17/04/2013 - Jornal Semanrio - Edio 2917

  • Published on
    11-Mar-2016

  • View
    220

  • Download
    1

DESCRIPTION

17/04/2013 - Jornal Semanrio - Edio 2917 - Bento Gonalves

Transcript

  • Estudo para o trem regional vira realidade

    Polcia prende um suspeito da morte de Basso

    BENTO GONALVES, QUARTA-FEIRA, 17 DE ABRIL DE 2013 ANO 46 N2917 R$ 3,00 www.jornalsemanario.com.br

    DAN

    IEL PAESE D

    OS SA

    NTO

    S

    ESTEFAN

    IA V. LIN

    HA

    RES

    UMA MORTE A CADA 10 DIAS

    RSC-470

    Ministrio dos Transportes disponibiliza pesquisa e recebe sugestes at o dia 30. Em maio, audincia ser realizada em Caxias do Sul para debater trecho, modelo e parcerias Pgina 7

    Pgina 13

    BARRACO

    Mudanas podem causar danos ambientais

    Pgina 8

    Desde o incio do ano, 11 pessoas morreram em acidentes como o da noite do sbado, 13, no trecho entre Bento e Garibaldi

    Foragido da Justia foi preso na segunda-feira, 15, acusado do assassinato de cabeleireiro bento-gonalvense na capital gacha

    Trs morrem em acidente no Trevo da Telasul sbado

    Nmeros fatais j superam 50% do total de 2012

    Pgina 12 e Editorial

    Pgina 15

    GOVERNO

    Pasin garante reduo de 14,11% da dvida

    Pgina 4

    ESPORTIVO

    Aps eliminao, grupo se reapresenta

  • A tragdia como regraEDITORIAL

    Quantas vidas ainda sero perdidas nas estradas serra-nas pela imprudncia, pela combinao fatal entre lcool e direo, pela falta de sinalizao eficiente e condies dig-nas nas estradas da regio? Quantos jovens ainda tero de morrer at que o governo do Estado reconstrua as carco-midas rodovias regionais? Infelizmente, responder as per-guntas que abrem este Editorial , ainda, tarefa divinatria.

    A cada semana, os jornais trazem a ampliao das esta-tsticas fatais, e hoje no diferente, como se pode com-

    provar na reportagem p-gina 12 desta edio. Pelo menos este o sentimento que se revela na regio, do cidado comum s autori-dades da Serra Gacha, em sua maioria frustrada com as promessas no cum-pridas e estradas cada vez

    piores. H uma tnue luz no final do tnel, mas ela ainda sinaliza promessas e compromissos que no se tornaram reais. A regio ainda espera que o Contrato de Restaura-o e Manuteno de Rodovias (Crema/Serra), que prev a restaurao de 200 quilmetros de estradas da regio, entre as RSCs 453 e 470 e as ERSs 324 e 122, saia efetivamente do papel para ganhar as estradas com mquinas na pista, homens trabalhando e segurana para os motoristas.

    Diante das urgncias da regio, trafegar nas rodovias serra-nas hoje quase uma sentena. Para amenizar a sensao de

    preciso educar motoristas para que o carro no seja uma arma, e que, a cada final de semana, a tragdia da perda de vidas de forma cruel no seja a regra que teima em no permitir excees

    impotncia regional diante da realidade implacvel dos bu-racos e da falta de manuteno que ampliam os riscos para os motoristas, no h remdio. O que resta a renovao de uma pacincia que est se esgotando, e, por isso, os novos prazos precisaro ser cumpridos risca para que as estradas voltem a oferecer a segurana necessria populao.

    Mas, alm disso, preciso educar motoristas, jovens e maduros, para que o carro no seja uma arma fatal, e que, a cada final de semana, a tragdia da perda de vidas de forma cruel, como as trs pessoas mortas na noite do s-bado, 13, no trevo da morte da rodovia RSC-470, no seja a regra que teima em no permitir excees. A soluo mais prxima a conscientizao dos condutores, para que a imprudncia no trnsito no seja a lei dominante.

    Usar o cinto de segurana, no beber antes de dirigir, respeitar os limites de velocidade e redobrar a ateno em dias de chuva, principalmente para se previnir de aquapla-nagens, so atitudes simples, mas que podem diminuir, e muito, esses nmeros. A direo defensiva outra ao que deve ser seguida pelos condutores, pois no se est livre de envolvimento em acidentes, fruto da irresponsa-bilidade de outros. Mas h casos que nem isso basta.

    No entanto, comear a recuperar o tempo perdido o quanto antes, possvel. preciso parar de perder tem-po e comear a agir, parar com as promessas e atender as demandas da populao. Mas acima de tudo, impres-cindvel parar de ser imprudente e irresponsvel com nossas estradas, e isso s o governo pode fazer.

    Quarta-feira, 17 de abril de 20132 Opinio

    A inflao e a informaoNo tenho recordao de ter existido, em algum tem-

    po, nas ltimas dcadas, tanta desinformao vinda de onde deveria, por lgica, vir INFORMAO. Refiro-me aos tais meios de comunicao, assim entendidos rdios, jornais, revistas e emissoras de televiso. Todos defendem, com unhas e dentes (e dinheiro, muito dinheiro) a liber-dade de expresso, a liberdade de imprensa, mesmo que isso esteja previsto muito claramente na Constituio Cidad. S que, escancaradamente, a chamada grande imprensa no proporciona ao povo a INFORMAO. O direcionamento poltico-partidrio dela salta aos olhos e se impe de uma forma indita no Brasil. Nem mesmo durante os governos militares, um regime ditatorial, havia tanta submisso dessa imprensa aos interesses dos do-nos do Brasil que estavam de planto durante o regime de fora. Poucas famlias (ou sero famglias?) contro-lam os grandes meios de informaes, alis, de pseudo--informao j que com visvel fundo poltico-partidrio. O resultado do que se v a desinformao dirigida for-mao da opinio publicada em detrimento opinio pblica. A frase histrica de que uma mentira repetida muitas vezes tida como verdade se aplica perfeitamen-te ao atual momento poltico-econmico brasileiro. Essa imprensa bem identificada e seus pitbulls articulistas e colunistas seguem risca a cartilha das famglias e o alvo, agora, o governo muito bem aprovado pela opinio p-blica em todas as pesquisas. O interesse eleitoreiro se so-brepe aos da populao. Eles querem porque querem que

    a taxa de juros aumente, que o consumo seja reduzido e haja recesso porque , segundo eles, a nica maneira de conter o recrudescimento da inflao. E Dilma afirma que no vai provocar desemprego (bvio, se o consumo reduzir) e nem recesso em nome da inflao. Como, en-to, a imprensa poltico-partidria tenta impor a vontade daqueles que pagam, regiamente, seus anncios? Simples: publicando nmeros adequados a seus intersses (como diria Brizola). Foi o que se viu nas duas ltimas edies de revistonas semanais. Colocaram o tomate na capa como o vilo dessa inflao que insistem fabricar. E chegaram ao cmulo do ridculo colocando uma senhorinha com co-lar de tomates no vdeo. Uma delas publicou nmeros da inflao em vrios anos, desde 1977 e, estrategicamente, pulou de 1989 para 2008 e chegou a 2013, sempre fazendo piada com a alta dos preos de produtos. Ignorou, solene-mente, os anos de 1999 (inflao de 8,94%), 2001 (inflao de 7,67%, quase o DOBRO da Meta) e 2002 (12,53%, o TRIPLO e mais um pouco da Meta que era 3,5%). Agora, quando alimentos da cesta bsica sobem de preo absurda-mente, fruto da ganncia, notadamente, mesmo com os ze-ramentos de impostos federais, a inflao anualizada supera a Meta em 0,09% (nove centsimos) a imprensa amiga quer porque quer maior taxa de juros e recesso. Faz a sua parte poltico-partidria. E h quem acredite nela e chegue at mesmo a valer-se disso como notcia. Ah, sim, duvi-dem do que digo e pesquisem. uma boa para no ser enganado por ningum nem ser um inocente til.

    Antnio Frizzoantoniofrizzo@italnet.com.brAntnioFrizzo

    Siga-nos no Twitter:@jsemanarioCurta a fan-page:on.fb.me/jsemanario

    Leia tambm no nosso site:www.jornalsemanario.com.br

    Semanrio na Internet

    SEDEWolsir A. Antonini, 451

    Bairro Fenavinho - Caixa Postal 12695 700.000 - Bento Gonalves - RS

    ESCRITRIO CENTRALMal. Deodoro, Centro, 101Galeria Central - Sala 501

    DIRETOR PRESIDENTE HENRIQUE ALFREDO CAPRARA

    DIRETORES ANA INS FACCHIN

    HENRIQUE ANTNIO FRANCIO

    GERENTE ADMINISTRATIVOMateus Mezzaroba

    GERENTE VENDASFelipe DallIgna

    JORNALISTA RESPONSVEL HENRIQUE ALFREDO CAPRARA

    Registro Prof. DRT 3321

    CHEFE DE REDAOROGRIO COSTA ARANTES

    SECRETRIA DE REDAOZlia Ferreira

    REPRTERESEstefania V. LinharesFernando Levinski

    Josiane RibeiroJussara Konrad

    Ktia Casagrande Marcelo MacielMariana MaioliNoemir Leito

    Rodrigo Bergsleithner

    DIAGRAMADORESJonas Brum

    Juliano CamerinPricila Piccini

    Robson Berlatto Oliveira

    COLUNISTAS/COLABORADORESAdelgides Stefenon

    Alini PegoraroAntnio Frizzo

    Assunta De ParisDenise Da R

    Eliane ZanluchiFlvio Lus Ferrarini

    Getulio Lucas de AbreuItacyr Giacomello

    Taise AgostiniValnil Jr.

    GERENTELuiz Everson Incio

    EVENTOSRainha Indstria e Comrcio

    Mrito Grandes LderesCampees da Preferncia

    Talentos

    FALE COM A GENTETelefones:

    Central/Fax: 3455.4500Escritrio Centro: 3452.2186Rdio - Estdio: 3455.4530

    Rdio - Coordenao: 3455.4535Circulao: 3452.2686 / 8408.4644 / 3455.4500

    E-mails:classificados@jornalsemanario.com.br

    jornal.semanario@italnet.com.brradio@radiorainha.fm.br

    Sites:www.jornalsemanario.com.br

    www.radiorainha.fm.br

    Somos filiados ADJORI / RSEste jornal no se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados e no devolve

    originais que no foram publicados.

    Representante em Porto AlegreGrupo de Dirios

    Rua Garibaldi, 659, Conjunto 102Centro - POA - Fone: (51) 3272.9595

    e-mail: fernanda@grupodediarios.com.br

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 3Opinio

    LUIZ OSELAME, PRESIDENTE DO CLUBE ESPORTIVO

    Ns somente vamos jogar o segundo semestre se conseguirmos patrocinadores para cobrir as despesas do clube com a Copa RS

    Em sua opinio o que pode ser feito para acabar com as mortes nas rodovias?

    TrsPontos... Acho que deveria di-minuir a velocidade e haver uma fiscalizao mais rigorosa, com monitoramento es-pecial para que acabe

    os altos ndices de mortalidade nas rodovias. Genice Maciel, 49 anos, vendedora, moradora do Barraco.

    Melhorias das estra-das, principalmente na nossa regio onde h buracos e m sinaliza-o, o que contribui para os muitos aciden-

    tes fatais que acama vitimando pes-soas. Vincius Cusin, 27 anos, em-presrio, morador do Centro.

    Deveria de no haver o consumo de bebidas alco-licas e mais fiscalizaes, menos velocidade dos nos-sos motoristas e o respeito pela vida, j que muitos jo-

    vens so vitimados nas nossas rodovias. Idalina Stradiotti, 58 anos, comerciante, moradora do bairro Progresso.

    Painel20 anos de histria

    A Associao Caminhos de Pedra, em parceria com a Faculdade Cene-cista de Bento Gonalves, realiza a exposio 20 anos de Caminhos de Pedra, um novo olhar, reunindo fo-tos produzidas por alunos do curso de Publicidade e Propaganda. A ex-posio vai at o dia 22, no hall de entrada da Fundao Casa das Artes.

    Vincola Aurora na Expovinis 2013

    A Vincola Aurora, que acaba de celebrar 82 anos de histria, partici-pa de mais uma edio da Expovinis (de 24 a 26 de abril, no Pavilho Azul do ExpoCenter Norte). Instalada no stand 82, ter espao aberto ao aten-dimento de todos os interessados, com degustao de seus vinhos mais selecionados. A presena de recep-cionistas treinadas e dos enlogos Flvio Zlio e Andr Peres Junior garantem o bom atendimento e as explicaes necessrias a quem estar na feira procura de novidades.

    Produo CulturalA Prefeitura, por meio da Secre-

    taria da Cultura, promove hoje, s 20h o workshop de Produo Cul-tural. O programa voltado para profissionais da rea artstica. O Projeto faz Parte das aes do Pro-jeto Semeador, lanado em feverei-ro. Entrada franca. Vagas limitadas.

    Um jovem de 21 anos morreu na segunda-feira, 15, sugado por uma esteira na cidade de Garibaldi. O acidente ocorreu quando ele teve sua roupa presa ao equipamento, tendo o corpo triturado pela mqui-na. Morreu aos poucos, em meio a gritos, desespero, desmaios e choros compulsivos de colegas e diretores da empresa. Alguns necessitaram de atendimento mdico.

    Recentemente em Porto Alegre, uma criana de quatro anos pren-deu a mo na esteira de uma esca-da rolante (os pais estavam numa loja) de um shopping. A criana teve quatro dedos amputados. Aqui em Bento Gonalves, numa indstria, um funcionrio perdeu um brao, e outro, quatro dedos da mo, tambm na esteira. Cui-dado com as esteiras!

    Trajeto do trevo de acesso cidade (habemus trevo?) at a entrada Garibaldi, passando pelo trevo Bento - Farroupilha - Garibaldi (habemus vergonha?): quem vai acabar com o morticnio no trnsito? Envie a sua sugesto de pergunta pelo e-mail redacao@jornalsemanario.com.br

    A pergunta queno quer calar

    Os novos soberanos dos bairros Vila Nova II e III foram eleitos no sbado, 13, na sede do CTG Presilha da Serra. Foram escolhidos as representantes do Vila Nova II: Ellen Barbosa, como boneca, Bruna Barbosa, como destaque, Bruna Polinski, como broto e Erick Joo Sabi como gato. Os jurados elegeram Taissa Barbo-sa como rainha do bairro. Gabriela Zago e Si-mone da Silva foram as princesas e Ana Paula da Silva, miss simpatia.

    Para representar o bairro Vila Nova III foram escolhidos como Natlia Bonzio, como bone-ca, Brenda Antunes, como destaque, Gabrie-li Siqueira, como broto, e Wesley Ogrodoski, como gato. Maria Eduarda Cabral foi a rainha, tendo como princesas Paola da Silva Cabral e Andressa da Silva. A miss simpatia foi Bruna da Silva e Bruno Bottega foi o garoto revelao.

    STFANI DE MIRANDA, DIVULGAO

    Uergs abre inscries

    O perodo de inscries para o concurso pblico que prover o quadro per-manente de professores da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) comeou ontem, dia 16. So 30 vagas distribudas em sete regies de abran-gncia da instituio. As inscries podero ser rea-lizadas somente pela inter-net, por meio do site www.fundatec.org.br, at o dia 6 de maio

    Impostmetro alcanar R$ 500 biO impostmetro da Associao Comercial de So Paulo

    (ACSP) atingiu por volta das 19h15min da tera-feira, 16, a marca de R$ 500 bilhes arrecadados pelo governo em impostos fede-rais, estaduais e municipais desde o incio do ano. Em 2012, a ci-fra foi alcanada 17 dias depois, em 2 de maio. At o fim da tarde de tera, s o estado de So Paulo arrecadou R$ 47,5 bilhes. A Unio responder por R$ 380,4 bilhes dos R$ 500 bilhes.

    Soberanos 2013

    Cuidado com as esteiras

    Diferente do que foi publicado na edio do sbado, 13, Fabia Carvalho faz parte do setor admi-nistrativo da UBS Central. A en-fermeira-chefe Dbora Gallina. A unidade conta com uma enfer-meira e 11 atendentes e auxiliares.

  • Quarta-feira, 17 de abril de 20134 Poltica

    Governo Pasin

    100 dias para arrumar a casaEm coletiva imprensa, prefeito Guilherme Pasin confirma a quitao de 14,11% da dvida herdada do governo anterior

    Prefeito reuniu a sua equipe de trabalho no salo nobre para responder s questes da imprensa local

    Com um olhar que de-monstrava preocupa-o e um discurso otimista, o prefeito Guilherme Pasin iniciou a coletiva que reuniu a imprensa na prefeitura de Bento Gonalves, para expor a situao da gesto municipal nos primeiros trs meses des-te ano. Se at ento o perodo foi especialmente de diagns-ticos e organizao da estru-tura, a expectativa daqui para frente pelo cumprimento das promessas de campanha e do equilbrio financeiro em relao ao pagamento das dvidas da administrao an-terior. Passados os primeiros 100 dias, o foco agora est nos prximos 265.

    Pasin fez um relatrio da ges-to. Apresentou balanos fi-nanceiros e exps os principais desafios encontrados nos trs meses, lembrou aes emer-genciais e reforou o compro-misso com a gesto eficiente. Sobre o futuro, destacou que a prioridade captar recursos para tirar as propostas do pa-pel e quitar dvidas pendentes.

    Estamos buscando a pro-fissionalizao da gesto, gas-tando menos e conseguindo economizar com pequenas aes. De forma positiva com-pletamos 100 dias de gover-no, apesar de um dos nossos

    maiores desafios foi receber a prefeitura com uma desor-ganizao administrativa. A suspenso dos pagamentos do passivo herdado foi necessria para anlise individual de cada uma das notas encontradas, disse o prefeito.

    Pagamento de 14,11%

    Segundo o prefeito, o passi-vo das dvidas herdadas sofreu a reduo de 14,11% nos pri-meiros 100 dias de governo. A dvida que na data de 31 de dezembro de 2012 era de R$

    Rodrigo Bergsleithner

    51.672.921,50, hoje soma R$ 44.379.747,37, que incluem fornecedores a pagar, frias, emprstimo do Programa de Modernizao da Administra-o Tributria (PMAT), parce-lamento do Pasep, processos administrativos, precatrios a pagar e outros pagamentos consignados. Os valores qui-tados dizem respeito a servi-os bsicos e tributos, como, por exemplo, contas de gua, luz, telefone e dvidas com o governo federal. Para projetar-mos o incio dos pagamentos foi necessrio parar com os

    pagamentos no incio do ano, disse o prefeito.

    Fundao Araucria

    Nos nmeros apresentados pelo prefeito Pasin, no esto includos os R$ 900 mil pagos, em primeira parcela, Funda-o Araucria. Conforme o re-latrio apresentado, a empresa deve R$ 2,69 milhes a 466 trabalhadores. Outra empresa terceirizada da prefeitura que possui recursos a receber a CCS, que se encontra na mes-ma situao. O valor das duas

    dvidas somadas de R$ 11 milhes.

    De acordo com o prefeito, no primeiro trimestre deste ano, o governo arrecadou R$ 68 milhes e teve como gas-tos R$ 50 milhes, o que gerou um supervit de R$ 18 milhes nestes primeiros meses do ano. O que gerou o aumento na ar-recadao do trimestre foi o pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territo-rial Urbana (IPTU). Por isso, a necessidade de economizarmos para o oramento no ser com-prometido. A principal preocu-pao do nosso governo no fechar o oramento no verme-lho neste ano, pois desta forma estaramos deixando a prefeitura de Bento Gonalves pelo tercei-ro ano consecutivo com o ano no vermelho, o que comprome-teria o recurso de novas verbas federais e estaduais. Para isso foi necessrio romper alguns paga-mentos em janeiro, disse.

    De acordo com o prefeito Pasin, alm da dvida de R$ 51 milhes apresentadas no in-cio deste ano, haviam tributos estaduais e federais em atraso, assim como dvidas referentes a pagamentos com medicao. O planejamento inicial do nosso governo foi trabalhar estas questes para comear-mos sanar as dvidas, disse.

    CPI DA FENAVINHO

    Relatrio aprovado vai ao MP

    politica@jornalsemanario.com.br

    FOTOS RODRIGO BERGSLEITHNER

    Por 9 votos a 4, os vereado-res aprovaram o Projeto de Resoluo sobre a aprovao do relatrio final dos trabalhos da Comisso Parlamentar de Inqurito (CPI) da Fenavinho Brasil, na sesso ordinria da segunda-feira, 15. Depois de aprovado, o relatrio vai ser encaminhado na prxima se-mana ao Ministrio Pblico (MP). A apreciao no contou com o voto do vereador Mar-cos Rodrigues Barbosa (PRB), que se absteve da condio de

    votar, e nem dos vereadores Enio De Paris (PP) e Adriano de Souza Nunes (PPS), no presentes na sesso da segun-da-feira. Os votos contrrios foram dos vereadores Moacir Camerini (PT), Neilene Lunelli (PT), Jocelito Tonietto (PDT) e Valdemir Marini (PT).

    De acordo com o presidente da Cmara de Vereadores, Val-decir Rubbo, a aprovao do Projeto de Resoluo encerra os trabalhos da CPI da Fena-vinho. Aprovamos uma reso-

    luo que dar o seu encami-nhamento final ao Ministrio Pblico, disse.

    Mesmo no tendo o seu re-latrio paralelo aprovado na Cmara de Vereadores, o ve-reador Moacir Camerini vai encaminh-lo ao Ministrio Pblico. Vou levar todo o trabalho realizado ao consen-timento do Ministrio Pblico Estadual e Federal. Indepen-dente de ser rejeitado, o meu trabalho em defesa da comu-nidade, afirma. Vereadores aprovaram o Projeto de Resoluo por 9 votos a 4

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 5Geral

    Passagens aumentam 7,01%

    O novo preo das passa-gens intermunicipais en-trou em vigor desde segunda--feira, 15. O valor teve reajuste de 7,01%, votado no incio do ms pela Agncia Estadual de Regulao de Servios Pbli-cos Delegados do RS (Agergs).

    A Fundao Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), poder concedente do servio, acatou o reajuste que foi repassado s concessionrias. Segundo o diretor da Bento Transportes, Pedro Guarnieri, o aumento de agora se refere ao que foi homologado em 2012. No ano passado fizemos a reno-vao da frota e tivemos duas elevaes no preo do diesel, enquanto a tarifa foi reajustada somente agora, argumenta.

    Conforme o gestor jurdico e administrativo da Ozelame Transportes, Luis Henrique Barcarolo, o ndice de 7,01% consiste na soma do reajuste

    Transporte Intermunicipal

    Novos valores foram reajustados na segunda-feira, 15, e so vlidos para as cidades pertencentes regio da Aune

    Aumento autorizado pela Agers j est em vigor na Serra Gacha

    Confira os novos valores

    Deslocamento Preo EmpresaBento - Carlos Barbosa R$ 3,25 Bento GonalvesBento - Caxias R$ 7,45 OzelameBento - Farroupilha R$ 3,75 OzelameBento - Garibaldi R$ 3,25 Bento GonalvesBento - Santa Barbara R$ 7,75 Bento GonalvesBento - Santa Tereza R$ 7,10 Santo AntnioBento - Monte Belo do Sul R$ 4,60 Monte BeloFarroupilha - Carlos Barbosa R$ 3,25 Bento GonalvesCaxias - Flores da Cunha R$ 3,25 CaxienseCaxias - Carlos Barbosa R$ 8,35 OzelameCaxias - Farroupilha R$ 3,50 OzelameCaxias - Garibaldi R$ 9,20 OzelameCaxias - So Marcos R$ 6,20 So MarcosFlores da Cunha - Nova Pdua R$ 3,25 Caxiense

    Ktia Casagrande

    geral4@jornalsemanario.com.br

    KTIA CASAGRANDE

    anual e da reviso tarifria, que acontece a cada cinco anos. No percentual anual se busca equiparar a inflao, aumento do combustvel, mo de obra e outros insumos, explica.

    Entre os usurios do trans-porte intermunicipal as opi-nies se diferem. Para a aposentada Teresa Stella, as concessionrias no podem ficar no prejuzo. Em contra-ponto est a opinio da mas-sagista ngela Guamerim. O valor do reajuste foi muito alto se comparado com o que a

    poupana paga. A aposenta-da Alades Francisca de Barros Souza acredita que para quem usa o servio diariamente vai pesar um pouco no bolso.

    Os novos preos so para passagens entre as cidades que integram a Aglomerao Urba-na do Nordeste (Aune), Bento Gonalves, Carlos Barbosa, Ca-xias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Nova Pdua, San-ta Tereza e So Marcos.

  • EmDebate

    Quarta-feira, 17 de abril de 20136 Opinio

    Rogrio Costa Arantesrogerio@jornalsemanario.com.br

    O empresrio de Passo Fundo Erasmo Carlos Battis-tella assinou esta semana a aquisio do Frigorfico Frinal, de Garibaldi, empresa com 40 anos de atuao.

    O frigorfico passa a com-por a holding RP Administra-o e Participao, a mesma que tem sob seu guarda-chuva a produtora de biocombust-veis BSBios e a Lavoro, conces-sionria da John Deere.

    O empresrio promete inves-tir em melhorias na infraestrutura e no lanamento de novos pro-dutos, e pretende faturar cerca de 50% a mais que em 2012. A inteno registrar uma receita de R$ 210 milhes, contra os R$ 138 milhes de 2012.

    Para isso, a empresa de-ve iniciar um segunto turno de trabalho a partir de julho.

    O Ministrio Pblico Esta-dual dever receber ainda nes-ta semana o relatrio final da CPI da Fenavinho, aprovado em plenrio na sesso legisla-tiva da segunda-feira, 15.

    Quanto ao relatrio paralelo, aquele apresentado pelo verea-dor Moacir Camerini (PT), mesmo que ele garanta o encaminha-mento ao MP estadual e ao fede-ral, isso ainda no ocorreu.

    O Plano Nacional dos Direi-tos da Pessoa com Deficincia se-r debatido hoje pela manh na Coordenadoria de Acessibilida-de e Incluso Social da Pessoa com Deficincia, com a presen-a da presidente da Faders, Mar-li Conzatti, e a representante da Secretaria de Direitos Humanos da Presidncia da Republica e da Secretaria Nacional de Promoo da Pessoa com Deficincia, Lucia-ne Barcellos de Almeida.

    Ontem noite, a Cmara de Vereadores entregou uma Por-taria de Louvor ao fotgrafo Fa-biano Mazzotti e ao padre Izido-ro Bigolin pela produo do livro Amm, Bento Gonalves, lan-ado em 2012.

    Atualmente, Mazzotti est na Amaznia, onde produz um li-vro sobre as riquezas da regio.

    Ponto

    O preo das terras na Serra Gacha, caracterizadas por terrenos irre-gulares e de alta produtividade para a viticultura, teve a maior alta nomi-nal da dcada no estado. A valorizao do perodo seis vezes maior do que a variao verificada no resto do Rio Grande, e foi puxada especial-mente pela expanso de vincolas em municpios como Bento Gonal-ves e Garibaldi. Hoje, o valor de uma rea por aqui custa 1.531% a mais do que h 10 anos. O setor imobilirio acredita que, enquanto houver demanda, ou seja, compradores dispostos a pagar caro, a tendncia de que o preo da terra se mantenha em curva ascendente. Em mdia, o preo de um hectare serrano no sai por menos de R$ 40 mil.

    DCADA DE VALORIZAO

    Bento Gonalves parece mesmo ser a cida-de dos extremos. De um lado, a riqueza de um PIB elevado para os padres mdios de um estado falido; de outro, a carncia histrica e nunca sanada em servios essenciais popu-lao; do lado da riqueza, indstrias de pon-ta que investem em tecnologia e contratam mancheia; do lado da pobreza, a misria da falta de qualificao profissional que impede o pleno emprego; ali, performances de encher os olhos de telespectadores dominges afo-ra; mais adiante, a droga e a prostituio que tomam conta de praas e desgraam vidas.Na dcada de 70, diziam os intelectuais que o Brasil era a Belndia, mistura de ndices de primeiro mundo e mazelas insanveis do terceiro mundo, a Blgica e a ndia em um s lugar. Passadas quatro dcadas, o termo se aplica realidade bento-gonalvense. A cons-truo civil crescendo cada vez mais, e nada de esgotamento sanitrio. Os investimentos em turismo em alta, e a gua que bebemos condenada por resduos qumicos que a torna, em muitos casos, intratvel. At quando?

    Por falar nas condies de potabilidade da gua captada nas bacias do Barraco e do Burati, um relatrio da vigilncia ambiental aponta problemas. A anlise aponta que 40% da gua recolhida imprpria para o consu-mo, contendo resduos qumicos txicos para o ser humano. O problema ainda maior por-que a secretaria de Sade e a Corsan, respon-svel pelo tratamento, no se entendem, e no de hoje. A estatal j recebeu uma srie de notificaes e, em anos anteriores, chegou a questionar a legitimidade dos laudos da secre-taria. Enquanto isso, a populao obrigada a consumir uma gua que, como diziam os anti-gos, nem passarinho bebe.

    Em Destaque

    Acredito que a audincia saia realmente no dia 6 de maio, mas a definio depende do Ministrio dos Transportes. possvel que apaream interessados

    Paulo Thimteo, coordenador-executivo da Trensurb, sobre o projeto do trem regional.

    Durante um encon-tro realizado ontem em Floria-npolis, no campus da UFSC, ficou pratica-mente definida a realizao da audincia pblica para tratar do trem regional no dia 6 de maio, quando ser apresentado populao o estudo que aponta a viabilidade tcnica e econmica da retomada da ligao frrea entre Bento e Caxias. Ser uma grande oportunidade para que a regio mostre seu apoio iniciativa e, principalmente, para que as empresas interessadas em explorar o modal regional atravs de parcerias pblico--privadas deem seus primeiros passos. A partir disso, haver a definio sobre o trajeto que ser implantado, por exemplo. Depois, ser preciso definir o modelo de financiamento para a obra, que vai exigir esforo de toda a regio. Mais que isso, para assegurar que o trem saia do papel e entre definitivamente nos trilhos, ser preciso compor. H interesses contrrios implanta-o do trem regional. No estudo, ainda h dois traados em disputa, e o mais cotado aquele que liga diretamente Caxias e Bento e estabe-lece ramais para Garibaldi e Carlos Barbosa. O traado original foi descartado, porque o VLT no poderia trafegar em grande velocidade, o que tornaria o tempo de viagem muito grande para competir com a ligao rodoviria.

    O governo federal anunciou que vai aplicar, a partir de 2014, R$ 2,2 bilhes na construo, reforma e ampliao de 270 aeroportos regio-nais. Este ano, a Infraero acena com investimentos de metade deste va-lor a partir de agosto. Extraoficial-mente, pelo menos seis empresas (duas brasileiras e uma do exterior) j teriam manifestado interesse no projeto. Pelo menos uma delas j teria formalizado a inteno de re-alizar uma parceria pblico-privada para a construo do aeroporto com duas pistas de 4 mil metros de extenso cada uma. O projeto do Departamento Aeroporturio do Estado (DAP) prev que a pista tenha 3,6 mil metros de extenso. Inserido no plano nacional de avia-o do governo federal, cerca de R$ 200 milhes j estariam garan-tidos. Ser que, com esse dinheiro todo, o n o v o aeropor-to regional da Serra Gacha decola?

    Novos recursos para decolar

    Para sair do papel

    Belndia aqui

    GILMAR GOMES, ARQUIVO

    A prefeitura reconheceu a neces-sidade de uma reforma completa na Casa Geisel, e deve estudar uma forma de parceria com outras esfe-ras governamentais para viabilizar as obras. A Fervi, atual proprietria do imvel, deve contratar o pro-jeto. A questo ser o destino do lugar, uma vez que, para receber recursos do governo, ele dever ter uso social. Nos prximos dias, a prefeitura dever iniciar os reparos de emergncia, para recuperar o te-lhado e evitar mais deteriorao.

    Reformas na Casa

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 7Geral

    AUDINCIA PBLICA

    Audincia encaminhar definio sobre trecho a ser adotado

    Alteraes no planodiretor vo discusso

    Trem regional

    Governo apresenta viabilidadeEstudo realizado pela UFSC est disponvel e Ministrio dos Transportes colhe contribuies at dia 30 para confirmar audincia

    Rogrio Costa Arantes

    Depois de uma srie de adiamentos, o Minist-rio dos Transportes abriu, na sexta-feira, 12, uma consulta pblica sobre os estudos de viabilidade econmico-finan-ceira de duas linhas de trens de passageiros na Regio Sul do pas, entre elas a que liga Bento Gonalves a Caxias do Sul, passando por Garibaldi, Farroupilha e Carlos Barbosa.

    A consulta, que receber contribuies atravs do e--mail consultapublica@trans-portes.gov.br at o dia 30 deste ms, precede uma audincia pblica, ainda sem data defi-nida, que dever ser realizada em Caxias do Sul no ms de maio para encaminhar as opi-nies de moradores da regio, autoridades e lideranas locais sobre o projeto e apresentar as concluses do Estudo de Via-bilidade Tcnica, Econmica, Financeira, Social e Ambien-tal do Sistema de Transporte

    Ferrovirio de Passageiros, de Interesse Regional, no trecho: Caxias do Sul (RS) Bento Gonalves (RS).

    De acordo com o estudo dis-ponibilizado no site do Minis-trio dos Transportes, o trajeto proposto vai ligar as cidades de Caxias, Farroupilha, Ben-

    to Gonalves, Carlos Barbosa e Garibaldi, em um trajeto de 62,5km (43,3 km de Caxias do Sul a Carlos Barbosa e 19,2 km de Carlos Barbosa a Bento) que dever aproveitar os trechos da antiga ferrovia de cargas j exis-tente, que ser adequado para o transporte de passageiros em

    trens de mdia velocidade. Os projetos preveem a operao dos trens pela iniciativa privada, por meio de Parcerias Pblico--Privadas (PPP) ou concesses, com tarifas que concorram com as do transporte rodovirio de passageiros, a fim de desafogar as rodovias.

    Os estudos foram realizados foi desenvolvido pelo Labora-trio de Transporte e Logsti-ca (Labtrans) da Universida-de Federal de Santa Catarina (UFSC). A disponibilizao das concluses do estudo es-tava cercada por uma grande expectativa, uma vez que a re-gio foi a primeira a concluir os estudos, que apresentam o cenrio atual e apontam a pos-sibilidade e sustentabilidade da implantao do projeto. Aps o perodo para o recebimen-to de sugestes, o estudo ser reencaminhado ao laboratrio e, s ento, sero desencadea-das as audincias pblicas.

    O coordenador-executivo da Empresa de Trens Urbanos

    de Porto Alegre (Trensurb), Paulo Thimteo, que est em Florianpolis, onde participou de uma reunio de trabalho sobre a implantao do trem regional, acredita que, apesar de depender de uma definio do Ministrio dos Transportes, a audincia em Caxias pode ser marcada para o dia 6 do prxi-mo ms. Com a realizao da audincia, abre-se a perspectiva de implantao de todo o pro-cesso de revitalizao do trem regional, diz. Para ele, o en-contro ser um momento de-cisivo para que os interessados em explorar a concesso frrea indiquem suas intenes.

    Depois disso, uma nova eta-pa ser inaugurada: a definio do trecho a ser implantado, a prospeco dos interessados, a contratao dos projetos de engenharia e a captao de fi-nanciamento para a implanta-o efetiva do modal ferrovi-rio na regio.

    A Cmara de Vereadores promove amanh, 17, a partir das 20h, uma audincia pbli-ca para discutir mudanas no plano diretor do municpio. O projeto de lei atinge os bairros Santo Anto, Santa Helena, Santa Marta, Ftima, Imigran-te, Fenavinho, Loteamento Za-netti e Botafogo. Desta forma, o Legislativo decidiu ouvir a comunidade antes de aprovar as modificaes.

    A audincia pblica foi so-licitada pelo vereador Gilmar Pessutto (PSDB), com o ob-jetivo de saber da opinio p-blica se ela aprova as alteraes propostas pelo Executivo. At agora as decises sempre vie-ram de cima para baixo. Preci-samos saber se a comunidade no se sentir prejudicada com estas modificaes, destaca o

    parlamentar. Uma das principais altera-

    es prev a mudana das edi-ficaes de unifamiliar para multifamiliar. Desta forma, ficariam liberadas as constru-es de condomnios residen-ciais em qualquer um dos sete bairros atingidos pelo projeto de lei, atendendo uma antiga reivindicao das construtoras.

    Tambm est prevista a construo de prdios com quatro andares e at 16 metros de altura. Hoje, a lei determina apenas prdios com no mxi-mo dois andares e sete metros de altura. A proposta quer mu-dar o ndice de Construo do 0,80 metro quadrado atuais para 1,50. O mesmo vale para a Taxa de Ocupao, onde solicitado uma mudana de 0,50% para 0,60%.

    editoria@jornalsemanario.com.br

    ARTE ROBSON B OLIVEIRA SOBRE IMAGENS GOOGLE MAPS

  • Quarta-feira, 17 de abril de 20138 Geral

    Projeto pede alteraes na localidade

    Um projeto de lei que per-mite mudanas no Plano Diretor da cidade, na regio da localidade do Barraco, est gerando polmica. A questo ser debatida amanh, quinta--feira, em audincia pblica na Cmara de Vereadores de Bento, s 20h.

    O projeto, que de autoria do vereador Gilmar Pessutto (PSDB), sugere vrias altera-es de ordem ambiental na localidade. De acordo com o tcnico da Vigilncia Am-biental de Bento Gonalves e membro do Conselho Muni-cipal de Defesa do Meio Am-biente (Condema), Artmio Riboldi Jnior, caso este pro-jeto seja aprovado, isto con-tribuir com o aumento de alguns problemas que j acon-tecem no local, como a baixa qualidade de gua da regio de captao. O aumento na densificao, lanamento de esgoto, resduos residenciais e industriais sem o tratamento adequado, analisa Jnior so-bre o que j acontece no local.

    Sobre o projeto de lei pro-posto por Pessuto, Jnior afir-ma que o vereador s poderia apresentar este requerimento caso estivesse amparado em algum estudo tcnico que, se-gundo o funcionrio da Vigi-lncia Ambiental, no o que

    Barraco

    Sugestes sero debatidas em audincia pblica. Entidades j mostraram parecer contrrio por aes no serem benficas

    Caso o projeto de lei seja aprovado, mudanas podem piorar qualidade da gua da Bacia do Barraco

    Fernando Levinski

    geral1@jornalsemanario.com.br

    FERNANDO LEVINSKI

    est acontecendo. Pessuto afir-ma que apenas est atendendo as reivindicaes da populao que mora naquela regio. Eu estou provocando uma discus-so baseado no que os mora-dores daquele lugar esto rei-vindicando. Caso isso no seja a vontade da maioria, eu retiro o projeto. Porm, caso ele seja aceito pela populao, deixo para que os estudos tcnicos sejam feitos aps a aprova-o, afirma.

    Entidades como a Associa-o dos Engenheiros Arqui-tetos e Agronmos da Regio dos Vinhedos (Aearv), Or-

    dem dos Advogados do Brasil (OAB) - Subseo Bento Gon-alves, Associao das Em-presas de Construo Civil da Regio dos Vinhedos (Ascon Vinhedos) e Conselho Muni-cipal de Planejamento (Com-plan) j se manifestaram con-trrios ao projeto de lei.

    Entenda o pedido

    O vereador Pessutto prope diversas alteraes no Plano Di-retor, elaborado em 1996 que, se forem aprovadas, proporcio-naro mudanas considerveis na populao da localidade.

    Uma das alteraes no n-dice de densificao do Barra-co. A inteno aumento dos atuais 0,8 para 1,5. Por exem-plo, um lote de 500 metros quadrados, atualmente pode ser utilizado 400 metros qua-drados. Caso a mudana seja aprovada, este mesmo terreno poder comportar 750 metros quadrados.

    Outro ponto proposto o aumento da Taxa de Ocupao (TO), que de 50% e o verea-dor sugere que este valor seja de 60%. Isto diminuir as reas verdes nos terrenos, evitando, por exemplo, a diminuio da

    filtrao natural, revela Jnior. Alm disso, o parlamen-

    tar quer a alterao no status de ocupao familiar. Hoje a ocupao de cada lote uni-familiar, ou seja, apenas uma famlia pode ocupar o local. A sugesto para que cada ter-reno seja ocupado por mais de uma. O legislador afirma que esse pedido ajudar a regula-rizar dezenas de famlias que moram no local.

    Porm, de acordo com Pes-sutto, a regularizao s ser concedida com algumas condi-es: As residnciais precisaro instalar filtro e fossa, afirma.

    Outra sugesto do projeto de que seja possvel instalar empreendimentos que gerem nveis de poluio baixo e m-dio. A legislao atual permite somente a gerao de nveis baixo ou nenhum de poluio. O vereador defende que essas permisses sejam concedidas pela Secretaria de Meio Am-biente. Porm, empresas que gerem poluio de nvel m-dio, como uma galvnica, caso registre vazamentos em guas que so consumidas, podem ocasionar mortes.

    Outras solicitaes do pro-jeto de lei so o aumento do nmero de pavimentos das construes, que so dois, para quatro.

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 9Geral

    Mais ajuda, menos frioGRIPE Campanha do agasalho

    Voluntrias da Sociedade So Vicente de Paulo recebero donativos da Campanha do Agasalho

    Procura por imunizao contnua

    geral3@jornalsemanario.com.br

    Os donativos arrecadados sero encaminhados para entidades assistenciais de Bento Gonalves

    Francine Boijink

    Segunda-feira o dia da se-mana em que a solidariedade movimenta a tarde de um gru-po de voluntrios da Sociedade So Vicente de Paulo, no bairro So Roque, em Bento Gonal-ves. Em uma sala que pertence comunidade da igreja de mes-mo nome, agasalhos e calados so doados para as pessoas ca-rentes das redondezas.

    Um trabalho que auxilia a quem precisa, mas que tam-bm depende da solidariedade dos outros para que os agasa-lhos estejam disponveis nas prateleiras. As diferentes peas expostas so resultado de doa-es da comunidade.

    Desde quando foi fundada a sociedade, em 1997, Ivani Fronza uma das voluntrias que garante se sentir bem com esse trabalho. Quem tambm faz parte do grupo, presidido por Ervino Krgel, desde o incio Lourdes de Souza, que salienta a importncia da ajuda para as crianas carentes dos bairros prximos.

    A iniciativa dos voluntrios elogiada pela auxiliar de servios gerais Marlene Arndt. A servi-os gerais reconhece o valor das peas que recebeu sem pagar nada. Quanta coisa ganhei na doao. Peguei s coisa boa,diz. Para quem quiser ajudar, o gru-po se rene na rua Ricardo Fian-co, ao lado da Igreja So Roque, nas segundas-feiras, das 14h s

    18h. Nos demais dias da semana os donativos podem ser deixa-dos na secretaria da Igreja.

    Campanha ser lanada no sbado

    A sociedade, que trabalha para dar melhores condies de vida para as pessoas, vai ser uma das beneficiadas pela Campanha do Agasalho que ser lanada neste sbado, 20, s 9h30min, em frente pre-feitura. At o dia 20 de junho a populao de Bento Gon-alves deve contar com cerca de 50 pontos de coleta como lojas, empresas, bancos e su-permercados. Para beneficiar as entidades assistenciais, um dos pedidos da assessoria do Gabinete da Primeira Dama para que as pessoas classi-fiquem e doem o que estiver

    em boas condies de uso. Um ato considerado impor-tante tambm por integrantes da Sociedade So Vicente de Paulo. Assim como o trabalho desse grupo, a primeira dama Cynthia Gomes Pasin ressalta que a campanha uma forma de incentivar as pessoas a no somente fazerem doaes e ajudarem o outro nesse pero-do. A Campanha do Agasa-lho motiva a solidariedade das pessoas. A doao faz bem para os dois: para quem rece-be e para quem doa.

    Os pontos de coleta de doa-es como calados, roupas de crianas, fraldas de adultos e crianas, abrigos, mantas de l, meias de l e cobertores sero divulgados no lanamento da Campanha do Agasalho.

    Ao Social So Roque;Ao Social Voluntrias do

    Bairro Maria Goretti;Centro Esprita Joaquim Ca-

    cique de Barros;Vicentinos - Sociedade So

    Vicente de Paulo - Confern-cia Irm Dulce;

    Sociedade Beneficente San-to Antnio;

    Grupo de Voluntrias do Hospital Tacchini;

    Lar do Ancio de Bento Gonalves;

    Lar da Caridade;Centro de Referncia Mater-

    no Infantil; Sociedade Civil Nossa Casa;Pastoral Cristo Rei; eComunidade Teraputica

    Rural de B.G.

    Entidades beneficiadas

    FONTE: GABINETE DA PRIMEIRA DAMA

    Silvana Candido aproveitou o segundo dia de imunizao na rede pblica para vacinar a filha Evelin. Com um ano e dois meses, a pequena faz parte dos grupos prioritrios para receber a dose. No ano passado, quando a agricultora estava grvida, tambm no deixou de se vacinar.

    A expectativa era de que cer-ca de 1,1 mil pessoas fossem imunizadas na Unidade Bsi-ca de Sade (UBS) Central em Bento Gonalves at o final da tarde de ontem. Segundo o enfermeiro coordenador do setor de imunizaes da secre-taria de Sade da cidade, Mai-chel Manfredini, o local, junto com o Centro de Referncia Materno Infantil, precisou re-ceber reforo de doses ainda na segunda-feira, 15.

    A Campanha, que vai ser rea-lizada at o dia 26, tem como meta vacinar 80% dos grupos prioritrios. No municpio so 20 mil doses para serem dis-tribudas entre 23 Unidades Bsicas de Sade (UBS). A imunizao feita de segunda a sexta-feira, das 7h30 s 11h30 e das 13h30 s 17h30min.

    O Dia D

    No sbado, 20, quando ser realizado o Dia D, os pos-tos estaro abertos das 8h s 17h.Uma unidade mvel es-tar atendendo, no mesmo horrio, na Via del Vino, em frente prefeitura.

    FRANCINE BOIJINK

  • Quarta-feira, 17 de abril de 201310 Bairros

    Aterros espera de uma praa no bairro

    O quadro Dana da Galera, do Domingo do Fausto, mo-bilizou a comunidade de Ben-to Gonalves no domingo, 14. Alm da coreografia e a festa feita pelos bento-gonalven-ses, outra atrao que marcou o evento foi a confeco de uma escultura em po com parte da coreografia que foi apresentada.

    Os responsveis pela obra de arte foram os escultores Domingos da Costa e o pa-deiro chefe Eduardo Clereton Chaves da Rosa. Para que o projeto sasse do papel, foram utilizados 30 quilos de massa de po. A construo da escul-tura levou um dia e meio para ser concluda. Eles fizeram um agradecimento especial para o diretor do programa da Rede Globo, Cristiano Gomes dos Santos, que conseguiu destacar a escultura em rede nacional.

    A dupla j executou vrios projetos e tem feito obras de

    A comunidade do bairro Zatt est reivindicando junto prefeitura uma rea de lazer e recreao para crian-as. Um terreno baldio, onde seria construda a praa, hoje utilizado apenas para a colo-cao de entulhos. Apesar dos apelos, no h previso de que a obra saia do papel.

    Alguns moradores, que preferem no se identificar, afirmam que somente a terra foi jogada no local e o bairro esquecido. O projeto previa reestruturar a rede de esgoto com estaes de tratamen-to, alm de bocas-de-lobo e caixas de esgotos em todas as ruas, promovendo a revi-talizao completa do local. Porm, muito pouco foi feito at o momento. A comunida-de aguarda por uma definio para que haja a concluso das obras e que os jovens possam ter uma rea de lazer para des-frutar, principalmente nos fi-nais de semana.

    Segundo o titular da Se-cretaria Municipal de Meio Ambiente (Smmam), Luiz Signor, estudos esto sendo feitos para que o projeto seja viabilizado. Porm, devido falta de recursos, a secretaria

    MARIA GORETTIZatt

    Moradores aguardam por uma rea de recreao que no saiu do papel

    Por enquanto, a pracinha somente um monte de terra e entulhos

    A escultura montada por Domingos da Costa e Eduardo da Rosa

    Escultura de po foi mostrada para o Brasil

    Noemir Leito

    bairros@jornalsemanario.com.br

    DIVULGAO

    FOTOS NOEMIR LEITO

    est elencando prioridades. Em um primeiro momento, o secretrio revela que est sendo realizado um trabalho de recuperao nas praas j existentes. A contruo de novas reas de lazer, como a do bairro Zatt, devem ser via-bilizadas somente no segundo semestre.

    Apesar disso, Signor garante que o bairro no ser esque-cido. A rua Balduino Valduga

    teve limpeza completa, com o corte do matagal e a limpe-za de bueiros. Tambm sero atendidas outras ruas do bair-ro que enfrentam problemas com os esgotos e matos que cercam o local. A Smmam est preparando um mutiro de trabalho para que o bairro, de uma maneira geral, fique em melhores condies.

    arte para algumas cidades do Brasil e tambm para o exte-rior. Entre elas est o castelo de Egeskov, feito em homena-gem ao prncipe da Dinamar-ca, Joachim Holger Waldemar Christian, entregue em Curiti-ba. Eles tambm construram uma rplica da Usina Hidrel-trica de Itaipu, feita especial-mente para um congresso rea-lizado na cidade paranaense de Foz do Iguau.

    Domingos da Costa era s euforia com o destaque na mdia. Isso nos d a oportu-nidade de mostrar que a pani-ficao um timo ramo de trabalho e nos permite fazer fazer coisas incrveis. Ele tambm convoca os jovens que queiram aprender uma profisso a fazer parte deste mundo que ser padeiro e confeiteiro. Nunca podemos desitir das pessoas, pois elas sempre merecem uma segun-da chance.

    PLANALTO

    Colgio Landell de Moura lana livro

    Com o objetivo de desper-tar novos talentos nas artes em geral, o Colgio Estadual Landell de Moura criou o pro-jeto Despertando talentos na sala de aula. Desde o ano passado, os estudantes esto trabalhando na produo de um livro para a disciplina de Literatura, ministrada pela professora de Lngua Portu-guesa, Ritamar Invernizzi.

    A obra de 59 pginas, de-nominada O Vale da Vida,

    composta por poemas produ-zidos pelos prprios alunos. Alm dos textos, foram con-feccionadas ilustraes, feitas com base na arte do grafite. A ao envolveu alunos do pri-meiro ano do ensino mdio da instituio de ensino.

    O livro foi lanado na sexta--feira, 12, nas dependncias do colgio e contou com a presena do secretario de Cul-tura Jovino Nolasco, diretores no projeto.

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 11Interior & Regio

    Bolachas caseiras como atrativo Linha Eullia

    Famlia mantm uma tradio de confeccionar deliciosos biscoitos na comunidade para consumo prprio e tambm para turistas

    No momento do preparo, Rose e Selma mostram toda a habilidade na fabricao das bolachas caseiras

    J virou rotina, principalmen-te em dias de chuva, quando a famlia Toniollo se rene e pre-para todos os ingredientes para fazer os deliciosos biscoitos do-ces na prpria residncia.

    Eles so recheados com cre-me e igualzinhos queles com-prados em padarias ou mesmo nos mercados populares. A tradio de fazer essas gulo-seimas vem de famlia, e tem a ver com um aproveitamento do tempo, principalmente em dias de muito frio.

    Rose Toniollo, de 63 anos, e Selma Somavilla de Oliveira, e 52, buscam inspirao para criar os modelos deliciosos e casei-ros com muita criatividade. No forno do prprio fogo da re-sidncia, e usando uma forma comum, elas assam as bolachas, que sero saboreados mais tarde

    Noemir Leito

    interior@jornalsemanario.com.br

    NOEMIR LEITO

    com o tradicional caf da tarde.Geralmente, os biscoitos

    so fabricados s sextas-feiras tarde. A velha casa fica na estrada Joaquim Toniollo, na

    Linha Eullia Alta, e tem re-quintes coloniais. Rose diz que a casa j centenria e que por ser da famlia sempre, atrai pes-soas de outros locais para visi-

    tao. Fizemos essas bolachas por ser uma tradio de nossa famlia e ainda mais feitas em casa, tendo todo o cuidado e carinho, para que depois pos-

    sam ser consumidas, disse.A receita simples, mas o

    prazer de fazer os biscoitos e o cuidado especial em reche-los, faz com que haja uma ateno completa para quem vai sabo-rear a essas delcias.

    A famlia Toniollo no tem inteno de vender os biscoitos, faz apenas para serem consumi-dos pelos membros da casa ou mesmo a quem visita o local, como forma de cortesia. Porm, Rose admite que, possivelmente mais adiante, poder movimen-tar o turismo nesta rea da Linha Eullia com muitos atrativos, e com isso, os biscoitos feitos em casa seriam uma forma de fazer com que os turistas possam tam-bm degustar esse produto feitos pela cozinha italiana, mas com o toque todo requintado de uma famlia tradicional da Eullia.

  • Quarta-feira, 17 de abril de 201312 Polcia

    Trevo da Telasul

    Novo episdio no trevo da morteDados preocupam. Enquanto no primeiro trimestre de 2012 no ocorreu nenhuma morte, neste ano j so trs vtimas fatais

    Os automveis Uno ficaram destrudos no acidente no trevo da Telasul, que vitimou trs pessoas. Em 2013, ocorreram 11 mortes na RSC-470, enquanto que, em 2012, foram 20

    Trs pessoas morreram na noite do sbado, 13, por volta das 23h40min, no trevo de Garibaldi, no trecho conhecido como trevo da Telasul, no entroncamento da RSC-470 com a RS-453, que liga Garibaldi a Bento Gonalves. A coliso envol-veu dois carros Uno: um ver-melho, com placas de Bento Gonalves, e outro azul, com placas de Farroupilha. Ao todo, a RSC-470 j contabili-za 11 mortes neste ano, sen-do que cinco foram nos qui-lmetros 215 e 226, no trecho entre Bento a Garibaldi. Em 2013, a RS-470 j contabiliza neste ano 126 acidentes. So

    98 pessoas feridas, e mais de 150 veculos envolvidos em colises. Foram cinco mor-tes no ms de janeiro, trs em maro e trs em abril, o que corresponde a uma mdia de uma morte a cada 10 dias.

    Trs mortes

    No acidente de sbado noite no trevo da Telasul, conforme informaes do Grupo Rodovirio de Bento Gonalves, o Uno de Bento trafegava no sentido Gari-baldi-Bento quando perdeu o controle do veculo e se chocou com um canteiro no entroncamento da RSC-453. Logo aps, o carro teria in-vadido a pista contrria, cho-

    Rodrigo Bergsleithner cando-se ento com o Uno de Farroupilha. Idemar Corra, de 41 anos, motorista do Uno de Farroupilha, e Lucas Ca-margo, de 19 anos, motorista do Uno de Bento, morreram na hora. Danrlei Luiz Chiesa, 18 anos, passageiro do vecu-lo de Bento, no resistiu aos ferimentos e faleceu no Hos-pital Tacchini, em Bento.

    Nmeros preocupantes

    Em 2013, j so 11 vti-mas de acidentes registrados na RSC-470. Em todo o ano passado foram 20 mortes. So-mente neste ano, a RSC-470 registrou 126 acidentes de trnsito, com 98 pessoas fe-

    ridas e 150 carros envolvidos. Somente no trevo da Te-

    lasul, no entroncamento da RSC-470 com a RS-453, fo-ram cinco acidentes neste ano, que ocasionaram trs mortes e deixaram trs pes-soas feridas. Em comparao com o mesmo perodo no ano passado, por exemplo, no houve nenhuma mor-te, porm, foram registrados quatro acidentes, que deixa-ram sete pessoas feridas.

    A imprudncia

    O excesso de velocidade e a imprudncia sempre foram fatores relevantes para os aci-dentes nas rodovias brasileiras. Soma-se a isso a m conserva-

    MANDADO DE BUSCA

    Armas apreendidas em BentoNa manh de ontem, 16, os

    policiais da 1 Delegacia de Polcia (DP) de Bento Gon-alves, coordenados pela de-legada Cristiane Pasche, em cumprimento de mandados de busca e apreenso em di-ferentes localidades do muni-cpio, realizaram a apreenso de armas.

    Na oportunidade, foram realizadas as aprenses dos

    seguintes armamentos: duas espingardas calibre 36, duas espingardas calibre 20, uma espingarda calibre 28, dois canos com silenciadores para rifle, 192 cartuchos calibre 20, 58 cartuchos calibre 36, seis cpsulas calibre 28, trs car-tucheiras, diversas carcaas de animais silvestres abatidos e um galo de rinha.

    As localidades onde ocorre-

    ram as apreenses em Bento Gonalves foram Linha So Valentim e Tuiuty. Na ao da Polcia Civil, no houve priso em flagrante, mas os indivduos sero responsabi-lizados criminalmente.

    O trabalho da 1 DP contou com a participao do fiscal da Associao Riograndense de Proteo aos Animais (Arpa), Jorge Acco.

    o das estradas que cortam o pas, principalmente no Rio Grande do Sul. Em uma das rodovias mais problemticas do Estado, a RSC-470 conti-nua sendo uma das mais peri-gosas da Serra Gacha.

    Para o comandante do Gru-po Rodovirio de Bento Gon-alves, Zidemar Petry, a impru-dncia dos motoristas, a falta de sinalizao no trecho e as condies precrias da rodovia so os pontos principais que geraram o aumento de mortes na RSC-470. A rodovia deve-ria ser duplicada. Em setembro do ano passado, a Federaliza-o da RSC-470 foi aprovada pela Assembleia, disse.

    Armas foram apreendidas na Linha So Valentim e em Tuiuti

    FOTOS DANIEL PAESE DOS SANTOS

    redacao@jornalsemanario.com.br

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 13Polcia

    Polcia

    Na tarde da sexta-feira, 12, os Promotores de Justia Fbio Sbar-dellotto e Norberto Avena, da Promotoria de Habitao e Defe-sa da Ordem Urbanstica de Porto Alegre receberam da Secretaria Estadual da Educao o levan-tamento dos itens de combate a incndio existentes em cada uma das 2.575 escolas estaduais em todo o Rio Grande do Sul.

    Conforme o relatrio, apenas 338 escolas funcionam regularmente, e 1.151 no possuem alvar, Plano de Proteo Contra Incndio (PPCI) ou Certificado de Confomidade. De acordo com a secretaria, estas ltimas foram notificadas a busca-rem informaes junto ao Corpo de Bombeiros para adequao s nor-mas. As demais encontram-se em diferentes estgios de adequao para obteno do alvar.

    O promotor destacou, ainda, que o Ministrio Pblico entende o esforo do Estado em regularizar essas situaes, que vm de muitos anos. Porm, a Instituio precisa ser responsvel na anlise para que no sejam assumidos riscos.

    De acordo com a Secretaria de Educao do RS (Seduc), a pesquisa realizada, por meio do Departamen-to de Logstica e Suprimentos (DLS) apontou que, em 45% das escolas e instalaes das 30 Coordenadorias Regionais de Educao (CREs), h plano de preveno e combate a in-cndio e/ou alvar do Corpo de Bom-beiros. O restante, 55%, no possui alvar, porm algumas possuem equipamentos mnimos de preven-o: extintor de incndio e sinaliza-o e iluminao de emergncia.

    Os representantes da Seduc res-saltam que, de acordo com a le-gislao, as escolas em geral so classificadas como de risco 2 (a classificao vai de 1 a 12). De 1 a 4, o risco de incndio considera-do pequeno. Todos os projetos que esto inseridos no Plano de Neces-sidade de Obras (1026 escolas, com 524 projetos includos na primeira etapa, a ser iniciada at o final do ano) contemplam PCCI e acessibi-lidade no ambiente escolar. Desde fevereiro passado, a secretaria tam-bm integra, a convite do Ministrio Pblico (MP), o Grupo de Trabalho (GT) criado para tratar deste tema. As informaes so do Ministrio Pblico do Rio Grande do Sul.

    Carro alvejado no bairro So Francisco

    No domingo, 14, por volta das 3h15min, o motorista de um ve-culo Astra teve seu carro alvejado por um disparo de arma de fogo, enquanto se locomovia prximo da escadaria da Rua Assis Brasil. De acordo com o boletim de ocorrn-cia feito na Delegacia de Polcia de Pronto Atendimento (DPPA) de Ben-to Gonalves, o disparo saiu de ou-tro veculo, um Vectra de cor escura que estava estacionado em frente escadaria, com os faris ligados. O tiro quebrou parte do vidro late-ral traseiro do veculo, do lado do motorista. O veculo de onde saiu o disparo partiu em alta velocidade em direo ao bairro So Francisco. O projtil ainda no foi encontrado. A polcia investiga o caso.

    Morte do cabeleireiro

    Polcia Civil prende um dos suspeitosOutro acusado, conhecido pela alcunha de Maninho, continua foragido

    Em cumprimento a manda-do de priso preventiva, policiais da 2 Delegacia de Ho-micdios e de Proteo Pes-soa (DHPP) de Porto Alegre, coordenados pelo delegado Fi-lipe Bringhenti, prenderam, na segunda-feira, 15, um dos sus-peitos da morte do cabeleireiro bento-gonalvense Sidney An-tnio Basso, proprietrio de um salo de beleza no bairro Mont- Serrat na capital gacha.

    O cabeleireiro foi encontra-do morto no dia 25 de feve-reiro, na avenida Nilo Pea-nha, no bairro Bela Vista, em Porto Alegre. De acordo com o delegado Bringhenti, foram levados, no dia do assassinato, o veculo, o telefone celular, televisores, aparelho de DVD e o computador da vtima. Logo aps o crime, iniciaram as investigaes por parte da Polcia Civil. De imediato, os policiais encontraram frag-mentos digitais de um dos au-tores, conhecido pela alcunha de Maninho, que era amigo da vtima e ainda se encontra foragido. Alm disso, foram

    Sidney Antnio Basso foi morto em casa no dia 25 de fevereiro

    coletadas imagens de cmeras de monitoramento no prdio da vtima, onde foi identifica-do um segundo autor do cri-me, com o nome de Afonso, foragido do Instituto Penal de Viamo, que foi preso na tarde de segunda-feira, 15. Em depoimento na 2 DHPP, Afonso declarou no ter sido o autor dos golpes a facadas, alm de insinuar que Mani-nho teria desferido os gol-pes. Segundo Afonso, a morte teria ocorrido devido resis-tncia da vtima em entregar os objetos roubados.

    Policiais da 2 DHPP tinham conhecimento que o pre-so Afonso estaria escondido na Vila Safira desde o dia do crime, onde buscava vender as rodas do veculo da vtima para borracharias deste bairro. De acordo com Bringhenti, o suspeito foi localizado dentro de um automvel Tipo, de cor vermelha, ao ser abordado em um posto de gasolina na Ave-nida Protsio Alves, em Porto Alegre.

    Relembre o caso

    Basso no era visto desde o dia 22 de fevereiro e, no dia 25, uma funcionria do seu salo de beleza foi at o apar-tamento e encontrou o pro-fissional morto com golpes de faca. De acordo com re-latos feitos por testemunhas, um homem foi visto entran-do no apartamento no dia 23 de fevereiro. As primeiras hi-pteses levantadas, na poca, pela polcia foram homicdio ou latrocno roubo seguido de morte.

    Rodrigo Bergsleithner

    redacao@jornalsemanario.com.br

    ARQUIVO

    LINHA ALCNTARA

    Acidente deixa jovem ferido

    Furto em residncia no Maria Goretti

    No sbado, 13, ao meio-dia, um morador da rua Guilherme Fasolo, no bairro Maria Goretti, teve sua residncia arrombada e objetos de valor furtados. De acordo com o boletim de ocorrncia, foram fur-tados um celular Nokia, R$1 mil e dois cartes magnticos da vtima, sendo um da Caixa Econmica Fe-deral e outro da Previdncia. O proprietrio suspeita que o furto possa ter sido cometido por outros moradores do bairro, oriundos de outra cidade, pois desde que os mesmos fixaram residncia no lo-cal, ele tem observado pequenos furtos em sua residncia.

    300 calas furtadas em loja de Bento

    Na madrugada de ontem, 16, por volta da 1h45min, dois crimi-nosos arrombaram uma loja no centro de Bento Gonalves, loca-lizada na rua Jlio de Castilhos, onde foram furtadas 300 calas femininas. Segundo informaes da Brigada Militar, testemunhas viram os suspeitos chegarem em um Dobl. A polcia fez buscas mas no encontrou os criminosos.

    Condutor perdeu o controle e capotou o veculo ontem pela manh

    Na manh de ontem, por volta das 7h, um acidente de trnsito no quilmetro 12 da RS-431, na Linha Alcntara, deixou o motorista, de 20 anos, ferido. Condutor de um veculo Monza, com placas de Guapo-r, o jovem perdeu o controle do carro em uma curva, acabou capotando e saindo da pista, caindo de uma altura de cinco metros. Com a queda, o moto-rista ficou preso nas ferragens.

    De acordo com informaes do Corpo de Bombeiros de Bento Gonalves, o resgate foi dificultado pelo fato do moto-rista ter ficado preso nas fer-ragens. Em pouco tempo, com

    o auxlio do Carro Resgate dos Bombeiros e da equipe do Ser-vio de Atendimento Mvel de

    Urgncia (Samu), o motorista foi retirado do veculo e enca-minhado ao Hospital Tacchini.

    ANTNIO SERGIO DE OLIVEIRA, ESPECIAL

    Quati recolhido solto em reserva

    A Patrulha Ambiental da BM encaminhou ontem um quati para uma reserva ecolgica no Rio das Antas. O animal foi recolhido na semana passada em uma ao de fiscalizao da Associao Rio-grandense de Proteo ao Meio Ambiente e aos Animais (Arpa).

    55% das escolas sem alvar no RS

    ESTADO

  • Quarta-feira, 17 de abril de 201314 Esporte

    Bento Vlei estreia com vitria em campeonato

    A posse do novo cnsul do Grmio em Bento Gonal-ves, Anderson Zanella, reuniu mais de mil pessoas no sbado, 13, no Parque de Eventos. O evento contou com a presen-a de dolos do clube, como Danrlei, Jardel, Alcino e Yura, alm dos membros da direo e do Departamento Consular.

    Zanella, em seu pronuncia-mento, agradeceu ao apoio da equipe consular na organizao do jantar. Quero aproximar a instituio do torcida e chegar ao final desse ano com o do-bro , de associados que existe atualmente. Quero trabalhar ligado ao interesse do torce-

    O Bento Gonalves Futsal (BGF) foi derrotado pelo Ca-choeira Futsal por 4 a 2, no s-bado, 13, no Ginsio Derlizo. Com o resultado, o BGF est em sexto lugar, com nenhum ponto marcado e com um jogo a menos. O Cachoeira assumiu a liderana com sete pontos, um a mais que a Alaf de La-jeado e ADS de Sananduva, ambos com um jogo a menos.

    O Cachoeira abriu o placar com Pedaleira. Aos 11 minu-tos, em contragolpe certeiro, Ronaldo empatou em 1 a 1. Dois minutos depois, Dalvan marcou 2 a 1. No segundo

    O jogo entre Farrapos e San Diego, realizado em Bento Gonalves no sbado, 13, de-monstrou mais uma vez a fora do time da casa. A equipe ven-ceu por 60 a 3, deixando no pla-car a sua superioridade tcnica.

    O placar foi aberto logo aos trs minutos com a converso de um penal cobrado por Sco-pel. O jogo foi marcado por muita disputa nas formaes fi-xas, nas quais o Farrapos imps sua fora na grande maioria das vezes, e por muitos penais para ambas equipes. Aos 10 minutos de jogo, em troca rpida de pas-ses o scrum half, Lucas Mariuzza (Luquinhas), furou a linha ad-versria e marcou o primeiro try da equipe de Bento.

    Com 14 minutos jogados, a equipe visitante marcou seus trs pontos da partida em uma

    A equipe Mster do Bento Vlei participou da pri-meira etapa do Campeonato Mster, disputada no sbado, 13, no Recreio da Juventude, em Caxias do Sul. O torneio classificatrio conta com 12 equipes gachas. Cada time disputou dois jogos, o Bento Vlei Mster venceu todas. O clube bateu o Recreio da Ju-ventude por 2 sets a 0. Com o mesmo resultado, e tambm venceu o Confraria do Vlei.

    Os jogos foram disputados em dois ginsios da primeira de um total de sete etapas. Bento Gonalves vai sediar a segunda etapa, que acontece no dia 11 de maio, e a deciso, que est prevista para ocorrer no dia 26 de outubro.

    Projeto

    Conforme Nadir Antonio Zeni, um dos responsveis pelo Bento Vlei Mster, a equipe conta com o apoio do Bento Vlei. Montamos um grupo que est organizando e plane-jando esse evento, comenta.

    TRICOLORFUTSAL

    RGBIMster

    Equipe venceu dois jogos da primeira etapa disputados em Caxias do Sul

    Ricardo De Gasperi, Dentinho e Nadir Zeni integram comisso

    Posse de Zanella contou com a presena de ex-atletas do Grmio

    Clube recebeu o San Diego no sbado, no Estdio da Montanha

    Craques reunidos em jogoBGF perde mais uma partida na Srie Ouro

    Farrapos lder do Campeonato Gacho

    Estefania V. Linhares

    esporte@jornalsemanario.com.br

    ESTEFANIA V. LINHARES

    FOTOS DIVULGAO

    converso de penal. A par-tir deste momento, o jogo foi todo da equipe da casa, que com mais quatro tries marca-dos, dois deles por Mateus, um de Mauri e outro de Bigode, somados s trs converses (Scopel), deram os nmeros fi-nais do primeiro tempo de jogo (Farrapos 34 a 3 San Diego).

    O segundo tempo comeou no mesmo ritmo. Logo aos dois minutos, Farrapos mar-cou um try com Vini. O jogo prosseguiu em ritmo intenso, com o Farrapos imprimindo sua fora e tcnica, garantindo mais trs tries (Mauri, Luqui-nhas e Mateus) e duas con-verses de Scopel, fechando o placar com expressivos 60 a 3 para o Farrapos Rugby. O pr-ximo jogo do clube ser no dia 27, em casa, contra o Charrua.

    tempo, o BGF buscou o resul-tado e empatou com Tibagi.

    O Cachoeira ampliou com Luciano, chegando aos 3 a 2. O jogo seguiu tenso at perto do final. Bento apostou no goleiro--linha, mas parou na marcao cachoeirense. Faltando trs mi-nutos para o trmino da partida, Lefor fechou o placar em 4 a 2.

    O BGF ter agora dois jogos em casa pela Srie Ouro. No sbado, 20, enfrenta a Asaf, de Santo ngelo, e no dia 27, a ADS, de Sananduva. O tcni-co Vaner Flores espera que a equipe conquiste a primeira vi-tria no campeonato em casa.

    dor, das entidades, associaes, e trazer a temporada de meio de ano do Grmio para Bento Gonalves novamente, ressal-tou. Na solenidade de posse, o msico Borghettinho realizou uma apresentao. Integrando

    a programao, tarde foi reali-zado um jogo beneficente entre os ex-atletas do Grmio e os ex-atletas do Esportivo, no Es-tdio Montanha dos Vinhedos. Os itens arrecados sero doa-dos a uma instituio de Bento.

    Jogador do Canoas Vlei, o bento-gonalvense Dentinho explica que o Bento Vlei pos-sui os ncleos e as equipes de base. Assim, o projeto prope que se aproximem as pessoas que possuem em comum o amor pelo vlei. Para ele, necessrio que no se perca a aproximao das pessoas com o esporte. Por exemplo, havia esse grupo que estava treinan-do em ginsios do municpio e foram agregados proposta.

    O projeto da categoria ms-

    ter tem entre as propostas trazer um grupo maior para o esporte as famlias. Em conjunto com o Bento Vlei queremos desenvolver uma atividade entre a crianada e os atletas mster at mesmo promovendo aes sociais, comenta Zeni. A comisso est projetando atividades que envolvam a comunidade com a prtica do voleibol, que sero divulgadas em breve.

  • Quarta-feira, 17 de abril de 2013 15Esporte

    Esportivo projeta a Copa RS

    O Esportivo se despediu do Campeonato Gacho com uma derrota para o Santa Cruz, em casa, pelo placar 3 a 2. Mas a expectativa que as atividades no parem no se-gundo semestre. Para isso, a diretoria dever solicitar uma reunio, no incio de maio, com o Conselho Deliberativo, com o objetivo de apresentar uma proposta para competir na Copa RS.

    Presidente do clube, Luiz Oselame explica que os dire-tores esto em busca de um patrocinador mster para ga-rantir condies para trabalhar tranquilamente. Para isso, o Alviazul ter que oferecer uma contrapartida ao apoiador, a visibilidade atravs de bons re-sultados e, assim possa seguir jogando o ano inteiro. Ns vamos somente jogar o segun-do semestre se conseguirmos patrocinadores para cobrir a diferena que a despesa da Copa RS, ressalta.

    A projeo do que necess-rio para se jogar na competio depende se sero utilizados jo-gadores juniores ou atletas em-prestados, alm do custo com viagens e alimentao. A esti-mativa que sejam necessrios R$ 100 mil mensais, incluindo a comisso tcnica.

    A deciso ser tomada em conjunto no prximo ms com o Conselho Deliberativo. Nesta reunio ser apresenta-do o oramento do clube at o final do ano, com a receita prevista para pagar as dvidas, alm da possibilidade de patro-cinador mster para os conse-

    Gaucho 2013

    Aps encerrar a participao no Campeonato Gacho, o clube no descarta competir no segundo semestre

    Alviazul ficou fora do quadrangular da Taa Farroupilha aps ser derrotado pelo Santa Cruz, em casa

    Jornada Esportiva Rainha FM 90.9

    Grupo B

    Grupo A

    Times P V E D1 Grmio 14 4 2 12 Passo Fundo 13 3 4 03 N. Hamburgo 12 3 3 14 Lajeadense 10 2 4 15 Pelotas 9 2 3 26 Cruzeiro 7 2 1 47 Caxias 7 2 1 48 Cermica 3 1 0 6

    Times P V E D1 Internacional 16 5 1 12 Juventude 14 4 2 13 Veranpolis 14 4 2 14 So Luiz 10 3 1 35 Santa Cruz 9 3 0 46 Esportivo 7 2 1 47 Canoas 5 1 2 48 So Jos 3 0 3 4

    Estefania V. Linhares

    esporte@jornalsemanario.com.br

    ESTEFANIA V. LINHARES

    ClAssifiCAo GerAl

    Times P 1Internacional 31 2 Lajeadense 28 3 So Luiz 27 4 Grmio 26 5 Juventude 25 6 Passo Fundo 21 7 Esportivo 20 8 Caxias 20 9 Veranpolis 1810 Pelotas 1811 Cruzeiro 1712 Novo Hamburgo 1713 So Jos 1714 Santa Cruz 1615 Cermica 1516 Canoas S. C. 11

    - Clubes classificados para as quartas-de-final;

    - Clubes rebaixados.

    TAA fArroupilhA

    Quartas-de-final Sbado 21h Juventude x Novo Hamburgo Domingo16h Internacional x Lajeadense

    18h30min Passo Fundo x Veran-polis Segunda-feira21h Grmio x So Luiz

    lheiros. A deciso em conjun-to da continuidade no segundo semestre o que gostaria mui-to que acontecesse, afirma Oselame. Para a participao na Copa RS, o grupo dever ser montado, no mximo, em junho, para que no incio de julho, comece a treinar.

    Cronograma

    O grupo se reapresenta hoje, 17, no Estdio Montanha dos Vinhedos para uma reunio com a diretoria aps a derro-ta para o Santa Cruz. O time saiu na frente com um gol do zagueiro Edigl, aos 12 minu-tos e ampliou aos 14 minutos com Gilian. Aos 33 e aos 38 o Santa Cruz, empatou, com gols de Lucas Silva e Marceli-nho. Aps o intervalo, a equi-pe visitante se jogou ao ataque e acabou virando o placar aos 25, com Lucas Sotero.

    No encontro, ser apresen-tado um cronograma de paga-mento de salrios, recises e a premiao aos atletas que esti-veram no grupo que conquis-tar a Diviso de Acesso, que est pendente. Conforme o presidente do clube, a previso que todo o saldo seja quitado at o final do ano. O oramen-to mensal do Alviazul gira em torno de R$ 270 mil, incluindo folha de pagamento, impostos, encargos, luz, gua e refeies.

    Oselame avalia que apesar do clube no ter conseguido uma das vagas nas quartas-de--final possui a sensao de de-ver cumprido, pois se manteve na Diviso Principal. O clube conseguiu montar uma equipe dentro do oramento, e fomos bem no primeiro turno. J no segundo turno no fomos bem, s pontuando sete pon-tos, afirma. Para ele, se o Es-portivo tivesse avanado para

    o quadrangular, enfrentaria o Grmio o que poderia gerar retorno de mdia e financeiro, e isso far falta.

    O Alviazul voltou da Diviso de Acesso para Primeira Divi-so e precisou de um perodo de adaptao, mas o objetivo inicial era evitar o rebaixamen-to. O Esportivo no pode esquecer as dificuldades da Diviso de Acesso e como difcil em todos os sentidos, e cumprimos essa meta de man-ter-se na Diviso Principal, aponta o presidente. A ideia que o clube continue inserido na comunidade, seja atravs da participao nas competies ou nas escolas das categorias de base, assim buscando agre-gar mais torcedores. A equipe Sub-17, atualmente, compete na Copa da Federao Gacha de Futebol (FGF).

  • A Ediowww.jornalsemanario.com.br

    32 pginas

    Primeiro caderno .................... 16 pginasClassificados .......................... 16 pginas

    Colunistas

    EditorialA tragdia como regra revela indignao com acidentes fatais nas estradas da regio

    ANTNIO FRIZZO

    Desinformao e custo de vidaColunista afirma que informaes desencontradas ampliam sensao de inflao galopante no pas

    Opinio / 2

    ROGRIO COSTA ARANTES

    Bento e a BelndiaTerra de extremos entre a riqueza e ndices de terceiro mundo, cidade sofre com falta de saneamento

    Em Debate / 6

    BENTO GONALVES

    Quarta-feira17 DE ABRIL DE 2013ANO 46 N2917R$ 3,00

    Campanha do Agasalho

    FRANCINE BOIJINK

    PASSAGENS INTERMUNICIPAIS

    Viagens na regio esto 7% mais caras

    Pgina 5

    Ajuda para sair do frioVoluntrias como Ivani Fronza, de 67 anos, arrecadam agasalhos o ano inteiro para doar a famlias carentes da regio do bairro So Roque

    VETERANOS

    Bento Vlei estreia com vitrias no Mster

    Pgina 14

    BAIRRO ZATT

    Moradores querem rea de lazer e recreao

    Pgina 10

    Pgina 9

    01SM-1702SM-1703SM-1704SM-1705SM-1706SM-1707SM-1708SM-1725SM-1726SM-1727SM-1728SM-1729SM-1730SM-1731SM-1732SM-17