Boletim 13 da Gesto Ambiental das obras de duplicao da BR-116/RS

  • Published on
    25-Jul-2016

  • View
    216

  • Download
    3

DESCRIPTION

Essa a 13 edio do Boletim da Gesto Ambiental das obras de duplicao da BR-116/RS.

Transcript

  • BOLETIM 13outubro - novembro - dezembro

    2015

    .

    Confira as medidas provisrias e permanen-tes executadas durante a construo das pontes.

    Gesto Ambiental apresentou o espetculo no Festival Internacional de Canela.

    Conservao e recuperao de solos foi tema de curso realizado em Porto Alegre.

    Pgina 06

    Pgina 06

    Pgina 05

    Pgina 03

    Margens protegidas

    Teatro de bonecos

    Treinamento na FAMURSEntrega de jazida em Pelotasrea utilizada para extrao de argila no Lote 9 foi recupera-da e entregue ao proprietrio aps vistoria de analistas do IBAMA.

    Trfego desviado para obra de viaduto em GuabaPgina 04

  • Duplicar Proteger Avanar2

    Editorial

    Expediente

    Sobre

    Em dezembro ocorreu a primeira devoluo de jazida das obras de duplicao da BR-116/RS. Utilizada para extrao do material de aterro da rodovia, a rea localizada em Pelotas foi totalmente recuperada pelo Consrcio MAC-Tardelli e devolvida ao proprietrio aps vistoria do IBAMA. Confira os detalhes na matria de abertura da pgina 3. O destaque das obras desta edio o desvio com extenso de 880 metros que est em operao desde o dia 10 de dezembro no km 302 da rodovia, em Guaba. A alterao no trfego necessria para a construo do viaduto de acesso ao bairro So Francisco e exige maior ateno dos motoristas, conforme explica a matria da pgina 4. J na pgina 5 voc vai conhecer as tcnicas que protegem as margens dos arroios durante a construo das novas pontes. As medidas recebem o acompanhamento da equipe de Superviso Ambiental e so fundamentais para evitar o assoreamento dos corpos hdricos. Em outubro, o teatro de bonecos Mirim e a Gesto Ambiental da BR-116/RS realizou quatro apresentaes gratuitas no 27 Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Canela/RS. Os detalhes esto na pgina 6, assim como o relato do treinamento sobre conservao e recuperao de solos realizado na FAMURS.Na contracapa, no deixe de acompanhar as fotos com o andamento dos nove lotes de obra. Leia estas e outras notcias sobre a duplicao neste boletim ou no site www.br116rs.com.br. Para comentrios ou sugestes, envie e-mail para comunicacaobr116rs@stesa.com.br ou ligue 0800 60 11 116.

    Este boletim produzido pela Equipe de Comunicao Social da STE - Servios Tcnicos de Engenharia S.A., empre-sa contratada pelo Departamento Na-cional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para realizar a Gesto Ambien-tal das obras de duplicao da rodovia BR-116/RS. O material uma medida de mitigao exigida pelo licenciamento am-biental federal, conduzido pelo IBAMA. Por meio dele voc ficar sabendo das aes de monitoramento e conservao do meio ambiente da regio previstas no Plano Bsi-co Ambiental (PBA) do empreendimento.Boa leitura!

    Realizao: Departamento Nacional de Infraes-trutura de Transportes (DNIT)Execuo: STE - Servios Tcnicos de Engenha-ria S.A.Conselho Editorial: Adriano Panazzolo, Fernanda Costa e Juliana ChristmannJornalista Responsvel: Amanda Montagna (14.958 DRT/RS) Fotografias: Divulgao STE S.A.Projeto Grfico: FT Design

    Fale Conosco

    0800 60 11 116

    comunicacaobr116rs@stesa.com.br

    Visite nossa pgina

    br116rs.com.br

    Curta nossa fan page

    fb.com/BR116rs

  • Boletim Outubro/Novembro/Dezembro 2015 3

    Entre os dias 1 e 02/12, o IBAMA ainda vistoriou as demais jazidas de explorao mineral nos nove lotes de obra do empreendimento. O objetivo do acompanhamento garantir o atendimento das condicionantes previstas no licenciamento ambiental, prevenindo impactos como a ocorrncia de processos erosivos, contaminao do solo, gerao de poeira e rudos e o assoreamento dos corpos hdricos.

    SuperviSo

    Utilizada para extrao de argila, rea foi recuperada pelo Consrcio MAC-Tardelli e devolvida aps vistoria do rgo licenciador

    A jazida EC-21 localizada no km 501 da BR-116/RS, no Lote 9 das obras de duplicao da ro-dovia, em Pelotas, foi vistoriada pelo Instituto Bra-sileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis (IBAMA) e entregue ao proprietrio no dia 1 de dezembro. Utilizada para extrao de argila desde dezembro de 2014, a rea foi recuperada pelo Consrcio MAC-Tardelli e devolvida com o mesmo potencial de uso anterior ao emprstimo.

    Durante todo o perodo de explorao da jazida, especialistas do IBAMA realizaram vistorias peridi-cas com o intuito de verificar o atendimento das obrigaes previstas no licenciamento ambiental. De modo geral, a recuperao da rea inclui ativi-dades como conformao do terreno, distribuio de solo orgnico e revegetao por meio de hi-drossemeadura e enleivamento dos taludes. Alm disso, o Consrcio deve realizar o monitoramento do plantio compensatrio no interior da jazida durante quatro anos aps a sua execuo.

    As aes de controle so monitoradas pela equipe de Superviso Ambiental. Acompanhamos as ati- vidades de explorao e de recuperao ambiental, atuando de forma que as mesmas sejam executadas conforme previsto no Plano de Lavra e no Plano de

    Recuperao (PRAD), explica o engenheiro civil Fran-cisco Feiten, da STE S.A., supervisor ambiental dos lotes 7, 8 e 9.

    A ata de entrega da rea foi assinada pelo proprietrio, Jair Tessmann, pelos analistas ambientais do Ncleo de Licenciamento do rgo e por representantes do Consrcio e da Gesto Ambiental. Tessmann res-saltou que todo o processo de recuperao ocorreu conforme o combinado. Na mesma semana j plantei soja no local. Vamos experimentar o solo nesse pri-meiro cultivo, mas a experincia me faz acreditar que vai correr tudo bem, afirmou.

    DNIT e IBAMA entregam jazida a proprietrio

    SAIBA MAIS

  • Duplicar Proteger Avanar4

    Na manh do dia 10 de dezembro, o trfego no quilmetro 302 da BR-116/RS, em Guaba, foi alterado em virtude das obras de duplicao da rodovia. O DNIT informa que um desvio com extenso de 880 metros estar em operao no local durante o perodo de construo do viaduto de acesso ao bairro So Francisco. A sinalizao e os dispositivos de segurana foram reforados com o apoio da Polcia Rodoviria Federal (PRF), sendo que a velocidade mxima na travessia

    de 40 km/h. O deslocamento no sentido Pelotas-Guaba deve ser realizado por meio do desvio localizado na rua lateral direita. J a viagem na direo contrria (Guaba-Pelotas) permanece sem interferncias no trajeto. O DNIT executou ainda uma pista exclusiva para retornos com trechos especficos para acelerao e desacelerao, garantindo maior segurana aos usurios da rodovia. Nestes pontos haver tambm passagens para pedestres. O mapa abaixo ilustra a alterao.

    MAPA ILUSTRATIVO:

    a obra

    Desvio altera o deslocamento nosentido Pelotas-Guaba

    Mudana no trfego estar operando durante o perodo de construo do viaduto de acesso ao bairro So Francisco, no km 302, em Guaba

  • Boletim Outubro/Novembro/Dezembro 2015 5

    A construo de pontes nas obras de duplicao da BR-116/RS, de Guaba a Pelotas, exige ateno es-pecial do DNIT no que diz respeito proteo das margens dos arroios. Previsto no Programa de Pre-veno e Controle de Processos Erosivos, o moni-toramento realizado pela Superviso Ambiental do empreendimento e visa evitar impactos como o arraste de sedimentos para os cursos hdricos e seu consequente assoreamento.

    As medidas podem ser provisrias ou permanentes dependendo do estgio de execuo das estruturas. Um exemplo de proteo temporria pode ser veri-ficado na ponte sobre o Arroio Passo das Pedras, no km 477, em So Loureno do Sul, onde a construtora SBS realizou o enrocamento das margens.

    Durante as obras tambm possvel utilizar ou mes-clar outras tcnicas, como a aplicao de manta geotxtil - material que impede que partculas do solo sejam arrastadas deteriorando a qualidade da gua. A proteo definitiva ocorre apenas quando o aterro das cabeceiras (prximo das pontes) estiver concludo, explica o engenheiro civil Francisco Feit-en, supervisor ambiental dos lotes 7, 8 e 9. Nestes

    trechos, o revestimento final das margens contar com a colocao de placas de concreto. J o projeto dos segmentos iniciais da rodovia prev outras medi-das permanentes. Servem de exemplo as pontes so-bre os Arroios Petim, no km 309, em Guaba; e Passo Grande, no km 318, em Barra do Ribeiro; ambas sob responsabilidade da construtora Constran. Com o objetivo de estabilizar e proteger as margens, nestes locais foram implantados muros e paredes de gabio sob colches reno.

    As estruturas de gabio so como gaiolas de ao preenchidas com pedras, e os colches, por sua vez, so malhas metlicas retangulares que contam com o mesmo tipo de enchimento. O engenheiro ambi-ental Jackson Pilger, que supervisiona os lotes 1, 2 e 3, ressalta que a execuo praticamente artesanal, pois o trabalho de acomodao do material feito manualmente. uma soluo que apresenta bons resultados na conteno dos solos, acrescenta.

    Alm disso, vale destacar que o DNIT executar pas-sagens de fauna sob todas as pontes do empreendi-mento, permitindo que os animais cruzem a rodovia em segurana.

    eroSivoS

    Petim: proteo conta com muros e paredes de gabio sob colches reno Passo Grande: margens estabilizadas previnem o assoreamento do arroio

    Passo das Pedras: enrocamento garante proteo temporria

    Margens dos arroios so protegidas para duplicao de pontes

  • Duplicar Proteger Avanar6

    A Gesto Ambiental encontrou no teatro de bonecos uma forma de informar e sensibilizar por meio da dramatizao. Para alm das praas e escolas de Guaba a Pelotas, a pea ganhou espao em outros importantes palcos. No dia 06 de outubro a histria do Tamandu-Mirim e sua turma subiu a serra e foi assistida por 170 pessoas no 27 Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Canela/RS. Feitos de material reciclvel, coloridos e com vozes caricatas, os fantoches facilmente cativam o pblico de todas as idades. Em quatro apresentaes gratuitas no espao Nydia Guimares da Fundao Cultural de Canela, o espetculo atraiu crianas, adolescentes e idosos. O enredo aborda as causas ambientais, com nfase nos cuidados com o consumo consciente de gua, gerao de resduos

    slidos, segurana no trnsito, entre outros temas. A magia da linguagem teatral no apenas diverte como tambm cumpre papel como instrumento pedaggico. Prova disso o retorno dos alunos da EMEI Eva Alzira Bianchi, de Canela, listando uma srie de aprendizados aps a apresentao. O pequeno Murilo da Silva Lopes, 6 anos, se encantou ao saber que existem passagens de fauna. Os animais podem atravessar por baixo da estrada para no serem atropelados. Achei muito legal, afirmou. A turma do Programa UCS Snior Educao e Longevidade tambm marcou presena. Tiramos o dia para caminhar e ativar a mente e casualmente deu certo de assistirmos ao teatro, revelou a integrante Sheila Bertoluci, que cantou, danou e tirou fotos com os bonecos.

    Teatro de bonecos atrao no Festival de CanelaA equipe realizou quatro apresentaes gratuitas na 27 edio do evento internacional que ocorre na serra gacha

    Trinta pessoas participaram do Treinamento sobre Conservao e Recuperao de Solos promovido pelo DNIT, por meio da Gesto Ambiental da BR-116/RS, e pela Federao das Associaes de Municpios do Rio Grande do Sul (FAMURS). A capacitao uma das aes do Programa de Apoio Tcnico aos Municpios e reuniu, na sede da entidade, em Porto Alegre, no dia 07 de outubro, representantes de diferentes localidades como Estrela, Ivoti e Cristal, interessados no tema. O treinamento foi dividido em trs mdulos. O primeiro abordou a Gesto Ambiental da BR-116/RS as etapas do licenciamento ambiental e experincias da equipe na implementao dos Programas Ambientais. O assunto foi apresentado pelo engenheiro civil Carlos Trck. Os mdulos 2 e 3 foram ministrados pelo engenheiro agrnomo Lauro Bassi. Ele falou dos processos de degradao ambiental

    Conservao e Recuperao de Solos na FAMURS

    O engenheiro agrnomo Lauro Bassi ministrou os mdulos 2 e 3

    nas microbacias hidrogrficas e os impactos nas estradas tercirias. Na oportunidade, o profissional ressaltou os mecanismos de eroso do solo, eixos de sustentabilidade e recuperao de reas degradadas.

    notciaS

  • Boletim Outubro/Novembro/Dezembro 2015 7

    O tcnico em agropecuria Cristiano G. Westphal flagrou este gavio em uma jazida no km 341 da BR-116/RS, em Barra do Ribeiro.

    Envie sua foto para o e-mail comunicacaobr116rs@stesa.com.br e participe da coluna O Fotgrafo Voc.

    o fotgrafo voc

    ATERRO - Ao ou efeito de aterrar; terraplenagem. Terra ou entulho com que se nivela ou alteia um terreno, ou se torna seco um lugar alagadio.

    CONSERVAO - O conceito aplica-se utilizao racional de um recurso qualquer, de modo a se obter um rendimento considerado bom, garantindo-se, entretanto, sua renovao ou sua autossustentao.

    ENLEIVAMENTO - Plantio direto de placas nos taludes de aterros e bota-foras previamente preparados, bem como nas reas destinadas implantao do paisagismo, objetivando a estabilizao imediata do solo, a reabilitao ambiental da rea e a recomposio paisagstica.

    ENROCAMENTO - Macio de pedras para proteger aterros ou estruturas contra a eroso.

    GABIO - Cilindro oco de fitas de ferro, cheio de pedras, para servir em barragens, diques, etc.

    LDICO - Relativo a jogos, brinquedos e divertimentos.

    SENSIBILIZAR - Tornar sensvel; abrandar o corao de, co-mover, enternecer.

    SOLOS - Poro slida da superfcie terrestre, onde se anda, se constri, etc.; terra, cho. Terreno, quanto a suas quali-dades geolgicas e produtivas.

    SEMANA DA GUA - Como parte da programao da Semana Municipal da gua de Camaqu, realizada de 5 a 9/10, a equipe apresentou a palestra gua, um patrimnio a ser cuidado. O evento ocorreu no Senac e contou com pblico aproximado de 40 pessoas entre estudantes e autoridades da regio.

    CINCIAS E CULTURA - Com uma programao diversificada, a VI Semana Cientfica e Cultural da EMEF Martha Pereira Barbo-sa movimentou a comunidade escolar de Tapes em novembro. No dia 12, o DNIT levou ao evento propostas ldicas para abor-dar a temtica dos cuidados ambientais, incluindo sesses da Hora do Conto e do Teatro de Bonecos.

    CONGEA - As experincias vivenciadas pela equipe durante os trs anos das obras de duplicao da BR-116/RS foram relatadas durante o VI Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental (Con-GeA). O evento realizado entre os dias 23 e 26/11 no Centro Universitrio Metodista IPA, em Porto Alegre, contou com cin-co trabalhos tcnicos que abordaram aes desenvolvidas ao longo do trecho do empreendimento, entre Guaba e Pelotas.

    CNCER - Cuidados, causas, sintomas e tratamentos foram os assuntos abordados durante a palestra Preveno dos cnce-res de mama e prstata realizada pela equipe do Programa de Sade Pblica, no dia 12/11, em Mariana Pimentel. O en-contro proporcionou aos gru-pos da Terceira Idade, Mental e de Hipertensos/Diabticos atendidos pelo posto de sa-de do municpio mais infor-maes sobre o tema.

    Fontes: Dicionrio Aurlio, Dicionrio Michaellis, Glossrio de Termos Tcnicos Ambientais Rodovirios (DNIT), Manual de Vegetao Rodoviria (DNIT).

    GloSSrio notciaS curtaS

  • BOLETIM 13outubro - novembro - dezembro

    2015

    Andamento da Obra

    Lote 01 - Pavimentao no km 324, no municpio de Barra do Ribeiro.

    Lote 02 - Ponte sobre a Vrzea II do Arroio Ribeirinho, em Barra do Ribeiro.

    Lote 03 - Base da pavimentao no km 363, prximo ao acesso de Tapes.

    Lote 04 - Trecho de terraplenagem no km 386, em Arambar. Lote 05 - No km 411, em Camaqu, cons- trutora executou a base da pavimen-tao.

    Lote 06 - Ponte sobre o Arroio Evaristo, no km 429, no municpio de Cristal.

    Lote 07 - Terraplenagem no km 463, em So Loureno do Sul.

    Lote 08 - Construo do viaduto de acesso a Turuu, no km 483.

    Lote 09 - Pavimentao de trecho no km 511, no municpio de Pelotas.

    Lote 01

    Lote 04

    Lote 07 Lote 08 Lote 09

    Lote 05 Lote 06

    Lote 02 Lote 03

Recommended

View more >