Dfc fluxo de caixa conciliaes

  • Published on
    01-Jul-2015

  • View
    2.597

  • Download
    2

Transcript

  • 1. 29/7/2009 Fluxo de Caixas eConciliaes UNIVERSIDADE CATLICA DE GOIS - UCGVice Reitoria de Ps Graduao e Pesquisa-VPG Coordenao de Ps Graduao Lato Sensu-CPGLSCurso : Gesto Financeira Apresentao Prof. Andr de Almeida Jaques Formao Acadmica Administrao UCG; MBA em Gesto Financeira e Controladoria ALFA.Carreira Profissional Ger. Financeiro da Rede de Sup. Marcos; Consultor Empresarial; Docente na UCG em Graduao e Ps-graduaoE-mail: aaj.go@terra.com.br Prof. Andr de Almeida Jaques 21

2. 29/7/2009 Contedo Conceitos e finalidades do controle do fluxo de caixa A importncia da projeo do fluxo de caixa Pontos importantes na gesto do fluxo de caixa Quesitos importantes na elaborao do fluxo de caixa Anlise do fluxo de caixa e suas conciliaes Planejamento e elaborao do fluxo de caixa Indicadores econmicos e financeiros relevantes FC Prof. Andr de Almeida Jaques 3 Enfoque do fluxo de caixa nas empresasCotidiano Seu fluxo de caixa resultante das demais aesO fluxo de caixa meu instrumento de trabalhoPoucos influi nos resultados da empresaO que der, deu...Eu cuido da minha parte... Prof. Andr de Almeida Jaques 42 3. 29/7/2009 Enfoque do fluxo de caixa nas empresasEnfoque Cash Management Viso integrada do caixa em relao aos negcios;Alm de finalizar ciclos, planeja impacto nos resultados;Alta preocupao com competitividade e desempenho;Equilbrio financeiro de caixa; Prof. Andr de Almeida Jaques 5 Enfoque do fluxo de caixa nas empresas ...Enfoque Cash Management Filosofia de gesto de caixa;Estrutura de responsabilidade favorvel ;O entendimento dos efeitos gerais, gerados pela liquidez e sua importncia nas empresas. Prof. Andr de Almeida Jaques 63 4. 29/7/2009 Conceito A Demonstrao dos Fluxos de Caixareporta as entradas de caixa, ospagamentos e o resultado lquido de caixadas atividades de investimento e definanciamento da empresa durante umperodo, num formato que reconcilia osaldo de caixa inicial e final registrado nobalano patrimonial Kieso (1998:1274) Prof. Andr de Almeida Jaques 7 Conceito ... A intitulao DFC no a mais correta,uma vez que englobamos as contas decaixa e banco. Desta forma, seria maisadequado denomin-lo Demonstrao doFluxo de Disponvel. Marion (1998:381)Prof. Andr de Almeida Jaques 84 5. 29/7/2009 Conceito ... Conjunto de ingressos e desembolsos denumerrio ao longo de um perododeterminado.Representao dinmica da situao financeirade uma empresa, considerando todas asFONTES e APLICAES de recursos. o instrumento de programao financeira, quecorresponde s estimativas de entradas esadas de caixa em certo perodo de tempoprojetado. Prof. Andr de Almeida Jaques 9 Relevncia A gesto financeira, para ser eficaz,precisa estar sustentada e orientada porum planejamento de suas disponibilidades. Para isso o gestorprecisa deinstrumentos confiveis que o auxiliem aotimizar os rendimentos dos excessos decaixa ou a estimar as necessidadesfuturas de financiamentos, para quepossa tomar decises certas e oportunas Prof. Andr de Almeida Jaques105 6. 29/7/2009 Gesto O fluxo de caixa o instrumento quepermite ao administrador financeiroplanejar, organizar, coordenar, dirigir econtrolar os recursos financeiros de suaentidade para um determinado perodo. Neves (1998:19)Prof. Andr de Almeida Jaques11 Prof. Andr de Almeida Jaques 126 7. 29/7/2009 Objetivos Dar uma visodasatividadesdesenvolvidas, bem como as operaesfinanceiras que so realizadas, dentrodas disponibilidades, e que representam ograu de liquidez da empresa. Entre os mais importantes esto:Prof. Andr de Almeida Jaques13 Objetivos ... Facilitar a anlise e o clculo na seleodas linhas de crdito a serem obtidasjunto s instituies financeiras; Programar os ingressos e os desembolsosde caixa, de forma criteriosa, permitindodeterminar o perodo em que deverocorrer carncia de recursos, havendotempo suficiente para as medidasnecessrias; Prof. Andr de Almeida Jaques147 8. 29/7/2009 Objetivos ... Permitir o planejamento dos desembolsosde acordo com as disponibilidades decaixa, evitando-se o acmulo decompromisso vultuosos em poca depouco encaixe; Proporcionar o intercmbio dos diversosdepartamentos da empresa com a reafinanceira; Prof. Andr de Almeida Jaques15 Objetivos ... Desenvolver o uso eficiente e racional dodisponvel; Financiar as necessidades sazonais oucclicas da empresa; Fixar o nvel de caixa, em capital de giro; Projetar um plano efetivo de resgate dedbitos; Prof. Andr de Almeida Jaques168 9. 29/7/2009 Objetivos ... Verificar a possibilidade deaplicarpossveis excedentes de caixa; Estudar um programa saudveldeemprstimos ou financiamentos; Analisar a convenincia de seremcomprometidos os recursos pela empresa;Prof. Andr de Almeida Jaques 17 Objetivos ... Providenciar recursos para atender aosprojetos de implantao, expanso,modernizao ou relocalizao industriale/ou comercial; Auxiliar na anlise dos valores a recebere estoques, para que se possa julgar aconvenincia em aplicar ou no nessesitens; Prof. Andr de Almeida Jaques 18 9 10. 29/7/2009 Objetivos ... Participar e integrar todas as atividadesda empresa, facilitando assim oscontroles financeiros. Concluindo:Otimizar a aplicao de recursos prpriose de terceiros nas atividades mais rentveis pela empresa. Prof. Andr de Almeida Jaques19 Dimenses Temporais 1. Planejamento a longo prazo => ocorrnciade fluxos corresponde a projetos deinvestimento ou resultado de longo prazo(geralmente cinco anos)2. Planejamento a curto prazo => ocorrnciade fluxos est enquadrada no plano anual deresultados3. Planejamento operacional => entradas esadas de caixa so projetadas para o ms, asemana ou o dia seguinte Prof. Andr de Almeida Jaques20 10 11. 29/7/2009 Prof. Andr de Almeida Jaques21 Classificao das movimentaes de caixa por atividade:Atividades Operacionais Atividades de Investimentos Atividades de Financiamentos Prof. Andr de Almeida Jaques22 11 12. 29/7/2009 Atividades Operacionais Todas as atividades relacionadas com aproduo e entrega de bens e servios e oseventos que no sejam definidos comoatividades de investimento e financiamento. Entradas: Recebimentos: pela venda de produtos e servios (a vista ou a prazo), de juros sobre emprstimos concedidos e sobre aplicaes financeiras em outras entidades ou de dividendos pela participao no patrimnio de outras empresas.Prof. Andr de Almeida Jaques23 Atividades Operacionais Sadas: Pagamentos: a fornecedores, aos governos federal, estadual e municipal, referentes a impostos, multas, alfndega e outros tributos e taxas , juros (despesas financeiras) dos financiamentos (comerciais e bancrios) obtidos. Prof. Andr de Almeida Jaques24 12 13. 29/7/2009 Atividades de Investimento Relacionam-senormalmente comoaumento e diminuio dos ativos de longoprazo que a empresa utiliza para produzirbens e servios. Prof. Andr de Almeida Jaques 25 Atividades de Investimento Entradas: Recebimento: do principal dos emprstimos concedidos ou da venda desses ativos a outras entidades, exceto ativos financeiros classificados como equivalentes-caixa, pela venda de ttulos de investimento a outras entidades, pela venda de participaes em outras empresas,peloresgate de participaes pelas entidades investidas e pela venda de imobilizado e de outros ativos fixos utilizados na produo. Prof. Andr de Almeida Jaques 2613 14. 29/7/2009 Atividades de Investimento Sadas: Pagamento: dos emprstimos concedidos pela empresa e pagamento pela aquisio de ttulos de investimento de outras entidades, pela aquisio de ttulos patrimoniais de outras empresas e de terreno, edificaes, equipamentos ou outros ativos fixos utilizados na produo.Prof. Andr de Almeida Jaques 27 Atividades de Financiamento Relaciona-se com os emprstimos decredores e investidores entidade. Prof. Andr de Almeida Jaques 2814 15. 29/7/2009 Atividades de FinanciamentoEntradas: Venda de aes emitidas, emprstimos obtidos no mercado, via emisso de letras hipotecrias, notas promissrias, ttulos de dvida ou outros instrumentos, de curto ou longo prazos e recebimento de contribuies, de carter permanente ou temporrios, que, por expressa determinao dos doadores, tm a finalidade estrita de adquirir, construir ou expandir a planta instalada, a includos equipamentos ou outros ativos de longa durao necessrios produo. Prof. Andr de Almeida Jaques29 Atividades de Financiamento Sadas: Pagamento de dividendosou outras distribuies aos donos, incluindo o resgate de aes da prpria empresa, dos emprstimos obtidos (exceto juros) e do principal referente a imobilizado adquirido a prazo. Prof. Andr de Almeida Jaques30 15

Recommended

View more >