorriso e quando estivesse alegre, faria tudo para que essa alegria durasse.

  • Sabe, eu planejei tanta coisa, mame... Queria crescer bastante e, depois de jovem, lutar com todas as minhas foras para que a guerra e o dio acabassem e reinassem a paz no mundo.

  • Sim, eu queria tanta coisa, mas voc no sentiu isto...

  • Voc me Assassinou!

  • Queria crescer, plantar no cho de minha existncia, muitas rosas que o perfume inebriassem os homens e os deixassem incapazes de fabricarem mquinas que matam outros homens.

  • Engraado... Eu pensei que os pais amassem seus filhos a ponto de lhes dar a prpria vida. Voc no me deixou viver nem a vida que eu mal comeara.

  • Olhe, este era o meu plano quando estava em seu ventre, mame. Hoje no posso planejar nada, pois fao parte do mundo daqueles que nunca sentiro o perfume das rosas e nem choraro a dor da morte.

  • Espero que voc ao menos tenha se arrependido para que isto no acontea com meus irmozinhos que esto para vir.

  • Tchau... Mame... Eu lhe perdo, apesar de tudo...

  • Apresentao:valmadeoliveira@oi.com.br