Biologia 1 Vol 1

  • Published on
    08-Nov-2015

  • View
    234

  • Download
    0

DESCRIPTION

Biologia 1 Vol 1

Transcript

  • Resolues das Atividades

    VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    SumrioCaptulo 1 O Pr-Mendelismo e a Gentica Mendeliana ................................1Captulo 2 A redescoberta do trabalho de Mendel, monoibridismo e o

    estudo de heredogramas ........................................................... 2.Captulo 3 Herana autossmica, monognica, penetrncia e expressividade .. 3Captulo 4 Herana intermediria, codominncia, alelos letais, pleiotropia e

    alelos mltiplos ................................................................................. 5

    Captulo 5 Gentica do sangue e eritroblastose fetal .................................... 7

    Captulo 6 Herana dos cromossomos sexuais ................................................8

    Captulo 7 Lei da Segregao Independente e interao gnica ...................... 9.

    2a Srie Ensino Mdio | 1

    01 B

    As ideias de Alcmon so semelhantes s ideias de Men-del, pois ambos consideram a participao tanto do homem como da mulher na determinao das caracte-rsticas de prole. Alm disso, Alcmon considera a mani-festao da caracterstica como resultado do predomnio de uma das caractersticas herdadas, o que remete aos conceitos de dominncia e recessividade.

    02 C

    A 1a Lei de Mendel, ou, como conhecida, Lei da Pureza dos Gametas, determina que para cada caracterstica h um par de fatores, que na formao dos gametas segre-gam-se originando gametas puros.

    03 D

    Se h 200 indivduos AA e 200 aa, so formados 200 casais. Assim, se um casal tem 2 filhos, 200 casais tero 400 filhos. Do cruzamento entre AA e aa, nascem somente descen-dentes Aa. Portanto, sero 400 filhos Aa. Se h 200 Aa que foram cruzados entre si, h 100 casais que originam 200 descendentes. Do cruzamento entre os indivduos Aa, 1/4 ser AA, 1/2 Aa e 1/4 aa. Assim, haver 50 AA, 100 Aa e 50 aa.

    04 B

    Se o fentipo trouxa dominante, os indivduos bruxos devem ser obrigatoriamente homozigotos (aa) e no h nveis diferenciados do fentipo bruxo. Assim, Harry no menos bruxo que os demais bruxos, Hermione obriga-toriamente apresenta dois alelos para o carter bruxo (aa) e Simas, sendo bruxo, no pode ser heterozigoto.

    05 E

    O exemplo, embora hipottico, segue o padro de herana mendeliana, sendo transmitido de gerao em gerao. O cruzamento entre mariposas heterozigotas Mm resultar em 50% de indivduos heterozigotos e 50% de indivduos homozigotos (MM e mm).

    Captulo 1 O Pr-Mendelismo e a Gentica Mendeliana

    Atividades para Sala

    Atividades Propostas

    01 E

    Os estudos de Mendel ocorreram em um perodo no qual eram desconhecidos conceitos como DNA, ncleo ou

    meiose. Portanto, Mendel realizou os seus estudos sem qualquer base molecular ou citolgica.

    02 C

    Mendel selecionou ervilhas de alta estatura e baixa esta-tura e, ao remover as anteras da flor de uma planta pura de alta estatura e colocando sobre seu estigma poro do gineceu plen colhido da flor de planta pura de baixa estatura, o pesquisador trouxe gametas masculi-nos (ncleos espermticos) com alelos para baixa esta-tura: exemplo de fecundao cruzada, ou seja, a pos-sibilidade de transferncia controlada de gametfitos masculinos (plen) das anteras de uma flor para o estigma (feminino) de outra flor.

    03 B

    Um fator mendeliano recessivo quando se expressa somente em homozigose, ou seja, em dose dupla.

    04 B

    Segundo Mendel, as caractersticas so determinadas por pares de fatores que se separam (segregam) durante a formao dos elementos reprodutores e se unem na fecundao. Assim, h manuteno das combinaes gerao aps gerao.

    05 E

    A gerao parental, formada por flores prpuras e flores brancas, gerou na F1 apenas flores prpuras (hbridas), o que indica que esta a caracterstica dominante. A partir da autofecundao, teremos:

    Aa AaA a

    A AA Aa

    a Aa aa

    Esse cruzamento resulta em uma proporo genot-pica de 1:2:1. Sendo a caracterstica associada ao alelo A dominante (prpura), a proporo fenotpica 1:3, ou 25% brancas e 75% prpuras.

    06 E

    Considerando que o fentipo cauda longa no aparece na gerao parental, possvel afirmar que essa caracte-rstica recessiva, sendo os pais heterozigticos para essa caracterstica.

  • 2 | 2a Srie Ensino Mdio

    VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    Captulo 2

    A redescoberta do trabalho de Mendel, monoibridismo e o estudo de heredogramas

    01 B

    Nas clulas somticas ocorre diviso equacional, denomi-nada mitose, que mantm o nmero de cromossomos. Na produo dos gametas ocorre diviso reducional, denominada meiose fundamental, para a manuteno do nmero de cromossomos da espcie.

    01 C

    Segundo Mendel, as caractersticas so determinadas por pares de fatores que se separam (segregam) durante a formao dos elementos reprodutores e se unem na fecundao. Assim, h manuteno das combinaes gerao aps gerao .

    02 C

    O fentipo do indivduo, ou seja, suas caractersticas, pro-cede da expresso do gentipo em associao com os efeitos do ambiente.

    03 D

    Analisando as caractersticas das variedades de milho, verifica-se que as plantas das variedades A e B so homo-zigotas, enquanto as plantas da variedade C so heterozi-gotas.

    04 A

    Se o cruzamento de moscas de cor acinzentada permitiu uma prole de moscas de cor preta, podemos deduzir que o carter preto recessivo em relao ao acinzentado, que dominante. Dessa forma, para determinarmos se uma mosca cinza (CC ou Cc) homozigota ou heterozi-gota, devemos realizar um cruzamento-teste e analisar-mos a prole. Portanto, deve-se cruzar com uma mosca de cor preta (cc).

    Atividades para Sala

    07 A

    A partir do texto, pode-se perceber que a manifestao da fenilcetonria est associada a um alelo autossmico, ou seja, no ligado ao sexo e recessivo, que s se mani-festa em homozigose.

    08 B

    AA aaP1:

    G1:

    F1:

    A

    Aa

    aAa AaP2:

    G2:

    F2:

    Aa Aa

    Aa Aa aaAA

    Sendo assim:

    1/4 AA; 1/2 Aa; 1/4 aa.

    09 C

    Em um cruzamento:

    P1: AA aa

    G1: A a

    F1: Aa

    Ocorrendo intercruzamento entre membros de F1:

    P2: Aa Aa

    G2: A a A a

    F2: AA Aa Aa aa

    Portanto, 75% expressam o fentipo determinado pelo alelo dominante, e 25%, pelo alelo recessivo.

    10 C

    Pelo exposto, quando ocorre dominncia completa ou total em um cruzamento experimental de copos-de-leite vermelhos, obtm-se descendentes brancos, sendo estes recessivos (aa). Portanto, de acordo com os dados, a pro-duo genotpica do cruzamento experimental foi 3A - (vermelhos) : 1 aa (branca), sendo, 1AA : 2Aa : 1aa.

    02 B

    A mudana das condies de luminosidade alterou apenas o fentipo do grupo de plantas mantido no escuro. O gen-tipo dos dois grupos de plantas o mesmo, uma vez que pertence a um nico grupo procedente de clonagem.

    03 C

    O cruzamento teste realizado para verificar se um indivduo com fentipo dominante homozigoto ou heterozigoto. Para isso, efetua-se o cruzamento desse indivduo com um duplo recessivo. Se o indivduo com fentipo dominante for homozigoto, toda a prole apresentar fentipo dominante. Se o indivduo for heterozigoto (hbrido), metade da prole ser dominante e metade ser recessiva.

    04 B

    Considerando as informaes contidas no enunciado e o heredograma, conclui-se que os indivduos sero : I-1 dd, I-2 Dd, II-1 Dd, II-2 dd, II-3 Dd, II-5 Dd, III-1 Dd, III-2 dd e III 3-Dd.

    05 C

    Os pais do casal so certamente heterozigotos, uma vez que tiveram, cada um, um descendente albino. Assim, esses des-cendentes permitem sugerir que o casal pode ou no apre-sentar o alelo para o albinismo e, tendo ambos esse alelo, haver 1/4 de chance de ter uma criana com albinismo.

    Atividades Propostas

  • VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    2a Srie Ensino Mdio | 3

    1

    1

    2. 3 4

    5 643

    2.

    2.

    1

    AaI.

    II.

    III.

    aa

    aa

    aa

    aa Aa Aa A_ A_

    A_

    Aa Aa

    Atividades para Sala

    05 A

    A partir da anlise do heredograma, podemos concluir que:

    I. (V) Tanto o indivduo II-4 como o III-2 permite-nos con-cluir que a herana autossmica recessiva.

    II. (F) Os indivduos I-1 e I-3 so heterozigotos. III. (F) Se os indivduos II-5 e II-6 forem heterozigotos,

    haver 25% de probabilidade de os filhotes serem afetados.

    IV. (F) Se os indivduos III-1 (A_) e II-5 (A_) apresentarem gentipo heterozigoto, a probabilidade de que filhotes apresentem o fentipo afetado de 25%.

    06 C

    Como a herana de carter autossmico recessivo e os pais no manifestam, os mesmos so de gentipo hetero-zigoto (Aa).

    Assim:

    P: Aa Aa

    G: A a A a

    F: AA Aa Aa aa

    A probabilidade de o casal ter outro filho, independente do sexo, com a doena de 1/4 ou 25%.

    07 C

    A pessoa 7 , tambm, heterozigota. O gentipo de 4 A_. A pessoa 3 transmitiu o gene recessivo para o indi-vduo 7. A pessoa 5 pode ser heterozigota. 6 e 7 podem gerar descendentes aa, com fentipo normal.

    08 F, V, V, V, F, F

    aa

    1 2.

    3

    aaAa Aa

    Aa

    A

    aa

    E

    1

    5 6

    2.

    aa

    Aa

    A_

    Aaaa

    3

    7

    Aa

    4

    A_

    Assim, o homem do casal 1 heterozigoto; a mulher do casal 3 hbrida; a mulher do casal 1 heterozigoto (Aa); o homem do casal 2 , tambm, homozigoto recessivo, assim como o filho do casal 3.

    09 C

    Durante a formao das clulas reprodutoras ocorre sepa-rao dos cromossomos irmos. Assim, ocorre reduo do nmero de cromossomos presentes nas clulas reproduto-ras em relao s clulas germinativas que originaram tais clulas.

    10 B

    Observando o fentipo do indivduo 8, possvel afirmar que a caracterstica patas longas recessiva, uma vez que os seus pais no manifestam a caracterstica. Sendo assim, o indivduo 6 apresenta o alelo dominante para patas cur-tas, e portador do alelo recessivo, sendo heterozigoto.

    Ao realizarmos o cruzamento do indivduo 6 (Aa) com uma fmea de patas longas (aa), teremos:

    Aa aaA a

    a Aa aa

    a Aa aa

    Resultando em 50% da prole com patas curtas e 50% da prole com patas longas.

    Captulo 3

    Herana autossmica, monognica, penetrncia e expressividade

    01 B

    A heterocromatose hereditria, segundo informaes contidas no texto, possui expressividade fenotpica a partir da presena de um nico alelo mutante, localizado em um cromossomo no sexual. Com isso, temos uma herana autossmica dominante, em que os indivduos afetados podem apresentar gentipo homozigoto ou heterozigoto.

    02 B

    Uma herana autossmica recessiva s apresenta expres-sividade fenotpica quando o indivduo possui o gene alelo em dose dupla (homozigose).

    03 C

    A acondroplasia uma herana autossmica (no sexual) dominante com penetrncia completa.

    Genealogia da famlia:

    aa

    aaAa

  • 4 | 2a Srie Ensino Mdio

    VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    01 A

    Admitindo que a doena neurodegenerativa promove a morte dos afetados pouco mais de 10 meses aps o incio da manifestao dos sintomas, a observao do grfico e a informao de que o casal possui 35 anos indica que os mesmos no possuem o alelo dominante que condiciona a doena.

    Sendo assim,

    P: aa aa

    G: a a

    F: aa

    A probabilidade de um filho do casal expressar a doena de 0%.

    02 A

    O filho no ter a doena, e portanto a anomalia recessiva. A probabilidade de um outro filho do casal apresentar as duas sequncias iguais da me nula. Sempre uma vir da me e a outra do pai (homozigtico certo).

    03 A

    A administrao de insulina em pacientes afetados por certas formas de diabetes permite que eles se coloquem em quadros de normalidade em relao glicemia, ou seja, expressem um fentipo normal, mas no exerce qualquer influncia sobre seus gentipos, e no tem a capacidade de promover qualquer alterao nos genti-pos dos filhos. Assim, diabticos (homozigotos recessivos) transmitiro uma dessas cpias do gene para cada um de seus descendentes; j os indivduos normais, como os heterozigotos, tero 50% de chance de transmitir a forma allica recessiva a cada descendente.

    04 C

    Designa-se atavismo ao aparecimento, em uma dada gerao, de uma caracterstica expressa em antepassados remotos.

    Os indivduos normais apresentam gentipo AA ou Aa. Os indivduos afetados so certamente homozigotos

    recessivos. A pigmentao da pele uma caracterstica autossmica

    recessiva, uma vez que IV - 1 e IV - 2 so normais e tm filhos com fentipos diferentes, o que revela que o albi-nismo determinado por um alelo recessivo (gentipo aa).

    05 F, F, V, V, F, F

    (F) O descendente ser, obrigatoriamente, homozigoto recessivo (aa).

    (F) A probabilidade de gentipo recessivo 100%.(V) O descendente ser normal; portanto, os pais so

    recessivos.(V) A descendncia recessiva.(F) Os descendentes so normais.(F) Em uma prole numerosa, 100% dos indivduos sero

    normais.

    Levando em considerao que o homem possui acondro-plasia, a probabilidade seria:

    P: Aa aa

    G: A a a 1/2 ou 50%

    F: Aa aa

    04 B

    aa

    aaAa

    P: Aa aa

    G: A a a

    F1: Aa aa

    1/2 ou 50%

    Como o alelo que condiciona a expressividade do gene possui penetrncia de 60%, conclumos que:

    60% 50% = 30% das crianas oriundas desse casamento expressam o fentipo.

    05 D

    aa

    aa

    Aa

    Aa

    AaAa

    Aa12.11

    ?

    9.

    432.1

    8765

    A_

    A_

    A_

    A_

    aa

    Calculando a probabilidade de o indivduo II ser heterozi-goto:

    P: Aa Aa

    G: A a A a

    F1: AA Aa Aa aa

    2/3

    Se ele (indivduo II) for heterozigoto:

    P: Aa Aa

    G: A a A a

    F1: AA Aa Aa aa

    1/4

    Atividades Propostas

    Assim, a probabilidade de o indivduo II ser heterozigoto (2./3)

    A probabilidade de o casal ter filho afetado (1/4) =

    =23

    14

    212

    16

    = =

    10

  • VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    2a Srie Ensino Mdio | 5

    Captulo 4

    Herana intermediria, codominncia, alelos letais, pleiotropia e alelos mltiplos

    01 D

    Nos casos de codominncia, os alelos no tm relao de dominncia e recessividade entre si. Os heterozigotos apre-sentam dois fentipos simultaneamente; no caso, indivduos com atividade parcial da lactase. Pelo exposto, essa distribui-o caracterstica de um padro de herana codominante.

    02 B

    O cruzamento entre indivduos heterozigotos resultar em 1/4 de chance de ter uma criana com anemia falciforme. Assim, para duas crianas, a probabilidade ser 1/4 1/4 = 1/16 ou 6,25%.

    03 B

    As informaes afirmam que aves heterozigticas so an-malas. Portanto, um carter dominante.

    Do cruzamento entre aves heterozigticas anmalas, tere-mos:

    P: Aa Aa

    G: A a A a

    F1: AA Aa Aa aa+

    Para haver proporo de 2 : 1 de aves anmalas e normais, respectivamente, o alelo A tem de possuir letalidade em homozigose.

    04 E

    Como a caracterstica verde condicionada pelos alelos dominantes, os portadores desse alelo iro manifestar, obri-gatoriamente, a caracterstica. Portanto, ao eliminar a carac-terstica, tambm elimina-se o alelo.

    05 B

    Temos uma srie allica de 5 genes, determinando 5 diferen-tes cores de olhos, cuja relao de dominncia :

    m > p > n > c > a

    marrom > prola > neve > creme > amarelo

    Isso significa que h 15 diferentes gentipos possveis entre as fmeas e 5 entre os machos.

    Aa Aa

    aa aaA_

    Joo

    07 D

    O esquema publicado revela que a fibrose cstica uma doena autossmica recessiva, a qual uma anormali-dade nas secrees excrinas, incluindo enzimas pancre-ticas e duodenais, cloretos na transpirao e secrees brnquicas, tornando os pacientes suscetveis pneumo-nia. Os homens podem ser infrteis devido degenera-o dos tbulos seminferos, e poucas mulheres chegam a se reproduzir. Dificilmente os pacientes vivem mais de vinte anos. O indivduo 8 heterozigoto.

    08 A

    A caracterstica recessiva autossmica. Portanto, afeta-dos possuem genitores normais, no afetados.

    09 D

    I.

    II.

    Neste caso, podemos afirmar que a doena de Hunting-ton autossmica dominante com expressividade nos indivduos homozigticos e heterozigticos para o alelo (AA ou Aa).

    Os indivduos I-1, II-1 e II-4 so heterozigticos.

    10 C

    Sendo o retinoblastoma condicionado por um crater dominante, possvel determinar que o indivduo 12 apresenta um de seus alelos dominantes e que o seu alelo complementar recessivo, j que o seu pai (8) normal,

    Aa

    Aa

    1 2. 3 4

    2.1

    aa

    aa

    aa Aa

    06 C

    Calculando a probabilidade de Joo ser heterozigoto:

    P: Aa Aa

    G: A a A a

    F1: AA Aa Aa aa2/3

    Sendo Joo heterozigoto,

    P: Aa aa

    G: A a a

    F1: Aa aa1/2

    Assim, a proba-bilidade A de

    Joo ser hetero-zigoto (2./3)

    A probabilidade de o casal ter criana albina

    (1/2.)

    A probabili-dade de ser menina (1/2.)

    =

    16

    A a

    a Aa aa

    a Aa aa

    50% afetados (Aa)50% normais (aa)

    e essa caracterstica s se manifesta em homozigose. Portanto, o indivduo 12 heterozigoto (Aa). Do cruza-mento do indivduo 12(Aa) com uma mulher normal (aa), temos como resultado:

    Atividades para Sala

  • 6 | 2a Srie Ensino Mdio

    VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    01 B

    Em boca-de-leo, a combinao dos genes alelos diferen-tes produz um fentipo intermedirio. Portanto, trata-se de uma herana autossmica com ausncia de dominn-cia, ou, ainda, de dominncia incompleta ou parcial.

    02 D

    A colorao das ptalas dessa espcie um exemplo de herana intermediria. Assim, o cruzamento entre plantas heterozigotas resultar em descendentes com proporo fenotpica e genotpica de 1 : 2 : 1 e 1 : 2 : 1.

    03 V, F, V, V, V

    Na planta boca-de-leo, as cores das flores resultam de uma herana intermediria ou dominncia incompleta, em que:

    FVFV flores vermelhas

    FVFB flores rosas

    FBFB flores brancas

    Do cruzamento:

    P1: FVFV FBFB

    G1: FV FB

    F1: FVFB

    (flores rosas)

    100%

    Havendo autofecundao das plantas da gerao F1:

    P2: FVFB FVFB

    G2: FV FB FV FB

    F2: FVFV FVFB FVFB FBFB

    1 flores vermelhas; 2 flores rosas; 1 flores brancas

    1 : 2 : 1

    04 B

    Ocorrem 3 classes fenotpicas flores brancas, rosas e ver-melhas. O carter cor da flor determinado por um par de genes que mantm entre si uma relao de ausncia de dominncia. Simbolizando os genes, teremos:

    Gene B Expressa flores brancas. Gene B Expressa flores vermelhas.

    Gentipos Fentipos

    B B Flores brancas

    B B Flores rosas

    B B Flores vermelhas

    mm Pp nn cc aa

    mp Pn nc ca

    mn Pc na

    mc pa

    ma

    olhos olhos olhos olhos olhosmarrons prola neve creme amarelos

    Atividades Propostas

    Valria fez autofecundao de flores rosas (BB BB). Como cada aparelho reprodutor produzir os gametas B e B com a probabilidade de 50% para cada um, as com-binaes formadas sero:

    Gentipos Fentipos

    25% B B Flores brancas

    50% B B Flores rosas

    25% B B Flores vermelhas

    05 A

    I. Na planta boca-de-leo, os indivduos heterozigticos expressam um terceiro fentipo (flores rosas) caracte-rizado por padro fenotpico intermedirio entre os homozigticos. Temos, portanto, uma dominncia incompleta ou herana intermediria.

    II. Na determinao da tipagem sangunea, os indivduos de gentipo IA IB apresentam em suas hemcias, as protenas sintetizadas pela expressividade dos dois alelos, portanto, um exemplo de codominncia.

    III. A pubescncia em caules de plantas de soja revela um quadro de expressividade de trs alelos, portanto, polialelia ou alelos mltiplos.

    06 A

    Os diferentes alelos (verses) de um nico gene so oriun-dos de mutaes e cada um representa a propriedade de expressar uma caracterstica fenotpica. Em cada indiv-duo, independente de quantas verses allicas possua um gene, o nmero mximo de alelos representados de 2 alelos, um em cada locus de cromossomo homlogo.

    07 C

    Considerando que apenas 80% dos vulos produzidos foram fecundados, tem-se uma descendncia de 1000 indivduos.

    Sendo a rainha portadora de olhos marrons, heterozig-tica para prola, seu gentipo ser a1a2.

    Tendo sido os vulos da rainha fecundados em igual pro-poro por gametas masculinos a1, a2, a3, a4 e a, tem-se:

    Gameta da rainha Gametas masculinos

    a1

    a1a2.a3a4a

    Como o alelo a1 dominante sobre todos os demais, os descedentes sero marrons.Gameta da rainha Gametas masculinos

    a2.

    a1a2.a3a4a5

    Desse cruzamento, 10% sero marrons e os outros 40% sero prola (j que este alelo dominante sobre os demais).

    Considerando os dois cruzamentos, o resultado ser:

    60% marrom 600 indivduos

    40% prola 400 indivduos

  • VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    2a Srie Ensino Mdio | 7

    08 C

    O cruzamento entre indivduos AB resulta em uma prole composta por indivduos A, AB e B na proporo, respectivamente, de 1 : 2 : 1. Assim, 50% ser AB.

    09 C

    Como o alelo letal em homozigose, do cruzamento entre animais heterozigotos resultar uma prole vivel, composta por 66,7% de animais manx e 33,3% de animais normais.

    10 D

    A descrio revela a concluso do geneticista Cuenot, que estudou a herana da cor da pelagem em ratos e veri-ficou que todos os ratos amarelos eram heterozigotos, os selvagens acinzentados eram homozigticos recessivos e que no havia ratos amarelos homozigticos.

    Amarelos Cinzas P: Aa aa

    | | |

    G: A a a

    F: Aa aa

    amarelos cinza

    Assim, a partir de 40 zigotos, originados do cruzamento de machos amarelos e fmeas cinzas, o nmero esperado de fmeas amarelas adultas 20, ou seja, 50%.

    Captulo 5 Gentica do sangue e eritroblastose fetalAtividades para Sala

    01 C

    De acordo com o sistema ABO, h 4 fentipos (A, B, AB e O) e 6 gentipos (AA, Ai, BB, Bi, AB e ii). O cruzamento entre indivduos AB resulta em uma prole composta de 1/4 AA, 1/2 AB e 1/4 BB. Nas transfuses sanguneas, so considerados os antgenos presentes na superfcie do glbulo vermelho e os anticorpos existentes no soro de indivduos A e B, os quais no podem doar sangue mutuamente.

    02 D

    O indivduo II-1 Bi, enquanto o indivduo II-2 Ai . Assim, desse cruzamento, h 25% ou 1/4 de chance de nascer um descendente do grupo O.

    03 A

    A tcnica descrita na gesto corresponde possibilidade do uso de enzimas como ferramenta para promover a remoo dos aglutinognios A e B da membrana das hemcias dos indivduos tipo A, B ou AB, tornando-os fenotipicamente O. Com isso, uma pessoa tipo O poderia receber sangue de qualquer outro grupo sanguneo.

    04 E

    O indivduos do grupo AB possuem ambos aglutinog-nios e no possuem aglutinina. Os indivduos do grupo A

    possuem aglutinognio A e aglutinina anti-B; os do grupo B possuem aglutinognio B e aglutinina anti-A; e os indi-vduos O possuem somente as aglutininas. Assim, deve haver compatibilidade entre doador e receptor.

    05 C

    Na eritroblastose fetal, os anticorpos anti-D da me pas-sam pela placenta e promovem lise dos eritrcitos ou gl-bulos vermelhos da criana.

    Atividades Propostas

    01 V, V, F, V, V, F, V

    A eritroblastose fetal ocorre quando uma mulher Rh tem um filho com um homem Rh+, havendo duas possibilida-des:

    rr

    100% Rh+

    Rh Rh+

    RR

    Rr

    rr

    50% Rh+ 50% Rh

    Rh Rh+

    Rr

    Rr rr

    Quando gera filhos Rh+, ocorrem rupturas da placenta e as hemcias da criana (Rh+) passam para a circulao materna, o que estimula a me (Rh) a produzir anticorpos anti-Rh, que promovem hemlise nos fetos seguintes, desde que tambm sejam Rh+.

    02 A

    Sendo Holmes AB, este possui gentipo IA IB; e, como Mirian Anderson do grupo sanguneo O, portanto, portadora do gentipo II, no poderia ter herdado o gene I de origem paterna, entendendo que o tipo sanguneo dos pais era incompatvel com o dela.

    03 B

    A caracterstica falso O est relacionada aos alelos h. Sendo o casal heterozigoto, o resultado do cruzamento ser de 75% de indivduos com fentipo normal e 25% de fentipo falso O.

    Hh Hh

    H h

    H HH Hh

    h Hh hh

    04 A

    Um indivduo com sangue A possui nas hemcias o aglu-tinognio A e ocorrer aglutinao no soro anti-A. Indi-vduos A podero receber sangue do tipo A e O. O indi-vduo II no aglutinou em nenhuma das extremidades; ento, as hemcias no possuem os aglutinognios e o sangue do tipo O. O indivduo I aglutinou no soro anti--A; portanto, possui aglutinognio A (sangue A).

    05 E

    De acordo com os dados laboratoriais, por hemaglutina-o, Joana pertence ao tipo sanguneo B; portanto, pode ser homozigota IB IB, uma vez que Jorge tem gentipo IA IB e Jlia IA IB.

  • 8 | 2a Srie Ensino Mdio

    VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    01 D

    O padro de determinao sexual da espcie seme-lhante ao das aves, cujos machos so homogamticos, pois apresentam dois cromossomos sexuais Z, enquanto as fmeas so heterogamticas, pois apresentam em clulas diploides dois cromossomos sexuais distintos, um Z e um W.

    02 D

    As meninas filhas do homem afetado da primeira gerao receberam o alelo recessivo via cromossomo X e passa-ram para seus filhos (meninos), e a filha heterozigota para um dos netos.

    03 D

    A mulher ter gentipo XDXd, e o homem, XDY. Assim, todas as filhas sero normais XDXD ou XDXd.

    04 E

    A caracterstica gentica cor do olho da mosca-do-vinagre determinada por um gene ligado ao sexo, em que o alelo para olho vermelho dominante sobre o branco, uma vez que, quando se cruza fmeas de olhos brancos com machos de olhos vermelhos, a descendncia 100% de fmeas de olhos vermelhos; portanto, estas herdam o cromossomo X de origem paterna.

    05 B

    Por meio da anlise da rvore genealgica, conclumos que o indivduo III-1 apresenta gentipo XhY. Como a hemofilia condicionada por gene recessivo e os pais so normais, o indivduo III-1 herdou o gene para a hemofilia de sua me, que homogamtica e heterozigtica para a coagulao sangunea, sendo XH Xh.

    Captulo 6 Herana doscromossomos sexuais

    01 D

    Como os machos so portadores de apenas um cromos-somo X, formaro dois tipos de gametas, um com um cro-mossomo X e outro sem. Assim, os machos so heterogam-ticos. As fmeas apresentam cromossomos XX, produzindo gametas com um cromossomo X.

    02 E

    O corpsculo de Barr representa a cromatina sexual, ou seja, um dos cromossomos X que permanece conden-sado na interfase.

    06 D

    Considerando apenas o sistema ABO, Carlos pode receber apenas sangue O, portanto 10 litros. Roberto receptor universal; portanto, esto disponveis 21 litros, e para Mar-cos (sangue A) esto disponveis 16 litros de sangue.

    07 C

    A mulher com tero infantil que apresenta gentipo RR casa-se com um homem rr; portanto, o zigoto formado por esse casal Rr (Rh+). Como a me de aluguel teve um terceiro filho Rh+, ela foi sensibilizada e passou a produzir anticorpos anti-Rh, sendo, assim, alta a probabilidade de que o beb de proveta tenha DHRN (doena hemo-ltica), j que este , certamente, Rh+.

    08 A

    Indivduos com gentipo IAi, heterozigotos, podem ter descendentes doadores universais. Os descendentes de um casal IAIB (fentipo B) podem ser IAIA (fentipo A) e IBIBm (fentipo B). Indivduos do grupo O (zero) no apre-sentam aglutingenos A e B na membrana de hemcias e contm aglutininas anti-A e anti-B no plasma. Os indiv-duos de grupo B (IBIB ou IBi) apresentam na membrana de suas hemcias aglutingeno B e aglutinina anti-A.

    09 E

    O indivduos do grupo AB possuem ambos aglutinog-nios e no possuem aglutinina. Os indivduos do grupo A possuem aglutinognio A e aglutinina anti-B; os do grupo B possuem aglutinognio B e aglutinina anti-A; e os indi-vduos O possuem somente as aglutininas. Assim, deve haver compatibilidade entre doador e receptor.

    10 C

    Para que o casal tenha filhos com eritroblastose fetal, necessrio que os pais tenham o seguinte gentipo: me negativo e pai positivo.

    Como o fator negativo recessivo, conclui-se que a me homozigota (rr) e o pai heterozigoto (Rr), j que o seu terceiro filho no foi afetado. Assim:

    Rr rr

    R r

    r Rr rr

    r Rr rr

    50% dos filhos Rh+, portanto, afetados e 50% dos filhos Rh.

    03 D

    XDY

    XDY XdY XdY XdY XdYd XDYd XdYXD_ XD_

    XDXd XdY

    A observao do heredograma permite-nos concluir que a mulher I-2 obrigatoriamente heterozigota.

    04 A

    Quando os genes se encontram na regio no homloga do cromossomo X, apresentam um tipo de herana deno-minada herana ligada ao sexo ou herana ligada ao X, como no caso da distrofia muscular de Duchene.

    05 C O cromossomo Y corresponde a um padro de transmis-

    so exclusiva do pai para os filhos do sexo masculino. Se o indivduo possui 30% a mais de heterocromatina na regio distal de seu cromossomo Y, se seu irmo no possuir o mesmo aspecto genotpico, provvel que sejam filhos de pais diferentes.

    Atividades Propostas

    Atividades para Sala

  • VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    2a Srie Ensino Mdio | 9

    06 D

    Observando o heredograma da famlia II, possvel que o alelo que determina esta caracterstica seja dominante, manifestando-se em mulheres homozigotas e heterozigo-tas.

    07 E

    P: XH Xh XhY

    G: XH Xh XhY

    F: XH Xh XhY Xh Xh XhY

    Mulheres hemoflicas apresentam pais hemoflicos e mes heterozigticas para a coagulao sangunea.

    08 B

    Os genes holndricos encontram-se localizados na regio do cromossomo Y, o qual no possui homologia com o X, sendo transmitidos, portanto, apenas dos pais para filhos homens.

    09 D

    Como a mutao afetou o gene SRY, o indivduo ser cromossomicamente do sexo masculino XY, mas o fen-tipo ser feminino.

    10 E

    Camundongos apresentam o sistema XY, no qual o sexo dos descendentes determinado pelo gameta mascu-lino; portanto, heterogamtico. O cruzamento indi-cado pode ser representado pelo diagrama a seguir:

    P: XNY XnXn

    | |

    G: XNY Xn

    F: XNXn XnY

    Captulo 7

    Lei da Segregao Independente e interao gnica

    Atividades para Sala pg. 102

    01 A

    Um indivduo triplo-heterozigoto ir produzir oito diferen-tes tipos de gametas, pois, se ele for AaBbCc, ir formar os seguintes gametas: ABC, ABc, aBC, AbC, Abc, abC e abc.

    02 E Do cruzamento entre VvRr, teremos:

    4/16dedescendentesVvRr; sehouver320descendentes,espera-seque9/16seja

    V_R_, ou seja, 180; as plantas puras dominantes representaro 1/16 da

    prole;

    P1: Aa aa

    G1: A a a 1/2 ou 50%

    F1: Aa aa

    P2: Cc cc

    G2: C c c 1/2 ou 50%

    F2: Cc cc

    P3: ff ff

    G3: f f 100%

    F3: ff

    as plantas duplo-recessivas representaro 1/16 dosdescendentes.

    03 C

    O cruzamento de uma planta duplo-heterozigota AaBb com uma duplo-recessiva aabb resultar descendentes AaBb, Aabb, aaBb e aabb.

    04 C

    O indivduo tem gentipo AaBbDD. Assim, h 2n game-tas distintos 22 = 4 e 3n de gentipos diferentes que ser 32=9.

    05 B

    ANA

    aaccF_ A_C_ff

    Aa Cc ff aaccff

    A_ olhos amendoados aa olhos arredondados C_ clios compridos cc clios curtos F_ ausncia do furinho ff presena do furinho

    Atividades Propostas pg. 103

    01 B

    A figura revela a formao de 4 produtos celulares haploi-des; portanto, meiose em um di-hbrido, no qual ocorre formao de gametas com segregao dos alelos de um gene para determinada caracterstica, sendo esta segregao independente, o que revela o enunciado da Segunda Lei de Mendel.

    = 1/4 ou 2.5%Probabilidade

    dos olhos arredondados

    (1/2.)

    Probabilidade de clios

    compridos (1/2.)

    Probabilidade de furinho no queixo

    (1)

  • 10 | 2a Srie Ensino Mdio

    VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    01 D

    O fenmeno descrito denomina-se interao gnica. Nesse fenmeno, dois ou mais pares de genes, localiza-dos em cromossomos diferentes ou no mesmo cromos-somo, atuam na determinao de uma caracterstica feno-tpica.

    02 B

    Como a surdez hereditria determinada pela ausncia de um de dois genes designados A e B, os indivduos normais devem apresentar gentipo A_B_. Como os genitores so surdos, os filhos normais devem apresentar gentipo AaBb.

    03 B

    Se o casal apresentar gentipo K1K2M1M2, haver possibi-lidade de nascerem filhotes K2K2M2M2, portanto, de olhos azuis e surdos.

    04 D

    Do cruzamento de plantas AaBb,haver9/16A_B_ (bulbo branco), 3/16 A_bb (bulbo branco), 3/16 aaB_ (bulbo verme-lho) e 1/16 aabb (bulbo amarelo). Assim, a maioria dos des-cendentes apresentaro bulbos brancos.

    05 A

    H uma forma de epistasia em que o alelo A (dominante) inibe a manifestao de outro par de alelos B/b situados em cromossomos diferentes ou no mesmo cromossomo. Assim, somente quando em homozigose (aa), os alelos B e b sero capazes de manifestar seus respectivos fentipos. Na epis-tasia dominante, a proporo fenotpica para o cruzamento entre duplo heterozigotos ser de 12 : 3 : 1.

    02 C

    Como o indivduo apresenta gentipo aaBbCcDd, haver 2n de gametas diferentes, ou seja, 23 = 8.

    03 D

    Do cruzamento de um macho preto uniforme com fmeas geneticamente e fenotipicamente iguais a ele, resultou uma prole malhada de vermelho, duplo recessiva. Por-tanto, o casal di-hbrido e a proporo fenotpica

    9 : 3 : 3 : 1. Assim, fenotipicamente idnticos aos pais,temos95=45.

    04 A

    Do cruzamento entre indivduos AaBb, haver 1/4 de chance de nascer indivduos duplo-heterozigotos e, por-tanto, de uma prole composta por 320 descendentes, espera-se que 80 sejam AaBb.

    05 E

    Maria di-hbrida (AaPp) e produzir 4 tipos diferentes de gametas: AP, Ap, aP e ap com 25% de chance para cada um.

    06 B

    A gerao F1 apresenta gentipos tri-hbridos SusuYyBrBr, produzindo 2n ou 23 = 8 tipos diferentes de gametas e pro-porofenotpica27:9:9:3:3:1,indicandoqueaSegundaLei de Mendel tambm vlida para mais de dois pares de alelos.

    07 B

    Do cruzamento entre indivduos AaBb, haver 1/16 de chance de nascer indivduos aabb.

    08 C

    O cruzamento de plantas di-hbridas produz descendn-ciacomaproporofenotpicaaproximadade9:3:3:1. Como sementes brancas so recessivas, temos 1/16 no lote I e 1 no lote II de no portadoras do gene transg-nico, que lhe confere resistncia s pragas.

    09 B

    I. Indivduos I_bb so normais, e, de um eventual cru-zamento entre indivduos iiBb, haver 66,6% de chan-ces de nascer criana afetada por braquidactilia, pois embries BB no completam o desenvolvimento embrionrio.

    II. Do cruzamento entre IiBb haver 1/4 de chance de nascer com idiotia e 2/3 com braquidactilia e, por-tanto, 2/12 ou 1/6 de chance de nascer com as duas alteraes.

    III. No cruzamento entre indivduos IiBb, os iiBB no se desenvolvem, pois BB letal em homozigose.

    10 C

    corpo bano e

    cor

    corpo cinza E

    123

    Atividades para Sala pg. 116

    vestigial v

    asa

    normal V

    123

    gentipo parental

    Vv Ee

    VvEe VvEe

    VE Ve vE ve

    VE VVEE VVEe VvEE VvEe

    Ve VVEe VVee VvEe Vvee

    vE VvEE VvEe vvEE vvEe

    ve VvEe Vvee vvEe vvee

    f (VvEe) = 14

    256 = 64416

    =

  • VOLUME 1 | BIOLOGIA 1

    2a Srie Ensino Mdio | 11

    01 D

    Situaes em que um carter determinado por dois ou mais genes denominam-se interao gnica, ou, ainda, situaes em que esto envolvidos dois pares de genes e uma nica caracterstica biolgica.

    02 B

    O macho apresenta gentipo eeBb, enquanto a fmea mar-rom apresenta gentipo Eebb e a fmea preta EeBb, pois surgiram descendentes com todos os fentipos. O macho produz gametas eB e eb.

    03 C

    O fentipo vermelho nos porquinhos determinado pela presena genotpica de alelos dominantes para os dois loci. Assim, o nico gentipo que no expressaria o fentipo ver-melho seria Aabb.

    04 A

    Do cruzamento entre PpCc,haver9/16P_C_ colorido, 3/16 P_cc, 3/16 ppC_ e 1/16 ppcc, sendo que sero 7/16 brancos.

    Atividades Propostas pg. 117

    05 D

    A cor da pelagem de cavalos exemplo de epistasia dominante; dessa forma, o cruzamento de dois di-hbridos gera uma proporo fenotpica esperada de 12 brancos: 3 pretos: 1 marrom. Portanto, a resposta correta a letra d, em que cada um dos genitores produz quatro tipos de gametas (BW, Bw, bW e bw), gerando 16 combinaes genotpicas de 4 diferentes classes (B_ W, B_ ww, bbW_ e bbww), que determinaro 3 diferentes classes fenotpicas na proporo 12 : 3 : 1.

    06 E

    Os diferentes efeitos determinantes para genes so:

    C

    c

    I i

    colorida

    branca

    inibe a produo de cor

    permite a expresso de cor

    Estamos, portanto, perante um caso de epistasia domi-nante, uma vez que a presena de um nico gene epist-tico suficiente para bloquear a ao de outros genes.

    07 E

    Quando o alelo B est presente no gentipo, o fentipo cebolas brancas, uma vez que esse alelo dominante inibe a ao dos alelos de outro par.

    Portanto, o alelo B episttico, enquanto o C e o c so hipostticos.

    P: BBcc BBcc

    G: Bc Bc

    F: BBcc

    08 E

    Segundo os dados do enunciado, tem-se:

    Dourado:eeB_ ou eebb Preto:E_ B_ Marrom:E_bb

    Os gentipos dos animais que participaram do cruza-mento so: macho (eeBb) e fmea (Eebb). Em relao sua descendncia, surgiram filhotes pretos (EeBb); mar-rons (Eebb) e dourados (eeBb e/ou eebb). Trata-se de um caso de epistasia recessiva.

    09 C

    preta A

    Cor

    marrom a123

    Produo

    de pigmento

    123

    B episttico / branco

    b no episttico / preto ou marrom

    Aabb

    animalpreto

    AaBb

    mebranca

    123 123

    x

    AB Ab aB ab

    Ab AABb AAbb AaBb Aabb

    ab AaBb Aabb aaBb aabb

    Fentipo branco:

    B

    f(branco): 12

    16 = 848

    =

    10 C

    A interao entre genes no alelos denominada intera-o gnica.