Alimentao de gado leiteiro

  • Published on
    11-Jul-2015

  • View
    135

  • Download
    0

Transcript

Alimentao de Gado leiteiroFbio Dias LunsMdico veterinrio

Aspectos a serem observados:Caracterizao do animal:

raa, sexo, idade, peso vivo, ordem de lactao, estado fisiolgico (gestao, lactao, etc.), % de gordura do leitedesempenho esperado.

Aspectos a serem observados:Tabelas de exigncias: usadas para saber os requerimentos dos animais, tais como: mantena ganho de peso Produo

Mais utilizadas: NRC, AFRC e INRA.

Exigncia de protena e energia para vacas adultasPeso (kg) Proteina (g/dia) NDT( Kg/dia) MANUTENO 400 320 3,2 450 340 3,4 500 360 3,7 550 390 4 600 410 4,2 650 430 4,5 700 450 4,8 MANUTENO + FINAL DE GESTAO 400 880 4,2 450 930 4,4 500 980 4,9 550 1030 5,3 600 1070 5,6 650 1120 6 700 1170 6,3

Exigncia de protena e energia para produo de leiteProteina G/L LEITE 78 84 90 96 100 NDT Kg/L de leite 0,28 0,30 0,32 0,34 0,36

% GORD 3 3,5 4 4,5 5

Aspectos a serem observados:Tabelas de Composio de Alimentos:

informam os dados bromatolgicos dos alimentos concentrados e volumosos.

CQB AL 2.0 (Valadares Filho et al., 2002) e outras.

Volumosos

DEFINIO: Alimentos que possuem mais de 18% de FB.

Consumo:

Pasto Silagens (sorgo e milho) Cana-de-acar Fenos

1,5 a 2,5% PV 2,0 a 2,5% PV 1,8 a 2,0% PV 2,5 a 3,0% PV

Volumosos

Composio qumica-bromatolgica:MS PB EE FDN Ca P NDT

Milho planta Silagem Milho Silagem Sorgo Cana-de-acar Capim-Elefante

33 33 31 28 25

7 6,5 7 2,56 6

2,08 2,99 2,22 1,53 2,10

56,94 55,68 61,73 92,95 74,4

0,11 0,30 0,23 0,21 0,27

0,22 0,19 0,18 0,06 0,2

66 61 54 63 47

Feno Tifton

90

9,5

1,71

77,2

0,44

0,19

60

Estes so valores mdios, por isso deve-se ficar atento ao estdio fisiolgico das forragens e, se possvel, fazer uma anlise bromatolgica do volumoso em uso.

Concentrados

DEFINIO: Alimentos que possuem menos de 18% de FB. Classificados em: energticos, mistos ou proticos. Diferena ALTA entre PB e NDT: divididos em energticos OU proticos.

Diferena PEQUENA entre PB e NDT: mistos.

Concentrados

ProticosMS F. De soja F. de algodo 38 F. de algodo 28 Torta de algodo F. Gluten de milho F. amendoim Uria 89 89 89 88 87 89 99 PB 45 38 28 30 23 56 262 46 73 88 NDT 81 65

Concentrados

MistosMSGro de soja Caroo de algodo F. De Trigo Casca de Caf Cama de frango(Proibido) F. De arroz Rolo de milho 90 90 88 87 81 88 88

PB38 23 16 10 16 14,5 6,5

NDT90 82 72 50 57 79 54

Concentrados

EnergticosMS Milho gro Polpa ctrica Quirela de arroz 87 87 88 PB 8 6,25 9 NDT 84 66 -

Sorgo groCasca de soja

8788

812

7879

Concentrados

Casca de Soja: Apesar de possuir alto valor de FDN, apresenta boa digestibilidade. Substitui at 20% do concentrado e 30% do milho.

Gro de Soja Cru: no mximo 2,0 a 2,5 kg/vaca/dia.

Pode ser fornecido inteiro, mas de preferncia modo de forma grosseira e utilizado imediatamente devido facilidade de rancificao.

Concentrados

Farelos de Algodo 28% e 38% (a % de PB depende daincluso da casca)

usar at 25% do concentrado em raes para vacas leiteiras, e at 20% em raes para bezerros. Ateno com o uso consorciado com caroo de algodo, devido a problemas reprodutivos. Reprodutores: problema do gossipol: queda na espermiognese, no recomendado.

Concentrados

Caroo de algodo: no mximo 3,0 a 3,5 kg/dia. Na prtica, a proporo de substituio 1:1, ou seja, 1 kg de caroo substitui 1 kg do concentrado. Farelo de Glten de milho: Promil e Refmazil: nomes comerciais, pode substituir de 10-20% do concentrado.

concentrados

Sorgo gro:

apesar de apresentar valores bromatolgicos prximos ao do milho, sua digestibilidade bem menor.

Concentrados

Polpa Ctrica: alto teor de clcio devido adio de cal para separar a gua. Fontes de Ca podem apresentar dioxina, substncia cancergena que pode ser transmitida ao homem por meio dos alimentos. Pode ser usada at 4kg/vaca/dia.

Farelo de trigo: concentrado misto rico em fsforo, possui efeito laxativo. Substituio de 20 a 30% do concentrado.

Concentrados

Farelo de Arroz: consumo de at 1,5kg/vaca/dia, para bezerros substituir cerca de 20%. Quirela de Arroz:

at 30% do concentrado p/ vacas em lactao

Concentrados

Cama de Frango:composio muito varivel. Pode ser usada em at 20% do concentrado de vacas em lactao.

Ministrio da Agricultura Pecuria e Abastecimento proibiu o uso de produtos de origem animal na alimentao de ruminantes. Proibidos: farinha de sangue, de carne, vsceras, ossos, penas.

Concentrados

Casca de Caf: muito usado principalmente na alimentao de novilhas, substituindo at 15% do concentrado e para vacas em lactao at 20%.

Concentrados

Farelo de Amendoim: Pobre em Ca, caroteno e alguns aminocidos. Limitao devido a aflatoxinas. Pode ser usado em 30% do concentrado para bezerros e 2 kg/vaca em lactao ou 20% do concentrado

concentrados

Uria: Substitui a protena natural com vantagem em relao ao preo. Acrescenta nitrognio em sistemas com baixo teor de protena, como forragens de baixo valor nutritivo.

Recomenda-se:

substituir 1/3 a 1/4 da protena total da rao; 1% da MS ou 3% da MS do concentrado; 50g/100kg de PV.

concentradosNa utilizao da cana-de-acar: utiliza-se 1% da MN (9 partes de uria: 1 parte de sulfato de amnia), fazendo prvia adaptao dos animais com 0,5%.

Aditivos

lonforos: promotores de crescimento. Dosagens recomendadas: Animais em pastejo: 150 a 200 mg/animal/dia. Relao 30% concentrado: 135 mg/animal/dia.

Monensina sdica: produto comercial Rumenzim dosagens = do consumo.No deve ser fornecido para monogstricos, pode ser letal.

Lasalocida sdica: produto comercial Taurotec Tamponantes: 1% da MS total.Mais usados bicarbonato de sdio e xido de magnsio, proporo de 3:1.

Custo dos alimentosCusto do kg do NDT e custo do KG da Protena X Custo do NutrienteExemplo: Farelo de soja: R$34,00 a saca de 50KG Farelo de Algodo 38% : R$ 30,00 a sc de 50KG

Custo dos alimentosCusto do ingrediente: Farelo de soja: 34,00/50= 0,68 o kg Farelo de algodo: 30,00/50= 0,60 o kg

Porm se calcular o kg da PB na MS, a soja sai mais barato.

Custo dos alimentos50kg de MN do F. Soja possui 89% de MS Se a saca R$34,00, dividindo pela MS 44,5 do saco tem-se: R$ 0,76 o KG de MS Sabendo que 1KG da MS do FS tem 450g de PB, ento :1kg da PB= R$1,68

Custo dos alimentosFazendo as contas para o F.Algodo: 50kgx0,89MS=44,5kg de MS; 30,00/44,5= 0,67 kg da MS R$ 0,67/ 0,38= 1,77 o KG da PB

Manejo nutricional do rebanho -

Fase de cria: Imediato fornecimento do colostro Imunoglobulinas > na 1 ordenha; Reduo da permeabilidade da parede intestinal; Colostro: deve ser fornecido por 5 dias, em pelo menos duas refeies dirias; No necessrio dar gua nesse perodo;

-

Manejo nutricional do rebanho -

Fase de cria: aps o 5 dia Leite ou sucedneo, em dois tratos at o 15 dia; 4-5L no 1 ms, 4L no 2 ms Desmama abrupta Consumo de rao > 800g/dia

Manejo nutricional do rebanho

Fase de cria:

Sucedneo: - vantagem: custo/L < custo do leite; - Pelo menos 22%PB, sendo parte de origem lctea; - Formulao do produto; - Correta diluio e temperatura;

Manejo nutricional do rebanho -

Fase de cria:

rao: a partir da 1 semana; Textura mais grosseira; Ingredientes nobres; 18%PB, mnimo de 70% de NDT - volumosos: a partir do 2 ms, fenos - gua limpa; - Ganho de peso de 600g/dia

Manejo nutricional do rebanho -

Fase de recria: Traar meta: IPP

-

Calcular o ganho de peso ponderalUma das fases mais dispendiosas Minimizar custo = REDUZIR IPP

Manejo nutricional do rebanho

Fase de recria:

IPP = 24 meses, Peso ao nascer: 35kg Peso a inseminao: 350Kg Para parir com 24 meses, inseminar com 14 meses;

350-35=315; 14 meses=425 dias; 315/425 = 741g/dia

Manejo nutricional do rebanho

Fase de recria:

Ganhos > 800g/dia podem ser prejudiciais a gl. Mamria; Para ser prejudicial: Ganho de peso acompanhado de crescimento, ECC 3,0

Manejo nutricional do rebanho

Vacas secas:

- Acmulo de reservas para o BEN; - Durao influi na prxima lactao; - ECC entre 3,0 e 3,75; - Perodo Pr Parto (suplementao concentrada 0,5 a 1% PV)

Manejo nutricional do rebanho

Vacas em lactao:

-Perodo crtico: logo aps o parto; - BEN - Desafiar o animal; - Conforto ambiental;

Manejo nutricional do rebanhoLotes - vacas em lactao: - Fase de lactao; - Produo de leite no dia do controle; - Condio corporal, e estado reprodutivo; - Idade da vaca: formar lotes de primparas, se necessrio e economicamente vivel;

Vacas Altamente Produtoras

Lipdeos: densidade energtica

- sebo: at 5% da MS do concentrado - leos de sementes: 2% do concentrado - lipdeos protegidos

Vacas Altamente Produtoras

PNDR ou protena by pass

- farelo de soja: com tratamento trmico eleva PNDR de 35 para 85% -milho floculado: cozido a vapor, eleva a PNDR para 51%

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

O pico de lactao deve ocorrer por volta de 4-8 semanas aps o parto; Vacas de 1 cria devem ter o pico 25% menor que o de vacas mais velhas, e a idade ao primeiro parto interfere neste indicador;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

Quando o pico de lactao est abaixo do esperado, observar o teor e protena da dieta; Quando o pico da lactao normal, porm pouco persistente, observar o teor de energia da dieta;

Cada kg de leite extra no pico equivale a 225 kg de leite a mais na lactao;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

A relao do teor de protena: gordura do leite, em gado holands deve ser de aproximadamente 0,85-0,88;

- Valores abaixo: excesso de gordura na dieta ou falta de PNDR - Valores acima: falta de fibra na dieta ou excesso de concentrado

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

Manejo nutricional do rebanho deve ser direcionado para aumentar principalmente os seguintes componentes do leite;

Gordura; - Protena; - Lactose;-

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

Para maximizar observar na dieta:

protena

do

leite,

-

-

Protena metabolizvel; Protena degradvel no rmen; Protena no degradvel no rmen; Aminocidos essenciais; Carboidratos degradveis no rmen;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

Para maximizar observar na dieta:

gordura

do

leite,

-

Fibra de boa qualidade; Fibra efetiva; Tamponantes;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos O consumo de MS um fator determinante para a produo de leite; O consumo de MS afetado pela qualidade, palatabilidade e digestibilidade dos alimentos; Em mdia, vacas de alta produo consomem 4% do peso vivo, supeprodutoras at 6%.

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

O mximo de consumo de alimentos atingido em torno de 10 semanas aps o parto; O consumo de alimentos para animais em 3 ordenhas de 5-6% maior do que animais em 2 ordenhas.

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

O pico do consumo de alimentos estimulado com alimentos disponveis aps ordenha; O alimento deve estar disponvel pelo menos 20 horas por dia aos animais;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos recomendvel separar primparas de multparas; Quando separadas , as primparas gastam de 10-15% mais tempo comendo; Em dieta completa, o teor de MS da diata deves estar entre 50-75%;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

gua limpa deve ser fornecida em um raio de 50 m do cocho de alimentao; O consumo mdio de gua em torno de 4L de gua por kg de leite produzido;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

Durante o vero, o ideal fornecer 60% da dieta noite; rea do cocho contnuo: 1,0 m/vaca; Perodos de iluminao noturna podem aumentar o CMS;

Vacas Altamente Produtoras: De olho na lactao e consumo de alimentos

Quando o consumo de alimento estiver abaixo do esperado observar: - Teor de carboidrato no estrutural na dieta( amido degradvel); - consumo de gua; - conforto trmico; - quantidade de volumoso; - problemas de casco; - qualidade do alimento;

Bibliografia

VALADARES FILHO, S.C.; ROCHA JNIOR,VR., CAPELLE E.R. Tabelas Brasileiras de Alimentos para Bovinos,2002. National Research Council NRC. Nutrients Requirementes of dairy cattle. 1989 www.milkpoint.com.br/ radares tcnicos Revista Balde Branco, n483