bullying-110414063854-phpapp02 slide 0

bullying-110414063854-phpapp02

  • Published on
    25-Nov-2015

  • View
    15

  • Download
    8

Transcript

  • BULLYING ESSA BRINCADEIRA NÃO TEM GRAÃA!
  • O QUE Ã? O termo BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia. PRINCIPAIS CARACTERÃSTICAS: A intenção do autor em ferir o alvo; A repetição da agressão; A presença de um público espectador; A concordância do alvo com relação à ofensa.
  • O QUE NÃO à BULLYING Discussões ou brigas pontuais não são bullying. Conflitos entre professor e aluno ou aluno e gestor também não são considerados bullying. Para que seja bullying, é necessário que a agressão ocorra entre pares (colegas de classe ou de trabalho, por exemplo). Todo bullying é uma agressão, mas nem toda a agressão é classificada como bullying.
  • ONDE OCORRE? O BULLYING é um problema mundial, sendo encontrado em toda e qualquer escola, não estando restrito a nenhum tipo específico de instituição: primária ou secundária, pública ou privada, rural ou urbana.
  • QUEM SE ENVOLVE? De que maneira os alunos se envolvem com o Bullying? Seja qual for a atuação de cada aluno, algumas características podem ser destacadas, como relacionadas aos papeis que venham a representar: - Alvos de Bullying - são os alunos que só sofrem BULLYING; - Alvos/autores de Bullying - são os alunos que ora sofrem, ora praticam BULLYING; - Autores de Bullying - são os alunos que só praticam BULLYING; - Testemunhas de Bullying - são os alunos que não sofrem nem praticam Bullying, mas convivem em um ambiente onde isso ocorre.
  • Existe diferença entre o bullying praticado por meninos e por meninas? De modo geral, sim. As ações dos meninos são mais expansivas e agressivas, portanto, mais fáceis de identificar. Eles chutam, gritam, empurram, batem. Já no universo feminino o problema se apresenta de forma mais velada. As manifestações entre elas podem ser fofocas, boatos, olhares, sussurros, exclusão. "As garotas raramente dizem por que fazem isso. Quem sofre não sabe o motivo e se sente culpada", explica a pesquisadora norte-americana Rachel Simmons, especialista em bullying feminino.
  • O que leva o autor do bullying a praticá-lo? Querer ser mais popular, sentir-se poderoso e obter uma boa imagem de si mesmo. Isso tudo leva o autor do bullying a atingir o colega com repetidas humilhações ou depreciações. à uma pessoa que não aprendeu a transformar sua raiva em diálogo e para quem o sofrimento do outro não é motivo para ele deixar de agir.
  • Quais são as consequências para o aluno que é alvo de bullying? O aluno que sofre bullying, principalmente quando não pede ajuda, enfrenta medo e vergonha de ir à escola. Pode querer abandonar os estudos, não se achar bom para integrar o grupo e apresentar baixo rendimento.
  • COMO PODEMOS AJUDAR A RESOLVER? QUEM PRATICA: parar com esse tipo de atitude, pois não gostaria que isso acontecesse com ele. QUEM SOFRE: avisar aos adultos para que a pessoa que fez isso, seja responsabilizada. QUEM à TESTEMUNHA: não deixar que façam isso com o colega e avisar aos adultos.
  • AMIZADE Ã MELHOR!!!
  • TODOS SOMOS CAPAZES DE FAZER ALGO... O Canguru que Saltava para Trás ! Num país muito longe, nasceu um dia, um canguruzinho que tinha uma qualidade muito curiosa. Saltava para trás, ao contrário de todos os outros animais de sua espécie. Isso fazia dele alvo da zombaria dos outros. O canguruzinho, que era muito sensível, sofria muito e toda a noite chorava desconsolado, sem que ninguém visse. Um dia, um sábio compreensivo, aproximou-se dele, dizendo:
  • - De nada adianta ficar chorando pelos cantos; se você se esforçar e treinar um pouco será capaz de saltar para frente como os outros cangurus. à uma questão de perseverança. O canguruzinho compreendeu que ele tinha razão. Nessa mesma noite, começou a praticar no seu cantinho. Progredia rapidamente e, num belo dia, no meio da admiração geral, o canguruzinho deu uma autêntica exibição de saltos para frente. Satisfeito e orgulhoso, o canguruzinho passou a considerar-se igual aos demais. Mas, na realidade, ele era mais capaz que os outros, porque era o único que sabia também saltar para trás!
  • DEBATE: CASO CASEY HEYNES Quais critérios você adota para valorizar ou desprezar um colega? Se coloque no papel do agressor, da vítima e do espectador. Como você se sentiria em cada situação? O que vocês acharam da atitude de Casey (aquele que sofreu o bullying)? E da atitude de Richard (aquele que cometeu o bullying)? Quais as consequências desses tipos de brincadeiras e humilhações? Qual seria a atitude correta a ser tomada nesse caso?
  • Referências: Esse slide foi obtido através do Site de Pesquisa Google, sem identificação, porém o mesmo foi alterado com textos extraídos do link abaixo: http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/caso-casey-heynes-bullying-omissao-escola-622917.shtml