AEROCLUBE DE LONDRINA CURSO DE MECNICO DE MANUTENO DE AERONAVES

  • Published on
    28-Nov-2014

  • View
    179

  • Download
    0

Transcript

AEROCLUBE DE LONDRINA CURSO DE MECNICO DE MANUTENO DE AERONAVES MDULO GMP - PROVA DE OMM 19/10/2005.

NOME:................................................................................................................................................................................................ ................................. 01) A INSPEO DIMENSIONAL DESTINA-SE A: A VERIFICAR SE AS TOLERNCIAS DAS PEAS ESTO DE ACORDO COM O MANUAL B VERIFICAR SE OS MEDIDAS DAS PEAS ESTO EM POLEGADAS OU EM MILMETROS C VERIFICAR SE AS PEAS ESTO EMPENADAS OU DESBALANCEADAS D VERIFICAR SE AS MEDIDAS DAS PEAS ESTO DENTRO DOS LIMTES PERMISSVEIS 02) UMA PEA DANIFICADA POR CORROSO PODE SER DESCRITA COMO: A UMA PEA COM UMA REA DESGASTADA OU COM MARCAS CAUSADAS POR OBJETOS ESTRANHOS B UMA PEA COM DESCONTINUIDADES SUPERFICIAIS C UMA PEA DANIFICADA POR PERDA DE METAL POR PROCESSO QUMICO OU ELETROQUMICO D UMA PEA DANIFICADA POR ENTALHES NTIDOS OU DENTEAMENTO CAUSADO POR OBJETO ESTRANHO 03) QUANDO FOR REALIZADO O PROCESSO DE DESCARBONIZAO DO MOTOR, DEVE-SE: A EVITAR USAR O PRODUTO DESCARBONIZANTE EM PEAS DE ALUMNIO, POIS ISSO RESULTA EM CORROSO B EVITAR MERGULHAR JUNTAS PEAS DE AO E DE MAGNSIO, POIS RESULTAR EM CORROSO DE UMA DAS PEAS C EVITAR O CONTATO DO PRODUTO COM ROLAMENTOS DE ESFERA, POIS AS MESMAS IRO ENGRIPAR D EVITAR O CONTATO DO PRODUTO COM RECIPIENTES OU PEAS DE PLSTICO, POIS AS MESMAS PODEM DERRETER 04) O BRUNIMENTO DOS CILINDROS DESTINA-SE A: A CORRIGIR AS IMPERFEIES DEIXADAS PELO REBOLO E ALINHAR AS PAREDES B DAR O ACABAMENTO DESEJADO NA SUPERFCIE DAS CAMISAS C ALINHAR AS PAREDES DAS CAMISAS D DAR A CONICIDADE ORIGINAL NA CAMISA 05) ALGUNS CILINDROS SO PROPOSITALMENTE CNICOS, E ESSA CONICIDADE DEVE SER MANTIDA NO PROCESSO DE RETFICA, PORQUE ESSA CONICIDADE: A NO EXISTE, ESSA INFORMAO ABSURDA B GARANTE O PARALELISMO DAS PAREDES DO CILINDRO, NA OPERAO NORMAL DO MOTOR, QUANDO O TOPO MAIS QUENTE E SE DILATA MAIS C PREVINE A FORMAO DE RESSALTO OU DEGRAU NO PONTO MORTO ALTO D D MAIS LIBERDADE DE MOVIMENTO AO PISTO QUANDO EM FUNCIONAMENTO 06) OS INSTRUMENTOS INDICADORES DE PRESSO DE ADMISSO, OU MANIFOLD PRESSURE, INDICAM: A A PRESSO RELATIVA INTERNA NO TUBO DE ADMISSO, ANTES DE CHEGAR NO CILINDRO, EM INHG B A PRESSO ABSOLUTA INTERNA NO TUBO DE ADMISSO, ANTES DE CHEGAR NO CLINDRO, EM INHG C A PRESSO RELATIVA INTERNA NO TUBO DE ADMISSO, ANTES DE CHEGAR NO CILINDRO, EM PSI D A PRESSO ABSOLUTA INTERNA NO TUBO DE ADMISSO, ANTES DE CHEGAR NO CLINDRO, EM PSI 07) QUANDO UM MOTOR APRESENTA VAZAMENTO FORTE DE LEO PELO RESPIRO DO CRTER, PODESE SUSPEITAR DE: A FALHA DO RESPIRO B VLVULA DE ALVIO DE PRESSO DO LEO TRAVADA C VAZAMENTO DE LEO EM EXCESSO PELOS MANCAIS DO MOTOR D VAZAMENTO DE COMPRESSO PELOS ANIS 08) VAZAMENTOS NO SISTEMA DE INDUO PODEM PROVOCAR, ENTRE OUTROS PROBLEMAS: A MARCHA LENTA IRREGULAR, FALHA EM DESENVOLVER POTNCIA TOTAL, FUNCIONAMENTO IRREGULAR B FALHA DE PARTIDA, BAIXA POTNCIA, FALHA EM MARCHA LENTA E EM POTNCIA TOTAL; C ALTA TEMPERATURA DE CHT, FALHA NA MARCHA LENTA E EM POTNCIA TOTAL D MISTURA EXTREMAMENTE RICA E FALHAS EM MARCHA LENTA 09) NOS MOTORES QUE UTILIZAM ROLAMENTOS NO LUGAR DAS BUCHAS DE BALANCINS, DEVE-SE VERIFICAR, NA REVISO: A SE O ROLAMENTO APRESENTA, NO EXAME DIMENSIONAL, AS TOLERNCIAS PERMITIDAS PELAS NORMAS ASTM B SE PISTA EXTERNA NO EST GIRANDO NO SUPORTE DO MANCAL C SE A PISTA INTERNA GIRA NA MESMA VELOCIDADE QUE A PISTA EXTERNA D NENHUMA DAS ANTERIORES 010) RACHADURAS EM CABEAS DE CILINDRO SE APRESENTAM, GERALMENTE, SOB FORMA: A RAMIFICADA, DEVIDO EXPANSO IRREGULAR DO METAL B SERRILHADA, DEVIDO NATUREZA GRANULAR DO METAL C RADIAL, DEVIDO CONCENTRAO DOS ESFOROS NO METAL

D ALTAMENTE IRREGULAR, DEVIDO NATUREZA CRISTALINO DO METAL