2016 RELATRIO SOCIOAMBIENTAL ANEEL CTG ?rio-Socio... A CTG Brasil ... indicador que apontam nossa

  • Published on
    09-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

2016 RELATRIO SOCIOAMBIENTAL ANEEL CTG BRASIL -2- ndice SOBRE O RELATRIO .................................................................................................................. 4 MENSAGEM DO PRESIDENTE ..................................................................................................... 5 1. A CHINA THREE GORGES CORPORATION ............................................................................. 7 A CTG Brasil ..................................................................................................................... 7 Produo de Energia Eltrica .......................................................................................... 7 1.2.1 Controles de riscos ............................................................................................ 8 Usinas hidreltricas ......................................................................................................... 8 1.3.1 UHE Jupi e Ilha Solteira ................................................................................... 8 1.3.2 UHE de Garibaldi ............................................................................................... 9 1.3.3 UHE Salto ........................................................................................................ 10 O que move a CTG Brasil ............................................................................................... 11 Estratgia de Sustentabilidade ..................................................................................... 12 Responsabilidade com partes interessadas .................................................................. 13 Indicadores Gerais ........................................................................................................ 14 2. Estrutura da Governana .................................................................................................. 16 Competncias da Governana ...................................................................................... 17 3. INDICADORES ECONMICO-FINANCEIROS ........................................................................ 19 4. Indicadores sociais (internos e externos) .......................................................................... 22 Empregados e colaboradores ....................................................................................... 22 4.1.1 Perfil dos empregados .................................................................................... 22 4.1.2 Nvel de satisfao interna ............................................................................. 23 4.1.3 Gesto de contratos ........................................................................................ 23 4.1.4 Diversidade e Discriminao ........................................................................... 26 4.1.5 Remunerao, benefcios e carreira ............................................................... 27 4.1.6 Participao nos resultados ............................................................................ 28 4.1.7 Perfil da remunerao .................................................................................... 29 4.1.8 Sade e segurana no ambiente de trabalho ................................................. 29 4.1.9 Desenvolvimento profissional ......................................................................... 30 -3- 4.1.10 Comportamento frente a demisses .............................................................. 32 4.1.11 Preparao para a aposentadoria .................................................................. 34 Fornecedores ................................................................................................................ 34 Consumidores ............................................................................................................... 35 Comunidade .................................................................................................................. 36 4.4.1 Indicadores sociais externos ........................................................................... 39 4.4.2 Comunicao e relacionamento com a comunidade local ............................. 40 4.4.3 Programas de Engajamento com a comunidade ............................................ 41 4.4.4 Educao ambiental: Programa de Visitas ..................................................... 41 Governo e Sociedade .................................................................................................... 42 4.5.1 Prticas anticorrupo e antipropina ............................................................. 42 4.5.2 Liderana, influncia social e polticas pblicas.............................................. 42 Indicadores do Setor eltrico ........................................................................................ 42 4.6.1 Pesquisa e desenvolvimento tecnolgico e cientfico ..................................... 42 4.6.2 Pesquisa e desenvolvimento tecnolgico e cientfico: Projeto Rio Verde S/A 45 5. indicadores ambientais .................................................................................................... 47 Mitigao dos impactos ambientais ............................................................................. 47 Biodiversidade ............................................................................................................... 49 Emisses ........................................................................................................................ 51 Resduos e efluentes ..................................................................................................... 52 Energia .......................................................................................................................... 53 gua .............................................................................................................................. 54 Educao Ambiental ..................................................................................................... 54 Hidrulica ...................................................................................................................... 55 -4- SOBRE O RELATRIO GRI 102-1, GRI-102-5 O relatrio Socioambiental ANEEL da CTG Brasil contempla as informaes relacionadas China Three Gorges Brasil Energia Ltda. (CTG Brasil) e s usinas hidreltricas das empresas Rio Paran S.A (Usinas Jupi e Ilha Solteira)1, Rio Canoas S.A (Usina Garibaldi) e Rio Verde S.A (Usina Salto), para o perodo de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2016. importante ressaltar que para os indicadores sociais, exceo dos envolvendo dados das demonstraes financeiras, foram includas informaes pertinentes ao escritrio de So Paulo, designado ao longo do relatrio como Corporativo, objetivando dar maior detalhamento das reas corporativas que atendem as empresas da CTG Brasil. O relatrio socioambiental incorporou os itens de divulgao da norma GRI (Global Reporting Initiative) conforme a lista abaixo. O detalhamento dos indicadores e demais informaes relatadas est descrito no ndice de Contedo GRI, no final desse relatrio. Em Julho de 2016, o grupo econmico Rio Paran S.A passou a ser de total responsabilidade da CTG Brasil, portanto, alguns dados das usinas Jupi e Ilha Solteira possuem dados apenas referentes ao segundo semestre. Cadernos GRI utilizados: GRI 102 - Itens de divulgao gerais GRI 103 - Formas de gesto GRI 201 - Performance econmica GRI 202 - Presena de mercado GRI 203 - Impactos econmicos indiretos GRI 302 - Energia GRI 303 - gua GRI 304 - Biodiversidade GRI 305 - Emisses GRI 306 - Efluentes e resduos GRI 401 - Empregados GRI 403 - Sade e segurana ocupacional GRI 404 - Treinamento e educao GRI 405 - Diversidade e Igualdade de oportunidades GRI 413 - Comunidades Locais GRI G4 - Setorial do setor eltrico 1 A empresa Rio Paran S.A, alm de ter duas usinas, possui uma capacidade instalada muito maior em comparao s usinas dos demais grupos, sendo assim, os dados dessa empresa em geral, so bem maiores que os demais. -5- MENSAGEM DO PRESIDENTE GRI 102-14 O ano de 2016 foi um marco nas operaes da CTG Brasil. Apoiados em uma viso de longo prazo, estabelecemos parcerias estratgicas, adquirimos concesses e companhias que j atuavam no mercado eltrico e assim assumimos a posio de segunda maior geradora privada de energia limpa do pas, com 8,27 GW de capacidade instalada. Passamos de uma receita de R$ 16,3 milhes em 2015 para R$ 3,5 bilhes em 2016, indicador que apontam nossa grande transformao desde que iniciamos as atividades no Brasil, em 2013. E ampliamos nosso quadro de colaboradores de 107 para 782 pessoas*, proporcionando novas oportunidades no mercado de trabalho. Mesmo diante do cenrio econmico adverso de 2016, a CTG Brasil apresentou bom desempenho operacional e financeiro e cumpriu as metas estabelecidas para o ano. O resultado foi beneficiado principalmente pela entrada das receitas provenientes do contrato de concesso das usinas Jupi e Ilha Solteira, firmado no incio do ano, e pela incorporao de 100% das receitas das usinas de Salto e Garibaldi. Encerramos o exerccio fiscal com um quadro saudvel de gerenciamento de caixa e sustentabilidade financeira. Os bons resultados representaram R$ 4,6 bilhes em valor adicionado, recursos revertidos em benefcio de governo e sociedade, empregados, financiadores e acionistas. Foi um perodo importante tambm para expressarmos a viso de que a sustentabilidade parte integral dos nossos negcios. Alm de atuarmos com energias renovveis, temos a convico de que temas como proteo de biodiversidade, uso racional de recursos naturais, relacionamento com as comunidades e gerao de emprego e renda local so essenciais para o bom desempenho empresarial. Estabelecemos um programa de integrao para criar um ambiente mais prximo e colaborativo, uma vez que nosso quadro de empregados passou a reunir pessoas que faziam parte de diferentes empresas. Divulgamos institucionalmente misso, viso e valores da CTG Brasil, buscando uma forte e slida identidade cultural. Fortalecemos ainda nosso sistema de governana, com a instituio de um Departamento de Compliance, Riscos e Auditoria Interna. Deixamos claro que excelncia operacional prioridade da gesto, com foco na melhoria contnua. Esse o direcionamento dado s operaes das usinas hidreltricas que controlamos integralmente como Salto, Garibaldi, Ilha Solteira e Jupi, adquiridas entre o final de 2015 e meados de 2016 , aos ativos no Rio Paranapanema comprados da Duke Energy e assumidos no final do ano e s geradoras detidas em conjunto com parceiros estratgicos. Essa nfase em excelncia fundamental em nosso segmento de atuao, em que o risco hidrolgico um dos principais fatores que ameaam o desempenho dos negcios. Alm do regime inconstante de chuvas Figura 1: Li Yinsheng -6- registrado nos ltimos anos, com impacto sobre custos operacionais, est em andamento a reviso da Garantia Fsica das usinas hidreltricas brasileiras, o que pode reduzir receitas. So duas questes regulatrias cruciais que devero ser encaminhadas em 2017. A necessidade de assegurar os melhores padres de eficincia permite tambm compensar a necessidade de altos investimentos em modernizao e automatizao dos ativos antigos e os eventuais atrasos no retorno dos projetos de usinas em construo. Com suas necessidades energticas, o Brasil um mercado-chave para a CTG. Temos como core business o desenvolvimento e a operao de projetos de gerao de energia limpa em larga escala e acreditamos no potencial de combinar os conhecimentos do Brasil e da China para gerar solues de energia limpa para o futuro. As dificuldades atuais do ambiente de negcios no pas no mudam nossa viso de longo prazo. Mesmo que hoje nosso foco seja ganhar eficincia aps as vrias aquisies realizadas nos dois ltimos anos, continuaremos avaliando novas oportunidades de investimento, com decises baseadas em potencial de retorno. Sabemos dos grandes desafios que temos pela frente, mas acima de tudo identificamos grandes perspectivas de desempenho. Estamos dando incio integrao dos ativos da Duke Energy no Brasil, adquiridos no final de 2016, que adicionaro novas receitas lquidas anuais. Com o objetivo de fortalecer nossa excelncia operacional, prevemos ainda o incio do processo de modernizao das usinas de Jupi e Ilha Solteira, que representaro melhor confiabilidade para o setor eltrico alm de investimentos bastante relevantes nos prximos anos. Em 2017, implementaremos uma nova estrutura de governana da sustentabilidade, com metas para melhorar o desempenho nesses temas. Tambm pretendemos ampliar a transparncia na comunicao dos nossos resultados econmicos, sociais e ambientais, e evoluir no modelo de relatrio anual. A CTG Brasil est buscando um alinhamento com as normas da Global Reporting Initiative (GRI, este ano, fizemos um documento referenciado nas diretrizes da GRI, incluindo alguns itens de divulgao das novas Norma). Assumimos o compromisso de fortalecer nossa trajetria de solidez financeira e excelncia operacional, em uma estratgia que nasce da ideia central de integrao de culturas, pessoas, competncias e experincias para a construo do futuro. Trilharemos esse caminho com o apoio de acionistas, investidores e colaboradores e em parceria com clientes, fornecedores e comunidades. Juntos, vamos gerar valor em longo prazo, de maneira responsvel e sustentvel. Li Yinsheng Presidente *Considerando Rio Paranapanema Energia S.A. -7- DIMENSO GERAL 1. A CHINA THREE GORGES CORPORATION A China Three Gorges Corporation (CTG) um grupo de energia limpa focado no desenvolvimento e operao de hidreltricas de grande porte. A CTG tambm atua em negcios de energia renovvel, incluindo energia elica e solar. Presente em mais de 40 pases, a empresa hoje a maior produtora de energia hidreltrica do mundo, com capacidade instalada de aproximadamente 100 GW, tanto em operao como em construo. A CTG BRASIL GRI 102-1, 102-2, 102-3, 102-5, 102-6, 102-7, 102-10, 102-45 A CTG Brasil uma subsidiria 100% controlada pela China Three Gorges Corporation. A CTG Brasil uma empresa focada na gerao de energia limpa e no desenvolvimento de operaes de hidreltricas de grande porte. Entre seus ativos de gerao esto as Usina Hidreltricas (UHEs) Ilha Solteira, Jupi, Salto e Garibaldi, que sero foco deste relatrio. Em 2013, a CTG Brasil estabeleceu uma parceria estratgica com a Energias do Brasil, para investir no mercado de energia no Pas. No ano seguinte, a empresa adquiriu 50% de participao da hidreltrica de Santo Antnio do Jari (PA), 50% da hidreltrica de Cachoeira Caldeiro (AP) e 33,3% da hidreltrica de So Manoel (MT). Em 2015, a CTG Brasil adquiriu da Triunfo Participaes 100% das usinas de Salto (GO) e de Garibaldi (SC). Com a concesso adquirida em leilo do Ministrio de Minas e Energia, das usinas Jupi (SP) e Ilha Solteira (SP), assinada em janeiro de 2016, passou a ser a segunda maior geradora de energia limpa do Pas, com capital privado. Em dezembro de 2016, o Grupo CTG concluiu a aquisio dos ativos da Duke Energy no Brasil, ampliando sua capacidade instalada para 8,27 GW sob sua gesto e em participaes no Pas. Suportado por seu prprio parque de gerao no Pas, a CTG Brasil comercializa energia no territrio nacional por meio de contratos firmados tanto no Ambiente de Contratao Livre como no Ambiente de Contratao Regulada. Atualmente, a empresa possui 17 hidreltricas, 11 parques elicos e uma capacidade instalada de 8,27 GW. PRODUO DE ENERGIA ELTRICA GRI 102-6 A CTG Brasil possui um parque gerador onde a sua matriz energtica 100% limpa (hidrulico e elico). -8- A produo de energia eltrica das usinas hidreltricas (relatadas nesse documento) programada e executada de acordo com os Procedimentos de Rede e sob a coordenao do ONS - Operador Nacional do Sistema Eltrico, garantindo-se a preservao de seus ativos e o cumprimento de suas obrigaes sociais e ambientais. A busca da eficincia na produo se baseia na associao dos recursos fundamentais de disponibilidade, recursos hdricos e oportunidades de alocao de produo no Sistema Interligado Nacional (SIN). 1.2.1 Controles de riscos Em 2016, a CTG Brasil criou o departamento de Compliance, Riscos e Auditoria, o qual est responsvel por implementar as metodologias e ferramentas para fortalecimento da governana corporativa e gerenciamento de riscos. Em 2017, foi implementado o Programa de Compliance e a realizao de uma avaliao de risco em todas as empresas do grupo. USINAS HIDRELTRICAS GRI 102-4 1.3.1 UHEs Jupi e Ilha Solteira A Usina Hidreltrica Engenheiro Souza Dias (Jupi) teve sua construo concluda em 1974. Est localizada no Rio Paran, entre as cidades de Castilho (SP) e Trs Lagoas (MS). Sua concesso foi adquirida pela CTG Brasil em 2016. A usina dispe ainda de eclusa, que possibilita a navegao e a integrao hidroviria entre os rios Paran e Tiet. Esta usina possui 14 unidades geradoras e potncia instalada de 1.551,2 MW. Figura 2: Usina Hidreltrica Jupi Crditos Henrique Manreza -9- A usina Ilha Solteira foi concluda em 1978 e a maior do Estado de So Paulo. Est localizada no Rio Paran, entre os municpios de Ilha Solteira (SP) e Selvria (MS). Possui 20 geradores e sua potncia instalada de 3.444 MW. uma usina com alto desempenho operacional que, alm da produo de energia eltrica, de fundamental importncia para o controle da tenso e frequncia do Sistema Interligado Nacional. Por razes operacionais e energticas o reservatrio da usina hidreltrica Ilha Solteira integrado ao reservatrio da usina hidreltrica Trs Irmos, cuja concessionria a Tijo Energia, por meio do canal Pereira Barreto, com 9.600 m de comprimento. Concessionria de gerao de energia eltrica, nos termos do Contrato de Concesso n 01/2016-MME-UHEs Ilha Solteira e Jupi, celebrado com a Unio em 05.01.2016 pelo prazo de 30 anos aps 180 dias da assinatura do contrato, vigente, portanto at julho de 2046. Figura 3: Usina Ilha Solteira Crditos Henrique Manreza 1.3.2 UHE de Garibaldi A usina hidreltrica Garibaldi est localizada em Santa Catarina, entre os municpios de Abdon Batista e Cerro Negro, e tem capacidade instalada de 192 MW. A usina entrou em operao em 2013. Em novembro de 2015, aps o cumprimento de todas as condies precedentes no Contrato de Compra e Venda de Aes foi concluda a venda da totalidade da participao da controlada Rio Canoas Energia S.A. para a CTG Brasil. Atualmente, a Usina Hidreltrica de Garibaldi mantm 13 programas nas reas de educao, remanejamento e monitoramento ambiental, voltados promoo de um futuro sustentvel. Concessionria na condio de Produtor Independente de energia eltrica, nos termos do Contrato de Concesso 03/2010-MME-UHE Garibaldi com o Ministrio de Minas e Energia (MME), assinado em 14 de dezembro de 2010 cujo prazo de concesso originalmente correspondia a 35 anos. Atravs -10- do despacho ANEEL n 340/2016 referente a Repactuao do Risco Hidrolgico, houve extenso do prazo da outorga, vigente, portanto, at julho de 2046. Figura 4: UHE de Garibaldi Crditos Henrique Manreza 1.3.3 UHE Salto A Usina Hidreltrica Salto est localizada nos municpios de Cau e Itarum, no estado de Gois. Cem por cento de sua energia est negociada at 2026, por meio de Power Purchase Agreement PPA. A Usina de Salto tem capacidade de gerao de 116 MW e entrou em operao em 2010. Em 26 de novembro de 2015, aps o cumprimento de todas as condies precedentes no Contrato de Compra e Venda de Aes entre a antecessora e a CTG Brasil, foi concluda a venda da totalidade da participao que detinha em sua controlada Rio Verde Energia S.A. para a China Three Gorges Brasil Energia Ltda. Concessionria na condio de Produtor Independente de energia eltrica nos termos do Contrato de Concesso n 090/2002 - ANEEL, assinado em 11 de dezembro de 2002, cujo prazo de concesso de 35 anos, vigente, portanto, at dezembro de 2037. Considerando seu foco na responsabilidade socioambiental, a Usina Hidreltrica de Salto mantm atualmente 11 programas nas reas de educao e monitoramento. Figura 5: UHE Salto Crditos Henrique Manreza -11- O QUE MOVE A CTG BRASIL GRI 102-16 Misso Prover energia limpa para as pessoas por meio de projetos em harmonia com o planeta. Viso Tornar-se referncia em gerao de energia limpa no Brasil. Princpios e Valores Respeito Por tudo e por todos. Pela sociedade, funcionrios, parceiros e, sempre, muito respeito s diferenas. Integridade Vai muito alm das relaes internas. Move as aes entre a organizao e a sociedade, tendo a honestidade como princpio de todos ns. Dedicao Motivao, comprometimento e esforo para atingir os melhores resultados. Acreditamos que as recompensas so fruto de nossa dedicao. Excelncia Cultivamos uma cultura de alto desempenho, realizando nossos trabalhos com excelncia e buscando melhorar sempre. Simplicidade Realizamos tarefas com total transparncia, de maneira clara e objetiva. Felicidade Trabalhar bem, satisfeito e feliz. Ter orgulho em fazer parte da CTG Brasil, de se integrar e colaborar em busca do mesmo propsito. -12- ESTRATGIA DE SUSTENTABILIDADE Em 2016, a CTG Brasil iniciou um processo de desenvolvimento de sua estratgia de sustentabilidade com o apoio de uma consultoria externa. Para elaborao da estratgia foram utilizadas como base um diagnstico de responsabilidade social de suas usinas, com base na ISO26000, a avaliao de relatrios sociais e ambientais da CTG Corporation, entrevistas com partes interessadas e relatrios socioambientais de empresas do setor, alm de referncias tcnicas relevantes, como o protocolo de sustentabilidade da IHA (Internacional Hydropower Association) e as metas referentes aos ODS (Objetivos para o Desenvolvimento Sustentvel) da ONU. A partir da anlise destas fontes esto sendo desenvolvidos e aprovados os pilares estratgicos, os temas prioritrios, os objetivos estratgicos, as metas e os indicadores para implementao da estratgica de sustentabilidade. A CTG Brasil desenvolve as competncias essenciais para a organizao de seus colaboradores e lideranas, engajando constantemente os colaboradores e stakeholders com a cultura CTG Brasil. As polticas de recursos humanos foram desenvolvidas visando integrao efetiva entre os colaboradores e a organizao, resguardando os valores da organizao e vinculando ativamente as prticas estratgia de atingimento da misso da CTG Brasil. Dilogo com empregados e entidades relacionadas (sindicatos, conselhos de classes profissionais) so realizados baseados em legislao trabalhista vigente e normas regulamentadoras inerentes ao tema a ser abordado, e geralmente atrelado s tratativas alinhadas em negociao coletiva. A CTG Brasil elaborou o seu Cdigo de tica e Conduta nos Negcios em 2016. O documento foi lanado em Maro de 2017. A empresa est construindo os procedimentos e processos ambientais e socioambientais com referncia nas melhores prticas de gesto. Isso inclui o uso dos padres de sistema de gesto como referncia. Estes procedimentos e processos em elaborao futuramente podero ser consolidados em sistemas de gesto e, caso a empresa entenda ser importante, podero ser ajustados para pleitear uma certificao. A empresa ainda no aderiu a iniciativas externas. -13- RESPONSABILIDADE COM PARTES INTERESSADAS Informaes consolidadas das Usinas Rio Paran, Rio Verde e Rio Canoas - 2016 Partes Interessadas Detalhamento Canais de Comunicao Acionistas e investidores China Three Gorges Brasil Energia Ltda. 100% Empresas: Rio Paran (usinas Jupi e Ilha Solteira) Participao 67% Rio Verde Participao 100% Rio Canoas Participao 100% Reunies de Conselho Clientes RIO CANOAS Contratos Ambiente Distribuidoras 27 Regulado Consumidores 1 Livre Comercializadores 1 Livre Rio Verde Contratos Ambiente Comercializadores 1 Livre Rio Paran Contratos Ambiente Distribuidoras 45 Regulado Consumidores 1 Livre Comercializadores 28 Livre Consultas e reunies com departamento comercial Fornecedores GRI 102-9 A CTG Brasil e afiliadas, contam com cerca de 350 fornecedores ativos, desse total cerca 60% so fornecedores de materiais e 40% fornecedores de servios. A CTG Brasil e afiliadas se relacionam com seus fornecedores por meio de contatos telefnicos, e-mails e reunies presenciais. Ainda no dispomos de nenhuma plataforma eletrnica e encontros peridicos com nossos fornecedores/parceiros. Empregados, colaboradores, estagirios e parceiros 271 colaboradores Rio Paran 32 colaboradores Rio Canoas 63 colaboradores de Rio Verde Intranet, comunicados via email e murais, reunies com liderana e eventos rgos e programas pblicos - Ministrio Pblico Estadual MS (Trs Lagoas); IMASUL (Trs Lagoas) - Ministrio Publico SP (Andradina) - Regional Cetesb (Araatuba) - IBAMA (DF) - SECIMA (GO); Policia Ambiental de Salto (GO) - FATMA (SC) - Instituto de Terras do Estado de So Paulo - ITESP de Andradina - Policia Ambiental de Trs Lagoas, MS - Policia Ambiental de Ilha Solteira, SP - Policia Ambiental de Anita Garibaldi e Abdon Batista, SC - 1 Tabelionato de Notas e Ofcio do Registro de Imveis de Cau GO - 1 Oficio Registro de Imveis de Anita Garibaldi - SC - Ofcio do Registro Civil e Tabelionato de Notas de Vargem SC - Ofcio do Registro de Imveis de Iturama MG - Ofcio de Registro de Imveis e Anexos de Santa F do Sul SP Visitas formais; ofcios e relatrios -14- Informaes consolidadas das Usinas Rio Paran, Rio Verde e Rio Canoas - 2016 Partes Interessadas Detalhamento Canais de Comunicao - Ofcio de registros pblicos e tabelionato de protesto de ttulos de Aparecida do Taboado MS - Ofcio de Registro de Imveis e Anexos de Pereira Barreto SP - 4 tabelionato de notas e ofcio de registro de ttulos e documentos e de pessoas jurdicas de Trs Lagoas MS - ANEEL SPE Superintendncia de Pesquisa e Desenvolvimento Organizaes sociais, ambientais e comunidades Lar dos Idosos de Trs Lagoas, MS Lar dos Idosos de Selvria, MS Cooperativa de catadores de reciclveis - Ilha Solteira, SP Colnia de Pescadores de Trs Lagoas, MS Colnia de Pescadores de Santa F do Sul, SP. Asilo Betel de Castilho, SP UNESP de Ilha Solteira, SP UFMS de Trs Lagoas, MS IFMS, Instituto Federal do Mato Grosso do Sul, Campus de Trs Lagoas, MS Instituto Baggio Garibaldi, SC APAE Vargem, SC FAU UFU Fundao de Apoio Universitrio UFU Universidade Federal de Uberlndia Campanhas de Doao de material reciclvel (cooperativas); Campanhas de doao de produtos recolhidos e artesanatos (Asilos; APAE) Campanhas de Educao ambiental (Pescadores); Visitas e reunies tcnicas para futuros projetos (Universidades); Visitas formais; ofcios e relatrios. Disk Cheia Ouvidoria INDICADORES GERAIS Indicadores Gerais Unidade Rio Paran Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Informaes a serem relatadas2 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero de consumidores atendidos Cativos Unidade NA NA NA NA NA NA NA NA NA Nmero de consumidores atendidos Livres Unidade NA NA NA NA NA NA NA NA NA Nmero de localidades atendidas (municpios) Unidade NA NA NA NA NA NA NA NA NA Nmero de empregados prprios Unidade ND ND 271 11 29 32 2 21 63 Nmero de empregados Terceirizados GRI 102-8 Unidade ND ND 180 10 8 8 18 18 18 2 As informaes identificadas neste relatrio como NA indicam que o dado no aplicvel ao setor de gerao ou empresa. J a indicao ND significa que a informao no est disponvel, ou seja, no foi contabilizada ou de alguma forma no pode ser disponibilizada neste relatrio. Em alguns casos a CTG Brasil incluiu compromissos para relatar as informaes no disponveis nos prximos relatrios. -15- Indicadores Gerais Unidade Rio Paran Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Informaes a serem relatadas2 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero de escritrios comerciais3 Unidade ND ND 3 ND ND 3 ND ND 3 Energia gerada GRI EU2 GWh ND ND 21.375,84 915,65 1.166,59 949,49 581,17 636,29 618,61 Energia comprada (GWh), de: GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA 1) Itaipu GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA 2) Leilo (inclusive leilo das geradoras federais) GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA 3) Suprimento de Concessionria GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Perdas eltricas globais GWh ND ND ND ND ND ND ND ND ND Perdas eltricas Total (%) sobre o requisito de energia % ND ND ND 2,30 2,30 2,31 2,30 2,30 1,34 Perdas tcnicas (%) sobre o requisito de energia % ND ND ND 1 1 1,23 1 1 1,59 Perdas no tcnicas (%) sobre o requisito de energia % ND ND ND ND ND ND ND ND ND Energia vendida GWh ND ND 28.518,36 812,22 718,39 685,15 650,48 573,29 574,85 Residencial GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Industrial GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Comercial GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Rural GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Poder pblico GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Iluminao pblica GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Servio pblico GWh NA NA NA NA NA NA NA NA NA Subestaes Unidade NA NA NA NA NA NA NA NA NA Capacidade instalada (MW) GRI EU1 MW ND ND 4995,2 191,9 191,9 191,9 116 116 116 Linhas de transmisso Km ND ND NA 21 31,23 31,23 23 23 23 Venda de energia por capacidade instalada (GWh/MW*No horas/ano) tx ND ND 13,06 4,23 3,74 3,57 5,61 4,94 4,96 Energia vendida por empregado MWh ND ND 105,23 73,84 24,77 21,41 325,24 27,3 9,12 Valor adicionado / MWh Vendido R$ / MWh ND ND 318,35 258,59 109,44 114,26 69,85 96,57 197,79 Disponibilidade mdia das Usinas - GRI EU30 Unidade Usina Jupi Usina Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto % 92,65% 91,88% 95,13% 93,78% 3 A CTG Brasil possui trs escritrios corporativos (So Paulo, Curitiba e Braslia) que do suporte as operaes de todas as suas usinas. -16- DIMENSO GOVERNANA CORPORATIVA 2. ESTRUTURA DA GOVERNANA GRI 102-17, 102-18 CTG Brasil Energia Ltda. A estrutura estatutria de governana da CTG Brasil composta pelo Conselho Consultivo e diretoria, com mandato indeterminado. O conselho consultivo composto por 3 (trs) membros, residentes no Brasil ou no exterior. A Diretoria composta por 4 (quatro) membros (denominados individualmente como diretores), residentes no Brasil e nomeados pelos scios, sendo um deles designado como Diretor Presidente. A nomeao dos diretores depender da aprovao da unanimidade dos scios. A CTG Brasil planeja implementar no 1 Sem/2017 o Programa de Compliance, que inclui, dentre outros, Cdigo de tica e Conduta nos Negcios, Canal de tica, Polticas e Procedimentos relacionados com o tema e treinamentos. Rio Verde, Rio Canoas e Rio Paran A estrutura estatutria de governana composta pelo conselho de administrao e diretoria, com mandato de 3 anos, com possibilidade de reeleio, podendo ser instalado o conselho fiscal, mediante solicitao do acionista. Quando instalado, o conselho fiscal, obedecidas as disposies legais, ser composto de 3 (trs) a 5 (cinco) membros efetivos e igual nmero de suplentes, com mandato at a Assembleia Geral Ordinria seguinte de sua eleio, podendo ser reeleitos. O conselho da administrao, na Rio Verde e Rio Canoas est composto por 4 membros, sendo um presidente, um vice-presidente e dois conselheiros sem designao especfica; e na Rio Paran est composto por 6 membros, sendo um presidente, um vice-presidente e quatro conselheiros sem designao especfica; rgo de deliberao colegiada que deve fornecer o direcionamento estratgico, fixar as polticas, atuar de forma a proteger o patrimnio da Companhia, assegurar o cumprimento do objeto social e orientar a diretoria para maximizar o valor da empresa. Os -17- conselheiros da administrao so eleitos pela Assembleia Geral e a diretoria pelo conselho de administrao. A diretoria composta por 3 membros, todos sem designao especfica. Considerando que nenhuma das sociedades acima so companhias abertas listas na Comisso de Valores Mobilirios (CVM), a empresa no classificada dentre os nveis de governana. COMPETNCIAS DA GOVERNANA GRI China Three Gorges Brasil Energia Ltda. As competncias do Conselho Consultivo esto elencadas no Contrato Social da sociedade, dentre as quais podemos destacar: (i) supervisionar as aes dos diretores, examinar, a qualquer tempo, os livros e documentos da Sociedade, requerendo informaes sobre os contratos celebrados ou a serem celebrados, e quaisquer outros atos; (ii) examinar o relatrio da administrao, as contas da Diretoria e as demonstraes financeiras; (iii) declarar quaisquer dividendos ou juros sobre o capital prprio bem como submeter reunio de scios proposta para a aprovao das demonstraes financeiras da Sociedade e proposta para a distribuio de dividendos ou de juros sobre capital prprio e destinao do lucro lquido anual; (iv) aprovar e/ou modificar o plano anual de negcios, o oramento anual ou o oramento de dispndio de capital (capex) da Sociedade; (v) manifestar-se previamente sobre qualquer assunto a ser submetido reunio de scios; (vi) submeter reunio de scios proposta de emisso ou alienao de quotas, valores mobilirios ou outros ttulos com direito a voto da Sociedade; (vii) submeter reunio de scios proposta para estabelecer e determinar os termos de quaisquer planos de remunerao ou benefcios e de quaisquer valores de remunerao e bnus aos diretores da Sociedade; (viii) submeter reunio de scios proposta de dissoluo, liquidao, recuperao judicial ou extrajudicial, venda, transformao de tipo jurdico, fuso, ciso ou incorporao da Sociedade ou fuso ou incorporao de ou com qualquer outra entidade na ou pela Sociedade; (ix) aprovar a deliberao sobre qualquer matria que lhe seja submetida pela Diretoria. Rio Verde, Rio Canoas e Rio Paran As competncias do Conselho de Administrao e da Diretoria esto descritas nos respectivos Estatutos Sociais das empresas, dentre os quais podemos destacar: (a) eleger os membros da Diretoria, fixando sua competncia e remunerao mensal individual, respeitando o montante global estabelecido pela Assembleia Geral; (b) fixar a orientao geral dos negcios da Companhia -18- aprovando previamente polticas empresariais, projetos, oramentos anuais e plano quinquenal de negcios, bem como suas revises anuais; (c) fiscalizar a gesto dos Diretores, examinando, a qualquer tempo, papis da Companhia, solicitando, atravs do Presidente, informaes sobre contratos celebrados, ou em vias de celebrao, e quaisquer outros atos; (d) aprovar planos de participao de lucros, bem como o estabelecimento de critrios para remunerao e polticas de benefcios da Diretoria e dos empregados da Companhia; (e) convocar a Assembleia Geral, quando julgar conveniente, ou nos casos em que a convocao determinada pela lei ou por este Estatuto Social; (f) manifestar-se sobre o Relatrio da Administrao, as contas da Diretoria e as demonstraes financeiras, definir a poltica de dividendos e propor Assembleia Geral a destinao do lucro lquido de cada exerccio; (g) deliberar sobre a seleo ou destituio dos auditores externos da Companhia; (h) deliberar sobre a contratao de emprstimo ou assuno de dvida que resulte no endividamento da Companhia alm dos limites previstos no oramento anual ou no plano quinquenal. Em 2016 a CTG Brasil ainda no tinha estruturado sua governana de sustentabilidade, mas, a partir de 2017 vem desenvolvendo sua estratgia de sustentabilidade que contar com a seguinte Governana de Sustentabilidade: Comit de Sustentabilidade (formado por gerentes snior e diretores) e Comisso de Sustentabilidade (formada por gerentes, especialistas e analistas) e as atividades desses grupos sero sempre validadas pela alta administrao (presidente e board), que fornecer tambm orientao estratgica nesse tema. Sobre a remunerao dos funcionrios da CTG Brasil, utiliza-se como premissa mant-la em linha com o mercado, fator que contribui para elevar o grau de satisfao dos funcionrios com a empresa e, portanto, permite a busca da eficcia organizacional. O principal objetivo da remunerao a atrao e reteno dos funcionrios que possuam as competncias requeridas pela CTG Brasil. A poltica a mesma para funcionrios e alta administrao. -19- DIMENSO ECONMICO-FINANCEIRA 3. INDICADORES ECONMICO-FINANCEIROS GRI 201-14 Gerao de riqueza Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Informaes a serem relatadas 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Receita operacional (receita bruta de vendas de energia e servios) R$ mil ND ND 3.418.713 294.789 148.484 128.876 144.146 133.201 146.214 Fornecimento de energia R$ mil ND ND 0 0 0 0 0 0 0 Insumos (insumos adquiridos de terceiros) R$ mil ND ND - 34.046 -60.536 -26.941 -19.120 -77.007 -47.261 -15.505 Resultado no operacional R$ mil ND ND 0 0 0 0 0 0 0 = Valor Adicionado Bruto R$ mil ND ND 3.384.667 234.253 121.543 109.756 67.139 85.940 130.709 (-) Quotas de reintegrao (depreciao, amortizao) R$ mil ND ND - 160.246 -24.719 -36.322 -37.100 -23.111 -24.369 -24.195 = Valor Adicionado Lquido R$ mil ND ND 3.224.421 209.534 85.221 72.656 44.028 61.571 106.514 + Valor Adicionado Transferido (receitas financeiras, resultado da equivalncia patrimonial) R$ mil ND ND 1.223.768 500 3.093 5.632 1.409 2.257 7.187 = Valor Adicionado a Distribuir R$ mil ND ND 4.448.189 210.034 88.314 78.288 45.437 63.828 113.701 Outros indicadores financeiros Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Informaes a serem relatadas 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Receita operacional bruta R$ mil ND ND 1.382.915 294.789 148.484 128.876 144.146 133.201 146.214 Dedues da receita R$ mil ND ND 1.806.082 -13.613 -15.092 - 13.020 -14.629 -13.521 - 4.783 Receita operacional lquida R$ mil ND ND 3.188.997 281.176 133.392 115.856 129.517 119.680 131.431 4 Os indicadores referentes a investimentos na concesso no so aplicveis ao negcio da CTG Brasil. -20- Outros indicadores financeiros Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Informaes a serem relatadas 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Custos e despesas operacionais do servio R$ mil ND ND -247.929 -94.648 -82.564 -76.600 -100.565 -84.281 -59.728 Resultado operacional R$ mil ND ND 2.941.068 186.528 50.828 39.256 28.952 35.399 71.703 Receitas Irrecuperveis R$ mil ND ND 0 0 0 0 0 0 0 Resultado do servio R$ mil ND ND 0 0 0 0 0 0 0 Resultado financeiro R$ mil ND ND 595.322 -46.512 -53.961 -42.147 -17.535 -10.825 -17.858 IRPJ/ CSSL R$ mil ND ND -270.146 -9.262 816 363 -1.805 -8.392 -17.871 Lucro lquido R$ mil ND ND 3.266.244 130.754 -2.317 -2.528 9.612 16.182 35.974 Juros sobre o capital prprio R$ mil ND ND 0 0 0 0 7.628 0 0 Dividendos distribudos R$ mil ND ND 1.216.676 31.054 0 0 2.783 11.841 8.544 Custos e despesas operacionais por MWh vendido R$ mil ND ND 9 117 115 112 155 147 100 Riqueza (valor adicionado lquido) por empregado R$ mil ND ND 16414 9.177 2.154 2.447 3.399 1.773 1.805 Riqueza (valor a distribuir) por receita operacional % ND ND 139,49 71,80 66,21 67,57 31,49 53,33 86,51 EBITDA ou Lajida R$ mil ND ND 3.101.314 211.247 87.150 76.356 52.063 59.768 95.898 Margem do EBITDA ou Lajida % ND ND 97,25 75,13 65,33 65,91 40,20 49,94 72,96 Liquidez corrente tx ND ND 0,93 0,07 0,25 0,73 0,34 0,48 1,03 Liquidez geral tx ND ND 1,27 0,02 0,07 0,13 0,11 0,12 0,26 Margem bruta (lucro lquido / receita operacional bruta) % ND ND 236,19 44,36 -1,56 -1,96 6,67 12,15 24,60 Margem lquida (lucro lquido/receita operacional lquida) % ND ND 102,42 46,50 -1,74 -2,18 7,42 13,52 27,37 Rentabilidade do patrimnio lquido (lucro lquido/ patrimnio lquido) % ND ND 37,26 30,66 -0,44 -0,37 4,10 6,78 13,51 Receita lquida R$ mil ND ND 3.188.997 281.176 133.392 115.856 129.517 119.680 131.431 -21- Estrutura de capital Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Informaes a serem relatadas 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Capital prprio % ND ND 84,81 53,72 54,84 64,50 54,38 57,40 62,43 Capital de terceiros oneroso (emprstimos e financiamentos) % ND ND 15,19 46,28 45,16 35,50 45,62 42,60 37,57 Inadimplncia de clientes % ND ND 0 NA NA NA NA NA NA Distribuio de valor adicionado - GRI 201-1 Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Distribuio de valor conforme os itens abaixo 2014(R$ Mil)2015 (R$ Mil) 2015 (%) 2016 (R$ Mil) 2016 (%) 2014(R$ Mil)2015(R$ Mil)2015 (%) 2016(R$ Mil)2016 (%) 2014(R$ Mil)2015(R$ Mil)2015 (%) 2016(R$ Mil)2016 (%) Custos operacionais ND ND ND 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Empregados ND ND ND 48.345 1 3.574 3.525 4 3.776 5 1.863 2.928 5 6.209 5 Financiadores ND ND ND 628.446 14 47.012 57.054 65 47.779 61 18.944 13.082 20 25.045 22 Acionistas ND ND ND 3.266.244 74 130.754 -2.317 -3 - 2.528 -3 9.612 16.182 25 35.974 32 Governo (impostos, taxas e contribuies e encargos setoriais) ND ND ND 505.154 11 28.694 30.052 34 29.261 37 15.018 31.636 50 46.473 41 Investimentos comunitrios ND ND ND 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 = Valor Adicionado Distribudo (total) ND ND ND 4.448.189 - 210.034 88.314 - 78.288 - 45.437 63.828 - 113.701 - -22- DIMENSO SOCIAL E SETORIAL 4. INDICADORES SOCIAIS (INTERNOS E EXTERNOS) EMPREGADOS E COLABORADORES Em 2016 foram implementadas oito Polticas de Recursos Humanos que so: Poltica de Remunerao, recrutamento e seleo, subsdios de idiomas, benefcios, job rotation, indicao de funcionrios, transferncia de funcionrios e entrevista de desligamento, outras trs polticas esto sendo implementadas que so a Poltica de subsdio educacional, treinamento e desenvolvimento e funcionrios internacionais. A implementao dessas polticas traz clareza para os processos de RH alinhados com a estratgia corporativa. Em 2016 foi divulgada institucionalmente a misso, viso e valores da CTG Brasil, criando uma forte e slida identidade cultural. Todos os empregados foram integrados e houve uma melhoria muito expressiva no clima organizacional com a implementao dos programas destacados abaixo. O objetivo para 2017 dar continuidade aos programas implementados e prover a implementao de programas adicionais abrangendo de forma completa o pipeline de Recursos Humanos colaborando no atingimento da viso estratgica da CTG Brasil em tornar-se referncia em gerao de energia limpa no Brasil. Destaques CTG Brasil We Program - programa de integrao cultural entre China e Brasil promovendo um ambiente mais colaborativo e aproximando as pessoas no relacionamento interpessoal On Boarding - integrar todos os empregados recm chegados cultura CTG Brasil bem como introduzi-los na misso, viso e valores da empresa Programa de Liderana o programa abrange todos os lderes com treinamentos alinhados estratgia de liderana da CTG Brasil Programa Ciclo de Performance - sendo apresentado todos os empregados abrangidos, apresentando as competncias essenciais e de liderana da CTG Brasil, iniciando-se assim o ciclo de avaliaes com mapeamento das competncias e desempenho. 4.1.1 Perfil dos empregados O perfil dos empregados bastante abrangente focando experincias e conhecimentos no setor de energia bem como nas reas de expertise; 13% dos empregados tem formao especfica em -23- Engenharia suportando o conhecimento tcnico e especfico para a atuao da CTG Brasil no segmento de energia; 6% dos empregados so chineses suportando a CTG Brasil em toda a estratgia junto ao headquarter na China; o perfil de faixa etria est demonstrado na tabela de diversidade (GRI 405-1). 4.1.2 Nvel de satisfao interna A empresa trabalha a satisfao dos empregados por meio de pesquisas pontuais e acompanhamento interno com as diretorias e gerncias das reas, para um diagnstico de satisfao interna. A empresa possui polticas de remunerao e benefcios bem avaliadas pelos empregados e pelo mercado em que est inserida; e mantm estratgia de alinhamento mediano em relao ao mercado, avaliando o nvel de posicionamento referente aplicao dessas prticas atravs de pesquisas especficas desse setor. A empresa mantm carga horria de trabalho alinhada com a remunerao e resguardada em normas coletivas de trabalho. Para 2017 est prevista a implementao de um programa de qualidade de vida e a realizao da primeira pesquisa de clima, que resultar em um processo de acompanhamento dos indicadores de satisfao e engajamento. 4.1.3 Gesto de contratos A CTG Brasil tem com todos os seus colaboradores terceirizados um contrato de prestao de servio, sendo nas categorias de limpeza e conservao, copa, recepo e motorista. exigido que os terceiros tenham todos os benefcios da categoria e os que a CTG Brasil designar. Atualmente para os contratos de servios terceiros so feitas medies de acordo com normas e procedimentos exigidos pela CTG Brasil, sendo que todas as categorias tm seu contrato reajustado atravs do IGPM e tambm de acordo com o dissdio e acordo coletivo da categoria. -24- Indicadores GRI 102-8 Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo5 a) Informaes gerais 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero total de empregados - N ND ND 271 22 41 32 12 36 63 11 30 75 Empregados at 30 anos de idade (%) ND ND 9,96 45,45 68,29 78,13 41,67 63,89 57,14 36,36 36,67 29,33 Empregados com idade entre 31 e 40 anos (%) ND ND 19,19 36,36 19,51 12,5 33,33 30,56 30,16 36,36 40,00 52,00 Empregados com idade entre 41 e 50 anos (%) ND ND 36,53 4,55 7,32 9,37 25,00 5,56 11,11 27,27 20,00 13,33 Empregados com idade superior a 50 anos (%) ND ND 34,32 13,64 4,88 0 ND ND 1,59 0,00 3,33 5,33 Mulheres em relao ao total de empregados (%) ND ND 8,49 40,91 24,39 21,87 16,67 25 44,44 27,27 36,67 41,33 Mulheres em cargos gerenciais em relao ao total de cargos gerenciais (%) ND ND 0 1,00 1,00 0 ND ND 20 20 30 22,22 Empregadas negras em relao ao total de empregados (%) ND ND 1,1 ND ND 3,12 ND 5,56 3,17 0 3,33 4 Empregados negros em relao ao total de empregados (%) ND ND 21,03 ND ND 15,62 ND 13,89 9,52 9,09 10,00 8 Empregados negros (pretos e pardos) em cargos gerenciais em relao ao total de cargos gerenciais (%) ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 0 11,11 5,88 Estagirios em relao ao total de empregados (%) ND ND 0 9,09 4,88 6,25 ND ND 0 0 0 0 Empregados do programa de contratao de aprendizes N ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 0 0 0 Empregados portadores de deficincia N ND ND 2 ND ND 0 ND ND 0 0 0 0 5 Os dados corporativos se referem ao escritrio de So Paulo da CTG Brasil que atendem todas as empresas do grupo. Estes dados foram includos para se ter um conhecimento das dimenses das reas corporativas que atendem as empresas da CTG Brasil. -25- Total de empregados por tipo de contrato, emprego e gnero - GRI 102-8 Unidade Rio Paran Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino N de empregados prprios com Contrato por Prazo Indeterminado ou Permanente N 248 23 25 7 35 28 44 31 N de empregados prprios com Contrato por Prazo Determinado ou Temporrio N 0 0 0 0 0 0 0 0 N de Empregados Prprios - Tempo Integral N 248 23 25 7 35 28 44 31 N de Empregados Prprios Meio Perodo N 0 0 0 0 0 0 0 0 -26- 4.1.4 Diversidade e Discriminao Visando assegurar a valorizao da diversidade e a no discriminao, est em fase final de implantao o Cdigo de tica e Conduta nos Negcios da CTG Brasil. Com publicao prevista ainda para o 1 Semestre de 2017, o documento abordar as diretrizes da Companhia referentes a estes temas, dentre outros. Em relao aos programas de contratao, em 2017 a prioridade a construo de um programa para a contratao de Pessoas com Deficincia que abranja diversas unidades da CTG Brasil. Diversidade de rgos de governana e empregados - GRI 405-1 Unidade CTG Brasil - 2016 Percentual de indivduos nos rgos de governana em cada uma das categorias de diversidade Homem Mulher At 30 anos De 30-50 anos Acima de 50 anos Indivduos nos rgos de governana % 100 0 0 40 60 Percentual de empregados por categoria de emprego em cada uma das categorias de diversidade Homem Mulher At 30 anos De 30-50 anos Acima de 50 anos Categoria 1: Cargos de diretoria % 1 0 0 33 67 Categoria 2: Cargos gerenciais % 3 0 0 58 42 Categoria 3: Cargos administrativos % 8 8 39 59 2 Categoria 4: Cargos de produo % 72 8 22 48 30 -27- 4.1.5 Remunerao, benefcios e carreira6 Remunerao, benefcios e carreira7 Total Rio Paran Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Folha de pagamento bruta (R$ Mil) ND ND 53638 4042 4042 4393 2125 3413 7182 Encargos sociais compulsrios (R$ Mil) ND ND 6762 566 632 803 361 596 1377 Educao8 (R$ Mil) ND ND 2 3 3 1 11 10 1 Alimentao (R$ Mil) ND ND 2224 122 117 389 41 63 472 Transporte (R$ Mil) ND ND 687 7 8 7 4 2 6 Sade (R$ Mil) ND ND 1465 142 174 317 96 120 414 Fundao (Prev. Privada)9 (R$ Mil) ND ND 623 48 24 46 20 25 114 Segurana e Medicina do Trabalho (R$ Mil) ND ND 620 15 3 202 5 2 17 Cultura (R$ Mil) ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Capacitao e desenvolvimento profissional (R$ Mil) ND ND 7 105 12 3 11 20 11 Creche ou auxlio-creche10 (R$ Mil) ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Participao dos empregados nos lucros e resultados (R$ Mil) ND ND 1609 1127 953 67 485 662 674 Outros (moradia, Seguro de vida, vale presentes) (R$ Mil) ND ND 21511 8 23 64 89 73 102 6 Considerando que o escopo deste relatrio so as empresas Rio Verde S.A, Rio Canoas S.A e Rio Paran S.A, as informaes financeiras sobre o Corporativo no sero relatadas. 7 Algumas diferenas entre os benefcios oferecidos entre 2014, 2015 e 2016, referem-se a nova poltica a partir da entrada da CTG Brasil, que ocorreu em 11/2015. 8 Houve uma reviso dos dados dos anos do item Educao de 2014 e 2015 para a classificao entre as categorias: 'Educao' e 'Capacitao e Desenvolvimento Profissional'. 9 O item Fundao, relatado a partir de 2016, refere-se fundao para a administrao da Previdncia Privada. 10 Os valores referentes aos itens 'Creche' e 'Participao dos empregados nos lucros e resultados' foram revistos para serem relatados de forma separada. -28- 4.1.6 Participao nos resultados No ano de 2016 foi implementado o Programa de Participao nos Resultados atravs de instituio de norma coletiva, com envolvimento de todos os Sindicatos representantes das categorias de empregados, abrangendo todos os colaboradores das reas corporativas bem como os locados nas Usinas. Participao nos resultados Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Investimento total em programa de participao nos resultados da empresa (R$ Mil) ND ND 1609 1.127 953 67 485 662 674 ND ND ND Valores distribudos em relao folha de pagamento bruta % ND ND 3 27,9 23,6 1,5 22,8 19,4 9,4 ND ND ND Diviso da maior remunerao pela menor remunerao paga pela outorgada N ND ND 27,14 43,27 65,53 5,62 13,33 91,6 20,8 ND ND 17,94 Diviso da menor remunerao da empresa pelo salrio mnimo vigente N ND ND 2,27 1,79 1,3 1,57 2,59 0,82 1,61 ND ND 4,43 11 A CTG Brasil no possui colaboradores que recebam salrio mnimo. A empresa atende o salrio mnimo de acordo com a categoria profissional. Para o clculo, o salrio mnimo adotado foi o nacional, equivalente a R$ 880,00 em 2016. Variao da proporo do salrio mais baixo, discriminado por gnero, comparado ao salrio mnimo local11 - GRI 202-1 Rio Paran Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2016 2016 2016 2016 Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 2,27 3,75 1,57 1,57 1,80 1,61 6,14 4,43 -29- 4.1.7 Perfil da remunerao A estrutura de remunerao da empresa foi desenvolvida para atender as necessidades estratgicas do negcio, de modo a atrair, reter e incentivar um quadro de empregado de alto nvel, trazendo o comprometimento com os resultados de curto, mdio e longo prazo. A composio da remunerao tem o objetivo de assegurar a competitividade de todo o objeto comparado com o mercado, garantindo principalmente a reteno e motivao de talentos. A menor remunerao efetuada pela empresa equivalente a 157% do salrio mnimo vigente no Pas. A CTG Brasil est realizando um trabalho para reduzir as disparidades entre os salrios das empresas recm adquiridas pelo grupo, por isto, esta informao no ser disponibilizada neste relatrio. 4.1.8 Sade e segurana no ambiente de trabalho A Poltica de Sade e Segurana no Trabalho, aprovada em 2016, foi implantada em Maro de 2017. Os processos que garantem a sade e segurana dos funcionrios, prprios e terceiros, seguem as normativas legais brasileiras. Desde o 2 semestre de 2016 no houve acidentes de trabalho envolvendo prprios e terceiros, e a CTG Brasil tem como meta manter esse resultado positivo.12 Sade e segurana no trabalho GRI 403-2 Unidade Rio Paran - Usina Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2015 2016 2015 2016 2015 2016 2015 2016 Mdia de horas extras por empregado/ano N/ ano ND 31,48 ND 114,36 ND 117,58 ND 68,33 ndice TF (taxa de frequncia) total da empresa no perodo, para empregados N ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 ndice TG (taxa de gravidade) no perodo, para empregados N ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 ndice TF (taxa de frequncia) total da empresa no perodo, para terceirizados/ contratados N ND 0 ND 117,37 ND 0 ND 0 ndice TG (taxa de gravidade) no perodo, para terceirizados/ contratados N ND 0 ND 1761 ND 0 ND 0 ndice TF (taxa de frequncia) da empresa no perodo, para a fora de trabalho (prprios + terceiros) N ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 ndice TG (taxa de gravidade) no perodo, para a fora de trabalho (prprios+ terceiros) N ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 bitos- prprios N ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 bitos- terceirizados N ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 12 A gerncia e coordenao de SST da CTG Brasil foram criadas no final do ano de 2016, portanto o controle dos indicadores est disponvel somente para o perodo de Julho/16 a Dezembro/16. A partir do prximo ano os dados sero apresentados para todo o perodo de relato. -30- Informaes complementares - GRI 403-213 Rio Paran - Usina Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2015 2016 2015 2016 2015 2016 2015 2016 Taxa de dias perdidos para empregados 14 ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 Taxa de doenas ocupacionais para empregados ND 0 ND 0 ND 0 ND 0 Taxa de absentesmo (dias perdidos15/dias teis trabalhados*100) ND 0,71 ND 4,01 ND 1,48 ND 0,89 4.1.9 Desenvolvimento profissional A CTG Brasil investe no desenvolvimento de seus funcionrios atravs de trs polticas de desenvolvimento. A Poltica de Subsdio de Idiomas j est implementada e as polticas de Treinamento e Desenvolvimento e de Desenvolvimento Educacional esto em implementao, porm com aes j em andamento. A Poltica de Subsdio de Idiomas normatiza o processo de acesso a um programa de bolsas para estudos de ingls, portugus ou mandarim com atendimento previsto para 200 participantes, o que representa 44% do total de funcionrios. A poltica de Treinamento e Desenvolvimento trata do processo para a realizao de cursos de curta durao promovidos por instituies externas empresa, relativos : treinamentos, seminrios, simpsios, encontros, conferncias, palestras, fruns e congressos. J a poltica de Subsdio Educacional atender os funcionrios que tenham a necessidade de formao levantada como oportunidade de desenvolvimento profissional no processo de avaliao de competncias, e contempla as premissas do programa para as bolsas de estudos para cursos de Graduao e Ps Graduao Lato Senso. 13 As informaes de sade e segurana por gnero estaro disponveis para relato no prximo ciclo. 14 Neste caso, dias perdidos so consideradas apenas ausncias por acidentes e doenas ocupacionais 15 Neste caso, dias perdidos so consideradas todas as ausncias. -31- Desenvolvimento profissional Unidade Rio Paran - Usina Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Perfil da escolaridade (Percentual em relao ao total de funcionrios) Ensino fundamental; % ND ND 0,74 4,55 4,88 3,12 ND ND 1,6 ND ND ND Ensino mdio % ND ND 45,02 40,91 63,41 71,87 8,33 58,33 39,68 ND ND ND Ensino tcnico % ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 ND ND ND Ensino superior; % ND ND 38,74 36,36 21,95 21,88 41,67 25 42,85 72,73 73,33 68,00 Ps-graduao % ND ND 15,5 18,18 9,76 3,13 25 ND 15,87 27,27 26,67 32,00 Valor investido em desenvolvimento profissional e educao16 % ND ND 0,02 2,7 0,4 0,1 1 0,9 0,2 ND ND ND Mdia de horas de treinamento por ano, por funcionrio, discriminadas por categoria funcional. - GRI 404-117 Gerencial N ND ND 13,10 ND ND 61 ND ND 9,3 ND ND 4.43 Administrativo N ND ND 19,10 ND ND 18,9 ND ND 20,0 ND ND 2,25 Operacional N ND ND 78,10 ND ND 9,7 ND ND 10,6 ND ND NA Total de horas de treinamento por empregado/ ano N ND ND 58 ND ND 17,93 19,67 1,86 11,9 ND ND 0,9 16 O clculo deste indicador foi alterado do ano passado para este, por isto, a grande diferena no valor de 2015 e 2016. O valor investido se refere ao percentual sobre a receita. J para o corporativo, o clculo foi feito considerado a folha de pagamento. 17 A informao sobre horas de treinamento por gnero no est disponvel. -32- 4.1.10 Comportamento frente a demisses Em 2017 ser estabelecida a Poltica de Demisses para a companhia. Comportamento frente a demisses - GRI 401-1 Unidade Rio Paran Rio Canoas -Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero de empregados ao final do perodo N ND ND 271 22 41 32 12 36 63 11 30 75 Nmero de admisses durante o perodo N ND ND 280 6 22 3 11 23 22 12 20 51 Taxa de rotatividade % ND ND 3 ND ND 9 ND ND 6 9,09 3,33 1,33 Reclamaes trabalhistas - Valor provisionado no perodo R$ ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Nmero de processos trabalhistas movidos contra a empresa no perodo N ND ND 5 ND ND 1 ND ND 2 ND ND 5 Nmero de processos trabalhistas julgados procedentes no perodo N ND ND Nenhum18. 5 acordos e 1 excluso do polo passivo. ND ND 0 ND ND 0 ND ND Nenhum. 5 acordos e 1 excluso do polo passivo. Nmero de processos trabalhistas julgados improcedentes no perodo N ND ND 0 ND ND 1 ND ND 0 ND ND 0 Valor total de indenizaes e multas pagas por determinao da justia no perodo R$ ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 18 As aes para a empresa Rio Paran foram propostas em conjunto ao Corporativo, ou seja, tanto a CTG Brasil quanto a RP constaram do polo passivo das mesmas aes. -33- Em julho de 2016 a CTG Brasil assumiu a operao das usinas Jupi e Ilha Solteira e, objetivando manter a equipe das usinas, se empenhou ao mximo para manter a contratao dos trabalhadores das duas hidreltricas e ofereceu propostas de trabalho a todos. O resultado foi extremamente positivo e a grande maioria migrou para a CTG Brasil, havendo apenas alguns desligamentos ao final do perodo. Por estas razes, o nmero de contrataes em 2016 foi superior ao nmero de colaboradores que j estavam na empresa. Em linha com a expanso da empresa tambm houve a contratao de funcionrios para o corporativo, com a contratao de 51 empregados (68%) e, em nmero menor, para as usinas Salto e Garibaldi. Alm das contrataes, tambm houve transferncias internas de funcionrios para diferentes regies visando suprir demandas especficas. Indicador - GRI 401-1 Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2016 Nmero e taxa de novas contrataes por faixa etria, gnero e regio - GRI 401-1 Nmero de contrataes Taxa (%)19 Nmero de contrataes Taxa (%) Nmero de contrataes Taxa (%) Nmero de contrataes Taxa (%) Homens 252 93 2 6 7 11 29 39 Mulheres 28 11 1 3 15 24 22 29 At 30 anos 29 11 3 9 12 19 11 15 Entre 31 e 40 anos 52 19 0 0 7 11 28 37 Entre 41 e 50 anos 101 37 0 0 3 5 9 12 Superior a 50 anos 98 36 0 0 0 0 3 4 Nmero de desligamentos e taxa de rotatividade por faixa etria, gnero e regio - GRI 401-1 Nmero de desligamentos Taxa (%)20 Nmero de desligamentos Taxa (%) Nmero de desligamentos Taxa (%) Nmero de desligamentos Taxa (%) Homens 5 2 3 9 3 5 0 0 Mulheres 4 1 0 0 1 14 1 1 At 30 anos 2 1 3 9 1 7 0 0 Entre 31 e 40 anos 0 0 0 0 3 25 0 0 Entre 41 e 50 anos 2 1 0 0 0 0 0 0 Superior a 50 anos 5 2 0 0 0 0 1 1 19 A taxa de novas contrataes foi calculada com base no nmero de contrataes sobre o total de colaboradores ao final do perodo. 20 A taxa de rotatividade foi calculada com base no nmero de desligamentos sobre o total de colaboradores ao final do perodo. -34- 4.1.11 Preparao para a aposentadoria A CTG Brasil oferece benefcio de previdncia privada para todos os empregados, proporcionando neste benefcio um fator acelerador no ndice de contrapartida da contribuio (parte empresa) aos empregados acima de 40 anos. Preparao para a aposentadoria Rio Paran - Usina Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Corporativo 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Investimentos em previdncia complementar (R$ Mil) ND ND 623 48 24 46 20 25 114 ND ND ND Nmero de beneficiados pelo programa de previdncia complementar ND ND 227 9 7 29 2 2 53 ND ND 65 FORNECEDORES Em seus processos de compras e contrataes de servios, a CTG Brasil valoriza o histrico, a capacidade tcnica e gesto de pessoas dos fornecedores. A regra de definio de parceiros comerciais pautada da melhor relao de custo e benefcio, considerando aspectos comerciais, tcnicos, responsabilidade social e atendimento integral legislao. A CTG Brasil est estruturando o seu portflio de fornecedores no Brasil para atender as suas operaes. Atualmente, o processo de seleo de fornecedores est sendo realizado com base no histrico de fornecimento, experincia no mercado e avaliao de documentos de anlise de crdito, quando aplicvel. Os critrios de seleo dos principais fornecedores seguem os quesitos estabelecidos na Poltica de Compras, que leva em considerao aspectos tcnicos e comerciais. Por meio de suas Polticas e procedimentos, a CTG Brasil e suas afiliadas esto aderentes em suas principais contrataes para o atendimento pleno e total da legislao vigente, sendo que todos os itens legais requisitados contratualmente so analisados e verificados nos processos das respectivas liberaes dos pagamentos com aval das reas usurias dos servios, conforme Poltica de Contratos. Em relao ao apoio e desenvolvimento de fornecedores locais, a CTG Brasil e suas afiliadas buscam estabelecer relacionamentos tcnicos e comerciais com fornecedores satlites -35- (localizados em cidades prximas das plantas), com intuito de incentivar o seu desenvolvimento e fortalecer os aspectos sociais e econmicos nas regies em que a CTG Brasil atua. CONSUMIDORES21 Excelncia no atendimento Unidade Rio Paran Rio Canoas22 Rio Verde23 Perfil de consumidores e clientes - GRI EU3 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Venda de energia por classe tarifria (GWh): % ND ND 100 100 100 100 100 100 100 Residencial % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Residencial baixa renda % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Comercial % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Industrial % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Rural % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Iluminao pblica % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Servio Pblico % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Poder pblico % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Comercializadoras % NA NA NA 100 32 32 100 100 100 Indstrias / clientes livres % NA NA NA NA NA NA NA NA NA Distribuidoras % NA NA 10024 NA 68 68 NA NA NA 21 Os indicadores referentes a satisfao dos clientes, atendimento ao cliente, Indenizao por Danos Eltricos, Indicadores de Reclamaes, Violao de prazos de servios comerciais e Nmero de reclamaes de consumidores encaminhadas no so aplicveis ao negcio da CTG Brasil, por isso essa tabela foi excluda do Relatrio. 22 A Usina Hidreltrica Garibaldi durante o ano de 2016 permaneceu com as 04 unidades geradoras disponveis ao SIN (Sistema Interligado Nacional). 23 Rio Verde Energia S.A. possui contrato de fornecimento de energia com a Votener Votorantim Comercializadora de Energia Ltda., comercializadora de energia do Grupo Votorantim, por um perodo de 16 anos, contados do incio das operaes da UHE Salto. 24 A empresa Rio Paran atua sobre o regime de cotas. A venda da energia est sob a gesto da ANEEL. -36- COMUNIDADE Como qualquer atividade econmica, a gerao de energia eltrica provoca impactos de natureza positiva e negativa. Os impactos de natureza negativa so tratados, mitigados e compensados com o desenvolvimento de programas decorrentes dos processos de licenciamento dos empreendimentos e reportados anualmente em relatrios para os rgas ambientais fiscalizadores. J os impatos positivos incluem a gerao de oportunidade de trabalho, investimentos em melhorias e de arrecadao de tributos, sendo a gerao de energia eltrica uma atividade de utilidade pblica ligada diretamente ao desenvolvimento econmico do Pas. A CTG Brasil acredita que gerar oportunidades para o fortalecimento e transformao das comunidades no s contribui para a manuteno de um bom relacionamento com as comunidades, mas tambm entende que essencial para o desempenho de seus negcios. Em 2016 a CTG Brasil iniciou a estruturao da gesto de Responsabilidade Social que est sob responsabilidade da rea de comunicao e, dentre outras atividades far o relacionamento com as comunidades e outras partes interessadas. Para auxiliar nessa estruturao, foi realizado em todas as suas unidades um diagnstico25 para identificar os principais impactos de sua operao junto comunidade e definir sua estratgia de relacionamento com as diversas partes interessadas. A empresa tambm iniciou em 2016 a utilizao de leis de incentivo, e tem direcionado esses recursos em projetos sociais (descritos no item 4.4.2) para as cidades do entorno de sua operao. Com o incio da concesso das usinas de Jupi e Ilha Solteira, a CTG Brasil realizou em 2016 um levantamento de partes interessadas relacionadas essa operaes, e iniciou seu relacionamento com esses pblicos. A mesma atividade foi realizada em 2015 com as usinas de Salto e Garibaldi. Buscando dar continuidade ao seu compromisso de gerar valor para todas as partes interessadas, a CTG Brasil buscou dar continuidade aos seguintes projetos realizados nas usinas: Nossa Usina: publicao quadrimestral de temas socioambientais que visa divulgar as aes da empresa para a populao do entorno das UHEs Salto e Garibaldi; 25 As usinas consideradas para o diagnstico foram Salto, Garibaldi, Jupi e Ilha Solteira. O projeto abrangeu, dentre outras atividades, o levantamento dos principais impactos da operao na regio por meio de consulta s partes interessadas locais. -37- Ecotime: equipe multidisciplinar formada nas usinas Jupi e Ilha Solteira responsvel, dentre outras atividades, pela promoo de iniciativas de voluntariado e educao ambiental para o pblico interno e comunidade. No 2 semestre de 2017 est prevista a implementao da Poltica e da estratgia de sustentabilidade da CTG Brasil. Organizao e Gesto Controle de cheias Para planejar e executar a operao das usinas, a empresa possui uma rede telemtrica, estaes pluviomtricas e estaes fluviomtricas instaladas estratgiamente nas bacias hidrogrficas de suas respectivas UHEs, e por meio da qual munitora em tempo real o volume de chuvas ocorridas e as vazes nos principais tributrios dos rios. As metodologias e ferramentas informatizadas auxiliam na definio dos volumes de espera (espao vazio no reservatrio). Esses volumes alocados tem o objetivo de atenuar os picos das altas vazes e mitigar os seus efeitos as comunidades no entorno do reservatrio e eventuais danos a prpria instalao. Para auxiliar o processo de execuo de controle de cheias, dentre os mecanismos de gesto da CTG Brasil, destaca-se o controle de cheias nas UHEs denominado Sistema de Operao em Situao de Emergncia (SOSEM). Em 2016 as variaes se mantiveram dentro da normalidade mesmo com as precipitaes ocorridas no incio do ano de 2016. A CTG Brasil possui os seguintes sistemas, normas e procedimentos para gerenciar a operao em situaes de emergncia, como a ocorrncia de cheias e secas na regio: Sistema de Operao em Situao de Emergncia (SOSEm): Atravs deste sistema possvel garantir que a operao dos reservatrios seja segura, inclusive nos perodos chuvosos, de novembro a abril de cada ano. Trata-se de um conjunto de normas e procedimentos de operao e manuteno pensadas para situaes extremas, mas que tambm contempla aes preventivas e corretivas para evitar a ocorrncia de acidentes. Os manuais que compem o sistema so atualizados anualmente no ms de novembro. Especificamente na UHEs Rio Paran relacionamento com as comunidades ocorre de acordo com o Plano Anual de Preveno de Cheias, elaborado conjuntamente pelo Operador Nacional do Sistema ONS e os Agentes de Gerao. Comit de Operao em Situao de Emergncia (COEm): composto por diversas reas da CTG Brasil, um rgo de viso sistmica, que acompanha a situao -38- operacional das usinas em momentos crticos e define as prioridades conflitantes entre aproveitamentos. Controle de Cheias: Antecedendo o perodo chuvoso, so realizadas vrias aes preventivas e corretivas como inspees dos rgos de descargas (vertedouros), treinamentos das equipes entre outros procedimentos, visando assegurar maior confiabilidade do Sistema durante o perodo chuvoso e a segurana dos empreendimentos e das comunidades. Comunicao com a comunidade: A Rio Paran Energia possui um Plano de Comunicao com as comunidades executado por meio do BIV Boletim Informativo de Vazes, pelo qual so divulgadas as informaes de vazes e nveis praticados, programados e previstos para os reservatrios. O BIV enviado aos rgos ligados a Defesa Civil, Agncia Nacional de guas (ANA), Corpo de Bombeiros, Prefeituras Municipais e delegacias fluviais. J o Telecheia (0800 647-9001) o servio gratuito que fornece informaes de nveis e vazes dos empreendimentos da empresa ao longo do ano, ininterruptamente, para pessoas fsicas ou jurdicas. Programa de Monitoramento Hidromtrico: em atendimento Resoluo Conjunta ANA/ANEEL n 03/2010 a CTG Brasil possui uma rede hidromtrica que abrange a bacia hidrogrfica de suas usinas, com estaes de monitoramento fluviomtrico, pluviomtrico, limnomtrico, sedimentomtrico e de qualidade da gua. -39- 4.4.1 Indicadores sociais externos26 Indicadores sociais externos Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde -Usina Salto Impactos causados na sade e segurana da populao Unidade 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero total de acidentes sem bito com a populao n ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Nmero total de acidentes com bito com a populao n ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Demandas judiciais decorrentes de acidentes com a populao - Base Contencioso Geral27 n ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 d) Envolvimento da empresa com ao social Recursos aplicados em educao (R$ Mil) ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Recursos aplicados em sade e saneamento (R$ Mil) ND ND ND ND ND ND ND ND 180 Recursos aplicados em cultura (R$ Mil) ND ND ND ND ND ND ND ND 376 Recursos aplicados em esporte (R$ Mil) ND ND ND ND ND ND ND ND 0 Outros recursos aplicados em aes sociais (R$ Mil) ND ND ND ND 60 ND ND 15 ND Empregados que realizam trabalhos voluntrios na comunidade externa empresa/ total de empregados % ND ND ND ND ND ND ND ND ND Quantidade de horas mensais doadas (liberadas do horrio normal de trabalho) pela empresa para trabalho voluntrio de funcionrios28 n ND ND ND ND ND ND ND ND ND e) Envolvimento da empresa em projetos culturais, esportivos, etc. (Lei Rouanet) Montante de recursos destinados aos projetos (R$ Mil) ND ND ND ND 40 ND ND ND 556 Nmero de projetos beneficiados Unid ND ND ND ND 1 ND ND ND 4 Montante de recursos destinados ao maior projeto (R$ Mil) ND ND ND ND 40 ND ND ND 346 Detalhamento do maior projeto ND ND Circuito Photo Truck (Lei Rouanet). Proponente: Andr Franois Imagens (Imagem Magica). Patrocinado por CTG Brasil: Rio Verde Energia S/A. 26 Os indicadores referentes a tarifa de baixa renda no so aplicveis ao negcio da CTG Brasil, por isso a tabela referente a eles foi excluda desse relatrio. 27 A CTG Brasil no faz o controle/ mensurao desse tipo de acidente, quando no envolve funcionrios. H processos em andamento referente a acidentes nas barragens de Jupi e Ilha Solteira (sem vtimas). 28 Em 2016, os funcionrios participaram de diversas atividades voluntrias, no entanto, as horas doadas no foram contabilizadas. A CTG Brasil ir lanar o Programa de Voluntariado em Junho 2017 e as horas de trabalho voluntrio passaro a ser geridas. -40- 4.4.2 Comunicao e relacionamento com a comunidade local No 2 semestre de 2017, est prevista a implantao das Polticas de Patrocnios, Doaes e Investimento Social Privado (ISP). As aes sobre comunidade so geridas de forma corporativa. Em 2016 a CTG Brasil, por meio das leis de incentivo, patrocinou os projetos socioculturais: Photo Truck (Lei Rouanet), Hospital Angelina Caron (Lei do Idoso), Hospital de Cncer de Barretos (Fundo Municipal da Criana e do Adolescente) e Unibes Cultural (Lei Rouanet). Alm disso, a CTG Brasil promoveu aes de voluntariado nas unidades de So Paulo, usina hidreltrica Garibaldi, Jupi e Ilha Solteira. Foram feitas doaes para a comunidade Coliseu (So Paulo), Abdon Batista (usina Garibaldi) e Mato Grosso do Sul (MS) - usinas Jupi (Campanha do Quilo para o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora e campanha de doao de brinquedos para a APAE) e Ilha Solteira (Campanha do quilo para a Casa de idoso Paulo de Tarsus). Nas usinas Jupi e Ilha Solteira foram tambm promovidas, com o Ecotime campanhas internas de reciclagem de resduos eletrnicos, calados, leo usado e descarte de medicamentos vencidos. Projeto Photo Truck O projeto realizou um circuito cultural de fotografia, no qual o PhotoTruck levou oficinas educativas para 12 instituies pblicas. O projeto tambm levou as crianas e os jovens para passarem um dia nas usinas e nos escritrios da empresa para realizarem atividades. Pblico Alvo: crianas e jovens de 07 a 13 anos. Quando: outubro e novembro de 2016. Onde: em escolas pblicas de So Paulo, Gois, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. As oficinas de fotografia abordaram os valores da empresa: respeito, felicidade, simplicidade, integridade, dedicao e excelncia e tiveram como objetivo utilizar a fotografia no ambiente escolar como instrumento de percepo, reflexo e comunicao, promovendo um trabalho de Figura 6: Photo truck -41- alfabetizao visual com crianas e adolescentes, por meio de uma viagem para o mundo da fotografia. Photo Truck em nmeros: Durante 40 dias, o PhotoTruck visitou 11 cidades levando oficinas de fotografia para Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, So Paulo e Gois. 12 instituies receberam o projeto 2146 participantes 6 aes de endomarketing (aes com funcionrios da CTG Brasil) 279 funcionrios participaram das aes 4.4.3 Programas de Engajamento com a comunidade A CTG Brasil ir implementar um procedimento de engajamento com suas partes interessadas no 2 semestre de 2017. Como citado anteriormente, foi realizado em 2016 um mapeamento das principais partes interessadas e um diagnstico inicial para levantamento de prticas existentes de sustentabilidade na CTG Brasil. Parte do diagnstico consistiu em um primeiro momento de consulta a representantes de grupos prioritrios de partes interessadas, e com isso foram tambm identificados alguns dos impactos mais importantes da CTG Brasil, em 100% das operaes das usinas na comunidade (Usinas Jupi, Ilha Solteira, Garibaldi e Salto) (GRI 413-1). Para tal, uma consultoria especializada conduziu entrevistas com os principais pblicos de relacionamento da CTG Brasil, identificados pelos colaboradores das usinas. O projeto foi bem recebido e seus resultados daro subsdio estratgia de sustentabilidade da companhia, a ser finalizada no primeiro semestre de 2017. A UHE Garibaldi mantm programa local com os reassentados que visa mitigar os impactos da instalao da usina, por meio do estmulo manuteno do vnculo com a terra e a continuidade das atividades socioeconmicas e culturais existentes. Desde sua implantao, o programa j atendeu 224 famlias de no proprietrios, ou seja, famlias que viviam e tinham renda em propriedades que foram atingidas. 4.4.4 Educao ambiental: Programa de Visitas Como parte do programa de educao ambiental, desde o segundo semestre de 2016 a CTG Brasil retomou o programa de visitas nas usinas Jupi e Ilha Solteira. As exposies sobre a histria das usinas e a gerao de energia foram inteiramente renovadas e a empresa mantm um assistente de -42- comunicao em cada usina dedicado ao atendimento das visitas e relacionamento com a comunidade local. GOVERNO E SOCIEDADE 4.5.1 Prticas anticorrupo e antipropina Em 2016 foi criado o Departamento de Compliance, Riscos e Auditoria Interna para implementao destas funes e melhoria da Governana Corporativa. A CTG Brasil planeja implementar, no 1 Semestre de 2017, o Programa de Compliance, que inclui, dentre outros, Cdigo de tica e Conduta nos Negcios, Canal de tica, Polticas e Procedimentos relacionados com o tema e treinamentos. A empresa no teve participao em projetos e aes relacionados a projetos sociais governamentais e no recebeu em 2016 ajuda ou benefcios do Governo. (GRI 201-4) 4.5.2 Liderana, influncia social e polticas pblicas GRI 102-13 A CTG Brasil associada s principais entidades representativas do setor eltrico. APINE (Associao Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Eltrica); ABRAGE (Associao Brasileira das Empresas Geradoras de Energia Eltrica); ABRACEEL (Associao Brasileira dos Comercializadores de Energia); ABRAGEL (Associao Brasileira de Gerao de Energia Limpa); ABERJE (Associao Brasileira de Comunicao Empresarial); Reputation Institute; Comit Brasileiro de Barragens (CBDB); China Council for the Promotion of International Trade (CCPIT); Associao Brasileira de Empresas Chinesas (ABEC). A CTG Brasil participa de debates sobre polticas pblicas por meio de Associao Setoriais s quais filiada. A poltica de participao em associaes dever ser lanada no primeiro semestre de 2017. Em 2016 as associaes nas quais iniciamos a participao foram selecionadas pela rea de Comunicao com envolvimento das reas de Desenvolvimento de negcios e Investimentos estratgicos. Para todas as associaes, os funcionrios interessados pela participao podem solicitar a inscrio rea de Comunicao da CTG Brasil. INDICADORES DO SETOR ELTRICO 4.6.1 Pesquisa e desenvolvimento tecnolgico e cientfico Em 2016 a CTG Brasil criou uma rea de Pesquisa visando dar maior foco e ateno de maneira compatvel com seu plano de crescimento e expanso no Brasil para os prximos anos em -43- conformidade com o Programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), criado pela Lei n 9.991/2000, e segundo as diretrizes estabelecidas pela ANEEL. Os projetos de P&D da CTG Brasil, tm como premissas promover a cultura da inovao e estimular a gerao de conhecimento no setor eltrico, a partir da criao de novos equipamentos e do aprimoramento da prestao de servios. A estratgia de atuao em P&D da CTG Brasil foi elaborada em conjunto por todas as reas envolvidas (engenharia, Operao e Manuteno, desenvolvimento de negcios, meio ambiente, Comercializao), com o objetivo de orientar o planejamento de captao e o direcionamento dos projetos, conforme as premissas da empresa para o setor. Aps a formalizao e incio das atividades em 2016 foi elaborado um levantamento e diagnstico da situao de todas as obrigaes legais e projetos em andamento nas usinas do grupo. O diagnstico serviu de base para a elaborao de um plano de ao para a implementao de um gerenciamento de projetos e portflio29. Uma das primeiras e principais aes tomadas durante o ano foi a criao de um painel gerencial com os principais pontos de ateno e verificao para o bom gerenciamento do programa de Pesquisa e desenvolvimento junto a ANEEL. Adicionalmente, para auxiliar o processo de tomada de deciso que reflita os nossos objetivos e metas foi definida uma metodologia para gerenciamento de portfolio baseado nas melhores prticas do PMI (Project Management Institute) e utilizando a metodologia AHP (Anlise Hierrquica de Processos) para priorizar os projetos. Foi desenhado o processo de Gerenciamento de Portflio evidenciando o fluxo de aprovao e situao dos projetos, trazendo visibilidade dos mesmos para a alta administrao, alm de transparncia para toda a companhia de como feita gesto destas demandas. Em seguida foi elaborada uma Poltica de priorizao, seleo e aprovao de projetos formal dentro da empresa. O processo se mostrou eficiente e robusto resultando na aprovao, com o comit executivo da companhia, de oito projetos30 aps uma seleo de mais de 120 projetos avaliados sobre os critrios e procedimentos estabelecidos. Para os prximos anos a CTG Brasil ir concentrar seus esforos na definio da metodologia de gerenciamento de projetos. Outros investimentos esto previstos para a implementao de programas de inovao para apoiar a empresa e promover a cultura de inovao. 29 Maiores detalhes sobre a gesto no tema bem como informaes dos projetos em andamento podero ser obtidas em nosso endereo eletrnico: http://ctgbr.com.br/pesquisa-desenvolvimento/ 30 Os projetos aprovados esto em processo de formalizao contratual e por isso no sero divulgados neste relatrio. http://ctgbr.com.br/pesquisa-desenvolvimento/ -44- Recursos aplicados em pesquisa e desenvolvimento tecnolgico e cientfico Por temas de pesquisa (Manual de Pesquisa e Desenvolvimento ANEEL) Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto Valor (R$ mil) % Valor (R$ mil) % Valor (R$ mil) % 2016 2016 2014 2015 2016 FA - Fontes alternativas de gerao de energia eltrica31 A companhia est em processo de assinatura de contrato para incio dos projetos de P&D. A companhia est em processo de assinatura de contrato para incio dos projetos de P&D. 380 100 434 100 222 100 GT - Gerao Termeltrica NA NA NA NA NA NA GB - Gesto de Bacias e Reservatrios NA NA NA NA NA NA MA - Meio Ambiente NA NA NA NA NA NA SE - Segurana NA NA NA NA NA NA EE - Eficincia Energtica NA NA NA NA NA NA PL - Planejamento de Sistemas de Energia Eltrica NA NA NA NA NA NA OP - Operao de Sistemas de Energia Eltrica NA NA NA NA NA NA SC - Superviso, Controle e Proteo de Sistemas de Energia Eltrica NA NA NA NA NA NA QC - Qualidade e Confiabilidade dos Servios de Energia Eltrica NA NA NA NA NA NA MF - Medio, faturamento e combate a perdas comerciais NA NA NA NA NA NA OU - Outro NA NA NA NA NA NA Total 380 100 434 100 222 100 31 Os dados de 2014 e 2015 referentes aos recursos aplicados ao projeto de P&D na UHE Salto, foram atualizados neste relatrio. -45- 4.6.2 Pesquisa e desenvolvimento tecnolgico e cientfico: Projeto Rio Verde S/A A Rio Verde S/A possui um projeto de Desenvolvimento de Concentradores Solares Fotovoltaicos para Gerao de Energia em andamento. O projeto iniciou em 2013 e tem prazo de execuo de 42 meses, tendo como executora a Universidade Federal de Uberlndia UFU e sua convenente/gestora Fundao de Apoio Universitrio FAU. Detalhes do projeto Tema: Fontes Alternativas de gerao de energia eltrica Subtema prioritrio: FA03 - Novos materiais e equipamentos para gerao de energia por fontes alternativas Fase da cadeia de inovao: PA Pesquisa Aplicada Valor total financiado do projeto: R$ 1.518.547 Metodologia: Gerenciamento de Projetos baseado no PMI Tipo de Produto: ME Mquina ou equipamento O projeto busca o desenvolvimento e o aprimoramento de sistemas de concentradores fotovoltaicos empregando controladores automatizados das placas concentradoras possibilitando o incremento da eficincia dos mdulos fotovoltaicos, a reduo dos custos de instalao e a dependncia do silcio. O mdulo e a tecnologia a serem desenvolvidos podero ser aplicados em usinas fotovoltaicas futuras. O estudo ainda implementar, diretamente na regio da usina hidreltrica Salto do Rio Verde Energia S\A, um banco de ensaios para teste de diferentes geometrias de placas concentradoras, utilizando tanto sistemas automatizados das placas concentradoras quanto sistema fixo, de forma a possibilitar a anlise dos custos e benefcios das tecnologias empregadas. O produto final esperado com este projeto o desenvolvimento de um sistema de concentradores fotovoltaicos, prottipo e o projeto de engenharia de uma planta piloto que permita maximizar o aproveitamento energtico da irradiao solar da regio. Os resultados do projeto at o momento comprovam e evidenciam uma boa metodologia de pesquisa e resultados acadmicos e cientficos importantes. Um Prottipo do concentrador solar fotovoltaico foi desenvolvido e est em testes de campo e o retorno dos investimentos ser apurado durante 2017. H a expectativa ao final do projeto de apontar os caminhos e principais restries para que esta tecnologia se mostre vivel economicamente frente a implantao de plantas solares utilizando -46- painis fotovoltaicos. O projeto est em andamento com previso de entrega do seu relatrio final para a ANEEL em 2017. Indicadores do Setor eltrico Universalizao No se aplica gerao de energia Luz para todos No se aplica gerao de energia Tarifa Baixa Energia No se aplica gerao de energia Eficincia Energtica No se aplica gerao de energia -47- DIMENSO AMBIENTAL 5. INDICADORES AMBIENTAIS MITIGAO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS Em 2016 o foco ambiental da CTG Brasil foi a estruturao da rea de Meio Ambiente e integrao de aes, bem como a elaborao dos Programas Bsicos Ambientais como parte do processo de adequao das licenas das usinas Jupi e Ilha Solteira, usinas do grupo Rio Paran, que foram protocolados no IBAMA em novembro de 2016. Nessas usinas o destaque no perodo foi a retomada do programa de relacionamento com os atores importantes da regio, a realizao de inventrios de resduos e o estabelecimento de linhas gerais para os Programas de recomposio florestal e incremento de biodiversidade Os programas ambientais das usinas de Rio Canoas e Rio Verde continuam em execuo, e tem como objetivo a minimizao e compensao dos seus impactos ambientais. Na tabela abaixo esto descritos os principais impactos ambientais mapeados em cada uma das usinas e seus respectivos programas, projetos e aes ambientais de mitigao. -48- Principais impactos ambientais das Usinas e suas respectivas iniciativas de mitigao Grupos econmicos Impactos ambientais gerados Iniciativas para mitigao (projetos, programas e aes) Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Gerao de resduos diversos (classe I e II) Programa de Gesto de Resduos Slidos; Perda de solo e assoreamento de corpos d'gua devido a processos erosivos. Programa de Controle de Processos Erosivos; Perda de cobertura vegetal em reas crticas (matas ciliares e faixas de preservao permanente) Programa de Recomposio de APPs; Remoo e movimentao de solo em ptios e canteiros de obras com consequente perda da camada frtil. Programa de Recuperao de reas Degradadas; Construes civis abandonadas em reas de proteo ambiental Programa de Desmobilizao de Obras Civis; Perda de diversidade faunstica Programa de Conservao da Fauna Terrestre; Barramento do rio impe restrio da migrao de peixes e fluxo gentico Programa de Manejo Pesqueiro e Conservao da Ictiofauna; Alterao da vazo do rio com potencial consequente alterao nos parmetros limnolgicos Programa de Monitoramento Limnolgico; Rio Canoas - Usina Garibaldi e Rio Verde - Usina Salto Degradao de reas naturais Programa de Recuperao de reas Degradadas Assoreamento de corpos d'gua Programa de Monitoramento Hidrossedimentolgico Contaminao de lenol fretico Programa de Monitoramento do Lenol Fretico Alterao da vazo do rio com potencial consequente alterao nos parmetros limnolgicos Programa de Monitoramento de Qualidade da gua Risco de desestruturao de solo Programa de Monitoramento Sismolgico Perda de diversidade faunstica Programa de Monitoramento e Manejo da Fauna Silvestre Barramento do rio impe restrio da migrao de peixes e fluxo gentico Programa de Monitoramento e Manejo da Ictiofauna Perda de cobertura vegetal em reas crticas (matas ciliares e faixas de preservao permanente) Programa de Reposio Florestal -49- BIODIVERSIDADE32 A CTG Brasil est desenvolvendo uma poltica de sustentabilidade e meio ambiente que tambm ir tratar sobre questes de biodiversidade. A Biodiversidade tratada de forma clara em seus programas ambientais atrelados s Licenas de operao, cada empresa possui uma meta (acordada com o respectivo rgo ambiental), que esto refletidas nos programas de Monitoramento da Biodiversidade, Recuperao de reas degradadas e Reflorestamentos. Em 2016, A CTG Brasil trabalhou na elaborao do Programa Bsico Ambiental-PBA para Rio Paran S.A, protocolado no IBAMA em novembro de 2016. Enquanto o rgo ambiental avalia os programas ambientais protocolados, , a CTG Brasil manteve aes de monitoramento hidrolgico, soltura de peixes no reservatrio , gesto de resduos slidos e atividades de relacionamento com stakeholders e educao ambiental. O restante dos programas s sero inciados aps aprovao completa do rgo ambiental. A Rio Canoas e Rio Verde cumpriram normalmente suas obrigaes legais de recuperao de reas degradadas conforme suas licenas ambientais. Impactos significativos Biodiversidade GRI 304-2 Aspectos Impactos (positivos ou negativos/ potenciais ou reais) Impactos Extenso das reas impactadas Durao do impacto Medidas de Mitigao Construo, ampliao ou uso das usinas Barramento impe restrio da migrao de peixes e fluxo gentico Reservatrios a jusante e montante Enquanto houver operao Salvamento de peixes e Povoamento de peixes a montante Construo, ampliao ou uso das usinas Represamento diminuiu a quantidade de stios reprodutivos de peixes Reservatrios a montante Enquanto houver operao Povoamento de peixes a montante Construo, ampliao ou uso das usinas Encarceramento de peixes nas paradas de Usinas Geradoras Comunidade de peixes a jusante das Usinas Hidreltricas Durante paradas emergenciais e programadas das Usinas geradoras Salvamento de peixes em tempo hbil Construo, ampliao ou uso das usinas Represa dificulta transposio do rio pela fauna, restringindo fluxo gentico Reservatrios a montante Enquanto houver operao Reflorestamento de mata ciliar (com largura suficiente, 100m no mnimo) e incentivo a corredores de fauna pode mitigar at certo ponto Poluio (exemplo: contaminao de rios) Vazamento de leo lubrificante na gua Reservatrios a jusante Ocasionalmente, quando h falha no equipamento demonstrando necessidade de manuteno Modernizao das Unidades geradoras e instalao de contenes de leo Poluio (exemplo: contaminao de rios) Gerao de resduos slidos rea da planta, adjacncias, rio Enquanto houver operao Gesto ambientalmente correta dos resduos 32 Os indicadores referentes a proteo das redes no so aplicveis ao negcio da CTG Brasil, por isso foram excludos das tabelas desse relatrio. -50- Impactos significativos Biodiversidade GRI 304-2 Aspectos Impactos (positivos ou negativos/ potenciais ou reais) Impactos Extenso das reas impactadas Durao do impacto Medidas de Mitigao e reas de destinao Converso de habitats (exemplo: desmatamento ou reflorestamento de reas) Eroso de bordas e solapamento Reservatrios a montante Enquanto houver operao Reflorestamento de mata ciliar e monitoramento das reas erodidas Converso de habitats (exemplo: desmatamento ou reflorestamento de reas) Impermeabilizao de solos, desmatamento e gerao de resduos durante desmobilizao de obras civis reas pontuais nos arredores da UHE Anterior e durante a desmobilizao das obras Desmobilizao das obras, reflorestamento dos acessos desmatados, destinao ambientalmente correta dos resduos Mudanas em processos ecolgicos fora do regime natural de variao (ex. mudana no nvel do lenol fretico) Ambiente lntico propicia o aumento no crescimento de macrfitas Reservatrios a montante Enquanto houver operao Incentivar o tratamento dos efluentes antes de serem direcionados ao rio Mudanas em processos ecolgicos fora do regime natural de variao (ex. mudana no nvel do lenol fretico) Ambiente lntico altera a comunidade de peixes Reservatrios a montante Enquanto houver operao Mitigao parcial com Povoamento de peixes a montante Mudanas em processos ecolgicos fora do regime natural de variao (ex. mudana no nvel do lenol fretico) Ambiente lntico facilita a reteno de resduos e sedimento no fundo do rio Reservatrios a montante Enquanto houver operao Acompanhamento hidrossedimentolgico da represa Abaixo segue uma tabela dos habitats protegidos e restaurados dentro das reas da CTG Brasil. A empresa possui 4 reas, todas elas so geridas pela prpria empresa e aprovadas por especialistas externos. Todas as reas esto em fase de recomposio, melhorando a biodiversidade local. Habitats protegidos e restaurados - GRI 304-3 Identificao da rea Tamanho da rea (hectares) Localizao (Cidade, Estado) Unidade relacionada Tipo de rea Volume e/ou rea recuperada Gastos (R$ mil) 1 Rio Verde PRAD/Reflorestamento 10 Cau GO Rio Verde Recuperao de reas degradadas 10 0 2 Rio Canoas PRAD/Reflorestamento 90,98 Abdon Batista SC Rio Canoas Recuperao de reas degradadas 80 95.780 3 Rio Verde APP / Reflorestamento 1766,6 Cau GO Rio Verde Preservao de reas de patrimnio da unio 454 253.793 4 Rio Canoas APP / Reflorestamento 522 Abdon Batista SC Rio Canoas Preservao de reas de patrimnio da unio 233 85.192 -51- EMISSES Pela natureza do negcio de gerao hidrulica de energia eltrica no constitui fonte primria de emisses de GEE e, por isso, no h emisses atmosfricas diretas significativas de CO2. A empresa no provoca impactos significativos no transporte utilizado para fins logsticos. De modo geral, tambm no so usadas quantidades expressivas de insumos ou materiais, com excesso daqueles eventualmente necessrios s atividades de manuteno, como leos isolante e lubrificante. Em 2017, o tema emisses ser desenvolvido pela CTG Brasil em suas linhas gerais para que uma estratgia de gesto de mudanas climticas, que contar com a mensurao das emisses, possa ser implementada nos prximos anos. A empresa atualmente no realiza a medio de suas emisses. -52- RESDUOS E EFLUENTES A CTG Brasil tem em todas as suas unidades procedimentos baseados nos instrumentos legais vigentes no Brasil sobre o tema. A CTG Brasil em 2016 iniciou o processo de padronizao de seus procedimentos de gesto de resduos slidos para continuar a atender legislao e garantir a comparabilidade dos desempenhos das empresas controladas. No que toca a Rio Parana, apesar do Programa de Gesto de Resduos Slidos (PGRS) estar sob anlise do IBAMA, as aes de gesto e monitoramento j esto em curso de forma a assegurar que todo resduo gerado nas UHEs Jupia e Ilha Solteira sejam destinados corretamente conforme legislao vigente. Em relao s usinas de Garibaldi e Salto, ambas possuem seus programas de gesto de resduos slidos aprovados pelos respectivos rgos ambientais e em funcionamento, garantindo o correto acondicionamento e destinao final de todos os resduos produzidos. Indicadores - Resduos Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Quantidade anual (em toneladas) de resduos slidos gerados (lixo, dejetos, entulho etc.). ND ND 182 ND ND 6,72 ND ND 6,9 Quantidade de resduos contaminados por PCB (Ascarel) destinados (ton) ND ND 0 ND ND 0 ND ND 0 Resduos no-perigosos por tipo de destinao (ton) - GRI 306-2 Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2016 Reutilizao 0 0 0 Reciclagem 80 1,5327 2,4865 Compostagem 60 0,0395 1,785 Recuperao, inclusive de energia 0 0 0 Incinerao 0 0 0 Injeo subterrnea de resduos 0,2 0 0 Aterro 30 3,292 0,676 Armazenamento no local 0 0 0 Outros (especificar) 0 0 0 Total 170,2 4,86 4,9475 Resduos perigosos por tipo de destinao (ton) 2016 Reutilizao 0 0 0 Reciclagem (ex: lmpadas descontaminadas) 0 0 0 Compostagem 0 0 0 Recuperao, inclusive de energia N.D 0 0 Incinerao 0 0 0 Injeo subterrnea de resduos 0 0 0 Aterro 0 0 0 Armazenamento no local 12 1,86 0,6824 Outros 0 0 0 Total 12 1,86 0,6824 -53- Descarte total de gua, por qualidade e destinao - GRI 306-1 Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira33 Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Volume de descarte de efluentes por destinao (Rio, ETE, etc.) Rio m/ano ND ND ND ND ND 0 ND ND 0 Estao de Tratamento de Efluentes m/ano ND ND ND ND ND 0 ND ND 0 Descarte total de gua m/ano ND ND ND ND 432 0 ND 876 0 ENERGIA Consumo de energia dentro da organizao - GRI 302-1 Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Consumo de eletricidade GJ ND ND 30.980,16 ND 6.383,30 7.628,33 ND 193,95 161,09 Energia eltrica vendida GJ ND ND 76.953.019,39 ND ND 2.206.277,78 ND ND 1.796,71 Consumo de energia por kWh distribudo (vendido) tx ND ND 0,000403 ND ND 0,003 ND ND 0,0897 Consumo de energia direta discriminado por fonte de energia primria GRI 302-1 Unidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Fontes no-renovveis Diesel GJ ND ND 44.000 ND ND ND ND ND ND Gasolina GJ ND ND 300 ND ND ND ND ND 0 Gs Natural GJ ND ND ND ND ND ND ND ND 0 Total no-renovvel GJ ND ND 44.300 ND ND ND ND ND 0 Fontes renovveis Etanol GJ ND ND 32.000 ND ND ND ND ND 0 Total renovvel GJ ND ND 32.000 ND ND ND ND ND 0 Total de energia por fonte de energia primria GJ ND ND 76.300 ND ND ND ND ND 0 33 No so produzidos efluentes industriais nas instalaes da empresa Rio Paran. No existe aferio ou monitoramento das quantidades descartadas nem da composio qumica deste efluente. A Estao de Tratamento de Esgotos faz parte do plano para adequao do sistema atual. -54- GUA GRI 303-1 O consumo de gua da empresa no afeta significamente nenhuma fonte hdrica, a gua utilizada para a gerao de energia devolvida ao rio em condies idnticas ao momento de captao. A gua utilizada nas usinas hidreltricas das usinas da empresa Rio Paran, Rio Canoas e Rio Verde captada em poos artesianos. As informaes sobre o volume de gua captada no esto disponveis nas usinas. EDUCAO AMBIENTAL O Programa de Educao Ambiental um requisito da Licena de Operao para os empreendimentos e visa compartilhar conhecimentos e fomentar aes educativas em escolas e comunidades da rea de influncia direta dos empreendimentos. Os requisitos das licenas ambientais foram cumpridos, sendo atendidos 1252 alunos em projetos de educao ambiental em 2016. Educao ambiental Comunidade Na organizao Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero de empregados treinados nos programas de educao ambiental ND ND 222 ND ND 0 ND ND 0 Total de empregados treinados nos programas de educao ambiental / total de empregados (%) ND ND 62 ND ND 0 ND ND 0 Nmero de horas de treinamento ambiental/ total de horas de treinamento (%) ND ND 0,06934 ND ND 0 ND ND 0 Educao ambiental Comunidade Rio Paran - Usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - Usina Garibaldi Rio Verde - Usina Salto 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Nmero de unidades de ensino fundamental e mdio atendidas ND ND 0 ND ND 13 ND ND 4 Nmero de professores capacitados ND ND 0 ND ND 120 ND ND 8 Nmero de unidades de ensino tcnico e superior atendidas ND ND 0 ND ND 3 ND ND 0 Nmero de alunos atendidos ND ND 58 ND ND 458 ND ND 736 Recursos aplicados (R$ mil) ND ND 1.702 ND ND 101.238 ND ND 3.800 34 Foram 4 horas de treinamento ambiental frente a 58 horas de outros treinamentos. -55- HIDRULICA Hidrulica Rio Paran - usinas Jupi e Ilha Solteira Rio Canoas - usina Garibaldi Rio Verde - usina Salto Indicadores de Desempenho Unidade 2014 2015 2016 2014 2015 2016 2014 2015 2016 Consumo de energia eltrica das unidades geradoras e auxiliares kWh ND ND 57.187.000 ND 1.773.140 2.118.980 ND 386.900 350900 Consumo de gua por KWh gerado m/s por KWh entregue ND ND ND ND 0,0072 ND ND 0,002189 ND Restaurao de mata ciliar mudas ou rea plantada/ ano ND ND ND ND ND 81,65 ND ND 142,93 Resgate de peixes em turbinas Kg de peixe por parada de mquina ND ND 110 ND ND 7.92335 ND ND 29 Repovoamento de peixes Alevinos soltos/ ano ND ND ND ND ND 0 ND ND 0 Recuperao de reas degradadas pela extrao do carvo e de seus resduos gerados hec/ano R$/ano ND ND ND ND ND ND ND ND ND Consumo de gua de reposio durante a gerao de energia. (m) por MWh gerado. ND ND ND ND ND ND ND ND 0 Eroso de bordas de reservatrio hectares ND ND ND ND 3 3 ND ND 1 Consumo de leos e graxas lubrificantes litros/ms m/s ND ND 1,3.10e-5 ND ND ND ND ND ND Qualidade de gua e de sedimentos dos reservatrios Qualitativo ND ND Boa com ressalvas ND de acordo de acordo ND de acordo de acordo Lanamento de efluentes sanitrios sem tratamento t/ano ND ND ND ND 0 0 ND 0 0 Vazamento de leos lubrificante e hidrulico nas turbinas t/ano ND ND ND ND 0 0 ND 0 0 35 No h uma justificativa para o dado da Usina de Garibaldi ter sido muito maior do que das outras usinas. A quantidade de peixes resgatados dependem de diversos fatores relacionados as paradas de mquinas para manuteno, como complexidade da manobra, poca do ano, presena de cardumes prximos e outros. -56- BALANO SOCIAL Balano Social - CTG Brasil36 201537 2016 1- Base de clculo Valor (mil R$) Valor (mil R$) Receita Lquida (RL) R$ 253.072 R$ 3.436.284 Receita Operacional (RO) R$ 86.227 R$ 3.052.027 Folha de Pagamento Bruta (FPB) R$ 7.455 R$ 65.213 2015 2016 2- Indicadores sociais internos Valor total (mil R$) % sobre FPB % sobre RL Valor total (mil R$) % sobre FPB % sobre RL Alimentao R$ 180 2,41% 0,07% R$ 3.085 4,73% 0,09% Encargos sociais compulsrios R$ 1.228 16,47% 0,49% R$ 8.942 13,71% 0,26% Previdncia Privada R$ 49 0,66% 0,02% R$ 783 1,20% 0,02% Sade R$ 294 3,94% 0,12% R$ 2.196 3,37% 0,06% Segurana e Sade no Trabalho R$ 5 0,07% 0,00% R$ 839 1,29% 0,02% Educao R$ 13 0,17% 0,01% R$ 4 0,01% 0,00% Cultura R$ - 0,00% 0,00% R$ - 0,00% 0,00% Capacitao e desenvolvimento profissional R$ 32 0,43% 0,01% R$ 21 0,03% 0,00% Creche ou auxlio-creche R$ - 0,00% 0,00% R$ - 0,00% 0,00% Participao nos lucros ou resultados R$ 1.615 21,66% 0,64% R$ 2.350 3,60% 0,07% Outros (moradia, Seguro de vida, vale presentes) R$ 96 1,29% 0,04% R$ 21.677 33,24% 0,63% Total indicadores sociais internos R$ 3.512 47,11% 1,39% R$ 39.897 61,18% 1,16% 2015 2016 3 - Indicadores Sociais Externos Valor total (mil R$) % sobre FPB % sobre RL Valor total (mil R$) % sobre FPB % sobre RL Educao ND ND ND ND ND ND Cultura ND ND ND ND ND ND Esporte ND ND ND ND ND ND Outros ND ND ND ND ND ND Total das contribuies para a sociedade ND ND ND ND ND ND Tributos (excludos encargos sociais) ND ND ND ND ND ND Total indicadores sociais externos ND ND ND ND ND ND 36 Os valores informados no Balano Social se referem a soma dos trs grupos econmicos (Rio Paran, Rio Canoas e Rio Verde) e no ao grupo CTG Brasil como um todo. 37 O ano de 2015 contm informaes referentes apenas as empresas Rio Canoas e Rio Verde. -57- 2015 2016 4 - Indicadores Ambientais Valor total (mil R$) % sobre FPB % sobre RL Valor total (mil R$) % sobre FPB % sobre RL Investimentos relacionados com a produo/ operao da empresa ND ND ND ND ND ND Investimentos em programas e/ou projetos externos ND ND ND ND ND ND Total dos investimentos em meio ambiente ND ND ND ND ND ND Quanto ao estabelecimento de metas anuais para eliminar resduos, reduzir o consumo e aumentar a eficcia na utilizao de recursos naturais a empresa: ( x ) No possui metas ( ) Cumpre de 0-50% ( ) Cumpre de 51-75% ( ) Cumpre de 76-100% ( x ) No possui metas ( ) Cumpre de 0-50% ( ) Cumpre de 51-75% ( ) Cumpre de 76-100% 5- Indicadores do Corpo Funcional 2015 2016 N de empregados (as) ao final do perodo ND 366 N de admisses ND 305 N de estagirios ND 2 N de empregados acima de 45 anos ND 165 N de mulheres que trabalham na empresa ND 58 % de cargos de chefia ocupados por mulheres ND ND N de negros (as) que trabalham na empresa ND 74 % de cargos de chefia ocupados por negros (as) ND 0 N de pessoas com deficincia ou necessidades especiais ND 0 6 - Informaes relevantes quanto ao exerccio da cidadania empresarial 2016 Metas 2017 Relao entre a maior e a menor remunerao na empresa ND ND Nmero total de acidentes de trabalho Em 2016 tivemos 0 (zero) acidentes de trabalho A meta para 2017 continua sendo 0 acidentes. Para reiterar essa prtica, ser utilizada a poltica de SST como referncia para criao de Procedimentos, Normas e Instrues de Segurana. Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela empresa foram definidos por: ( ) direo (X) direo e gerncias ( ) todos(as) empregados(as) ( ) direo (X ) direo e gerncias ( ) todos(as) empregados(as) Os padres de segurana e salubridade no ambiente de trabalho foram definidos por ( ) direo e gerncias ( ) todos(as) empregados(as) (X) todos(as) + Cipa ( ) direo e gerncias ( ) todos(as) empregados(as) (X) todos(as) + Cipa Quanto liberdade sindical, ao direito de negociao coletiva e representao interna dos(as) trabalhadores(as), a empresa ( ) no se envolve (x) segue as normas da OIT ( ) incentiva e segue a OIT ( ) no se envolver (x) seguir as normas da OIT ( ) incentivar e seguir a OIT A previdncia privada contempla ( ) direo ( ) direo e gerncias (X) todos(as) empregados(as) ( ) direo ( ) direo e gerncias (X) todos(as) empregados(as) -58- A participao dos lucros ou resultados contempla ( ) direo ( ) direo e gerncias (X) todos(as) empregados(as) ( ) direo ( ) direo e gerncias (X) todos(as) empregados(as) Na seleo dos fornecedores, os mesmos padres ticos e de responsabilidade social e ambiental adotados pela empresa ( ) no so considerados ( ) so sugeridos (X) so exigidos ( ) no sero considerados ( ) sero sugeridos (X) sero exigidos Quanto participao de empregados(as) em programas de trabalho voluntrio, a empresa ( ) no se envolve ( ) apoia (X) organiza e incentiva ( ) no se envolver ( ) apoiar (X) organizar e incentivar 2015 2016 Valor adicionado total a distribuir (em mil R$): R$ 152.142.000,00 R$ 4.640.178,00 Distribuio do Valor Adicionado (DVA): governo: 40,55% empregados: 4,24% acionistas: 9,11% financiadores: 46,10% governo: 12,52% empregados: 1,26% acionistas: 71,11% financiadores: 15,11% 2016 7 - Outras Informaes - -59- NDICE DE CONTEDO GRI Normas GRI Item de divulgao GRI Nome do item de divulgao Pgina Razo de omisso Contedo geral 102-1 Nome da organizao 4, 7 Contedo geral 102-2 Atividades, marcas, produtos e servios 7-8 Contedo geral 102-3 Localizao da sede 7 Contedo geral 102-4 Localizao das operaes 8-10 Contedo geral 102-5 Propriedade e razo social 4, 7 Contedo geral 102-6 Mercados atendidos 8 Contedo geral 102-7 Porte da organizao 7-8 Contedo geral 102-8 Informao sobre funcionrios e trabalhadores 14, 24-25 Contedo geral 102-9 Cadeia de fornecimento 13 Contedo geral 102-10 Mudanas significativas 7 Contedo geral 102-13 Participao em associaes 42 Contedo geral 102-14 Mensagem do Presidente 5-6 Contedo geral 102-16 Valores, princpios, padres e normas de comportamento 11 Contedo geral 102-17 Mecanismos para aconselhamento e preocupaes ticas 16 Contedo geral 102-18 Estrutura de Governana 16-17 Contedo geral 102-45 Entidades includas nas demonstraes financeiras 7 Performance econmica 201-1 Valor econmico direto gerado e distribudo 19-21 Presena de mercado 202-1 Variao da proporo do salrio mais baixo, discriminado por gnero, comparado ao salrio mnimo local em unidades operacionais importantes 28 Energia 302-1 Consumo de energia dentro da organizao 53 gua 303-1 Consumo de gua por fonte 54 Biodiversidade 304-2 Descrio de impactos significativos de atividades, produtos e servios sobre a biodiversidade 49-50 Biodiversidade 304-3 Habitats protegidos ou restaurados 50 Efluentes e Resduos 306-1 Descarte de gua por qualidade e destinao 53 As informaes sobre qualidade no esto disponveis Efluentes e Resduos 306-2 Resduo por tipo e mtodo de disposio 52 -60- Normas GRI Item de divulgao GRI Nome do item de divulgao Pgina Razo de omisso Emprego 401-1 Contrataes de novos empregados e taxa de rotatividade de empregados 32-33 Sade e Segurana Ocupacional 403-2 Tipos e taxas de acidentes, doenas ocupacionais, dias perdidos e absentesmo e nmero de bitos 29-30 A empresa ainda no monitora os indicadores de sade e segurana discriminados por gnero Treinamento e educao 404-1 Mdia de horas de treinamento por ano por empregado 31 A empresa ainda no monitora as horas de treinamento discriminadas por gnero Diversidade e igualdade de oportunidade 405-1 Diversidade de rgos de governana e empregados 26 Comunidades locais 413-1 Percentual de operaes com programas implementados de engajamento da comunidade local, avaliao de impactos e desenvolvimento local 41 Perfil Organizacional EU1 Capacidade instalada, dividida por fonte de energia primria e regime regulatrio 15 Perfil EU2 Energia lquida gerada, dividida por fonte de energia primria 15 Perfil EU3 Nmero de clientes (contas) residenciais, industriais, institucionais e comerciais 35 Acesso EU30 Fator mdio de disponibilidade das unidades geradoras da usina 15 -61- CRDITOS Este o primeiro relatrio socioambiental ANEEL realizado de forma conjunta pela equipe CTG Brasil para as usinas hidreltricas Salto, Garibaldi, Jupi e Ilha Solteira. Agradecemos a participao, esforo e dedicao de todos! Coordenao Geral Gerncia de Comunicao Coordenao de Coleta de indicadores ANEEL, GRI e Textos BSD Consulting Fotos Acervo CTG Brasil Henrique Manreza