04-05-12 Indstria&Comrcio

  • Published on
    30-Mar-2016

  • View
    222

  • Download
    0

DESCRIPTION

jornal, economia, curitiba, negocios, parana

Transcript

CENTRAL DE ATENDIMENTO: 41 3333.9800 E-MAIL: PAUTA@INDUSCOM.COM.BR CMYKCURITIBA, SEXTA-FEIRA, 04 DE MAIO DE 2012 | ANO XXXV | EDIO N 8621 | R$ 1,50 DIRIO. MAIS QUE NOTCIAS. INTELIGNCIA. CONHECIMENTO.&Indstria Comrcio WWW.ICNEWS.COM.BRPGINA | A2Pedro WashingtonFugir para onde! Petrobras tem interesse em aumentar investimentos na frica, diz Graa FosterA presidenta da Petrobras, Graa Foster, disse nesta quinta-feira (03/05) que descobertas recentes e os sucessos relevantes da frica para o mundo do petrleo aumentam ainda mais o inte-resse da petroleira brasileira no continente. Ela participou nesta quinta (03/05) do Se-minrio Investindo na frica: Oportunidades, Desa os e Instrumentos para Coopera-o Econmica, promovido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econmico e Social (BNDES), em sua sede, no Rio de Janeiro. Preos de presentes para o Dia das Mes variam at 201%, mostra Procon-SPLevantamento do Procon de So Paulo (Procon-SP), divulgado nesta quinta-feira (03/05), mostra variaes at 201% nos preos de presentes para o Dia das Mes. Foram analisados 44 itens de dife-rentes marcas, vendidos em dez grandes redes de lojas, nas cinco regies da capital paulista.AroldoMur MORREU METRY,O CIENTISTA DOINTERFERONEDITAIS NA PGINA A7Editorial I&CCai 32% moagem de cana no Centro-SulProduo de cana-de-acar, at metade de abril totalizou 4,74 milhes de toneladas, um recuo de 32,2% em relao ao mesmo perodo do ano passado, segundo a Unio da Indstria de Cana-de-Acar. Essa uma informao alarmante. O preo do Etanol, que j est bem perto do preo da Gasolina, pode perder ainda mais a atrativida-de. O Brasil que tem em uma de suas bandeiras da sustentabilidade o amplo uso do combustvel renovvel, no pode deixar esse quadro se agravar ainda mais.Basta que a informao da queda na produo chegue aos postos e distribuidoras, para o preo arbitrariamente subir nas bombas de combustveis. O Ministrio Pblico, Procon e as entidades regula-doras devem car atentas. Do total de cana colhida at 15 de abril, 34,4% foram destinados produo de acar e, a maior parte, 65,5%, produo de etanol. Que em 2012, j atingiu a produo de 180,5 milhes de litros. necessrio olhar atentamente para o problema. No podemos ter uma nova edio do pssimo efeito do abandono do governo nos anos 80 ao incentivo da produo do ento chamado lcool combustvel. Quando por falta de competitividade, as montadoras deixaram de produzir veculos aptos ao combustvel sustentvel. Hoje o etanol faz parte da economia brasileira.INDICADORESFINANCEIROSMoeda Compra VendaDlar turismo 1,8500 1,9900Dlar comercial 1,9117 1,9123Dlar paralelo 1,5900 1,7300 Euro 2,5089 2,5106Ouro (Grama/R$): 207,90CMBIOIBOVESPAMAIORES ALTAS* COTAOGAFISA 3,93 MRV 12,42 PDG REALT 5,01 ROSSI RESID 8,37 LIGHT S/A 25,74 MAIORES QUEDAS COTAOMARFRIG 9,61 TIM PART S/A 10,76 GERDAU MET 22,63 PETROBRAS 22,35 COPEL 46,13 MERCADO VISTAMAIORES ALTAS COTAOLAEP 0,20 ALL ORE 3,98 ENCORPAR 48,99 FISET TUR 0,79 GAFISA 3,93 MAIORES QUEDAS COTAOMUNDIAL 0,02 TECTOY 0,03 ITAUSA 0,40 KARSTEN 2,14 M G POLIEST 0,10 Poucos cientistas brasileiros foram to importantes quanto Metry Ba-cila. E poucos tambm foram to simples quanto o antigo mestre da USP e UFPR, de que foi catedrti-co. Deu importante contribuio cincia, em suas pesquisas, e cola-borando com outros pesquisadores, como naquelas que resultaram no Interferon. Ele morreu ontem em Curitiba. PGINA A3PARAN | A5 PARAN | A6PARAN | A2Salrio mnimo deve ter reajuste de 7% em 2013Prefeitura apresenta no dia 11 proposta da LDO de 2013Venda de veculos tem queda de 9,95% em abril, aponta FenabraveTendo assessorado alguns dos nomes que este Paran desde 1960 produziu, o colunista pode afirmar que j viu de tudo. Pode as-sim afirmar que no h novidade na poltica estadual. Nada que no tenha visto. Para o bem e para o mal. At porque a poltica construda por maus, mais que os bons. Estes por vezes nela entram imaginando dar sua contribuio para que mude. Esquecem-se de um detalhe: o cor-porativismo que vinga em todas as corporaes leva acomodao.As rodovias sob respon-sabilidade do Estado, no Norte e Noroeste do Pa-ran, recebero R$ 461 milhes, para melhorar a trafegabilidade. Somados aos recursos que sero aplicados nas estradas das outras regies, o investi-mento total ser de R$ 840 milhes, pelo Programa Estadual de Recuperao e Conservao de Estra-das Pavimentadas (Perc).Os parmetros de fiscali-zao das obras de restau-rao e conservao foram discutidos com tcnicos do Departamento de Estradas e Rodagem (DER), ontem, em Londrina.PGINA A2DER vai investir R$ 461 mi emrodovias do Norte e NoroesteSomados aos recursos aplicados em outras regies, o investimento ser de R$ 840 miProduo industrial brasileira diminui 0,5%De acordo com o IBGE, a produo industrial apresentou recuo em maro, em 18 dos 27 ramos pesquisados.PGINA A5Centro Europeu inaugura sede e lana parceriaMovimento Hub se fortalece em CuritibaNo dia 09 de maio, o Centro Europeu vai inaugurar a sua stima unidade em Curitiba. Localizada no Alto da XV, novo polo cultural e gastro-nmico, a unidade marca o lanamento da parceria com o empresrio e ex-deputado Marcelo Almeida. PGINA B1H dois anos o movimen-to Hub dava os primeiros passos em Curitiba, pro-porcionando um ambiente de coworking a pessoas e projetos inovadores com o objetivo comum de cons-truir um mundo radical-mente melhor. PGINA B1Governo vai atrelar rendimento da poupana taxa bsica de jurosO governo vai atrelar a re-munerao da poupana taxa bsica de juros, a Se-lic. A mudana ser edita-da por medida provisria, que deve entrar em vigor nesta sexta (04/05). A informao de lderes sindicais que participa-ram de reunio em que a presidenta Dilma Rousse-ff apresentou a proposta s centrais sindicais.Segundo o presidente da Fora Sindical, depu-tado Paulinho da Fora (PDT-SP), o critrio atual de remunerao da pou-pana de 6,17% ao ano mais variao da Taxa Referencial (TR) vai ser substitudo pela variao da TR mais 70% da Selic, quando a taxa bsica de juros chegar a 8,5% ao ano ou menos. Atualmente, a Selic est fixada em 9% ao ano.A alterao valer apenas para novos depsitos, segundo Paulinho, e no afetar as 100 milhes de contas na caderneta de poupana existentes. Nossa preocupao que os atuais poupadores no fossem prejudicados. Como a mudana garante direitos dos poupadores atuais, ns [da Fora Sin-dical] apoiamos a altera-o, disse. O presidente da Central nica dos Tra-balhadores (CUT), Artur Henrique, tambm con-firmou a mudana, mas disse que a entidade ainda vai avaliar a proposta.Fabio Rodrigues Pozzebom/ABrPresidenta Dilma e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante reunio com Centrais Sindicais para apresentao de mudanas na poupanatem queda de 9,95% PGINA A2DER vai investir R$ 461 mi em rodovias do Norte e Noroeste Somados aos recursos aplicados em outras regies, o investimento ser de R$ 840 miCMYKGeral/CuritibaCuritiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A2 | Indstria&ComrcioAs mulheres, como os sonhos, jamais so como as queres. Luigi PirandelloPreviso do tempoMn.: 12 Mx.: 22No setor leste do Paran ainda h muita nebulosidade e podem ocorrer chuviscos ocasionais no incio da manh na regio serrana e no litoral. As temperaturas se elevam um pouco mais, principalmente no interior do Estado, onde o sol brilha desde as primeiras horas da manh.fonte: www.simepar.brFugir para onde!Tendo assessorado alguns dos nomes que este Paran desde 1960 produziu, o colunista pode afirmar que j viu de tudo. Pode assim afirmar que no h novidade na poltica estadual. Nada que no tenha visto. Para o bem e para o mal. At porque a poltica construda por maus, mais que os bons. Estes por vezes nela entram imaginando dar sua contribuio para que mude. Esquecem-se de um detalhe: o corporativismo que vinga em todas as corporaes leva acomodao. Quando no, pela preocupao de no ser apontado como dedo duro. O leitor e ouvinte que acompanham nos jornais e rdios, dependendo das tendncias, at mais que nas tevs, cooptada pelas verbas governamentais, o dia-a-dia da poltica, anda descontente. Chega a pensar que morar em Guaraqueaba, fundo da baia de Paranagu, seria um refresco para a mente e em conseqncia para a vida. Ledo engano! O local j est acessvel aos sons de rdios, imagens de tev, e at a poucos exemplares de jornais que relatam os problemas vividos pelo pas. Alm do que tem prefeitura e cmara. No adianta fugir. As mazelas o alcanam. Assim se estar sabendo que uma cachoeira de malfeitorias estar acontecendo no pas, com os rgos encarregados de denunci-las, por razes diversas omitindo-se: d-se conta da extenso de seus tentculos atravs denncias da imprensa que, hoje, rgos do governo tentam calar. As estruturas dos trs poderes que compem um pas democrtico so viciadas. Construdas atravs a presso de elites poltico-econmicas que as transformam em elites s polticas, como confirmam a sobrevivncia dos Sarneys, Renans e outros que continuam a infernizar a vida dos brasileiros. Nesse ambiente, outro poder, a importante imprensa quando no comprometida, viceja. Vendedor emritoO colega que escreve ao lado nas pginas do Indstria & Co-mrcio, Aroldo Mur, especialista em rpidos perfis de gente que construiu o Paran, registrados em seu Vozes do Paran que chega 4a. edio (15 de maio, das 19 s 23 horas no Solar do Rosrio), traz entre os seus focalizados Francisco Simeo, que conheci aqui. Irmo do ngelo Simeo, empresrio da hoje to judiada, em termos polticos, Londrina, famosa nos tempos em que conhecida como Capital do Caf. Do Chico uma viso: o maior vendedor que o colunista j conheceu. Vendas a menosNo pessimismo de cronista. a realidade. A expectativa do comrcio nas compras do Dia das Mes, vai cair 3%. No incio de maio de 2011, a expectativa de 59% dos empresrios seria de que as vendas aumentariam. Agora, 56% acreditavam nisso. Mesmo com a reduo dos juros.semelhanaNo so poucos os que esto comparando o perodo da presi-dente Dilma com o de Collor de Mello. No no aspecto corrupo, com a qual a presidente parece no pactuar, muito embora mais condescendente com as denncias contra seu amigo Fernando Pimentel. A comparao se deve mexida nos valores pagos pela caderneta de poupana no incio do governo do paulista/alagoano que pouco durou no mandato. memriaA caderneta de poupana, cuja maior vantagem no pagar IR e sobrepor-se inflao, afirmavam dias atrs autoridades da economia era imexivel, termo que por sinal remete a um ministro do Trabalho do perodo Collor que tambm justificava, quando fla-grado comprando rao com dinheiro pblico: Cachorro tambm gente. (A grande virtude do jornal, diferente de veculos que se auto-deletam ser o arquivo da memria). em choqueA incipiente democracia que se pratica no Brasil, oferece a cada dia um espetculo diferente. Fruto de uma Constituio que por muito tempo (1987/88) fez a alegria de deputados e senadores que nela inseriram artigos para todos os gostos, at ser alcunhada como Cidad por Ulisses Guimares, presidente quase vitalcio da Cmara Federal, uma espcie de Joo Carlos Derosso em nvel nacional.PanoramaPolticoPedro Washingtonprpress@terra.com.brinFraestruturaInforme da Cmara Municipal de Curitiba A Copa do Mundo de 2014 e os impactos do evento para Curitiba norteiam debate que o plenrio da Cmara Municipal sedia na prxima quinta-feira (10), das 14h s 18h. Promovida por entidades da sociedade civil, a atividade gratuita e aberta ao pblico.O vereador Pedro Paulo (PT), presidente da Comisso Especial para Acompanhamento dos As-suntos relacionados com a Copa de 2014 e com a Olimpada de 2016, avalia que o evento tem os mesmos objetivos que a Casa no sentido de abrir espao para a po-pulao curitibana conhecer o que est sendo feito na rea dos inves-timentos governamentais para a realizao do campeonato.Para ele, a iniciativa funda-mental, j que a Copa um grande evento que precisa deixar um legado para a capital. Qualquer evento para repassar informaes e mobilizar a sociedade sobre temas relacionados ao Mundial tem nosso apoio, afirma o parla-mentar, que tambm avalia como positivo o fato de a iniciativa partir da sociedade civil. Ele acrescenta que o debate sobre as polticas pblicas, tra-zido pela competio, impor-tante at para a avaliao destas na rea da educao desportiva. O debate organizado pelo Ins-tituto Ethos, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paran (Crea-PR), Observat-rio das Metrpoles, Tribunal de Contas Estado do Paran (TCE-PR), Instituto Brasileiro de Auditorias de Obras Pblicas (Ibraop), Controladoria-Geral da Unio no Paran (CGU-PR), Federao das Indstrias do Paran (Fiep), Central nica dos Trabalhadores do Paran (CUT-PR) e Associao Brasi-leira de Servidores de Cma-ras Municipais (Abrascam). Cmara recebe debate sobre a Copa do MundoOs artigos assinados que publicamos no representamnecessariamente a opinio do jornal.Fundador e PresidenteOdone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br)AdministraoIrene Morva Martins (diretoria@induscom.com.br)Diretor de RedaoEliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br)NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASLIA E RIO DE JANEIROAtendimento : Flvio Trombieri Moreira Cel.: (61) 8155 2020Endereo: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 Edifcio Embassy Tower Braslia DF - Cep.: 70.340 908Fone/Fax: (61) 3223 4081E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com Redao:Rua Imaculada Conceio, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.brPublicidade Legal e Assinaturas:Rua Imaculada Conceio, 205 - Curitiba - PRFones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.brParque Grfico e Circulao:Rua Imaculada Conceio, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direo e Comercial:Rua Presidente Faria, 533Centro - Curitiba - CEP: 80020-290Fone: (41) 3322.1012e-mail: diretoria@induscom.com.brcomercial@induscom.com.br Indstria&ComrcioFundado em 2 de setembro de 1976E X P E D I E N T EDirio Circulao segundas, teras, quartas, quintas, sextas e sbados.As rodovias sob responsabi-lidade do Estado, no Norte e Noroeste do Paran, re-cebero R$ 461 milhes, para me-lhorar a trafegabilidade. Somados aos recursos que sero aplicados nas estradas das outras regies, o investimento total ser de R$ 840 milhes, pelo Programa Estadual de Recuperao e Conservao de Estradas Pavimentadas (Perc).Os parmetros de fiscalizao das obras de restaurao e con-servao foram discutidos com tcnicos do Departamento de Es-tradas e Rodagem (DER), ontem, em Londrina. Na semana passada, a diretoria do DER promoveu um encontro em Cascavel, com os tc-nicos do Oeste e Sudoeste, depois de ter realizado reunio semelhante em Curitiba.Os encontros permitem padro-nizar procedimentos e aprimorar o gerenciamento dos contratos e das obras. So estabelecidas as linha de ao, especialmente na manu-teno da qualidade dos servios que sero feitos em toda a malha rodoviria estadual. Com as obras do Perc, o Paran vai restabelecer a mobilidade em suas estradas, consolidando a chegada de novos investimentos nos setores agrcola e industrial que j somam R$ 16 bilhes nos ltimos 14 meses, des-tacou o secretrio da Infraestrutura Secretrio de Infra Estrutura e Logstica, Jos Richa Filho e o Diretor Geral, Paulo Melane na reunio com engenheiros do DERe Logstica, Jos Richa Filho.O plano de trabalho apresentan-do em Londrina, segundo o diretor de Operaes do DER, Paulo Me-lani, aumenta a presena do poder pblico na fiscalizao dos servios. A otimizao das rodovias estadu-ais, com menor impacto ambiental, garantir ao Departamento de Es-tradas de Rodagem operacionalizar de forma mais econmica e segura o trnsito rodovirio no Estado, com maior conforto para os usurios, acrescentou Melani. O programa est em fase de li-citao pelo DER e foi dividido em trs partes. Sero realizadas obras de conservao em 7.950 quil-metros, dentro do subprograma COP (Conservao do Pavimento). O subprograma de Conservao e recuperao descontnua com melhoria do estado do pavimento (Cremep), agir em 2.012 quil-metros. Outro subprograma far a Conservao da faixa de domnio. No programa COP, sero investidos R$ 250 milhes; no Cremep, R$ 410 milhes; e na Conservao da faixa de domnio, R$ 139 milhes. No Oeste e Sudoeste do Paran, o investimento ser de R$ 188 milhes.Jorge Woll / SEIL/DERPrefeitura apresenta proposta da LDO de 2013A Prefeitura de Curitiba promo-ver no prximo dia 11 a audincia pblica geral para a apresentao da proposta da Lei de Diretrizes Oramentrias (LDO) de 2013 populao. A audincia ser no Memorial de Curitiba.Por lei, a Prefeitura tem at 15 de maio para mandar a proposta do oramento de 2013 Cmara Municipal. No incio do segundo semestre comeam as discusses para a elaborao da Lei Ora-mentria Anual (LOA), onde as propostas apresentadas na LDO sero detalhadas.Para elaborao da LDO 2013 a Prefeitura recebeu 15.400 sugestes de cidados, em consultas pblicas nas nove regionais da cidade, onde a populao pode sugerir obras que consideram prioritrias para regio onde vivem.Ningum conhece mais a cida-de que o prprio cidado. A popu-lao aponta as necessidades e a Prefeitura inclui no oramento para fazer as aes, afirma o prefeito Luciano Ducci.Alm das consultas presenciais, a populao fez sugestes ao or-amento pelo telefone 156 e pela internet, pelo Portal da Prefeitura, desde o incio de abril.O nmero total de sugestes da populao, de 15.400, foi aproxima-damente 16% maior que o registra-do em 2010. No ano passado, foram feitas 13.280 sugestes LDO.A populao est participando mais das consultas pblicas, se interessando pelo oramento da cidade. Para a Prefeitura uma boa oportunidade para trocar ideias diretamente com o cidado, diz o secretrio municipal de Finanas, Joo Luiz Marcon.Entre as sugestes para a LDO, os principais temas foram pa-vimentao de ruas, segurana, trnsito, sade e transportes, se-gundo levantamento feito pelo Instituto Curitiba de Informtica (ICI). O levantamento mostra os principais pedidos da populao por Regional.No Bairro Novo as prioridades foram segurana, vias pblicas e sade; na Regional Boa Vista, vias pblicas, segurana e saneamento. No Boqueiro, vias pblicas, segu-rana e sade. Na Regional Cajuru os temas mais sugeridos foram vias pblicas, segurana e trnsito. No CIC, segurana, vias pblicas e sade.Na Regional Matriz as priorida-des dos cidados foram segurana, transportes e vias pblicas. No Pi-nheirinho, segurana, vias pblicas e sade. J no Porto as prioridades foram vias pblicas, segurana e trnsito, as mesmas da Regional Santa Felicidade.Novas consultas pblicas sero realizadas com a populao nas nove regionais da cidade para discutir a LOA, que deve ser enca-minhada para a Cmara at o dia 30 de setembro.Terminal Santa Cndida ser ampliadoHoje, s 11h30, na Rua da Cidadania Boa Vista, o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, as-sina a ordem de servio para as obras de ampliao do terminal Santa Cndida. A obra est or-ada em R$ 11,3 milhes e deve ser concluda em 18 meses. A obra faz parte do PAC da Copa, programa de financiamento do governo federal para a pre-parao das cidades sedes da Copa do Mundo da FIFA 2014. A assinatura ser feita durante a comemorao dos 15 anos da Rua da Cidadania.Com a reforma, terminal ter 12 mil metros quadra-dos de rea construda, novas plataformas de embarque e desembarque, uma platafor-ma exclusiva para o Ligeiro Norte-Sul, alm de nova rea de comrcio e servios no sub-solo. A obra prev melhoria na infraestrutura, com novos sanitrios, reforo da ilumina-o, nova comunicao visual e paisagismo.A ampliao do terminal vai permitir maior integrao da Rede Integrada de Transporte de Curitiba com os municpios da Regio Metropolitana. O Terminal de Transporte Santa Cndida tem atualmente 8,6 mil metros quadrados de rea. Por ali passam 12 linhas de nibus e 40 mil passageiros por dia.Tingui ganha Espao SadeOs moradores da regio norte de Curitiba ganham hoje o Espao Sa-de Tingui. Mais de 17 mil moradores da regio sero atendidos pelo novo equipamento, anexo US Tingui.O Espao Sade tem 60 metros quadrados de rea com banheiro, cozinha e sala e est equipado receber os usurios que fazem acompanha-mento clnico no local ou buscam ati-vidades para melhorar a qualidade de vida. O equipamento destinado ao atendimento de quem precisa com-plementar o tratamento mdico em curso - como os freqentadores das reunies dos grupos de hipertensos, diabticos, gestantes, adolescentes e pacientes de sade mental at quem procura aes de promoo e preveno promovidas pelo Ncleo de Apoio em Ateno Primria Sade (Naaps)Teca Sandrini: um museu vivo Geral/Estadual Indstria&Comrcio | Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A3Aroldo MurG.Haygert aroldo@cienciaefe.org.brDia 15 de maio, das 19 s 23 horas, lanamento e noite de autgrafos do volume 4 de VOZES DO PARAN, de Aroldo Mur G.Haygert.No Solar do Rosrio, Largo da Ordem, durante coquetel para tambm celebrar 20 anos do Solar do Rosrio.RESERVE NA AGENDAMETRY; O CIENTISTA QUE O PARAN PERDEUAB NotciasEDUCAO NO CAMPOCom estrutura para abrigar aproximadamente 300 alunos, o Centro Estadual de Educao Profissional do Sudoeste do Paran comea a funcionar em outubro. Localizado em Francisco Beltro a estrutura conta com 8.000 metros quadrados de rea construda, com salas de aula, dormitrios e tambm seis agroindstrias para as aulas prticas. O investimento gira em torno de 9,4 milhes de reais.PRESERVAO AMBIENTALO programa Bioclima Paran visa unir um conjunto de medidas voltadas para a conservao e a restaurao da biodiversidade, em busca do equilbrio ecolgico e controle das mudanas climticas. No projeto lanado pelo governo do estado, sero includos o pagamento por servios ambientais, criao de novas unidades de conservao, mapeamento da vegetao nativa e da emisso de gases do efeito estufa, entre outras iniciativas.EVITANDO GASTOSPesquisadores do Instituto Agronmico do Paran (IAPAR) aler-tam para a necessidade de cuidados bsicos com o milho safrinha. Segundo o instituto, o mais importante o monitoramente de pragas e doenas. Alm disso, eles lembram que o milho uma cultura de risco, vulnervel a diversos fatores como geada e falta de chuva. Dessa maneira, o melhor reduzir os gastos para que no haja grandes prejuzos.PERCORRENDO O PARANCom o objetivo de divulgar e incentivar o fomento da dana, alm de promover a interao entre estudantes e profissionais, a quinta edio da Mostra Paranaense de Dana, vai percorrer 5 ci-dades no estado, entre os meses de maio, junho e julho. So elas: Curitiba, Francisco Beltro, Apucarana, Unio da Vitria, Ponta Grossa e Paranava. Os interessados em participar podem se inscrever pelo site www.ababtg.org.br.CURSO DE MEDICINALderes em Foz do Iguau, Oeste do Paran, intensificam a luta por curso de Medicina no Campus da Unioeste. A falta de mdicos na regio est levando a contratao de profissionais estrangeiros, o que refora ainda mais a necessidade do curso na cidade.MAIS IDOSOSO percentual de idosos no Brasil dobra em 50 anos. Em 1960, 3,3 milhes de brasileiros tinham 60 anos ou mais e representavam 4,7% da populao. J em 2010 a representao passou para 10,8% da populao, cerca de 20,5 milhes idosos. So os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE). INFRA-ESTRUTURASero investidos cerca de 5,1 milhes de reais para a im-plantao da rede coletora de esgoto e de tratamento em Nova Aurora, oeste do estado. So 32.718,79 metros de tubulao, atendendo mais de 1,7 mil ligaes. O que equivale a 70% do permetro urbano, proporcionando mais dignidade, sade e qualidade de vida a populao. AMPLIANDO A VOZO Portal Aqui Brasil a minha recomendao ao leitor. Tanto pela qualidade do material jornalstico que est apresentando, quanto por levar a links importantes. Esta coluna est no Portal Aqui Brasil. Grato.http://portalaquibrasil-host.com/noticias/vernoticia/115818,5 MILHES DE GATOSSegundo dados da Anfalpet (Associao Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimao), h cada vez mais felinos no Brasil. A populao de gatos em 2010 era de 18,5 milhes, ante 17 mi em 2009. CARTASPRMIO DINO ALMEIDADa jornalista Dinah Pinheiro, velha amiga: Aroldo, Encaminho convite para entrega do prmio Colunista Dino Almeida que a Cmara de vereadores concede todos os anos a profissionais da nossa rea. A Julieta Reis, a minha madrinha neste evento. Me senti prestigiada, afinal a vereadora uma pessoa que entende da cultura local e fomos colegas nas dcadas de 70 - 80 na Fundao Cultural de Curitiba. Ademais ela uma das pessoas que apia vigorosamente o trabalho da Efignia Rolim, a nossa querida rainha do papel de bala, minha biografada, reconhecida nacional-mente. (Ifignia recebeu a medalha do mrito cultural do Ministrio da Cultura, em 2008, entregue no tea-tro Municipal do Rio de janeiro). A propsito o lanamento do livro ser, em dezembro no MON. Estou mergulhada na escrita do livro e quase no tenho arredado o p de casa, mas no faltarei ao lanamento do teu livro, no dia 15, no Solar do Rosrio. Ah! outra informao, a Eunice e o Pierluigi voltaram a morar em Curitiba. Grande abrao, Dinah, CuritibaLRIO DO BREJODo assduo leitor/colaborador Henrique Paulo Schmidlin:Caro Haygert: fantstica reportagem sobre a questo dos incentivos para cultura va municipal.No caso Ghignone, tenho uma dvida quando o neto que reside no norte, ao se referir a abundncia do rami. A mim me parece que, na realidade, deveria ser o lirio do brejo? Abs.Vita, Curitiba. Metry Bacila, como um dos mais importantes cientistas paranaenses , nome internacional na rea de biologia, principalmente pelas pesquisas que redundaram no interferon, substncia com vrias aplicaes teraputicas. Com seu prestgio muito fez pela Universidade Federal do Paran, atuando como ponte entre a instituio onde lecionou por dcadas e instituies de pesquisa do Exterior. Assim, vrios convnios importan-tes chegaram a ser estabelecidos graas sua intercesso. Mas nunca deixou de ser homem humilde, com ar interiorano, roupas folgadas e jeito pacato.CINEMA, LITERATURAFora da rea cientfica, era homem de cultura geral invejvel, sempre interessado em cinema, teatro e literatura. Fascinado pelo mar, foi um dos propulsores da estao de pesquisa da UFPR em Pontal do Sul. Integrante da comisso brasileira do projeto Antrtica, esteve varias vezes no Polo Sul, participando de expedies cientficas e orientando pesquisas na rea da biologia. A Estao Antrtica Comandante Ferraz, na Ilha do Rei Jorge, lamentavelmente destruda por recente incndio, era sua velha conhecida. Relatou no livro Cartas da Antrtica (edio da UFPR) suas primeiras experincias no Programa Antrtico Brasileiro PROANTAR.MEMRIA BAMERINDUS Em importante depoimento gravado, nos 1990, para o projeto Memria Histrica do Paran (patrocinado pelo extinto Bamerindus, graas lucidez de Belmiro Castor) deixou depoimento sobre sua vida e carreira de cientista, desde os anos 30. Mdico da turma de 1946 da Universidade Federal do Paran, Metry Bacila, paranaense de Palmei-ras, fez sua tese de doutoramento sobre o fator RH em Curitiba, em trabalho pioneiro.FUNDAO DO IBPTEstagiando em Rosrio e Buenos Aires, foi depois um dos jovens cientistas que participou de equipe liderada pelo professor Marcos En-rietti no IBPT, Instituto de Biologia e Pesquisas Tecnolgicas (hoje TECPAR), que, apoiada pelo ento interventor Manoel Ribas, foi o ncleo em que se desenvolveram grandes trabalhos na rea cientfica e tecnolgica. NO INCIO DA SBPC Participante da primeira reunio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Cincia, em Campi-nas, 1948, Bacila foi um dos responsveis pela re-alizao do segundo encontro em Curitiba, no ano seguinte o que foi um prestigiamento ao trabalho cientfico que estvamos aqui desenvolvendo. Assim como o interventor Manoel Ribas deu con-dies implantao do IBPT - no incio, voltado basicamente para a rea zoo-tcnica - o governador Moiss Lupion tambm entendeu a importncia do fortalecimento daquele organismo, numa poca em que as pesquisas cientficas no Brasil ainda se desenvolviam em poucos Estados.NO PAROU DE ENSINAR Professor catedrtico tanto na Universidade do Paran como na USP - onde trabalhou por mais de 17 anos, autor de 10 livros e cerca de 400 trabalhos cientficos, o professor Bacila nunca se aposentou. Continuou durante anos a prestar consultoria ao Centro de Biologia Martima (hoje de Estudos do Mar), atuando tambm na ps-graduao em cincias veterinrias, at que a sade o impossibilitou de continuar nessa traje-tria. Um grande cientista e um grande homem, sem dvida.A triste notcia me foi comunicada ontem cedo pela professora em-rita da UFPR, tambm da rea de Veterinria, Clotilde Branco Germi-niani. Metry e Clotilde tambm partilhavam da Academia Paranaense de Letras, como acadmicos.Metry Bacila: homem de cincia nos primrdios do IBPTCUMPRIMENTOSOl Aroldo, em primeiro lugar quero parabeniz-lo no s por ter muitos leitores, mas especialmente porque seus leitores tambm sentem admirao por voc. Isso um grande conquista para qualquer pessoa dedicada s letras. Aroldo, tera-feira, 08 de maio, lana-rei um livro e seria uma honra receber ateno de sua coluna. Muito obrigada, Isabel Furini, CuritibaAGRADECENDODo cirurgio dentista Bento Garcia Junior, algum que conhece bem Curitiba e sua gente, registro:Querido Prof. Aroldo, Muitssimo obrigado pelas mensagens/colunas que me envia. Grande abrao, Bento.PADRO INTERNACIONAL NO MONAlgum tem dvidas que com Teca Sandrini o Museu Oscar Niemeyer ganhou nova dimenso? E que hoje ele pode ser comparado a museus de importncia internacional, tanto pelo acervo permanente quanto pelas mostras que apresenta? E que dizer dos servios que oferece, como visitas monitoradas por gente que do metier?A VARIEDADEDe recente noticirio do MON, pincei o seguinte:Alm das oito mostras em cartaz, o Museu Oscar Niemeyer leva ao pblico oficinas de construo de pipas e apresentaes de dana e msica.Oficinas no Setor de Ao Educativa, danas performativas, apresentao musical, visitao guiada e oito exposies em cartaz so as atraes do Museu Oscar Niemeyer neste domingo, 6 de maio, ocasio em que o ingresso gratuito. Os ingressos sero distribudos na bilheteria at s 17h30.GUIADA Ainda no domingo: Entre s 14h e 16h30, sero realizadas quatro apresentaes de danas, todas com curadoria de Rosemeri Rocha. s 14 horas, haver performances em dilogo com a projeo de vdeos na Sala 7, no primeiro andar. A partir das 15 horas, ocorrem tambm aes performativas em frente Sala 7. J s 16 horas, as atividades so no estacionamento do MON, a cu aberto. E s 16h30 a vez de improvisos de dana no cho de vidro, no vo livre.POTY DE TODOSA arte-educadora Telma Richter vai conduzir duas visitas mediadas, s 11 horas e s 15h30, exposio Poty, de todos ns. O Grupo Chorudito apresenta o seu repertrio instrumental no primeiro andar, a partir das 14h15. H a opo de conferir mostras em cartaz, entre as quais 1911-2011 Arte brasileira e depois, na Coleo Ita, A arquitetura de Lel: fbrica e inveno, Srgio Camargo: Percurso escultrico, Jorge Zalszupin: Arquitetura, design e reedio, Antanas Sutkus: um olhar livre, Os Caprichos, de Goya e Mulheres no Acervo MON.CORVOS DE VAN GOGHDia 8, tera-feira,, 19 horas, no SESC gua Verde, Av. Repblica Argentina, 944, no evento Van Gogh, olhares infi-nititos ser lanado o livro de poemas Os Corvos de Van Gogh da escritora e poeta premiada Isabel Furini e a expo-sio de artes plsticas dos artistas Ana Lucia Procopiak, ngelo Hasse, Carlos Zemek, Cludia de Lara, J. Bonatto, JD.Chardulo, Mari Ins PIekas, San-dra Hiromoto, e esculturas de Zardo. Curadoria: Mrcia Szliga. A entrada franca.O objetivo fazer uma releitura da obra de Van Gogh com diferentes olha-res artsticos: Poesia, Escultura e Artes plsticas. A proposta reunir pes-soas com olhares diferentes, mas todos apaixonados pela obra do grande mestre Van Gogh. Cada artista teve a liberdade de expressar a sua viso. O resultado so telas muito diferentes, e muito criativos.CAMPAGNOLO V GARGALOS NA LAPA Edson Campagnolo, presidente da FIEP, costuma dizer que conhe-cer o dia a dia das indstrias paranaenses fundamental para pautar o trabalho da Federao. Ele afirma que, a cada visita que faz, ficam mais claras as dificuldades encontradas pelo setor industrial brasileiro, que precisa superar inme-ras deficincias para manter a produo. Com essas visitas, percebemos na prtica os efeitos do processo de desindustrializao que o pas vem atravessando, disse.COM FURIATI dentro desse esprito que Campagnolo visitou na quarta-feira (2) o municpio da Lapa, na Regio Metropolitana de Curitiba. Campagnolo conheceu as instalaes de trs indstrias da cidade e se reuniu tambm com o prefeito Paulo Furiati. Os compromissos fazem parte de uma pro-gramao de visitas institucionais que o presidente da Fiep vem fazendo em todas as regies do Estado desde o incio deste ano.FALTAM TRABALHADORESNa Lapa, a primeira visita a indstrias foi unidade de Seara. Instalada no municpio h 36 anos pela empresa Da Granja, a fbrica foi adquirida pela Seara h 3 anos. Atualmente, conta com 2.350 funcionrios, abate 175 mil frangos por dia e produz 900 toneladas de congelados por ms. Do total da produo, 35% so voltados para o mercado interno, 35% exportados para a Europa e 30% destinados a outros pases.Durante a visita, representantes da empresa falaram sobre as difi-culdades para a contratao de mo de obra qualificada, apontando a necessidade de investimentos em automao.DIAGNSTICO O Sistema Fiep, por meio das unidades do Senai instaladas na regio, far um diagnstico da situao da empresa a fim de propor solues para o problema. Alm disso, a empresa mostrou interesse em implan-tar o Carto Sesi, pelo qual os funcionrios tm acesso a atendimento odontolgico, e tambm realizar um diagnstico de sade e segurana dos trabalhadores.A BOSCH Em seguida, Edson Campagnolo visitou a unidade de metalurgia indus-trial da Bosch, tambm instalada na Lapa. A empresa fabrica entre 400 e 500 toneladas por ms de equipamentos de grande porte para caldeiraria. A maior parte da produo cerca de 90% destinada ao mercado in-terno, atendendo indstrias de setores como papel e celulose, alimentos, qumica e petroqumica e saneamento. Os 10% restantes so exportados, principalmente para pases do Mercosul.Encerrando a programao, o presidente da Fiep visitou as instalaes da Potencial Biodiesel, empresa que deve comear a operar no municpio em at trs meses.Dinah Pinheiro: livro da IfigniaBento Garcia Junior: leitor valiosoEdson Campagnolo: desindustrtializao, de fatoCuritiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A4 | Indstria&ComrcioGeral/CuritibaGoverno e Prefeitura iniciam implantao de segunda UPSParolinA ao mobilizou 300 policiais militares e civis e 52 guardas municipaisEm uma operao concen-trada de segurana pblica, policiais militares, civis e guardas municipais ocuparam as ruas do bairro Parolin ontem para a implantao da segunda Unidade Paran Seguro (UPS) do estado, em Curitiba. A ao mobilizou 300 po-liciais militares e civis e 52 guardas municipais.O local foi escolhido por ser considerado um bairro violento com alto ndice de homicdios. Proporcionalmente um dos bair-ros mais violentos de Curitiba, afirmou o coronel Cesar Alberto Souza, subcomandante da Polcia Militar e coordenador das UPSs no Estado.Junto com a operao policial, a Prefeitura de Curitiba mobilizou as secretarias municipais para reforar a oferta de servios na regio. Por determinao do prefeito Luciano Ducci est sendo feito o reforo da iluminao p-blica no bairro, obras de roadas e limpeza de terrenos baldios. A Fundao da Ao Social (FAS) tambm est oferecendo abrigos para moradores de rua e usurios de drogas, afirmou o secretrio municipal da Defesa Social, Nazir Abdalla Chain.Na rea onde vivem 11,5 mil habitantes os policiais fizeram abordagens de suspeitos, ocuparam as ruas e vistoriaram veculos. A ao, na manh desta quinta-feira, resultou na priso de dois homens por trfico de drogas, um deles Operao conjunta entre policiais militares, civis e guardas municipais, para implantao da Unidade Paran Seguro no Parolincom 40 pedras de crack e outro com 5 pedras do entorpecente. Os homens presos em flagrante foram encaminhados ao 2 Distrito Poli-cial. Agentes da Guarda Municipal atuaram na abordagem e em blo-queios nas ruas do bairro.A operao conjunta de ontem faz parte de um processo iniciado h 90 dias pelas foras de segurana e ir culminar com a implantao da 2 Unidade Paran Seguro na capital. Nesse perodo foram cum-pridos mandados de priso e feita a apreenso de armas, drogas e de 11 mquinas caa-nqueis. Hoje a Polcia Militar ir divulgar um balano das apreenses e prises realizadas ontem.A Guarda Municipal de Curi-tiba vai continuar com o trabalho em conjunto com a Polcia Militar durante a implantao da UPS. Foi realizado um levantamento dos cri-mes que acontecem aqui na regio. H muitos registros de trfico de drogas e homicdios, explicou o diretor da Guarda Municipal, Od-gar Nunes Cardoso. O efetivo policial com militares, policiais civis e agentes da Guarda Municipal ir permanecer na regio pelas prximas 24 horas. A partir de ento ser destacado um gru-pamento da PM para a segurana permanente no local. A Prefeitura ir reforar a oferta de servios pblicos j disponveis no local. A previso que at o fim deste ano 10 UPS sejam implantadas em Curi-tiba. A primeira UPS foi implantada com sucesso no Uberaba, no ms de maro. Cerca de 75% da criminali-dade foi reduzida na regio aps a instalao da UPS.Estado libera R$ 4,6 mi para obras em pequenos municpiosO Governo do Estado vai in-vestir na melhoria da qualidade de vida nos pequenos municpios. Em 15 meses, o governo liberou R$ 70 milhes a fundo perdido para 330 municpios investirem em infraestrutura urbana. On-tem, o governador Beto Richa anunciou, durante visita regio Oeste, mais R$ 4,6 milhes para a pavimentao asfltica de ruas, construo de caladas e revita-lizao de praas nas cidades de Guara, Terra Roxa, Marip, Nova Santa Rosa, Mercedes e Diamante do Oeste. Tambm sero feitas aes e obras nas reas da sade, educao e agricultura.O interior do Estado, particu-larmente, os pequenos municpios, precisam de ateno. Vamos traba-lhar para que essas cidades tenham condies dignas de infraestrutura urbana, afirmou o governador. Ele garantiu que at o fim do mandato vai visitar as 399 cidades do Estado. O nosso governo municipalista, e no medimos esforos para atender os problemas dos municpios e garantir mais desenvolvimento, afirmou.Richa lembrou que, no ms passado, o governo estadual libe-rou R$ 112,6 milhes para obras de infraestrutura urbana em 121 municpios do Estado. So R$ 13,8 milhes em recursos a fundo perdido pelo Programa de Recu-perao Asfltica de Pavimento O governador Beto Richa autorizou obras para a pavimentao de vias urbanas, compra de calcrio e leo diesel, para apoiar a agricultura, em Guaira(Recap) e R$ 98,6 milhes para 57 municpios com contratos de financiamento pelo Paranacidade. Em 15 meses, foram liberados R$ 250 milhes em financiamentos e mais R$ 150 milhes aguardam li-berao da Secretaria do Tesouro Nacional. J foram contemplados 95% dos pequenos municpios paranaenses.Em Guara, Richa autorizou a licitao para a pavimentao de 38 quilmetros de ruas e revitali-zao da Praa Castelo Branco. As obras tero investimentos de R$ 1,9 milho, sendo R$ 1,4 milho financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano, atravs do Paranacidade. Ainda na cida-de, o governador entregou a obra de recape asfltico na Avenida Presidente Kennedy, que teve investimento de R$ 254 mil.De acordo com o prefeito de Guara, Manoel Kuba, o municpio est num processo de crescimento populacional e territorial, que exigem investimentos em infraes-trutura.Para Terra Roxa, que tem 16 mil habitantes, o governador assinou contratos com a prefeitura para a pavimentao de ruas e urbaniza-o de caladas. Sero financiados R$ 450 mil pelo programa Para-nacidade. Richa autorizou ainda investimento de mais R$ 206 mil a fundo perdido para recape asfltico e R$ 238 mil para aquisio de um rolo-compactador.Incubadora Tecnolgica obtm recursos do SebraeA Incubadora Tecnolgica de Curitiba, do Instituto de Tecnologia do Paran (Tecpar), ter recursos da ordem de R$ 300 mil para au-mentar seu nvel de excelncia em gesto e auxiliar outras incubadoras a iniciar o trabalho de sistematiza-o de procedimentos e busca da excelncia.A Intec foi uma das contempla-das no Paran em um edital lanado pela Associao Nacional de Enti-dades Promotoras de Empreendi-mentos Inovadores em conjunto com o Servio Nacional de Apoio s Micro e Pequenas Empresas.O edital tem o objetivo de esti-mular incubadoras de todo o pas a adotar o modelo de gesto do Centro de Referncia para Apoio a Novos Empreendimentos. O modelo Cerne uma espcie de guia de boas prticas para incu-badoras e tem quatro nveis de excelncia.A proposta do edital que as incubadoras mais adiantadas no processo de adoo do modelo Cerne, chamadas de nucleadoras (como o caso da Intec), possam adequar seus processos at atingir o nvel mais elevado e, ao mesmo tempo, auxiliem outras incuba-doras, chamadas de nucleadas, a iniciar o trabalho.De acordo com o assessor tc-nico da Intec, Douglas Brunetta, a incubadora do Tecpar faz a maioria de seus procedimentos de acordo com os estgios mais avanados do modelo Cerne, sendo necessrios alguns ajustes. Segundo ele, no caso da Intec, parte dos recursos ser investida na implantao de um software para sistematizar todos os processos internos da incubadora e tambm para capacitar a equipe. Por meio de consultorias e cursos, vamos melhorar a assessoria aos incubados, contribuindo para que eles cresam de forma consistente e desenvolvam seu propsito, que a inovao tecnolgica, disse Bru-netta, destacando que a estimativa de que a Intec se encontre entre os nveis de excelncia dois e quatro.Entre os critrios de excelncia em gesto do modelo Cerne incor-porados rotina da Intec esto a go-vernana corporativa e workshops de atualizao permanente, alm de padres de monitoramento da gesto das empresas incubadas.A Intec concorreu no edital em conjunto com as incubadoras da Universidade Tecnolgica Federal do Paran (UTFPR) de Curitiba e de Ponta Grossa e do Servio Nacional de Apoio Indstria (Senai/Fiep) de Curitiba, que so as nucleadas. Para as incubadoras nucleadas, o edital prev R$ 150 mil.Cohapar retira famlias de reas de risco em Campo LargoA Cohapar e a Caixa Econmica Federal entregaram ontem mais 34 casas do PAC Campo Largo, na Regio Metropolitana de Curitiba. As moradias, referentes terceira etapa do programa no municpio, atendem famlias que viviam em reas de risco no bairro Ferraria. O presidente da companhia, Mou-nir Chaowiche, e a secretria da Famlia e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, participaram da solenidade.Outras 26 famlias j foram atendidas nas etapas anteriores. O investimento total do projeto, que prev 96 casas, de R$ 2, 9 milhes provenientes do Ministrio das Cidades e repassados pela Caixa Econmica Federal. A contrapar-tida do Governo do Estado de R$870 mil e outros R$235 mil so do PAC/FHNIS (Fundo Nacional de Habitao de Interesse Social).Alm das casas, o projeto prev infraestrutura urbana com rede de abastecimento de gua e coleta de esgoto, energia eltrica, iluminao pblica, servios de terraplanagem e trabalho social (realizado pela equipe da Cohapar).Tambm estamos trazendo mais uma creche e um Armazm da Famlia para a regio. Vamos proporcionar uma vida nova para as famlias que viviam nessas reas imprprias, disse Fernanda Richa.Opinio coluna@induscom.com.brPT Vai DE FrUET J! *Ayrton BaptistaFinalmente o PT definiu-se para as eleies municipais deste ano em Curitiba. Vai com Gustavo Fruet j no primeiro turno, que-brando uma tradio desde a fundao do partido. Vai agora, mas de olho em 2014, com base no que tem visto pelo retrovisor. Os petistas esto querendo quebrar esta continuidade conservadora que comanda a capital. Por sua vez, Fruet quer ver Lula por aqui sem pedido de desculpas, muito menos perdo por um passado ainda recente. Afinal, quando era uma pedra no sapato do ento presidente e em geral do PT, Gustavo Fruet era um atuante deputado federal dos tucanos. Estava cumprindo seu papel de oposicionista, da mesma forma com que Lula e seus correligionrios atuaram no passado e moderaram mais recentemente, pois a poltica dinmica, assim como o futebol uma caixinha de surpresas.Os deputados Tadeu Veneri e Dr. Rosinha j apontam para uma aliana importante com o PDT, da base do governo federal e que hoje lana Fruet, e o PT, que espera mudar tudo em Curitiba agora e no estado daqui a dois anos, colocando a ministra e senadora Gleisi Hoffmann no lugar de Beto Richa no Palcio Iguau. Em ambos os casos, mudanas significativas, assim como um basto que cai, talvez dois se o sucesso for duplo. Vencida a tese de apoio e da aliana, no faltou petista com linguagem tucana, de que tudo foi bem, que a unio partidria saiu vitoriosa e que, agora, o momento de trabalhar conforme a deciso majoritria. Prova, ento, de que na verdade somos todos iguais, temos partidos que danam conforme a msica e homens pblicos da mesma forma. Gustavo Fruet est pronto, os tucanos no souberam aproveit-lo, como j havia ocorrido com Requio e com alguns amigos do ento comandante peemedebista. E quem se prepara cada dia e cada momento para grande luta municipal de outubro o atual prefeito. Luciano Ducci foi Dilma, nossa presidenta, postou-se muito prximo dela, afinal no s pertence outro partido da base, o PSB, como demonstra ter bastante proximidade com a chefe da Nao. Ao menos nas fotografias que a imprensa curitibana publicou com o justo e prximo destaque. Se vale a proximidade estampada, Dilma Rousseff tem um problema a encarar: ou vai com o PT que apia Fruet, este sem foto prxima, ou vai de PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, lder socialista com srias e naturais pretenses na poltica brasileira.O prefeito Ducci vai, naturalmente, redobrar o seu trabalho. No gabinete, nos bairros, na tev, vigiando o seu pessoal na Cmara da capital. Larga Roberto Hina to logo este foi flagrado entre os gastadores da Cmara. Fica com a liderana de Serginho do Posto, o que equivale a dizer que este vereador nada recebeu para fazer a sua prpria promoo. Mas leitor assduo, acompanhante dos fatos polticos, de se presumir que o nosso prefeito sabia o que se passava na nossa cidade. Os vereadores recebiam para pagar programas de horrio comprado das rdios, usavam agncias de publicidade para receber um carvozinho e manterem-se em campanha permanente, mesmo que isto tenha afastado da disputa honesta os que no tinham mandato e se aventuraram a disputar com eles uma vaga no Palcio Rio Branco.A disputa municipal de outubro agora tem mais alguns ingre-dientes. O primeiro, talvez, seja saber quem pode ou no pleitear a reeleio. Mais de um vereador ou ex foram claros, ainda que beneficiados por verbas pblicas isto uma barbaridade.*Ayrton Baptista, jornalista. Lanada agenda positiva com a ACPA Cmara Municipal apre-sentou, em reunio na noite de quarta-feira (2) com o Conselho Poltico da Associao Comercial do Paran (ACP), proposta de se criar uma agenda positiva com a entidade. A ideia foi lanada pelo presidente da Casa, verea-dor Joo Luiz Cordeiro (PSDB), acompanhado do diretor-geral do Legislativo, o administrador de empresas Vincios Jos Brio. O vereador disse que a Cmara e a ACP precisam unir propostas em prol de Curitiba, para que faam o intermdio entre os comerciantes e o Legislativo, em meio ao crescimento da cidade e da regio metropolitana. Nossa proposta no diferente da que possui a Associao Comercial do Paran. Precisamos de uma cidade melhor para viver, ava-liou. Para Cordeiro, importante dar ateno aos centros comer-ciais dos bairros da capital, em regies em expanso como a do Tatuquara. O presidente afirmou que a ideia criar um conselho de parlamentares que faa essa ponte com a ACP, para que a Cmara discuta tudo o que diz respeito a Curitiba e a entidade acompanhe questes como a tramitao de projetos ligados sua rea de atuao. Esse tempo para a discusso, para o gestor, um investimento, avaliou Cordeiro, ex-membro da entidade, que destacou sua ligao e de sua famlia com o comrcio. A ACP pode ter par-ticipao efetiva no Legislativo. Marco Antnio Peixoto, coor-denador do Conselho Poltico, salientou o momento de reno-vao pelo qual a Casa passa. O presidente da ACP, Edson Jos Ramon, sinalizou: Seremos o grande parceiro da Cmara. Ambos avaliaram como positiva a parceria para a discusso do crescimento e desenvolvimento da capital.A ACP tambm apresentou propostas ao Legislativo Mu-nicipal, como a realizao de um seminrio sobre questes relevantes cidade, o envolvi-mento do Executivo no debate e a designao de pessoas para acompanhar permanentemente a tramitao de proposies de interesse do comrcio. Entre as demandas dos conselhei-ros est o estacionamento em vias do municpio, a reforma dos banheiros pblicos e o combate pichao. Neste caso, o presidente da Cma-ra sugeriu a criao de uma campanha conjunta para cons-cientizar os jovens, alm de se intensificar a fiscalizao. Cordeiro enfatizou que a nova administrao da Casa tem bus-cado criar uma agenda positiva em todas as suas aes. Tudo o que fao eu gosto, e gosto de fazer bem feito, de administrar com eficincia e eficcia, refor-ou. Aps contatos j realizados com o Tribunal de Contas, o Ministrio Pblico e o Tribunal de Justia do Paran, a ideia que a Cmara sedie uma srie de debates sobre temas de in-teresse pblico. Os vereadores tm contribudo com sugestes para a pauta dos eventos, que devem reunir parlamentares, especialistas nas reas em ques-to e a populao.Economia Indstria&Comrcio | Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A5desaquecimentoProduo industrial diminui 0,5% em maro, mostra IBGEInstituto revela que houve queda em 18 dos 27 ramos pesquisados naquele msA produo industrial brasi-leira voltou a cair em maro, com uma reduo de 0,5% em relao a fevereiro, de acordo com os nme-ros divulgados nesta quinta-feira (03/05) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE). Em relao a maro de 2011, a queda foi de 2,1%, o que configura o stimo resultado negativo con-secutivo nesse tipo de compara-o. Embora tenha registrado uma expanso de 1,3% em fevereiro, o setor industrial j acumula em 2012 uma queda de 3%.De acordo com o IBGE, a produo industrial apresentou recuo em maro, em 18 dos 27 ramos pesquisados, com des-taque para equipamentos de instrumentao mdico-hospi-talar, pticos e outros (-10,1%); material eletrnico, aparelhos e equipamentos de comunicaes (-6,9%); edio, impresso e re-produo de gravaes (-7,1%) e refino de petrleo e produo de lcool (-3,6%). Com exceo de material eletrnico, esses ramos tinham registrado resultados positivos em fevereiro.Entre as nove atividades que tiveram crescimento na produ-o em maro, a que exerceu maior influncia sobre o total da indstria foi a de veculos auto-motores, com uma alta de 11,5%. O ramo, que em janeiro tinha registrado uma queda de 31,2%, j acumula dois meses consecuti-vos de resultados positivos, com uma expanso de 26,2%.No entanto, no confronto com maro de 2011, o ramo de pro-duo de veculos automotores o que mais influiu negativamente no resultado mdio da indstria, com um recuo de 7,5%. Outras contribuies negativas para a queda de 2,1% em relao a maro do ano passado vieram dos segmentos material eletr-nico, aparelhos e equipamentos de comunicaes (-18,4%); m-quinas, aparelhos e materiais eltricos (-10,8%); produtos de metal (-9,8%) e metalurgia b-sica (-6,5%).Na comparao maro a mar-o, onze ramos registraram taxas positivas, com destaque para equipamentos de transporte (11,3%), bebidas (6,8%) e outros produtos qumicos (2,9%).Roosewelt Pinheiro/ABrO Brasil dever ter uma expan-so no setor eltrico at 2020. Cerca de 80% dessa expanso esto base-ados em energia hidreltrica, elica e biomassa, que o uso de matria orgnica na gerao de energia.De acordo com o secretrio de Planejamento e Desenvolvimen-to Estratgico do Ministrio de Minas e Energia, Altino Ventura, diversos fatores favorecem o uso de energias renovveis no pas: a sustentabilidade, o grande poten-cial brasileiro, o custo menor em comparao com outras fontes e a tecnologia j adquirida. Isso mostra que o Brasil tem uma poltica e est no caminho certo, disse ele ao participar de audin-cia pblica no Senado.Altino Ventura disse ainda que para atingir a meta de ampliao do setor eltrico at a prxima dcada preciso investir 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional no setor. Nunca o pas fez um esforo energtico dessa dimenso, comentou.O representante do Frum Bra-sileiro de Mudanas Climticas, Neilton Fidelis, lembrou que, no caso brasileiro, a participao da energia nas emisses totais de di-xido de carbono menor que em outros pases. Enquanto a energia brasileira responsvel por 16,5% das emisses, nos Estados Unidos esse ndice chega a 89%.Fidelis lembrou que, no mun-do, 1,3 bilho de pessoas no tem acesso energia eltrica. Sero necessrio 40 anos para levar energia a toda a sia e 80 anos para abastecer toda a frica Sub-saariana, afirmou. O ndice de desenvolvimento humano ainda est muito vinculado ao consumo de energia, completou.Brasil ter de investir 2,6% do PIB para ampliar setor eltricoDe acordo com o secretrio de Planejamento e Desenvolvimento Estratgico do Ministrio de Minas e Energia, Altino Ventura, diversos fatores favorecem o uso de energias renovveis no pasA estratgia de apostar no poder de consumo da nova classe mdia brasileira conti-nuar a ser seguida pelo Banco do Brasil (BB), que deve anun-ciar, nesta sexta-feira (04/05), novas medidas envolvendo o programa Bom pra Todos, com linhas de crdito ainda mais acessveis. As novas redues na taxa de juros cobrada sobre os fi-nanciamentos, no entanto, s devem contemplar, desta vez, as operaes voltadas para as pessoas fsicas.Segundo o balano finan-ceiro da instituio divulgado nesta quinta-feira (03/05), o Bom pra Todos, lanado no ms passado com linhas de financiamento a juros me-nores, tanto para pessoas fsicas quanto para pequenas e mdias empresas, encerrou abril com adeses superiores a 124 mil pacotes de servios. O vice-presidente de Gesto Fi-nanceira, Mercado de Capitais e Relaes com Investidores do BB, Ivan Monteiro, infor-mou que, no caso das pessoas fsicas, os desembolsos dirios aumentaram em mais de 50% passando de R$ 190,5 milhes para R$ 288,5 milhes.Monteiro disse que h uma perceptvel migrao de clien-tes de instituies do setor privado depois da poltica de reduo das taxas de juros. So-bre o novo pblico que passou a integrar a base de corren-tistas, com a ascenso para a classe mdia, o executivo disse que o objetivo o de estar cada vez mais prximo desses clientes oferecendo opes de crdito a custos bem inferiores aos do mercado e aos que eles tinham acesso anteriormente, como exemplo agiotas e coisas do gnero.Apesar da maior facilidade de acesso ao crdito, o BB, de acordo com Monteiro, no tem se descuidado da avaliao do risco na hora de emprestar o dinheiro, tanto que a inadim-plncia tem-se mantido abaixo da mdia do mercado. No pri-meiro trimestre, as operaes vencidas h mais de 90 dias alcanaram 2,2% da carteira de crdito ante os 3,7% regis-trados no Sistema Financeiro Nacional.O crdito concedido pes-soa fsica somou R$ 133 bi-lhes, alta de 14,2% em relao ao registrado h um ano. Esse volume corresponde a 28,1% da carteira total da institui-o. As operaes do crdito consignado atingiram R$ 52,6 bilhes, com um crescimento de 14,3%. J os financiamen-tos para as empresas aumen-taram 17,8%, totalizando R$ 211,4 bilhes.Quanto queda de 14,7% no lucro lquido, no primeiro trimestre, cujo volume atin-giu R$ 2,5 bilhes, Monteiro explicou que isso se deve a questes sazonais. Ele acredi-ta, no entanto, que esse fator no comprometer as metas de desempenho ao longo do ano.Banco do Brasil vai reduzir ainda mais taxas de juros das linhas de crditoO Brasil foi o principal re-ceptor de investimento estran-geiro direto (IED, recursos que vo para o setor produtivo do pas) na Amrica Latina e no Caribe, em 2011, segundo relatrio da Comisso Econ-mica para a Amrica Latina e o Caribe (Cepal), divulgado nesta quinta-feira (03/05). O relatrio Investimento Estrangeiro na Amrica Lati-na e Caribe mostra que o pas recebeu US$ 66,7 bilhes, 43,8% do total de fluxos para a regio. Depois do Brasil vm o Mxico (US$ 19,4 bilhes), o Chile (US$ 17,3 bilhes) e a Colmbia (US$ 13,2 bilhes).No total, a Amrica Latina e o Caribe receberam o volume recorde de US$ 153,4 bilhes em investimento estrangeiro direto em 2011, o que re-presenta 10% desses fluxos mundiais. Em 2010, a regio recebeu US$ 120,9 bilhes. O valor histrico mximo ante-rior havia sido registrado em 2008 (US$ 137 bilhes).Segundo a Cepal, h uma especializao produtiva na Amrica Latina e no Caribe. No Brasil, os setores de manu-faturas e servios receberam 46,4% e 44,3%, respectiva-mente, enquanto o de recursos naturais ficou com 9,2%.De acordo com o relatrio, a Unio Europeia (UE) a maior investidora na Amrica Latina e no Caribe. Na ltima dcada, a UE investiu, em mdia US$ 30 bilhes por ano na regio, 40% do total recebido. Esses investimentos foram direcionados principal-mente para a Amrica do Sul e esto diversificados em vrios setores, com destaque para segmentos estratgicos, como energia eltrica e bancos.Devido incerteza do cen-rio internacional, a Cepal pro-jeta que em 2012 as entradas de IED na regio podero ter variao entre -2% e 8%, em relao s de 2011.Pas foi principal destino de investimentos estrangeiros em 2011 na Amrica LatinaA venda de veculos no Brasil caiu 9,95% no ms de abril, em comparao com o mesmo per-odo do ano passado, segundo ba-lano divulgado nesta quinta-feira (03/05) pela Federao Nacional da Distribuio de Veculos Au-tomotores (Fenabrave). Em abril, foram emplacados 406.496 novos veculos. Na comparao com maro deste ano, tambm houve queda, de 15,96%. A projeo de crescimento no setor em 2012 caiu para 3,4%, antes a previso era 5,76%.O segmento automveis teve o pior resultado desde abril de 2009, registrando queda de 10,84% nas vendas em relao a abril de 2011. Somente o segmento de mquinas agrcolas teve alta ante abril do ano passado, com 4,84%. A comercializao de nibus foi a que registrou maior queda, com -21,47%. Os demais segmentos que registraram baixas foram: motos (-9,5%), caminhes (-19,77), implementos rodovi-rios (-14,86) e comerciais leves (-8,31%).No segmento de automveis e comerciais leves, a empresa com maior participao no mercado a Fiat, com 21,86% do total de vendas, seguida pela Volkswagen, com 20,8%.Venda de veculos tem queda de 9,95% em abril, diz FenabraveEmpresas brasileiras inte-ressadas em abrir novas fbri-cas ou financiar investimentos em setores tecnolgicos fora do pas podem procurar, a par-tir desta quinta-feira (03/05), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Ligado ao Ministrio da Cincia, Tec-nologia e Inovao, o rgo anunciou nesta quinta (03/05) linhas de crdito para essas atividades, tradicionalmente financiadas por bancos p-blicos.De acordo com o presiden-te da Finep, Glauco Arbix, o objetivo fazer com que as empresas estendam a atuao no mercado, investindo nos setores prioritrios do go-verno, entre eles, o complexo industrial da sade, a defesa, a tecnologia da informao, alm do setor de petrleo e gs.O foco (da linha) so em-presas que ousem lanar novos produtos ou que entrem em reas nas quais no estariam capacitadas, mas que, ao cons-trurem unidades produtivas, tenham condies de enfren-tar a competio do mercado interno e externo, disse o presidente da Finep.Segundo Arbix, a Finep quer participar de todas as fases de instalao e fun-cionamento das empresas. Quando a empresa vem nos procurar para tecnologia, tam-bm precisa de capital de giro, de se expandir e de exportar. Vamos atender em todo esse espectro a rea de tecnologia, explicou.O montante destinado linha de financiamento no foi definido e depender da demanda. A previso da Finep que cada projeto pea entre R$ 100 milhes e R$ 300 milhes.O pagamento poder ser feito em at 12 anos e a carn-cia pode chegar a quatro anos e meio. J os juros vo variar entre 4% e 5%, dependendo da modalidade de contratao.Finep vai financiar instalao de fbricas e investimentos no setor tecnolgico fora do pasO ndice de Confiana de Servi-os (ICS), apurado pela Fundao Getulio Vargas (FGV) e que serve como referncia para medir a con-fiana dos empresrios no setor, registrou queda de 4,8% em abril deste ano, na comparao com o mesmo ms do ano passado. De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (03/05) pela FGV, a pontuao do ndice passou de 135,3 para 128,8. Em maro deste ano, o ICS apresentou queda de 1%.Para a FGV, o resultado de abril na comparao anual foi influencia-do pelas avaliaes dos empresrios em relao ao momento presente. Houve queda de 8,3%, contra a de 2,7% registrada em maro, levando a taxa ao pior resultado desde ou-tubro de 2009 (-8,7%).J o ndice que mede as expec-tativas dos empresrios continua com os resultados mais favorveis do que os observados na avaliao do momento presente, o que para a FGV pode ser reflexo de uma percepo de melhora gradual no nvel de atividade econmica nos prximos meses. A proporo das empresas que preveem crescimento passou de 51,8% em abril de 2011 para 49,2%, em abril de 2012, en-quanto a parcela das que esperam queda passou de 3,5% para 3,7%.Para a apurar o ICS de abril, a Fundao Getulio Vargas obteve entre os dias 2 e 26 do ms infor-maes de 2.846 empresas que eram responsveis por um total de 748 mil pessoas ocupadas ao final de 2008.O ndice de Preos ao Consu-midor Semanal (IPC-S) diminuiu em cinco das sete capitais pes-quisadas pela Fundao Getulio Vargas (FGV) na ltima semana de abril. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (03/05), o maior decrscimo foi observado em Braslia, cuja taxa passou de 0,59%, na semana de 22 de abril, para 0,36%, na de 30 de abril.O IPC-S tambm ficou menor em Salvador (de 0,31% para 0,17%), Recife (de 0,61% para 0,56%), Porto Alegre (de 0,61% para 0,56%) e So Paulo (de 0,58% para 0,51%), que a capital com maior peso na formao do ndice. Por outro lado, em Belo Horizonte a taxa aumentou de 0,47% para 0,52% e no Rio de Janeiro, de 0,68% para 0,70%.O IPC-S mede, toda semana, a inflao mensal nas classes de despesa alimentao; habitao; vesturio; sade e cuidados pessoais; educao, leitura e re-creao; transportes; e despesas diversas. Na leitura da ltima semana de abril, a taxa mdia f icou em 0,52%, 0,05 ponto percentual abaixo da divulgada na apurao anterior.ndice de Confiana de Servios cai 4,8%Cinco capitais tm inflao menorEm abril, foram emplacados 406.496 veculos. Na comparao com maro, tambm houve queda, de 15,96%Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A6 | Indstria&ComrcioNacionalTrabalhismo est na memria dos brasileiros por estar associado a uma longa trajetria de conquistas sociaisMinistrio do trabalhoEspanha deve priorizar saneamento do setor bancrioBrasil e frica discutem no Rio novas oportunidades de parceriaDilma: Brasil est na contramo do desemprego enfrentado pelos pases ricosAo dar posse ontem, ao mi-nistro do Trabalho, Brizola Neto, a presidenta Dilma Rousseff disse que o Brasil est na contramo do que chama de quadro sombrio do desemprego e precarizao do trabalho enfrenta-do pelos pases desenvolvidos.Apesar dos impactos inevitveis da crise internacional, o Brasil pas-sa por um perodo de expanso do emprego. Trata-se de um contraste gritante em nosso favor quando se compara com situao vivida pelas economias desenvolvidas, disse durante o discurso.Dilma atribuiu esse movimento inverso do Brasil a uma nova forma de conceber o desenvolvimento com estabilidade macroeconmica, garantido por meio do compromis-so sistemtico com o controle da inflao e dos esforos para manter a robustez fiscal do pas.A presidenta disse ainda que o Brasil tem trs grandes problemas para serem solucionados. A redu-o das taxas de juros para nveis compatveis com o praticado no mercado internacional, tema que tem se tornado recorrente nos seus discursos, foi o primeiro citado.Em seguida, acrescentou o segundo item da lista tratando do cmbio. Queremos que o nosso cmbio no seja objeto de polticas monetrias expansionistas que, de forma artificial, sobrevalorizem a moeda brasileira e tornem, tambm de forma artificial, nossos produtos pouco competitivos, a chamada amarra do cmbio.O terceiro tema relacionado por Dilma Rousseff entre os trs grandes problemas que o Brasil precisa resolver foi a elevada carga tributria, prometendo que tam-bm queremos que o pas tenha impostos mais baixos.No discurso, a presidenta Dilma lembrou que superar essas amarras no um processo que se d de forma rpida. Ela ainda citou a capacitao dos trabalhadores como fator impor-Antonio Cruz/ABrA presidenta Dilma Rousseff d posse ao novo ministro do Trabalho, Brizola Neto, em cerimnia no Palcio do Planaltotante para fazer o crescimento do em-prego e da renda no pas avanar.O nome de Brizola Neto foi anunciado pelo Palcio do Planalto na ltima segunda-feira (30) para assumir o ministrio do Trabalho. Aos 33 anos, ele o mais jovem ministro do atual governo. Neto do ex-governador Leonel Brizola (que morreu em 2004), nasceu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e est no segundo mandato como deputado federal pelo Rio de Janeiro.Brizola assume o cargo no lugar do interino Paulo Roberto Santos Pinto, que substituiu o ento minis-tro Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, em dezembro de 2011.Brizola Neto diz que ministrio precisa ser gilO Ministrio do Trabalho pre-cisa ser gil para estar altura dos desafios do pas, disse o novo ministro do Trabalho, Brizola Neto, no discurso de posse. Ele destacou que a pasta pre-cisa se esforar para acompa-nhar tanto o avano tecnolgico quanto o crescimento econmico nacional. preciso que [o ministrio] seja gil, transparente, inovador, precisa fazer parte da discusso e da implementao de polticas sociais que nos conduzam a cami-nhos que se abram para o nosso pas, disse.Brizola Neto lembrou emocio-nado da figura do av dele, Leonel Brizola, como pea fundamental de sua atuao poltica. O sobrenome que possuo integra uma linhagem de brasileiros ilustres, que se inicia com Getlio Vargas, Joo Goulart e da figura saudosa de meu av, Leonel Brizola. Esse sobrenome indissoluvel-mente ligado a essa trajetria his-trica que agora se redesenha em Luiz Incio Lula da Silva e a com a presidenta Dilma Rousseff, disse.O ex-ministro do Trabalho Paulo Roberto Pinto lembrou das con-quistas do ministrios nos ltimos anos como a implementao das novas regras para o ponto eletr-nico e a criao do grupo mvel de fiscalizao de grandes obras.Brizola Neto tomou posse hoje depois de cinco meses da sada de seu antecessor, Carlos Lupi, que deixou o ministrio por denncias de irregularidades na pasta. Paulo Roberto Pinto assumiu a pasta como ministro interino.Salrio mnimo deve ter reajuste de 7% em 2013O relator do projeto que define as diretrizes para a elaborao e execuo da Lei Oramentria de 2013 (LDO), senador Antonio Car-los Valadares (PSB-SE), disse, em entrevista Rdio Senado, que o salrio mnimo deve ter um reajuste de 7% em 2013.Valadares avalia que esse o nmero mais importante da LDO 2013. O valor deve subir dos atuais R$ 622 para R$ 668,75 a partir de janeiro do prximo ano, com pagamento em fevereiro.O senador lembrou que, no per-odo em que governou Sergipe, entre 1987 e 1990, a luta era para que o salrio mnimo chegasse a US$ 100 dlares. Hoje, o valor j ultrapassa os US$ 300 dlares. uma alegria muito grande, foi uma luta tremenda, porque o que se pensava na poca que a gente poderia chegar a 100 dlares. Hoje chegamos ao topo daquilo que ansivamos. Mas ainda no o suficiente para resolver todos os problemas do trabalhador, daque-le que s sobrevive com o salrio mnimo.ParmetroA Lei de Diretrizes Oramen-trias serve de parmetro para a elaborao do Oramento da Unio. O texto foi enviado ao Congresso Nacional pelo Ministrio do Plane-jamento no dia 13 de abril.Na proposta encaminhada pelo Executivo (PLCN 3/2012), considera-se um crescimento da economia de 5,5% no ano que vem. Para a inflao, a estimativa da equipe econmica de 4,5% no perodo de 2013 a 2015. A propos-ta tambm prev que o governo ir economizar R$ 156 bilhes no ano que vem para pagar os juros da dvida.Pela Constituio Federal, o projeto da LDO deve ser votado at julho, antes do recesso parla-mentar. O cronograma de trabalho da Comisso Mista de Planos, Oramentos Pblicos e Fiscaliza-o (CMO) prev que o relatrio preliminar sobre a proposio seja apresentado at o dia 8 de maio. A votao final est marcada inicial-mente para o dia 1 de julho. Senador Antonio Carlos ValadaresA Espanha deve dar prioridade ao saneamento de seu setor banc-rio, muito fragilizado pela crise do setor imobilirio, declarou o porta-voz do FMI (Fundo Monetrio Internacional), Gerry Rice, durante coletiva de imprensa.Uma das prioridades da pr-xima fase de estratgia de reforma do setor financeiro deveria ser resolver verdadeira e completa-mente a questo dos ativos txicos herdados da bolha imobiliria dos anos 2000, declarou Rice durante coletiva de imprensa.H diferentes formas de aplicar os remdios. Um diagnstico com-pleto necessrio e primordial que se leve em considerao uma auditoria dos ativos desses bancos antes de qualquer deciso final, pediu Rice ao ser perguntado so-bre as recomendaes do Fundo Espanha.Contudo, os bancos devem ser estimulados a sanear o mais rpido possvel suas contas, disse Rice.O Banco Central Europeu se expressou em termos parecidos nesta quinta-feira, aps encerrar em Barcelona uma reunio de seus governadores em Barcelona (Espanha).O pas no tem outra opo alm de prosseguir com sua estratgia de reformas e solucionar as vul-nerabilidades persistentes de seu sistema financeiro, assim como de dot-lo das reservas adequadas, disse Rice.Dezenas de empresrios e au-toridades do Brasil e de diferentes pases da frica reuniram-se na sede do Banco Nacional de Desen-volvimento Econmico e Social (BNDES), no Rio, para discutir novas oportunidades de parceria entre o Brasil e a frica.Segundo o vice-presidente do BNDES, Joo Carlos Ferraz, o seminrio Investindo na fri-ca: Oportunidades, Desafios e Instrumentos para Cooperao Econmica, que marca as come-moraes dos 60 anos do banco, mostra a importncia do Conti-nente Africano para o Brasil e a necessidade de se conhecer me-lhor as propostas africanas para viabilizar projetos de interesse comum.Se h 60 anos esse banco foi criado, inclusive com a assistncia tcnica de organismos internacio-nais, com foco no desenvolvimento integrado, hoje esse evento sim-boliza e aponta um dos caminhos para o Brasil e para o BNDES nos prximos 60 anos, que o Conti-nente Africano.O embaixador do Zimbbue, Thomas Sukutai Bvuma, decano do Corpo Diplomtico da frica no Brasil, disse que no faltam oportunidades de negcios na frica, em setores como minera-o, agricultura, energia, infra-estrutura, indstria e turismo. Ele criticou, entretanto, o que chamou de hesitao de empresas estrangeiras em agregar valor aos produtos africanos. Os pases da frica tambm encontram dificuldade de obten-o de linhas de crdito e de inser-o nos mercados internacionais, sobretudo para produtos manufa-turados, porque no oferecem as garantias tradicionais, comentou Bvuma. Ele lamentou as poucas ligaes areas e martimas entre a frica e o Brasil e pediu maior flexibilidade na considerao de garantias e condies de paga-mento e mais viabilidade de pro-jetos, alm de maiores garantias soberanas de linhas de crdito.Convidado de honra do evento, o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva disse que o Brasil pode e deve dar apoio tcnico e de infraestru-tura para que a frica se torne au-tossuficiente em vrias reas, como educao, energia e sade.AL recebe investimento estrangeiro direto recordeA Amrica Latina recebeu em 2011 uma cifra recorde de IED (In-vestimento Estrangeiro Direto), de US$ 153 bilhes, o que representa 10% do fluxo mundial no perodo, informou nesta quinta-feira a Cepal (Comisso Econmica para Amri-ca Latina e Caribe).A apresentao dos dados foi feita em Santiago, sede do organismo liga-do ONU. Em 2010, Amrica Latina recebeu US$ 120,880 bilhes, contra US$ 81,589 bilhes em 2009. A m-xima histrica anterior foi de 2008, quando os ingressos totalizaram US$ 137,001 bilhes.Trata-se de um montante hist-rico, que poder ser superado este ano, informou a Cepal.Segundo as previses da Cepal, o IED na Amrica Latina flutuar este ano entre uma queda de 2% e um aumento de 8%.Apesar da incerteza que ainda reina nos mercados financeiros globais, as economias da Amrica Latina e do Caribe atraram signi-ficativos volumes de investimento estrangeiro direto em 2011, que devem se manter altos em 2012, disse a secretria-executiva da Ce-pal, Alicia Brcena, ao apresentar o relatrio em Santiago.Em 2011, 46% dos ingressos do IED corresponderam ao setor de utilitrios, o que, segundo a Cepal, reflete a confiana das empresas transnacionais e as oportunidades de negcios na regio, que no ano passado apresentou expanso de 4,3%. Para 2012, a Cepal prev uma leve desacelerao das eco-nomias latino-americanas, com uma expanso mdia de 3,7%, em meio a um entorno ainda mais turbulento e incerto, devido ao baixo crescimento dos pases desenvolvidos, de acordo com um relatrio anterior do organismo de dezembro passado.Os fluxos de investimento po-dem ser levemente impactados. Se a crise na zona do euro adquirir dimenses maiores possvel que os investimentos sejam revertidos, especialmente os europeus, mas a cifra continuar sendo alta, disse a Cepal. O pas que mais recebeu investimentos foi o Brasil, com US$ 66,660 bilhes equivalentes a 43,8% do total, seguido por Mxico, com US$ 19,440 bilhes; Chile, com US$ 17,299 bilhes, e Colmbia, com US$ 13,234 bilhes.O Peru recebeu US$ 7,659 bi-lhes, a Argentina US$ 7,243 bilhes, a Venezuela US$ 5,302 bilhes de dlares e o Uruguai US$ 2,528 bilhes.ONU questionar telhado de vidro do Brasil sobre direitos humanosImpunidade, assassinatos, ameaas contra juzes, racismo, 6 milhes de pobres, tortura, sade e educao precrias e trabalho escravo. Essas so algumas das acusaes que o governo brasi-leiro ter de enfrentar no dia 25 de maio, quando a ONU realizar em Genebra avaliao completa da situao dos direitos huma-nos no Brasil, exerccio pelo qual todos os governos so obrigados a passar. Braslia promete enviar uma ampla delegao para se defender.Longe da imagem de cres-cimento e da organizao de eventos esportivos, a diplomacia brasileira ser confrontada com realidade pouco confortvel. A ONU j publicou os documen-tos que serviro de base para a anlise, compilao de tudo o que foi alertado sobre o Pas nos ltimos dois anos por agncias especializadas da ONU. Tais concluses escancaram um Pas bem diferente da imagem da sexta maior economia do mundo. Para a ONU, no h dvidas de que o Pas ainda enfrenta desafios enormes de direitos humanos. A prpria presidente Dilma Rousse-ff j evocou o telhado de vidro do Brasil em relao aos direitos humanos.Segundo a avaliao, a si-tuao da mulher brasileira preocupante. Elas ocupariam os postos de trabalho mais degra-dantes, so vtimas da violncia e tm participao em queda no Congresso. A mortalidade mater-na continua alta e as negras so as que mais sofrem. Em termos de renda, a populao feminina ganha entre 17% e 40% a menos que os homens. Publicidade Legal Indstria&Comrcio | Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A7Empresas&ProdutosToTal paTrocina show da banda rEbEldEsNesse domingo, dia 6, s 19h, no Curitiba Master Hall, acon-tece o show da banda adolescente REBELDES, que ser patroci-nado pelo Shopping Total. A banda formada por Chay Suede, Lua Blanco, Mel Fronckowiak, Sophia Abraho, Micael Borges e Arthur Aguiar, que tambm interpretam os personagens da novela Rebeldes, exibida pela Rede Record. a chance de ver os dolos da Tv de perto. O show traz canes romnticas e tambm uma mistura de msica e tecnologia, contagiando a todos. Alm de msicas prprias, o setlist ser formado por diversos covers de artistas como Lady Gaga, Katy Perry e Shakira. Os ingressos esto venda pelo Disk Ingressos. O Shopping Total ir sortear, em suas redes sociais, 10 ingressos para o show.VarEjo dEVE crEscEr 5% no dia das MEs A CNDL (Confederao Nacional de Dirigentes Lojistas) prev crescimento de 5% nas vendas do varejo para o Dia das Mes 2012, na comparao com o mesmo perodo do ano passado. O nmero calculado com base na estimativa de consultas feitas ao banco de dados do SPC Brasil (Servio de Proteo ao Crdito) para compras no cheque ou credirio. Segundo avalia o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, o cenrio econmico mais favorvel ao consumo, com juros ao consumidor mais brandos e inflao sob controle, um incentivo a mais para que os brasileiros aproveitem a segunda melhor dada festiva para o varejo no ano, perdendo apenas para as vendas de Natal. Os dados econmicos recentes indicam que a recuperao do crescimento interno mais forte j pode ser visto a partir deste segundo quadrimestre, e isso coincidir com as vendas do Dia das Mes e todos os incentivos ao consumo adotados pelo governo com medidas fiscais e monetrias, diz Pellizzaro Junior. Ainda assim, pondera o dirigente lojista, a previso de crescimento de 5% nas vendas timidamente menor que a estimativa feita em 2011 e o resultado apurado pelo SPC Brasil. No ano passado, prevamos uma alta de 6% nas vendas e o nmero veio ligeiramente acima disso, na casa dos 6,53%, relembra o presidente da CNDL.EnconTro para adUlTos E crianasNeste domingo, dia 5 de maio, que promete ser de frio em Curitiba, um bom programa para esquentar a alma o IV En-contro da Famlia, que acontece no Centro de Estudos Espritas Francisco de Assis. O evento, realizado em parceria com a URE/Norte, comea s 14h e se estende at s 18h para uma tarde com msica, teatro, diverso e lanche. gratuito. Informaes pelo 41 3264 2167.aQcEs ExpandE opErao logsTica A AQCES Logstica celebra novo contrato com a Razen, resultado direto de seu desempenho na ltima safra. O acordo sela a expanso das atuais operaes de colheita, transbordo e transporte (CTT) de cana-de-acar na Usina Gasa, em Andradina (SP), e aumenta em 25% o volume de servios prestados pela AQCES companhia. A operao logstica para a Razen passar a contar com 385 funcionrios nos perodos de safra. Alm disso, a AQCES est investindo R$ 6 milhes na aquisio de equipamentos para atender a essa nova demanda. Consideramos essa ampliao de contrato resultado direto dos esforos da AQCES para sempre oferecer as melhores solues logsticas ao cliente, o que passa por mo de obra qualificada, equipamentos de ponta, monitora-mento constante dos ndices de produtividade e a busca em aperfeio-los, comenta Alysson Paolinelli, presidente e CEO da companhia. Na safra 2011, em seu primeiro ano na operao de CTT na Usina Gasa, concorrendo com empresas com quatro anos de atuao nesse segmento, a AQCES foi premiada como a melhor operadora logstica de CTT nas unidades do Grupo Razen.EVEnTo dE priMEira E EM prol dE crianasDois eventos movimentam a Casa da Criana Francisco de Assis em maio. O primeiro deles o Bazar Solidrio, marcado para 11 de maio das 14h s 18h. Roupas, sapatos e acessrios adquiridos a partir de doaes so vendidos a preos que va-riam entre R$ 1 e R$ 25. O outro o Churrasco Beneficente comemorativo ao aniversrio de 58 anos do Centro de Estudos Espritas Francisco de Assis, mantenedor da instituio. O convite custa R$ 40 por pessoa e inclui churrasco completo vontade com salada, arroz e farofa. Bebidas e sobremesas so parte. Crianas at 6 anos no pagam e de 7 a 12 pagam meio ingresso. Quem for vai conhecer o artesanato do Clube de Mes, como os marcadores de livros em formato de menino/menina.Os convites j esto venda no local Rua Pref. ngelo Lopes, 1260, Alto da XV. Mais informaes pelo fone 41 3264 2167. Toda a renda em prol da entidade que atende crianas de 2 a 5 anos em perodo integral.waldo prEpara pizza coM Molho EspEcialO restaurante Waldo X-Picanha tradicionalmente reco-nhecido pelo seu famoso X-Picanha, e muito procurado por seu cardpio variado de sanduches. Mas a casa tambm j destaque pelas suas pizzas. Uma delas a Pizza Barbecue, preparada com mussarela, cheddar, catupiry, azeitona verde recheada, file mignon em cubos e os molhos madeira e barbe-cue. O molho americano faz toda a diferena pelo seu sabor doce e cido ao mesmo tempo. Pode ser saboreada em dois tamanhos, com quatro ou oito fatias ao preo de R$ 32,99 e R$44, respectivamente. So duas lojas, Waldo X-Picanha gua Verde (41 3244 4445) e Waldo X-Picanha Alto da XV (41 3264 4445). Os pedidos tambm podem ser feitos pelo site www.waldoxpicanha.com.br.haco aprEsEnTa colEo dE caladosA Haco renomada empresa brasileira de etiquetas e demais solues em identificao apresenta a coleo Haco para Calados com 21 novos produtos desenvolvidos especialmente para o setor caladista, como etiquetas, tags, fitas, cadaros e tecidos. Alm disso, a coleo composta tambm por acabamentos e detalhes que agregam valor s peas, entre elas, bolsas carteiras e cintos. Os tecidos foram desenvolvidos para fazer a forrao de calados e acessrios. As etiquetas tecidas so usadas para identificar a parte interna dos calados, assim como a lingueta, enquan-to as sintticas servem como detalhes emborrachados. Os cadaros aparecem em verses mais largas para chinelos e como acabamento para outros calados e acessrios, entre eles bolsas e carteiras. Para Alexander Stefan Dattelkremer, CEO da Haco, o lanamento da coleo Haco para Cal-ados chegou para atender a demanda do setor coureiro-caladista, que cresce a cada ano. A nova coleo veio para reforar a nossa expertise em produtos de identificao para este segmento, afirma Stefan.AO MONITRIA N 5050537-29.2011.404.7000/PRAUTOR : CAIXA ECONMICA FEDERAL - CEFRU : JOSE EDUARDO ARAUJO DE ARRUDA GONCALVESEDITAL N. 6113596 CITAO E INTIMAO PRAZO: 20 (VINTE) DIAS A EXCELENTSSIMA SENHORA DOUTORA CLAUDIA CRISTINA CRISTOFANI, JUZA FEDERAL DA 5 VARA DA SEO JUDICIRIA DO ESTADO DO PARAN, NOS AUTOS ACIMA DISCRIMINADOS: FAZ SABER, aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, em especial os RUS JOS EDUARDO ARAUJO DE ARRUDA GONALVES, CNPJ 07.938.140/0001-54 E JOS EDUARDO ARAUJO DE ARRUDA GONALVES, CPF 015.009.249-03, que neste Juzo da 5 Vara Federal, Subseo Judiciria de Curitiba, Seo Judiciria do Paran (Rua Anita Garibaldi, 888, 5 andar, Ah, nesta Capital), processa-se a ao monitria supramencionada, referente ao contrato de abertura de limite de crdito na modalidade GIROCAIXA fcil celebrado em 05/03/2009, vinculado conta corrente 475-4, junto agncia 1524, por no terem sido localizados para citao pessoal, ficam por meio deste CITADOS para que, no prazo de 15 dias, paguem a importncia reclamada ou ofeream embargos, CIENTE de que em caso de pronto pagamento, no incidiro custas e honorrios advocatcios, nos termos do 1 do artigo 1.102c do Cdigo de Processo Civil, e que a no oposio de embargos no prazo de 15 dias, constituir-se- de pleno direito, o ttulo executivo judicial, convertendo-se o mandado inicial em mandado executivo (art.1.102c, caput, 2 parte, do CPC), sujeitando-se os executados ao pagamento de honorrios advocatcios, os quais foram fixados em 10% (dez por cento) sobre o valor do dbito. Ressalta-se que, com o advento da Lei. 11.232 de 12/2005, a execuo de ttulo judicial passa a ser regida pelo rito de cumprimento de sentena, estabelecido a partir do artigo 475-I do CPC. Sendo assim, caso os devedores condenados ao pagamento de quantia certa, no o efetuem no prazo de 15 dias, o montante ser acrescido de multa de 10 %, nos termos do art. 475-J do CPC. O prazo para os devedores pagarem sem multa comea a correr imediatamente aps o trmino de quinze dias para embargar, caso os embargos no sejam opostos, sem necessidade de qualquer intimao adicional. VALOR DEVIDO: R$ 17.634,96 (dezessete mil, seiscentos e trinta e quatro reais e noventa e seis centavos), com posio em 06/2011. E, para que chegue ao conhecimento de todos, e no possa futuramente alegar ignorncia, determinou o MM. Juiz a expedio do presente edital que ser publicado e afixado na forma da lei. EXPEDIDO nesta Cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paran, aos vinte (20) dias do ms de abril do ano de dois mil e doze (2012).Claudia Cristina Cristofani Juza FederalSMULA DE RECEBIMENTO DE LICENA DE OPERAOA BAGGIO & BAGGIO LTDA situada em Quitandinha/PR, torna pblico que recebeu do IAP, Licena de Operao para o empreendimento de Fabricao e Envase de Bebida Mista, com validade at 12/04/16.SUMULA DE EMISO DE LICENA DE OPERAOA empresa abaixo torna pblico que recebeu do SMMA Secretria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba, a licena de Operao sob n LO 10000412 para empreendimento a seguir especificado: Empresa: Auto Posto Petro Champagnat Ltda;Atividade: Comrcio varejista de combustveis, para veculos automotores.Endereo: Rua Padre Agostinho, n 1568, Mercs, Curitiba/PR; Rua Validade: 27/08/2012.SUMULA DE CONCESSO DE RENOVAO DE LICENA DE OPERAOA empresa abaixo torna pblico que requer junto a SMMA - Secretaria do Meio Ambiente Curitiba, a renovao da licena de operao para empreendimento a seguir especificado: Empresa: Auto Posto Petro Champagnat Ltda; Atividade: Comrcio varejista de combustveis, para veculos automotores; Endereo Rua Padre Agostinho, n 1568, Mercs, Curitiba/PR.A Empresa FABRICA E COMERCIO DE LAGES ORTIZ LTDA ME, CNPJ n 06.111.420/0001-21, torna publico que requereu Secretaria do Meio Ambiente de Curitiba a Licena de Operao para Indstria de Fabricao de Estruturas Pr-Moldadas de concreto armado, em serie e sob Encomenda e Fabricao de outros artefatos e produtos de concreto, cimento, fibracimento, gesso e materiais semelhantes, a Rua Pedro Prosdocimo n 1502 Tatuquara Curitiba PR.CUMPRIMENTO DE SENTENA N 2008.70.00.005166-5/PR EDITAL N. 6062065 A Dra Giovanna Mayer, MM. Juza da 7 Vara Federal de Curitiba, Seo Judiciria do Paran, nos autos supra mencionados:FAZ SABER, aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, em especial o executado supramencionado, que nos autos em epgrafe, ser levado a LEILO o bem adiante descrito, no Auditrio do Hotel Promenade, sito Avenida Mariano Torres, 976, Centro - Curitiba - Estado do Paran, no dia 03 de julho de 2012 s 13 horas pelo maior lano, ficando acima da avaliao e no dia 17 de julho de 2012 s 13 horas pelo maior lano, ficando o executado INTIMADO por este meio, dos leiles designados, caso no seja encontrado para intimao pessoal.VALOR DO DBITO: R$ 20.000,02 (vinte mil reais e dois centavos) clculo para 09/08/2010 (fl 270).RECURSO PENDENTE DE JULGAMENTO: No h.NUS: Custas processuais e de arrematao, taxas de condomnio em atraso. Possveis custas adicionais sero informadas pelo Sr. Leiloeiro.DESCRIO DO BEM: "Um lote nmero 10 (dez) da quadra n. 37 (trinta e sete) do loteamento "Alphaville Graciosa" situado no Municpio e Comarca de Pinhais - PR, medindo 18,48m de frente, em linha curva, confrontando com a Rua dos Azules; por 35,61 metros, em linha reta, de extenso da frente aos fundos, pelo lado direito de quem da rua olha o imvel confrontando com o lote n.11; 37,83 metros pelo lado esquerdo, em linha reta, confrontando com o lote n. 09; e na linha de fundos mede 20,17 metros, em linha curva, confrontando com o lote n. 23, perfazendo a rea total de 703,73 m2 sem benfeitorias, imvel este matriculado sob o n. 04.065 do Cartrio de Registro de Imveis de Pinhais".(fl.357)AVALIAO DO BEM: R$ 380.000,00 (trezentos e oitenta mil reais) em 28.01.2012 (fl.429)E, para que chegue ao conhecimento de todos, o presente Edital ser afixado e publicado na forma da lei. DADO E PASSADO nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paran, aos 02 de Abril de 2012. Eu, Ren Valente, Tcnico Judicirio que o digitei e eu, __________Kely Cristina Laurentino, Diretora de Secretaria da 7 Vara Federal, que o conferi e subscrevi.Giovanna Mayer Juza Federal Substituta EXEQENTE : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : BRASCRED COBRANAS LTDA e outros. ADVOGADO : SANDRA ALMEIDA IGNACHEWSKI Pgina 1 de 1:: Portal da Justia Federal da 4 Regio ::EDITAL DE PROCLAMAS Cartrio Distrital Da BarreirinhaJOAQUIM VIEIRA MACIEL - TITULARAv. Anita Garibaldi ,1250 Ah Fone (41) 3352-3002/3254-8424/3252-3605Fao saber que pretendem casar-se e apresentarem documentos exigidos pelo artigo 1525, incisos I, III e IV; I, III,IV e V do Cdigo Civil Brasileiro em vigncia, os contraentes:01 LOURENO BRAGA E LEONOR SOARES FRAGOSO;02 JOSEMAR RODINEL TEODORO E JULIANA MARIA TOSIN.Se algum souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume.CURITIBA, 03 DE MAIO DE 2012CARTRIO DE SANTA FELICIDADEIRIO DAS CHAGAS LIMA OFICIALAv. Manoel Ribas, 6031 - Fone (41) 3372-1671 CEP 82020-000 CURITIBA PARANEDITAL DE PROCLAMASFAO sAbER QUE pREtEndEM sE CAsAR: 1- LORIVAL BARBOSA BRAGA COM MICHELY CRISTIANE GULIN2- ROBSON LUIZ SALVADOR RUIZ COM PRISCYLLA ANNEJEICY FAUSTINO3- EDUARDO THOMAZOTTI COM DHYULIAN BUENO DE SOUZA4- ERNESTO FERNANDES NETO COM LUCIENE REGINA PRANDO5- JONAS MOREIRA FERREIRA COM CAMYLLA CRISTINE SOARES6- ADILSON MOREIRA COM MRCIA MEDEIROS DO PINHAL7- CICERO ROMO DA COSTA FILHO COM PAULA CRISTINA CONTADOR8- ROBERTO CARNEIRO MILHORATTO COM LUCIANA LINEROSe algum souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias.Curitiba, 03 de maio de 2012 IRIO DA CHAGAS LIMA OficialPoder JudicirioJUSTIA FEDERALSeo Judiciria do Paran6 Vara Federal Cvel de CuritibaCUMPRIMENTO DE SENTENA N 2009.70.00.012594-0/PREXEQENTE : BANCO CENTRAL DO BRASIL - BACENADVOGADO : LILIANE MARIA BUSATO BATISTAEXECUTADO : WELL CLEAN LIMPEZA E CONSERVACAO LTDA: SAULO GRUCHEVSKI: EURICO GRACIA DE GRACIAEDITAL N. 6082118INTIMAO de EURICO GRACIA DE GRACIA, inscrito no CPF/MF sob o n 017.095.639-31, para que pague, no prazo de 15 (quinze) dias, o valor de R$ 8.721,80 (oito mil setecentos e vinte e um reais e oitenta centavos), valor fornecido pelo Banco Central do Brasil, a ser atualizado desde 06/2010, sob pena de o montante da condenao ser acrescido de multa no percentual de 10% (dez por cento), conforme art. 475-J do Cdigo de Processo Civil. INTIMAO da deciso proferida nas fls. 140-141, dos autos supramencionados, que desconstituiu a personalidade jurdica da empresa executada e incluiu como devedores os scios Saulo Guchevski e Eurico Gracia de Gracia. E para que chegue ao conhecimento da interessada, por este estar em lugar incerto e no sabido, expedido o presente Edital de Intimao, com prazo de 20 (vinte) dias. DADO E PASSADO, nesta cidade de Curitiba, 18 de novembro de 2011.VERA LUCIA FEIL PONCIANOJuza FederalDocumento eletrnico assinado por VERA LUCIA FEIL PONCIANO, Juza Federal, na forma do artigo 1, inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resoluo TRF 4 Regio n 17, de 26 de maro de 2010. A conferncia da autenticidade do documento est disponvel no endereo eletrnico http://www.jfpr.jus.br/gedpro/verifica/verifica.php, mediante o preenchimento do cdigo verificador 6082118v2 e, se solicitado, do cdigo CRC 4091B74. Informaes adicionais da assinatura: Signatrio (a): Vera Lucia Feil Ponciano Data e Hora: 18/04/2012 22:25 SMULA DE PEDIDO DE LICENA PRVIAA Rio Branco Com. e Ind. de Papis LTDA torna pblico que requereu Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Curitiba a Licena Prvia para a atividade de Fabricao de Perifricos para equipamentos de Informtica; Fabricao de Mdias virgens, magnticas e pticas; Fabricao de produtos de papel; cartolina; papel-carto e papelo ondulado para uso comercial e de escritrio, localizada na Rua Cyro Correia Pereira, n 667, Municpio de Curitiba.O Sebrae/PR, por meio do Projeto Polo do Vesturio no Noroeste do Paran, do Projeto Agentes Locais de Inovao e do Arranjo Produtivo Lo-cal (APL) do Vesturio de Cianorte e Maring, oferece s micro e pequenas empresas do setor txtil e de confec-o de Nova Esperana e de Japur a capacitao Gesto e Tcnicas de Produo Txtil e Confeco e clnicas tecnolgicas. As atividades sero realizadas nos prximos dias 11 e 18, respectivamente. A iniciativa faz parte de um ciclo de palestras, iniciado em 2011 no no-roeste do Paran, e que j percorreu os municpios de Maring, Umuara-ma, Altnia e Paranava. Este ano, o trabalho ser encerrado em Nova Esperana e Japur com o apoio da Prefeitura de Nova Esperana, Associao Comercial e Empresarial de Nova Esperana (ACINE), Prefei-tura de Japur, Associao Comercial e Industrial de Japur (ACIJA), Sindicato da Indstria do Vesturio de Maring e Regio (Sindvest), e Sindicato das Indstrias do Vesturio de Cianorte (Sinveste). O consultor do Sebrae/PR, lvio Saito, explica que a capaci-tao objetiva conscientizar em-presrios e colaboradores sobre a importncia de implementar pro-cedimentos adequados, indicado-res de produo e controles que auxiliem a gesto de produo. Queremos fomentar a cultura da inovao e o fortalecimento do setor para que as empresas e produtos ganhem mais competi-tividade e alcancem novos mer-cados, afirma lvio Saito.O consultor do Sebrae/PR acres-centa que, na programao, tam-bm est prevista a realizao das clnicas tecnolgicas, que consistem em consultorias especializadas para empresrios ou gestores de produo. Na oportunidade, os par-ticipantes podero sanar dvidas e receber orientaes sobre como melhorar o controle de produo a partir de indicadores de gerencia-mento de dados da empresa. A instrutora, tanto da clnica tecnolgica quanto da capacitao, ser a economista Margarete Cam-pos Vieira. Especialista em Gesto Empresarial com nfase em Con-sultoria e Instrutoria, ela tambm ps-graduada em Engenharia de Produo e atua no setor de confec-o h mais de dez anos, em setores de engenharia de produtos, processo e PPCP (Planejamento, Programao e Controle de Produo).Segundo Margarete Vieira, a capacitao foca o planejamento e a gesto do negcio por meio de tcnicas inovadoras que podem ser aplicadas em qualquer rea de atuao do segmento do vestu-rio. Para tanto, sero abordados assuntos como: planejamento da produo; balanceamento de cargas sobre mquinas e sistemas; elementos bsicos da gesto da qualidade; organizao de sistema de controle de qualidade; layout; mtodo e organizao dos postos de trabalho. Margarete Vieira acrescenta ainda que, durante o treinamento, os participantes podero dimensio-nar o porte da empresa a partir de anlises que relacionam previso de demanda e capacidade produtiva.TEcnologiaSebrae eleva produtividade da indstria txtil no PRCapacitao e clnica tecnolgica sero realizadas nos dias 11 e 18 de maioCMYKJudicirioCuritiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | A8 | Indstria&ComrcioJustia&Direitowww.justicaedireito.comSOLUO ADMINISTRATIVAProjeto busca prevenir a entrada na Justia de processos de cobrana de tributos municipaisAo quer reduzir entrada de execues fiscais na justiaUm grupo de trabalho com representantes do Judici-rio de todo o pas ir definir uma estratgia de ao para preve-nir a entrada de novos processos de execuo fiscal na Justia. O obje-tivo estimular que conflitos rela-cionados cobrana de impostos municipais sejam solucionados em mbito administrativo, evitando a abertura de aes judiciais, que, alm de congestionar a Justia, muitas vezes no resultam no pa-gamento da dvida.O projeto da Corregedoria Na-cional de Justia e foi proposta, em reunio entre a corregedora nacional de Justia, ministra Eliana Calmon e representantes da Confederao Nacional dos Municpios (CNM), de procuradorias municipais e dos Tri-bunais de Justia de Santa Catarina (TJ-SC) e do Esprito Santo (TJ-ES). No interessa ao municpio a judi-cializao para no receber o crdito. A soluo pr-processual gera econo-mia aos cofres pblicos, o pagamento mais rpido da dvida e a garantia de Justia efetiva, destacou a correge-dora, ao lembrar que na esfera fede-ral, cada processo de execuo fiscal custa em mdia R$ 4,3 mil, conforme demonstrou levantamento do CNJ em parceria com o Ipea (Instituto O projeto busca prevenir a entrada na Justia de processos de cobrana de tributos municipais, como o IPTU, o ISS, o ITBI (Imposto de Transmisso de Bens Imveis), a contribuio de iluminao pblica e outras taxas municipaisde Pesquisas Econmicas Aplicadas). As execues fiscais correspondem a cerca de um tero dos processos em tramitao na Justia brasileira.Segundo dados do relatrio Jus-tia em nmeros de 2010, dos 83,4 milhes de processos que trami-tavam no Judicirio brasileiro, 27 milhes correspondiam a execues fiscais. Naquele ano, 2,8 milhes de casos novos desse tipo entraram no primeiro grau da Justia Estadual e das cerca de 20 milhes de aes de cobrana de impostos em tramitao nesse ramo da Justia, apenas 8% foram solucionadas. Temos que agir com racionalidade, e ter conscincia de que esse grande nmero de aes pesa para a sociedade, acrescentou a ministra.Segundo ela, muitos municpios colocam na dvida ativa contribuin-tes inadimplentes e imediatamente entram com ao na Justia na tentativa de reaver o crdito, con-gestionando as varas de fazenda pblica. As unidades judiciais, por sua vez, reclamam que no possuem estrutura suficiente para dar vazo aos processos e enfren-tam dificuldades para localizar o contribuinte, o que inviabiliza o pagamento da dvida.Inicialmente, a ideia desenvol-ver projeto-piloto em 10 municpios de Santa Catarina e do Esprito San-to, para, em uma segunda etapa, levar as boas prticas aos demais estados brasileiros. Segundo Eliana Calmon, a iniciativa vai contribuir para desafogar as varas de fazen-da pblica, que hoje enfrentam grandes dificuldades em localizar os contribuintes inadimplentes e garantir o pagamento da dvida. Supremo julgar discusso sobre anuidades de conselhosRepeRcUSSO geRALA discusso sobre a natureza jurdica das anuidades cobradas por conselhos de fiscalizao pro-fissional, isto , se elas pertencem ou no ao campo tributrio e se podem ser fixadas por meio de resoluo interna, teve repercus-so geral reconhecida no Supre-mo Tribunal Federal. O Recurso Extraordinrio com Agravo foi interposto pelo Conselho Regional de Enfermagem do Paran.Ao defender a existncia de repercusso geral na matria suscitada no recurso, o relator, ministro Dias Toffoli, destacou que o tema relevante para to-dos os conselhos de fiscalizao profissional, pois trata da forma de fixao do valor de suas anui-dades. A discusso que se trava neste feito tem, portanto, poten-cial para repetir-se em inmeros processos, sendo certo que, em cada um desses, estaro em pauta os interesses dos milhares de pro-fissionais sujeitos ao pagamento das anuidades, disse.O ministro lembrou ainda que est em curso no STF a Ao Direta de Inconstitucionalidade 3.408, na qual se discute a constitucionalida-de da Lei 11.000/2004, que permite a cada conselho de fiscalizao profissional fixar e cobrar suas anuidades. A ADI, que tambm relatada pelo ministro Dias Toffoli, ainda ser apreciada pelo Plenrio do STF.No Recurso Extraordinrio com Agravo, o Coren-PR se insurge contra acrdo da Justia Federal do Paran, que limitou a cobrana de anuidades feita pelo conselho alm de determinar a restituio de valores cobrados em favor de uma auxiliar de enfermagem. A deciso questionada reconheceu a natureza tributria de tais contribuies, im-pedindo a entidade de fix-las por meio de resoluo interna.CJF libera pagamento de R$ 4,5 bilhes em precatriosO Conselho da Justia Federal (CJF) autorizou, a liberao de recursos financeiros para o pa-gamento dos precatrios federais de natureza alimentcia. Cerca de RS$ 4,5 bilhes foram destinados aos tribunais regionais federais, responsveis por efetuarem o depsito desses valores, de acor-do com seus cronogramas, nas contas dos beneficirios junto s instituies financeiras oficiais: Caixa Econmica Federal e Banco do Brasil.Desse valor total, R$ 2,5 bilhes correspondem ao pagamento de benefcios previdencirios pre-catrios pagos em aes movidas contra a Previdncia Social. Nesse caso, sero 43.954 pessoas benefi-ciadas em todo o Pas, de um total de 39.464 processos. J para o pagamento dos precatrios do Fun-do Nacional de Assistncia Social, foram liberados aproximadamente R$ 31 milhes, que iro beneficiar 946 pessoas, de um total de 837 processos. Aproximadamente R$ 1,5 bilho foi liberado para pagar os demais precatrios alimentcios da Admi-nistrao Direta da Unio e R$ 399 milhes para quitar os precatrios alimentcios de outras entidades (autarquias e fundaes pblicas federais).Precatrios Precatrios so dvidas judiciais contradas pela Unio federal e suas entidades. Na categoria alimentcia enquadram-se as aes relativas a salrios, vencimentos, proventos, penses e suas complementaes, benefcios previdencirios e inde-nizaes por morte ou por invalidez fundadas em responsabilidade civil, em virtude de sentenas judiciais transitadas em julgado.STF j planejam julgamento do mensaloUma Questo de Ordem na Ao Penal 470, o processo do mensalo, levada pauta do Plenrio do Supremo Tribunal Federal pelo relator, ministro Joaquim Barbosa, abriu a tem-porada de discusses sobre como ser o procedimento do que deve se tornar o mais longo julgamento ininterrupto da histria da corte. Ministros desconhecem o con-tedo da discusso que Barbosa quer submeter aos colegas e no improvvel que nem mesmo se refira aos procedimentos de como se desenrolar o julgamento do caso, mas o fato que os prprios ministros passaram a discutir o formato das sesses nas quais se decidir o destino dos 38 acusa-dos pela Procuradoria-Geral da Repblica.Eu tambm estou curioso, afirmou o ministro Marco Aurlio, indagado sobre o teor da Questo de Ordem. De acordo com o presi-dente do Supremo, ministro Ayres Britto, a questo no ampla. Se a inteno fosse discutir o script do julgamento, isso seria feito, prova-velmente, em sesso administrati-va. O teor do debate, contudo, ser feito apenas na semana que vem, j que o revisor do processo, ministro Ricardo Lewandowski, est fora do pas em viagem institucional.Segundo Marco Aurlio, o pro-cesso do mensalo tem de ser tra-tado como qualquer outro julgado pelo tribunal. No deve ser colo-cado em julgamento sob qualquer tipo de presso, nem popular, nem de segmentos polticos que que-rem adiar seu desfecho, afirmou. De acordo com ele, o Supremo no pode se transformar em um rgo excepcional para julgar o mensalo, atropelando ritos e at fazendo uma reforma informal de seu Regimento Interno.Diversas questes se colocam para o julgamento do caso. Desde o tempo que o procurador-geral da Repblica, Roberto Gurgel, ter para acusar os rus at a quantidade de sesses extraordi-nrias necessrias para que o caso seja solucionado com celeridade depois de iniciado o julgamento.DIReITOPor Emelin LeszczynskiA partir de maio a revista Bonijuris passa a circular nas bancas das capitais paulista e carioca. A edio de maio da Revista Bonijuris est repleta de novidades na rea jurdica. A publicao oferece atualidades do Direito em tudo que acontece no universo jurdico. A seo Doutrina aberta com um artigo sobre a abran-gncia da coisa julgada. De-monstra que a coisa julgada no se configura parcialmente em autos ainda em trmite, mas sim que s pode materializar-se no final do processo. Outro artigo interessante fala sobre a dinmica processual dos em-bargos do devedor no processo trabalhista. O peridico no poderia deixar de fora os fundamentos filosficos dos juizados espe-ciais, alm de um material sobre o processo legislativo federal e os procedimentos pertinentes e exigveis para alterao do texto constitucional. Para encerrar o rol doutrinrio desta edio, tm uma analise da obra Fumaa do bom direito: ensaios de filosofia e teoria do direito, coletnea de artigos, conferncias e aulas da lavra do jusfilsofo Luiz Fernan-do Coelho.Na parte de legislao a re-vista Bonijuris transcreve as inovaes ocorridas no texto da Constituio Federal pelas emendas 69 e 70.Em Como Decidem os Tri-bunais, voc localiza o dever de fundamentao das decises que decretam ou mantm a priso preventiva. Amparando-se na jurisprudncia das cortes superiores STJ e STF e tambm na selecionada doutri-na, arrazoa que o princpio da fundamentao ou da motivao deve sempre nortear toda e qual-quer deciso judicial, sob pena de nulidade.BonijurisCom vinte e oito anos de ex-perincia no mercado, a Editora Bonijuris publica mensalmente a Revista Bonijuris e trimestral-mente Revista Luso-Brasileira de Direito do Consumo. Todos os materiais so produzidos por uma equipe altamente qualificada e distribudos para todo o Brasil.Revista Bonijuris passa a circular nas bancas de SP e Rio de Janeiro Indstria&Comrcio | Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | B1NegciosLANAMENTOCentro Europeu inaugura nova sede e lana parceriaNova unidade o primeiro fruto da parceria com o empresrio Marcelo Almeida Empresas&ProdutosREsTRiNgiR NO REsOLvE O pRObLEMADesde o final do ano passado as restries de caminhes em determinadas vias comearam a pipocar pelo Brasil. Em So Paulo, inclusive, esta ao fez com que motoristas que transportam com-bustvel entrassem em greve, causando at a falta de combustveis em alguns locais da cidade.Aqui em Curitiba, depois de muita negociao com a Prefeitura da cidade conseguimos flexibilizar as restries de caminhes na Linha Verde. Com isso, a restrio na via acontece apenas entre 7 e 10 horas da manh e das 17 s 20 horas. Desta forma, conseguimos ajudar o fluxo da Linha Verde nos horrios de pico, sem prejudicar o transporte de carga paranaense. Mas, ao que tudo indica, ns no somos os principais respon-sveis pelos congestionamentos na via. Isso porque uma recente reportagem mostrou que trafegar pela Linha Verde, no horrio de pico, pode no ser a melhor escolha para os motoristas que seguem do Tarum para o Jardim Botnico e tambm para quem vai do bairro Fanny ao Prado Velho. Ao longo da reportagem foram encontrados dois gargalos de lentido.Ora, se no so os caminhes, de quem a culpa? Especialistas so categricos ao afirmar que, em tese, a retirada de caminhes nos horrios de pico abriria mais espao nas vias, mas ressaltam que em locais com altssima demanda de veculos de passeio, o resultado que as avenidas continuaro congestio-nadas e no haver ganho significativo de velocidade. Outro fator apontado pelo consultor em Engenharia de Trfego e Transporte, Horcio Figueira, que as restries de caminhes podem, inclu-sive, piorar o trnsito, uma vez que, com a retirada de grandes veculos de carga, como as carretas, para abastecer as cidades as transportadoras tendem a substituir caminhes por outros veculos de carga menores, que s aumentam o trnsito e a poluio. Alm disso, preciso lembrar que as sugestes de rotas alter-nativas acabam fazendo com que essas vias sofram com o excesso de veculos pesados, pois o trnsito nesses locais acaba ficando mais intenso. Isso sem mencionar a falta de fiscalizao nas vias com restries, as quais so imprescindveis. O resultado disso que apenas transferimos o problema para outro local, mas no resolvemos de fato esta questo.Ento, o que fazer? Um pas africano nos mostra a soluo. Moambique teve uma ideia inovadora para reduzir o trnsito das cidades. O Governo local est estudando uma alterao nos horrios de funcionamento de vrios setores de atividade da prpria economia, de forma a descongestionar o trnsito nas principais cidades do pas. O principal objetivo fixar horrios diferenciados em reas de trabalho cujos horrios podem comear e terminar mais tarde. Desta forma, as autoridades locais acreditam que possam aliviar o trnsito nas cidades. Isso sim seria uma alternativa vivel, quando bem estruturada, para combater os congestionamentos nas cidades. A resposta para os problemas de intenso fluxo nas grandes ci-dades brasileiras no est apenas na restrio. Nossos governantes precisam refletir mais sobre o exemplo citado acima e investir mais em mobilidade urbana. S assim resolveremos de forma coerente o problema de grande trfego nas cidades brasileiras. * Gilberto Antonio Cant Presidente do Sindicato das Em-presas de Transportes de Cargas do Paran (Setcepar)gRUpO UNiNTER OfEREcE cApAciTAOO Grupo Educacional Uninter vai oferecer, neste fim de semana, durante a IV Feira do Emprego e da Capacitao Pro-fissional de Curitiba, oportunidades de cursos de capacitao para as pessoas que visitarem o estande da instituio no local. O objetivo do Grupo Uninter no evento promover o acesso educao e motivar a capacitao profissional para os partici-pantes da feira, mostrando ao pblico opes de formao e de reciclagem nas mais diferentes reas do conhecimento. Servio: IV Feira do Emprego e da Capacitao Profissional, dias 04 e 05 de maio, das 9h s 17h, na Praa Osrio, Centro de CuritibaTOTAL LANA cAMpANhA dE diA dAs MEsO Shopping Total acaba de lanar sua campanha publicitria de Dia das Mes. Produzida pela G/PAC Comunicao Integrada, a campanha contempla anncios impresso, eletrnico e mdia indoor. Nosso objetivo ao trazer o conceito: Nada marca mais do que um presente do Total foi de reforo de marca, ou seja, um presente do Total marca mais que um beijo de batom vermelho! E essa lembrana com carinho que queremos que nossas mames e seus filhos tenham, explica a gerente de marketing do shopping Total, Daniela Leal. fEijOAdA cOM MsicA NA sOfT TAcOsO almoo de sbado ficou mais animado na Soft Tacos. Do meio dia s 15h servida a tradicional feijoada da casa ao som de chorinho. No prximo final de semana, 05/05, a banda Pausa Brasileira ser responsvel pela diverso dos clientes com muita msica brasileira. Saboreie uma das feijoadas mais gostosas da cidade, com pedaos nobres de costelinha defumada, paio e carne de sol, em cumbucas acompanhadas com laranja, farofa, couve e arroz branco. A feijoada completa e caprichada sai por R$ 24,90 por pessoa. Quem quiser ainda pode, pelo mesmo valor, optar por uma sequncia de pratos mexicanos com quesadillas, fajitas, nachos e tacos. Ficou com vonta-de? Ento aproveite o prximo final de semana e convide os amigos e a famlia para saborear a feijoada com toque mexicano da Soft Tacos, um dos restaurantes mais descolados da capital paranaense, localizada no bairro Batel. A Soft Tacos uma rede de franquias que conta com 11 unidades espalhadas em vrios estados brasileiros. Seus pratos so preparados com produtos frescos e de qualidade para garantir os sabo-res e texturas originais da cozinha mexicana. Entres as especialidades da casa esto Tacos, Burritos, Quesadillas, Fajitas, Pizzas Mexicanas, Nachos, Chillis, Picadillos, Tacos Salads, Wraps. EsTgiO dA TiM bATE REcORdE dE iNscRiTOsA TIM comprovou que a concorrncia entre os estudantes no acaba no vestibular: o nmero de inscritos na edio 2012 do Estgio Sem Fronteiras foi recorde em comparao aos ltimos anos. Quase 17 mil candidatos dos estados de So Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paran, Rio Grande do Sul, Par e Pernambuco esto concorrendo a 123 vagas na operadora, quantidade 40% superior registrada na edio de 2011. No fim das contas, a relao candidato/vaga ficou em 137/1, o que supera a mdia de vestibulares para carreiras histo-ricamente concorridas em muitas universidades, como Medicina e Direito. O alto percentual de efetivao dos estagirios, os benefcios oferecidos e o bom momento da TIM que h dois anos a operadora que mais cresce no mercado de telefonia mvel brasileiro so os principais fatores para o resultado conquistado nas inscries.A Vega Engenharia Ambiental, empresa do Grupo Solv que oferece solues ambientais integradas nas reas de resduos pblicos, projeta um crescimento mdio de 10% ao ano, nos prximos anos. At 2016, a companhia deve alcanarfatura-mento de R$ 1,6 bilho.Em 2011, a empresa e suas coligadas faturaram aproxima-damente R$ 900 milhes e seus investimentos somaram R$ 200 milhes. No Paran, a empresa atua em Londrina. Atualmente, o foco das discus-ses no segmento de resduos tem sido a adequao dos municpios Poltica Nacional de Resduos Slidos. Nesse contexto, o grupo obteve conquistas importantes, como a inaugurao das Indstrias de Valorizao de Resduos (IVR) de So Leopoldo e Giru (RS), e da BOB Ambiental na regio me-tropolitana do Rio de Janeiro, em Belford Roxo.As IVRs tm como propsito promover a valorizao do resduo, atravs da reutilizao, reciclagem, compostagem e aproveitamento energtico dos resduos, de modo a encaminhar aos aterros sanitrios somente rejeitos que no tenham possibilidade de aproveitamento. Em 2011, foi constituda tam-bm a Companhia Riograndense de Valorizao de Resduos e, prximo ao final do ano, a InovaGesto de Servios Urbanos assumiu o contra-to de limpeza urbana do municpio de So Paulo, dentro do conceito Cidade Limpa.Em outro mercado importante, Minas Gerais, a Viasolo empresa do Grupo fechou o ano com a contratao emergencial de lim-peza pblica em Belo Horizonte, renovou e ampliou contratos, alm de conquistar a primeira concesso, no estado, na modalidade PPP em Alfenas. Vega prev faturar R$ 1,6 bilho at 2016H dois anos o movimento Hub dava os primeiros passos em Curi-tiba, proporcionando um ambiente de coworking a pessoas e projetos inovadores com o objetivo comum de construir um mundo radical-mente melhor. O aniversrio do modelo de trabalho na capital pa-ranaense no passou em branco e foi comemorado com o evento Open Day, realizado no Hub Curitiba, no ltimo dia 25 de abril. Com a presena dos fundadores, membros e o pblico em geral, a ocasio demonstrou a fora do movimento que tende a crescer cada vez mais, conectando profissionais das mais diversas reas e oferecendo os recursos necessrios para que de-senvolvam suas ideias. Segundo Jessica Maris Maciel, uma das scias fundadoras do espao com sede prpria desde 2011, o encontro rendeu uma srie de momentos marcantes. Alm de oferecer a oportunidade para que pessoas interessadas pudessem conhecer o ambiente, compartilha-mos nosso espao gratuitamente com aqueles que caminharam co-nosco rumo construo do Hub Curitiba, destaca. Ela acredita que o objetivo proposto foi alcanado com a realizao de atividades e intervenes inovadoras. Um bom exemplo disso foi a participao de mais de 20 membros e visitantes de um almoo descontrado, o Pic Hub Nic, promovido para interao e diverso, ressalta. Entre os membros que participa-ram, a publicitria Georgia Garzon conta que chegou ao Hub Curitiba ainda pela manh e que se impres-sionou com o nmero de pessoas presentes. Foi muito legal, pois pude trocar mais figurinhas com outros profissionais e acredito que novos trabalhos possam surgir atravs destas conversas, alm, claro, das ideias compartilhadas, comemora. Ela tambm elogia a estrutura do espao que, segundo Georgia, es-tava super organizado, e destaca a postura receptiva dos fundadores como um atrativo a mais. Durante o Open Day, Georgia conta que estava focada em um projeto e que recebeu colaboraes positivas na alterao de cores e no formato do trabalho que estava realizando. O encontro foi muito produtivo, no s no sentido de apresentar aos que ainda no so membros o que um espao de coworking, mas tambm destacar como ele realmente estimulan-te, conta. Enaltecendo o trabalho coletivo, afirmando que ele rende muito mais do que o individual por permitir a troca de experincias, a publicitria acredita que a aceitao tenha sido unnime. No imagino algum que tenha passado pelo Hub Curitiba no Open Day e no sinta vontade de voltar, diz.Movimento Hub se fortalece em CuritibaSo vrias as razes para a celebrao: em 17 anos de atuao, a Sawary Jeans tornou-se referncia no segmento, especialmente no quesito pronta-entrega; uma das maiores fabricantes de moda em denim na Amrica Latina e a segunda marca mais lembrada nacionalmente quando o assunto jeans, de acordo com o IPESO Instituto de Pesquisa. So duas unidades em So Paulo, uma no Tatuap, onde acontecem as primeiras etapas da produo e outra no tradicional bairro do Brs, onde mantm uma loja de pronta-entrega. Diariamente a equipe de criao desenvolve modelos diferentes, totalizando mais de mil itens que a empresa disponibiliza, entre eles as revolucionrias calas Levanta Bumbum, que reala os contornos femininos apenas com a modelagem e a Modela Bumbum, que oferece um up ao derrire, ambas sucesso absoluto de vendas. Investimentos constantes em produo, tecnologia e inovao fazem a empresa, que responsvel por 500 empregos diretos, alm de seis mil indiretos, uma das mais bem equipadas do mercado. Conta com um cadastro de mais de 20 mil clientes no Brasil, sem contar aqueles distribudos entre vrios pases da Amrica Latina, da Europa, frica e Oriente.Sawary Jeans completa 17 anosNa prxima quarta-feira, dia 09 de maio, o Centro Eu-ropeu, uma das principais escolas de profisses e idiomas da Amrica Latina, vai inaugurar a sua stima unidade na cidade de Curitiba. Localizada no bairro Alto da XV, na Rua Itupava (n 1.402), novo polo cultural e gastronmico da capital paranaense, a unidade marca, tambm, o lanamento da parceria com o empresrio e ex-deputado Marcelo Almeida. Segundo Carlos Sandrini, pre-sidente do Centro Europeu, a nova unidade e a parceria com o empresrio Marcelo Almeida repre-sentam uma nova fase na histria da instituio, que completou 20 anos no ano passado. O Marcelo uma pessoa respeitada no mundo poltico e empresarial e sempre tra-balhou na busca da democratizao da educao e da cultura. Ou seja, no poderamos ter um parceiro mais indicado para o processo de expanso do Centro Europeu. Nada melhor do que celebrar esta unio com o lanamento da unidade no bairro Alto da XV, que ser a mais moderna e aconchegante escola de profisses e idiomas de Curitiba, comemora Sandrini. Para o empresrio Marcelo Almeida, a parceria com o Centro Europeu ser uma forma de unir a paixo pela leitura a um projeto educacional estruturado. At o momento, o meu trabalho em prol da leitura estava mais associado rea cultural. A partir de agora, esse trabalho ganha tambm um vis educacional. O Centro Europeu tem uma marca consolidada no merca-do de formao profissional. O Jos Ost e o Carlos Sandrini, fundadores da escola, souberam ocupar esse es-pao com seriedade e competncia, promovendo uma formao prtica, com gente que atua no mercado, explica Marcelo.Projetada pelo premiado arqui-teto paranaense Jayme Bernardo, a nova unidade do Centro Europeu servir tambm como ponto de en-contro para os amantes da cultura e da literatura. Queremos que esta sede se transforme em um ponto de encontro de intelectuais e formado-res de opinio. Para receber muito bem nossos alunos e esse pblico apaixonado por cultura e educao, demos total liberdade para que o Jayme Bernardo desenvolvesse um projeto pioneiro em Curitiba, conta Sandrini. Vamos fazer do Centro Europeu do Alto da XV uma aldeia cultural em Curitiba, onde vai cir-cular o saber que vem dos livros de uma forma geral. Alm disso, temos grandes projetos culturais para a ins-tituio, que ser muito mais do que uma escola de profisses e idiomas, completa Marcelo Almeida. O empresrio e ex-deputado Marcelo Almeida entre Carlos Sandrini e Jos Ost, fundadores do Centro EuropeuOpinio coluna@induscom.com.brNo 1T12, a Multiplus conti-nuou executando sua estratgia de criao de uma forte rede de parcerias, de simplificao dos canais de acesso e de consolida-o de sua marca. A rede cresceu de 191 parcerias em dezembro de 2011, para 200 em maro deste ano, com destaque para o Hotel Urbano e o iMsica. O website da empresa, principal canal de acesso dos participantes, passou a contar com novas sees e funcionali-dades, tornando os processos de acmulo e resgate cada vez mais simples, conforme estabelecido nos valores da companhia. Quanto divulgao da marca Multiplus e do conceito de multifi-delizao, foram feitas divulgaes em rdio e mdia out of home. Vrios parceiros j divulgavam a marca Multiplus para todos os seus clientes em seus pontos de venda ou sites, como Droga Raia, Ponto-frio.com e Movida. Recentemente, outros parceiros aderiram a esse movimento, com destaque para Livraria Cultura, Drogaria Rosrio e Luigi Bertolli. Com o objetivo de continu-ar maximizando o retorno aos acionistas, a Multiplus realizou a distribuio de R$ 261,3 milhes em dividendos e juros sobre capi-tal prprio, relativos ao exerccio anterior. Esse montante equivale 95% do resultado de 2011 e reflete a solidez do modelo de negcio.No perodo compreendido entre janeiro e maro de 2012, a Multi-plus atingiu 21,1 bilhes de pontos emitidos, representando um cres-cimento de 24,5% em relao ao mesmo perodo do ano anterior. Encerrou o trimestre com uma rede composta por 200 parcerias e 9,8 milhes de participantes, uma adio lquida de aproxima-damente 400 mil participantes em trs meses.Quanto aos resultados finan-ceiros, a Multiplus encerrou o trimestre com um faturamento de pontos de R$ 430,8 milhes, representando um crescimento de 26,7% sobre o mesmo perodo do ano anterior. A receita lquida foi de R$ 347,1 milhes, comparado a R$ 242,0 milhes no primeiro trimestre do ano anterior. O Custo Total dos Servios Prestados foi de R$ 252,6 milhes nesse trimestre, enquanto a quantidade de pontos resgatados foi de 15,2 bilhes. As Despesas Operacionais foram R$ 33,7 milhes no trimestre, com maior concentrao em gastos com TI e pessoal visto que a Companhia vem estruturando seu quadro de pessoal, seus processos e principais sistemas. A companhia apresentou um Lucro Lquido de R$ 61,6 mi-lhes, representando uma margem lquida de 17,7%.Faturamento da Multiplus atinge R$ 430,8 miPelos bares1-No Sheridans Irish (fone 3343-7779), nesta sexta 4, tem Ka-theguilas e a Banda 91 Rock. No sbado trs bandas: Tetra Chave, com verses de msicas de Amy Winehouse e Adele; depois a vez da banda Tinto Seco; e para fechar a noite Falso B.O. 2- O Soviet Vodka (fone3022- 2042) oferece dana ao som de pop rock e msica eletrnica, com o Dj Marcelo Jr e Betronic (sexta) e o Dj Giuliano (sbado).3- A banda Servio de Preto apresenta nesta sexta, s 22h, o show Tributo a Stevie Wonder no Jokers (Rua So Francisco, 164). Antes, na Happy Hour apresentao dos bluesmen Bene Junior e Emerson Caruso. 4-Nesta sexta tem stand up comedy com os paulistas Fbio Guer e Felipe Hamachi no Curitiba Comedy Club, s 22h. E sba-do, apresentao dos humoristas Serginho Lacerda, Thiago Souza e Leonardo Forti. Ingressos a 20 reais. Fone 3018- 0474.5- Show s de clssicos do rock a proposta do cantor Z Rodrigo em Rockn Roll Celebration, que estreia no Crossroads nesta sexta-feira. O show marca os 20 anos de carreira do msico curitibano. 6-Lucymar Nicastero canta na Casa Lisboa (Rua Fernando Simas 534), neste sbado, com msica brasileira e fados na voz do Sr. Antnio. Na cozinha, a chef Ana.Feijoadas1-O Instituto para Cuidado do Fgado promove o ICFeijo. So 200 camisetas venda (50 reais) em prol do ICF, que atende gratui-tamente pacientes com problemas hepticos. A feijoada ser neste sbado 5, das 12 s 16h, no Santa Marta (Rua Bispo Dom Jos, 2030l). Para contribuir ligue: 3323-7228 e 3223-2219 ou acesse www.icfigado.org. 2- Frio chegou e a Casa Paco Gastronomia (fone 3053-8788) realiza neste sbado 5 a primeira feijoada do ano, sob comando dos chefs Murilo Andreatta e Daniel Lopes. Custa 24,90 reais/pessoa e a casa atende a partir das 12h.risologistas A Cia Risologistas deu um show no Hospital Evanglico, levan-do alegria aos pacientes e funcionrios. Para que o projeto exista, necessrio o auxlio de empresas apoiadoras. Em Curitiba, os msicos e palhaos Alan Cesar, Jhonatan Mazo e Tayssa Mazetto ficaram hospedados no Quality, graas parceria da Atlantica Hotels com o grupo. Michelle Cirqueira, supervisora de marketing, recepcionou a trupe.Nos shoPPiNgs1- O Shopping Jardim das Amricas lana a campanha 15 anos com voc, em comemorao aos seus 15 anos. Para esta etapa da campanha, nas compras acima de 200 reais, o cliente concorre a um Renault Sandero e 5 mil reais em vale-compras. 2- No Palladium Shopping Center, ser sorteada uma BMW X1 e os consumidores, para concorrer, devem trocar suas notas fiscais a cada 150 reais em compras. E, nas compras de 400 reais, sem sorteio, o cliente ganha um organizador de bolsas.Noivas No CasteloO desfile O amor em-balado, Christo e Jeanne-Claude, neste sbado dia 5, s 16h30 no Castelo do Batel, no evento Inesque-cvel Casamento, marca mais uma parceria entre o estilista Alexandre Linhares (Herona) e Joalheria Rodri-go Alarcn. Com beleza de Thifany F., msica de Cesar Munhoz (com participao de Joo Gabriel Linhares Pulner), arranjos florais de Manu Daher e sapatos Shoes4U, a passarela contar uma histria de amor, a dos artistas Christo, que embala monumentos pelo mundo, e Jeanne-Claude. Nos acessrios, jias dos irmos Alarcn.FashioN PeoPleTermina nesta segunda dia 7, o prazo para foto-internautas participar da terceira edio do Fashion People que selecionar dez finalistas para estampar o catlogo de inverno do Shopping Mueller. As fotos devem ser postadas em www.facebook.com/muellercwb.Psique Nas PgiNasA psicanalista Dulce Duque-Estrada lana o livro O Umbigo do Sonho... e o Nosso (CMC Editora, 143 pg.) e participa de um bate-papo com o pblico. Ser nesta sexta 4, s 20h, na Livrarias Curitiba/ParkShopping Barigui.PiPa, daNa e msiCaO Museu Oscar Niemeyer agenda oficinas de pipas com Sergio Moura, msica do Grupo Chorudito e dana com Rosemeri Rocha, neste domingo 6, ocasio em que o ingresso gratuito. As oficinas comeam s 14h e a visitao exposio Poty, de todos ns tem dois horrios: 11h e 15h30, com a arte-educadora Telma Richter.Especial Indstria&Comrcio | Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | B3Nem te Contoadeliamarialopes@yahoo.com.brAdlia Maria Lopesmargema3 arte&atitude moda&ciaMaria Gad abreMais umapginaAps o estrondoso sucesso do primeiro lbum, a cantora pau-listana Maria Gad, em turn de lanamento do novo CD, apresenta Mais uma pgina em Curitiba, nesta sexta dia 4. Ela define o trabalho como disco de banda. So 14 faixas (oito autorais), mesclando gneros e conta com as participaes especiais do portugus Marco Rodrigues e de Lenine.Ela sobe ao palco com Cesinha (bateria), Fernando Caneca (guitarra e violo tenor), Doga (percusso), Gasto Villeroy (baixo) e Maycon (teclados). Sua voz meiga e suave passeia entre as canes inditas do novo disco, como Ax Acappella, Linha Tnue e Estranho Natural e sucessos anteriores, como A Histria de Lily Braun, alm de Orao ao Tempo, tema de abertura da novela A Vida da Gente. Aos 25 anos, com carreira pro-fissional de apenas trs anos, Maria Gad vendeu 180 mil cpias do seu primeiro disco, fez shows em todo o pas, gravou com Caetano Veloso, e foi indicada ao Grammy E agora retorna a Curitiba pela terceira vez, pela Prime.Agende-se nesta sexta, no Teatro Positivo, s 21h15. Ingressos de 165 a 70 reais, venda nos shoppings Palla-dium, Mueller e Estao. Classificao 16 anos.Ao completar 50 anos de fun-dao, o Circo de Moscou no Gelo festeja o aniversrio com uma in-dita turn brasileira, que comeou em So Paulo e chega a Curitiba, com duas apresentaes neste fim de semana. O vigor fsico, o virtuosismo, a sincronia de movimentos e o equilbrio em acrobacias arriscadas nos patins so elementos que nota-bilizam a nica companhia de bal circense no gelo do mundo. So 26 artistas distribudos em 17 nmeros em dois atos, que in-cluem trapzio, patinao artstica, acrobacia em barra, cordas suspen-sas, cordas e em roda, malabares com bambols e ii chins, no faltando os palhaos. O picadeiro uma pista de gelo sinttico formada por placas colocadas no piso do palco, o que permite a apresentao da companhia em teatros. No h um patinador nesta companhia que no domine com maestria as mais variadas tcnicas circenses, diz a diretora Natalia Abramova. O Circo de Moscou no Gelo nasceu do Grande Circo Nikulin, da Rssia, e foi o ltimo e mais bem-sucedido trabalho de Arnold Gregroyevich. Foi ele prprio quem fez a seleo do elenco original e produziu o primeiro espetculo, que estreou em 16 de outubro de Circo de Moscou dana no gelo1964, na Blgica. Desde ento, a companhia segue desenvolvendo e enriquecendo suas performances.Confira: Teatro Positivo (fone 3317-3000), s 21h desta sexta e sbado. Ingressos 140 e 120, ven-da nos shoppings Mueller, Estao e Curitiba.Paiol festeja com Walter FrancoO Teatro Paiol e o msico paulistano Walter Franco come-moram 40 anos de vida dedicada ao pblico. Para a dupla celebra-o, organizada pela banda Ma-xixe Machine, haver show nesta sexta 4 e sbado, e o compositor apresentar sucessos como Co-rao Tranquilo, Respire Fundo, Vela Aberta, a polmica Cabea, msica defendida no Festival Internacional da Cano de 1972 e, ainda, como presente-surpresa, duas canes inditas que fez em parceria com Paulo Leminski, Signo e Is not rockn roll. Maxixe convida Walter Franco e Diogo Franco nasceu do projeto, aprovado pelo edital da Fundao Cultural de Curitiba, de dividir o palco com um nome relevante da msica brasileira. Luiz Ferreira, violonista do Maxixe, diz que ini-cialmente houve a preocupao do pblico desconhecer Walter Fran-co, mas a vontade de estar com ele no Paiol foi determinante. E ele vem com o filho Diogo Franco, tambm cantor e compositor, que transita entre a simplicidade da voz e violo a baladas psicodlicas.A primeira msica de Walter Franco a participar de um festival foi No se Queima um Sonho, cantada por Geraldo Vandr. Mas seu grande momento foi Cabea, msica fora dos padres da poca, baseada em vozes superpostas e repeties de fragmentos da letra. A vaia deu-se durante todas as apresentaes no festival, mas o jri gostou da proposta esttica. E era formado por Nara Leo, Roberto Freire, Rogrio Duprat e Dcio Pignatari. s vsperas da final, a TV Globo, supostamente em decorrncia de presses da ditadura militar, demitiu todo o jri, que, segundo Duprat, esta-va disposto a premiar a msica de Walter com o primeiro lugar. Para Piazzolla, Cabea era uma revoluo!.Imperdvel: nesta sexta e s-bado, dias 4 e 5, s 21h, no Teatro Paiol. Ingressos a 20 e 10 reais. Classificao etria: 12 anos. Dura-o 75 minutos. Fone 3213-1340.Oskar Metsavaht, estilista e diretor da Osklen, vem Curitiba para promover o lanamento do filme Para-sos Artificiais, neste sbado, no Cinemark do Parksho-ppingBarigi. Ao lado da franqueada da grife Gra-ziela Fuzzo, Oskar receber tambm o diretor do filme Marcos Prado e os atores Natalia Dhil, Lvia Bueno e Luca Bianchi. Ser s 22h, depois de coquetel na loja. Depois da sesso, os convi-dados podero curtir a festa preparada na Liqe, com o Killer On The Dancefloor. Dos mesmos produtores de Tropa de Elite, o filme narra uma histria de amor em pleno boom da msica eletrnica no Brasil. Na direo e produo, os pa-pis se inverteram: Marcos Prado, premiado diretor de Estamira, assina seu primeiro longa de fico, e Jos Padilha, que diri20 horas giu Tropa 1 e 2, as-sina a produo. Marcos Prado no fez concesses ao abordar temticas deli-cadas, como o consumo de drogas e o envolvimento de jovens de classe mdia no trfico internacional de entorpecentes.Parasos Artificiais com moda e festa Negcios Curitiba, sexta-feira, 04 de maio de 2012 | B4 | Indstria&ComrcioGASTRONOMIAEspao Gourmet leva chefs para curso na ItliaEscola envia alunos para se familiarizarem com a cozinha e a cultura italianaEmpresas&ProdutosNIPONSUL TRAZ OFERTA PARA O MS DE MAIOO ms de maio comea com promoo para o Civic mecnico na concessionria Honda Niponsul, localizada nas cidades de Curi-tiba e Ponta Grossa. O automvel pode ser adquirido com entrada de 50% e saldo em at 24 vezes, sendo que a taxa de juros de 0% ao ms. Esta condio especial para os modelos manuais do Civic LXS e do Civic LXL permanece vlida durante todo o ms ou enquanto durarem os estoques. Tambm esto sendo apresentadas as linhas 2013 do Honda Fit e do City, que esto disponveis nas lojas em diferentes modelos. Os clientes podem aproveitar a visita concessionria para aquecer o inverno de quem precisa. A Ni-ponsul est recolhendo agasalhos e cobertores, que sero doados a instituies de carter filantrpico. O objetivo desta campanha consiste em proporcionar mais qualidade de vida populao. Na capital paranaense a Niponsul est presente em dois endereos, no Parolin e no Alto da XV. Na cidade de Ponta Grossa, a loja fica no bairro Nova Rssia. Mais informaes pelo Twitter (http://twitter.com/niponsul) ou pelo Facebook (www.facebook.com/hondaniponsul).INOvAES SO 27,5% DA WhIRLPOOLEm 2011, 27,5% do faturamento da Whirlpool Latin America, que atua no Brasil com as marcas Brastemp, Consul e KitchenAid, foi proveniente de produtos classificados como inovadores. O re-sultado reflete os investimentos da Whirlpool na rea. Atualmente, a empresa conta com 23 Laboratrios de Pesquisa e Desenvolvi-mento no Brasil e quatro Centros de Tecnologia, localizados em suas unidades no Brasil, alm de manter uma equipe de mais de 500 colaboradores dedicados s reas de Design, Inovao e Inte-ligncia de Mercado. Esses profissionais dedicam-se a desenvolver produtos que entregam benefcios cada vez mais relevantes para os consumidores, como o refrigerador Brastemp Ative! BRW50, o nico de grande capacidade (429 litros) que funciona com duas voltagens, lanado no final do ano passado.SOFTWARE APRIMORA GESTO DE PESSOASA Nasajon Sistemas desenvolveu um software com uso di-recionado aos profissionais de RH: o Humanis. A ferramenta permite ao usurio traar uma linha de evoluo do funcionrio na organizao, controlando com segurana operaes como concesso de benefcios, avaliao de desempenho, emprsti-mos, aes trabalhistas, entre outras funes pertinentes rotina de RH. O Humanis foi especialmente desenvolvido para gerar valor ao processo de trabalho dos profissionais de Recursos Humanos, possibilitando que atinjam juntos altos nveis de de-sempenho, explica Carlos Matos, diretor comercial da Nasajon. Com o objetivo de organizar o cotidiano do RH das empresas, o novo sistema informatizado soma-se a outras duas solues prticas da Nasajon: o Persona e o Persona Ponto, que tam-bm facilitam as tarefas exercidas pela rea de Departamento de Pessoal. Fundada em 1982, a Nasajon Sistemas desenvolve e implanta solues informatizadas de gesto empresarial que elevam o ndice de produtividade de pequenas e mdias empre-sas de todo o pas. Alm dos sistemas voltados ao RH, h outros direcionados Contabilidade, Faturamento, Estoque, Contas a Pagar e Receber, Escrita Fiscal, entre outros.COZIL EXPANDE SEUS NEGCIOSCom clientes no setor pblico e privado, a Cozil - indstria de equipamentos para cozinhas profissionais - est de olho no mercado de food service, que cresce em mdia 15% ao ano, e anuncia novos clientes na rea como as redes Frango Assado, Viena e Almanara. Completando 27 anos de existncia em 2012, a Cozil comemora o crescimento de 58% j no primeiro trimestre desse ano. Alm dos novos clientes, a empresa est ampliando seu parque industrial para atender as novas demandas, com a construo de uma nova rea de cinco mil metros quadrados, e acaba de contratar novos gerentes regionais. CLIENTES CAIXA GANhAM vANTAGENSA Caixa Econmica Federal disponibiliza a comodidade de realizar o pagamento de contas telefnicas sem apresentar a fatura em papel. Os consumidores das empresas OI FIXO, EMBRATEL e CTBC, entre outras, informam somente o nmero do telefone ao atendente lotrico para quitar a fatura. A ar-recadao de valores feita por meio de transaes on-line, em tempo real, com conexo estabelecida entre a CAIXA e as empresas, o que simplifica e agiliza o pagamento das faturas. A operao est disponvel nas 35 mil unidades entre lotricas e correspondentes CAIXA Aqui. Caso ocorra a perda ou extravio do documento, no ser mais necessrio solicitar a segunda via da conta para a operadora. TALk ASSUME CONTA DO GRUPO UNINTERA Talk Assessoria de Comunicao acaba de ser escolhida para assumir a Assessoria de Imprensa do Grupo Educacional Uninter no Paran. Desde 1996, o Grupo Uninter oferece di-versos produtos e servios na rea da educao. Atualmente, formado por empresas ligadas educao com atuao em todos os estados brasileiros nas modalidades presencial e a distncia e conta com 140 mil alunos em todo o Brasil. A nova conta ser atendida na Talk pela jornalista Thalita Guimares, sob coordenao de Karin Villatore. Reconhecido internacional-mente por suas pesquisas sobre fixao biolgica de nitrognio, Fbio de Oliveira Pedrosa, pro-fessor titular do Departamento de Bioqumica e Biologia Molecular da Universidade Federal do Pa-ran UFPR toma posse no pr-ximo dia 8 de maio na Academia Brasileira de Cincias, no Rio de janeiro. Ele foi eleito no final do ano passado em reconhecimento por seu trabalho na rea de Cin-cias Biolgicas. O professor Fbio Pedrosa o stimo pesquisador do Paran a integrar o seleto rol da Academia de Cincias. Ele engenheiro Agrnomo pela Uni-versidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Mestre em Bioqumica pela Universidade Federal do Pa-ran, Doutor (PhD) em Bioqumi-ca pela Universidade de Cornell, nos Estados Unidos e Ps Doutor pela Universidade de Sussex, da Inglaterra. Foi Coordenador do Programa de Ps-Graduao em Bioqumica e Chefe do Departa-mento de Bioqumica e Biologia Molecular da UFPR, instituio na qual atua h 42 anos. Pedrosa pesquisador de Produtivida-de 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico CNPq e atualmente coordenador geral do Instituto Nacional de Cincia e Tecnologia da Fixao Biolgica de Nitrog-nio e do Ncleo de Fixao Biol-gica de Nitrognio da UFPR.Em sua carreira cientfica, co-ordenou os Programas Genoma e Proteoma da Secretaria de Cincia, Tecnologia e Ensino Superior do Estado do Paran. Foi diretor na-cional e binacional do Centro Brasi-leiro/Argentino de Biotecnologia e membro titular e coordenador do Comit Assessor BF do CNPq. Tem 136 trabalhos cientficos publicados e orientou 15 Mestres e 15 Doutores em Bioqumica. Em 2002, foi ven-cedor do XVI Prmio Paranaense de Cincia e Tecnologia, promovido pelo Governo do Paran.A Academia Brasileira de Ci-ncias foi fundada em 1916 e tem como misso reconhecer e es-timular por meio de rigoroso processo de seleo entre os pares o ingresso em seus quadros dos mais importantes pesquisadores brasileiros que, pela liderana que exercem no avano das atividades cientficas e tecnolgicas do pas, podem ser considerados os legti-mos representantes da comunidade cientfica nacional.Professor da Universidade Federal toma posse na Academia Brasileira de CinciasA conferncia sobre desenvol-vimento sustentvel Rio+20, que acontece em junho, o debate sobre o novo cdigo florestal e tambm o cumprimento das metas previs-tas no Protocolo de Kyoto, para este ano, so alguns exemplos de questes que devem ser cobradas nos principais vestibulares do Pas. Para esclarecer estes temas e ajudar os vestibulandos a planejarem os estudos, o Curso e Colgio Acesso vai promover o Encontro Cultural sobre Sustentabilidade, que acon-tece no prximo sbado, dia 5, em Curitiba (PR). O evento aberto comunidade, mas as vagas so limitadas.Em formato de aulas compactas, o encontro ser ministrado por uma equipe multidisciplinar formada por professores das diversas disci-plinas que compem as provas dos vestibulares, incluindo o estudo de obras literrias que tratam do tema meio ambiente. O evento deve reunir cerca de 900 estudantes no auditrio Bento Mossurunga, do Colgio Estadual do Paran.De acordo com o organizador do evento, Ivo Lessa Filho, o En-contro Cultural tem o objetivo de elucidar as principais questes sobre o meio ambiente que esto sendo debatidas no momento e tambm auxiliar o estudante no planejamento dos estudos. O tema Sustentabilidade amplo, por isso, vamos utilizar a expe-rincia do nosso corpo docente em vestibulares anteriores para dar dicas exclusivas para que os nossos alunos estejam prepara-dos para as provas deste ano, explica.Para o superintendente do Pr-vestibular do grupo Acesso, Pedro Adriano Brandalize, o Encontro Cultural tambm tem a funo de conscientizar os jovens sobre os cuidados com o meio ambiente. a obrigao que ns educadores, responsveis pela formao dos futuros cidados, temos com o nos-so Pas, orientando e esclarecendo essa nova gerao, que representa o futuro do nosso planeta, conclui.Cada ingresso para o evento ser trocado por dois litros de leite, que sero doados posteriormente para instituies de caridade de Curitiba. Mais informaes e inscries pelo telefone (41) 3016-2682.Sustentabilidade a aposta dos cursinhos para os vestibulares em 2012H trs anos o Espao Gour-met Escola de Gastrono-mia o representante ofi-cial do Italian Food Style Education (IFSE), um dos maiores centros gastronmicos do mundo, locali-zado na regio de Torino, na Itlia. Anualmente, a escola envia alunos que j concluram o curso de Chef de Cozinha para se especializarem no ramo e se familiarizarem ainda mais com a cozinha e a cultura italiana. Humberto Augusto de Miranda, Chef de Cuisine formado pelo Es-pao Gourmet, voltou ao Brasil em fevereiro e de sua experincia, trouxe prtica e conhecimentos especficos daquela regio. Aps algumas se-manas de aulas, comecei um estgio no Ristorante La Pista del Lingotto, tradicional pela alta gastronomina italiana e piemontesa. A especializa-o me trouxe um vasto conhecimen-to cultural da vida gastronmica do italiano, sem contar a troca de expe-rincias entre as culturas brasileira e italiana, relembra o chef.Para os interessados nesta ex-perincia internacional, o Espao Gourmet Escola de Gastronomia est com as inscries abertas para a terceira edio do curso de espe-cializao em Cozinha Italiana. Os interessados podem escolher pelo IFSE Master com durao de seis meses; IFSE Intermedirio, IFSE Food Design e IFSE Exclusivo para brasileiros com durao de trs meses cada. Para participar, os chefs pre-cisam ter titulao de Chefs de Cuisine ou possuir formao em escolas de hotelaria e restaurantes, alm da fluncia em lngua inglesa ou italiana. A especializao na Itlia cuidadosamente preparada para brasileiros. Os alunos tero aula no Italian Food Style Education, alm do opcional de fazer estgio em restaurantes da regio. Aos participantes do curso Exclusivo para brasileiros, no necessrio o domnio da lngua local.Segundo o Chef Mrcio Silva, diretor do Espao Gourmet Es-cola de Gastronomia, os cursos na Itlia tem o objetivo de transmitir conhecimento e vivncia para quem deseja desenvolver habilidades em alimentos e design, que tem atra-do um nmero cada vez maior de profissionais de gastronomia. A gastronomia est em alta hoje em dia, e em tempos de Copa do Mun-do, nada mais oportuno que uma especializao como esta, que com certeza abre portas para o futuro, destaca. Os alunos tero aula no Italian Food Style Education, alm do opcional de fazer estgio em restaurantes da regioA Unidade de Negcios Produ-tos Estabelecidos da Pfizer acaba de lanar Cicloxx (meloxicam), medicamento que chega s far-mcias para disputar participao em um mercado importante, o de anti-inflamatrios no-esteroidais (AINEs) que, no Brasil, movimenta R$ 1,2 bilho anualmente e 100 milhes de unidades vendidas. Fruto da parceria entre Pfizer e Teuto, Cicloxx o primeiro de ou-tros produtos Teuto que passaro a fazer parte do portflio da Pfizer. O lanamento de Cicloxx a concre-tizao da proposta da unidade de ampliar o portflio da companhia e ocupar novas fatias de mercado com a identidade Wyeth Grupo Pfizer, conta Adilson Montaneira, diretor da Unidade de Negcios Produtos Estabelecidos. Junto com os lanamentos desta unidade, a Pfizer aposta cada vez mais nos medicamentos maduros. Reposicionamento e diminuio de preos de medicamentos maduros, reforo da promoo de diversas marcas junto classe mdica e lan-amentos foram algumas das estra-tgias implementadas que j esto dando resultados. Continuamos defendendo a participao de mer-cado desses produtos mesmo aps o vencimento de suas patentes, amenizando assim a diminuio natural nas vendas dessas marcas e prolongando o ciclo de vida dos produtos, explica Montaneira.Os resultados so significativos: um exemplo Zoloft (medicamento que trata a depresso), obteve um crescimento em vendas de unidades de 130,2% de 2010 para 2011. Zoloft tambm conquistou aumento de 73% em suas prescries de 2010 para 2011. Outro produto maduro com trajetria de sucesso foi Pre-marin (reposio hormonal para mulheres na menopausa) com as-censo em unidades vendidas: en-tre 2007 e 2011, o desempenho do medicamento foi de 18% negativo a 29%. Em reais o produto alcanou 36,3% de crescimento de 2010 para 2011. Se por um lado a Pfizer oferece medicamentos de inovao que atendem doenas complexas, de outro, a companhia dispe tam-bm dos produtos estabelecidos, j consagrados, essenciais para o tra-tamento de uma srie de doenas, comenta o diretor da Unidade.Pfizer lana medicamento oriundo do TeutoO Instituto Embelleze, maior rede de franquias de cursos profissionalizantes na rea de beleza da Amrica Latina, recebeu, no ltimo dia 26, pelo quarto ano consecutivo, o Selo de Excelncia em Franchising (SEF) 2012, na categoria Snior, concedido pela Associao Brasileira de Franchising (ABF).O SEF, que tem como principal objetivo reconhecer a qualidade e excelncia das empresas em relao a sua atuao como franqueadoras, bateu neste ano o recorde de outorgas, sendo 153 premiadas, num universo de duas mil em operao no Brasil e 179 inscritas. Para concorrer, as candidatas passaram por um rigoroso processo de avaliao, no qual foram considerados critrios como tica e tcnicas do franchising. Para Paulo Tanoue, principal executivo do Instituto Embelleze, a premiao representa o reconhecimento do trabalho planejado e executado pela rede, desde 1998, quando foi fundada. Graas unio dos esforos entre franqueador, franqueado e equipe, comprometidos com inovao, qualidade de ensino e transformao na vida dos alunos, o Instituto Embelleze consagra-se como modelo no sistema de franquias e referncia no segmento de educao profissionalizante na rea de beleza, afirma Tanoue.Instituto Embelleze recebe Selo de Excelncia