Ao Destinado Ao Concreto Armado2 slide 0

Ao Destinado Ao Concreto Armado2

  • Published on
    28-Dec-2015

  • View
    16

  • Download
    0

Transcript

Ao destinado ao concreto armado

Caractersticas do AoOao uma liga metlica de ferro e carbono, com um percentual de 0,03% a 2,00% de participao do carbono, que lhe confere maior ductilidade, permitindo que no se quebre quando dobrado para a execuo das armaduras.Os fios e barras de ao utilizados nas estruturas de concreto so classificados em categorias, conforme o valor caracterstico da resistncia de escoamento (fyk-resistncia trao do ao). Nesta classificao, a unidade de medida est em kgf/mm.

Propriedades e influncia do carbono:

DUCTILIDADE E MALEABILIDADE DUREZA TENACIDADE RESISTNCIA TRAO SOLDABILIDADE RESISTNCIA CORROSO

Ao para concreto armado

Aductilidadeconsistenacapacidadedeummaterial,sofrerdeformaoplsticasem ruptura ou fissurao. Taldeformaotemonomede plstica.Osmetaissosubstnciasextremamente dcteis,podendoser trefilados emfios,marteladosoulaminadosemfinasfolhas,semsepartirem.Escoamento nesse caso significa a falta de aderncia, ou seja o ferro escoa no concreto, corre, etc.Tenacidade: Perseverana.2ao ca 25 (barra):Superfcie obrigatoriamente lisa;

Ao CA 50 (Barra):Tem a superfcie obrigatoriamente com nervuras transversais (rugosa);obtido por laminao a quente;

Ao ca 60 (fios/barras):so fios at 10,0mm e deve obrigatoriamente ter entalhes ou nervuras;Obtidos atravs de trefilao fio a fio;

Arames Recozidos:Tem a funo de fazer a amarrao dos elementos de ao (barras, estribos) na montagem das peas de ao. O mais utilizado em construo civil o BWG 18.

Principais aos destinados ao concreto armado segundo ABNT NBR 7480:A ABNT NBR 7480 de 1996. Em 2007 a norma foi atualizada, e eliminou o ao CA 40 anteriormente utilizada em concreto armado.Trefilagem, ouTrefilao, o processo de fabricao de arame e barras finas demetal. umprocesso industrialque acarreta na reduo da seo transversal (largura) e respectivo aumento no comprimento do material. Consiste naTraoda pea atravs de uma matriz chamadafieiraou trefila, com forma de canal convergente.

3

Aos Tipo A-Fabricados pelo processo de laminao a quentesemposterior deformao a frio, ou por laminao a quente com encruamento a frio.-So fabricados com bitolas (dimetros) iguais ou maiores do que 5mm.-So denominadosbarrasde ao.Aos Tipo B-Fabricados pelo processo de laminao a quentecomposterior deformao a frio (trefilao, estiramento ou processo equivalente).-So fabricados com bitolas de 5,0mm; 6,3mm;8,0mm;10,0mm e 12,5mm.-So denominadosfiosde ao.

Classificao dos aos:

CA-25CA-50 a / ca-50 bca-60 a / ca-60 bCP-190CP indica ser o ao para concreto protendido;CA indica ser o ao para concreto armado; A ou B : a classe que o ao pertence; 25, 50 ou 60 : o valor da resistncia caracterstica da tenso de escoamento real ou convencional em kgf/mm. O ao comercialmente vendido em barras retas de 12m. Bitola do ao o dimetro nominal da superfcie transversal da barra de ao.Estiramento Ao ou efeito de estirar(-se).Operao para fazer que uma barra ou tubo de dimenses determinadas alcance, pela passagem a frio por uma fieira, maior comprimento e seo mais reduzida.Medicina Distenso. O Ao CP Tem maior resistncia que os demais, por ser para Concreto Protendido, sua resistncia de 190KGF/MM4Tratamento a quente (classe a)Chama-se tratamento mecnico a quente (de dureza natural) quando a temperatura de trabalho maior 720C (zona crtica), em que ocorre a recristalizao do ao. Nessa situao o ao mais mole, sendo mais fcil de trabalhar, pois os gros deformados recristalizam-se em seguida sob a forma de pequenos gros. Este tratamento consiste na laminao, no forjamento e na extruso, realizados em temperaturas acima de 720C. Nessas temperaturas h uma modificao da estrutura interna do ao, ocorrendo homogeneizao e recristalizao com a reduo do tamanho dos gros, melhorando as caractersticas mecnicas do material.

Exemplo: CA-25/50

Tratamento a frio ou encruamento (classe b)

Neste tratamento ocorre uma deformao dos gros por meio de trao, compresso ou toro. Resulta no aumento da resistncia mecnica e da dureza, e diminuio da resistncia corroso e da ductilidade, ou seja, decrscimo do alongamento e da estrico. O processo realizado abaixo da zona de temperatura crtica (720 C).Tratamento do ao:Recristalizao a transformao pela qual minerais cristalinos em dissoluo formam novos cristais.Extruso: Sada forada, expulso.5Alteraes das propriedades devido a uma deformao mecnica a frio Aumento da resistncia trao Aumento da dureza Reduo da ductilidade Reduo da tenacidade Reduo da resistncia corroso

Alteraes das propriedades devido a uma deformao mecnica a frio:

Para verificar se o material recebido na obra certificado necessrio observar se a etiqueta possui o logotipo do Inmetro e do rgo certificador. Alm disso, a NBR 7480 prescreve que toda barra nervurada (barras de ao CA-50), em todas as bitolas, apresente marcas de laminao em relevo, identificando o produtor com o registro no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), identificao do produtor e categoria do material e seu respectivo dimetro nominal.

Dados que devem conter na etiqueta: Dados do fabricante: (nome, endereo e pas de origem); Dados do importador: (nome, endereo); Categoria; Dimetro nominal; Corrida; Dimenso linear; Peso; N de barras no feixe; Selo de Identificao do INMETRO e logotipo do rgo certificador.

Como possvel ter certeza que uma barra de ao est de acordo com as normas especificadas da NBR 7480?So os processos empregados para dar forma ao metal, transformando-os em peas geomtricas variadas em funo da aplicao. Que podem ser por dois processos:

Processos de conformao:Fundio: o processo de conformao que consiste na fuso do metal, sendo o mesmo,em seguida, vertido em moldes que possuemo formato da pea que se quer produzir, esperando, posteriormente, a sua solidificao e desforma

Deformao mecnica: o processo de conformao que consiste em deformarplasticamente o metal, atravs esforos mecnicos sucessivos, sem, no entanto, o metal entrar no estado lquido.Limite de escoamento mnimo definido pela classe do ao;Limite de resistncia mnimo que a tenso definida pela relao entre a carga mxima obtida no ensaio e a rea da seo nominal do ao;Alongamento que a relao entre o valor do alongamento, aps a ruptura, e o comprimento inicial da amostra, em percentual Base de clculo 10 ;

A% = Lf Li x 100 Li

Dobramento que um ensaio onde a amostra dobrada a 180 sobre um pino, cujo dimetro depende do dimetro da amostra e da classe do ao;Massa por metro linear que o ensaio para determinar o desbitolamento do ao, sendo de 6% para os fios e de 10% para as barras com dimetro igual ou inferior a 10 mm e de 6% para bitolas superiores a 10 mm.

Principais requisitos:http://www.ifbauer.org.br/html/pdf/FAQ_metal.pdf

http://www.fec.unicamp.br/~almeida/au405/Acos.pdf

http://www.portaldoconcreto.com.br/cimento/concreto/aco.html

http://www.pedreirao.com.br/geral/armacao-e-acos/tipos-de-acos-usados-na-construcao-civil-passo-a-passo/

ftp://ftp.unilins.edu.br/emilio/concreto1-2004-Rev%202010/03%20Acos%20(1).pdf

http://www.comunidadedaconstrucao.com.br/upload/ativos/119/anexo/modiii.pdf

http://www.tecomat.com.br/angelo/arquivos/Aco.pdfBibliografia: