ASPECTOS HIDROLGICOS E SOCIOAMBIENTAIS DO ? III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO

  • Published on
    21-Oct-2018

  • View
    213

  • Download
    1

Transcript

  • III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO 19 a 22/11/2012

    IBEAS Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais 1

    ASPECTOS HIDROLGICOS E SOCIOAMBIENTAIS DO CRREGO DO BARBADO, EM CUIAB-MATO GROSSO

    Laudyana Aparecida Costa e Souza Acadmica do Curso Superior de Tecnologia em Gesto Ambiental pelo Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia de Mato Grosso, Graduada em Servio Social pela Universidade Federal de Mato Grosso. Gleicca Sanbria de Almeida, Letcia Verssimo dos Santos, Fernanda Silveira Carvalho de Souza, Gislaine Maressa dos Santos Moraes

    Email: sadradi@hotmail.com

    RESUMO

    Essa pesquisa tem como objetivo apontar e discutir alguns aspectos hidrolgicos e socioambientais que envolvem a situao do crrego do Barbado, em Cuiab - Mato Grosso. Buscou-se realizar um levantamento, para auxiliar no desenvolvimento desse estudo, de trabalhos cientficos, noticias, informativos, e documentos governamentais sobre os aspectos ambientais, hidrolgicos e socioeconmicos que envolvem o crrego do Barbado, de Cuiab-MT, para apresentar algumas consideraes e sugerir aes que revertam algumas problemticas que o permeiam. A sub-bacia do Barbado contaminada pelo despejo dos esgotos das populaes e das edificaes, sem nenhum tratamento, alm de sofrer com as retiradas e as queimadas de suas vegetaes naturais, atividades de garimpagem, deposito de resduos slidos e/ou plantas, impermeabilizao de alguns trechos e das reas a sua volta, intemperismo do solo, obras de edificaes prximas ou sobre esse crrego, entre outros. Com isso, necessria a realizao de medidas protetoras e conservacionistas do crrego do Barbado, visando qualidade de vida dos moradores locais e do meio ambiente.

    PALAVRAS-CHAVE: crrego do Barbado, recursos hdricos, degradao ambiental.

    INTRODUO

    O planeta Terra possui gua em abundncia, mas apenas uma pequena parte de gua doce e pode ser consumida. Essa parte consumvel tem sido, ao longo dos tempos, utilizada e degradada em demasia, resultando em grandes impactos ambientais, sem se atentarem que esse recurso natural limitado. A gua um bem natural que no pode ser multiplicado, ao contrrio dos seres humanos que se multiplicam em ritmo acelerado, em todo o globo terrestre. Com isso, a gua utilizada pelas populaes humanas atravs de abastecimentos, produo de alimentos, saneamento, atividades recreativas, alm de ser um lquido indispensvel para a vida dos organismos, entre outros. Nesse contexto se encontra o crrego do Barbado, pertencente Bacia do Rio Cuiab que, por sua vez, faz parte da Bacia Hidrogrfica Platina, alm de abastecer a capital mato-grossense. O crrego do Barbado sofre com as aes do homem, atravs do despejo de esgoto domstico, depsito de resduos slidos, degradao de sua vegetao natural, alterao do seu percurso natural, invases irregulares e outros. Assim, essa pesquisa tem como objetivo apontar e discutir alguns aspectos hidrolgicos e socioambientais relacionados ao crrego do Barbado, em Cuiab, Mato Grosso.

    METODOLOGIA

    Neste estudo, realizamos um levantamento de trabalhos cientficos (livros, artigos, trabalhos de concluso de curso, dissertaes e/ou teses), notcias, informativos e documentos governamentais sobre os aspectos ambientais, hidrolgicos e socioeconmicos que envolvem o crrego do Barbado, em Cuiab-MT, que nos auxiliaria na apresentao de algumas consideraes sobre esses aspectos, e na sugesto de aes que revertam as problemticas que o permeiam. REA DE ESTUDO

    A rea desse estudo se localiza no municpio de Cuiab, fundado no dia 8 de abril de 1719, est localizado na regio centro-sul do estado de Mato Grosso, sendo sua capital, e possui 551.098 habitantes (IBGE, 2010). Pertence a microrregio Cuiab, juntamente com os municpios de Chapada dos Guimares, Nossa Senhora do Livramento, Santo Antnio do Leverger e Vrzea Grande, e possui uma rea de 3.538,17 Km. O clima da capital mato-grossense o tropical continental, com perodo chuvoso (entre a primavera e o vero) e de seca (entre o outono e inverno), sendo sua

  • III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO - 19 a 22/11/2012

    IBEAS Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais 2

    temperatura mdia de 24C. As altitudes da rea urbana so de 146 a 259 metros, e est situada na provncia geomorfolgica denominada Baixada Cuiabana (...) [que] consiste numa peneplancie de eroso... (CUIAB, 2010: p. 52). O crrego do Barbado um dos afluentes do Rio Cuiab e est localizado na regio leste do municpio (Figura 1), sendo que sua populao residente constituda por 157.105 habitantes (CUIAB, 2010).

    Figura 1: Rede Hidrogrfica de Cuiab, subdividida em regies. Fonte: Adaptado do Perfil Socioeconmico

    de Cuiab, Vol. IV (CUIAB, 2010). Ao longo dos seus 9.400 metros de extenso, o crrego do Barbado possui, como vegetao original caracterstica, a Savana Arbrea, campos cerrados composta de rvores e arvoretos tortuosos, entremeados por tapete gramneo lenhoso associado a outras herbceas, subarbustos e arbustos baixos... (BORDEST, 2003: p. 20). A forma do crrego quase retangular ao afluir para o Rio Cuiab, e sua bacia, tem como caracterstica pedolgica, a constituio de rochas precambrianas, que pertencem ao Grupo Cuiab, que sofreram: muitos eventos de desdobramentos, fraturamentos e intruses de quartzo leitoso e foram posteriormente arrasadas a cotas inferiores a 200 m. As rochas xistosas, em geral filitos, esto expostas nos cortes de estradas e margens de leitos do crrego principal e seus afluentes, apresentando-se em lminas finas ferruginizadas e bastante alteradas tomando o aspecto de folhelhos deixando-se partir facilmente segundo os planos de xistosidade. Nos setores de embaciamentos e nas confluncias ocorrem espessas camadas de sedimentos recentes, suscetveis eroso (BORDEST, 2003: p. 27). Conforme a Tabela 1, os cursos do crrego podem ser divididos em Alto, Mdio e Baixo, alm de sua nascente e de sua foz:

    Tabela 1. Cursos do Crrego do Barbado - Fonte: BORDEST (2003), ALMEIDA (2006) e GALDINO e ANDRADE (2008).

  • III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO 19 a 22/11/2012

    IBEAS Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais 3

    Crrego do Barbado

    Nascentes Alto Curso Mdio Curso Baixo Curso Foz

    Bairros e Localidades

    Uma na Avenida Rubens de Mendona, Centro Poltico Administrativo (CPA), Loja Manica (Propriedade Particular) e outra no Parque Massairo Okamura.

    Entre a Avenida Rubens de Mendona e a Avenida Joo Gomes Sobrinho, Parque Massairo Okamura. Bairros: Morada do Ouro, Terra Nova, Jardim Aclimao, Bela Vista, Canjica, Bosque da Sade, Pedregal, Dom Bosco e Campo Verde.

    Entre a Avenida Joo Gomes Sobrinho e a Avenida Fernando Corra da Costa. Bairros: Jardim Renascer, Jardim das Amricas, Residencial Alphaville, parte do Jardim Itlia, cortado pelo afluente que passa pelo zoolgico da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e Jardim Leblon.

    Entre a Avenida Fernando Corra da Costa e a Avenida Beira Rio. Bairros: Pico do Amor, Jardim Petrpolis, Jardim Europa, Jardim Tropical, Grande Terceiro, Praeiro e parte do Jardim Califrnia.

    Bairro Praeirinho

    Altitudes

    200 a 175 metros 175 a 160 metros, com desnvel de, aproximadamente, 15 metros.

    160 a 150 metros, sendo seu desnvel de 10 metros.

    RESULTADO

    Desde sua criao, Cuiab tem passado por processos de urbanizao e de crescimento populacional, ora ordenado e ora desordenado. Esses processos resultaram na necessidade de canalizar alguns crregos da capital para propiciar a instalao de residncias e edificaes. Mais tarde, perceberam que essa canalizao prejudicou o ambiente natural dos crregos. Com isso, tem sido trabalhada a preservao do curso natural e de sua vegetao, que passaram a constiturem-se reas de preservao permanente (APPs), e trouxeram alguns benefcios sociedade, como a conservao de recursos hdricos naturais (COVRE; CASTRO JUNIOR; SALOMO, 2009). Apenas 4 dos 17 crregos de Cuiab no sofreram intervenes fsicas, ou algum tipo de obra de drenagem em seus cursos. J os outros possuem canalizaes abertas ou fechadas, em alguns intervalos, sendo que, entre os 5 principais crregos modificados esto: Barbado, Gamb, Prainha, Man Pinto e Engole Cobra (GALDINO; ANDRADE, 2008).

  • III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO - 19 a 22/11/2012

    IBEAS Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais 4

    Figura 2: Extenso do Crrego do Barbado. Fonte: Arquivo Pessoal disponibilizado pela Prefeitura

    Municipal de Cuiab. Segundo Bordest (2003), devido ao intenso processo de urbanizao e ao aumento da densidade populacional, a sub-bacia do Barbado tem passado por diversos impactos ambientais que, ainda hoje, degradam os seus recursos naturais, como: derramamento de esgoto (domiciliar, hospitalar, industrial, de construo, entre outros); atividades de garimpo; desmatamento e/ou queimada da vegetao natural pela populao local, causando malefcios a sade e a degradao da paisagem;

  • III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO 19 a 22/11/2012

    IBEAS Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais 5

    despejo de resduos slidos (eletrodomsticos, mveis, plsticos, pneus, entre outros); impermeabilizao parcial de sua rea e do seu entorno (pavimentao e asfaltamento de logradouros, assim como a retificao e cimentao de seus canais), que prejudicam o escoamento e vazo das guas pluviais e podem resultar em locais com ilhas de calor (determinada regio passa a ter uma temperatura alta pela falta de vegetao e umidade) e futuros alagamentos; construo de edificaes e loteamentos (apartamentos, casas, condomnios, shoppings, e outros) sobre os cursos do crrego e de suas nascentes, de modo ilegal e imprprio; intensa intemperizao do solo (eroso, assoreamento, recuo das cabeceiras, sedimentos carreados de montantes, etc.), entre outros. DISCUSSO

    A sub-bacia do Barbado recebe boa parte dos esgotos das populaes e das edificaes que esto ao seu redor, que no so tratados, e afetam as guas e os trechos desse crrego e de seus afluentes. Alm disso, os moradores dessa regio contribuem para essas degradaes ao jogarem lixos de suas residncias no crrego, assim como realizam a queima e/ou retirada da vegetao, para instalar sua moradia nesse local, ou para se desfazer dos resduos slidos que possuem. Na rea do crrego do Barbado, assim como ao longo da cidade, possvel constatar a falta de tratamento do esgoto sanitrio, diversas edificaes ilegais que foram construdas por invases e/ou autorizaes inadequadas, falta de escoamento, vazo e absoro da gua no solo, entre outros. No bairro Praeiro, prximo ao Rio Cuiab, os moradores reclamam do mau cheiro do crrego (falta de tratamento) e das enchentes que ocorrem ali nos perodos chuvosos, resultando na desvalorizao imobiliria e turstica dessa regio. Na regio da Avenida Juliano Costa Marques, esto construdos ou em fase de construo cerca de 10 edificaes, alm de um Shopping Center, que despejam diversos tipos de resduos lquidos, sem tratamento, no crrego do Barbado. Algumas dessas edificaes foram embargadas pelo Ministrio Pblico do Estado (MPE) e pela Justia Federal, desde 2009, que, em alguns momentos ao longo desse perodo, foram suspensas pela Prefeitura Municipal de Cuiab e pelo Tribunal de Justia de Cuiab. Esses embargos foram decorrentes do desmatamento provocado pela construtora nas margens do crrego do Barbado, que uma rea de Preservao Permanente (APP). Entre o mdio e o baixo curso da sub-bacia do Barbado, tambm se encontra outro Shopping Center e dois supermercados construdos prximos esse crrego. Essa regio, entre as Avenidas Fernando Corra da Costa, Tancredo Neves e Carmindo de Campos, considerada um grande centro comercial, empresarial e imobilirio da capital. O baixo curso do Barbado o trecho mais modificado da sub-bacia, pois grande parte do seu solo est impermeabilizado. Essas alteraes ambientais aumentam a velocidade e o volume do escoamento superficial, culminando em inundaes nos bairros. O crescimento da cidade trouxe tambm o desmatamento da mata de galeria, a implantao de vias e edificaes, o lanamento de efluentes sanitrios, sem tratamento nos cursos da gua, a construo de obras de drenagem urbana. Com o advento do evento futebolstico da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, incluindo Cuiab como uma das cidades-sede, os mbitos governamentais esto realizando obras na cidade para se adequar aos padres requisitados pela Federao Internacional de Futebol (FIFA). Uma das medidas a desapropriao dos moradores residentes em algumas margens do crrego do Barbado para a construo da Avenida Parque do Barbado. Essa desapropriao no tem agradado aos moradores dos bairros Pedregal, Jardim Renascer, Castelo Branco e Bela Vista, pois afirmam que o governo pretende mand-los para outro local sem os servios necessrios para o bem estar deles e sem a devida indenizao de desapropriao dos imveis.

  • III Congresso Brasileiro de Gesto Ambiental Goinia/GO - 19 a 22/11/2012

    IBEAS Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais 6

    Medidas governamentais que visem qualidade de vida da populao e do meio ambiente em que vivem so vlidas, porm devem ser realizadas aps a anlise de seus benefcios versus malefcios antes de coloc-las em ao. Sendo assim, necessria a implementao de algumas aes com o objetivo de beneficiar as pessoas residentes no entorno do crrego do Barbado. CONSIDERAES FINAIS

    O desenvolvimento urbano de Cuiab, que tende a focar os interesses econmicos, tem causado, ao longo dos anos, grandes degradaes ambientais para a regio ao no se atentar para as diversas alteraes promovidas na natureza e nem procurar realiz-lo, na maioria das vezes, de modo ambientalmente adequado e legal. Apesar das degradaes j existentes, ainda h algumas aes do poder pblico que podem ajudar a preservar os recursos naturais da capital, mas que devem ser realizadas ocasionando o mnimo de perturbao aos moradores e ao ambiente local. Como sugesto, as aes a serem tomadas, pelo poder pblico e/ou sociedade civil, para melhorar as condies da regio do crrego do Barbado podem ser: Pesquisas e estudos cientficos na rea e com as populaes locais, para realizar futuros atos; Educao ambiental com os moradores da regio, sobre a importncia da preservao da vegetao e dos recursos hdricos, como tambm de prticas de reciclagem de resduos slidos e outros; Impedimento e preveno de futuras obras que alterem o curso natural e os seus recursos ambientais, atravs de legislao municipal; Fiscalizao, regulamentao e penalizaes apropriadas nos possveis casos de degradao ambiental, principalmente no que se refere s APPs; Delimitao e mapeamento das reas e dos recursos naturais preservados; Mobilizao e organizao de grupos que busquem, juntamente com o governo local, aes de sensibilizao, visando proteo e conservao do meio ambiente, em especial do Crrego do Barbado. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    1. Almeida, G. A. G. A educao ambiental para comunidades do entorno de parques e reservas urbanas. IN: Brasil, Ministrio da Educao. Secretaria de Educao Profissional e Tecnolgica. Cadernos temticos janeiro de 2006, n 8. Braslia - DF: Grfica e Editora Qualidade, 2006. Disponvel em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/cadernos08_v2.pdf. Data: 22 de maio de 2012.

    2. Bordest, S. M. L. A bacia do crrego Barbado Cuiab, Mato Grosso. Cuiab: Grfica Print, 2003. 3. Covre, E. B.; Castro Junior, P. R. de; Salomo, F. X. T. Delimitao cartogrfica das reas de preservao

    permanente (APPs) de nascentes e cursos dgua na rea urbana de Cuiab. Anais do I Congresso Internacional de Meio Ambiente Subterrneo, So Paulo SP, 2009. Disponvel em: http://aguassubterraneas.emnuvens.com.br/asubterraneas/article/download/21972/14340. Data: 25 de maio de 2012.

    4. Cuiab. Prefeitura Municipal de Cuiab. Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano IPDU. Diretoria de Pesquisa e Informao DPI. Perfil socioeconmico de Cuiab. Vol. IV, Cuiab-MT: Central de Texto, 2010. Disponvel em: http://www.cuiaba.mt.gov.br/upload/arquivo/perfil_socioeconomico_de_cuiaba_Vol_IV.pdf. Data: 20 de maio de 2012.

    5. Galdino, Y. da S. N.; Andrade, L. M. S. de. Interaes entre a cidade e paisagem ao longo da Sub-Bacia do Barbado, Cuiab MT. Anais do IV Encontro Nacional da Anppas, Braslia-DF, 2008. Disponvel em: http://www.anppas.org.br/encontro4/cd/ARQUIVOS/GT8-477-192-20080430122021.pdf. Data: 23 de maio de 2012.

    6. IBGE, Instituto Brasileiro de geografia e Estatstica. Cidades@. 2010. Disponvel em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1. Data: 21 de maio de 2012.

Recommended

View more >