A SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA DE ENFERMAGEM NO PERIODO

  • Published on
    16-Jul-2015

  • View
    447

  • Download
    0

Transcript

A SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA DE A SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA ENFERMAGEM NO PERIODO DO CLIMATERIO E DA DE ENFERMAGEM NO PERIODO DO MENOPAUSA, REALIZADO NA UNIDADE BSICA DE CLIMATERIO E DA MENOPAUSA, SADE DE STIO NOVO DO TOCANTINS COM MULHERES NA FAIXA ETRIA DE 45 A 55 ANOS REALIZADO NA UNIDADE BSICA DE SADE DE STIO NOVO DO TOCANTINS COM MULHERES NA FAIXA ETRIA DE 45 A 55 ANOS

INTRODUO No Brasil, a sade da mulher foi incorporada s polticas nacionais,nas primeiras dcadas do sculo XX; No final dos anos 60, foi criado o Programa de Sade Materno Infantil; Em 1984 foi criado o Programa de Assistncia Integral Sade da Mulher (PAISM);

INTRODUO O climatrio e menopausa um perodo de transio da vida da mulher; Necessita de uma assistncia, voltada pra esta fase; Faz-se necessrio a implementao da Sistematizao da Assistncia de Enfermagem

Objetivos Objetivo geral: - Aprimorar a assistncia a sade da mulher no perodo do climatrio e da menopausa atravs da Sistematizao da Assistncia de Enfermagem na Ateno Bsica;

Metodologia um estudo transversal descritivo quantitativo com uma abordagem qualitativa, realizado na cidade de Sitio Novo do Tocantins, com duas Equipes de Sade da famlia a 0001 e a equipe 0004 localizadas na Unidade Bsica de Sade de Stio Novo do Tocantins, comunidades estas que foram coletados os dados tendo como publico alvo mulheres na faixa etria de 45 a 55 anos de idade que esto passando pelo perodo do climatrio e menopausa.

MetodologiaO instrumento utilizado foi questionrios aplicados para 70 mulheres, no perodo de setembro a novembro de 2010, sendo que 36 eram da faixa etria de 45 a 49 anos de idade e 34 de 50 a 55 anos, entrevistas realizadas durante palestras para pequenos grupos de mulheres para se obter dados referentes Sistematizao da Assistncia de Enfermagem nesta fase e sobre o conhecimento destas clientes em relao ao que climatrio e menopausa e o porqu deste processo.

Climatrio e Menopausa Climatrio X MenopausaComo cita Brasil: O Climatrio/Menopausa uma fase de mudanas, transformao e adaptao, como adolescncia;

http://www.ervadocemanipulacao.com.br/saude.html

forumplp.org.br

Disponvel em www.tripod.com

Sistematizao da Assistncia de Enfermagem Wanda Horta Relata que o processo de enfermagem a dinmica das aes sistematizadas e inter-relacionadas, visando a assistncia ao ser humano. Caracteriza pelo inter-relacionamento dinamismo de suas fases.

Sistematizao da Assistncia de Enfermagem uma ao privativa do Enfermeiro que possam contribuir para a promoo, preveno, recuperao e reabilitao da sade do indivduo, famlia e comunidade

Sistematizao da Assistncia de Enfermagem A sistematizao da assistncia de enfermagem a assistncia ao ser humano com uma viso holstica; No decreto 94406/87 regulamenta a lei 7498/86 de 25 de junho de 1986,que dispe sobre o exercicio profissional de enfermagem

Sistematizao da Assistncia de Enfermagem No artigo 8 nas alneas c, e e f: - C: planejamento, organizao, coordenao, execuo e avaliao; - E: consulta de enfermagem - F: prescrio da assistncia de enfermagem

Sistematizao da Assistncia de Enfermagem A Resoluo do COFEN 272/2002 dispe sobre a Sistematizao da Assistncia de Enfermagem (SAE) nas instituies de Sade Brasileiras; Na Resoluo do COFEN 358/2009 dispe sobre a Sistematizao da Assistncia de enfermagem

Sistematizao da Assistncia de Enfermagem Promover a sade das mulheres no climatrio considerar a relao de cada uma com seu prprio corpo, com as mudanas visveis que esto ocorrendo e suas reaes fsicas e emocionais;

Etapas da Sistematizao da Assistncia de Enfermagem Histrico de Enfermagem Diagnstico de Enfermagem Planejamento Implementao Evoluo ou Avaliao de Enfermagem

Humanizao na Assistncia a Mulher no perodo do Climatrio e Menopausa O profissional de sade dever acolher esta mulher oferecendo-lhe um atendimento humanizado se atentando para todos os aspectos e dvidas que se propagam nesta fase

Resultados e discusses Foram entrevistadas 70 mulheres; Tirado a mostra de duas Equipes de Sade da Famlia da Unidade Bsica de sade de Stio novo do Tocantins;

9.1 Tabela 2: Amostra dos Dados obtidos atravs da entrevista realizada com as mulheres de 45 a 55 anos de idade.COM QUANTOS ANOS SURGIRAM OS PRIMEIROS SINAIS 35 A 40 33% ANOS DO CLIMATERIO40 A 45 ANOS 45 A 50 ANOS 50 A 55 ANOS 31% 27% 8.5% 8.5%

VOC SABE O QUE CLIMATERIO E MENOPAUSA

SIM

NO

91.4%

NESSE PERIODO DO CLIMATERIO E MENOPAUSA QUAIS OS SINTOMAS, MAS FREQUENTES QUE SURGIRAM NO SEU DIA-DIAPERDA DO LIBIDO DOR DURANTE A RELAO SEXUAL 14% SUDORESE NOTURNA 6% ONDAS DE CALOR 53% INSNIA

4%

23%

EXISTE UMA ASSISTENCIA VOLTADA PRA SADE DAS SIM 7% MULHERES NESTA FASE NA UNIDADE BSICA DE NO 93% SADE

VOC J ASSISTIU ALGUMA PALESTRA QUE SIM 7% ABORDARAM ESTE PROCESO DO CLIMATRIO E DA NO 93% MENOPAUSA

COMO VOC AVALIA A ASSISTENCIA NA UNIDADE BSICA DE SADE VOLTADA PARA A SADE DA MULHER NO PERIODO DO CLIMATERIO E MENOPAUSABOM 1% TIMO 0 REGULAR 11% RUIM 19% NO EXISTE 68% 33% 67% 14%

EXISTE UM BOM ACOLHIMENTO NA SIM UNIDADE BSICA DE SADE NO E O PROFISSIONAL DE SADE LHE SIM OFERECE UM ATENDIMENTO ADEQUADO, REALIZANDO UM EXAME FISICO DETALHADO E APLICANDO PLANOS DE CUIDADOS PARA AMENIZAR OS SINAIS E SINTOMAS E NO LHE OFERECER UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA

86%

Consideraes finaisCom este estudo percebe-se que h um dficit na assistncia oferecida a sade da mulher nesta fase de mudanas e adaptaes, caracterizada por climatrio e menopausa, sendo considerada um perodo de transio da vida reprodutiva para a no reprodutiva, chegando ao final do ultimo ciclo menstrual. O que nos leva a acreditar que faz-se necessrio, a implementao da Sistematizao da Assistncia de Enfermagem e o desenvolvimento de protocolos de atendimento durante este perodo de transio vivenciado por estas pacientes, foi ainda relatado pelas mesmas a presena de vrios questionamentos a respeito deste processo fisiolgico. Atravs da analise dos dados pode se confirmar o alto ndice de falta de conhecimento e a ausncia de uma assistncia eficaz nesta fase na Unidade Bsica de sade.

Por tanto conclui-se que o atendimento dever ser individual, dinmico e sistematizado, atentando-se para todos os aspectos envolvidos neste processo do climatrio e menopausa. O profissional de sade dever por em prtica todos os protocolos do Ministrio da Sade em relao ao perodo do climatrio e menopausa traando metas para desenvolver uma educao em sade, promoo e preveno da sade atravs de um olhar holstico.

Referncias - ALFARO- LEFEVRE, Rosalinda. Aplicao do processo de enfermagem: promoo do cuidado colaborativo.5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005. - ARAGO, Oliveira, Carolina: Assistncia de Enfermagem mulher no Climatrio: Enfrentamento feminino das alteraes biopsicossociais. Publicado em: 6/07/2009. Disponvel em: http://www.webartigos.com/ acessado no dia 03 de maio de 2010. - BERNI, N. I. de O.; LUZ, M. H.; KOHLRAUSCH, S. C. Conhecimento, percepes e Assistncia sade da mulher no climatrio. Revista Brasileira Enfermagem. Braslia, v.60,n.3, p.299-306, Jun 2007. Disponvel em:. Acesso em: 30 de maro de 2010. - BRASIL. Ministrio da Sade de Ateno sade. Departamento de Aes Programticas Estratgicas. Manual de Ateno Mulher no Climatrio/ Menopausa/ Ministrio da Sade, Secretaria de Ateno Sade. Departamento de Aes Programticas Estratgicas .- Braslia: Editora do Ministrio da Sade, 2008. Brasileira Ginecologia Obstetrcia, Caxias do Sul, v.27, n.1, p. 7-11, 2005. Disponvel em:. Acesso em: 22 de Setembro de 2009. - DE LORENZI, D. R. S.; BARACAT, E. C.; SACILOTO, B.; PADILHA JR, I. Fatores associados qualidade de vida aps menopausa. Revista da Associao Mdica Brasileira, So Paulo, v. 52, n. 5, p. 312- 317, Out. 2006. Disponvel em:. Acesso em: 2 de maro de 2010. - DE LORENZI, Dino Roberto Soares; CATAN, Lenita Binelli; MOREIRA, Karen; ARTICO,Graziela Rech. Assistncia mulher climatrica: novos paradigmas. Revista Brasileira Enfermagem, Braslia, v. 62, n. 2, p. 287-93, Abr. 2009 . Disponvelem:. Acesso em: 03 de Abril de 2010. - DE LORENZI, Dino Roberto Soares; DANELON, Claudia; SACILOTO, Bruno; PADILHA JR., Irineu. Fatores indicadores da sintomatologia climatrica. Revista

GUYTON, Arthur C. Fisiologia humana 6.ed.. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988. 5 - HORTA,Vanda de Aguiar. Processo de Enfermagem. So Paulo: EPU, 1979. - PINOTI, Jos Aristodemo, Hans Wolfgang Halbe, Roberto Hegg. Menopausa.- So Paulo, ed. 1 Rocca, 1995. - Resoluo do COFEN- 272/2002. Dispe sobre a sistematizao de enfermagem (SAE) nas instituies de sade brasileiras. 27 de Agosto de 2002. disponvel em:www.portalcofen.gov.br/ acessado no dia 04 de outubro de 2010 - Resoluo do COFEN- 358/2009. Dispe sobre a Sistematizao da Assistncia de Enfermagem e a implementao do Processo de Enfermagem em ambientes, pblicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e d outras providncias. Braslia-DF, 15 de outubro de 2009. disponvel em:www.portalcofen.gov.br/ acessado no dia 04 de outubro de 2010. - Silva ALR, Pereira A. Sistematizao da assistncia de enfermagem: o significado atribudo pela enfermeira. In: Anais do 56 Congresso Brasileiro de Enfermagem; 2004 Out 24-29; Gramado, Brasil. Braslia (DF): ABEn-Nacional; 2005 [acesso 17 de maio de 2010]. Disponvel em: http://bstorm.com.br/enfermagem - SILVA, Nilce Maria Lima. Bezerra, Maria Lvia Alexandre Fao. Borges, Renata Nayara de Lima. Portela, Graciela Lima Costa. Souza, Renan Modesto. Luna, Geisy Lanne Muniz. Os Cuidados De Enfermagem A Uma Mulher Climatrica: Um Estudo De Caso. 61 Congresso Brasileiro de Enfermagem; 2009 Dez 7-10; Fortaleza, Brasil. Braslia (DF): ABEn-Nacional; 2009 [ acesso em 14 de outubro de 2010]. Disponvel em http://www.abeneventos.com.br/anais_61cben/files/ 01532.pdf - SMELTZER, Suzanne C. Tratado de Enfermagem Mdico-Cirurgica. V.1.10ed. Rio

Recommended

View more >