CLULAS TRONCO - ? CLULAS TRONCO CONCEITUAO So clulas primitivas, pluripoten tes, auto-renovveis,

  • Published on
    22-Jul-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOCONCEITUACONCEITUAOOSo cSo clulas primitivas, pluripoten lulas primitivas, pluripoten tes, autotes, auto--renovrenovveis, e que, teorica veis, e que, teorica mente, podem se diferenciar em mente, podem se diferenciar em todos os tecidos do corpo humano.todos os tecidos do corpo humano.CLULAS TRONCODR. HERBERT PRAXEDESDR. HERBERT PRAXEDESPROFESSOR EMPROFESSOR EMRITO DA FACULDADE DE RITO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UFFMEDICINA DA UFFCOORDENADOR DO COMIT DE COORDENADOR DO COMIT DE TICA EM TICA EM PESQUISA DA FACULDADE DE MEDICINA E PESQUISA DA FACULDADE DE MEDICINA E DO HOSPITAL UNIVERSITDO HOSPITAL UNIVERSITRIO ANTNIO RIO ANTNIO PEDRO DA UFFPEDRO DA UFFManifestantes na Manifestantes na CmaraCmaraPREMISSAS1 - ASPECTOS ANTROPOLGICOS3 3 -- O SER HUMANO O SER HUMANO NUNCA NUNCA MEIOMEIOMAS MAS SEMPRE FIMSEMPRE FIM DE QUALQUER DE QUALQUER ATO OU PROCEDIMENTO.ATO OU PROCEDIMENTO.AS BASES DA BIOAS BASES DA BIOTICATICACONCEITOSCONCEITOSMORAL CINCIA QUE ESTUDA O BEM E O MALTICA A MORAL APLICADAMORALMORAL CINCIA QUE ESTUDA O BEM E O MALTICATICA A MORAL APLICADABIOBIOTICATICATermo utilizado pela primeira vez pelo oncologista americano, VanRensseler Potter em 1970 no artigo The Science of Survival e no ano seguinte no livro Bioethics: Bridgeto the Future.Termo utilizado pela primeira vez pelo oncologista americano, VanRensseler Potter em 1970 no artigo TheThe ScienceScience of of SurvivalSurvival e no ano seguinte no livro BioethicsBioethics: : BridgeBridgeto to thethe FutureFuture..CONCEITO DE BIOCONCEITO DE BIOTICATICA o estudo sistemtico da conduta humana no mbito das cincias da vida e da sade considerada luz de valores e princpios morais. Encyclopedia of Bioethics, Reich (Ed) 1978 o estudo sistemtico da conduta humana no mbito das cincias da vida e da sade considerada luz de valores e princpios morais. Encyclopedia of Bioethics, Reich (Ed) 1978CONCEITO AMPLIADO DE CONCEITO AMPLIADO DE BIOBIOTICATICA o estudo sistemtico dos limites da conduta humana no mbito das cincias da vida e da sade, examinados luz deprincpios e valores morais imutveis o estudo sistemtico dos limites da conduta humana no mbito das cincias da vida e da sade, examinados luz deprincpios e valores morais imutveisCCLULAS TRONCO LULAS TRONCO ETICIDADE DAS PESQUISASETICIDADE DAS PESQUISASALGUNS CIENTISTAS NATURAIS PASSARAM A RECONHECER QUE AS TECNOLOGIAS QUE EMERGEM DE SUAS PESQUISAS PODEM TER UM CONJUNTO DE IMPACTO, BONS E RUINS. EM UM EDITORIAL DA REVISTA SCIENCE, DONNA SHALALA, QUE FOI SECRETRIA DO DEPARTAMENTO DE SADE E SERVIOS HUMANOS DOS EUA, PONDEROU QUE:...NS DEVEMOS ABRIR ESSAS PORTAS CUIDADOSAMENTE, NUNCA DEIXANDO NOSSA CINCIA IR ADIANTE DE NOSSA TICA. CINCIA E TECNOLIGIA NO SO INERENTEMENTE MORAIS; A RESPONSABILIDADE DE COLOCAR MORAL NELAS PERTENCE A NS. CITADO Pelo PROF. RUBENS ONOFRE NODARIScience 295:285, JANUARY 25, 2002 - EditorialCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOPREMISSA MORALNEM TUDO O QUE SE PODE, DEVE SER FEITO. A MORAL O DENOMINADOR COMUM DE TODOS OS ATOS HUMANOSCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOCONCEITUACONCEITUAOOSo cSo clulas primitivas, pluripoten lulas primitivas, pluripoten tes, autotes, auto--renovrenovveis, e que, teorica veis, e que, teorica mente, podem se diferenciar em mente, podem se diferenciar em todos os tecidos do corpo humano.todos os tecidos do corpo humano.VULO COM VULO COM ESPERMATOZESPERMATOZIDESIDESESPERMATOZESPERMATOZIDE IDE PENETRANDO O PENETRANDO O VULOVULOCCLULALULA--TRONCO TRONCO EMBRIONEMBRIONRIARIAEMBRIO MULTICELULAREMBRIO MULTICELULARCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOEXISTEM DOIS TIPOS PRINCIPAIS:EMBRIONRIAS: EXTRADAS DO EMBRIO HUMANO.Sua retirada implica na morte do embrio.ADULTAS: SO EXTRADAS DE UM TECIDO DE UM SER HUMANO J FORMADO. As mais comumente utilizadas so da medula ssea, tecido formador de clulas sanguneas. Sua retirada no danifica o orga-nismo de onde provm. As clulas do cordo umbilical so tambm exemplos.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOCLASSIFICACLASSIFICAOOADULTASADULTAS:: So as So as stemstem--cellscells, bem , bem conhecidas dos hematologistas. Em termos conhecidas dos hematologistas. Em termos de identificade identificao imunolo imunolgica so denominagica so denomina--das de CD34. Ocorrem em praticamente todos das de CD34. Ocorrem em praticamente todos os tecidos mas muito particularmente na os tecidos mas muito particularmente na medula medula ssea e no sangue do cordo ssea e no sangue do cordo umbilical. So pluripotentes, podendo se umbilical. So pluripotentes, podendo se diferenciar em grande ndiferenciar em grande nmero de tecidos.mero de tecidos.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOCLASSIFICACLASSIFICAOOEMBRIONEMBRIONRIAS:RIAS: So cSo clulas retiradas lulas retiradas do embrio apdo embrio aps algumas divises s algumas divises celulares. So consideradas autocelulares. So consideradas auto--renovrenovveis e que teoricamente podem veis e que teoricamente podem dar origem a qualquer dos vdar origem a qualquer dos vrios rios tecidos do organismo. tecidos do organismo. Sua retirada Sua retirada implica na morte do embrioimplica na morte do embrioCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOUTILIDADE CLUTILIDADE CLNICANICAAs cAs clulas tronco adultaslulas tronco adultas, cuja retira , cuja retira da do organismo no causa a ele da do organismo no causa a ele qualquer dano, qualquer dano, so utilizadas com so utilizadas com sucessosucesso no reparo de vno reparo de vrios tecidos rios tecidos danificados, especialmente o mdanificados, especialmente o mscu scu lo cardlo cardaco mas tambaco mas tambm tecido m tecido nervoso.nervoso.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOUTILIZAO TERAPUTICA DAS C.T.NUMA PESQUISA NO SITE DA BIBLIOTECA NACIONAL DE MEDICINA DOS EEUU ENCONTRAMOS:326 TRABALHOS SOBRE UTILIZAO DAS CT NO TRATAMENTO DE VRIAS DOENAS.105 TRABALHOS, TODOS EXPERIMENTAIS, A MAIORIA EM RATOS, E NENHUMA COM RESULTADOSPRTICOS NO TRATAMENTO OU CURA DE QUALQUER DOENA.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOUTILIDADE CLUTILIDADE CLNICANICAAs cAs clulas tronco adultaslulas tronco adultas, cuja retira , cuja retira da do organismo no causa a ele da do organismo no causa a ele qualquer dano, qualquer dano, so utilizadas com so utilizadas com sucessosucesso no reparo de vno reparo de vrios tecidos rios tecidos danificados, especialmente o mdanificados, especialmente o mscu scu lo cardlo cardaco mas tambaco mas tambm tecido m tecido nervoso.nervoso.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOUTILIDADE CLUTILIDADE CLNICANICAAs cAs clulas tronco embrionlulas tronco embrionriasriasexaustivamente pesquisadas hexaustivamente pesquisadas hddcadas em vcadas em vrios parios pases, ses, atat o o presente momentopresente momento, no foram capa , no foram capa zes de mostrar sua utilidade quer na zes de mostrar sua utilidade quer na melhora, quer na cura de qualquer melhora, quer na cura de qualquer enfermidade congnita ou adquirida.enfermidade congnita ou adquirida.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOUTILIDADE CLUTILIDADE CLNICANICAAs cAs clulas tronco embrionlulas tronco embrionrias rias tm tm suas caractersuas caractersticas imunolsticas imunolgicas o gicas o que impediria sua utilidade em que impediria sua utilidade em transplantes. Para tentar contornar transplantes. Para tentar contornar este problema este problema proposta a chamada proposta a chamada clonagem teraputicaclonagem teraputica com a substi com a substi tuituio do no do ncleo embrioncleo embrionrio por um rio por um de uma cde uma clula do paciente. lula do paciente. CANCERSCANCERS::1. Brain Cancer2. Retinoblastoma3. Ovarian Cancer4. Skin Cancer: Merkel Cell Carcinoma5. Testicular Cancer6. Tumors abdominal organs Lymphoma7. Non-Hodgkins lymphoma8. Hodgkins Lymphoma9. Acute Lymphoblastic Leukemia10. Acute Myelogenous Leukemia11. Chronic MyelogenousLeukemia12. Juvenile MyelomonocyticLeukemia13. Cancer of the lymph nodes:AngioimmunoblasticLymphadenopathy14. Multiple Myeloma15. Myelodysplasia16. Breast Cancer17. Neuroblastoma18. Renal Cell Carcinoma19. Various Solid Tumors20. Soft Tissue Sarcoma21. Waldenstromsmacroglobulinemia22. Hemophagocyticlymphohistiocytosis23. POEMS syndromeAUTOAUTO--IMMUNE IMMUNE DISEASESDISEASES24. Multiple Sclerosis25. Crohn's Disease26. Scleromyxedema27. Scleroderma28. Rheumatoid Arthritis29. Juvenile Arthritis30. Systemic Lupus31. Polychondritis32. Sjogren's Syndrome33. Behcet's Disease34. Myasthenia35. Autoimmune Cytopenia36. Systemic vasculitis37. Alopecia universalisCARDIOVASCULARCARDIOVASCULAR38. Heart damageOCULAROCULAR39. Corneal regenerationIMMUNODEFICIENCIESIMMUNODEFICIENCIES40. X-Linked hyperimmunoglobuline-MSyndrome41. Severe CombinedImmunodeficiencySyndrome42. X-linked lymphoproliferativesyndromeNEURAL DEGENERATIVENEURAL DEGENERATIVEDISEASES/INJURIESDISEASES/INJURIES43. Parkinsons disease44. Spinal cord injury45. Stroke damageANEMIAS/BLOOD ANEMIAS/BLOOD CONDITIONSCONDITIONS46. Sickle cell anemia47. Sideroblastic anemia48. Aplastic Anemia49. AmegakaryocyticThrombocytopenia50. Chronic Epstein-Barr Infection51. Fanconi's Anemia52. Diamond Blackfan Anemia53. Thalassemia Major54. Red cell aplasia55. Primary AmyloidosisWOUNDS/INJURIES56. Limb gangrene57. Surface wound healing58. Jawbone replacement59. Skull bone repairOTHER METABOLIC DISORDERS60. Osteogenesis imperfecta61. Sandhoff disease62. Hurlers syndrome63. Krabbe Leukodystrophy64. Osteopetrosis65. Cerebral X-linkedadrenoleukodystrophyRELAO DE DOENAS QUE PODEM EVENTUALMENTE SE BENEFICIAR COM AS CTARELAO DE DOENAS QUE PROVAVELMENTE NO SE BENEFICIARO DAS CTADOENADEDOENA DE ALZHEIMERDOENDOENAS AUTOAS AUTO--IMUNES COMO:IMUNES COMO:DIABETE JUVENILLUPUS ERITEMATOSO SISTMICOESCLEROSE MLTIPLABIBLIOGRAFIA SOBRE CTABIBLIOGRAFIA SOBRE CTA146 REFERNCIAS BIBLIOGRFICASDA RELAO ACIMA APRESENTADA DISPOSIO DOS ASSISTENTESCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS GENASPECTOS GENTICOSTICOS1 A juno do espermatozide com o vulo humano cria um novo cria um novo ser humanoser humano com cdigo gentico prprio, nico e irrepetnico e irrepetvelvel o zigoto, ou embrio unicelular.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS GENTICOS2 A partir da formao do zigoto existe VIDA HUMANAVIDA HUMANACCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS GENTICOS3 - Uma vez formado o zigoto, ele ele nada mais necessita do meio nada mais necessita do meio exteriorexterior que no oxignio e nutrientes, providos por sua me, alm de um local possa se desenvolver o endomo endomtriotrioCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS GENTICOS4 O zigoto ou ser humano unicelularO zigoto ou ser humano unicelularpossui em seu cdigo gentico informa es que nortearo seu desenvolvi mento futuro, inclusive suas caracters ticas fsicas e psquicas, como cor dos olhos, altura aproximada, temperamen to e aptidesCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS GENTICOS5 O EMBRIO OU O FETO NO O EMBRIO OU O FETO NO PARTE DO CORPO DE SUA ME!PARTE DO CORPO DE SUA ME! ELE ELE APENAS DELE RETIRA OXIGNIO E APENAS DELE RETIRA OXIGNIO E NUTRIENTES PARA SE DESENVOL NUTRIENTES PARA SE DESENVOL VER. UTILIZAVER. UTILIZA--SE DO ABRIGO FORNE SE DO ABRIGO FORNE CIDO PELO CIDO PELO TERO MATERNO ATTERO MATERNO ATSEU COMPLETO DESENVOLVI MENTO SEU COMPLETO DESENVOLVI MENTO CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS GENTICOS6 O EMBRIO OU O FETO NO O EMBRIO OU O FETO NO PARTE DO CORPO DE SUA ME!PARTE DO CORPO DE SUA ME! A A EXPRESSO EXPRESSO SANGUE DE MEU SANGUE DE MEU SANGUESANGUE APENAS POAPENAS POTICA. O TICA. O SANGUE DO CONCEPTO SANGUE DO CONCEPTO FEITO POR FEITO POR SEU PRSEU PRPRIO ORGANISMO E NO HPRIO ORGANISMO E NO HUMA SUMA S HEMHEMCIA DE SUA ME NELE CIA DE SUA ME NELE CIRCULANDO.CIRCULANDO.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISPREMISSA MORALNEM TUDO O QUE SE PODE, DEVE SER FEITO. A MORAL O DENOMINADOR COMUM DE TODOS OS ATOS HUMANOSCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISRespeito ao embrio humano1 A partir da constituio do zigoto, existe vida humana, um ser humano. Como um indivduo humano no seria um ser humano?2 O embrio humano deve ser defendido em sua integridade, tratado e curado, na medida do possvel como qualquer outro ser humanoCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISRespeito ao embrio humano3 O diagnstico pr-natal moralmente lcito se respeita a vida e a integridade do concepto e se for orientado para sua cura individualCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISASPECTOS MORAISRespeito ao embrio humanoRespeito ao embrio humano. 4 As intervenes teraputicas no embrio humano so lcitas se respeitam sua vida e integridade, no envolverem riscos desneces srios, forem orientados para sua cura, melhoria de sua sade ou sobrevivncia individualCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISRespeito ao embrio humano5 A experimentao, no diretamente teraputica, com embries humanos moralmente ilmoralmente ilcita !cita !CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISRespeito ao embrio humanoRespeito ao embrio humano6 Os embries humanos obtidos in vitroso seres humanos e sujeitos de direito. Sua dignidade e direito vida devem ser respei tados desde a concepo.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS MORAISRespeito ao Embrio HumanoP - Porque experimentao com embries humanos?R Um embrio de chipanz custa muito caro e para obt-lo necessrio manter-se uma criao, enquanto que o embrio humano, se a lei no o protege, no custa nada(Dr. Jrome Legeune)CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOEM 27 DE OUTUBRO DE 2004, 57 CIENTISTASEM 27 DE OUTUBRO DE 2004, 57 CIENTISTASAMERICANOS ESCREVERAM CARTA AO AMERICANOS ESCREVERAM CARTA AO SENADOR JOHN F KERRY CRITICANDO SEU SENADOR JOHN F KERRY CRITICANDO SEU APOIO APOIO PESQUISA DE CPESQUISA DE CLULAS TRONCO LULAS TRONCO EMBRIONEMBRIONRIAS. CONFIRMARAM DECLARA RIAS. CONFIRMARAM DECLARA ES DE COMITS FEDERAIS DE BIOES DE COMITS FEDERAIS DE BIOTICA TICA DE QUE O EMBRIO HUMANO DE QUE O EMBRIO HUMANO UMA UMA FORMA DE VIDA HUMANA EM DESENVOLVI FORMA DE VIDA HUMANA EM DESENVOLVI MENTO E QUE MENTO E QUE MERECE RESPEITO.MERECE RESPEITO.ASPECTOS TICOSCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS ASPECTOS TICOSTICOS1 1 A posiA posio de quem o de quem aceita aceita o uso o uso de de cde de clulas tronco derivadas de lulas tronco derivadas de embries descartadosembries descartados de clde clnicas de nicas de fertilizafertilizao o in vitroin vitro e se e se opeope criacriao de embries para este propo de embries para este propsito sito eticamente muito fraca.eticamente muito fraca.CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS ASPECTOS TICOSTICOS2 2 Ou se defende o embrio Ou se defende o embrio humano humano por seu valor intrpor seu valor intrnseconseco e e no se concorda com o seu no se concorda com o seu sacrifsacrifcio para a tratar a infertilidade cio para a tratar a infertilidade ou ou no se tem moral para condenar no se tem moral para condenar o sacrifo sacrifcio de embries para cio de embries para pesquisas. pesquisas. CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOASPECTOS ASPECTOS TICOSTICOS3 3 OS FINS NUNCA JUSTIFICAM OS OS FINS NUNCA JUSTIFICAM OS MEIOS!MEIOS! No se pode utilizar a morte No se pode utilizar a morte de embries humanos com a de embries humanos com a desculpa de que poderiam salvar a desculpa de que poderiam salvar a vida de outros. Seria lvida de outros. Seria lcito retirarcito retirar--se se o fo fgado de um mendigogado de um mendigo para salvar para salvar outra pessoa?outra pessoa?CCLULAS TRONCOLULAS TRONCOPREMISSAS1 -ASPECTOS ANTROPOLGICOS1 1 O corpo humano no pode ser O corpo humano no pode ser considerado apenas um conjunto considerado apenas um conjunto de de rgos e funrgos e funeses ou ainda ou ainda avaliado com o mesmo critavaliado com o mesmo critrio do rio do corpo dos animaiscorpo dos animaisCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOPREMISSAS1 - ASPECTOS ANTROPOLGICOS2 2 Uma intervenUma interveno no corpo o no corpo humano no atinge apenas tecidos, humano no atinge apenas tecidos, rgos e suas funrgos e suas funes mas envolve es mas envolve tambtambm, em diversos nm, em diversos nveis, veis, a a prprpria pessoapria pessoaCCLULAS TRONCOLULAS TRONCOPREMISSAS1 - ASPECTOS ANTROPOLGICOS3 3 -- O SER HUMANO O SER HUMANO NUNCA NUNCA MEIOMEIOMAS MAS SEMPRE FIMSEMPRE FIM DE QUALQUER DE QUALQUER ATO OU PROCEDIMENTO.ATO OU PROCEDIMENTO.Manifestantes na Manifestantes na CmaraCmaraPREMISSAS1 - ASPECTOS ANTROPOLGICOS3 3 -- O SER HUMANO O SER HUMANO NUNCA NUNCA MEIOMEIOMAS MAS SEMPRE FIMSEMPRE FIM DE QUALQUER DE QUALQUER ATO OU PROCEDIMENTO.ATO OU PROCEDIMENTO.CLULAS TRONCOManifestantes na CmaraAS BASES DA BIOTICABIOTICACONCEITO DE BIOTICACONCEITO AMPLIADO DE BIOTICACLULAS TRONCO ETICIDADE DAS PESQUISASCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOVULO COM ESPERMATOZIDESESPERMATOZIDE PENETRANDO O VULOCLULA-TRONCO EMBRIONRIAEMBRIO MULTICELULARCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCORELAO DE DOENAS QUE PODEM EVENTUALMENTE SE BENEFICIAR COM AS CTARELAO DE DOENAS QUE PROVAVELMENTE NO SE BENEFICIARO DAS CTABIBLIOGRAFIA SOBRE CTACLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOCLULAS TRONCOManifestantes na Cmara

Recommended

View more >