Aula 06 - Pontuao

  • Published on
    27-Oct-2015

  • View
    28

  • Download
    4

Transcript

  • Aula 06 PONTUAO

    META DA AULA

    Apresentar a importncia do emprego correto da pontuao.

    OBJETIVOS Ao final desta aula voc ser capaz de:

    Reconhecer a importncia da pontuao

    para compreenso do texto e saber como

    empreg-la, de acordo com o sentido que

    se quer produzir.

  • Lngua Portuguesa

    1

    1 Introduo

    Voc j reparou a importncia que tem a pontuao para

    leitura e compreenso de um texto? E j notou que, dependendo

    de como o texto est pontuado, ele pode ser entendido de formas

    bem diferentes?

    Pois veja s o texto que escolhemos pra abrir a prxima

    seo desta aula...

    2. Pontuao: quanta diferena ela faz!

    Voc vai, agora, aprender na prtica que a pontuao

    pode fazer uma enorme diferena para interpretao de um

    texto. Leia a histria a seguir e, depois, busque responder s

    questes propostas.

    O Testamento

    Um homem rico, sem filhos, sentindo-se morrer, pediu

    papel e caneta e escreveu assim:

    Deixo meus bens minha irm no a meu sobrinho jamais ser paga a conta do mecnico nada aos pobres. No teve nem tempo de pontuar e morreu.

    Eram quatro concorrentes. Chegou o sobrinho e fez estas

    pontuaes numa cpia do bilhete:

    Deixo meus bens minha irm? No! Ao meu sobrinho. Jamais ser paga a conta do mecnico. Nada aos pobres. A irm do morto chegou em seguida com outra cpia do

    testamento e pontuou assim:

    Deixo meus bens a minha irm. No ao meu sobrinho. Jamais ser paga a conta do mecnico. Nada aos pobres. Apareceu o mecnico, pediu uma cpia do original e fez

    estas pontuaes:

    Deixo os meus bens minha irm? No! A meu sobrinho? Jamais! Ser paga a conta do mecnico. Nada aos pobres. Um juiz estudava o caso, quando chegaram os pobres da

    cidade. Um deles, mais sabido, tomou outra cpia do testamento

    e pontuou deste modo:

    Deixo meus bens a minha irm? No! A meu sobrinho? Jamais! Ser paga a conta do mecnico? Nada! Aos pobres!

    (Adaptado de Amaro Ventura e Roberto Augusto Soares Leite.

    Comunicao/Expresso em lngua nacional, quinta srie, So

    Paulo: Nacional, 1973. p.84)

    Superintendente de Desenvolvimento Institucional

    Anotaes

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

  • Lngua Portuguesa

    2

    Atividade 1

    Responda as questes a seguir de acordo com o texto:

    a) O testamento do homem rico, do modo como foi

    escrito por ele, tem um sentido

    preciso? Por qu?

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    __________________________________________

    b) Com a pontuao dada pela irm, pelo sobrinho, pelo

    mecnico e pelos pobres, o

    testamento adquiriu sentido? Por qu?

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    _________________________________________

    c) O testamento foi pontuado de quatro formas diferentes

    e em cada uma delas adquiriu

    um sentido novo. Conclua: qual o papel da pontuao da frase?

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    __________________________________________

    Lendo o testamento, voc observou que seu sentido se

    alterou de acordo com as diferentes pontuaes que lhe foram

    dadas. Isso aconteceu porque na fala, a variao de sentido

    produzida pelas diversas entonaes da voz e, na escrita, pela

    pontuao.

    Os sinais de pontuao, assim, determinam a pausa, a entonao

    e o ritmo na leitura.

    Anotaes

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

  • Lngua Portuguesa

    3

    A ausncia ou o emprego inadequado desses recursos

    grficos pode comprometer a clareza de um texto, e foi

    justamente para tornar tudo mais claro que eles foram

    inventados...

    Agora, veja bem quais so os sinais de pontuao atualmente

    usados:

    A vrgula (,)

    O ponto (.)

    O ponto de interrogao (?)

    O ponto de exclamao (!)

    Os dois pontos (:)

    As reticncias (...)

    As aspas () Os parnteses (( ))

    O travesso (-)

    Vamos, ento, ver como se usa cada um deles? Tudo pronto?

    - VRGULA: usada para separar termos que exercem a mesma

    funo sinttica ncleos do sujeito composto , complementos, adjuntos -, quando

    no vm unidos por e, ou e nem. Tambm usada para isolar a

    explicao, o chamamento, expresses explicativas e o nome de

    lugar anteposto data.

    Ex.: Gosto de rosas, cravos, orqudeas e samambaias. (separar os

    elementos mencionados numa relao)

    Por favor, professor, explique essa parte novamente. (isolar um

    chamamento)

    Machado de Assis, um gnio da Literatura Brasileira, morou em

    Laranjeiras. (separa um termo explicativo)

    - PONTO: emprega-se no final de frases declarativas:

    Ex.: Um homem rico morreu.

    - PONTO DE INTERROGAO: emprega-se no final de frases

    interrogativas diretas:

    Ex.: Deixo meus bens minha irm?

    - PONTO DE EXCLAMAO: emprega-se no final de frases

    exclamativas, com a finalidade de indicar estados emocionais,

    como espanto, surpresa, dor , alegria:

    Ex.: Deixe tudo aos pobres!

    - DOIS PONTOS: so usados para introduzir uma explicao,

    esclarecimento, uma citao, a fala de um personagem ou para

    introduzir uma sequncia de termos equivalentes.

    Ex.: O mecnico chegou e pediu: d-me uma cpia do

    testamento.

    Anotaes

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

  • Lngua Portuguesa

    4

    - RETICNCIAS: podem indicar interrupes na fala ou sugerir

    alegria, ironia, silncio, dvida, ameaa, surpresa, etc.

    Ex.: Eu no acredito... voc no devia fazer isso...

    Bom... Digamos que eu vou tentar ... quer dizer...

    No precisa dizer nada... j entendi.

    - ASPAS: so empregadas antes e depois de citaes textuais.

    Ex.:Celso Luft afirma que da virgulao que se pode depreender a conscincia, que tem , quem escreve. - PARNTESES: so empregados para destacar em um texto

    qualquer explicao sobre algo j mencionado.

    Ex: No Brasil, h em torno de 53 milhes de pessoas abaixo da

    linha da pobreza (na frica, quase o triplo desse nmero).

    - TRAVESSO: emprega-se no discurso direto para indicar a

    mudana de interlocutor. Ex.: Voc gostou do presente? Amei!

    Atividade 2

    1)Leia esta frase:

    Voc tem uma linda filha moa.

    Agora, explique a mudana de sentido que ocorreria nessa frase

    se fosse colocada uma vrgula depois da palavra filha. ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    __________________________________________

    2)Um poeta, muito astuto, fez em versos uma declarao de

    amor a trs moas que estavam apaixonadas por ele - Soledade,

    Iria e Lia -, de um modo que contentava a todas elas. Conforme

    a pontuao que cada uma empregasse na leitura, o poeta

    afirmava que amava uma ou outra.

    Eis o poema:

    Trs belas que belas so

    Querem por minha f

    Eu diga qual delas

    Que adora meu corao

    Se consultar a razo

    Digo que amo Soledade

    No Lia, cuja bondade

    Ser humano no teria

    No aspiro mo de Iria

    Que no tem pouca beldade

    Anotaes

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

  • Lngua Portuguesa

    5

    Agora, pontue a segunda estrofe empregando apenas ponto,

    ponto de interrogao e de exclamao, de modo que o poeta

    afirme que:

    a) Ama Soledade e no as outras duas garotas.

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    _____________________________________________

    b) Ama Lia e no as outras duas.

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    ____________________________________________

    c) Ama Iria e no Soledade e Lia.

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    ____________________________________________________

    (Questo adaptada de: Amaro Ventura e Roberto Augusto

    Soares Leite, op.cit, p.85)

    Resumindo...

    A lngua escrita apresenta muitas diferenas em relao

    lngua falada! Na fala, podemos contar com uma srie de

    recursos para dar eficcia mensagem, tais como gestos, tom de

    voz, expresso facial, entoao, etc. Quando falamos, nossa

    mensagem vem reforada por inmeros recursos que no temos

    quando escrevemos. Para tentar reproduzir na escrita os recursos

    de que dispomos na fala, contamos com uma srie de sinais

    grficos denominados sinais de pontuao. Os sinais de

    pontuao servem para marcar pausas (a vrgula, o ponto e

    vrgula, o ponto) ou a entonao a melodia da frase (o ponto de exclamao, o ponto de interrogao, etc.)

    O emprego dos sinais de pontuao no somente

    marcado por regras. Existem tambm razes de ordem subjetiva

    ou de estilo, que determina a pontuao de um texto.

    Desta forma, percebemos que a pontuao revela a

    capacidade de organizao de pensamento, sua estruturao

    lgica e coerente.

    Anotaes

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________

    ________________________