Caderno 360 - ed. 78 - agosto/2012

  • Published on
    11-Mar-2016

  • View
    231

  • Download
    11

DESCRIPTION

Publicao mensal dedicada s pequenas cidades do interior, apenas boas notcias! Gostoso de ler! Grtis!

Transcript

  • Cu da regio convida contemplao e lazer

    ANO VIIagosto 2012

    78

    arte:Sab

    atoViscon

    ti|360

    agronegcio_ Foi-se o tempo emqueaagriculturaeraalgoquesecuidavacombase na intuio. A tecnologia estcada vezmais a servio da roa.

    meninada_ Pingoest se sentindo sozinho.Veja como ele vai reagir,dia aps dia, diante da

    saudade de Alvinho, queviajou em frias!

    CirculaoMensal. 12 mil exemplares

    Distribuio em 25municpios _guas de

    Santa Brbara Assis Agudos Areipolis

    Avar Bernardino de Campos Botucatu

    Cndido Mota Canitar Chavantes Cerqueira

    Csar Esprito Santo do Turvo Fartura

    Ibirarema Ipaussu Manduri leo Ourinhos

    Palmital Piraju Santo Cruz do Rio Pardo So

    Manuel So Pedro do Turvo Tatu Timburi

    Pontos Rodovirios_ Cia. da Fazenda Graal

    Estao Kaf Orquidrio Restaurante Caf

    Rodoserv RodoStar Varanda do Suco

    GRTIS

    agenda_ Ourinhos e Avar nosconvidam leitura, comeventos cria-tivos, o Circuito Cultural est de voltacom espetculos diversos da melhorqualidadeehmuitamsicapra rolar!

    p.18

    p.16

    foto:Fab

    ioBurzich

    elli

    www.caderno360.com.br

    O operador deO operador demquinas mquinas

    agrcolas Edilsonagrcolas EdilsonCarlos Bueno usaCarlos Bueno usa

    equipamentosequipamentosde preciso em de preciso em

    seu trabalhoseu trabalho

    p.10

    2_2_ editorial __orao 3_3_ gastronomia4_ 4_ ponto de vista6_ 6_ gente7_ 7_ drops8_ 8_ bem viver1010_giro 36012_ 12_ agronegcio15_15_onde ir16_16_cultura17_17_agenda cultural18_18_meninada

    Foto:d

    ivulga

    o

    foto:FlaviaRo

    cha|360

    ndicegastronomia_ Mais umareceitadedarguanabocavindadiretodoportodeSantos.Fcilfazer,levaingredientesorientaisetupiniquins.Deliciosa!!!!!

    foto:FlaviaRo

    cha|360

    p.3p.12

  • Vocao. muito mais fcil se dedicar a algo navida quando existe uma aptido aliada a uma sa-tisfao que flui naturalmente em nosso ser.Quando a vocao se faz assim presente, tudopassa, tudo supervel e todo resultado faz nossocorao bater forte e seguro, ciente de que a vidavale mesmo a pena.

    Muito cedo aprendi a gostar de escrever. Minhasredaes, para minha sorte, sempre voltavam damesa das professoras com um comentrio elogioso, queenchia minha me de orgulho. Ler tambm se tornou algo quepara mim no apenas rotineiro, mas necessrio. Sou daque-las que l at bula de remdio quando no h algo melhor paraentreter meus olhos. Isso aprendi com meu pai, um leitornato, que todo dia devorava as pginas (exceto o caderno deEsportes) do pesado Estado de S. Paulo o Estado , semcontar a infinidade de livretos de aventuras e gibis de todotipo. Aninhada em seus braos, cresci vendo o Pato Donald eo Pateta em aventuras mirabolantes, sob a paciente locuodo austero Carlito Manfrin, em momento de grande doura epartilha do seu bel prazer.

    Ler e escrever foram o suficientes para me dar no apenasuma profisso, mas uma razo de viver. Afinal, h mais de d-cadas descobri que nasci formiga, daquelas que mais que tudona vida, gosta de trabalhar. Outro dia me perguntaram se o360 fruto da minha vontade ou se foi uma condio parasobreviver. Para falar a verdade isso pouco importaria se con-siderarmos o que hoje ele representa para mim e at paraminha famlia. Mas admito: o 360 foi uma escolha. A de fazeralgo mais til, mesmo que menos sofisticado, como a vida deexecutiva de comunicao, ou menos rentvel se comparar-mos os ganhos de anncios vendidos a duras penas com pro-jetos dedicados a grandes empresas.

    No se trata de cuspir nos pratos bacanas que comi, pois emtodos eles encontrei felicidade, satisfao e pessoas que meensinaram muito. Porm, nada se compara ao prazer de levarnotcias honestas, descomprometidas de qualquer acordocomercial e tratadas com o maior amor do mundo para pes-soas que vivem nas pequenas cidades do interior. E quandoparo para pensar nisso o que vejo uma pessoa seguindo suavocao livremente. E por isso, realizada.

    A vocao aparece nesta edio por diversas vezese das mais diversas formas. A comear pela re-ceita deliciosa do talentoso Fabio Burzichelli, quenos brinda com mais um de seus quitutes, e doagroempresrio Rogrio Ferrari, que nos ensinasobre Agricultura de Preciso. tambm notriaa vocao da nossa pequena reprter Paola, quemostra-se desenvolta na arte de conversar com oleitor, da cidade de Ourinhos em realizar eventosde toda a natureza, neste ms dedicado lite-

    ratura, e do ator Beto Magnani, que comparece com seu ta-lento em teatro com apresentaes em Piraju (no ltimo dia 4)e em Santa Cruz (no prximo dia 19/8). Isso sem falar da vo-cao nata de nossos ilustradores Franco, Clara e Sabato. E danossa natureza a nos encantar com um cu to lindo.

    Vale lembrar que todo mundo tem suas prprias vocaes. Hque ter boa vontade para que elas possam ser afloradas. E avida ser sempre felicidade. Boa leitura!

    Flvia Rocha Manfrin diretora-editora 360| 360@caderno360.com.br

    2 editorial

    360 uma publicao mensal da eComunicao. Todos os direitos reservados. Tiragem desta edio: 12mil exemplares Circulao: guas de Sta. Brbara Agudos Areipolis Assis Avar Bernardinode Campos Botucatu Cndido Mota Canitar Cerqueira Csar Chavantes Esprito Sto. do Turvo Fartura Ibirarema Ipaussu Manduri leo Ourinhos Palmital Piraju So Manuel SoPedro do Turvo Sta. Cruz do Rio Pardo Tatu Timburi e paradas das rodovias Castello Branco, Ra-poso Tavares, Eng. Joo Baptista Cabral Renn e Orlando Quagliato. Redao e Colaboradores: FlviaRocha Manfrin editora, diretora de arte e jornalista responsvel | Mtb 21563, Luiza Sanson Menon re-viso, Odette Rocha Manfrin receitas, Wladimir Oliveira Jr. assistente de produo - ilustrador,Elaine Regina de Moraes apoio de produo - separao, Paola Pegorer reprter especial. Colunistas:Jos Mrio Rocha de Andrade, Fernanda Lira e Tiago Cachoni. Ilustradores: Franco Catalano Nardo,Clara Basseto e Sabato Visconti. Impresso: Fullgraphics. Artigos assinados no expressam necessaria-mente a opinio desta publi-cao. Endereo: Praa Dep. Lenidas Camarinha, 54 - CEP 18900-000 Sta.Cruz do Rio Pardo/SP F: 14 3372.3548_14 9653.6463 Redao/Cartas: 360@caderno360.com.br Publicidade/Assinaturas: comercial@caderno360.com.br 360 digital: www.caderno360.com.br

    agosto_2012

    xpedientee

    SigaoseuSigaoseutalentoetalentoeaprendaaaprendaafazerdelefazerdele

    oseuoseusustento.sustento.

    Ento a virgem se alegrar na dana,como tambm os jovens e os velhos

    juntamente; e tornarei o seu pranto em alegria, e os consolarei, e lhes darei

    alegria em lugar de tristeza.

    Ora,Ao!

    Jeremias 31Vs: 13

    Muito boa a material sobre o rock em Santa Cruz. Est de Parabns. Seu jornal muito gostoso de ler. No tenho hbito de ler, mas o 360 leio todos. Gostodemais. A tendncia dele car melhor. O tempo pas-sa, a gente sempre t aprendendo e aperfeioando. As matrias, so timas, temas simples, s vezes, cotidianos. Para o dia a dia, fala sobre coisas que para mim so importantes. Isso legal de ler.Jeerson A. Cardoso/ SCRPardo

    Parabns ao jornal 360 pelas matrias sobre a preser-vao do Paranapanema e sobre osdanos ambientais causados pelas queimadas.Antonio Augusto Barella/ Valinhos

    Parabns pela reportagem em homenagem ao dia doRock. Ficou 10!Lucas Amadeus/SCRPardo

    Parabns a todos pelo dia do Rock, e parabns ao jor-nal pela sensacional matria...Marco da Stoke/ SCRPardo

    360 no Dia Mundial do Rock , mostrando como umJornal pode , alm de informar , ser criativo e divulgaras coisas boas de nossa regio ... Valeu !!!Maurcio Salemme/ SCRPardo

    Parabns pela excelente matria sobre o Rock n Rollem Sta Cruz....me emocionei ao ler.....muito boa.Marcos Saad/ SCRPardo

    orreioc

  • foto:acervope

    ssoa

    l

    Ingredientes:1/4dexcaradevinagredearroz2colheresdesopadesaqu1/4dexcaradeshoyu2colheres(sopa)deacarmascavoclaro2colheres(ch)degengibrefrescoralado4cebolinhas,somenteapartebranca,emrodelinhas800gdesobrecoxa(sempeleesemosso)pimenta-do-reinomodanahora1punhadodesalsinhapicada* podetrocarosaquporcachaa

    Preparo: Emumatigelaquecaibamtodosospedaosdefrango,mistureosaqu,ovinagredearroz,oshoyu,oacarmascavo,ogengibre,acebolinha.Junteofrangoemisture,vi-rando,paraquetodosospedacinhosquemcober-toscomamarinada.Reservepor15a20minutos.Aquea o leo em uma frigideira grande (comtampa)e,comoauxliodeumaescumadeira,re-mova o frango da marinada e transra para a

    frigideira.Refogueatqueospedaosdefrangopareamcozidosdoladodefora.Despejeamari-nadasobreofrango,deixefervereentotampeeabaixeofogo,edeixecozi-nharpor5a10minutosouatqueospedaosdefrangoestejamcozidoseomolhoengrosselevemente.Junteapimentaeasalsinha,mistureesirva.

    Ingredientes4maasbemvermelhas1gengibre1pacotecanelaempau1pacotecravodandia1maodehortel1limo2xcarasdeacar1maodehortel4litrosdegua1/2copodecachaa

    Preparo: Corteasmasempedaospequenosecoloquenumapanelabemquente juntocomogengibredescas-cadoeraladogrossooupicadinho.Deixeesquentarbemeacrescenteacachaa.Ateiefogoparaambaramaeogen-gibreequeimaroalcoldabebida.Feito

    isso, acrecente a canela, o cravo e vmexendosempre.Descasqueolimoereserveacasca.Espremaolimonamis-tura e continue mexendo. Separada-mente,derretaoacarcomacascadelimo at car uma calda queimada.Acrescente essa calda mistura jun-tandotambmaguafervendo.Deixereduzirumpoucoaguaeacrescenteahortel.Fervamaisumpoucocoeesirva!

    As receitas deste ms coincidentemente trazemum ingrediente que poderia ser mais trivial, querpelo seu sabor para pratos doces ou salgados quer por suas propriedades teraputicas. Trata-se do gengibre, planta medicinal das mais anti-gas que serve, seja na forma de ch, compresasou leo essencial, para tratamento de problemasdigestivos, sseos e respiratrios, especialmentea dor de garganta.

    Aqui ele aparece numa receita de frango que re-sulta macio e agridoce, fcil de fazer e muitosaborosa, em mais uma colaborao do amigoFbio Burzichelli. Dona Odette, nossa quituteirade planto, preparou a receita e ficou simples-mente divina. No deixe de experimentar,porque fcil de fazer! A planta tambm apareceno ch de inverno, que inventei no aniversrio damama e fez um sucesso danado!!! Bom apetite!

    3 gastronomia

    GEnGIBREapareceparacomerebeber

    Frango Teriaki com arroz

    receita de Fbio Burzichelli

    Flvia Manfrin

    Ch de inverno

    receita de Flvia Manfrin

    Ang

    HuiHoe

    n|D

    ream

    stim

    e.co

    m

    foto:FlaviaRo

    cha|360

  • No so atletas olmpicos, mas a cada qua-tro anos do as caras, entram em nossa casa,tomam nosso caf, puxam assunto na rua,so solcitos com os bebs e as crianas,apertam nossas mos. Enm, de novo, elesesto entre ns.

    Mas, eles no esto sempre entre ns? Noso eles nossos conhecidos, vizinhos, ami-gos, colegas, parentes, irmos? Ser queesto to longe assim de ns? Principal-mente aqueles que so escolhidos, pois todossabemos onde encontr-los?

    Ento eles no voltaram, pois na verdadenunca saram daqui, nunca se afastaram.Sempre estiveram aqui. Na verdade ns que os deixamos. No os acompanhamos,no os vigiamos e no os scalizamos comodeveramos.

    Com esse afastamento de quatro anos, ns que voltamos a v-los, pois eles sempre es-tiveram ali, em locais conhecidos. Mas noscolocamos distncia neste tempo, quandodeveramos estar presentes e bem prximos,ajudando-os a fazer bem o seu papel. Acom-panhando de perto, dando sugestes e ori-entaes.

    E por que deveramos t-los ajudado e acom-panhado? Porque eles nos representam, e

    todo representante deve ser acompanhadode perto, pois eles devem exprimir nossaopinio. A partir do momento que nos afas-tamos deles, a opinio no mais nossa, eless tem a opinio particular para seguir, oude outros com interesses particulares. Perde-se assim a relao de representatividade. Orepresentante, no tendo o acompan-hamento do representado, sente-se livrepara fazer o que julgar importante, correndoo risco de no mais se sentir ligado ao repre-sentado, agindo conforme sua conscincia,dada a distncia daquele que o escolheu.Neste ponto temos a ciso dos interesses,abrindo condies para que os escolhidos seachem em posio acima do representado,devido ao cargo a que foram alados.

    Nas prximas eleies temos de escolhernossos representantes mas, independente dequem ocupe os cargos, no Legislativo ou Ex-ecutivo, seja aquele que votamos ou no,eles devem ser acompanhados e scalizadosde perto. S assim poderemos avali-los nonal e nos sentirmos mais prximos e maisatuantes em nossa comunidade. Por isso es-colha bem o seu representante. Esteja pre-sente e vigilante com os escolhidos, para quevoc no os veja somente daqui a quatroanos, e no os reconhea mais.

    Um dia voc apanha um velho lbum de fo-tograas e v diante de si passar o lme desua vida. Lembranas das brincadeiras da in-fncia, do primeiro beijo, das noites em claropara estudar e das noites no escuro paranamorar. Seios que crescem, barba quesurge, cabelos que encompridam e quecaem. Vozes nas que se tornam graves,faces plidas que enrubescem. Inocncia quese perde porque se pede, porque se permite.

    Quando olhamos para trs temos a ntidaimpresso de que tudo transcorreu de formaabsolutamente linear e harmoniosa. Assim

    foi porque assim tinha que ser.

    Todavia, quando olhamos para nosso pre-sente, o caos parece imperar. No h aquelalinearidade, mas apenas sobressaltos. Ad-versidades, angstias, desamor. Quando alinha reta, voc sabe para onde ir; quandooscila, voc no sabe onde vai dar...

    Da mquina a vapor ao advento da Internet,descobrimos que as pessoas tm desejos,preferncias e capacidade de escolher. E a Erada Informao universalizou a comuni-cao, rompendo barreiras e fronteiras.

    Mas no so dados ou informaes,mquinas e tecnologia, que fazem a difer-ena. So pessoas. E mais do que isso, rela-cionamentos. Voc possivelmente namora,casou-se ou vai se unir a algum que con-heceu em seus crculos de amizade. Torcepelo mesmo time que um de seus pais. Tra-balha numa empresa ou mudar de em-prego por recomendao de um conhecido.Bem-vindo Era da Integrao.

    Vai-se quase um sculo que o lsofo espan-hol Ortega y Gasset presenteou-nos com afrase que prefacia este texto. Eu sou euporque sou, antes de tudo, essncia. Posso sercopiado, imitado, mas no duplicado.

    Sou tambm fruto das circunstncias, doimpondervel, do ambiente. Das pessoasque me cercam, das com quem me relaciono,

    das que me do ouvidos e das que me dopalavras. Que me depuram, que me lapidam,que me transformam. Mas certo que sominhas circunstncias, posto que possoeleg-las.

    No sei quais os sonhos mais recnditos quehabitam seu imaginrio. Podem ser sonhossimples como o orvalho da manh ou com-plexos como grandes edicaes. Talveznem voc mesmo saiba. Mas certo que hum prazer imenso em sonhar, postular e re-alizar.

    Por isso, ao planejar seu novo ano, lembre-se no apenas do que deseja ter, no apenasde onde pretende estar, no apenas o queanseia conquistar, mas fundamentalmente,com quem, atravs de quem e ao lado dequem espera relacionamentos cultivar.

    A Era da Integrao* Tom Coelho

    * Empresrio, consultor, professor universitrio, escritor e palestrante formado em Economia pelaUsP, Publicidade pela EsPM, com especializao em Marketing pela MMs/sP e em Qualidade de

    Vida no Trabalho pela UsP. Diretor da Innity Consulting e Diretor Estadual do NJE/Ciesp. Contatos: tomcoelho@tomcoelho.com.br. Visite: www.tomcoelho.com.br.

    Eu sou eu mais as minhas circunstncias.Eu sou eu mais as minhas circunstncias.Jos Ortega y GassetJos Ortega y Gasset

    * Maurcio Rodrigues de Araujo

    *Bacharel em Economia, presidente da Associao de Apoio ao Desenvolvimento de santa Cruz do RioPardo - Apodesc, vice-presidente do Conselho de segurana de santa Cruz do Rio Pardo - CONsEG, es-pecialista em nanas pblicas e planejamento - MIn. da Educao e especialista em clculos judiciais

    4 ponto de vista

    naypo

    ng|Dream

    stim

    e.co

    m

    ElEs esto de volta

  • Outro dia me contaram de uma jovem jor-nalista que foi taxativa: estou em busca deemprego, mas no aceito fazer assessoria deimprensa, acho que uma coisa burra! Ok,cada um tem sua opinio. Na verdade, otrabalho do bom assessor de imprensa, que um brao de Relaes Pblicas, valeressaltar, implica avaliar a situao de seucliente, denir uma meta e aes estratgi-cas para alcan-la, o que requer intelign-cia, perspiccia, bom raciocnio e muitaagilidade mental.

    O trabalho do assessor algo ingrato e quasecruel. Primeiro eles no ganham to bemquanto publicitrios, que fazem a mesmacoisa por caminhos diferentes. Segundo, oassessor nunca est em alta com ningum. Aimprensa o esculhamba, o cliente o pressionae nunca se d por satisfeito. Vive-se entre acruz e a espada sem glrias, prestgio ougrandes recompensas. O que eu diria minha colega, que, como eu quer car dolado de c do balco, ou seja na mdia, que

    a imprensa que hoje se l por a, em grandemaioria bem burrinha por assim dizer. Alis, de dar vergonha.

    Tomemos por exemplo o que tem aparecido editores despreparados, preguiosos ousem qualquer brio tm postado isso em pgi-nas principais sobre a lha do casal de cele-bridades Roberto Justus e a lha da eternagarota de Ipanema, Ticiane Pinheiro. Tudobem falar das atividades do casal, ele publi-citrio das antigas e hoje apresentador de TV.Ela, modelo, atriz, apresentadora? No sei.Mas no falam da lha dele, dela ou do casal.Falam da garota. Ela a celebridade. Comoassim? Qual a razo? Ora, ela provavelmentetem uma tima assessoria de imprensa, quedivulga suas idas e vindas a parquinhos,praia, festinhas infantis... coisas que toda cri-ana faz, mas nem por isso notcia. S queestampa todas as pginas de sites e apareceem todo lugar. A garotinha no um fen-meno que justique ser notcia. Alm do fatode ter pais famosos por aturem na mdia e nomercado brasileiro.

    Porm, a imprensa (sic) engole todas as de-

    mandas de divulgao da rotina da criana,sem pensar, sem pestanejar, sem se dar contado papel absurdamente ridculo que estfazendo. Sites das maiores empresas de not-cias do pas, como Globo, Uol e outros dosgrandes, noticiam logo na pgina de en-trada, como destaque, o vai e vem da garo-tinha (opto por omitir o nome obviamente,pois ela nada tem a ver com isso, muitomenos seus pais, nem os assessores). Asmanchetes soam bizarras: A garotinha visitatal lugar nas frias. Uau! A primeira per-gunta que um editor que honre seu cargo esua prosso faria diante dessa informao,chegue por que vias chegar, seria: E da?Seguido de um: Isso No Notcia!

    Mas quando a imprensa burra, isso noacontece. Porque a imprensa burra nopensa, s reproduz, muitas vezes da piorforma, o que lhe chega s mos atravs desuas fontes e das assessorias, que colocamsua inteligncia para sastazer mais e maisclientes... at aqueles que nem fazem ideia doque est acontecendo.

    Isso mostra a burrice no dos assessores, queesto a cumprir o seu trabalho. E sim da im-

    prensa que, formada por reprteres, reda-tores, editores e chefes de redao (alm detoda a pompa do conselho editorial), deixapassar e ainda d destaque a esse tipo denotcia (sic).

    Pena que boa parte do pblico aprove, ouno teramos pginas e pginas e milharesde exemplares da inexpressiva revista Carascirculando por a como se fosse a bblia da in-formao. Outro dia vi algo bizarro na re-vista: trs pginas destinadas mudana decor de cabelos de uma modelo, com direito adestaque ao fabricante, claro. E outras trspginas dedicadas ao trabalho de FernandaMontenegro. Critrio editorial ZERO. Colocaras duas pautas com o mesmo peso? Quemedo!

    Ainda bem que o velho e verdadeiro jornal-ismo, apesar de toda essa tolice burra em quea maioria se transformou, sobrevive. Sejaseguindo mo-delos tradicionais, seja apos-tando numa nova abordagem, mas positiva,porm pautada na viso crtica sobre os fatose a importncia que tm, caso deste Caderno360. Cabe ao leitor ter a inteligncia de saberescolher. E no se deixar levar pela caravanada idiotice coletiva.

    * jornalista paulistana que adora o interior | felira@caderno360.com.br

    IIIIMMMMPPPPRRRREEEENNNNSSSSAAAABBBBUUUURRRRRRRRAAAA

    * Fernanda lira

    arte:Franc

    oCa

    talano

    nardo

    |36

    0

  • 6 gente

    RROOCCKK IINNRROOCCKK IINNRRIIOO PPAARRDDOORRIIOO PPAARRDDOO

    ((SSttaa.. CCrruuzz))AACCIIMMAA

    NNoo FFaattee nnoo AAKKAAZZAALLAAAAKKAAZZAALLAA((OOuurriinnhhooss))AABBAAIIXXOO

    MMaaffaaggaaffooss nnoo BBAARRRRIICCAA MMaaffaaggaaffooss nnoo BBAARRRRIICCAA ((SSttaa.. CCrruuzz)) ffoottooss:: FFLLVVIIAA RROOCCHHAA MMAANNFFRRIINN

    MMaaiiss ffoottooss nnoo FFaacceebbooookk:: pprrooccuurree ppoorr CCaaddeerrnnoo 336600

  • JestvendaemPirajuetambmnositeMercadoLivre,aobraliterriadoescritor Joo Reimo,LendaRiodaEstncia.Focadonoslugaresepessoasdacidade,aobratrazcontosondefatosepessoasreaisaparecememsituaesctcias,criadaspeloautor.A mistura de realidade comcoprometebonsmomen-tosdeleitura,sejaparaquemconheceacomunidadedePi-raju,sejaparaleitores

    distantes,quepoderoimaginaraindamaiscomoocenriodacidadedopeixedourado.Osanimaistambmsoretratadosemhistriasatreladasapersonagensdacidade.

    At10/9 estoabertasasinscriesparaoPrmioDukeEnergy - Energia da Inovao quebusca reconhecer eapoiarprojetosdeextensouniversitriacompropostasparaamelhoriadaqualidadedevidadecomunidadesnoentornodasusinaslocalizadasnomdioebaixoParana-panema,nosestadosdeSoPauloeParan.Ostrsproje-tosvencedoresganharoR$50milcadaparasuaexecu-o.OprmioorganizadopelouniSol,compatrocniodaDukeEnergy.Info: http://www.premioduke-energy.com.br.

    Avardliesdeincentivoleiturasemgrandesinvestimentoscomarealizao,entre1a3deagosto,dopro-jetoEmbarque nessa viagemou livro da Rodoviria.Partedeumprogramamunicipaldeincentivocul-tura,oprojetoconsisteempermitirqueaspessoasquecirculampelarodoviriapossam,enquantoesperamnibus,teracessoabonslivrosquepodemser,in-clusive, levados, pois so frutos dedoaesejconstamdoacervodaBi-bliotecaMunicipal.Almdelernolocaloulevarolivrodenitivamente,oleitortambm pode optar pela devoluoposterior,dentrodeumprazoquelhepermitaaleitura.Vejaasdatasemqueo projeto estar funcionando nova-mentenaRodoviria de Avar: 11a13/09_9hs16h02a04/10_9hs16h06a08/11_9hs16h04a06/12_9hs16h

    Foi um sucesso oRock in RIo Pardo, realizado pelaprefeituradeSantaCruzemjulho,comapresentaode 9 bandas da regio. Para celebrar o evento, oCaderno360promoveuosorteiodecamisetasemdoismomentos.Osganhadoresforamosqueescreveramasmelhoresmensagensnafanpagedo360noFacebook.Conraoqueelesdisseram:

    Pra voc que gostade uma boa leitura,pra car antenadoo que est rolando

    em Santa Cruz eRegio, leia o Jor-nal Caderno 360!

    A edio desse ms,comemorando a

    semana do DiaMundial do Rock,

    conta com uma matria dedicada especialmente ao Rock 'n' Roll Santacruzense ! No deixe de ler o

    Caderno 360! gostoso de ler . Bruno Lorenzetti/SCRPardo

    Show de bola,era um evento

    como esse que acidade de SantaCruz precisava,

    espero que con-tinue sempre,

    e que nos prxi-mos anos o

    evento estejacada vez melhor e maior e contando sempre com acobertura do Caderno 360!!! Carlos Souza/SCRPardo

    ROCKROCKandRollemcenaandRollemcena

    LIVROLIVRO daRodoviriadaRodoviriaPRMIOSPRMIOS parauniversitriosparauniversitrios

    PIRAJuPIRAJu emobraliterriaemobraliterria7 drops

  • Pau que nasce torto morretorto, eu no sou pau, possome regenerar... diz a canode Antonio Carlos e Joca(quem se lembra?). Podemesmo, e muito! Essa con-versa de ningum muda, balela. Preguia de quem seacomoda diante das coisas,da vida, da existncia.

    Mudar no fcil, mas essaquesto devia ser a menosimportante quando quere-mos algo. Ser possvel o queimporta. Quanto facilidade,ora, o que rduo pode serainda mais prazeroso, trazermais satisfao e autocon-ana, vale lembrar.

    S ganhos S ganhos Quando decidi-mos que queremos ser dife-rentes em algum ponto donosso jeito de ser e agir, esta-mos naturalmente buscando

    nos sentir mais satisfeitoscom ns mesmos. Inclusivequando somos impelidos mudana para agradar al-gum. S isso j uma boarazo para nos mobilizarmos.J as diculdades e tropeospodem ser encarados comofatores que fazem da mu-dana algo ainda mais inte-ressante. Qual um desao aser superado mais e mais emais. Sempre mais.

    Claro que nossa bagagemcultural, gentica, espiri-tual muitas vezes prevalecee diculta nossos passos,atrasando o processo de mu-dana, mas se insistirmos,uma hora seremos sim dife-rentes. E mais felizes.

    Razes pra mudar Razes pra mudar Quan-do a mudana no fruto donosso desejo, mas da nossa

    determinao em atender aum pedido dos outros o de-sao torna-se maior. Anal,quando algum que nos amaou pessoas que nos cercamindicam que h algo em nsque nos distancia delas edaquilo que acreditamos ser,nos defrontamos com a frus-trao. E com ela vem a sen-sao de sermos incompreen-didos j que acreditamos serde um jeito e nos veem demodo diferente.

    Alm do desnimo que a frus-trao e a incompreensotrazem, o desao ca maiorporque preciso mudar semdeixar de ser quem somos.Muito complicado? No. Bas-ta rmar-se na determinaoe na pacincia, anal, seraos poucos que descobrire-mos um jeito que nos permitaagradar aos outros sem nos

    privarda nossaprpria per-sonalidade.

    Esse exerccio, se por umlado pode parecer (e muitasvezes ) ainda mais traba-lhoso, demorado, por outrotem o poder de trazer umasatisfao ainda maior. E oque a gente quer da vidaseno sentir-se satisfeito?

    O leitor pode se pergun-tar: que tanta satis-fao essa??? Ora, ado autoconhecimento, a deperceber que se capaz de al-canar objetivos, a satisfaode ser mais compreendidosem deixar de ser quem , oude viver cercado por quemqueremos ao nosso lado.Tambm h a satisfao desaber que se pode tudo nestavida atravs do nosso prprioesforo. E aquela que senti-

    mos quando nos deparamoscom novas nuances em nossojeito de ser e de viver. H,enm, muitas satisfaes queaoram quando consegui-mos ser melhores em algumaspecto da nossa personali-dade, do nosso comporta-mento, dos nossos hbitos.

    Envelhecer muEnvelhecer mu--dando dando Um argu-

    mento que muita gente usapara justicar a acomodaodiante da vida que quantomais velho, menos o ser hu-mano pode mudar. Ser?Talvez no. Porque se otempo nos torna cada vezmais sbios e contemplativospor conta dos anos que pas-samos pela vida, maior

    nossa capacidade de lidarcom nossa essncia e

    mais tempo teremospara nos dedicar ao exerc-

    cio da mudana!

    Para nalizar, vale lembrarat o pau que nasce tortomorre torto quando no cuidado pelo homem. Quan-do observado e tratado, elepoder se reorientar pelasmos do nico ser capaz demudar o mundo e, portanto,capaz de mudar seu jeito deser e de viver.

    8 bem viver

    OprazerdeMuDARFlvia Manfrin | editora 360

  • A juventude de hoje nasceu num mundoinformatizado, usa mais o mouse que acaneta, tem acesso a bibliotecas do mundotodo, amigos, jogos, informaes quais-quer que sejam sem sair de casa e, ficargrudada no computador numa espcie de

    caverna de alta tecnologia, para o deses-pero dos pais, uma consequncia natu-ral. Tenho um amigo que gosta de dizerfrases complicadas e incompreensveis primeira vista com a inteno de fazer ooutro parar e pensar: Voc no acha que

    nessa caverna do alheamento os holofotesdo efmero apagam a luz dos mistrios?,provoca seu filho, sorrindo.

    Em Campinas h um observatrio as-tronmico no morro das Cabras. L a noite

    escura, iluminada somente pela luz quevem da lua, das estrelas e, infelizmente, decidades como So Paulo a 100 km de dis-tncia. Como impedir que as luzes dascidades que crescem sem parar apaguema luz das estrelas? Tudo comeou com a

    10 giro 360

    A luzqueapagaaluz

    A lua num dos lugares mais belos da regio 360: Areia Baixa, bairro rural de FarturaA lua num dos lugares mais belos da regio 360: Areia Baixa, bairro rural de Fartura

    foto:FlaviaRocha|360

    Jos Mrio Rochade Andrade*

    Rico em nuances, profundidade,Rico em nuances, profundidade,transparncia e, noite, em estrelas atransparncia e, noite, em estrelas atornarem-no quase rebuscado de tantotornarem-no quase rebuscado de tantobrilho, o cu da regio 360, especialbrilho, o cu da regio 360, especial--

    mente em Sta. Cruz do Rio Pardo, meremente em Sta. Cruz do Rio Pardo, mere--ceria um observatrio tanta a suaceria um observatrio tanta a sua

    grandeza. grandeza. NNunca pude ver vnus to giunca pude ver vnus to gi--gante, nem um por-do-sol to radiantegante, nem um por-do-sol to radiantecomo os que aparecem nesta edio. como os que aparecem nesta edio.

    Para ilustrar esse universo que nos Para ilustrar esse universo que nos perper--mite cmite contemplao,as artes da reproontemplao,as artes da repro--

    duo, oduo, oeestudo e o turismo, um texto destudo e o turismo, um texto deum santacruzense que sabe como poucosum santacruzense que sabe como poucos

    observar estrelas.observar estrelas.

  • descoberta do fogo que, entre muitosavanos, permitiu ao homem iniciar ativi-dades noturnas iluminadas. Depois foi avez de Luiz XIV, o rei sol que decidiu ilu-minar Paris e transformou-a na cidade luz.

    Em So Paulo h a Praa do Por do Sol,mas no pode haver uma Praa do Cu Es-trelado. Quem quiser ver o cu genuina-mente estrelado, a abboda celeste com asestrelas em seu brilho mximo, imvel,mas parecendo girar no giro da Terra, sen-

    tir a imensido do universo onde estamosinseridos, precisa ir, por exemplo, para aregio onde circula o 360. Ali ir encontrarum lugar onde a nica luz a iluminar aque vem das estrelas, deitar sob a viaLctea e se abandonar seduzido na pleni-

    tude dessa luz que abriga e irradia mis-trios e fantasia.

    Entardecer em santa Cruz do Rio Pardo, noEntardecer em santa Cruz do Rio Pardo, noalto direita, a lua pontua clara no cualto direita, a lua pontua clara no cu

    A menos de cinco quilmetros do centro urbano, o cu de santa Cruz do Rio Pardo nos brinda com cenasA menos de cinco quilmetros do centro urbano, o cu de santa Cruz do Rio Pardo nos brinda com cenascomo as que aparecem nesta pgina. A qualquer hora do dia vale a pena parar alguns minutos para olh-locomo as que aparecem nesta pgina. A qualquer hora do dia vale a pena parar alguns minutos para olh-lo

    *mdico santa-cruzense radicado emCampinas |

    zemario@caderno360.com.br

  • GPS, satlite, laptop, grficos, programas,sensores... Quando leigos do mundo agrose deparam com tais palavras logo pen-sam em empresas e indstrias das gran-des cidades. Mas no campo, na cabinede um trator ou acoplados a tanques paraonde convergem gros colhidos em vas-tos alqueires de terra que esses equipa-mentos so usados cotidianamente,servindo a produtores rurais.

    fato que ser usurio do que se chamaAgricultura de Preciso implica ter umbom pedao de terra. Ou seja, coisapara o mdio ou o grande produtor.Geralmen-te, o sistema aplicado emreas a partir de 50 hectares. Isso no im-pede, que plantaes sejam monitoradas,mas o custo fica mais elevado quando.Tambm no tira do processo o valoragregado que traz ao setor produtivo.Muito pelo contrrio. Os nmeros, emmdias e grandes propores, saltam aosolhos do mais desinformado reprteracostumado a escritrios hermticos oucobertura de eventos culturais. E sedu-zem pela simplicidade com que a tec-nologia aplicada no campo.

    Para saber como na prtica a agricul-

    tura de preciso, visitamos uma empresaque usa esse sistema h mais de quatroanos em terras prprias, alm de inter-mediar a aplicao desse processo de

    produo agrcola para clientes em suarede de lojas que atendem ao setor. Sedi-ada em Santa Cruz do Rio Pardo, a AgroFerrari vende sementes e insumos para oplantio de culturas. Para que seus clientestenham a melhor relao custo X benef-cio na compra e aplicao de seus produ-tos, ela vai alm, trazendo parceiros queoferecem todos os equipamentos e as

    anlises para que o cultivo seja otimizadoatravs da agricultura de preciso.

    E o que vem a ser isso afinal? Algo sim-ples e ao mesmo tempo sofisticado. Tra-ta-se da aplicao de tecnologia quepermite, atravs de um mapeamento es-pacial, feito com GPS e programas decomputador, avaliar as condies do solo

    12 agronegcio

    reportagem e fotos:Flvia Manfrineditora 360

    foto:FlaviaRo

    cha|360

    TECnOLOGIAaserviodohomemdocampo

    O milharal de Rogrio Ferrari estO milharal de Rogrio Ferrari estpronto para ser colhido. O GPs vai pronto para ser colhido. O GPs vai

    indicar o caminho e programas vo indicar o caminho e programas vo apurar a quantidade de cada reaapurar a quantidade de cada rea

  • foto:FlaviaRo

    cha|360

    onde ser feito o plantio de forma seg-mentada (dividindo a terra em pequenasreas). O processo implica mapear o soloe dele tirar muitas amostras que so leva-das a laboratrio para serem analisadas.Com base nos resultados, emitido umrelatrio que o prprio sistema usa paracalibrar o equipamento tambm orien-tado por GPS que vai depositar no soloa quantidade necessria de insumos, cor-rigindo a qualidade do solo.

    Aplicao da agricultura de preciso nose restringe ao mapeamento do solo,anlise de suas propriedades qumicas eaplicao de produtos, os corretivos, queo tornem mais produtivo e homogneo.Para o processo ser completo precisohaver a comprovao. E isso ocorre nacolheita, quando o GPS e alguns instru-

    mentos so usados de modo a aferirquanto cada rea de terra produziu.Assim, tem-se o outro elemento funda-mental da equao que indica qual o nvelde produtividade o agricultor alcanou.

    Economia e produtividade Em li-nhas gerais, a melhoria progressiva (anoaps ano) que o processo permite pau-tada no fim do desperdcio de insumos edos maus resultados na colheita. Afinal,aplicar produto demais ou de menos naterra compromete a safra. Algo absoluta-mente cientfico e matemtico, que noenvolve especialidade tcnica por partedo usurio, apenas disposio em apren-der a lidar com os pequenos instrumen-tos tecnolgicos.

    Quando torna-se necessrio o conheci-

    mento tcnico, como por exemplo en-contrar as melhores solues para sanaras deficincias do solo, o produtor terapoio das equipes que atuam em empre-sas como a Agro Ferrari, que o ajudaro aescolher os produtos e estimar as quanti-dades determinadas pela anlise que foifeita. Ou seja, o produtor tem todo o su-porte necessrio para um processo demelhoria constante em sua lavoura.

    Do comrcio ao plantio A expe-rincia de Rogrio Ferrari, proprietrioda rede de lojas que leva seu nome (comunidades tambm em Ribeiro do Sul eAssis) e de centenas de hectares de terra,no se restringe venda de insumos e in-termediao de empresas que fazem a co-leta de dados, anlise e emisso derelatrios. To pouco indicao de pro-

    dutos a serem aplicados pelo produtorem seu plantio ou at terceirizao deequipamentos como colheitadeiras equi-padas de sensores e aplicadores de pro-dutos com dosadores. Ela tambm seaplica ao seu vasto patrimnio, situadoem Santa Cruz, onde ele figura como umdos maiores produtores de milho e soja,num processo de plantio rotacionado.

    Aberto s novidades do setor, ele aplica aagricultura de preciso em suas terrasdesde 2008, portanto h quatro anos, eabre um sorriso maroto, de quem estpra l de satisfeito, mas no quer dar de-talhes, quando eprguntamos sobre os re-sultados que tem alcanado. Ao melhorestilo mineiro, Ferrari acaba contandoque a produtividade de suas terras s temaumentado desde que passou a usar a

    foto:FlaviaRo

    cha|360

    Estimado em R$ 100 mil, o aplicador de corretivos da Agro Ferrari faz a tarefa Estimado em R$ 100 mil, o aplicador de corretivos da Agro Ferrari faz a tarefa de depositar no solo exatamente o que necessrio para uma boa colheita de depositar no solo exatamente o que necessrio para uma boa colheita

    De seu escritrio, Rogrio Ferraria avalia a ecciaDe seu escritrio, Rogrio Ferraria avalia a ecciada Agricultura de Preciso. Os mapas comprovam da Agricultura de Preciso. Os mapas comprovam

    a melhoria da qualidade do solo de suas terrasa melhoria da qualidade do solo de suas terras

  • agricultura de preciso. Os ndices va-riam de 5% a 10% conforme ele informadiscretamente.

    Em termos de eficincia da agriculturade preciso, ele se abre e mostra mapasde 2008 e de 2011 da mesma rea, onde possvel verificar que o que aparecia emvermelho (reas menos cultivveis) de-sapareceu, dando lugar a um solo frtil ecapaz de engordar os resultados em cadanova safra. A satisfao tanta que oagroempresrio tem todos os equipa-mentos para fazer o trabalho, podendo,inclusive, praticar a terceirizao de seuuso para um cliente que necessite.

    Custos praticveis Quando pergun-tamos equipe da Agro Ferrari sobre oscustos do investimento na agricultura depreciso em relao ao total que se in-veste num plantio de culturas, ficou claroque no se trata de nada que um produ-tor no possa arcar. Primeiro porque oprocesso pode ser feito com intervalos dedois anos. Segundo porque os resultadospodem render economia na compra deinsumos, j que se aplica apenas o que aterra necessita. Enfim, um investimentoque se dilui rapidamente frente aos re-sultados. Ferrari, no entanto no se firmanessa possvel economia para avaliar quevale a pena utilizar o sistema. Mesmoque voc invista ainda mais nos insumos,

    o aumento de resultados vai compensar,garante ele.

    Fcil de comprovar Quando chegaa poca da colheita, os resultados apare-cem claramente para o produtor. E tudode maneira bastante simples. O operadorda colheitadeira quem verifica o fun-cionamento do GPS e dos acessrioscolocados em diversos locais da mqui-na. Enquanto colhe, a tela do GPS insta-lada na cabine vai lhe orientando. Hmuito tempo trabalho com equipamen-tos para a lavoura, no complicado", dizEdilson Carlo Bueno, o Non, para quemo termo agricultura de preciso e a ma-nipulao de qualquer instrumentoparece mais fcil e familiar do que pegarnum cabo de enxada.

    Todo empreendedor de sucesso se valede novidades para fazer acontecer. ComRogrio Ferrari no diferente. Filho deum pequeno produtor rural, criado nostio, ele h 12 anos criou a Agro Ferrari,que na poca tinha inclusive outro nomee passou a oferecer direto no campo, emvisitas frequentes a produtores, produtosbsicos, como capim. Progressivamente,ampliou a oferta de sementes e insumos(festilizantes e defensivos) para o setoragrcola. Com o suceso da loja, passou ainvestir no plantio nas terras da famliaHoje, passada uma dcada, Ferrari co-manda uma equipe de cerca de 40 fun-cionrios, entre os prossionais da rede

    de lojas instalada na regio, e produzmilho e soja em quantidades cada vezmaiores graas agricultura de preciso em cerca de 800 hectares de terra quefoi comprando com o lucro de seusnegcios. Aberto s novidades que omecado lhe apresenta, ele promovepalestras e dias de campo para produ-tores da regio e ensina as regras bsi-cas para o sucesso do agronegcio. Agrande mudana que est acontecendona agricultura q viso do negciocomo uma empresa, diz, seguro do uni-verso onde trafega com desenvoltura emunido de resultados que no deixamdvidas sobre sua competncia.

    agendaagendaAGROAGRO

    VisoVisoAGROAGRO

    24 a 26/09_ CongressoBrasileirodeAgriculturadePreCongressoBrasileirodeAgriculturadePre--ciso(ConBAP)ciso(ConBAP).Confernciascompesquisadoresbrasileirosedoexterior,espaoparaapresentaoediscussodepesquisasesolueseservios.Pblico: estudiosos,pesquisadores,ex-tensionistas,fornecedoreseusuriosdastcnicasdeAP.Reali-zao:SociedadeBrasileiradeEngenhariaAgrcola(SBEA).Local:RibeiroPreto.Info: 163209.1300_www.funep.org.bre163203.3341_www.sbea.org.br

    15/10 e 10/11: OcinadeAplicaesdeGPSnaAgriculOcinadeAplicaesdeGPSnaAgricul--tura.tura. IntroduoaoconceitodereceptoresdeGPSdebaixocustoparaaplicaesagrrias.IncluiatividadestericasedecampoeapresentaodosoftwareGPSTrackMaker,queper-miteainterfaceentrecomputadoredadoscoletados.Pblico:paraestudanteseprossionaisdosetor.Realizao:Depto.deBiossistemas(LEB) da ESALQ/uSP. Info: F: 19 3417.6604 ouwww.fealq.org.br

    10 a 14/12_ JornadadeAgriculturadePreciso.JornadadeAgriculturadePreciso. ConceitosdeAgriculturadePrecisocomoumconjuntodetcnicasquepermitemogerenciamentodaslavourassegundovariabilidadeespacial,envolvendoplanejamento,coletadedados,geraodemapaserecomendaeseaplicaolocalizadadeinsumos.Pblico: prossionaisdosetorsuperior(consultores,tcnicosdeempresas,produtores)equeatuememsistemasdepro-duo agropecurios e orestais.Realizao: Depto. Enge-nhariadeBiossistemasInfo: FEALQ(www.fealq.org.br)ecomMariaEugenia(cdt@fealq.org.brou193417.6604)

    Fonte: http://www.agriculturadeprecisao.org.br

    Agricultura de Agricultura de Preciso: Preciso:

    O GPs indica onde a colheitadeiraO GPs indica onde a colheitadeiradeve andar e um programa informa odeve andar e um programa informa ovolume colhido em cada rea de terravolume colhido em cada rea de terra

    foto:FlaviaRo

    cha|360

  • cinemascinemasavar: 14 3732.5058PirajuPiraju : : 14 3351.1555Ourinhos:Ourinhos:14 3325.1266s.cruz:s.cruz: 14 3373.2910

    cafeteriascafeteriasAvArAvAr

    estao caf_Salgados,doces, sucos e cafs. 2 asb.: aps 10h, dom. aps19h| F: 14 3731.2828

    OurinhOSOurinhOSestao Baguete_Salgados, sucos e cafs. Todo dia 6h30_22h | F: 3325.4124Dona ica caf_ Cafs,doces e salgados. Todo dia8h-19h. | F: 14 3326.3498

    STA. CruzSTA. Cruzsabor da fazenda_Bom cardpio e ambientegostoso. 2 a 6 : 8h_18h esb: 9h_15h | F:14 3372.3871

    restaurantesrestaurantesBernArdinOBernArdinO

    Donana_Peixes, risotos,massas. 3/sab: 18h_ 22hdom: 12h_15h | F: 14 3346.1888

    OurinhOSOurinhOSal faiat_Cozinha diferen-ciada. Boa carta de vinhos F: 14 3326-9700Hikariya_ Comida japo-nesa no jantar e almoovariado. 2- sab. 19h_0h|F.: 14 3322.7553La Parrilla_ Comida ar-gentina. 3/sab:11h_16h|19h dom: 11h _16h. F.: 14 3324.9075Le Lui_Ambiente e card-pio sosticados | 3- sab:11h30 e 18h30 | dom.11h30. F.: 14 3326.3762

    PirAjuPirAjuPirabar_ Almoo e casanoturna beira doParanapanema. 3 a dom.|F: 14 3351.4387

    taas e cachaas_Cachaas, petiscos, pratos.Atendimento nota 10!2_6: 18h | sab/dom: 10hF: 14 3351.0811 torre de Pisa_ Pizzariacom forno a lenha. Choppe pores. 3 a dom. _19hF: 14 3351.2684

    STA. BrBArASTA. BrBArAnossa chcara_Buetde prratos quentes e sal-adas . Ligue antes de ir.Local buclico dentro dacidade. 5 a dom. | F: 14 3765.1545

    STA. CruzSTA. CruzPizzaria alcatia_Pizzascrocantes, massas e carnes beira da piscina. 3-dom.19h _23h. F: 143372.2731torre de Pisa_ Pizzas,chopp e pores diversas. F: 14 3372.8860rancho do Peixe_ Cozi-nha caseira caprichada.2/dom. 8h30_14h30_2/sab. 17h30_ 0h. | F: 14 3372.4828S. PedrO dO TurvOS. PedrO dO TurvOrestaurante rosinha_deliciosa comida caseira.2 a sb: 11h30 s 15h | F: 14 3377.141

    BaresBaresPirAjuPirAju

    adrenalinas_ Tilpia noalho deliciosa. 2 a sab.aps 17h |F: 14 3351.3370

    BernArdinOBernArdinOQuintal do romo_Barcom som ao vivo, vale visi-tar.. 6a.s e sab. 23h_4h F.: 14 91328035STA. CruzSTA. CruzBar da neusa (Bairro desodrlia)_ Todo dia 8h_20h ou at o ltimocliente. Sinuca e salgados.Bar do celso (Bairrodos andrades)_ drinks,

    assados, pores. Almooaos dom. (a conrmar), 2sb. ms festa de rock. 22hs 4h | F: 14 9697.2224casa da esha_Mais de70 opes entre eshassalgadas e doces. Fogaz-zas. | F: 14 3372.2915nina Lanches_Tradioem lanches. Todo dia18h_0h | F: 14 3372.6555rancho do espetinhoPilo e cocho_espet-inhos, pores e acompan-hamentos para umarefeiio completa. 2 a 6:17h 1h, sb.: 11h 1h edom.: 16h 1h | F: 143373.1041sasel Haus_Progra-mao diversicada de 3a dom. Lanches, porespratos e um bar bastantevariado. em alguns sba-dos tem feijoada na horado almoo. 3 a sb.: 18hs 2h e dom.:16h 0h | F: 14 9814.8456treiler dosamigos_Lanches epores famosas dojardim Planalto. Fecha s3s-feiras. 18h30 0h30 |F: 14 3372.9297

    OutrOs OutrOs frutaria do Baiano_Frutas selecionadas. r.Mal. Bittencourt c/ r. Ben-jamin Constant 8h_ 23h. sorveteria unio_ Sor-vete artesanal e com in-gredientes naturais. Tododia 9h_23h | F: 143372.3644

    BernArdinOBernArdinOPastelaria Bagd_ Me-lhor pastel da regio 360.2 a sab. hor. cmercial.

    rODOviasrODOviasPirAju-OurinhOSPirAju-OurinhOS

    | sP 270 raPOsO tavarescia. da fazenda_Km

    334: Lanches e refeiescom destaque para pratoslevando palmito.| F: 14 3346.1175

    OurinhOS-S.CruzOurinhOS-S.CruzsP 352 O. QuagLiatO restaurantecruzado_ Km 16:restaurante 24h. | F: 143372.1353. Orquidrio restau-rante caf_ Km 14:Lanches, sucos, refeies,orquidrio. Todo dia7h_19h |

    F: 14 9782.0043varanda do suco_Km27,5: refeies, sucos, sal-gados e doces. Todo dia.9h_19h | F: 14 8125.3433

    STA. Cruz-S. PedrOSTA. Cruz-S. PedrOPesqueiro Paulo an-drade (entre sta.cruz-s.PeDrO) Peixes frescos,aves e assados sob en-comenda. F: 149706.6518

    iPAuSSu-BAuruiPAuSSu-BAurusP 225 eng. JOO BaPtista caBraL renn

    Paloma graal Km 309Praa de alimentao, loja,padaria e cafeteria. 24h |F: 14 3332.1033estao Kaf_Km 316:Museu , artesanato, anti-guidades, mveis, comidacaipira. 24h | Maria Fu-maa! F: 14 3372.1353Our-jACArezinhO Our-jACArezinhO Br 153 transBrasiLiana graal Ourinhos_Km345: Buet de saladas,pratos quentes e grelha-dos. Convenincia. Todo

    casa_imveis_construo

    lazer__cozinha_veculos

    Onde IR! Onde IR! d i c a s q u e v a l e m a p e n a n a r e g i o 3 6 0 d i c a s q u e v a l e m a p e n a n a r e g i o 3 6 0

    CADEIRAs DE REACADEIRAs DE REAConsertos e confeco de

    cadeiras de corda. F: 14 3372.6089 - Ary

    ANUNCIE GRTIs ANUNCIE GRTIs at12palavras.

    comercial@caderno360.com.br

    F: 14 3372.3548

    Moto YBR 125K Moto YBR 125K 2005-nicodono

    timopreo!F: 14 3372.9221

    locadora de Van locadora de Van Eventos,formaturas,aero-porto...comtodoconforto.

    F: 14 3372.474314 9743.5450

    moda_sade_beleza

  • OurinHOsOurinHOs18/08_23h_ show daBanda BlackLabel (Com os msicos Cachoni , re-nato , Fbio e Bigode). Akazala. info: 143324.2534

    21 a 26/08_ 4 a(o)gosto das Letras. 21/08_14h_ Ocina de aquarelacom alessandro Brando. Atravsdas ilustraes de livros de jorge Amadopor seu parceiro Caryb, os participantes

    podero aprender a tcnica da aquarelacom inspirao no universo do escritorbaiano. Local: Biblioteca-ramal ClariceLispector. inscries: 20 vagas. 19h30: Leitura encenada de Donaflor e seus 2 maridos, com a Cia. Gi-ralua de Artes. Local: ee horcio Soares

    22/08_8h_ Leitura encenada deDona flor e seus 2 maridos, com aCia. Giralua de Artes. Local: ColgioSuper ensino9h30_ Leitura encenada de Donaflor e seus 2maridos, com a Cia. Gi-ralua de Artes. Local: eTeC jacinto Fer-reira de S14h_ Ocina de aquarela. ComAlessandro Brando. Local: Biblioteca-ramal Clarice Lispector 15h_ encontro da escritora fer-nanda saraiva romero (home-nageada do evento), autora de livros

    infantis com alunos da ee Prof virgniaramalho. 19h_ exibio do documentrioJorge amado, de joo MoreiraSalles. A infncia na regio de ilhus, oenvolvimento com os ritos afro-bra-sileiros e seus principais livros e persona-gens. Local: Teatro Municipal

    23/08_ a(o)gosto das Letrinhas .Programao infantil com atividades du-

    rante todo o dia noCentro de Convivnciajornalista Benedictoda Silva eloy.9h s 11h e 14h s15h50_ casinha dasLetras_ contaode histrias. ComSolange rocha, FtimaSantilli, Lia Ferrer eCinthia Siqueira.16h_ uma histriade Outro Jeito, deFernanda Saraiva ro-

    mero - c/ Bruna domin-gues e Leandro Faria.9h30 e 14h30_ casinhada memria. Brinca-deiras com parlendas,trava-lnguas e cirandascom ramiro Bccheri ePatricia Aleixo.9h s 17h_ casinha daesquina. Troca de gibis10h e 15h_ casinha doProfessor. Alunos doPonto de Cultura Para ler o mundo re-alizam atividades criativas inspiradas nolivro O Gato Malhado e a AndorinhaSinh, de jorge Amado.16h_ Debaixo do P de manga. Can-tando na roda c/ z Luis e Cibele Moraes8h30 s 11h e 14h s 17h_ Ocinas dedobradura e Pesponto e Boto. 14h s 17h_ Ocina: jorge Amado nacozinha. O socilogo Fernando nogueira

    mostra como a riqueza da culinria ba-iana, presente na obra de jorge Amado,contribuiu para a formao do patri-mnio gastronmico brasileiro. haverpreparao de receitas. Local: Casinhada esquina . inscries: 15 vagas.

    24/08_14h s 17h: Ocina Jorgeamado na cozinha. Com Fernandonogueira . Local: Casinha da esquina 19h_ exibio do documentrio jorgeAmado, de joo Moreira Salles Local:Teatro Municipal Miguel Cury

    25/08_ 9h s 12h e das 14h s 17h:Ocina de escrita criativa. O escritorLuiz ruato coordena ocina voltada spessoas que desejam se expressaratravs da escrita. Local: Casinha das Le-tras vagas: 15 - Para autores de co.inscries: Sec. Municipal de Cultura10h_ Palestra: formando leitoresdentro de casa, com ilan Brenman.Por que meus lhos ou alunos nogostam de ler? devemos contar ou lerhistrias? Como trabalhar as diferentesfaixas etrias? Como despertar o desejopor livros? essas e outras questes seroabordadas no bate-papo com o escritore contador de histrias ilan Brenman.Local: Biblioteca Municipal Tristo deAthayde 40 vagas.

    26/08_16h: no meio do caminhotinha um conto. no meio do contotinha um caminho. Com reginaMachado e Gabriel Levy. espetculo comnarrao de estrias para adultos, jovense crianas contadas pela escritora reginaMachado e musicadas por Gabriel Levy.Os contos selecionados falam de amor,desaos, humor e aventura , apresen-tando diferentes tipos de culturas, rit-mos e estilos de narrao. Local: TeatroMunicipal Miguel Cury.

    Programao no PuB 74721 a 24/8_19h45_ cenas rodrigue-anas. Grupo Soarte e alunos das Oci-

    nas de Teatro apresentam cenas do livroA vida como ela , de nelson rodri-gues, unindo o universo do dramaturgoao do compositor Lupicnio rodrigues.

    21/8_20h_ impresses de um vam-piro. integrantes do Grupo de estudosde Psicanlise de Ourinhos tecem im-presses sobre o romance O vampiro deCuritiba, de dalton Trevisan.22h_ show com Hallyson Oliveira e

    Quando se trata de realizar eventos, Ourinhos no deixaQuando se trata de realizar eventos, Ourinhos no deixapor menos. assim em diversos setores da economia epor menos. assim em diversos setores da economia etambm na rea cultural, que tem colocado a cidade emtambm na rea cultural, que tem colocado a cidade emevidncia no cenrio nacional com bastante frequncia,evidncia no cenrio nacional com bastante frequncia,seja no campo da msica, da dana, do teatro, do cinemaseja no campo da msica, da dana, do teatro, do cinemae tambm da literatura. e tambm da literatura.

    nesta rea, das letras para adultos, jovens e crianas, nesta rea, das letras para adultos, jovens e crianas,que a prefeitura, atravs da secretaria de cultura, realizaque a prefeitura, atravs da secretaria de cultura, realizamais um evento A(o)gosto as Letras, j em sua quartamais um evento A(o)gosto as Letras, j em sua quartaedio. Para brindar os leitores com a riqueza do evento,edio. Para brindar os leitores com a riqueza do evento,trazemos a programao completa em nossa agenda cultrazemos a programao completa em nossa agenda cul --tura. Conra e participe. , ainda por cima, grtis!tura. Conra e participe. , ainda por cima, grtis!

    BNEGOBNEGO Aps o m doPlanet Hemp, o cariocaBNego havia lanado so-mente o (bom) disco Enxu-gando Gelo, no j lon-gnquo 2003. Ainda acom-panhado dos Seletores deFrequncia, ele volta cenacom o novo lbum, Sin-toniza L, e mostra que aespera valeu muito a pena. tudo digno de nota, desdea arte do encarte s letras. Eo groove! Ah, o groove! omelhor lbum que eu ouviem 2012. No perca tempoe baixe de graa em www.bnegaoseletores.com.br.

    NEVILTONNEVILTON J falei delespor aqui. Mas volto ao temadepois de assistir o showmaluco que eles zeram noSesc Bauru. Arrisco dizer que a melhor banda de rockno Brasil, hoje. Pouca gentetoca guitarra bem e demaneira to apaixonantequanto Nevilton deAlmeida, o lder que em-presta nome a esta banda

    de Umuarama-PR. Baixe oprimeiro disco, De Verda-de, em www.nevilton. com.br. Mas, se puder, veja oshow. A sim vai entender oque eu estou dizendo.

    SMASHING PUMPKINS SMASHING PUMPKINS -Tudo bem, de banda, nosentido clssico do termo, jno h mais nada. Trata-sedo perturbado Billy Corgane os msicos que ele escolhepra colocar suas ideias emprtica. cone dos anos 90,quando lanou lbuns queentraram para a histria dorock, Corgan se perdeu feionos ltimos 10 anos, lan-ando coisas de gosto bemduvidoso. Agora ele retornacom seu Pumpkins refor-mado e lana Oceania,um disco surpreendente-mente bom e que no passavergonha perto do gloriosopassado de seu mentor.Oua a porrada Quasar,Panocoption, que remeteaos anos 90, e a bela MyLove Is Winter.

    OFFSPRING OFFSPRING Pois , elestambm ainda existem. Eigualmente acabam de lan-ar disco novo, Days GoBy, que, se no alcana osvelhos tempos de glria,tambm no faz feio. A fr-mula a mesma: punk pop,msicas aceleradas e me-ldicas, refres grudentos, eum popzinho esquisito aquie acol pra tentar repetir osucesso de Americana. Di-verso garantida.

    THE HIVES THE HIVES Na virada dosculo, eles foram coloca-dos no mesmo saco queStrokes, White Stripes e ou-tros pouco dignos de ci-tao sob o rtulo desalvao do rock. Boba-gem. Inegvel, porm, queos suecos do Hives sempreforam divertidssimos. A pe-gada proto-punk tosca edesanada continua l.Deixe-se levar pela ba ru-lheira e seja feliz com orecm-lanado Lex Hives.

    RAnDRAnDMICASMICAS

    16 agenda CULTURAL

    Ourinhos traz a literaturaem programao variada

    agendaculturalAGOSTOOs bons espetculos esto de volta.

    Teatro, Circo, Msica... o Circuito Cultural Paulista,

    promovido pelo governo no estado de So Paulo,

    volta regio com sua programao gratuita e de

    alta qualidade. em Ourinhos, a palavra d o tom,

    com o evento A(o)Gosto das Letras,

    voltado para a rea de literatura.

    Para completar, o que apuramos na regio,

    para voc curtir a vida com muita arte.

    Assim ela ser sempre melhor!

    *Tiago Cachoni

    *msico de tcnica mediana e incansvel pesquisador cultural

    fotos:divulga

    o

  • Jairo cavalcanti (Duo de guitarras)no repertrio, clssicos do blues e jazz.

    22/8_20h_ escrevendo para jo-vens, com ivana arruda Leite e n-digo . As escritoras falam sobre a sobrea experincia de escrever para jovens.22h_ show com celso vifora. Os30 anos de carreira do msico, com n-fase no novo dvd Batuque de tudo.

    23/8_20h_ Biograas. Os bigrafosPaulo Csar Arajo (roberto Carlos emdetalhes) e edinha diniz (ChiquinhaGonzaga) falam sobre a pesquisa e oprocesso de escrita das biograas.22h_ show ltero-musical com LuizPinheiro. O poeta e compositor mostracanes de seus 1 e 2 Cds, intercal-adas com poemas de sua autoria.

    24/8_20h_ O lugar da memria naliteratura. Michel Laub (dirio daQueda) e Luiz ruato (eles eram muitoscavalos) falam de seus livros e das re-laes entre a co e a memria.22h_show com Paulo freiremsico e escritor, autor de jurupari,canta e conta causos inspirados na cul-tura popular brasileira.

    25/8_20h sarau e Lanamentodo livro Din-Din, o Pinguim, da es-critora de livros infantis FernandaSaraiva romero. Participao dos msi-cos z Luiz e Cibele Fleury Convites gra-tuitos em nmero limitado degustao de caldos e bebidas parte

    exposies_ nelson rodrigues e aperversa moral. Local: Biblioteca-ramal Clarice Lispector. jorge Amado,desenhos e caricaturas feitos por alunosda rede municipal de ensino. Local:Casinha da esquina. O rio de Pixin-guinha. Local: Teatro Municipal

    importante: Os convites para asmesas e shows devem ser retirados naSecretaria de Cultura (r. d. Pedro i, 384,Ourinhos). inscries para ocinas noslocais onde sero realizadas. info: F: 14 3302.3344 | curtaourinhos.blogspot.com

    BauruBauru25/08_12h: 5 solidary rock. So 12horas de open bar com 6 shows embenefcio a entidades assistenciais.info: www.solidaryrock.com.br

    BOtucatuBOtucatu24 a 26/08: festival da msica ser-tajena de raiz de Botucatu eregio. Cerca de 30 composies seroapresentadas nas eliminatrias progra-madas para 24 e 25/8. Os vencedores,sero anunciados no dia 26 e recebero

    prmios entre r$2 mil (1 colocado) er$150,00 (4 ao 10 colocados). ins-cries at 10/8. info: 14 3882.0133 | www.cultura.botucatu.so.gov.br

    timBuritimBuri11/08: Baile da escolha da rainhada fespinga.15 a 19/08: 44 fespinga. A famosafesta da cidade traz atraes do uni-verso sertanejo, com rodeio, provas emanimais e shows dirios no recinto josnoronha viana. info: 14 3389.9500

    sta. cruz DO riO ParDOsta. cruz DO riO ParDOinscries para a 3 Baterada! no dia12/9, um batalho de bateriais tocandojuntas acontece no icaiara Clube, soba batuta dos professfores rodrigo do-nato e Wesley Paixo, da Studio insti-tuto Musical. nas edies anteriores,mais de 80 bateristas tocaram juntos.Se voc toca bateria e quer participarbasta inscrever-se pelo site www.stu-dioinstitutomusical.com.br. 25/08_15h: Lenidas rock fest.Participao das bandas Sr. presidente,rota 270, Futuro incerto, ramonescover (a conrmar), dino head, Antrop-sya e Fuzz (a conrmar). na escola

    Lenidas do Amaral vieira. Grtis

    sO PauLOsO PauLO7 a 31/8_ inscries abertas para oCurso de especializao em Gesto Cul-tural. Programado para outubro/2012a junho/2013. Com mdulos presenci-ais e virtuais, tem como foco a culturacontempornea, seus conceitos e ten-dncias. Algumas das temticas abor-dadas sero as opes internacionais dapoltica cultural e a experincia bra-sileira, alm da relao da cultura comconhecimento, inovao e sustentabili-dade. indicado para prossionais (in-clusive iniciantes) do setor, gestores decultura e docentes na rea. 40 vagas.Grtis. info e ins-cries: www.itau-cultural.org.br/observatorio | observa-torio@itaucultural.org.br

    circuitO cuLturaLcircuitO cuLturaLPauListaPauLista

    OurinHOs OurinHOs 11/08_20h30: musica. gabriel sater- a essncia do amanhecer. Teatro Municipal Miguel Cury

    BOtucatu BOtucatu

    12/08_ 19h: circo. se romeu eJulieta... - cia Lamala . Teatro Mu-nicipal

    01/09_20h30: msica. Paulocosta. Teatro Municipal

    Lenis PauLista Lenis PauLista 18/08_20h: msica. Paulo costa.Casa de Shows FOur

    sO manueL sO manueL 18/08_ 19h: teatro. um Dia Ouvia Lua - Cia. Teatro da Cidade. CineTeatro Municipal

    santa cruz DO riO ParDO santa cruz DO riO ParDO 19/08_20h30: teatro. Borboletaazul - cia Pessoal do faroeste.Palcio da Cultura

    agendaculturalAGOSTO

    Divulgue seu evento aqui! Mande os dados completos para:aaggeennddaa@@ccaaddeerrnnoo336600..ccoomm..bbrr

    Venha fazer a AGENDA CULTURAL DO 360.Descubra os eventos de cada ms,

    converse com os produtores, organize as informaes de artes

    plsticas msica, cinema,literatura, teatro e dana. E as festas da regio, claro!

    Interessados entrar em contato com a redao pelo email

    agenda@caderno360.com.br

    Teatro, circo, msica, dana. J h alguns anos o Cir-cuito Cultural tem promovido nas pequenas cidades dointerior paulista espetculos de qualidade, que aten-dem aos pr requisitos exigidos pela programao. Totalmente gratuitos, eles acontecem em diversascidades da regio, para onde os leitores de cidades vi-zinhas podem viajar em busca de uma programaode cidade grande!

    O destaque deste ms ca para o espetculo A Bor-boleta Azul". A histria, dirigida por Paulo Faria, coin-cidentemente trata de um tema em pauta nos diasatuais da nossa regio: a construo de uma barragem.E traz para de volta regio o ator Beto Magnani.

    Circuito cultural volta regio com timos espetculos

    foto:d

    ivulga

    o

    esquerda, e elenco esquerda, e elenco de A Borboleta Azul,de A Borboleta Azul,teatro do Circuitoteatro do CircuitoCultural Paulista, Cultural Paulista,

  • Diga xiiis!!!! Essa a frase mais ditaantes de uma foto! Muitas pessoas nogostam muuuuitooo de um rpido clic, j eu, adoro!!!A mquina fotogrfica uma inveno incrvel,pois deixa registrado em imagens lugares, pessoas e muitos momentos importantes danossa histria! Alm disso a fotografia uma linguagem universal, diferente da escrita. Se voc comprar uma revista com uma imagem nacapa voc j pode saber do que se trata.A fotografia uma coisa muito comum hojeem dia por isso no a valorizamos muito,masse no fosse pela foto nos no teramos a TV,

    o cinema, o computador...

    resumindo a fotografia a base te TUDO!!!!!Por isso no dia 19 DEAGOSTO comemore odia da fotografiatirando muitas fotos!!!!

    Falando muitos XIIISSS!!!! E um timo dia da fotografia

    pra vocs!!!!!! ;D

    Kiss Kiss Paola

    PINGO

    AA SSOOLLIIDDOO DDEE PPIINNGGOO

    arte:Sab

    atoViscon

    ti|360

    Resposta:Papagaio

    DDDDiiii aaaa MMMMuuuunnnndddd iiii aaaa llll

    18 meninada

    RReeddaaoo:: PPaaoollaa PPeeggoorreerr MMaannffrriimm RReeddaaoo:: PPaaoollaa PPeeggoorreerr MMaannffrriimm || AArrttee:: CCllaarraa EElliizzaa BBaasssseettoo|| AArrttee:: CCllaarraa EElliizzaa BBaasssseettoo

    Qual o pssaro que em gaiola no se prende,s se prende quando se solta, por mais altoque ele voe preso vai e preso volta?

    AAddiivv iinnhhaa!! !! !! !!

    ddddaaaa FFFFoooo tttt oooo gggg rrrr aaaafifififiaaaa

    Um rudo de rodinhas de malas girando em direo ao carro,a famlia toda agitada de c pra l e, num canto, Pingolatindo sentido: no gosto nada disso. Frias do Alvinho,solido do Pingo. Na solido da casa Pingo pensou: quandoAlvinho voltar fao a maior festa: vou latir alto, abanar orabo, levantar as orelhas aos cus, pular pra cima, lamberat ele pedir gua: Pingo! Sossega.

    Dois dias passam voando, mas, dois dias a mais demorammuito a passar e os dias que vm a seguir passam a passo detartaruga cansada. Irritado com a lerdeza do tempo Pingopensou: quando Alvinho chegar irei latir baixo, levantar umpouco as orelhas, mas nada de abanar o rabo.

    Cada novo dia dura uma eternidade: uma semana, um ms,um ano e, com a irritao transformando-se em tristeza,Pingo pensou: quando Alvinho chegar irei latir uma vez evolto pra minha casinha.

    Durante sculos Pingo alimentou-se da vontade de mordere fazer algumas outras malvadezas tenebrosas at que o artrouxe um cheiro longnquo e conhecido, um rudo de rodi-nhas de malas rodando em direo casa e Pingo percebeuuma transformao profunda comeando em todo o seu sercanino. Da ponta do rabo foi se espalhando pelo corpo rapi-damente, chegou s orelhas e a Pingo ficou sem luz, perdeua conscincia. Quando voltou estava sobre Alvinho latindoalto, lambendo, abanando o rabo com as orelhas levantadasaos cus e descobriu feliz que bastam segundos de felicidadepara acabar com milnios de solido.