Caderno2 16 e 17 11 14

  • Published on
    06-Apr-2016

  • View
    214

  • Download
    2

DESCRIPTION

 

Transcript

  • CADERNO DOISwww.odebateon.com.br Maca (RJ), domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014, Ano XXXIX, N 8555 Fundador/Diretor: Oscar Pires

    O DEBATE DIRIO DE MACACRDITO

    Yuka Shimizu revela a sua paixo pela msica brasileira,

    Pianista japonesa recebe aplausos hoje em MacaA pianista Yuka Shimizu apresenta um recital neste domingo (16) prometendo encantar o pblico presente

    Isis Maria Borges Gomesisismaria@odebateon.com.br

    O talento de uma instru-mentista internacional estar em evidncia, neste domingo (16). Trata-se da consagrada pianista japone-sa Yuka Shimizu, que chega ci-dade para um recital no Teatro Municipal de Maca, sendo al-tamente aplaudida pelo pblico macaense.O espetculo tem incio s 11h,

    e a entrada franca, visando for-mar novas plateias e democra-tizar o acesso msica erudita, instrumental e ao canto lrico.O mais interessante que a

    pianista promete encantar o p-blico presente com um repert-rio de compositores brasileiros, especialmente selecionados pa-ra esta apresentao. Alm das msicas brasileiras, ela ir tocar apenas uma msica do compo-sitor japons Kouzaburo Hirai, Sakura-Sakura.O evento faz parte do projeto

    Concertos Sociedade Musical Macaense 2014, de uma srie de 11 a serem realizados at o final do ano, com patrocnio da Petrobras. Esta a oitava edio. O fato que a pianista atra-

    vessou o mundo movida por sua paixo pela msica brasi-leira, fazendo uma parada em Maca. A combinao Brasil-Japo, que tem na programao grandes compositores eruditos do Brasil, prova que a msica uma linguagem universal.

    REPERTRIO DO ESPETCULONesta apresentao, a pia-

    nista japonesa Yuka Shimizu presta uma homenagem m-sica erudita nacional, executan-do obras de Ernesto Nazareth, como Odeon, Confidn-cias, Brejeiro, Fon-Fon, Dora e Apanhei-te, cava-quinho; Sonatina, de Edino Krieger; Valsa de Esquina No 12 e Congada, de Francisco Mignone; alm de Festa no Serto e Alma Brasileira, de Heitor Villa-Lobos, encerrando a apresentao.

    PAIXO PELA MSICA BRASILEIRAYuka Shimizu revela a sua

    paixo pela msica brasileira, ressaltando que o ritmo foi o que mais chamou sua ateno na msica brasileira. A pianis-ta confessa que foi justamente esse diferencial que a fez sair do Japo e vir ao Brasil para conhe-cer de perto as obras dos com-positores que hoje compem seu repertrio.O objetivo do recital ser

    mostrar para o pblico de Ma-ca a importncia das msicas clssicas brasileiras. E tambm incentivar todos a irem ao tea-tro para escutar mais msicas do gnero, ressaltou a musi-cista.

    DA TERRA DO SOL NASCENTEYuka Shimizu nasceu na pro-

    vncia de Saitama, no Japo. Em 1995, ingressou na Faculdade de Msica Kunitachi, em Tokyo. Sua paixo pela msica brasilei-ra a fez atravessar o mundo e vir para o Brasil em 1997. Estudou

    com Clara Sverner e Mordehay Simoni e formou-se no Con-servatrio Brasileiro de Msi-ca, em 2001, com orientao da Professora Maria Teresa Soares.A artista tirou o primeiro lu-

    gar no concurso de Talentos de piano em Braslia, em 2001, e o terceiro lugar no concurso de msica Brasileira em So Paulo, no ano seguinte. Ela continuou colecionando prmios: melhor intrprete de msica Brasileira e Bach no XI Concurso Nacio-nal de Piano de Minas Gerais, na cidade de Belo Horizonte, tambm em 2002, e segundo lugar no concurso Nacional de Piano Artelivre em So Paulo, em 2003. J em 2006, recebeu Moo de Congratulaes por sua atuao como intrprete de Msica Brasileira na Cmara Municipal de Rio de Janeiro.Em 1998 a pianista comeou

    a realizar recitais nos princi-pais teatros da cidade do Rio de Janeiro e no Japo. Yuka atua como duo com Neti Szpilman no projeto Para Sempre Naza-reth, entre outros. Em 2006, gravou o CD Embalada pela brisa do Rio, com msicas do pianista e compositor brasilei-ro Ernesto Nazareth. Em 2008 apresentou-se como solista da Orquestra Sinfnica Nacional - UFF sob a Regncia da Maes-trina Lidia Amadio e Maestro Chiyuki Murakata.Desde que chegou ao pas, a

    artista divulga a msica brasi-leira tanto no Brasil como no Japo.

    Programa do espetculo

    1. Fantasia Sakura- Sakura - Kouzaburo Hirai

    2. Odeon - Ernasto Nazareth

    3. Confidncias4. Brejeiro5. Fon-Fon6. Dora7. Apanhei-te,cavaquinho8. Digo9. Sonatina - Edino

    Krieger10. Valsa de Esquina No.1

    - Francisco Mignone 11. Congada12. Alma Brasileira - Villa-

    Lobos13. Festa no Serto

    Fundada em 1990, a Sociedade Musical Macaense uma enti-dade jurdica sem fins lucrati-vos, que visa promover eventos culturais e estimular o ensino da msica na comunidade ma-caense.A Sociedade j realizou mais

    de 250 eventos, com participa-o de 900 artistas, aproxima-damente. Sempre voltada ao incentivo e apresentao de jo-vens talentos, msicos e grupos da regio, a Sociedade fomenta a formao de plateia, abrindo mais um importante espao para apresentaes de msica erudi-ta, to raras na regio e no pas.Contatos atravs do site

    www.sociedademusicalmaca-ense.org.br; pelo e-mail smm@sociedademusicalmacaense.org.br ou pelos telefones (fixo) 3084-1340 e (cel.) 9 9821 9268 (falar com Deizeli).

    Sociedade Musical Macaense

  • O DEBATE DIRIO DE MACA2 CADERNO DOIS Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014

    EDUCAO NA PONTA DO LPISpor AMLIA AUGUSTA GUEDES MARINHOamelia.guedes@uol.com.br

    NAVEGANDO

    Neste site, o educador

    encontra planejamento de aulas, resenhas com dicas de programas com orienta-o educacional, fruns de discusso, chats, modelos de exerccios e agenda com da-tas festivas.

    REVENDO E AVANANDO

    LIVROS & CIA

    O professor deve despertar o interesse do aluno para que este se aprofunde no assun-to, mas sempre com sua ajuda.

    Livros:APRENDIZAGEM Histrica:

    Fundamentos e Paradig-mas, de Jen Rusen. Edi-tora W.A.;

    ALFABETIZAO Cartogr-fica e a Aprendizagem de Geografia, de Elza Passini. Editora Cortez;

    A Escola que (No) en-sina a escrever, de Slvia Gasparian Coelho. Editora Summus;

    DVD:PONTO de Mutao;GUERRA de Fogo;CASAMENTO Grego.

    AO MESTRE COM CARINHO

    NOTE BEM

    As razes para a negativa do estuComo surgiu a gua na Terra?

    H diversas teorias. Uma delas indica que a gua teria sido formada junto com a Terra ou no interior dela e expelida pelos vulces em forma de vapor ao longo de bilhes de anos. Mas a ex-plicao mais aceita atual-mente defende que cometas e asterides - que tm gua na sua constituio - bom-bardearam nosso planeta e deixaram esse elemento na sua superfcie. O acmulo se configurou com o passar do tempo e aps uma grande sequncia desses episdios. A gua que compe come-tas e asterides, por sua vez, surgiu da combinao de hidrognio e oxignio pre-sentes no Universo.

    Segundo o novo Acordo Ortogrfico, que entrou em vigor em janeiro de 2009, o hfen utilizado apenas quando o prefixo termina com a mesma letra que co-mea a segunda palavra ou quando a segunda palavra comea com h

    EXEMPLOS:anti-inflamatrio, anti-

    higinico.Em todas as outras situa-

    es, no se utiliza o hfen

    aps o prefixo. Salienta-se que, nas formaes em que o prefixo termina em vogal e a segunda palavra come-a com as consoantes r ou s, essas consoantes devero ser duplicadas.

    EXEMPLOS:antissptico, antirrugas.Maria sentiu muito enjo

    na gravidez......mas nada de enjo com

    a nova grafia!O correto : enjo

    Regra facilACORDO ORTOGRFICO

    Em casos de rendimento in-suficiente, apenas aplicar ou-tra avaliao ao estudante no resolve o problema - a no ser que a proposta inicial tenha sido inadequada. A funo de avaliar identificar o que o aluno sabe e o que precisa aprender. Ao refletir sobre os resultados e como possvel fazer para ajud-lo a superar as dificuldades, o professor reorganiza o ensino para ampliar as oportunidades de aprendizagem dele. Ou seja,

    o educador opta por estrat-gias didticas e intervenes adequadas criana, que se-jam diferentes das j realiza-das e que no foram eficazes. Em relao aos instrumentos avaliativos, recomendado que o professor combine ao longo do processo propostas escritas e orais, alm de pro-dues coletivas e individuais, de modo a abordar diversas habilidades e competncias, superando um modelo hege-mnico de avaliao

    Como reavaliar um aluno que no foi bem em uma prova ou trabalho?

    AVALIAO

    DVIDAS DO DIA A DIA

    Dizem que ele anti-social.Ser?

    O correto : antissocial.

    A Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora (FSMA) realizou a VIII Semana de Comuni-cao, nos dias 12 e 13 de novembro, quarta e quinta-feiras, na sede da Faculdade. O ob-jetivo foi reunir profissionais e estudantes para troca de experincias e a reflexo de temas relacionados s novas mdias sociais.O evento tem como tema A mdia dentro

    da mdia. Desafios e oportunidades para os Profissionais da Comunicao na Inter-net e foi organizado pela turma de Gesto de Eventos Empresariais, coordenado pelo Prof. Esp. Junior Guzzo.O objetivo foi promover o debate e dis-

    cusses acadmicas sobre a utilizao das redes sociais na comunicao, integrando discentes, educadores e comunidade, geran-do a conscientizao da necessidade de pro-mover aes e reflexes sobre o profissional do sculo XXI.As atividades aconteceram no Auditrio

    Ir. Maria La.

    FSMA realiza a VIII Semana de Comunicao

    NMEROS

    445 mil o nmero de alunos perdidos pelas es-colas pblicas do Brasil, em comparao a 2013, segundo a Pesquisa Nacio-nal por Amostra de Domi-cilios. Esse nmero segue em constante declnio nos ltimos dez anos.

    REGRA FCIL

    segundo a nova grafia, no se acentuam mais os hiatos terminados em oo e ee.EXEMPLOS: perdoo,

    creem.

    DESTAQUE

    Professor Jos Henrique, escritor Luiz Antnio Aguiar e Karine Cariello, divulgadora da Editora tica, no evento de culminncia da Oficina de Histria da Literatura no Colgio ATIVO

    o escritor Luiz Antnio e o aluno Guilherme Oliveira, durante evento no Colgio ATIVO

    PONTO DE VISTA

    Do ponto de vista concei-tual, podemos dizer que ne-nhum contedo simples. Is-so, no entanto, no quer dizer que voc deve deixar de falar sobre um assunto por consi-der-lo complexo demais.Um mesmo contedo pode

    ser trabalhado em diferen-tes nveis de profundidade, de acordo com a etapa de de-senvolvimento e os saberes dos alunos. A construo do conhecimento um processo progressivo, que perdura por toda a vida. Abordagens sucessivas vo

    aproximando cada vez mais as pessoas do saber. Em vez

    Tema Complexo de deixar de lado um ou ou-tro tema, cabe ao professor estar atento s expectativas de aprendizagem que traou para a turma e ter claro o que ele espera que os estudantes aprendam.Lembre-se de que um mes-

    mo assunto pode reaparecer em vrios momentos da es-colaridade. A cada etapa, h novos objetivos a serem alcan-ados, que precisam ser esta-belecidos tendo como base o grau de compreenso da tur-ma. Levar em conta os conhe-cimentos prvios dos alunos um bom termmetro para planejar as aulas sem deixar temas complexos de lado nem trazer explicaes profundas demais para cada faixa etria.

    A equipe Junior do Clube Macaloha ficou em segundo lugar no Campeonato Estadual de Canoa Havaiana em Itaipu. O estudante Gabriel Loureiro (ao centro), filho querido de Mrcia Loureiro, sendo premiado junto com seus amigos de equipe Ana Clara Mattoso e Yago Dias.

    Em 01 de novembro, terminou a ltima etapa do Campeonato Estadual de Canoa Havaiana, na Praia de Itaipu, Regio Ocenica, em Niteri. Cerca de 60 equipes, divididas em quase 20 clubes, disputaram a competio. Na categoria Clubes a equipe de Maca Macaloha ficou na terceira posio e na categoria Junior em segundo lugar. Parabns a equipe de Maca Macaloha Va a pela conquista, conquistando excelentes lugares na classificao geral

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014 CADERNO DOIS 3

    VIP'S por ISIS MARIAisismaria@odebateon.com.br

    ESFORAI-VOS, E

    ANIMAI-VOS; NO

    TEMAIS, NEM VOS

    ESPANTEIS DIANTE

    DELES, PORQUE O

    SENHOR, VOSSO

    DEUS, O QUE VAI

    CONVOSCO; NO

    VOS DEIXAR NEM

    VOS DESAMPARA-

    R.

    (DEUTERONMIO

    31.6)

    O aniversariante deste domingo, Duda, que curte clima festivo em famlia

    A equipe organizadora do baile foi composta por Maria Rosa, Rita, Sueli Ferraz, Sonia, Angela, Cristina, Gisela, Rose e Alessandra

    Abraos de hojeUm domingo de muitos abraos vive o

    empresrio Duda Zarour Pinheiro, cele-brando mais um ano de vida. Ele comemo-

    ra a data em famlia, junto esposa Gio-vana e os filhos Miguel e Maria Eduarda.Parabns!!!

    A aniversariante Priscila junto ao marido Ricardo Meirelles

    Aniversariante de hojeUm domingo de muitos abraos vive o

    empresrio Duda Zarour Pinheiro, cele-brando mais um ano de vida. Ele comemo-

    ra a data em famlia, junto esposa Gio-vana e os filhos Miguel e Maria Eduarda.Parabns!!!

    A aniversariante Otvia Camoleze, em recente viagem ao Peru junto ao marido Jamil

    Durante o evento, o Coordenador do Projeto Joo Freitas; o coordenador da Agenda 21, Fernando Marcelo; e o produtor Augusto Freitas

    Maca Rio Sustentvel O projeto Maca Rio Sustentvel le-

    vou alunos de diversas escolas da rede municipal a uma visita guiada ao pontal da barra do Rio Maca, aps palestra com informaes relevantes sobre sua bacia hidrogrfica, levantadas atravs de estudo realizado pelo projeto em etapa anterior. Alm de conhecer as caractersticas am-bientais do Pontal e sua importncia, os alunos realizaram plantios simblicos de vegetao de restinga, orientados por tc-

    nicos da Secretaria de Ambiente.O projeto, que prev o reflorestamento

    do Pontal e a produo de um atlas geo-grfico sobre a Bacia do Rio Maca, alm da capacitao dos professores da rede municipal para uso do atlas em sala de au-la, patrocinado pela Petrobras, realizado pelo Instituto de Planejamento Urbano e Ambiental (IPGA) e apoiado pela Prefei-tura atravs das secretarias de Ambiente e Educao, alm da Agenda 21 Maca.

    O coordenador tcnico do projeto, Joo Bandeira de Freitas, informa que o proje-to est em sua terceira etapa, sendo que nas etapas anteriores foram recuperados 17 hectares de mata ciliar do Rio Maca, atravs do plantio de cerca de 50 mil mudas produzidas pelo prprio projeto, e elaborado um minucioso diagnstico da Bacia do Rio Maca, da sua nascente foz, e que subsidiar o contedo do Atlas que est sendo produzido.

    Baile BenecenteCom xito total aconteceu o Baile Beneficente ao Recanto do

    Idoso, ocorrido em 30 de outubro no Clube Cidade do Sol, con-tando com animao de Cacalo e Banda e organizao do grupo O amor o caminho. O valor arrecadado foi de R$ 8.415,00, que

    foi entregue Coordenadora do Recanto do Idoso, Irm Nelza.O grupo agradece aos seguintes patrocinadores: Prefeitura de

    Maca, Beto Brandro, Cantina Brasileira, Clube Cidade do Sol, Corbel Autoescola, Diagonal Comrcio, Micasa e Picanha do Z.

    Sexta festivaSexta-feira (14) foi dia festivo para

    Priscila Vieira, que esteve trocando de idade. Ela curtiu o clima festivo junto

    famlia, entre abraos dos mais n-timos.Mil parabns!!!

    Nossa linda estrela macaense, Amanda Amado, que explode sucesso por esse Brasil afora

    Sucesso da macaense!!!Nossa estrela macaense Amanda Amado vai se apresentar no dia 20 de novembro

    no encerramento da 2 Caminhada da Igualdade Racial de Goinia (GO).O evento, comemorativo ao Dia Nacional da Conscincia Negra, e que faz parte do lll

    Circuito da Igualdade Racial -2014 "Juntos, construindo uma Goinia sem racismo", uma realizao da SEPPIR - Secretaria Municipal de Polticas para a Promoo da Igualdade Racial em homenagem morte de Zumbi, lder do Quilombo dos Palmares.Nossa cantora se apresentar na Praa Universitria, onde acontecero outras apre-

    sentaes culturais de artistas goianos(as).

    Sueli, Maria Rosa, Freira Nelza e Gisela na entrega da doao ao Recanto dos Idosos

    Festival de OrqudeasO Mundo da Lua Orqudeas marca

    a comemorao do seu aniversrio de quatro anos de fundao realizando o primeiro Festival de Orqudeas no Sana, local onde est sediado o or-quidrio. O evento acontecer nos prximos 22 e 23 de novembro das 9h s 20h, oferecendo um dia muito florido, em meio s belezas naturais do Sana, tendo como palco o belo jardim da Igreja So Sebastio, no centro do Sana, 6 distrito de Maca.

    Sorriso MarotoUm super show promete movimentar Maca no prximo 4 de dezembro.

    o grupo Sorriso Maroto, que tem o integrante Serginho (que morou toda a sua infncia e juventude em Maca, deixando aqui muitos amigos), e que vai se apresentar na nova casa noturna Vibe Music.

  • O DEBATE DIRIO DE MACA4 CADERNO DOIS Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014

    CINEMA EM CASA

    Tammy TAMMY (Melissa McCarthy) uma mulher que perde seu emprego na mesmo poca em que descobre que estava sendo trada pelo marido. A partir da, ela pega a estrada para uma longa viagem com sua av (Susan Sarandon), que abusa de bebidas e de palavres. O elenco conta ainda com as presenas de Kathy Bates, Allison Janney e Dan Aykroyd. COMDIA - Ano: 2014 - Durao: 97 minutos - Cor - 14 anos - Warner Bros

    Vizinhos MAC (Seth Rogen) e Kelly Radner (Rose Byrne) aca-baram de se mudar para uma casa nova, junto com o filho recm-nascido deles. Aparentemente trata-se do local perfeito para criar uma famlia, mas logo o casal percebe que as aparncias enganam. Espe-cialmente quando um dos vizinhos Teddy Sanders (Zac Efron), que lidera os jovens das redondezas nas confuses aprontadas por eles. COMDIA - Ano: 2014 - Durao: 97 minutos - Cor - 16 anos - Universal Pictures

    Jersey Boys: Em Busca da Msica NA dcada de 1950, o talo-americano Tommy DeVito

    divide seu tempo entre cometer pequenos furtos e comandar uma banda. Ele amigo do jovem e ta-lentoso Frankie Valli que, no demora, convidado para se juntar ao grupo musical. Com a entrada do compositor Bob Gaudio, no entanto, eles - ao lado de Nick Massi - formam uma das mais bem-sucedidas bandas dos anos 1960, o The Four Seasons, res-ponsvel por hits como "Sherry", "Big Girls Don't Cry", "Walk Like a Man" e "Can'tT My Eyes Off You". Baseado no musical da Broadway, o longa de Clint Eastwood mostra a ascenso e queda do quarteto, de muito talento, mas envolto em uma nuvem de brigas internas e relaes escusas com a mfia.

    MUSICAL/BIOGRAFIA - Ano: 2014 - Durao: 134 mi-nutos - Cor - 10 anos - Warner Bros

    Amantes EternosO filme conta a histria de amor entre dois

    vampiros eruditos, Eve (Tilda Swinton) e Adam (Tom Hiddleston), cansados da sociedade atual e profundamente incomodados com a evoluo da humanidade. H sculos eles vivem uma relao de cumplicidade e muito amor, que ser abalada pela aproximao da irresponsvel irm caula da vampira, Ava (Mia Wasikowska).Romance/Drama- Ano: 2013 - Durao: 123

    minutos - Cor - 18 anos - Paris Filmes

    ESPORTE EM ALTA

    Atleta pede patrocnio paraconquistar o cenrio esportivoO atleta Felipe Ventura apaixonado pelo bodyboard e desponta como fera na prtica do esporte

    Apaixonado pelas ondas e pelo esporte, o jovem atleta Felipe Ventura, de 16 anos, desponta como fe-ra na prtica do bodyboard. Realmente, ele se tornou uma promessa de talento no esporte, ao disputar diversos eventos re-gionais do esporte e conquistar vrias medalhas.Bancando suas prprias

    despesas, Felipe conquistou o vice-campeonato da IV Etapa do UBCS - Unio de Bodyboard de Campos e So Joo da Barra, realizado ano passado na Praia Farol de So Tom, em Campos dos Goytacazes, quando ainda tinha 15 anos e havia comeado a praticar o esporte. Assim que ingressou no esporte conquis-tou o quinto lugar neste campe-onato e, ano passado, o segundo. Ele afirma que tem muito a

    agradecer a Deus por tudo e s pessoas que lhe deram a maior fora nos campeonatos.No entanto, o alteta no tem

    conseguido custear suas despe-sas para participar de disputas fora do municpio. Por isso, o jovem pede que os interessa-dos em patrocin-lo entrem em contato atravs dos telefo-nes: (22) 99932-7464 / 99603-6194. De fato, preciso de patro-cinadores que possam cobrir as minhas despesas com viagem e estadia no locais das competi-es, disse Felipe.O jovem conta que tudo come-

    ou como uma brincadeira. Fre-quentando a Praia do Pecado, ele via as pessoas surfando e, assim, despertou sua paixo pelo espor-te. Ganhou a primeira prancha h cerca de um ano e meio e co-meou a praticar. E se encantou, tendo conquistado os primeiros lugares nas competies das quais participou. Integrante do Projeto Nova Vi-

    da da Prefeitura de Maca, como jovem aprendiz, ele est empolga-do com a participao em diversos campeonatos que acontecero em dezembro, destacando-se a Unio de Bodyboard de Niteri, que acontecer 6 e 7 de dezembro; o Circuito Unio de Bodyboard de Campos e So Joo da Barra, nos 13 e 14 de dezembro; e na Etapa Local de Maca, que ser realiza-da em 20 e 21 de dezembro.O esporte para mim mui-

    to importante, porque est me trazendo muita alegria, e livra as pessoas do mundo das drogas. um orgulho pra mim represen-tar Maca nos campeonatos, concluiu

    DIVULGAO

    O atleta Felipe promessa de talento no esporte

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014 CADERNO DOIS 5

    BOA LEITURA

    Louco por Voc NELL e Kyle so amigos desde a infncia. Sempre fizeram tudo juntos, ento ela nem se lembra de quan-do se tornaram realmente um casal. Quando Kyle morre da forma mais repentina, o mundo de Nell lanado em um abismo de incertezas e dor. quando Nell conhece Colton, irmo de Kyle e at ento um completo desconhecido para ela. Estranhamente, como se Colton a conhecesse h muito tempo, como se ele a conhecesse por dentro. Ambos pas-sam, ento, a lutar para seguir em frente da melhor maneira possvel. Nell, sufocada pelo peso da culpa. Colton, lutando contra a fora que o arrasta em dire-o a ela. Cada um sua maneira, os dois precisam desesperadamente encontrar o sentido da cura e do perdo. Em Louco por Voc, Jasinda Wilder combina o calor do desejo com a angstia, a perda da inocncia, o luto e as tentativas de recomeo. O resultado uma viagem ao mesmo tempo sensual e melanclica que ficar gravada em sua pele muito tempo depois que esta histria terminar. Com 272 pginas, o livro um lanamento da Editora Novo Conceito

    Eduardo Campos: um Perfil (1965-2014)O dia 13 de agosto ficar marcado como um dos

    mais trgicos da poltica brasileira. Morreu Edu-ardo Campos , uma das raras lideranas surgidas nesse cenrio to combalido da nossa poltica. A Editora Leya tinha no prelo O Lado B dos Can-didatos, dos jornalistas Chico de Gois e Simone Iglesias. No livro os autores traam o perfil de ca-da um dos candidatos, destacando o lado menos conhecido de cada um, sem os costumeiros recur-sos pirotcnicos dos marqueteiros de planto, sem maquiagens, sem discursos prontos. No con-texto dessa tragdia, a editora amplia e publica, em separado, o perfil de Eduardo Campos. O livro tem 96 pginas.

    A Repblica dos Piratas: a Verdadeira Histria dos Piratas do Caribe e do Homem Que os Derrotou CAPITES como Barba Negra, Black Sam Bella-

    my e Charles Vane uniram-se para criar, juntamente com seus companheiros piratas, a chamada Gangue Voadora, consolidando assim a Repblica Pirata - uma bruta, distinta e breve democracia estabeleci-da nas Bahamas. Por l, servos foram libertos, ne-gros e escravos fugitivos podiam ser reconhecidos como cidados, e os governantes eram escolhidos mediante voto. Interrompendo rotas de comrcio, saqueando navios negreiros e mantendo a Europa sem comunicao com o Novo Mundo, a Repblica Pirata sacudiu as fundaes do imperialismo e ins-pirou sentimentos de democracia que conduziriam Revoluo Americana. Os piratas tornaram-se heris aos olhos do povo e, nesta obra, que inspirou a srie Crossbones - com John Malkovich no papel de Barba Negra -, emerge sua histria desconhecida, trazendo a Repblica Pirata de volta vida. De Colin Woodward, o livro tem 392 pginas e um lana-mento da Editora Novo Sculo.

    Tampa ELEITO o livro mais polmico do ltimo vero pelo jornal britnico The Guardian, Tampa, romance de estreia da norte-americana Alissa Nutting, narra a atrao doentia de uma jovem professora, casada e bonita, por seus alunos, e o trrido caso de amor que viveu com um deles, de apenas 14 anos. Baseado em um caso real, o livro surpreende ao descrever uma protagonista ao mesmo tempo delicada e espirituosa, com uma intensidade de psicopata quando se trata de suas obsesses sexuais, numa trama com altas doses de erotismo e pitadas de humor negro. Com 320 pginas, o livro um lanamento da Editora Rocco.

    ARTE

    Espetculo Peter Pan marca ascenso do Acto ComunidadeO Projeto Acto Comunidade apresenta o espetculo Giz, movimentando o final de semana no Centro Cultural Rinha das Artes

    O Acto Comunidade chega ao quinto ano de ativida-des ostentando um tra-balho coroado de xito. Neste sentido, o Projeto, que Ponto de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, atravs do Programa Mais Cultura do Governo Fede-ral, monta o espetculo de final de curso, intitulado Peter Pan.Assim, depois de aulas de

    interpretao, leitura e ma-quiagem durante todo o ano, os alunos se preparam para apresentar o espetculo Pe-ter Pan, neste domingo (16) no Centro Cultural Rinha das Artes, com entrada franca.Desde o ano passado, abai-

    xamos a faixa etria para oi-to anos e institumos o Acto Comunidade Infantil devido grande procura nesta idade por aulas de teatro, informou a coordenadora do projeto e uma das fundadoras do Grupo Acto, Ftima Jorge. Assim, a incrvel aventura

    de Peter Pan ser contada pe-las crianas do Projeto Acto Comunidade. A paa conta a histria de um garoto diferen-te de todos, que vive na Terra do Nunca juntamente com os Meninos Perdidos e a fada Sininho. Num belo dia, Peter Pan visita a casa da famlia Darling e conhece Wendy. Consegue convenc-la junto com seus irmos Joo e Mi-guel a viajarem com ele para uma incrvel aventura no lu-gar onde vive, onde l todos enfrentaro a ameaa do te-mvel Capito Gancho.O elenco formado por Ale-

    xia Silva (Sininho), Aline Sil-va (Barrica), Anna Beatriz da Matta (Cachinho), Anna Luiza da Matta (Magrela), Gabriel Silva (Joo), Gabriela Rocha (Emperdigado), Giulia Man-cine (Peninha), Letcia Salvi-ni (Capito Gancho), Marcela Silva (Raio-de-Sol), Marcelo Porto (Miguel), Thuany Ribei-ro (Beicinho), Thayane Tole-do (Wendy), Wilame Oliveira (Peter Pan); alm dos convida-dos Brenda Morais (Sra.Dar-

    DIVULGAO

    O Projeto Acto Comunidade nasceu da necessidade de encontrar novos talentos, para fortalecimento e crescimento do Grupo Teatral Acto

    ling) e Ian Neves (Sr. Darling).A direo de Ingrid Porto;

    arte grfica de Natlia Tarou-quela, fotografia de Erick Tuller, sonoplastia de Gabriela Nery, e iluminao de Lorena Schuvartz

    PROJETO ACTO COMUNIDADESegundo Ftima Jorge, o

    Projeto Acto Comunidade

    nasceu da necessidade de en-contrar novos talentos, para fortalecimento e crescimento do Grupo Teatral Acto, insti-tuio cultural sem fins lucra-tivos com 27 anos de existn-cia. O Projeto surgiu no ano de 2008, quando passou a ter suas atividades iniciadas. A realizao busca nas comuni-

    dades pessoas com real inte-resse e talento para o teatro, visando trein-las e inseri-las nos trabalhos do grupo. Entendemos, ainda, que

    com esta iniciativa, alm de formar novos agentes culturais que fortalecero a identidade cultural do nosso municpio, premissa esta que a principal

    misso do grupo, promovemos o resgate da cidadania, autoes-tima e ainda a gerao de traba-lho e renda, afirma Ftima.Ela frisa que o objetivo do

    projeto estender o benefcio ao maior nmero de jovens que estejam em reas de vulnerabi-lidade social, atravs de oficinas de captao em novos bairros,

    alm de proporcionar ao as-sistido um caminho de profis-sionalizao na rea das artes cnicas, gerando uma opor-tunidade de trabalho e renda, atravs das oficinas de capaci-tao, que tem por mrito dis-seminar entre os assistidos os mecanismos que constituem as engrenagens do teatro.

    SERVIO

    Espetculo Peter Pan dos alunos do projeto Acto Comunidade

    DATAS: 16, 22 e 23 HORRIOS: 16/11 s 19h;

    22/11 s 18h e 20h; e 23/11 s 19h

    ENTRADA: Um material de limpeza geral

  • O DEBATE DIRIO DE MACA6 CADERNO DOIS Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014

    COLUNA DA MULHER

    Entenda a artrite reumatideVIVER BEM

    uma doena que atinge v-rias partes do corpo de maneira generalizada; pode prejudicar desde atividades simples como levantar-se da cama pela ma-nh, segurar um copo de gua e at mesmo trabalhar. Os mdicos explicam que apesar

    de poder atingir articulaes dife-rentes, importante lembrar que uma doena sistmica e, por isso, a inflamao acomete o corpo de maneira generalizada. Assim, alm de limitao funcional, quando no controlada, a enfermidade provoca com frequncia fadiga e pode ainda causar o aumento de risco de proble-mas cardiovasculares, como infarto ou acidente vascular cerebral. Quando se avalia as articulaes

    do paciente, percebe-se que as das mos e punhos so comumente aco-metidas, limitando atividades roti-

    A artrite reumatide provoca inflamaes que prejudicam a vida do paciente e limita inclusive a sua capacidade para trabalhar

    neiras, como se vestir, se alimentar ou cuidar da higiene pessoal. Quan-do atinge articulaes das pernas, como joelhos, tornozelos ou ps, a doena pode prejudicar significati-vamente a locomoo. Vale destacar que, independentemente de qual parte for acometida e da diferena nos sintomas, o processo inflamat-rio da doena generalizado.A artrite reumatoide uma do-

    ena inflamatria crnica e pro-gressiva que atinge articulaes, resultado de uma disfuno do sis-tema imunolgico. Normalmente, o surgimento dos sintomas lento: uma ou vrias articulaes podem ser acometidas desde o incio. Ge-ralmente, comea nas articulaes das mos e dos punhos, de forma simtrica, podendo atingir outras partes do corpo. A doena gera dor persisten-

    te, inchao e perda da mobili-dade das articulaes. O diagnstico baseado na ava-

    liao dos sintomas pelo mdico. possvel ainda que o especialis-ta solicite exames complemen-

    tares como de sangue, radiogra-fias, ultrassom ou ressonncia. A anlise em conjunto dos exames clnico e complementares confir-mam o diagnstico.Vale ressaltar que somente um

    mdico pode fazer o diagnsti-co correto e indicar o tratamento adequado, que geralmente inclui mudanas no estilo de vida, uso de medicamentos e at cirurgia para os casos mais graves. Os mdicos explicam ainda que

    no existe cura para a artrite reu-matide, mas ela pode ser controla-da, acabando com a dor e limitao decorrentes da inflamao, alm de impedir a ocorrncia de deformida-des. Quando a doena controlada, h ainda um aumento na expecta-tiva de vida, inclusive pela reduo do risco de infarto do miocrdio e derrame cerebral.Em relao aos medicamentos

    que s os mdicos podem receitar, existem diferentes abordagens farmacolgicas, como analgsicos, anti-inflamatrios, corticoides e modificadores do curso da doena.

    DIVULGAO

    A doena gera dor persistente, inchao e perda da mobilidade das articulaes.

    SUPERAPETITE

    Ingredientes:BATATA na quantidade dese-

    jada; AZEITE ou leo de milho; SAL e pimenta do reino a gos-

    to.

    Preparo e dicas importantes:1. Assar batatas com casca

    crocante no difcil, mas requer alguns cuidados.

    2. Prefira batata tipo Inglesa ou Asterix.

    3. Escolha batatas firmes, de casca lisa, sem manchas ou brotos.

    4. Lave-as em gua corrente usando uma escova para remover poeira e sujeira da casca.

    5. Seque as batatas uma a uma, com guardanapo ou papel toalha.

    6. Com um garfo, faa furos na casca.

    7. Enxugue-as novamente e

    Batata Assada com Casca Crocante Ingredientes: 1 xcara (ch) de acar; 1 xcara (ch) de leite morno;3 xcaras (ch) de abbora cozida e amassada;2 colheres (sopa) de fermento biolgico;3 colheres (sopa) de margarina ou xcara (ch)

    de leo; 2 ovos; 1 quilo de farinha de trigo (aproximadamente); 1 colher (sobremesa) de sal

    Preparo1. Numa tigela, misture o leite, o acar, o fer-

    mento e o sal.2. Misture bem at dissolver completamente o

    fermento.3. Acrescente a abbora e a margarina ou leo.4. Misture bem. Aos poucos, v juntando a

    farinha de trigo, at obter uma massa que no grude nas mos.

    5. Faa uma bola de massa e deixe descansar durante 30 minutos, coberta com um guarda-napo seco.

    6. Passado este tempo, coloque a massa at a metade da forma de bolo ingls, untada e enfarinhada.

    7. Cubra novamente e deixe crescer at dobrar de volume.

    8. Leve ao forno preaquecido (180) e asse at ficar dourado por igual.

    Po de Abbora

    Assim, falar sobre o mal que o cigarro faz sa-de ainda necessrio e parece ser uma necessidade constante. Faz mal para a sade e para a beleza. Claro, um corpo intoxicado dar seus sinais em um dos seus rgos mais vital e visvel: a pele. E por que isso acontece? O

    fumo reduz o fluxo sanguneo, dificultando a oxigenao dos tecidos. Resultado: envelhe-cimento precoce e no tem creme que d jeito nisso. As rugas acentuam-se ao redor dos olhos e em torno da boca. Quando no ocorre oxi-

    genao suficiente, o meta-bolismo se altera, afetando, por exemplo, a absoro de colgeno e das vitaminas A, C e E, as quais so an-tioxidantes naturais e que servem para neutralizar os radicais livres. A pele muda de textura e fica com aspecto de pele desnutrida. Os efeitos no so imedia-

    tos, mas a mdio e longo pra-zo. A pela fica desvitalizada, cansada e a sua recuperao quase impossvel. Os espe-cialistas em esttica expli-

    cam que para quem fuma h muitos anos, maiores so os estragos. Quem pretende me-lhorar a sade e o aspecto da pele deve, antes de tudo, dei-xar de fumar. Se no consegue sozinho, busque ajuda mdica, inclusive o SUS (Sistema ni-co de Sade) oferece apoio aos interessados.Apesar de ser considerada

    uma tarefa difcil reverso do envelhecimento causado pelo fumo, algumas clnicas de esttica oferecem opes que prometem melhorar o aspecto da pele atravs do uso de pro-dutos que promovem a estimu-lao da produo de colgeno e fibras elsticas. Os resultados positivos tambm dependero da dedicao do paciente, pois os efeitos positivos tambm no so imediatos. Na dvida, bom consultar

    um mdico dermatologista, lembrando que nada adian-tar se no conseguir aban-donar o vcio. bom relembrar principal-

    mente se voc daquelas, ou daqueles, que ainda fumam que os fumantes so consi-derados dependentes qumi-

    GB IMAGEM

    Apesar das campanhas contra o tabagismo e por lei proibido fumar em locais fechados em todo o Brasil, ainda existem cerca de 20 milhes de fumantes, divididos entre homens, mulheres e adolescentes de ambos os sexos.

    GB IMAGEM

    O cigarro no chique e faz muito mal para a pele

    Livrar-se da dependncia do cigarro exige fora de vontade de determinao. possvel ter ajuda mdica para isso, mas a iniciativa tem que ser do paciente

    cos, uma vez que a nicotina presente na composio do cigarro provoca a dependn-cia. Apesar de a maioria das pessoas ainda associar o fumo somente a problemas respira-trios e ao cncer de pulmo, o hbito de fumar aumenta a presso sangunea. Os mdi-cos informam que quem fu-ma est mais propenso a de-senvolver a hipertenso e ter doenas do corao. O risco de ter um ataque cardaco sobe conforme o nmero de cigar-ros e o tempo do vcio. Aqueles que fumam um mao de cigar-ros por dia tm o risco dobra-do em relao quelas que no fumam. J nas mulheres que tomam plulas anticoncepcio-nais, este fator aumenta ainda mais a chance de ter um ata-que do corao, um derrame e uma doena vascular. E mais, os mdicos expli-

    cam que, ainda por causa da diminuio da oxigenao no sangue, a cicatrizao de ma-neira geral tambm fica com-prometida, aumentando em muito o risco de ocorrncias de necroses em processos ps-cirrgicos.

    passe azeite o ou leo em cada uma delas.

    8. Tempere com sal e pi-menta do reino a gosto.

    9. Coloque as batatas numa assadeira rasa, separadas umas das outras, e leve ao forno preaquecido a 200.

    10. Asse durante 45 a 75 minutos, depen-dendo do tamanho das batatas.

    11. Estaro prontas quan-do macias e despeda-ando.

    12. Sirva-as imediata-mente.

    13. As batatas podem ser assadas inteiras ou cortadas em quatro.

    14. Batatas assadas no micro-ondas no ficam com a casca crocante.

    15. preciso enxugar bem para que o azei-te ou leo grude na casca da batata.

    Batata Assada o acompa-nhamento perfeito para vrios pratos, no entanto tambm vai bem como aperitivo!

  • O DEBATE DIRIO DE MACA Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014 CADERNO DOIS 7

    CIGARRAS DE MACApor AURORA RIBEIROcigarrasmacae@gmail.com

    CIGARRAS DE MACA - Neste domingo primaveril, apresentamos poesia de nossa Cigarrinha Leci Dias, como sempre nos dando boas dicas!!!

    Mos que acariciam,Mos que denunciam...

    Mos que so usadas para agredir!Que se colocam para algo elevado, construir!Que bem manejadas, ajudam a semear...Mas muitas das vezes, agem para matar!

    Que se doam a caridade, em prol da humanidade!!!Mos ociosas...Mos preciosas eMos caridosas!

    Caridosas, porque se movimentam paraLevantar da beira da estrada, algum que cado,

    Sem nimo, pelo cansao desfalecido...Que agem como ferramentas teis de trabalho,Que servem para conduzir algum trpego,

    A atravessar a rua, inseguro, com receios de cair!Mos que se movimentam para dividir o po

    Com o prximo em qualquer situao!Que possamos usar mais as nossas mos,

    Para fazer o bem!Sem saber ou ver a quem...

    Semeando o amor por toda a parte!Despertando em nossos coraes, sensibilidade!

    Transformando em atos de caridade...Espalhando pelos caminhos messes de luzComo as santas mos do Cristo Jesus!

    Mos caridosas!Sejam mulatas, brancas, negras, pardas...

    Sejam por Deus, eternamente abenoadas!!!

    MOS

    cigarrasmacae@gmail.com

    MENSAGEM DE Fpor ROBSON OLIVEIRA

    Qual a cor que voc est vendo o Mundo hoje?O mundo tem a cor que lhe da-

    mos atravs de ns mesmos.

    REFLITAM...O ancio descansava sentado

    em velho banco sombra de uma rvore, quando foi abordado pelo motorista de um automvel que estacionou a seu lado:- Bom dia!- Bom dia! Respondeu o ancio.- O senhor mora aqui?- Sim, h muitos anos...- Venho de mudana e gostaria de

    saber como o povo daqui. Como o senhor vive aqui h tanto tempo deve conhec-lo muito bem.- verdade, falou o ancio. Mas,

    por favor, me fale antes da cidade de onde vem.- Ah! tima. Maravilhosa! Gente boa,

    fraterna...Fiz l muitos amigos. S a deixei

    por imperativos da profisso.- Pois bem, meu filho. Esta cida-

    de exatamente igual. Vai gostar daqui.O forasteiro agradeceu e partiu.

    Minutos depois apareceu outro motorista e tambm se dirigiu ao ancio:- Estou chegando para morar

    aqui. O que me diz do lugar?O ancio, lanou-lhe a mesma

    pergunta:- Como a cidade de onde vem?- Horrvel! Povo orgulhoso, cheio

    de preconceitos, arrogante! No fiz um nico amigo naquele lugar hor-roroso!- Sinto muito, meu filho,

    pois aqui voc encontrar o mesmo ambiente...

    Todos vemos no mundo e nas pessoas algo do que somos, do que pensamos, de nossa ma-neira de ser.Se somos nervosos, agressivos

    ou pessimistas, veremos tudo pela tica de nossas tendncias, imagi-nando conviver com gente assim.Em outras palavras, o mundo

    tem a cor que lhe damos atravs das nossas lentes.Se nossas lentes esto escureci-

    das pelo pessimismo, tudo nossa

    volta nos parecer escuro. Tudo, para ns, parecer constantemente envolto em trevas.Se nossas lentes esto turvadas

    pelo desnimo, o universo que nos rodeia se apresenta desesperador. Mas, se ao contrrio, nossas lentes esto clarificadas pelo otimismo, sentiremos que em todas as situa-es h aspectos positivos.Se o entusiasmo o detergente

    das nossas lentes, perceberemos a vida em variados matizes de luzes e cores.A cor do mundo, portanto, de-

    pende da nossa tica. O exterior estar sempre refletindo o que levamos no interior.O otimismo gerador de

    adrenalina emocional, que esti-mula o sangue, impulsionando ao avano, alegria. Cultivan-do-o nos sentimentos adquiri-mos viso para perceber o lado bom da vida que nos rodeia.O mundo tem a cor que lhe

    damos atravs de ns mesmos. Qual a cor que voc est

    enxergando o mundo hoje?

    O mundo tem a cor que lhe damos atravs de ns mesmos

    ARTE

    Cineastas da regio ganham espao no 4 Maca CineAo todo, cerca de 60 filmes foram selecionados para disputar em quatro categorias do festival este ano

    Um dos principais objetivos do 4 Festival Internacional de Cinema de Maca (Ma-ca Cine), o fomento produo audiovisual regional ter grande destaque durante a "Mostra Vises Macaenses e Lagos", entre os dias 17 e 22 de novembro, no Teatro Mu-nicipal de Maca, a partir das 20h, com os mais variados gneros e te-mticas. Ao todo, cerca de 60 filmes foram selecionados para disputar em quatro categorias do festival este ano, que ganhou a chancela de Internacional. O evento reali-zado pela Imprio Produes e co-produzido pela Fundao Maca de Cultura e Prefeitura de Maca, com patrocnio da Petrobras. Na tera-feira, dia 18, a

    "Mostra Vises Macaenses e Lagos vai exibir trs filmes. Os Bamba (16), dirigido por Rafael Costa e Juliette Lizeray, conta o cotidiano de Seu Jorge e Dona Maria, ex-cortadores de cana, hoje lavradores, que vivem em Ca-rapebus. J Viaduto Vinil (3), dirigido por Nei Franco, destaca entre todos os sons e barulhos, o velho e saudoso vi-nil, que ecoa sobre uma feira cheia de relquias. Neve Ne-gra (1740), com direo de Carlos Alberto Bisogno, retra-ta um momento de comunho sensual e violenta entre dois corpos atormentados, a eclo-so de um crime, a angstia da culpa e a justia do povo.Outros dois filmes regionais se-

    ro exibidos na quarta-feira, du-rante o terceiro dia de festival. O primeiro, Penha, uma festa cario-

    DIVULGAO

    4 Festival Internacional de Cinema de Maca

    Leci Dias

    DIVULGAO

    ca (25), dirigido por Lucas Mller, retrata a maior festa religiosa do Rio de Janeiro e a segunda mais po-pular, que perde apenas para o car-naval. Na sequncia, Sexo, Birita e Bolero (13), do diretor Reynaldo Lisboa, apresenta os personagens Amlia e Alfredinho e mostra que quem v cara no v diverso. A mostra regional segue dia 20

    com os filmes Fbula de Circos (5) e O Mico-Leo-Dourado de Cabo Frio (18). O primeiro, de Maurcio Casiraghi, conta a his-tria de um menino, f de um pa-lhao, que encontra seu dolo em decadncia. O segundo, com di-reo de Marcelo de Paula, traz depoimentos de pesquisadores do Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade e moradores de Cabo Frio, alm de retratar a importncia da criao do Parque Natural Mu-nicipal do Mico-Leo-Dourado, no segundo distrito cabofriense, como uma medida de alta rele-vncia cientfica. Na sexta-feira, dia 21, Reis do

    Sagrado (25) abre a noite do fes-tival. Dirigido por Lucas Mller, documenta a tradio da Folia de Reis, que surgiu em Portugal no sculo XVI e chegou ao Brasil no perodo colonial. Cidade Con-traluz (847), dirigido por Jidd Saldanha, fala de uma mulher de vermelho, sofisticada que, em uma metrpole catica da Amrica Latina, mistura suas lembranas com os contrastes e a solido desta cidade, ao mesmo tempo que busca entender seus prprios sentimen-tos mais profundos. J em Reali-dade (524), de Daniel Morozetti,

    um homem vive entre a realidade e seus devaneios mais ntimos.

    FESTIVAL GANHA CHANCELA INTERNACIONALO diretor geral do Maca Ci-

    ne, Joo Rocha, lembra que o festival, que este ano ganhou a chancela de internacional, recebeu quase mil filmes ins-critos. A curadoria analisou todo o material e escolheu 65 curtas-metragens. Este ano apostamos na seleo de curtas-metragens ganhadores de grandes festivais, trouxe-mos filmes internacionais, e daremos maior destaque aos cineastas regionais, pois o festival, ao longo dos anos, se consolidou como uma vitrine para eles, destacou.A 4 edio do Maca Cine tem

    parcerias e apoios importantes co-mo a Rio Film Comission, CiaRio - Centro de Infraestrutura Audio-visual do Rio, Academia Brasileira de Cinema, Los Angeles Brazilian Film Festival, Festival Cine Lati-no-americano de La Plata, entre outras, reafirmando o espao da cidade no mapa dos grandes even-tos de cinema do pas.O festival oferecer um pr-

    mio em R$ 5 mil em locaes de equipamentos e servios no CiaRio para quem levar o trofu de melhor direo. J os curtas-metragens vencedores das outras categorias, sero exibidos no Por-ta Curtas, o maior portal nacional de exibio de filmes na internet, alm de serem enviados em 2015 para competir no Los Angeles Brazilian Film Festival.

  • O DEBATE DIRIO DE MACA8 CADERNO DOIS Maca, domingo, 16 e segunda-feira, 17 de novembro de 2014

    O DEBATINHOpor KTIA GOLOSOV CUREkatiacure@bol.com.br

    Numa floresta sombreada por belas rvores havia um rio com muitas plantas aquticas e uma fauna bastante abundante. L viviam um jacar e uma enorme diversidade de outras espcies. Todos os dias o Jacar, mal encarado, seguia o curso dgua comendo tudo que via pela frente. Sentia-se dono do pedao. Deste modo fazia seu cotidiano at encher a pana. Quando satisfeito deitava margem do rio e se expunha ao sol para se aquecer e tirar uma soneca. Ningum ousava mexer com o grandalho. Mas o que ele no sabia que tinha algum observando incessantemen-te, a Dona Enguia, que com sua forma de serpente nadava calmamente, cuidando de seus filhotes que acabaram de eclodir de seus ovinhos. Nessa

    mar o grandalho se achava poderoso por conta de seu tamanho.Um dia ensolarado na cabeceira do rio estava a D. Enguia com seus filho-

    tes. O panudo, como no tinha medo de nenhum animal, no pestanejou, partiu para o ataque. Aprisionou a Enguia e seus filhotes, usando a cauda para jog-los sobre as pedras at encurralar o peixe e toda a famlia. Ele se esqueceu de um detalhe, que a descarga eltrica (choque) de uma en-guia pode chegar a 650 volts. O bicho saiu doido e nunca mais se meteu com a famlia. Voc conhece algum parecido com esse jacar autoritrio? Dizem que tem um monte assim por a. Vou contar uma historinha pa-ra vocs. Jairo e Juninho estudavam juntos no mesmo colgio e sempre

    havia campeonato de embaixadinhas na aula de Educao Fsica. Jairo, um rapaz alto, e Juninho, baixinho, embora tivessem a mesma idade. Ju-ninho sempre ganhava e quando acabava a disputa agradecia o colega, que coincidentemente sempre disputava o primeiro lugar com ele e perdia. O irmo de Junior, o Joo, um rapaz forte de quase 2 metros, adorava ficar zombando do Jairo. At que um dia o Jairo partiu pra cima dele e lhe deu boas cacetadas. Sabe o que aconteceu? At o mano, Juninho, deu razo para o Jairo. Coisa feia desse garoto, no acha? Moral: Ser maior que algum em qualquer rea ou tamanho, no signi-

    fica que vencer sempre!!!

    O Jacar e a Enguia - A confiana

    Elas so musas que inspiram o amor!!! So as belas irms Maria Fernanda e Valentina, em festa por conta do aniversarinho de 1 aninho da princesinha caula. Elas so o mar em festa no mundo de Viviane e Carlinhos Madureira Pinheiro. Parabns, que sua doura seja permanente em sua vida, o que a Tia Katita lhe deseja!!!

    Quem no gostaria de ter uma joaninha linda assim? Todos, no !!!? a lindssima Mariana Meireles Prata, que apagou sua primeira velinha no dia 12 de novembro, envolta de todo carinho e amor de seus pais, a dentista, Bianca Meireles Prata e o engenheiro, Constantin Dennis. Parabns, que Papai do Cu cubra com seu manto de prosperidade seu crescer de alegria, o desejo da Tia Katita!!!

    A Minie mais charmosa da atualidade!!! a bonita Julia Esteves, a prola de seus papais, Maria Aparecida e Edson Esteves. Valiosa a pequena!!!

    Esse anjinho pequenino, muito gostoso e bonito o Davi Silva dos Anjos, o trofu bem cuidado de seus papais Marilza e Carlos Alberto, e o dengo da irm Carla dos Anjos. Divino o beb realmente!!!

    Ela tem os olhos encantadores, mais parece duas preciosas pedras de esmeralda!!! a graciosa Nicole, a mocinha predileta do vov Edival. Um luxo!!!

    Esse homem Aranha um Poder!!! o gatinho Gabriel Golosov Curvelo, espalhando suas teias de amor para todos que o cercam. Ele o caulinha dos mdicos Camile Golosov e Sergio Curvelo Jr. Um lindo!!!

    0102030405060708