1 ano prova bimestral 2 bimestre

  • Published on
    10-Jul-2015

  • View
    1.257

  • Download
    10

Transcript

As Drogas Cigarro - Por longos e longos anos as pessoas foram ensinadas que o cigarro somente provocaria reaes no organismo aps um grande perodo de uso, porm estudos recentes desmentem tais ensinamentos e assustadoramente mostram a real fora do cigarro no organismo. Este, composto por tabaco seco enrolado por um fino papel que se queima aps ser aceso, provoca rpidas reaes no corpo do homem.

Segundo estudiosos, cerca de 10% dos fumantes que colocam o primeiro cigarro na boca j apresentam reaes significativas no organismo que provocam a dependncia por um perodo de at dois dias depois, idia que se aplicava somente aos fumantes de longa data. O curioso que um cigarro consegue suprir, em fumantes iniciantes, a necessidade do organismo em relao droga por at uma semana, o que no acontece com fumantes de longa data.

Intrigantemente, a nicotina presente em um s cigarro consegue aumentar a produo de hormnios receptores no lobo frontal do crebro, no hipocampo e no cerebelo que envolve a memria a longo prazo. Dessa forma, dois dias aps ter fumado um nico cigarro um indivduo passa a ter necessidades da droga no organismo. A manifestao da dependncia droga ocorre por causa das adaptaes que o organismo faz para receb-la na busca por manter seu equilbrio qumico e funcional.

Com o decorrer do tempo, as pessoas tendem a necessitar de um novo cigarro em um curto perodo, ou seja, em um prazo de duas horas o organismo j deixa o indivduo inquieto, irritado e ansioso fazendo com que busque a calmaria no cigarro.

Deixar de fumar no fcil. Segundo pesquisas, somente 3% dos fumantes conseguem abandonar o vcio e o restante pode at conseguir parar durante um perodo, mas aps esse volta a fumar. Acredita-se que a melhor forma para abandonar o vcio deix-lo de uma s vez e no gradualmente como muitos fazem.

Alcool - O principal agente do lcool o etanol (lcool etlico). O consumo do lcool antigo, bebidas como vinho e cerveja possuam contedo alcolico baixo, uma vez que passavam pelo processo de fermentao. Outros tipos de bebidas alcolicas apareceram depois, com o processo de destilao.

Apesar de o lcool possuir grande aceitao social e seu consumo ser estimulado pela sociedade, este uma droga psicotrpica que atua no sistema nervoso central, podendo causar dependncia e mudana no comportamento.

Quando consumido em excesso, o lcool visto como um problema de sade, pois este excesso est inteiramente ligado a acidentes de trnsito, violncia e alcoolismo (quadro de dependncia).

Os efeitos do lcool so percebidos em dois perodos, um que estimula e outro que deprime. No primeiro perodo pode ocorrer euforia e desinibio. J no segundo momento ocorre descontrole, falta de coordenao motora e sono. Os efeitos agudos do consumo do lcool so sentidos em rgos como o fgado, corao, vasos e estmago.

Em caso de suspenso do consumo, pode ocorrer tambm a sndrome da abstinncia, caracterizada por confuso mental, vises, ansiedade, tremores e convulses.

Anfetaminas - As anfetaminas so drogas estimulantes, ou seja, estimulam o sistema nervoso central, provocando aumento das capacidades fsicas e psquicas. Os efeitos que podem ser sentidos no corpo so: dilatao da pupila, aumento da presso sangunea, aumento do nmero de batimentos cardacos.

Anfetaminas so drogas sintticas, fabricadas em laboratrio. Foi sintetizada pela primeira vez em 1887, na Alemanha. Quarenta anos mais tarde comeou a ser usada pelos mdicos para aliviar fadiga, alargar as passagens nasais e branquiais e estimular o sistema nervoso central. Em 1932, a droga foi lanada na Frana com o nome de Benzedrine, na forma de inalador indicado como descongestionante nasal. Em 1937, foi comercializada na forma de comprimido para elevar estados de humor. Durante a Segunda Guerra Mundial foi utilizada pelas tropas alems para reforar a resistncia e eliminar a fadiga de combate.

O controle da comercializao iniciou por volta do ano de 1970, quando as anfetaminas passaram a ser consideradas drogas psicotrpicas, por causar um estado de grande excitao e sensao de poder, dependendo da dosagem. As anfetaminas provocam dependncia fsica e psquica, o uso freqente pode ocasionar tolerncia droga e diante da suspenso poder ocorrer tambm a sndrome de abstinncia.

As anfetaminas so facilmente encontradas em farmcias e usadas principalmente em regimes de emagrecimento e como estimulante, pois inibe a fome e proporciona euforia, maior resistncia e melhor concentrao, porm as farmcias so obrigadas a vend-las sob prescrio mdica.

Ansioliticos - Ansioltico uma droga sinttica utilizada para diminuir a ansiedade e a tenso. Atingem reas do crebro que controlam a ansiedade. Quando recomendado por mdicos, no provocam danos fsicos ou mentais.

um medicamento sedativo, conhecido tambm como tranqilizante, que possui o efeito de diminuir ou extinguir a ansiedade, sem prejudicar excessivamente as funes psquicas e motoras.

So utilizados no tratamento de insnia e para reprimir crises convulsivas. Recebem o nome de drogas hipnticas, por induzir o sono. Os ansiolticos mais comuns so as substncias chamadas benzodiazepnicos. So utilizados via oral, em forma de comprimidos ou cpsulas, ou via endovenosa, em forma de injeo.

Devido facilidade com que este medicamento disponibilizado em farmcias, seu uso tornou-se comum. Existem pessoas que ao se sentirem estressadas ou nervosas fazem uso desse medicamento, mesmo sem recomendao mdica.

O ansioltico utilizado por usurios de drogas estimulantes, para diminuir a euforia, a excitao e at mesmo para dormir aps o uso prolongado de drogas.

Os ansiolticos benzodiazepnicos podem causar dependncia quando so utilizados por um longo perodo.

Os sintomas de abstinncia so: irritabilidade, dores no corpo, insnia, em casos extremos provoca convulso.

Em mulheres grvidas, o ansioltico pode provocar m formao fetal.

Os benzodiazepnicos so as drogas mais utilizadas em todo o mundo, e consideradas um problema de sade pblica nos pases mais desenvolvidos.

Barbituricos - Barbitricos so substncias utilizadas, desde o incio do sculo XX, para o tratamento da ansiedade e agitao de pacientes, principalmente por indivduos com problemas psiquitricos. Produzidos a partir do cido malnico e da ureia, agem no sistema nervoso central, podendo causar sono ou relaxamento, dependendo da dosagem ministrada.

O surgimento de outras drogas, como as benzodiazepinas, e seu uso indiscriminado por determinados indivduos, causando diversos casos de morte por parada cardaca, insuficincia renal, complicaes pulmonares e tambm suicdios; fizeram com que seu uso, hoje, fosse bastante restrito.

Atualmente, os classificamos como: barbitricos de longa ao (de oito a dezesseis horas), estes utilizados no tratamento de epilepsia, lceras ppticas e hipertenso arterial; de ao mdia (quatro a seis horas), ministradas para o tratamento de insnias; e barbitricos de curta ao (imediata), utilizados como anestsicos e/ou sedativos.

A dosagem indicada, geralmente, se limita a 100 e 200 miligramas ao dia. Dosagens que ultrapassam tais valores, utilizadas por perodo contnuo, propiciam a tolerncia, causando tambm dependncia fsica e psicolgica, e problemas como anemia, depresso, falta de coordenao motora, irritabilidade e confuso mental; sendo que, aliados ao lcool e a anfetaminas, o risco de morte muito alto.

Os sintomas da abstinncia incluem ansiedade, sudorese, perda de apetite, hiperatividade, convulses, paranoia, cimbras, dentre outros; e podem durar at duas semanas. Esta situao requer tratamento mdico e hospitalizao.

O cloridrato de benzidamina (Benflogin) - um antiinflamatrio indicado para regio de orofaringe, doenas periodontais, combate a infeces e indicado at para acalmar coceiras em crianas. A dose mxima diria de 200 mg. Estudos mostram que a ingesto de 500 mg de Benflogin, leva ao desenvolvimento de alucinaes e se associado ao lcool essas so mais intensas. Isso acontece graas aos efeitos psicoativos de seu princpio ativo, o cloridrato de benzidamina, por isso a utilizao desses medicamentos em altas dosagens tem sido muito comum entre os adolescentes e jovens, principalmente na vida noturna. J se tem relatos de jovens que incrementam seus fins de semana com a ingesto de oito a quinze comprimidos da ''poo mgica'', tomada com bebida alcolica ou refrigerante.

Na superdosagem, h o aumento da produo e da liberao de dopamina no crebro, acelerando a atividade no sistema lmbico que controla as funes, como memria e emoes. As experincias armazenadas sofrem deformaes, causando alterao da percepo da realidade e conseqentemente alucinaes visuais. Entre os efeitos alucingenos descritos, os principais so raios e luzes coloridas, aps a movimentao do globo ocular e o chamado pelos usurios de "Efeito Bruce Lee, no qual so visualizadas cenas em cmera lenta.Quando acaba o estoque de dopamina, a pessoa sente cansao, sonolncia, irritao, tonturas, dores de estmago e falta de apetite. Gastrite, lcera, sangramento intestinal, convulses e falncia dos rins so sintomas provenientes do abuso prolongado desse medicamento.

Alguns mdicos questionam a venda do remdio. Ele foi desenvolvido h 40 anos e, de l para c, foram descobertos novos antiinflamatrios menos perigosos. Mas o uso de Benflogin nas doses prescritas pelos mdicos considerado seguro. Consta na bula, de forma bem clara e objetiva, que o medicamento no deve ser associado a bebidas alcolicas, e afirma tambm que a superdosagem causa alucinao. O que deveria haver um maior controle sobre a produo e distribuio. A receita mdica deveria ser obrigatria para a aquisio desse produto.

Cocana - A cocana uma droga psicoativa que estimula e vicia, promovendo alteraes cerebrais bastante significativas. A mesma extrada da folha da coca, e se consumida por muito tempo, ocasiona danos cerebrais e diversos outros problemas de sade.

A droga originria da planta Erythroxylon coca, nativa da Bolvia e do Peru. A mesma pode ser utilizada via intranasal, intravenosa e pulmonar, tambm podendo, em casos mais raros, ser usada via oral.

Devido aos efeitos de euforia e prazer que a cocana proporciona, as pessoas so seduzidas a utiliz-la para vivenciar sensaes de poder, entretanto tais efeitos tm pouca durao. Logo o indivduo entra em contato com a realidade, aspecto que desperta uma grande ansiedade em poder utiliz-la novamente.

Acelerao ou diminuio do ritmo cardaco, dilatao da pupila, elevao ou diminuio da presso sangunea, calafrios, nuseas, vmitos, perda de peso e apetite so alguns dos efeitos biolgicos da cocana.

Codena - A codena um alcalide natural que compe o pio. utilizado no tratamento da dor e para tosses secas sem expectorao. Os mtodos de administrao so oral ou endovenoso. O efeito de 3 a 6 horas.

Os xaropes e gotas que contm codena s podem ser vendidos com receita controlada. Os produtos comerciais base de codena so o Belacodid, Codelasa, Gotas Binelli, Pambenyl, Setux, Tussaveto, Belpar, Tylex.

Os efeitos da codena so dilatao da pupila, m digesto, e priso de ventre.

A codena age no crebro bloqueando o Centro da Tosse, rea que comanda os ataques repentinos de tosse.

Quando utilizadas em doses maiores que a teraputica, age tambm impedindo as regies do crebro que comandam as funes dos rgos, ocasionando sonolncia, diminuio dos batimentos cardacos, da temperatura do corpo, da presso do sangue e da respirao, podendo levar a pessoa ao estado de coma.

Os sintomas comuns da sndrome de abstinncia quanto ao uso da codena so: calafrios, cibras, clicas, irritabilidade e insnia.

Cogumelos - Os cogumelos so usados h milhares de anos como alucingenos. O grau de alucinao e de efeito dos cogumelos depende do organismo de cada pessoa. No causa dependncia e nem sndrome de abstinncia. Existem vrios tipos de cogumelos usados entre eles:

Amanita Muscaria_ Possui dois tipos de alucingenos sendo muscimol e cido ibotmico. Esses alucingenos estimulam os neurotransmissores GABA no sistema nervoso central. Seus primeiros efeitos so desorientao, sono, falta de coordenao. Posteriormente ocorre euforia intensa, falta de noo de tempo, alucinaes visuais e alteraes de humor como a fria, por exemplo. Se usado em grande quantidade pode causar intoxicao e em alguns casos pode ser letal.

Psilocybe Cubensis_ Estimula os receptores de acetilcolina situados no crebro e no sistema nervoso. Seu uso provoca salivao, perda de controle da urina e das fezes, lacrimejamento, clicas, nuseas, vmitos, queda do ritmo cardaco e da presso arterial. Seus alucingenos so semelhantes ao LSD e provoca euforia, sonolncia, viso obscura, pupila dilatada entre outros e seu efeito dura em torno de trs horas.

Cola de Sapateiro - A cola de sapateiro uma droga pertencente ao grupo dos inalantes, uma vez que utilizada dessa forma, com absoro pulmonar. Segundo pesquisa feita pelo Centro Brasileiro de Informaes sobre Drogas Psicotrpicas, a quarta droga mais consumida em nosso pas, depois do tabaco, lcool e maconha.

Composta por diversas substncias, como o tolueno e n-hexana, proporciona sensaes de excitao, alm de alucinaes auditivas e visuais que, em contrapartida, so acompanhadas de tontura, nuseas, espirros, tosse, salivao e fotofobia. Tais efeitos so bastante rpidos, levando o indivduo a inalar novamente.

Seu uso constante desencadeia em desorientao, falta de memria, confuso mental, alucinao, perda de autocontrole, viso dupla, palidez, movimento involuntrio do globo ocular, irritao das mucosas, paralisia, leses cardacas, pulmonares e hepticas, dentre outros; podendo desencadear em convulses, inconscincia, e at mesmo morte sbita. Isso acontece porque tais substncias provocam a destruio de neurnios e nervos perifricos, alm de ser consideravelmente irritantes.

Sendo facilmente encontrada, tambm possui baixo custo, facilitando seu uso, por exemplo, por meninos e meninas de rua e estudantes. Assim, um srio problema de sade pblica, inclusive considerando que atos infracionais cometidos por adolescentes sob efeito desta droga so superiores aos demais.

Diante destes fatos, a ANVISA (Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria) emitiu a Resoluo RDC n 345, de 15 de dezembro de 2005, que probe a comercializao de substncias inalantes que afetam o sistema nervoso central a menores de idade. Este rgo tambm exige, neste documento, que as embalagens de tal produto contenham nmero de controle, individual e sequencial; e que o vendedor preencha, no ato da compra, os dados pessoais do comprador, com sua respectiva assinatura. Alm disso, esta resoluo define inscries relacionadas toxidade que deve conter em tais embalagens.

Crack - O crack deriva da planta de coca, resultante da mistura de cocana, bicarbonato de sdio ou amnia e gua destilada, resultando em gros que so fumados em cachimbos.

O surgimento do crack se deu no incio da dcada de 80, o que possibilitou seu fumo foi a criao da base de coca batizada como livre.

O consumo do crack maior que o da cocana, pois mais barato e seus efeitos duram menos. Por ser estimulante, ocasiona dependncia fsica e, posteriormente, a morte por sua terrvel ao sobre o sistema nervoso central e cardaco.

Devido sua ao sobre o sistema nervoso central, o crack gera acelerao dos batimentos cardacos, aumento da presso arterial, dilatao das pupilas, suor intenso, tremores, excitao, maior aptido fsica e mental. Os efeitos psicolgicos so euforia, sensao de poder e aumento da auto-estima.

A dependncia se constitui em pouco tempo no organismo. Se inalado junto com o lcool, o crack aumenta o ritmo cardaco e a presso arterial o que pode levar a resultados letais.