1 Aula - Concreto

  • Published on
    31-Oct-2015

  • View
    24

  • Download
    0

Transcript

  • Concreto, Estruturas e Acabamento.Infinite Cursos

  • Concreto

    O cimento: (derivada do latim cmentu) um materialcermico que, em contato com a gua, produz reaoexotrmica de cristalizao de produtos hidratados, ganhandoassim resistncia mecnica. o principal material deconstruo usado como aglomerante.

    Vamos ver um documentrio sobre o Cimento.

  • Concreto

    CP I - Cimento Portland ComumCP I-S - Cimento Portland Comum c/adioCP II-E - Cimento Portland Composto c/ escriaCP II-Z - Cimento Portland Composto c/ pozolanaCP II-F - Cimento Portland Composto c/ filerCP III - Cimento Portland de Alto FornoCP IV - Cimento Portland PozolnicoCP V - Cimento Portland de Alta Resistncia InicialMRS - Cimento Portland de Moderada Resistncia a SulfatosARS - Cimento Portland de Alta Resistncia a Sulfatos

    Tipos de Cimento Portland Nacionais

  • Concreto

    Concreto um material de construo proveniente damistura, em proporo adequada, de: aglomerantes,agregados e gua.

    a) Aglomerantes Unem os fragmentos de outros materiais. No concreto, em

    geral se emprega cimento portland, que reage com a gua eendurece com o tempo.

  • b) Agregados So partculas minerais que aumentam o volume da mistura,

    reduzindo seu custo. Dependendo das dimensescaractersticas , dividem-se em dois grupos: Agregados midos: 0,075mm < < 4,8mm. Exemplo: areias. Agregados grados: 4,8mm. Exemplo: pedras.

    c) Pasta Resulta das reaes qumicas do cimento com a gua. Quando

    h gua em excesso, denomina-se nata.

  • ConcretoPASTA CIMENTO + GUA

  • Concreto

    d) Argamassa Provm da pela mistura de cimento, gua e agregado mido,

    ou seja, pasta com agregado mido. ARGAMASSA CIMENTO + AREIA + GUA

  • Concreto

    e) Concreto simples formado por cimento, gua, agregado mido e agregado

    grado, ou seja, argamassa e agregado grado. CONCRETO SIMPLES CIMENTO + AREIA + PEDRA + GUA

  • Concreto

    Depois de endurecer, o concreto apresenta: boa resistncia compresso; baixa resistncia trao; comportamento frgil, isto , rompe com pequenas deformaes. Na maior parte das aplicaes estruturais, para melhorar as

    caractersticas do concreto, ele usado junto com outros materiais.

  • Concreto

    Aditivos So adicionados aos constituintes convencionais do concreto,

    durante a mistura, quando se busca alguma propriedadeespecial, como aumento da plasticidade, controle do tempode pega e do aumento da resistncia e reduo do calor dehidratao.

    Os tipos mais comuns so: a) Plastificantes e superplastificantes: reduzem a quantidade

    de gua necessria para conferir a trabalhabilidade desejada,aumentando a resistncia

  • Concreto

    b) Retardadores: Reduzem o incio da pega por algumas horas permitindo a concretagem de grandes volumes sem juntas.

    c) Aceleradores: Aceleram a pega e o endurecimento do concreto, devendo ser aplicados na quantidade correta, caso contrrio provocam endurecimento muito rpido, diminuio da resistncia e corroso da armadura.

    d) Incorporadores de ar: produzem bolhas de ar melhorando a trabalhabilidade e impermeabilidade, alm de melhorar a resistncia a meios agressivos.

  • Concreto

  • Concreto

    Tipos de concreto fornecidos atualmente pelas centrais de concreto:

    CONCRETO CONVENCIONAL Utilizado na maioria das obrascivis, deve ser lanado nas frmas por mtodo convencional(carrinhos de mo, gericas, gruas, etc). Sua resistncia varia de5,0 em 5,0MPa, a partir de 10,0 at 40,0MPa. aplicado emobras civis, industriais e em peas pr-moldadas. As vantagensso: aumento da durabilidade e qualidade final da obra,reduo dos custos da obra e reduo no tempo de execuo

  • Concreto

    CONCRETO DE ALTA RESISTNCIA INICIAL - aquele que tema caracterstica de atingir grande resistncia, com pouca idade,podendo dar mais velocidade obra ou ser utilizado paraatender situaes emergenciais. Sua aplicao pode sernecessria em indstrias de pr-moldados, em estruturasconvencionais ou protendidas, na fabricao de tubos eartefatos de concreto, entre outras. O aumento na velocidadedas obras que este concreto pode gerar traz consigo a reduodos custos com funcionrios, com alugueis de formas,equipamentos e diversos outros ganhos de produtividade. Aalta resistncia inicial fruto de uma dosagem racional doconcreto, feita com base nas caractersticas especficas decada obra.

  • Concreto

    CONCRETO PR MOLDADO - Uma estrutura feita em concretopr-moldado aquela em que os elementos estruturais, comopilares, vigas, lajes e outros, so moldados e adquirem certograu de resistncia, antes do seu posicionamento definitivo naestrutura. Por este motivo, este conjunto de peas tambmconhecido pelo nome de estrutura pr-fabricada.

    Elementos pr-moldados so uma opo para aumentar aracionalizao no processo construtivo em alvenariaestrutural. Eles associam-se a particularidades desse processocom relao rapidez de execuo,

    rgido controle de qualidade, coordenao modular e alto nvel organizacional da produo.

  • Concreto

    CONCRETO PROTENDIDO - A resistncia trao do concreto estsituada na ordem de 10% de sua resistncia compresso, sendogeralmente desprezada nos clculos estruturais. Encontrar meios defazer o concreto ganhar fora neste quesito uma das eternasbatalhas da engenharia, que tem como uma de suas grandes armasa protenso do concreto.

    Uma das vantagens mais importantes do concreto protendido e emvencer grandes distncias. Por exemplo, as pontes com vigas retasde concreto armado tm seu vo livre limitado a 30m ou 40m,enquanto as pontes com vigas protendidas j atingiram vos de250m, uma de suas grandes armas a protenso do concreto.

    De acordo com um engenheiro projetista, uma laje macia comumleva 24 dias para ficar curada, enquanto a protendida j est prontaem apenas 5. Ou seja, os 20 dias que restaram podem representaruma economia entre cinco e seis mil reais.

  • Concreto

    CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO - Normalmente elaboradocom adies minerais tipo slica ativa e metacaulim e aditivossuperplastificantes. Os concretos assim obtidos possuemexcelentes propriedades. aplicado em obras civis especiais,hidrulicas em geral e em recuperaes. As vantagens so:aumento da durabilidade e vida til das obras; reduo doscustos da obra e melhor aproveitamento das reas disponveispara construo

  • Concreto

    CONCRETO DE AUTO-ADENSVEL - um concreto muito plstico(mole) que ajusta-se ao molde por seu prprio peso e eliminaautomaticamente as grandes bolhas de ar (> 1 mm) que seformam durante a mistura dos materiais. Para se fazer esse tipode concreto necessrio um estudo de dosagem sofisticadodevido aos altos teores de superplastificante necessrios parasua produo sem que haja comprometimento de suaresistncia e das outras propriedades.

    Seu uso justifica-se em obras cujas frmas so muito complexas e a armadura muito densa dificultando a penetrao e o adensamento do concreto convencional.

  • Concreto

    CONCRETO DE PAVIMENTO RGIDO - O principal requisitoexigido para esse concreto a resistncia trao na flexo eao desgaste superficial. Trata-se de um concreto de fcillanamento e execuo. aplicado em estradas e viasurbanas. As vantagens so: maior durabilidade; reduo doscustos de manuteno e maior luminosidade.

  • Concreto

    CONCRETO FLUIDO - Indicados para concretagens de peasdensamente armadas, estruturas pr-moldadas, frmas emalto relevo, fachadas em concreto aparente, painisarquitetnicos, lajes, vigas etc. Este concreto, com grandevariedade de aplicaes obtido pela ao de aditivossuperplastificantes, que proporcionam maior facilidade debombeamento, excelente homogeneidade, resistncia edurabilidade. Sua caracterstica de fluir com facilidadedentro das formas, passando pelas armaduras e preenchendoos espaos sob o efeito de seu prprio peso, sem o uso deequipamento de vibrao. Para lajes e caladas, por exemplo,ele se auto nivela, eliminando a utilizao de vibradores ediminuindo o nmero de funcionrios envolvidos naconcretagens.

  • Concreto

    CONCRETO ROLADO - utilizado em pavimentaes urbanas,como sub-base de pavimentos e barragens de grande porte.Seu acabamento no to bom quanto aos concretosutilizados em pisos Industriais ou na Pavimentao de pistasde aeroportos e rodovias, por isso ele mais utilizado comosub-base.

  • Concreto

    CONCRETO PESADO - A caracterstica principal desse tipo deconcreto a sua alta densidade que varia entre 2800 e 4500kg/m, obtida com a utilizao de agregados especiais,normalmente a hematita. aplicado como contra peso emgasodutos, hospitais e usinas nucleares. Pode ser citada avantagem de ser isolante radioativo.

  • Concreto

    CONCRETO LEVE - A densidade desse concreto varia de 400 a1800kg/m. Os tipos mais comuns so o concreto celularespumoso, concreto com isopor e concreto com argilaexpandida. aplicado em: enchimento e regularizao delajes, pisos e elementos de vedao. As vantagens so:reduo de peso prprio e isolante termo-acstico.

  • Concreto

    CONCRETO COLORIDO - Concreto normal adicionado de pigmentos especiais, os quais conferem ao concreto vrias cores com diferentes tonalidades, a saber: amarela, azul, vermelha, verde, marrom e preta. aplicado em pisos, caladas e fachadas. As vantagens so: elimina pintura e pode ser usado como marcador de reas especficas

  • Concreto

    CONCRETO RESFRIADO COM GELO - Trata-se de um concreto, cuja quantidade de gua parcialmente substituda por gelo, para atender a condies especficas de projeto, por exemplo a retrao trmica. aplicado em paredes espessas e grandes blocos de fundao. A vantagem a reduo da fissurao de origem trmica.

  • Concreto

    CONCRETO ARMADO - um material da construo civil quese tornou um dos mais importantes elementos da arquiteturado sculo XX. usado nas estruturas dos edifcios. Diferencia-se do concreto devido ao fato de receber uma armadurametlica responsvel por resistir aos esforos de trao,enquanto que o concreto em si resiste compresso.

  • Concreto

    CONCRETO COM ADIO DE FIBRAS - Normalmenteelaborado com fibras de nylon, polipropileno e ao,dependendo das condies de projeto. Os concretos assimobtidos inibem os efeitos da fissurao por retrao .Obrascivis especiais e pisos industriais. As vantagens so: aumenta adurabilidade das obras quanto a abraso e desgastesuperficial; melhora a resistncia trao do concreto e podeser utilizado em pistas de aeroportos.

  • Concreto

    CONCRETO IMPERMEVEL - Trata-se de um concreto com arelao gua- cimento limitada, normalmente menor ou iguala 0,55; e dosado com um cimento apropriado, tipo portlandde alto forno ou pozolnico. aplicado em obras hidrulicasem geral, estaes de tratamento dgua e esgoto eBarragens. As vantagens so: aumento da durabilidade daobra e reduo dos custos de manuteno da obra.

  • Concreto

    CONCRETO SEM FINOS - A caracterstica principal desse tipode concreto a sua elevada porosidade. A densidade desseconcreto varia de acordo com o agregado utilizado: brita, seixoou argila expandida. aplicado em drenagens e enchimentos.Possui a vantagem de ter baixa densidade.

  • Concreto

    CONCRETO PROJETADO - Tambm chamado gunita, quandoos agregados apresentam dimenso caracterstica mximainferior a 9,5 mm, um processo de aplicao de concretoutilizado sem a necessidade de formas, bastando apenas umasuperfcie para o seu lanamento.

  • Concreto

    CONCRETOS LEVES ESTRUTURAIS - Tm como principalfinalidade a reduo do peso da estrutura mantendo ascaractersticas de resistncia compresso. Podem ser obtidasdensidades da ordem de 1.600 a 1800 kg/m dependendo daresistncia exigida e do tipo de agregado utilizado.

    Sua aplicao se d em peas estruturais, enchimento de pisose lajes e painis pr-fabricados, com uma reduo do pesoprprio da estrutura preservao a capacidade desustentao de carga da estrutura.

  • Concreto

    CONCRETO EXTRUSADO - Com baixo consumo de gua ecaracterstica autoportante aps vibrao com mquinasestressoras especiais. Sua maior aplicao em guias (meio-fio), painis e lajes laminadas pr-moldadas. No necessitamde frmas para a moldagem que se assimila com o processode frma deslizante.

  • Concreto

    CONCRETO PARA PISOS INDUSTRIAIS - A normarecomendada para pavimentos simples de concreto comresistncias superior a FCk 25,0 MPa Consumo Mnimo deCimento 350 kg/m3, onde requer solicitaes de trfego deveculos, empilhadeiras, carrinhos com rodas de metal ouplstica, trnsito intenso de pessoas ou grandes depsitos dematria-prima. Alm da Resistncia Compresso, oconcreto dever ter Resistncia Trao na Flexo capaz desuportar os esforos de trao do concreto. Ainda Resistncia Abraso ou Resistncia ao Desgaste Superficial.

    Para outros pavimentos com baixa solicitao podero serprevistos FCk mnimo de 20,0 MPa.

    Utilizao: Pavimentos industriais, estacionamentos, garagensprediais ou comerciais, galpes de estocagem, oficinasmecnicas, etc.

  • Concreto

    CONCRETOS SUBMERSO - aplicados em presena de guaou lama betontica. O abatimento desse concreto emespecfico de 200 +/- 30 mm. Em grandes profundidadessob gua e/ou gua corrente sero previstos aditivosespeciais, modificadores de vicosidade para termos maiorcompacidade sem desagregao em presena de gua.

    Utilizao: Normalmente utilizados em paredes de diafragma,tubules, barretes, estruturas submersas em gua doce ousalgada, marinas, etc.

    Nota: Haver a necessidade da aplicao destes concretos,funis ou trombas, para amenizar a desagregao do concreto.Desta maneira por diferena de densidade, o concretosubstituir a gua existente nestas estruturas.

  • Concreto

    MICRO CONCRETO - A palavra micro-concreto engloba, naprtica, uma srie de misturas de materiais que soclassificadas com este nome.

    Entre elas temos o grout, alguns tipos de argamassa e oconcreto elaborado com agregados grados de pequenadimenso (at 9,5 mm), tambm conhecido como concreto depedrisco. Independentemente do nome, os processos dedosagem e aplicao destes materiais, devem obedecer aosmesmos padres de qualidade dos demais concretos.

  • Concreto

    CONCRETO TIPO GROUT - Os agregados destes concretospossuem dimetro mximo de 4,8 mm. Possuem grandefluidez e so auto-adensveis.

    Sua maior utilizao no preenchimento de vazios e juntasde blocos de alvenaria estrutural.

  • Concreto

    CONCRETO CONVENCIONAL - utilizado em obras corriqueirasde aplicao normal, ou seja, no requer qualquer tipo deequipamento (bomba) para disposio final. Normalmenteeste concreto de pouca trabalhabilidade, sendo necessrio autilizao de equipamentos de vibrao para sua aplicao epara que atenda as exigncias de resistncia, coeso edurabilidade do concreto. Poder tambm ter uma melhortrabalhabilidade com descarga manual, porm dever sersolicitado como tipo bombevel com descarga convencional.

    O concreto convencional, por ter uma difcil trabalhabilidade,requer a utilizao de vibrador de imerso para que se atendaas exigncias e qualidade do concreto aplicado. Convm alertarcaso no se utilize o vibrador para sua disposio final, oconcreto ficar comprometido.

  • Concreto

    CONCRETO BOMBEVEL - o concreto transportado porpresso atravs de tubos rgidos ou mangueiras flexveis edescarregado diretamente ou prximos dos pontos onde deveser aplicado. A presso pode ser aplicada por meio depistes, por meio de ar comprimido ou pela deformao detubos flexveis.

    O concreto considerado bombevel quando os seuscomponentes no se separam por segregao e quando aresistncia ao deslocamento pelo interior da tubulao noatinja valores incompatveis com a capacidade doequipamento.

    Como essas propriedades so influenciadas pela composioda mistura, a dosagem do concreto para bombeamento exigealguns cuidados especiais.

  • Concreto

    CUIDADOS ESPECIAIS COM O CONCRETO BOMBEVEL.Os concretos para bombeamento devem ter boa trabalhabilidade,

    isto , o Slump ou Abatimento deve ser maior que 70 mm, sendo omais recomendvel, valores entre 80 e 100 mm ( Slump = 90 +/- 10mm ).

    A Cortesia Concreto adota o Slump = 90 +/- 10 mm. Qualquerconcreto diferente desta condio consideraremos do tipo especial.

    Ter argamassa suficiente e consumo mnimo de cimento de 270kg/m3, para lubrificar os tubos internamente e facilitar odeslocamento do concreto dentro do tubo.

    Recomenda-se a utilizao de britas com dimetro mximo at 25mm (brita 2), mesmo assim at 25%, devendo o restante terdimetro mximo de 19 mm (brita 1). Para prdios, dependendo daaltura ou mesmo da distncia de tubulao sero previstosagregados menores (britas) e/ou Slumps maiores.

  • Concreto

    CONCRETO VIRADO NA OBRA aquele preparado pelosprprios serventes no canteiro de obras. Esse processo pode serconsiderado rudimentar e apresentar baixa preciso, devido aobaixo controle de qualidade e aos instrumentos utilizados. Para adosagem, usa-se a padiola (caixote de dimenses conhecidas),de forma que o trao deve ser dado em volume. A mistura podeser feita com betoneira ou no cho, com enxada (obraspequenas). A dosagem feita por meio da padiola (caixote dedimenses conhecidas), de forma que o trao deve ser dado emvolume e a mistura pode ser feita com betoneira ou no cho,com enxada (obras pequenas).

  • Concreto Atualmente, o uso de concretos virados no canteiro

    questionado, pela perda de qualidade do produto finalquando comparado com concreto usinado, que possui maiordesenvolvimento tecnolgico na produo, controle dequalidade e aplicao e cujo uso se difunde devido asvantagens apresentadas nesse quesito. A seguir, benefcios edesvantagens do uso de concreto virado em obra nasedificaes.

  • Concreto

    Vantagens do Concreto Usinado X Concreto Virado na Obra Diminui a quantidade de equipamentos Elimina espao para estocagem Reduz o desperdcio e a perda de material estocado Diminui o controle administrativo Evita multas por estocagem em vias publicas Possibilita entregas conforme necessidade da obra Reduz gasto com mo de obra Garantia de qualidade Maior produtividade Maior uniformidade das peas concretadas Resumindo: Maior praticidade com menor custo.

  • Concreto

    Vantagens do Concreto Usinado com Bomba para Transporte na Obra Reduz a quantidade de pessoal na obra Diminui o tempo de descarga de cada caminho de concreto No arrisca perder o concreto No muda as propriedades do concreto Facilita a aplicao Melhor preciso e eficincia na distribuio do concreto Fluxo constante e homogneo do concreto garantindo a

    qualidade da mistura; Melhor limpeza e organizao na distribuio do concreto; Utilizvel em qualquer tipo de obra. Principalmente em obras de

    difcil acesso, com alturas elevadas ou longas distncias

  • ConcretoMATERIAL CONCRETO

    SIMPLESCONCRETO

    ARMADOCONCRETO

    PROTENDIDOCONCRETO C/

    FIBRASARGAMASS.

    ARMADAESTRUTUR. DE

    AOdescrio cimento Portland

    + agregadosconcreto c/

    armadura de aoconcreto armado +

    armadura ativaconcreto armado + fibras descontn.

    concreto armado + telas de fios de

    ao

    perfis metlicos

    Ma tipo de agregado mido + grado mido + grado mido + grado

    mido e/ou grado s mido

    t r

    consumo de cimento

    150 a 300 kg/m3 250 a 400 kg/m3 300 a 500 kg/m3 300 a 600 kg/m3 500 a 700 kg/m3

    i z

    fator gua/ cimento

    0,50 - 0,80 0,45 - 0,75 0,30 - 0,50 0,35 - 0,55 0,35 - 0,50

    A r

    tipo fios e barras de ao

    fios e barras de ao+fios de ao

    especial

    fios de ao curtos e descontn.

    + telas soldadas perfis industrializ.

    m a

    taxa de armadura

    60 a 100 kg/m3 80 a 120 kg/m3 50 a 100 kg/m3 100 a 300 kg/m3

    d u

    difuso espaament. limitado

    espaament. limitado

    armadura difusa armadura difusa discreta

    r a

    quantidade taxas mnima e mxima

    taxas mnima e mxima

    limite de incluso vol. Crtico

    taxas mnima e mxima maiores

    que o c.a.

    APLICA-O PESADO PESADO PESADO PESADO LEVE LEVE

    EXECU-O

    com uso de formas

    no local com formas e

    armaduras

    como o c.a.+ protenso

    industrial

    aplicao nica sem formas

    como o c.a.com maiores

    cuidados

    montagem no local

    COMPORT. ESTRU-TURAL

    compresso simples

    material anisotrpico

    como o c.a. + participao da

    protenso

    material quase homogneo

    como o c.a. material homogneo

  • Concreto

    PROCEDIMENTO PARA O RECEBIMENTO DO CONCRETO. Ao receber o concreto usinado devem ser realizados

    procedimentos para garantir que o concreto utilizado estejade acordo com o encomendado. Esta verificao normatizada pela NBR 12.655 Norma de Preparo deControle e Recebimento do Concreto..

    Primeiramente verifica-se o lacre do caminho com o cdigoda nota, em caso de incompatibilidade no so asseguradas ascaractersticas esperadas e isso justifica a devoluo do lote.Alm desse cdigo constam na nota fiscal outras informaesreferentes resistncia, ao abatimento e sua tolerncia etrao, assim como o uso de aditivos. Aps a checagem dessesdocumentos, o concreto est liberado para ser testado.

  • Concreto

    ENSAIO DE ABATIMENTO Antes da descarga do caminho necessrio fazer uma

    avaliao da quantidade de gua do concreto, verificando se aconsistncia est de acordo com o que foi especificado nanota fiscal (pedido). A falta de gua torna o concreto menostrabalhvel, podendo criar ninhos de concretagem (bicheiras)e gua em excesso reduz a resistncia do concreto. Aconsistncia avaliada pelo ensaio slump test, que tem comoobjetivos de determinar da trabalhabilidade e controlar aquantidade de gua adicionada no concreto fresco, de acordocom os passos a seguir:

  • Concreto

    1 - Coletar diretamente da calha do caminho uma amostrade aproximadamente 30 litros de concreto depois dedescarregado pelo menos 0,5 m3 (no retire a amostra deconcreto j lanado na frma);

    2 - Colocar a amostra em um carrinho e misturar paraassegurar a homogeneidade;

    3 - Colocar o cone sobre a placa metlica (previamentemolhados e tratados) nivelada, apoiando firmemente os pssobre as abas inferiores do cone;

    4 - Preencher o cone em 3 camadas iguais e aplicar umapiloamento de 25 golpes em cada camada em toda a seodo cone, adensando cuidadosamente com a haste sem queesta penetre na camada inferior;

  • Concreto

    5 - Retirar o excesso de material da ltima camada com argua, alisando a superfcie;

    6 - Iar o cone verticalmente, com cuidado; 7 - Colocar a haste sobre o cone invertido ao lado da massa

    abatida, medindo a distncia entre o ponto mdio do materiale a parte inferior da haste, expressando o resultado emcentmetros.

  • Concreto

  • Concreto

  • Concreto

    ENSAIO DE RESISTNCIA COMPRESSO A determinao da resistncia compresso do concreto

    realizada em laboratrios especializados a partir de corpos-de-prova obtidos de amostra representativa do material,conforme estabelece a NBR 12655. Geralmente, os corpos-de-prova so moldados em cilindros metlicos (moldes) de 150mm de dimetro e 300 mm de altura, considerando osseguintes pontos:

  • Concreto

    1 - Retirar a amostra do tero mdio da mistura, evitando asprimeiras e as ltimas partes do material lanado;

    2 - Retirar o material direto da calha do caminho-betoneira,em quantidade superior a 30 litros e o dobro do necessriopara os moldes, misturando tudo em um carrinho paraassegurar a homogeneidade;

    3 - Preencher os moldes em quatro camadas iguais,apiloando cada uma delas com 30 golpes com a hastemetlica, evitando penetrar a haste na camada inferior jadensada;

  • Concreto

    4 - Proceda ao acabamento da superfcie com uma rguametlica, retirando o excesso de material;

    5 - Deixar o molde em repouso, em temperatura ambiente,por 24 horas;

    6 - Envie ao laboratrio os corpos-de-prova, devidamenteidentificados

  • Concreto

    EXECUO DO ENSAIO At a idade de ensaio, os corpos-de-prova devem ser

    mantidos em processo de cura mida ou saturada. As faces de aplicao de carga dos corpos-de-prova (topos

    inferior e superior) devem ser rematadas. Os corpos-de-prova devem ser rompidos compresso em

    uma dada idade especificada, com as tolerncias de tempodescritas na abaixo.

  • Concreto

    24 H 30 MIN 3 D 2 H 7 D 6 H

    28 D 24 H 63 D 36 H 91 D 2 D

    IDADE DE ENSAIO TOLERNCIA PERMITIDA:

  • Estruturas em Geral.

    PRXIMA AULA ESTUDAREMOS

    ESTRUTURAS EM GERAL.