Demonstrao dos Fluxos de Caixa(DFC) e Demonstrao do Valor Adicionado(DVA) 1.

  • Published on
    22-Apr-2015

  • View
    106

  • Download
    0

Transcript

  • Slide 1
  • Demonstrao dos Fluxos de Caixa(DFC) e Demonstrao do Valor Adicionado(DVA) 1
  • Slide 2
  • Demonstrao do Fluxo de Caixa(DFC) Objetivo: Proporcionar aos usurios das Demonstraes Contbeis, uma base para avaliar a capacidade da Entidade gerar caixa e Equivalentes de Caixa. Alcance: A totalidade das Entidades, uma vez que todas precisam de caixa para efetuar suas operaes, pagar suas obrigaes e prover retorno para seus investidores. Utilidade: Habilitam os usurios a avaliar as mudanas nos ativos lquidos de uma Entidade, sua estrutura financeira e sua capacidade de alterar os valores e prazos. Finalidade: Demonstrar as entradas e sadas de Caixa e de Equivalentes de Caixa ocorridas em determinado perodo. 2
  • Slide 3
  • Demonstrao do Fluxo de Caixa(DFC) A DFC dividida em 3 tipos diferentes de fluxo de caixa: 1 - Fluxo de Caixa Operacional: Operacional demonstra as principais atividades geradoras de receita e outras atividades no classificveis nos Fluxos de Caixa de Investimentos e Financiamentos; Finalidade de amortizar emprstimos, manter a capacidade operacional da Entidade, pagar dividendos e realizar novos investimentos. A - Mtodo Direto Descreve o fluxo de caixa atravs da apresentao das principais classes de recebimentos e pagamentos brutos. B - Mtodo Indireto Descreve o fluxo de caixa atravs da apresentao do lucro ajustado de itens que no movimentam Caixa. 3
  • Slide 4
  • Demonstrao do Fluxo de Caixa(DFC) 2 Fluxo de Caixa de Investimentos Demonstra a aquisio e venda de ativos de longo prazo e outros investimentos que no sejam classificveis como Equivalentes de Caixa. 3- Fluxo de Caixa de Financiamentos Demonstra as transaes que resultam em mudanas no tamanho e composio do capital prprio e no endividamento da Entidade, no classificveis como operacionais. 4
  • Slide 5
  • FORMAS DE APRESENTAO DO FLUXO DE CAIXA MTODO DIRETO Descreve o fluxo de caixa atravs da apresentao das principais classes de recebimentos e pagamentos brutos. As entidades so incentivadas a apresentar fluxos de caixa de atividades operacionais usando o mtodo direto. Este mtodo proporciona informaes que podem ser teis na estimativa de fluxos de caixa futuros que no so disponveis no mtodo indireto. Por meio do mtodo direto a informao sobre as principais classes de recebimentos e pagamentos brutos de caixa podem ser obtidas, alternativamente por meio: a) dos registros contbeis da entidade, ou; b) do ajuste de receitas operacionais, despesas operacionais e outros itens da demonstrao de desempenho financeiro (Demonstrao do Resultado do Exerccio). Portanto, so feitos os seguintes ajustes: a) mudanas ocorridas no perodo nos estoques e nas contas operacionais a receber e a pagar; b) ajustes em outros itens que no envolvem caixa; e c) ajustes em outros itens cujos efeitos no caixa sejam fluxos de caixa decorrentes das atividades de financiamento e de investimento. MTODO INDIRETO Descreve o fluxo de caixa atravs do resultado do perodo, ajustado levando em conta os efeitos de transaes de natureza diferente de caixa, quaisquer deferimento ou valores a receber ou a pagar decorrentes de eventos passados ou futuros identificados como fluxo operacional e contabilizados pelo regime de competncia (utilizando o mtodo pro-rata-tempore) e tambm itens de receitas ou despesas associados a fluxos de caixa das atividades de investimento ou de financiamento. De acordo com o mtodo indireto, o fluxo de caixa lquido das atividades operacionais determinado ajustando o resultado das atividades normais da entidade em relao aos efeitos de: a) mudanas ocorridas no perodo nos estoques e nas contas operacionais a receber e a pagar; b) itens que no afetam o caixa, tais como depreciao, provises, impostos diferidos, variaes cambiais no realizadas, resultados de coligadas no distribudos e participao de minoritrios; c) todos os outros itens cujos efeitos sobre o caixa sejam fluxos de caixa decorrentes das atividades de investimento ou decorrentes de das atividades de financiamento; e d) o impacto de qualquer item extraordinrio que classificado como fluxo de caixa da atividade operacional. 5
  • Slide 6
  • MTODO INDIRETO X MTODO DIRETO Na comparao entre os dois mtodos, importante irmos alm dos aspectos tcnicos e consideramos a realidade em que vivemos principalmente a realidade brasileira. Mtodo Indireto Vantagens Mtodo Indireto Desvantagens Mtodo Direto Vantagens Mtodo Direto Desvantagens 6
  • Slide 7
  • 7
  • Slide 8
  • Demonstrao do Valor Adicionado(DVA) Definio: o informe contbil que evidencia, de forma sinttica, os valores correspondentes formao da riqueza gerada pela empresa em determinado perodo e sua respectiva distribuio. Valor Adicionado Valor adicionado representa a riqueza criada pela empresa, de forma geral medida pela diferena entre o valor das vendas e os insumos adquiridos de terceiros. Inclui tambm o valor adicionado recebido em transferncia, ou seja, produzido por terceiros e transferido entidade. 8
  • Slide 9
  • Caractersticas das Informaes da DVA : A DVA procura demonstrar, eliminados os valores representativos de dupla-contagem, a parcela de contribuio da entidade na formao do Produto Interno Bruto (PIB). O clculo do valor adicionado possui diferenas entre os modelos contbil e econmico, ou seja, para clculo do PIB, enquanto a economia baseia-se na produo, a contabilidade evidencia a realizao da receita com base no regime de competncia. Dessa forma, como a produo e a venda ocorrem em momentos distintos, o clculo do PIB com base na economia e na contabilidade geralmente apontam diferenas. A diferena entre os dois clculos ser menor quando comparadas diferena entre os estoques inicial e final, ou seja, quanto menor a diferena entre os estoques, ou na inexistncia desses, os clculos com base nas cincias econmica e contbil conciliaro. 9
  • Slide 10
  • Modelo de DVA 1 RECEITAS 2 - INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS 3 - VALOR ADICIONADO BRUTO (1-2) 4 - DEPRECIAO, AMORTIZAO E EXAUSTO 5 - VALOR ADICIONADO LQUIDO PRODUZIDO PELA ENTIDADE (3-4) 6 - VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERNCIA 7 - VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR (5+6) 8 - DISTRIBUIO DO VALOR ADICIONADO (*) (*) O total do item 8 deve ser exatamente igual ao item 7. 10
  • Slide 11
  • 11

Recommended

View more >