BALANO 2011 - resumido

  • Published on
    20-Jul-2015

  • View
    792

  • Download
    0

Transcript

Provncia Nordeste Regio Cear II - Setor AA reunio de balano um momento de partilha e entre ajuda que a equipe deve viver em clima de orao, verdade e comunho REUNIO DE BALANO/2011 Equipe 36/Nossa Senhora da Sade Data: 23/11/2011, s 20h Casal Responsvel: Silvia e Beto Morel Casal Anfitrio: Silvia e Beto Morel Casal Animador: Marta e Edsio Casal Avaliador: Marta e Edsio Conselheiro Espiritual: Pe. Arcanjo

1.Acolhida 2.Ruptura historinha e msica (no devemos comparar, no devemos julgar, pois cadamomento nico e cada situao especfica. Deixemos que o Esprito Santo nos guie em nossas aes)

3. Orao ao Esprito Santo das ENS 4. Significado da Reunio de Balano (PARA REFLEXO E INSPIRAO)Todos os anos, no ms de novembro, as equipes realizam a sua reunio de balano. Ela proporciona a todos os componentes da equipe a oportunidade de refletir e dar sua opinio, abertamente e com esprito cristo, sobre a situao da equipe (sua caminhada, seus progressos ao longo do ano que termina) e preparar o ano seguinte. No se pode esquecer que o mais importante buscar a vontade de Deus para o casal e para a equipe, e discernir seu apelo para viver, mais autenticamente, o amor caridade, que a alma de toda a comunidade crist. No faamos da reunio de balano um balano contbil, em que basta somar e diminuir os dados colhidos e fazer uma demonstrao de projeo para o futuro. Balano voltar pelo caminho feito e rever os passos dados: como pessoa, como casal e como equipe. Sem medo, coloquemos lado a lado a nossa vida e as exigncias das Equipes de Nossa Senhora, assumidos livremente. O balano ser ocasio para nos conhecermos melhor como pessoa, como esposo/esposa, como casal equipista. Poderemos nos perguntar: Estamos plantando a semente da vinha do Senhor? Estamos dando a oportunidade para que a nossa equipe seja solo frtil? Conseguimos, neste ano, alcanar um crescimento conjugal e familiar? Nossa equipe progrediu neste ano como comunidade de ajuda mtua no caminho da santidade?

O Padre Caffarel desde o incio deixou bem claro: As Equipes de Nossa Senhora existem para aqueles que querem buscar a santidade. No h balano sem conscincia clara desta meta, sem a convico do compromisso assumido e sem um reconhecimento do valor e da eficcia dos instrumentos e pedagogia colocados pelo Movimento ao nosso servio. Deus quem nos chama santidade e este mesmo Deus nos ama com um amor de infinita misericrdia. Ele conhece a nossa fragilidade e as dificuldades que temos em levar a cabo o que ns prprios decidimos fazer. Alegremo-nos com as conquistas que Deus nos permitiu e, ao mesmo tempo, retomemos corajosamente os esforos em direo aos objetivos ainda no plenamente alcanados, confiantes que Deus sempre estar conosco. Preparemo-nos para a nossa reunio de balano de 2011 com humildade, responsabilidade e corao aberto, com a certeza de que Jesus est no centro a nos escutar. O SALDO DO NOSSO BALANO SER POSITIVO SE A PRIORIDADE FOR DEUS! (CM n 458, p.34-35) OS ITENS ABAIXO FORAM REPASSADOS PELO SETOR, A FIM DE ORIENTAR O BALANCO DAS EQUIPES.

5. O Dever de Sentar-se da Equipe sugerido pelo Movimento que sejam levados em conta os seguintes questionamentos, considerando se o casal foi ou no testemunho exemplar do esforo feito em sua caminhada conjugal, do sentimento de pertena (quanto sua efetiva participao nos eventos) e do seu SIM ao chamado para uma misso (os pontos abaixo primeiramente so avaliados em casal e, num segundo momento, em equipe): a) Reunio formal da Equipe de base; b) Reunio informal da Equipe de base; c) Formao oferecida pelo Movimento; d) Retiro anual; e) Confraternizao e Celebrao do Movimento (festas tradicionais); f) Interequipes; g) Missa Mensal; h) Noite de orao; i) j) Jantar do Sacerdote Conselheiro Espiritual; Colaborao nas solicitaes para organizar evento do Movimento (Retiro, Missa Mensal, Interequipes, etc.); k) Debates e, sobretudo, a vivncia do Tema de Estudo do ano; l) Exame da forma como as diferentes partes da reunio mensal foram vivenciadas e elaborao de estratgias para aperfeio-las; m) O casal faz tambm uma avaliao de si quanto aos seguintes aspectos: - Estou indo s reunies de equipe pela amizade que encontro no meio de meus amigos equipistas ou estou buscando o encontro com o Cristo no meio de irmos equipistas? - Como casal animador, o meu desempenho comparou-se ao que eu desejaria que outro casal tivesse executado?

- Como CRE, qual o desempenho do meu papel de animador? Considerei a importncia de minha funo como responsvel tambm pela Unidade dentro do Movimento? - Colaborei para o bom desempenho do papel do CRE? Ou fui uma pedra no caminho? - Aceitaria ou recusaria convite para ser Coordenador de Exp. Comunitria, Casal Piloto, CRE, CL, CRS, etc. o) Como pessoa: - Soube ser suporte para os meus irmos de equipe? Exerci a correo fraterna? E o auxlio mtuo? - No meu papel de cnjuge, o que deveria ter feito que no fiz? - No meu papel de cnjuge, o que fiz que no deveria ter feito? - Busco a santificao do meu cnjuge? Acho isso possvel? - Como vejo a necessidade de vivenciar os PCE?

6. O que deve ser respondido para o Setor Pergunta da Super-RegioVamos, sozinhos, para algum lugar deserto para que vocs descansem um pouco O Retiro uma oportunidade diferenciada para os casais fazerem uma experincia com Deus em suas vidas. Por isso, as ENS propem aos casais: Colocar-se cada ano diante do Senhor para rever e plenificar a sua vida durante um retiro de pelo menos 48 horas, vivido, se possvel, em casal (Guia das ENS p.77- edio 2010). O que d qualidade aos retiros o empenho do casal em viver um momento de espiritualidade para seu crescimento na F, Esperana e Caridade. O nmero de dias, de horas, o silncio, as acomodaes, o pregador, so meios. Pedimos a sua participao respondendo s perguntas abaixo: 1 - Como tm sido realizados os retiros de seu Setor/Regio? R - Tm sido satisfatrios, porm se percebe que no h, por parte dos Equipistas, uma crist e ansiosa espera por esse PCE. Geralmente no ocorre o devido agendamento do perodo mais adequado para o casal, e por esse motivo muitos deixam de ir. O segundo semestre sempre mais atribulado, o que dificulta ainda mais a ida dos casais que deixam para aquele perodo. Sugere-se que o segundo retiro do ano seja em agosto ou setembro, ficando para o ms de novembro um terceiro retiro, caso conveniente e necessrio, para todos aqueles que ainda no puderam viver esse momento de espiritualidade para seu crescimento na F, Esperana e Caridade (como se fosse a ltima chance). Existem ainda diversos fatores que devem ser levados em conta para justificar a no participao de vrios casais nos retiros oferecidos: situao financeira do casal e constrangimento em solicitar gratuidade, trabalho com viagens, cursos de final de semana, local de realizao do retiro, e a dinmica de alguns pregadores que no motivam a espiritualidade. 2 - Com base no texto acima, em especial nos itens em negrito, como voc, casal, sugeriria que os retiros fossem realizados?

R O nmero de dias, horas, acomodaes e pregadores so adequados, porm os temas dos retiros poderiam ser melhor divulgados, bem como os nomes dos respectivos pregadores, a fim de que houvesse, com bastante antecedncia, a publicidade necessria para o evento junto s equipes de base.

Pergunta da RegioPerguntado sobre o que fazer para herdar a vida eterna, Jesus respondeu: Amars o teu Senhor teu Deus com todo o teu corao, com todas as tuas foras e com todo o teu entendimento (LC 10,27) A Formao, que aprimora o entendimento, uma forma de poder amar(servir) ao prximo com competncia, isto , de maneira adequada e responsvel e, assim, amar a Deus. , portanto, dever do Cristo ser competente em tudo o que faz. 1- As ENS escolheram como uma prioridade ser um Movimento de Formao. De que modo, na prtica, o tema de estudo do ano foi instrumento para despertar em voc o Sentimento do Dever de Competncia? R Temos plena certeza de que todos os temas de estudo tm promovido uma constante formao para o casal e para a equipe como um todo, inclusive resgatando em ns valores esquecidos/adormecidos, e nos estimulando a participar mais e melhor das atividades do Movimento.

Perguntas do Setor1 - Tenho contribudo como pessoa e como casal para enriquecer a Reunio da minha equipe de base? Como? R A maioria da equipe, sim. Essa contribuio tem acontecido na medida em que quase todos se preparam adequadamente para a reunio formal, principalmente na vivncia dos PCEs, tornando a partilha rica e verdadeira. Ocorre tambm quando cada casal assume seu papel de casal animador do ms com entusiasmo e alegria, e com o firme propsito de ver a equipe cada vez mais voltada para seu crescimento espiritual. 2 - Temos participado dos momentos de formao, orao e celebrao que o Movimento proporcionou por todo o ano? E esses momentos, assim como a Reunio de Equipe, contriburam para aumentar nosso sentimento de pertena, de Igreja domstica e crescimento da Espiritualidade Conjugal? R Com relao participao nos momentos de formao, orao e celebrao que o Movimento proporcionou por todo o ano podemos considerar que a equipe foi regular, pois uns participaram ativamente, enquanto outros, no. Todos concordam que ao participarmos desses momentos, alm do crescimento espiritual, ocorre o relacionamento interpessoal, e nosso comprometimento com os demais casais amadurece e se aprofunda, levando-nos a uma vida crist mais intensa e verdadeira como membros de um s corpo CRISTO JESUS.

7. Lembretes Trazer o alimento, conforme abaixo (tabela entregue no incio do ano): - Doce: Marta e Edsio, Silvia e Beto - Salgado: Cristina e Cludio, Virgnia e Humberto, Zulena e Silvany - Refrigerante/suco/caf: Cristina e Marcondes, Mnica e Lcio O MENS est solicitando uma contribuio aos equipistas a fim de ajudar no custeio do Encontro Internacional, pois esto com problemas de caixa. No foi determinado valor. Cada casal ajuda como puder e quiser. Assim, solicitamos que cada casal entregue esse valor na reunio de balano, para ser repassado ao Setor. Este ser o ltimo ms de contribuio do ano de 2011. Assim, no esqueam de trazer tambm o valor do social (R$ 15,00), do SCE (R$ 20,00) e da Contribuio Financeira. As cestas bsicas do Gesto Concreto do nosso Natal j foram adquiridas e entregues na Parquia do Pe. Arcanjo. Precisamos ressarcir a Zulena e o Silvany, pois eles pagaram o valor total. Quem ainda no entregou a quantia (R$ 84,00), traga dia 23/11. O Pe. Arcanjo no poder celebrar a nossa Missa de Confraternizao Natalina dia 03/12/2011. Estou aguardando uma nova data.

A partir do momento em que um responsvel est contente consigo mesmo, ele no d mais vida aos seus equipistas (...) preciso que saiamos (deste balano) com o sentimento de que no foi feita muita coisa, de que h ainda muito por fazer. Pe. Henri Caffarel