Caderno2 17 11 13

  • Published on
    10-Mar-2016

  • View
    218

  • Download
    5

DESCRIPTION

 

Transcript

  • Caderno DoisWWW.ODEBATEON.COM.BR MACA (RJ), DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013 ANO XXXVIII N 8244 FUNDADOR/DIRETOR: OSCAR PIRES

    Sonhos natalinos chegam ao Shopoping Plaza MacaSonhos natalinos chegam ao Shopoping Plaza Maca

    Uma decorao especial marca a abertura das comemoraes do Natal 2013 no Shopping Plaza Maca

    Tambm os corredores e a Praa de Alimentao do Shopping mostram o clima natalino, atravs das cortinas de luzes e outros enfeites. Nas entradas do centro comercial saltam aos olhos as guirlandas gigantes sobre suas portas, enfeitadas de verdes, iluminadas por microluzes, decoradas com bolas vermelhas, pinhas e ramagens de cerejinhas.Da mesma forma que as laterais da fachada do Shopping tambm receberam um cuidado especial, apresentando guirlandas gigantes com cortinas luminosas. Na torre da caixa dgua destacam-se ainda cinco guirlandas gigantes e efeitos

    luminosos imitando neve, resultando em um lindo visual.O Shopping Plaza Maca fica na Avenida Aluisio da Silva Gomes, 800 - Granja dos Cavaleiros. Mais informaes pelo telefone (22) 3311-5454 ou pelo site www.shoppingplazamacae.com.brUma vez que os irmos Grimm publicaram sua verso de Chapeuzinho Vermelho o conto ficou mais leve, e foi dirigida s crianas. Onde o lobo raramente consegue tocar ou engolir a av e a menina ingnua. Com o passar dos anos houve centenas de revises literrias de autores talentosos. Tambm houve muitas filmes.

    CLIMA NATALINO POR TODOS OS LADOS

    Isis Maria Borges Gomesisismaria@odebateon.com.br

    O clima festivo invade a cidade. o Shopping Pla-za Maca que agita uma programao especial para mar-car as comemoraes do Natal que se aproxima. A alegria natalina j toma conta do Plaza Maca, que preparou uma campanha de Natal, encantando as crianas e os con-sumidores.Tambm ganhou destaque espe-

    cial a chegada do Papai Noel, que aconteceu no dia 9, em meio a di-versas atraes. Na oportunidade, aquele centro de compras realizou ainda a inaugurao da nova deco-rao natalina.O Papai Noel desembarcou no

    Shopping Plaza Maca e logo se dirigiu ao seu trono no cenrio principal, onde atendeu todos os pedidos de fotos e brincou com as crianas. O evento j est atraindo as atenes do pblico infantil de Maca e de todos os municpios da regio.O Shopping Plaza Maca fica na

    Avenida Alosio da Silva Gomes, n 800, Granja dos Cavaleiros - Maca. Outras informaes pelo site www.shoppingplazamacae.com.br.

    BRINCANDO DE NATAL

    ESTE ANO, o Shopping Plaza

    Maca apresenta uma deco-

    rao de Natal sobre o tema

    Brincando de Natal, tendo

    a empresa responsvel pela

    decorao a Ungerer Design.

    A inspirao para a decorao

    veio dos antigos brinquedos

    de montar. O tema "Brincan-

    do de Natal" visa aproximar

    as famlias, proporcionando

    um ambiente ldico e espe-

    cial para que os pais tenham

    momentos de lazer com as

    crianas e que eles sejam

    marcantes em suas vidas.Assim, a decorao mostra

    interessantes domins gi-

    gantes, cubos coloridos, pe-

    lcias, quebra-nozes e muitos

    elementos ldicos. O evento

    consta ianda de adereos

    como pinheiros, bengales,

    postes de luz, caixas de pre-

    sente e brinquedos giratrios

    tambm compem o cenrio.

    A nova decorao do Sho-

    pping Plaza Maca apresen-

    ta uma rvore de Natal de 7

    metros de altura, que tem sido

    uma das atraes do local

    como um belo cenrio para fo-

    tos. A rvore e decorada com

    laos vermelhos, ramagens,

    pinhas, ursos de pelcia, bolas

    douradas e vermelhas. A ilu-

    minao fica por conta das 7

    mil microlmpadas utilizadas.

    Outro ponto de destaque

    o cenrio de fundo para a

    foto com o Papai Noel, o cas-

    telinho de montar com arcos

    iluminados e ricamente de-

    corado com quebra-nozes,

    grupos de bengales, estre-

    las iluminadas, guirlandas,

    bicos de papagaio, festo

    iluminado, bolas douradas e

    vermelhas, alm de pelcias

    e caixas de presente.

  • 2 Caderno Dois MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013

    Educao na ponta do lpis por Amlia Augusta Guedes Marinho amelia.guedes@uol.com.br

    Escola Ativo apresenta o projeto a volta do malandro

    No ltimo dia 23 de outubro, no Espao Cultural Rinha das Artes, rua Dr. Julio Olivier, 633 - centro, s 19 horas, as turmas do Nono ano/2013, da Escola Ambiente Transfor-mador InterATIVO, conclu-ram brilhantemente o Proje-to - Um encontro com Chico Buarque com a apresentao para comunidade escolar e convidados da pea A VOLTA DO MALANDRO.O referido Projeto parte inte-

    grante da Oficina da Histria da Literatura administrada pelo pro-fessor Jos Henrique da Silva e

    O referido Projeto parte integrante da Oficina da Histria da Literatura

    teve, este ano, como objetivo geral levar os alunos ao pleno conheci-mento da vida e obra buarquianas, atravs das mais diversas atividades ao longo do ano letivo.No retorno das aulas, em fe-

    vereiro, os alunos foram Praa Verssimo de Melo ( Foto 1) e ( Foto 2), no centro da cidade, co-letar dados para uma Pesquisa de Campo, que buscava saber serem os macaenses, ocasional-mente, entrevistados, sabedores ou no a respeito das relaes entre o renomado compositor e a Ditadura Militar vivenciada, no Brasil, a partir do ano de 1964. Os resultados obtidos, atravs de atividades, nas disciplinas de Matemtica e Informtica, pro-porcionaram a concluso de que mais de 85% desses entrevistados no conseguiram estabelecer as relaes propostas, o que provo-cou grandes reflexes em sala de

    aula sobre os nveis de cultura e conhecimentos de fatos da hist-ria recente do pas. Em maro, foi o momento de

    assistir ao filme homnimo da pea teatral pera do malandro , ( Foto 3) onde puderam estabe-lecer conexes, atravs da disci-plina de Histria, com o Brasil no final do Estado Novo e os Anos de Chumbo, alm de fazer um am-plo estudo da folclrica figura do malandro da Lapa, de onde determinaram o nome do Proje-to - A VOLTA DO MALANDRO, uma vez tambm que, em 2007, a Oficina j havia promovido um primeiro encontro com Chico.Em seguida vieram os Semi-

    nrios - Uma noite com Chico Buarque , ( Foto 4 ) primeiro para os pais das turmas envolvi-das, nas prprias dependncias da escola e depois para alunos ( Foto 5 ) do Curso de Educao

    de Jovens e Adultos do Colgio Estadual Irene Meirelles, onde, na verdade em duas noites para cada clientela, enfocou - se os se-guintes temas: A famlia de Chico, Chico & e a Literatura, Chico e a Msica, As influncias, os parcei-ros e os intrpretes, Chico & o Te-atro, Chico & e o Cinema, Chico & as crianas, Chico & o Futebol, Chico & a Ditadura Militar, Chi-co & as Questes Sociais, Chico & o Universo Feminino e por fim Chico & a Mangueira.A partir da vieram as inme-

    ras anlises e interpretaes dos mais diversos textos e obras buar-quianas, mostras de outros filmes pernitentes ao tema, at que j em setembro, tiveram a oportuni-dade de usufruir de um bate - pa-po ( Foto 6 ) pra l de envolvente, verdadeiro e emocionante com a professora de Histria macaense Arlene Carvallho Gomes. Onde a

    mesma pode contar sua vivncia de militante nos difcieis anos dos militares. Foi um momento to significativo para os envolvi-dos, que as duas turmas decidi-ram ao trmino da palestra que o trabalho desenvolvido ao longo de 2013 deveria ser a esta profes-sora dedicado, o que se efetivou no ltimo dia 23, antes de entra-rem em cena, dando o show de criatividade, talento e ousadia, na apresentao de A VOLTA DO MALANDRO.A pea contou com duas sesses.

    Uma s 10 horas da manh ( Fotos 07, 08, 09, 10, 11 ) para os alunos do quinto ano do Colgio Municipal Professora Maria Isabel Damas-ceno Simo e outra no mesmo dia, noite, para pais e convidados ( Fotos 12 e 13 ) e teve como elen-co o aluno Pedro Farah vivendo o professor de Histria Kadu, a Flora a professora de Literatura

    Sofia, o Alec o professor de Edu-cao Artstica Dante, Isabella e Luisa vivendo as diretoras do fic-tcio colgio Harmonia - Fernan-da e Maurivane, Ana Carolina e Jynn vivendo a Coordenadora de Projetos Guilhermina e sua asses-sora Desirre e as alunas Karolyne e Aline as inspetoras Marilena e Lurdinha. Destaque tambm pa-ra Loris que viveu a cuidadora da Diretora Maurivane, Isabelle que emocionou a todos com a sua Zuzu Angel e a aluna Letcia que arran-cou lgrimas da platia com a sua me do meu guri.Com texto de Jos Henrique

    Silva, produo de Juliana de Souza, direo de elenco Brba-ra Saboya, direo de dana Abel, direo de jogral Jos Henrique, direo de dramatizao Han-riett, direo de msica Wilson Rocha, Fotografia Marcelo, mdia Edevaldo contou ainda com:

    Danarinos - Ana Eliza, Bruna, Eliza, Gabriela, Caro-lina Camargo, Lris, Pme-la, Yanna, Paula, Luis Felipe, Pedro Henrique, Cassius, Gabriel Cal e Guilherme ( o malandro ).

    Dramatizao - Gustavo, Andr Cotrim, Carlos Al-berto, Justin, Larissa, Luis Henrique e Vincius.

    Apresentao musical - Jonathan, Andr Torres, Daniel Abreu, Orlando, Alise Ziehe, Pietro, Gabriel Cal, Igor, Marcelo, Vincius, Rodrigo, Joo Pedro Nasci-mento

    Jogral - Matheus, Joo Pedro, Daniel, Carolina Mar-ques, Erick, Marco, Sofia, Le-tcia, Vinicius.

    Impossvel deixar de des-tacar a participao das turmas da pr escola com trechos de Os Saltimban-cos ( Foto 14 ) e primoroso trabalho de composio musical realizado pelo aluno Daniel Assis com a msica Bom Malandro feita para o trmino da pea.

    De parabns toda a EQUI-PE ATIVO por mais este bri-lhante trabalho.

    Nossos aplausos de p!!

  • MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013 Caderno Dois 3 LITERATURA

    Terceira semana do Viva Cultura inicia com I Ciranda Literria grande a expectativa entre os profissionais da regio

    Formar novos leito-res. Este o grande desafio da I Ciranda Literria de Maca, que acon-tece de 18 a 22 de novembro, numa co-realizao da Fun-dao Maca de Cultura e as escritoras Simone Mota e Glaucia Pinheiro. O evento se desenvolve em cinco lugares: em frente ao Hotel Blue Tree Tower, tenda montada no calado da Praia do Pecado, Auditrio da Faculdade de Filosofia Cincias e Letras de Maca (Fafima), Galeria Ca-f com Arte e no Solar dos Mellos - Museu da Cidade, integrando a programao do Festival Viva Cultura. grande a expectativa en-

    tre os profissionais da regio entrelaados com a leitura em torno da I Ciranda Li-terria de Maca. Alm das atividades voltadas para a formao de novos leitores, atravs da capacitao de mediadores de leitura e do aprimoramento de escritores e poetas, o evento mostrar a experincia do mercado li-terrio nacional, por meio de palestras, oficinas, encontros e batepapos.De acordo com uma das

    organizadoras da Ciranda, Simone Mota, a inteno agregar neste contexto os ta-lentos que moram na cidade, macaenses ou no. Apesar da riqueza artstico-cultural do municpio, muitos talen-tos locais ainda permanecem desconhecidos pelos leitores que vivem em Maca, co-

    menta a escritora, abraan-do esta causa na tentativa de mudar o cenrio para pos-sibilitar mais visibilidade

    As organizadoras do evento, Simone Mota e Glaucia, esto muito empenhadas no xito do evento

    produo literria local.A Ciranda ser aberta ofi-

    cialmente no Hotel Blue Tree, na segunda-feira (18),

    com o Sarau de Poesia e M-sica. s 19h, haver a apre-sentao do Coral da Petro-bras, seguida na sequncia

    pelo Sarau dos Alunos da Escola Criarte, Poetas Decla-mam: Rodrigo Noval, Sandra Wyatt e outros, Chico Brant -

    Pocket Show: Compondo, Po-esia em Libras para alunos da Criarte e o Cordel de Maca com o Grupo Historiarte.

    Rio das Ostras recebe Copa Brasil de Paraciclismo

    RIO DAS OSTRAS

    atletas de todo o Brasil es-taro em Rio das Ostras para a quarta e ltima etapa da Co-pa Brasil de Paraciclismo, que acontece nos dias 23 e 24 de novembro. A prova definir os campees do ciclo 2013 e a primeira competio que valer pontos para o ranking classificatrio para as Para-lmpiadas do Rio 2016. A ex-pectativa dos organizadores de que cerca de 100 atletas participem do evento. A prova ser realizada, das 8h s 12h, na Rodovia Amaral Peixoto, no trecho entre Costazul e a entrada para a Lagoa de Iriry. De acordo com o secretrio

    de Esporte e Lazer, Alberto Mo-reira Jorge, o evento contribui para que o Municpio seja refe-rncia no esporte. A categoria paradesportiva foi implantada no Estado do Rio h apenas cinco anos. A realizao desta prova e o trabalho que tem sido realizado neste ano coloca Rio das Ostras como referncia na-cional. Este evento coroa todas as aes da Prefeitura uma vez que simboliza acessibilidade, respeito e integrao na socie-dade, afirma. a primeira vez que o Es-

    tado do Rio recebe uma prova exclusiva para pessoas com deficincia. uma honra ter a oportunidade de receber pes-soas que j so vitoriosas pela transposio de suas limitaes para dar uma bela continuidade e sentido para suas vidas, ex-plica Eduardo Almeida, da Fe-derao de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro - Fecierj. No primeiro dia de provas,

    sbado, 23, ser realizada a mo-dalidade contra-relgio indivi-dual, em que os atletas compe-tem com o objetivo de realizar o percurso individualmente no menor tempo. J no domingo, 24, a vez dos atletas encararem a prova de Estrada Circuito, em que o objetivo percorrer algu-mas voltas no circuito, de acordo com a categoria, sendo o cam-peo o atleta que cruzar a linha de chegada em primeiro. A prova uma realizao do

    Comit Paralmpico Brasileiro, em parceria com a Confede-rao Brasileira de Ciclismo, com apoio da Prefeitura de Rio das Ostras e da Fecierj, alm de contar com o financiamento do Ministrio dos Esportes. ESQUEMA ESPECIAL DE

    TRNSITO - Em virtude da re-

    alizao da prova, a Prefeitura de Rio das Ostras vai promo-ver um esquema especial de trnsito. No sbado e no do-mingo, o trfego da Rodovia Amaral Peixoto ser desviado para as ruas auxiliares das 7h s 13h. RIO DAS OSTRAS CIDADE

    BIKE - O Projeto Rio das Ostras Cidade Bike pretende estimular o ciclismo como prtica espor-tiva, contribuindo para a me-lhoria da qualidade de vida da populao, alm de promover a sustentabilidade e a mobilidade urbana. O projeto visa tambm incluir Rio das Ostras como zo-na de aclimatao olmpica para delegaes estrangeiras para as Olimpadas do Rio 2016. PARAESPORTE - Uma

    equipe do projeto de Paraes-porte da Secretaria de Esporte e Lazer de Rio das Ostras es-tar no local para fazer o ca-dastro de pessoas com defici-ncia interessadas em praticar esportes adaptados no Muni-cpio. Futebol (de cinco e de sete), vlei, natao, basquete, atletismo, tnis de mesa, vela e goalball sero algumas das modalidades adaptadas ofe-recidas pelo Projeto.

    Histria e cultura-africana so destaque

    REDE MUNICIPAL

    diminuir fonte normali-zar Fonte Aumentar Fonte Imprimir Enviar para Com o objetivo de trabalhar com os estudantes da rede municipal o ensino da histria e cultura afro-brasileira, professores do ensino municipal esto parti-cipando de uma programao especfica, que visa destacar informaes quanto inser-o da Lei 10.639/03, alterada pela Lei 11.645/08, que torna obrigatrio o ensino da hist-ria e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas de Educao Infantil, Ensino Fundamental e Mdio. A in-teno destacar no planeja-mento escolar o compromisso, o reconhecimento e o respeito entre as diversidades tnicas.Outro material que alvo

    de estudos dos professores Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288-10), que expressa legtimas demandas da popu-lao negra e reconhecido por constituir um importante instrumento para que as desi-gualdades raciais sejam reco-nhecidas e abordadas em di-ferentes esferas de governo. A lei abrange um conjunto de re-gras e princpios jurdicos que visam coibir a discriminao racial e estabelecer polticas para diminuir a desigualdade social existente entre os dife-rentes grupos raciais.No decorrer do trabalho

    junto aos educadores, o pro-fessor responsvel, Jorge Murtinho, desenvolve visitas tcnicas nos horrios de ativi-dades do professor. Segundo ele, inteno que os edu-cadores possam socializar e multiplicar as informaes da melhor forma. Na oportunida-de, os professores que atuam com os alunos de 6 ao 9 anos e Educao Infantil recebe-ram um kit completo com se-te DVDs alusivos s questes referentes lei 11.645-08. - Diante do projeto, a rede

    municipal tem a inteno de levar ao estudante a uma me-lhor interpretao. Para isso,

    o professor participa de en-contros especficos, que visam enfocar a contribuio do negro no processo civilizatrio -, assi-nalou Murtinho, que participou recentemente da III Confern-cia Nacional de Promoo da Igualdade Racial, ocasio em que foram enfatizadas questes sobre o projeto voltado para africanidade desenvolvido no municpio.No decorrer da ao, tambm

    so abordadas questes como Relao da Cultura Afro no Brasil, Identidade, Esti-ma, Revoluo Industrial e Trfico Negreiro. Uma das propostas apresentar a con-tribuio do negro no processo civilizatrio do pas. Alm disso, ele tambm abre um debate so-bre os significados das palavras preto, negro, branco e pardo.Segundo a secretria de

    Educao, Lcia Thomaz, a inteno que os professores trabalhem em sala de aula a cultura afro-brasileira como constituinte e formadora da sociedade brasileira. Os ne-

    gros so considerados como sujeitos histricos, portanto nas unidades municipais devem ser valorizados o pensamento e as ideias de importantes intelectu-ais negros brasileiros, a cultura (msica, culinria, dana) e as religies de matrizes africanas. Os professores exercem impor-tante papel no processo da luta contra o preconceito e a discri-minao racial, ressaltou.Conscincia Negra - A secre-

    tria de Educao lembrou ain-da que, com a previso da Lei 10.639/03, tambm foi institu-do o Dia Nacional da Conscin-cia Negra (20 de novembro), em homenagem ao dia da morte do lder quilombola negro Zumbi dos Palmares.Por isso, o dia da conscin-

    cia negra est sendo lembrado nas unidades municipais por meio da realizao de pales-tras, apresentao de traba-lhos e mostras culturais, que enfatizam pinturas, fotogra-fias, msicas e produes ci-nematogrficas voltadas para o tema Africanidade.

  • 4 Caderno Dois MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013

    isismaria@odebateon.com.br

    A minha boca relatar as bnos da tua justia e da tua salvao todo o dia, posto que no conhea o seu nmero.(SALMO 71.15)

    Vip's por Isis Maria

    A empresria Lucy Matos (Forum Maca) vive um clima super festivo, neste domingo (17), por conta do seu

    aniversrio. Ela comemora a data entre os abraos dos mais ntimos.

    Felicidades!!!

    Abraos de aniversrio

    O diretor e produtor do Ma-ca Cine, Joo Rocha, est eu-frico ao ver o amigo e diretor do filme Laura, Thiago Valente, conquistar o Oscar brasileiro dado pela Academia Brasileira de Cinema. Este filme foi exibi-do no II Maca Cine em 2012. O outro filme que competiu em animao, Cabea de Papelo, tambm levou o trofu Grande Otelo. Ambos sero exibidos na programao da edio deste ano, que acontece de 25 a 30 de novembro.

    Oscar brasileiro

    O designer grfico de O DEBATE, Felipe Neto, curte seu dia especial de aniversrio. A data festejada em famlia, junto a esposa Raquel Parabns!

    Belas e elegantes, as bailarinas rica Mendes, Kvia Carino e Gisele Mendes da Silva

    Elegantssima, Joana Leal circulando recentemente pelos sales da sociedade

    A bela Franciele Terra esbanjando charme pela cidade

    O grupo As Cigarras de Maca em tarde beneficente no Lar de Maria

    O diretor do filme Laura,

    Thiago Valente,

    recebendo o trofu Grande

    Otelo

    Deu Zebra para o inimigoA Igreja gua Viva

    Maca Centro (Rua Tiradentes, 112) pro-mover uma celebra-o especial. O evento Deu Zebra para o ini-migo acontecer no prximo dia 29 de no-vembro, direcionado s mulheres da igreja. A sugesto que todas compaream usando um adereo de zebra.

    Mais opes no shoppingNovas marcas che-

    gam ao Shopping Plaza Maca. Recentemente, foi inaugurada a loja Canto, conhecida por ser sinnimo de moda para o universo femini-no. E agora acaba de ser inaugurada a loja Red-ley, marca que entrou para a histria da moda brasileira com o lana-mento da primeira cole-o masculina em 1985.

    Mostra de dana em Rio das OstrasHoje o ltimo dia para

    quem deseja apreciar a Mos-tra de Dana de Rio das Os-tras, promovida pela Funda-o de Cultura do Municpio. So mais de 50 companhias que se apresentam no palco montado na Praa So Pedro, no Centro. Alm de contar com a participao de pro-fissionais consagrados como Carlinhos de Jesus,..

  • MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA 18 DE NOVEMBRO DE 2013 Caderno Dois 5

  • 6 Caderno Dois MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013

    Coluna da MulherComo garantir cabelos brilhantes Primeiro, uma cons-tatao: nenhuma mulher est feliz com os cabelos que tem. E quantas novidades para enlou-quecer todas elas! A cada dia aparece uma famosa com um penteado diferente, nunca se falou tanto em mechas, luzes, balaiagem, reconstruo capi-lar, blindagem de fios e assim por diante. Tambm nunca se viu tanto shampoo e creme prometendo cabelos de cele-bridade. E falando na moda dos cabelos, consta que a tendncia atual so fios lisssimos, franjas e tambm volumes e cachos grandes para quem gosta. Uma tendncia contrria a outra, no , mas quem foi que disse que moda tem coerncia?!Uma coisa verdade, pre-

    ciso tratar os fios para que eles aguentem as variaes da moda e do humor das mu-lheres. Quando se trata de cabe-

    los, no importa s as ten-dncias de corte e colorao, o fundamental que os fios sejam saudveis. Os fios so-frem naturalmente com a ao do sol, vento e com o calor do secador e da chapi-nha. Porm, procedimentos como relaxamento, tintura e escovas progressivas so, sem dvida, seus agressores mais violentos. Isso porque esses processos qumicos abrem a cutcula (a parte externa do fio, em forma de escamas), o

    Quando se trata de cabelos, no importa s as tendncias

    Boca limpa sinnimo de sade VIVER BEM

    Uma boa opo a escova interdental mais firmes com filamentos ultrafinos, macios, flexveis e com extremidades arredondadas

    Escovar os dentes muito importante. E deve ser feito des-de que nascemos. Ningum desconhece o mal que pode causar o acmulo de resduos alimentares nos dentes, por isso a cada refeio, os den-tes deveriam ser escovados. No tem nem a desculpa que fica o dia inteiro fora de ca-sa porque j existem escovas descartveis que no necessi-tam nem de gua para serem usadas. Outro elemento impor-

    tante o fio dental, parte fundamental para finalizar o processo de limpeza oral iniciado pela escova de den-te, eliminando eventuais de-tritos e bactrias que perma-necem nos espaos aonde a escova no chega. possvel, entretanto, complementar ou substituir o velho fio dental, composto de fibras de nylon, que muitas vezes podem desfiar ou romper durante o manuseio, por escovas inter-dentais, consideradas mais eficientes na remoo de su-jeiras na regio chamada de proximal, ou seja, localizada entre os dentes.Na arcada dentria huma-

    na existem locais anatmicos, com cavidades, depresses e irregularidades que at mes-

    mo o fio ou fita dental no conseguem atingir e que s podem ser acessados pelas escovas interdentais, isso que explicam os especialistas na rea, completando que a higienizao entre os dentes to importante que consi-derada a principal diferena

    entre os indivduos de pases que conseguiram erradicar a crie e dos pases que perma-necem com esta doena co-mo uma verdadeira epidemia. Por isso, enquanto a higiene bucal no for uma rotina, as pessoas vo continuar com cries e doenas gengivais.

    Os especialistas afirmam tambm que as escovas in-terdentais comuns ou gen-ricas tm o centro metlico muito espesso com cerdas muito curtas e duras, tor-nando a limpeza ineficiente e traumtica. Se a escova for muito fina, no higieniza de

    forma adequada e, se for mui-to grossa, no se encaixa ou no entra no espao entre os dentes. Em ambos os casos, pode provocar trauma e re-trao gengival.Uma boa opo a escova

    interdental mais firmes com filamentos ultrafinos, macios,

    flexveis e com extremidades arredondadas que respeitam a regio da gengiva e alcan-am todos os nichos de re-teno da placa bacteriana, permitindo sua remoo ou desorganizao em regies totalmente inacessveis pelas escovas interdentais comuns.As cerdas das novas es-

    covas interdentais so mais longas e, consequentemente mais efetivas. Imagine uma escova para limpar mama-deiras, aquelas que tm um fio metlico central de onde saem pelos ou cerdas que executam a limpeza da parte interna da mamadei-ra. Os fios desta escova de-vem ser longos o suficiente para alcanar totalmente as paredes internas da ma-madeira. No adianta nada tentar limp-la com uma escova com pelos curtos, pois muitas regies no se-ro atingidas. Fazendo uma analogia com as escovas, exatamente isto o que ocor-re com as escovas interden-tais comuns. Elas no lim-pam corretamente. Importante: Adquira uma

    escova interdental de boa qualidade. Consulte o seu ci-rurgio-dentista sobre as me-lhores opes, pois as escovas interdentais no so iguais.

    CULINRIA

    O Brioche o queridinho de todas as mesas. Verstil, pode ter recheio doce ou salgad

    Ingredientes: 2 tabletes de fermento biolgico

    fresco; 1 xcara (ch) de leite desnatado; 12 colheres (sopa) adoante culinrio; 1 colher (ch) de sal; 2 ovos; 6 colheres (sopa) de margarina; 4 xcaras (ch) de fari-nha de trigo; gema para pincelar.

    Preparo: Numa tigela, dissolva o fermento no

    leite, misture o adoante e deixe descansar 15 minutos. Acrescente em seguida o sal, os ovos, a margarina e a farinha de trigo, amassando bem at conseguir uma massa homognea e macia. Unte forminhas de empada e polvilhe com farinha de trigo. Coloque pequenas bolas de massa dentro das forminhas; pincele com gema e leve ao forno preaquecido (180C) e asse at ficarem dourados.

    Brioche

    que facilita a sada de gua, protenas e vitaminas, atin-gindo a estrutura interna do fio, que fica quebradio, opa-co e com pouca elasticidade. Para recuperar essa fibra ca-pilar seca e danificada, exis-tem inmeros tratamentos no mercado. A reestruturao capilar uma opo para ter os fios hidratados, saudveis e lisos com segurana.Uma novidade so os cos-

    mticos que com Manteiga de Ilip e Complexo Relipi-dizante (leia os rtulos), os quais prometem auxiliar na restaurao e flexibilidade natural dos fios devido ao al-to teor de agentes extras emo-lientes e lubrificantes que proporcionam cabelos macios e muito mais hidratados.Uma dica, vrios produ-

    tos do gnero podem ser usados em casa e produzem efeito imediato, mas que pode no durar at a pr-xima lavagem do cabelo. Se voc gosta de variar a cor dos cabelos e no resiste a processos qumicos, vale a pena investir numa hidra-tao feita no salo, pelo menos uma vez por ms. O segredo dos cabelos bo-

    nitos de celebridades como Susana Vieira, Fernanda Ma-chado ou Flvia Alessandra o trato que elas recebem nos cabelos. Se no usar shampoo e creme especficos e de boa qualidade, nada feito!

    preciso tratar corretamente os cabelos para que os fios aguentem a variao da moda e do humor das mulheres

  • MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013 Caderno Dois 7

    Quinteto Villa-lobos se apresenta em Quissam na prxima sexta

    DIVERSO

    O circuito tem ao todo 50 espetculos circulando pelo estado do rio de janeiro / residncias de cia de teatro, oficinas e palestras.

    Um dos mais celebrados conjuntos de msica de cmera do Brasil, o Quinteto Villa-Lobos, estar participando, nos dias 22, 28 e 29 de novembro do Circuito Estadual das Artes, ministrando oficinas e realizando concertos - tudo com entrada franca. O es-petculo vai acontecer na pr-xima sexta-feira em Quissam.O projeto - Quinteto Villa-Lobos

    50 anos - Msica no Estado do Rio de Janeiro - faz parte da Progra-mao do Circuito e conta com o apoio do Cine Quissam, da Casa de Cultura de Araruama, da Secre-taria Municipal de Cultura de Ara-ruama, do Avenida Brasil Instituto de Criatividade Social, da Arena Carioca Jovelina Prola Negra e da Secretaria Municipal de Cultura do

    Rio de Janeiro.Em cada uma das cidades, o Quin-

    teto comea o dia com uma oficina s 15h e encerra com o concerto s 19h ou 20h. J percorremos mui-tas cidades no Brasil com essa do-bradinha oficina-concerto, conta Aloysio Fagerlande, fagotista do Quinteto. E a receptividade sem-pre muito grande, at porque nossa proposta entrelaar a msica po-pular e o clssico, mostrando que a boa msica independe de classifica-o. No programa dos concertos, figuram peas de Villa-Lobos, Pixin-guinha e Ernesto Nazareth.As oficinas (inscries prvias)

    recebem alunos iniciados e inician-tes e tambm ouvintes, interessados nos instrumentos de sopro, e pro-movem uma aproximao do p-blico com os msicos do Quinteto.

    Fundado em 1962, no Rio de Ja-neiro, o Quinteto Villa-Lobos sem-pre teve a preocupao de divulgar a msica de cmara brasileira, no estabelecendo fronteiras entre o universo erudito e popular. um dos mais antigos conjuntos de c-mara em atividade no Brasil e no mundo. Ganhou duas vezes o Pr-mio Carlos Gomes, do Governo do Estado de So Paulo, como Melhor Grupo Camerstico Brasileiro. Vem colaborando com importantes no-mes da msica popular brasileira, como Egberto Gismonti, Guinga, Joyce, alm de vrias geraes de nomes da msica de concerto na-cional. O Quinteto Villa-Lobos uma das instituies musicais mais importantes do pas, comparvel das principais orquestras. (veja tex-to mais extenso no final)

    Quinteto Villa-lobosum alto grau de musicalida-de marca a trajetria do Quin-teto Villa-Lobos, que em 2012 comemorou seu cinqenten-rio de atividades ininterruptas. Fundado em 1962, desde ento esmera-se na divulgao da msica de cmara brasileira, ao mesmo tempo em que am-plia seu repertrio por vrios gneros, conferindo compe-tncia e popularidade s su-as apresentaes em espaos pblicos e em escolas da rede de ensino. Atualmente formado por

    Rubem Schuenck, flauta; Luis Carlos Justi, obo; Pau-lo Sergio Santos, clarineta; Philip Doyle, trompa; Aloysio Fagerlande, fagote.Em sua discografia pode-

    mos destacar os CDs: Quin-teto em Forma de Choros (Kuarup Discos), Fronteiras e Quinteto Villa-Lobos Convi-da (Rio Arte Digital), Um So-pro Novo (Selo Radio MEC), A Obra de Cmara para So-pros de Heitor Villa-Lobos ( ABMDigital), Quintetos de Sopro Brasileiros 1926-1974 (Selo Radio MEC), agracia-do com o Prmio BR-Rival em 2008, Villa-Lobos - um clssico popular (Kalamata), em 2009 , Ernesto Nazareth (Kalamata)em 2011 e Rasgan-do Seda (Selo SESC-SP) nes-te ano, com obras de Guinga - indicado recentemente ao Grammy Latino.Em 2001 e 2009 recebeu o

    Prmio Carlos Gomes, pro-

    movido pelo Governo do Estado de So Paulo, como o Melhor Grupo de Cmara na-cional. Em 2006 foi premiado pela Funarte e realizou turn com 12 concertos pelo Nor-deste, alm de ter encerrado a Copa da Cultura com con-certo em Berlim, Alemanha.Em 2008 realizou o projeto

    Oi apresenta: Quinteto Villa-Lobos no Rio de Janeiro, com 35 concertos e oficinas por cidades do estado, turn de lanamento do CD Quin-tetos de Sopro Brasileiros com concertos em So Pau-lo, Curitiba, Florianpolis e Porto Alegre, alm de apre-sentaes e oficinas no Chile, Paraguai, Peru e Equador a convite do Ministrio das Re-laes Exteriores do Brasil.Em 2009 foi Quinteto Re-

    sidente do 40 Festival In-ternacional de Inverno de Campos do Jordo, realizou turn, tambm a convite do Itamaraty, por vrios pases africanos, alm de uma srie de concertos para o lana-mento do novo CD Villa-Lo-bos-um clssico popular por diversas cidades brasileiras, e encerrou o Festival Villa-Lobos promovido pela Ra-dio-France, Frana, com um concerto em Paris, na Salle Olivier Messiaen.Em 2010 participou de con-

    certos comemorativos em Is-rael, nas cidades de Tel-Aviv, Jerusalm e Kfar Saba, a con-vite da Embaixada Brasileira

    por ocasio da visita do Pre-sidente Luis Incio Lula da Silva aquele pas.Em 2011 realizou turn de

    lanamento do CD Ernesto Nazareth por vrias cidades brasileiras, alm de ter par-ticipado da XIX Bienal de Msica Brasileira Contem-pornea.Em 2012, ano da comemo-

    rao do cinquentenrio do grupo, recebeu e participou de diversas homenagens, como a primeira audio da obra Concerto a Cinco, de Joo Guilherme Ripper, em concertos com a Orquestra Petrobras Sinfnica e Or-questra Sinfnica de Por-to Alegre, do lanamento do DVD e Bluray Quinteto Villa-Lobos - 50 Anos ( Pre-mio FAM-2011, Prefeitura do Rio de Janeiro), alm de turn de lanamento no Es-tado de SP do CD Rasgando Seda (Selo SESC-SP), com obras de Guinga - indicado ao Grammy Latino. Em 2013 participou do

    Festival de Msica Clssi-ca Brasileira em Portugal, se apresentando em Lisboa, Porto, Coimbra, vora e Ma-fra. Tambm foi convidado a participar de uma srie de eventos musicais paralelos Feira do Livro de Frankfurt, em setembro, alm de inte-grar a programao do Fes-tival Cervantino no Mxico, um dos maiores da Amrica Latina, em outubro.

    LECI DIAS, NOSSA amiga Cigarra, nos preparou este bolo, com tantas delcias que falam ao corao, para que hoje pudssemos comemorar os 21 anos de nosso Coro das Cigarras de Maca. No dia 13 ltimo, foi nosso aniversrio, comemoramos com muita poesia, com muita amizade, com muita saudade daqueles amigos que j no esto conosco. So 21 anos, onde acima de tudo, observamos o amor por nossa cidade, por nossas histrias, por nossa gente, pelas letras... Saudamos Marilena Murteira de Muros Bittencourt, saudamos stia Batista, Leci Dias, Maria Inez Lemos Vieira, Ivania Ribeiro ,Sandra Wyatt, Lucia Neto, Celita Aguiar, Mariucha Correa, Oscar Batista, por se manterem firmes e determinados a continuar cantando Maca atravs dos versos mesmo depois da partida daquela que criou o Grupo, Laurita de Souza Santos Moreira. Saudamos a poesia macaense... Parabns Coro de Cigarras de Maca, uma Instituio onde as normas so amor, amor e amor!!!

    Cigarras de Macapor Aurora Ribeiro

    cigarrasmacae@gmail.com

    Hoje, 17 de novembro, ms das Cigarras de Maca, apresentaremos poe-sia de nossa querida LECI DIAS, nossa majestosa Cigarrinha, nesta poesia vai uma lembrana carinhosa de nossos encontros...

    O ch do sbado, dia 13,L no Stio, me inspirou,Para algo eu fazerEm homenagem as Cigarras,Que cantando nas poesiasLevam a vida com garraEnto pensei num grande boloCom massa bem diferente,Para que ao sabore-loAs deixassem mais contentes...Bem depressa, assim passei,Da teoria a ao...Peguei o que precisavaFiz trabalhar minhas mos!Com o trigo do otimismoSem fazer economia,Pus dez colheres de prazer,Coloquei com euforia...Dez colheres bem cheiasDe manteiga da bondade,Alegria, esperana,Paz e felicidade...Dez xcaras de simpatia,Quinze xcaras de amor,Sete de afinidadePara aumentar o sabor...Chi!... J estava esquecendo,Dos ovos sim, colocar,Pois nenhum ingredienteNesse bolo h de faltar...

    TARDE INSPIRADORALeci Dias

    Com o fermento da ternura,Leite da boa vontade,Recheio, abrao fraterno,Com muita sinceridade...No poderia faltarO mel de um belo sorriso,Vocs comero rezandoE chegaro ao paraso...Porque este, diferente!S faz bem, no prejudica,Com o acar do carinhoFicaro bem mais bonitas...Peguei o cravo da alegria,Canela da fraternidade,Coloquei o chocolate...Ser que vai vem com mate?Misturei devagarinho...Com toda dedicao,Coloquei na assadeira,Ficou uma perfeio!O bolo saiu fofinho,Do forno do corao!Cortei ento em fatias,Cada qual por sua vez,Eis a minha homenagem!Este bolo, pra vocs!Podem servir sem receio,A noite ou a luz do sol,Pois este, amigas light!No possui colesterol!!!

    Mensagem de fpor Robson Oliveira

    Voc se Torna aquilo que acredita o que Um dia, um tremor de ter-

    ra fez com que um dos ovos de guia rolasse montanha abaixo. Ele rolou at parar no terreiro de uma fazenda ao p da montanha. As ga-linhas, como sempre mui-to responsveis, decidiram cuidar do ovo e uma gali-nha mais velha ficou com a incumbncia de choc-lo e cuidar da educao da pe-quena ave. Aps algumas se-manas, o ovo se abriu e uma bela guia nasceu.Infelizmente, a pequena

    guia foi criada como uma galinha e passou a acreditar que era mais uma ave do ga-linheiro da fazenda. A guia amava seu lar e sua famlia,

    mas, intimamente, seu esp-rito sonhava com algo mais.Um dia, enquanto ciscava

    o cho procura de insetos, a guia olhou para o cu e viu um grupo de poderosas guias voando muito alto. "OH", a guia gritou, "como eu gostaria de voar como aquelas aves". As galinhas ri-ram e zombaram: "Voc no pode voar como aquelas aves. Voc uma galinha, e gali-nhas no voam".A guia continuou a mi-

    rar sua verdadeira famlia, sonhando que poderia estar l em cima com aquelas be-las aves. Mas toda vez que ela revelava seus sonhos, era lembrada que isto no era

    possvel. Isto foi o que a guia aprendeu a acreditar. Com o passar do tempo, a guia pa-rou de sonhar e continuou a viver sua vida de galinha. Fi-nalmente, aps muitos anos vivendo como galinha, a guia morreu.Moral da histria: voc se

    torna aquilo que voc acre-dita que . Assim, se voc sonha que uma guia, siga seus sonhos e no os conse-lhos das galinhas. Ilustra uma das formas mais comuns de bloqueios criatividade, os bloqueios culturais: barreiras que impomos a ns mesmos, geradas por presses da so-ciedade, cultura ou grupo a que pertencemos.

    Era uma vez uma grande montanha onde as guias tinham seus ninhos.

  • 8 Caderno Dois MACA, DOMINGO, 17 E SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO DE 2013

    A Coruja e a guia A leitura de BelezaEra uma vez A Sr Coruja e a Sr guia viviam em constantes atritos. Sabe o porqu? Sr guia se deliciava com os filhotes da Sr Coruja. Sem d nem piedade.Um dia, cansadas, fizeram

    um trato: De hoje em diante, voc no

    comer mais os meus filhinhos", disse a Sr Coruja. Combinado. Ento per-

    guntou a guia: Mas como vou reconhecer seus filhos, os corujinhas? As aves so to parecidas"

    - Ora, os meus filhotes so os mais lindos da floresta. A pe-nugem deles supersedosa. Os olhos brilham. O corpo cheio de graa. Eles so belos demais, no tem como confundir.Um ms depois, dona guia

    voava pela floresta. Morta de fome achou trs filhotinhos de aves. Eram feios, cinzentos e desengonados. Devorou-os com prazer. Quando Sr Coruja voltou para o ninho, no encontrou os bichinhos. Furiosa, foi acertar as contas com Sr guia, gritando:- Sua mentirosa, traidora, sem

    katiacure@bol.com.br katiacure@pop.com.br

    O Debatinho por Ktia Golosov Cure

    vergonha!!! Voc no cumpriu sua palavra. Devorou meus lin-dinhos!!! - O qu? Aqueles feiosos eram

    os seus filhotes? Sinto muito. Mas, de lindos, eles no tinham nada. Quem manda exagerar? A histria da Sr Coruja a

    histria de todas as mes. Elas acham os filhos lindos de viver. Mais coruja que a me coruja, s a vov coruja. Figurinha essa coruja , no acha pequeno?Moral: A beleza depois de cer-

    to tempo de convivncia fica ca-da vez maior. Quem ama o feio bonito lhe parece.

    Quando Deus desenhou essas duas belezas estava muito inspirado em suas criaes!!! So os belssimos irmos Malu e Theo, amor sem limite, dos papais Gisele e Vitor Mendes (Ambar). Um espetculo!!!

    Esse gato o apaixonante Daniel Vedder Maia Godim, estreando sua fantasia de "Stitch", baseado no personagem do alienigenazinho azul do longa metragem da Disney "Lilo & Stitch". Ele o afilhado muito querido do Alberto Murteira, que o chama carinhosamente de Danny. Um show de rapazinho!!!

    Esse garoto inteligentssimo o Ryan Cndido, que acabou de completar 8 anos de pura alegria. Ele o filho adorvel dos papais Elaine e Bruno Felix Cndido e o orgulho da vov Ana Lucia Felix Rodrigues. Parabns, que Deus acenda o seu caminhar com as luzes das estrelas, iluminando sua vida, lindo, o desejo da Tia Katita!!!

    A elegncia e a personalidade forte j so ntidas nestas duas princesinhas!!! So elas as priminhas: Yasmin Souza Pires e Maria Eduarda Portugal. Poderosas as pequenas!!!

    Essa estrelinha brilhante Ana Clara, a menininha dos olhos de seus papais Ana Carla e Jos Carlos. Uma diva!!!

    Esse trio quando se encontra tem barulho!!! So os priminhos: Maria Eduarda Castro e Diogo Gurgel e o amiguinho Joo Pedro Alvarez Golosov Curvelo. Lindos de viver!!!