Caso concreto aula 8

  • Published on
    29-Jul-2015

  • View
    414

  • Download
    5

Transcript

1. Aula 81-A tendncia antissocial pode ser encontrada:I. Num indivduo normal;II. Num indivduo neurtico;III. Num indivduo psictico.(a)apenas a alternativa I est correta;(b) apenas a alternativa II est correta;(c) apenas a alternativa III est correta;(d) as alternativas I e III esto corretas;(e) as alternativas I, II e III esto corretas.Correta E(PSICLOGO TJ SB /1999)2. Temas como igualdade e diversidade, relacionados com comportamentos, violncia e qualidade devida, vm sendo abordados com bastante frequncia na literatura. Sobre esses aspectos, considere asafirmativas a seguir:1. Psiclogos sociais que observaram grupos estigmatizados e pessoas com atitudes preconceituosasconstataram que os esteretipos acarretam queda na qualidade de vida em ambos os grupos. Conflitos emedos intensificam os esteretipos.2. Os preconceitos atuam no plano inconsciente, portanto, fogem ao controle. Para assumir o cartermanifesto, os preconceitos so modificados sob efeito de censura. Se h presso do tempo, cansao ououtra razo que afete a reflexo e o julgamento, em geral eles se impem. Estudos indicam que o poderdos preconceitos se assenta no modo como nossa memria funciona. A categorizao automtica atuacomo uma espcie de mecanismo poupador de energia. Os esteretipos poupam do esforo da reflexopor simplificar o processamento da informao e servem de escudo para a preservao da autoestima,mas, paradoxalmente, isso ocorre apenas para pessoas que j possuem autoestima positiva.3. O ambiente social pode atuar apresentando contrapontos para ideias preconcebidas, demonstrando queelas no se aplicam, despertando novas formas de perceber, modificar ideias e a realidade. Porm, cabe aoindivduo exercitar a autocrtica e lutar por juzos objetivos. Ao pensar e intervir no combate aos hbitossocialmente nocivos preciso reconhecer a dificuldade desse empreendimento e considerar que a formade abordar preconceitos relevante, pois ela pode levar ao aumento da rejeio ou ser incua.4. O estabelecimento de um grupo basta para lanar as bases do preconceito. Se estranhos pem emquesto a veracidade do sistema de valores do grupo, isso mexe com o medo, e para estabilizar seumundo, o ser humano, nesse caso inseguro, reagir com preconceitos e comportamento discriminatrio.Portadores e vtimas de preconceito comportam-se de modo a confirmar os esteretipos.5. A violncia um fenmeno histrico. A violncia social tem um carter revelador de estruturas dedominao (de classes, grupos, indivduos, etnias, faixas etrias, gnero, naes). Os tempos estruturais,os estranhamentos culturais, as discriminaes e as desigualdades extremas, a falta de oportunidades detrabalho e a escassa cidadania so questes muito profundas que transcendem as prticas especficas darea de sade, ainda que se tenha que lev-las em contra na ao.Assinale a alternativa CORRETA.(a) As afirmativas 1, 2, 3, 4 e 5 so verdadeiras;(b) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 so verdadeiras;(c) Somente as afirmativas 2, 4 e 5 so verdadeiras;(d) Somente as afirmativas 1, 3 e 5 so verdadeiras;(e) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 so verdadeiras.Correta D(ASSOCIAO PARANAENSE DE REABILITAO- PSICLOGO/2008)3. Os estudos sobre a criminalidade, a culpa e a responsabilidade dos sujeitos encontram-se entre os temasque se relacionam atuao do Psiclogo Jurdico na rea penal. Mais precisamente na contribuio atualque a psicologia traz ao estudo e debate acerca do tema, quais fatores devem ser priorizados, peloPsiclogo Jurdico?Resposta: avaliar e diagnsticar os criminosos e enfratores, onde o psicologojurdico ter que detectar a mentira, decobrir causas subjetivas para desvio denormas sociais, observar as alteraes do comportamento anormal. 2. uma percia ao exame criminologico e aos laudos psicolgicos baseados nopsicodiagnstico. Tambm observar e classificar as pessoas, conforme ahereditariedade, carter, constituio fsica e psiquica. Avaliar condies dediscerrnimento ou sanidade dos indivduos.O trabalho do psicologo pode auxiliar e nortear a atuao de advogado,promotores, juzes reconhecendo a necessidade de uma ao em conjunto.(ADAPTAO SEAD/SEJUDH PSICLOGO/2007)4- A histria no Rio de Janeiro de 5 jovens de classe mdia acusados de violncia contra uma empregadadomstica e outros delitos reacendeu, h alguns anos atrs, a discusso sobre as causas sociais epsicolgicas da violncia. Descreva os critrios para o diagnstico do Transtorno de PersonalidadeAntissocial.Resposta: O transtorno da personalidade antissocial, tem por caractristica ocomportamento impulsivo do indivduo afetado, desprezo por normas sociais eindiferena aos direitos e sentimentos dos outros, a falta de empatia para comoutros.As causas que leva um indivduo a praticar tais atitudes vem em fatores ambientaise psicologicos como condies econmicas precrias, famlia desestruturada ehistrico de violcia podem superar fatores genticos na formao dos psicopatas.Pessoas com transtorno de personalidade antissocial frequentemente possuemhistrico de abuso de substncias, especialmente o lcool. Transtorno depersonalidade caracterizado por um desprezo das obrigaes sociais.H um desvio considervel entre o comportamento e as normas sociaisestabelecidas. O comportamento no facilmente modificado pelas experinciasadversas, inclusive pelas punies. Existe uma baixa tolerncia frustrao e umbaixo limiar de descarga da agressividade, inclusive da violncia. Existe umatendncia a culpar os outros ou a fornecer racionalizaes plausveis para explicarum comportamento que leva o sujeito a entrar em conflito com a sociedade.