...

Pontuação - Aspas

by debora

on

Report

Category:

Education

Download: 0

Comment: 0

7,414

views

Comments

Description

 
Download Pontuação - Aspas

Transcript

  • 1. Sinais de Pontuação:
    “Aspas”
  • 2. As aspas tem como função “destacar” uma parte do texto.
    São empregadas nos seguintes casos:
  • 3. Antes e depois de citações ou transcrições textuais.
    Por Exemplo:
    Como disse Machado de Assis: "A melhor definição do amor não vale um beijo de moça namorada."
  • 4. Para representar nomes de livros ou legendas.
    Por Exemplo:
    Camões escreveu "Os Lusíadas" no século XVI.
  • 5. Para assinalar estrangeirismos, neologismos, gírias, expressões populares, ironia.
    Exemplos:
    O "lobby" para que se mantenha a autorização de importação de pneus usados no Brasil está cada vez mais descarado.(Veja)Que "maravilha": Felipe tirou zero na prova!
  • 6. Para realçar uma palavra ou expressão.
    Obs.: em trechos que já estiverem entre aspas, se necessário usá-las novamente, empregam-se aspas simples.
    Exemplos:
    Mariana reagiu impulsivamente e lhe deu um "não".
    "Tinha-me lembrado da definição que José Dias dera deles, ‘olhos de cigana oblíqua e dissimulada’." (Machado de Assis)
  • 7. Quando uma frase começa e termina entre aspas, o ponto final deve ficar entre aspas também.
    Exemplo:
    “Entre as estrelas e lá detrás da igreja, surge a lua cheia para chorar com os poetas." (Jorge Lima)
  • 8. Quando a frase não começa, mas termina entre aspas, o sinal de pontuação deve ficar fora das aspas.
    Exemplo:
    Paris é considerada a "cidade luz".
  • 9. Evite as construções em que apenas o ponto separa aspas fechadas de outras que abrem nova fase.
    Exemplo:
    O acusado disse que estava "enlouquecido no momento da briga". “Estou arrependido", acrescentou.
  • 10. Enquanto isso na Estilística...
    As aspas podem
    indicar uma
    grande ironia.
    Ex.: Como
    aquele intestino
    é “bonito”.
  • 11. Aspas, mas não comas
    Há aspas tão ásperasQue não se deve saberE comas tão amargasmelhor é não as comerSe aspas são abertasLevam duplo significadoSó lhes fecha o sentidoQuem é parvo ao quadradoAs comas só acrescentamQuem assim entenderOu fica-se pelas percebasSem nada delas perceber
    Mathilde Gonzalez e Marina Ramirez,
    pseudônimos de Conceição Bernardino
  • 12. Por:
    Camila Francisconi
    Débora Lazzari
    KleitonGuareze
    TaynaraCemin
    Turma 301
Fly UP