...

Análise do episódio "Consílio dos deuses"

by ines-moreira

on

Report

Category:

Education

Download: 0

Comment: 0

33,630

views

Comments

Description

 
Download Análise do episódio "Consílio dos deuses"

Transcript

  • 1. Narração da viagem para a ÍNdiaPicture 7 Estância 19
  • 2. Narração da viagem para a ÍNdia19 Já no largo Oceano navegavam, As inquietas ondas apartando; Os ventos brandamente respiravam, Das naus as velas côncavas inchando; Da branca escuma os mares se mostravam Cobertos, onde as proas vão cortando As marítimas águas consagradas, Que do gado de Próteu são cortadas, C. I
  • 3. Análise da estância 191. Identifica o narrador da estância 19 e classifica-o quanto à presença.O narrador é Luís de Camões e quanto à presença é heterodiegético.2. O narrador inicia a sua narração quando a ação já está a decorrer.2.1. Como se designa este processo de narração? Justifica.R.: Este processo de narração chama-se narração in media res (característica dogénero épico), porque o narrador começa a relatar os factos da viagem à Índiaquando os navegadores já vão a meio do percurso.2.2. Situa geograficamente a armada de Vasco da Gama no momento em que teminício o consílio dos deuses.R.: A armada de Vasco da Gama encontrava-se já no Oceano Índico, no canal deMoçambique, entre a costa sudeste africana e a ilha de Madagáscar «Já no largoOceano navegavam».
  • 4. 2.3. Assinala no mapa a posição das naus sugerida na estância 19.
  • 5. 3. Refere as condições climatéricas em que decorria a viagem. Justifica comexpressões textuais.R.: A viagem decorria com calma e serenidade. «As inquietas ondas»; « Os ventosbrandamente respiravam».4. Faz o levantamento dos vocábulos que pertencem ao campo lexical denavegação.R.: «Oceano»; «navegavam»; «ondas»; «ventos»; «naus»; «velas»; «escuma»;«mares»; «proas»; «marítimas»; «águas».5. Atenta nos versos: «Já no largo Oceano navegavam/ Quando os Deuses noOlimpo luminoso,».5.1. Identifica os planos narrativos presentes na estância 19 e no episódio do«Consílio dos Deuses no Olimpo». Justifica.R.: Na estância 19, estamos perante o plano da viagem, porque relata a viagemmarítima dos portugueses para a Índia, quando os navegadores estão em plenooceano Índico, ; no episódio do Consílio dos Deuses, estamos perante o planomitológico, pois narra a intervenção dos deuses reunidos em consílio.
  • 6. 5.2. Quadro/síntesePlanos narrativos Personagens Espaço Ação (Est. 19) Os Portugueses O oceano Índico Os Portugueses Plano da viagem (Vasco da Gama e (no canal de navegam rumo à os seu homens) Moçambique) Índia (Episódio) Os deuses O «Olimpo Mercúrio, por Plano mitológico luminoso» ordem de Júpiter, (Maravilhoso) convoca os deuses para uma reunião, a fim de discutirem se devem ou não ajudar os Portugueses a chegar à Índia («as cousas futuras do Oriente»)
  • 7. ANÁLISE DO EPISÓDIO «CONSÍLIO DOS DEUSES NOOLIMPO»
  • 8. CONSÍLIO DOS DEUSES PLANO DA VIAGEM PLANO MITOLÓGICO“Já no largo Oceano navegavam” “Quando os Deuses no Olimpo luminoso” Júpiter convoca o consílio para que os Deuses se pronunciem sobre o futuro dos Portugueses que pretendem chegar à Índia por mar. Júpiter reconhece o valor do povo português e pretende premiá-lo, ajudando os portugueses a encontrar um porto seguro onde possam repousar. Gera-se uma discussão Vénus e Marte defendem Baco opõe-se ao empreendimento e apoiam os Portugueses. dos Portugueses. Júpiter decide a favor dos Portugueses.
  • 9. 2. Os vários momentos do episódio: Localização das Momentos estânciasConvocatória 20Chegada ao Olimpo 21Descrição de Júpiter, do Olimpo e dos deuses 22-23Discurso de Júpiter 24-29Razões de 30-32BacoMotivos de Vénus 33-34Tumulto na Assembleia 35Descrição e discurso de Marte 36-40Decisão final de Júpiter 41
  • 10. «CONSÍLIO DOS DEUSES NO OLIMPO» = REUNIÃO , ASSEMBLEIA PERGUNTAS RESPOSTAS CITAÇÕES «Convocados ,da parte doQuem convoca e preside o Júpiter, o pai dos deuses. Tonante,»Consílio? Tonante = Júpiter, pai dos deuses Os deuses do Olimpo. «Quando os Deuses noQuem se convoca? Olimpo» Através de Mercúrio, o «Pelo neto gentil do velhoComo tomam conhecimento? mensageiro dos deuses Atlante» = Mercúrio Decidir se deixavam ou não «Se ajuntam em consílio os Portugueses chegarem à glorioso, / Sobre as cousasQual o objetivo da reunião? Índia futuras do Oriente»
  • 11. Caracteriza a divindade que presidiu ao Consílio, atendendo: Caracterização de Júpiter ao seu carácter divino. ao seu estatuto de chefe supremo dos deuses – detentor do poder. ««Alto poder»; «Do rosto respirava um ar divino ,/ Que «Que do poder mais alto lhe foi dado»; divino tornara um corpo humano» «Gesto alto, severo e soberano»; «voz grave e horrenda» (autoritário); «Com hũa coroa e ceptro rutilante» (símbolos do poder)
  • 12. Como se distribuem os deuses? Justifica com expressões do texto.Os deuses distribuem-se, no «Os outros Deuses, todosConsílio, hierarquicamente, de assentados/ Como manda a Razão e aacordo com a sua importância e Ordem concertavam/ (Precedem osinfluência no Olimpo, ou seja, os antigos, mais honrados,/ Mais abaixomais importantes perto de Júpiter os menores se assentavam)».e os menos importantes sentavam-se mais numa posição inferior.
  • 13. Regras de elaboração de uma convocatória Antes de iniciares a redacção da convocatória, pergunta e responde:Que reunião? Quem é convocado?Onde tem lugar? Para quando a realização da reunião?Quem convoca? Para quando a realização da reunião?Que ordem de trabalhos? Data da convocatória? Exemplo: Convocatória Associação de Estudantes da Escola EB 2,3 Dr. Pedro BarbosaNos termos do artigo 11º, ponto 1, dos Estatutos da Associação, convocam-se todos os alunospara uma assembleia geral, a realizar no dia 5 de Novembro, pelas 17 horas, no Polivalente daEscola, com a seguinte ordem de trabalhos:7.Apresentação das contas do ano letivo 2010/2011.8.Plano de Actividades e Orçamento da Associação para o ano lectivo 2011/2012. Viana do Castelo, 20 de Outubro de 2011 O Presidente da Assembleia Geral A n t ó n io P e r e ir a
  • 14. Completa a convocatória do Consílio dos Deuses. Convocatória JúpiteConvocam-se, por soberana decisão do alto e sublime __________, pai e chefe r Terra Mar deusessupremo dos Céus , da _________ e do ______, todos os __________, para um consílio Olimpo 20_________ glorioso , a realizar no __________ luminoso, no dia _____ de Fevereiro 10 30__________ de 1498, pelas _____ horas e ____ minutos, com a seguinte ordem detrabalhos:Ponto Decidir o futuro dos Portugueses no Oriente. único :_________________________________________________________ Olimpo, 17 de Fevereiro, de 1498 Júpiter O Presidente dos Deuses ________________
  • 15. Atenta no discurso de Júpiter (est.24 - 29).Indica a sua posição e aponta as razões da sua decisão relativamente aos Portugueses. Discurso de Júpiter Posição Razões da decisão a) O desígnio dos Fados (destino): os Portugueses tornar-se-ão mais famosos do que os povos da Antiguidade (est. 24, vv. 6-8)Júpiter decidiu ajudaros Portugueses a b) O valor guerreiro dos Portugueses «cum poder tão singelo e tãoencontrarem um porto pequeno» na luta contra:seguro na costa - o «Mouro forte e guarnecido» (est. 25, v. 2);africana, para - «O Castelhano tão temido» (est.26, v. 5);poderem descansar e -os Romanos (senhores de um grande império) (est. 26).para se reabastecerem c) A coragem e a ousadia deste povo que:antes de continuarem -Atravessa o «duvidoso mar num lenho leve» (est.27, v.2);viagem (est. 29, VV. 5-8). - não teme a força dos ventos (est. 27, vv. 3-4); - «a mais se atreve» (est. 27, v.4); - falta concretizar-se o que está prometido: o governo dos mares do Oriente. d) A sua persistência apesar: -do tempo já decorrido (est. 27, vv. 5-6); - do cansaço (est.28,v.6) - das dificuldades da viagem: «duro Inverno»; «ásperos perigos»; «climas e céus experimentados»; «furor de ventos inimigos» (est. 28-29)
  • 16. O debate dos deuses (est. 30- 40)Tendo em conta as intervenções dos oradores no Consílio, completa o quadro: Baco Vénus MartePosição face à decisão Discorda Concorda Concordade JúpiterArgumentos e razões Baco, motivado pelo Vénus levada pela Marte apoia osdessa posição despeito e pela inveja, simpatia que sente pelos Portugueses visto queassumida opõe-se à chegada dos Portugueses apoia-os e apoia Vénus «porque o Portugueses à Índia: argumenta que: amor antigo o porque: - este povo se assemelha obrigava»; - tem receio de ser ao povo romano: pelas - admira o mérito dos esquecido, de perder o qualidades guerreiras e Portugueses «esta poder e a fama que pela língua semelhante à gente(…) cuja valia e alcançara no Oriente , latina; obras sempre amaste»; caso os Lusos lá - sabe que os Lusos - a denúncia da inveja cheguem. (est. 30-32). torná-la-ão célebre onde de Baco que alimenta a (Baco é o primeiro a quer que cheguem. (est. sua posição; intervir porque é o 33-34) - o apelo a Júpiter para deus mais prejudicado). que, fazendo justiça à sua firmeza de carácter, mantenha a decisão tomada de ajudar os navegadores.
  • 17. Caracteriza o deus Marte. Caracterização de Marte Marte, o deus da guerra, estava aborrecido «(Merencório no gesto)»; usava um «forte escudo» e «A viseira do elmo de diamante»; ergueu-se diante de Júpiter «medonho e irado»; «mui seguro»; «armado forte e duro»; bateu com o «conto do bastão» no solo. Marte, no seu discurso, revela poder de decisão, firmeza e a segurança de um chefe militar.Identifica o plano simbólico dos deuses. Plano simbólico dos deuses Baco Vénus MarteBaco simboliza as forças do Vénus simboliza a Simbolicamente, Marte(ouOriente que resistem a essa civilização ocidental e o seu o recurso à conquista) faráexpansão e ao domínio que desejo de expansão para pender a balança para odaí pode advir. Oriente. lado dos Portugueses.
  • 18. Função actancial das personagens Adjuvante OponenteQuando o sujeito apoia e ajuda Quando o sujeito não apoia nemo herói da acção a conseguir ajuda o herói da narrativa aalcançar os seu objectivos. conseguir os seus objectivos.
  • 19. Função actancial dos deusesPreenche a grelha, tendo em conta a posição assumida pelos deuses no Consílio (C. I, 23 a 41). Deuses Posição Motivos Adjuvante Oponente  Os Fados tinham já determinado que os Portugueses ultrapassassem a glória dos Assírios, Persas, Gregos e Romanos. Júpiter X Destaca o valor guerreiro dos Lusos que venceram os povos da antiguidade. ____________________________________________________________ ____ Evidencia a coragem e ousadia dos Portugueses. ____________________________________________________________ ____ Realça a persistência dos nautas, apear das dificuldades da viagem.  ____________________________________________________________ ____  Tinha dominado toda a Índia, sendo a sua memória celebrada; temia, por Baco X isso, que o seu nome caísse no esquecimento.  Gostava da gente lusitana, pelas qualidades que via neste povo, semelhantes às do povo romano, que ela tanto amava. Vénus X Sabia que os Portugueses a tornariam célebre onde quer que chegassem. _____________________________________________________________ ____ Marte favorece os Portugueses visto que apoia Vénus, que amara no passado. Admira o mérito dos Portugueses .  ____________________________________________________________ ____ Marte X Denunciou a inveja de Baco.  ________________________________________________________________  Apela a Júpiter para manter a decisão de ajudar os Portugueses.___
  • 20. Os deuses referidos neste episódio de Os Lusíadas pertencem à mitologia clássica.1. Identifica o processo de formação da palavra mitologia.R.: Mitologia – palavra composta por aglutinação a partir dos radicais gregos: mito[fábula] + logia [discurso, tratado, ciência]. 1.1. Completa as frases com a palavra mais adequada:Desmistificam; mitologia; mitólogo; mitos; mítico. desmistifica1) Muitas biografias _____________ personagens famosas. m mítico2) Camões é um escritor _______. mitologia3) A _________ é a história fabulosa de heróis e deuses da Antiguidade. mitos mitólogo4) Durante anos estudou os ______. É um grande _________.
  • 21. Identifica as figuras de estilo presentes nas citações. Citações: Figuras de estilo«Pelo neto gentil do velho Atlante» (est.20) = Mercúrio . Perífrase«A Aurora nasce e o claro Sol se esconde» (est. 21) = Oriente Perífrase«O Céu tremeu, e Apolo, de torvado,/ Um pouco a luz perdeu»(est. 37). Hipérbole
  • 22. Regras de redação de uma ata1. Estrutura: Data e hora exactas; Local; Fórmula de abertura Natureza da reunião; Pessoas convocadas (assinalam-se também os ausentes); Ordem de trabalhos. Relato dos acontecimentos de acordo com a ordem pela qual foram abordados; Fórmula de encerramento; Assinaturas de quem presidiu e de quem secretariou a reunião.2. Linguagem/ técnicas de escrita: A linguagem deve ser clara e objectiva de modo a reproduzir fielmente o que foi dito e decidido. Todos os números devem ser escritos por extenso. A acta não pode ser apagada ou rasurada. Em caso de engano, escreve-se a palavra «digo» seguida da forma correcta. Todos os espaços em branco devem ser trancados. Não deve ter considerações pessoais do secretário, dado que é um documento que regista o que se passou para a posteridade. No caso de te esqueceres de alguma informação , escreves antes das assinaturas a expressão «em tempo» e acrescentas a informação.
  • 23. MODELO DE ATA (1) Acta número _________F aó b Aos _____________ dias do mês de _____________ de (ano)_____________________ realizou-se,r em r pelas (horas)_______ no (local)___________ um Consílio dos Deuses com as seguinte Ordem deu tl u Trabalhos:_______________________________________________________________________________a r a Ponto único:_____________________________________________________________________________.d ___ A reunião foi presidida por ______________ tendo estado presentes todos os deuses convocados.e A abrir a sessão, Júpiter (registo do desenrolar do Consílio intervenções, deliberações, etc.) ___________ __________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________ E ________________________________________________________________________________ n c e Nada mais havendo a tratar, deu-se por encerrada a sessão de que se lavrou a presente ata, que, depois r r de lida e aprovada, vai ser assinada nos termos da lei. ____________________________________ a m O Presidente:____________________________________________________________________________ e n O Secretário: ______________________________________________ t o (1) Este modelo de ata tem referências específicas ao Consílio dos Deuses, para facilitar a actividade proposta.
  • 24. Imagina que tiveste o privilégio de assistir à reunião dos deuses e foste designado secretário.Lavra a ata do Consílio, seguindo este esquema: Ata do Consílio dos Deuses…………………………………………………….Ata número um ………………………………………………………..Aos _____ dias do mês de _______________ do ano de mil quatrocentos e noventa e oito,reuniram-se, pelas __________ horas e _______________ minutos, no _____________, todos osdeuses, sob a presidência de ______________, pai dos deuses e deus dos____________ e dos_________________,com a seguinte ordem de trabalhos: ……………………………………………………………….Ponto único: _____________________________________________________________________.O Presidente do Consílio deu inicio à sessão, lembrando aos membros presentes _______________________________________________________________________________________________ .Em seguida, traçou, de forma elogiosa, o percurso ______________________________________________________________________________ e decidiu _________________________________ .Baco ___________________________________________________________________________ .Por seu turno, Vénus _____________________________________ . Uma posição secundada por________________________________________________________________________________ .Ouvidos todos os argumentos, _____________, tendo aspergido________________________________________________________________________________ .E, nada mais havendo a tratar, foi encerrada a sessão, da qual se lavrou a presente acta que, depoisde lida e aprovada, vai ser assinada nos termos da lei do Fado eterno……………………………………………….O presidente: _____________________________________________________________________O Secretário: ______________________________________________________________________
  • 25. Ficha autocorretiva da redação da ataNa ata escrevi: Sim NãoA data e a hora exatasO localA natureza da reuniãoAs pessoas convocadas (presentes e ausentes)A ordem de trabalhosOs aspetos fundamentais das intervençõesAs votações (no caso de as haver)As decisões tomadasA fórmula de encerramento
  • 26. Ficha autocorretiva da redação da ataNão me esqueci ainda de: Sim NãoRelatar os assuntos pela ordem em que foram tratados na reunião.Usar o mínimo de palavras para relatar as ideias essenciais.Utilizar um vocabulário objetivo e claro.Usar as palavras ou expressões adequadas para articular parágrafose frases.Escrever os algarismos por extenso.Trancar os espaços em branco.Utilizar a palavra «digo» para corrigir um engano.Ao passar a limpo o texto, tive em conta: Sim NãoA pontuaçãoA ortografiaA apresentação.NB: No caso de te esqueceres de alguma informação, escreves antes dasassinaturas a expressão «em tempo» e acrescentas a informação.
  • 27. ATA DO CONSÍLIO DOS DEUSES____________________________ Ata número um __ _________________________________Aos vinte dias do mês de Fevereiro de mil quatrocentos e noventa e oito, reuniram-se, pelas dez horas etrinta minutos, no Olimpo, todos os deuses, sob a presidência de Júpiter, pai dos deuses e deus dos raios edos trovões , com a seguinte ordem de trabalhos: ______________________________________________Ponto único: Decidir o futuro dos Portugueses no Oriente . _______________________________________O Presidente do Consílio deu início à sessão, lembrando aos membros presentes o destino glorioso dosPortugueses. ____________________________________________________________________________Em seguida, traçou, de forma elogiosa, o percurso do povo luso, que no passado lutou contra os Mouros eos Castelhanos, na senda das proezas de Viriato e de Sertório; no presente referenciou os perigos daaventura marítima dos navegadores portugueses, que, no futuro, dominarão o Oriente segundo os Fados,e decidiu apoiar a já desgastada frota de Vasco da Gama, na costa africana.________________________________________________________________________________________Baco, movido pela inveja, opõe-se à chegada dos Portugueses à Índia, pois receia ser esquecido noOriente se os Portugueses tiverem sucesso.__________________________________________________________Por seu turno, Vénus está a favor da conquista da Índia pelos Portugueses, movida pela simpatia quenutre por este povo e o desejo de ser celebrada no Oriente, salientando as suas semelhanças com osRomanos, no valor guerreiro e na língua. Uma posição secundada por Marte, que é movido pela suapaixão por Vénus, mas também pelo mérito dos Lusos. O deus da guerra denuncia a inveja de Baco eapela a Júpiter para que mantenha a sua decisão de ajudar os Portugueses.______________________________________Ouvidos todos os argumentos, Júpiter decidiu que os Portugueses conquistariam os mares do Oriente echegariam à Índia, tendo aspergido o néctar dos deuses, estes partiram para os seus domínios._________E, nada mais havendo a tratar, foi encerrada a sessão, da qual se lavrou a presente ata que, depois de lidae aprovada, vai ser assinada nos termos da lei do Fado eterno. ____________________________________O Presidente: Júpiter________________________________________________________________________
Fly UP