• revistavitti.com.br | Vitti | 1Abril, 2015 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA VENDA PROIBIDA Vale do Paraíba, Litoral Norte e Sul de Minas www.revistavitti.com.br Edição 112 - Ano 10 Abril, 2015 Foto capa: Rodolfo Magalhães Mercado Imobiliário Félix Imóveis Especiais apresenta conceito de Open House Especial Saúde & Bem Estar Negócios Padrões, Valores e Verdades Economia Saiba como investir no Tesouro Direto CAPA Marcelo Malerba Confira entrevista com o empresário de Lorena que comanda uma cafeteria que figura entre as 20 melhores do país
  • 2 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 3Abril, 2015 Abril, 2015
  • 4 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 5Abril, 2015 Abril, 2015 Correio Vitti Fale conosco: opine, critique e dê sugestões. Escreva para: redacao@revistavitti.com.br CApA Março 2015errata Edição de Março 2015 Na foto ao lado, publicada na coluna Socorro in Foco (p. 36) da edição passada, a legenda correta é: blogueira Luciana Tranchesi e Thais Vargas, no Fashion + Art em São Paulo. DiretorA: Marcela Vitti Assistente: Isaura Silva DiAgrAmAção: Bruno Moura eDitor De Arte: Victor Pereira JornAlistA responsáVel: Ronaldo Casarin - MTB 52246 reVisão: Ronaldo Casarin foto DA CApA: Marcelo Malerba (Foto: Rodolfo Magalhães) repórter fotográfiCo: Will Anraku ColunistAs: São José dos Campos e Jacareí: gilberto freitas, marilda serrano e edu rosa - Caçapava: Anna Dennz Taubaté: socorro pinto e José luiz - Lorena e Aparecida: peter iote ligia Ballot Sul de Minas: Carlos moura. ColABorADores: rAfAel ferro, mAriAne BArros, JuliAnA Bueno, ADilson peloggiA, murilo BArACho, Antonio BArBosA filho, felipe guArnieri, fABiAnA ferreirA, CArlos mArConDes, ArCione ViAgi e ÉriCo pAmpADo Di sAntis. DiretorA ComerCiAl: Marcela Vitti (12) 98122-3000 / 7812 4527 / 90*1463 - marcela@revistavitti.com.br tAuBAtÉ / CAçApAVA / pinDA: Parê Guerson (12) 3624-5610 / 7812-4526 / 90*1461 / 98106-3500 - pareguerson@gmail.com são JosÉ Dos CAmpos / uBAtuBA: Marcela Vitti (12) 98122-3000 / 7812-4527 / 90*1463 - marcela@revistavitti.com.br guArAtinguetá / ApAreCiDA / lorenA: Benê Carvalho (12) 98133-2984 - carvalho.bene@ig.com.br sul De minAs: Luigi Scianni (12) 9781-5623 - luigiscianni@gmail.com DistriBuição: Rodrigo Melo Gratuita e dirigida às cidades de Taubaté, Quiririm, São José dos Campos, Caçapava, Pindamonhangaba, Guaratinguetá, Lorena, Campos do Jordão, Santo Antônio do Pinhal, Tremembé, Cruzeiro, Ubatuba e Sul de Minas Impresso no parque gráfico da Resolução Gráfica Ltda. AtenDimento Ao Cliente: (12) 3632-3060 / 7812-4525 / 90*1462 - Rua dos Operários, 118 - Taubaté - SP Os artigos, matérias, opiniões e anúncios aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, e não refletem necessariamente a opinião da Revista Vitti. É proibida a reprodução total ou parcial da revista sem autorização da Revista Vitti. “Um luxo a edição da Vitti de março. Adoro as colunas sociais da revista, sempre feitas com muito capricho. Parabéns a todos os colunistas e à equipe Vitti. Vocês são demais!” Pietra Künch, via Facebook “Quero parabenizar vocês pelo artigo “Desenvolvimento eficiente das grandes cidades”, feito pelo Peter Iote. Este é um assunto de enorme importância e que por vezes é esquecido pelos prefeitos e governadores, que deveriam ser os mais interessados em ver nossas cidades se desenvolvendo e crescendo de forma correta, evitando a degradação dos municípios. ” Robson Cantero, por e-mail “Ainda em tempo. Parabéns, Lani Goeldi, pela matéria sobre a arte que vem do guarda chuva, inspirações e obras do grande mestre xilogravurista Oswaldo Goeldi.” Ilona Heidriche, via Facebook RO dO LF O M AG AL hã eS Editorial entreVistA marcelo malerba ..................................................... 10 Batemos um papo com o empresário de Lorena que está à frente de uma das cafeterias que figuram no Top 20 nacio- nal. Marcelo fala sobre a bebida mais famosa do Brasil, do mercado e das novidades para 2015. imóVeis félix imóveis especiais lança conceito de open house.. 20 negóCios padrões, Valores e Verdades ..............................................26 eConomiA um novo mapa do tesouro .........................................32 turismo Delícias do outono ......................................................38 ponto De VistA mobilidade sem fronteiras............................................54 esporte rainha da montanha e Volta dos romeiros ................66 meio AmBiente É preciso salvar a mata Atlântica ...............................69 gAstronomiA experimentando o Agridoce .........................................71 CADerno espeCiAl sAúDe ..................................75 Já estamos no outono, e com as temperaturas mais amenas, um cafezinho vai muito bem, não é? Se você é fã da bebida, vai curtir a entrevista especial desta edição, com o empresário Marcelo Maler- ba, proprietário e barista do Malerba Café, de Lorena. Na conversa, ele contou como iniciou neste apaixonante universo dos cafés especiais e trouxe algumas novidades interessantes do setor para este ano. Vale a pena conferir. Outro destaque desta edição de abril é o nosso já co- nhecido e prestigiado Caderno Especial de Saúde. Os mais renomados profissionais da região assinam artigos abordando diversas áreas, e reportagens complementares ilustram mais este especial preparado com muito carinho. Nossos colunistas sociais capricharam este mês e tra- zem uma seleção de fotos dos eventos mais importantes que agitaram as principais cidades do Vale do Paraíba. Não deixe de conferir quem brilhou e foi notícia. Confira ainda matérias e artigos sobre gastronomia, cinema, turismo, negócios, esportes, economia e muito mais. Boa leitura, aproveite mais esta edição preparada por nosso time com muito esforço e cuidado, e que este início de outono seja agradável para todos nós. marcela Vitti Diretora “Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas. Em ti me alegrarei e salvarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.” SALMO9:1-2 um papo sobre Café e saúde Índice Índice Abril 2015 | Edição 112 | Ano 10 Cartas
  • 6 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 7Abril, 2015 Abril, 2015 pArê guerson Vendas Bruno mourA dIaGRaMadOR CArlos mourA COlunIsta sul de MInas soCorro pinto COlunIsta taubaté ligiA BAllot COlunIsta apaReCIda AnnA Dennz COlunIsta CaçapaVa JosÉ luiz COlunIsta taubaté eDuArDo rosA COlunIsta JaCaReí mArilDA serrAno COlunIsta sãO JOsé dOs CaMpOs peter iote COlunIsta lORena gilBerto freitAs COlunIsta sãO JOsé dOs CaMpOs fABiAnA ferreirA COlunIsta de espORte mAriAnA JunqueirA COlunIsta sãO JOsé dOs CaMpOs guilherme mArtini COlunIsta CaMpOs dO JORdãO isAurA silVA assIstente ViCtor pereirA edItOR de aRte Benê CArVAlho Vendas COlunIsta GuaRá Will AnrAKu FOtóGRaFO ronAlDo CAsArin edItOR roDrigo melo dIstRIbuIdOR Nossa equipe
  • 8 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 9Abril, 2015 Abril, 2015 Pastilhas Atlas. Matéria prima, tecnologia e talento 100% brasileiro.
  • 10 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 11Abril, 2015 Abril, 2015 Entrevista Fo to s: Ro do lfo M ag al hã es Peça para ele se definir. Prova-velmente ouvirá deste empre-sário e designer de 37 anos que ele é simplesmente “um apaixo- nado por café”. Batemos um papo com Marcelo Malerba, de Lorena, que investe pesado na divulgação e valo- rização do café como um item gas- tronômico. Desde que o café se instalou em sua vida, Marcelo tem se dedicado ao ofício de barista e fala sobre a bebida mais famosa do Brasil, do merca- do e das novidades para o público. Por Ronaldo Casarin Vitti - Como você se interessou pelo café e qual o caminho até a fundação do Malerba Café? Marcelo Malerba - Eu não fui atrás do café, nem tinha o hábito de beber café. Foi o café que foi se instalando na minha vida, sem pedir licença. Tinha acabado de me formar em Design de Produto na Faculda- de de Belas Artes de São Paulo, e já estava sem vontade de viver aquela vida agitada na capital. Nesta fase, ouvia constantemente uma voz interior me di- zendo para voltar para Lorena. Ra- cionalmente, marcelo malerba não via razão em voltar. Era um recém formado pronto para ingressar no merca- do de design e no interior as ofertas neste ramo são muito restritas. Naquele mo- mento de indecisão pedi a Deus um sinal de que rumo deveria tomar. Poucos dias depois recebo uma ligação do meu pai di- zendo que a Shell finalmente aprovou a instalação de uma loja de conveniência em Lorena, e que só entraria neste novo mercado se eu tomasse frente da operação. Minha família administra há 64 anos o Posto Malerba, e naquele tempo a Shell realizava anualmente um estudo de mer- cado para analisar a viabilidade de uma oferta de conveniência na cidade – e justo naquele ano a ideia foi aprovada. Confiei no sinal, arrumei minhas malas e no iní- cio de 2003 já estava de volta a Lorena. Vitti - Como foi o processo de cria- ção dos conceitos que moldaram o Ma- lerba Café? M.M. - Foram três anos de projetos, estudos e reformas até que em julho de 2006 a loja estivesse funcionando. Éramos uma loja de conveniência que tinha uma máquina de café e hoje somos uma das 20 melhores cafeterias do Brasil que também oferece alguns produtos de conveniência. Por ser um formato novo na cidade, fize- mos muitos eventos para promover o ne- gócio e trazer as pessoas para dentro do espaço. Passamos então a comemorar o Dia Nacional do Café, em todo dia 24 de maio, iniciativa que cresceu e se tornou o que hoje é a Semana do Café de Lorena. Vitti - Como foi sua iniciação na ati- vidade de barista, profissional especia- lizado em café? M.M. - Em uma das reuniões de mon- tagem da loja, nos dividimos para orçar os equipamentos necessários, e eu fiquei responsável pela máquina de café. Como não tinha o hábito de beber café até então, orcei aquelas máquinas automáticas. Um gerente que participava da montagem sugeriu uma máquina de café espresso e eu reagi imediatamente. Achei uma loucura, pois acreditava que precisava de O mercado de cafés de alta qualidade cresce de forma sólida e constante ano a ano. ” “ muito conhecimento para saber operar aquela máquina, e fui contra. Mas, para meu desespero a máquina de espresso foi escolhida por votação. Como não con- cordava com a decisão, nem participei do treinamento de operação porque achava que aquilo iria afundar o novo negócio. Passei meses sem passar perto da má- quina. Até que um cliente me perguntou: “Esse café é arábica?” – e eu não soube responder. Ali percebi que não tinha jeito e que tinha que estudar. Me inscrevi num curso básico de barista, e desde lá não pa- rei mais de estudar e transformar minha forma de entender e oferecer café. Vitti - Você é um profissional que preza muito pelo preparo na hora de servir o café. Qual a importância dessa preparação? M.M. - Investi muito em estudo. Após o curso básico, levei um ano para lançar nossa primeira carta de cafés. Precisava deste tempo para colocar toda a teoria em prática. Em São Paulo, conheci a Re- vista Espresso e ela passou a ser, aliada aos cursos, minha fonte essencial de co- nhecimento. Meu segundo curso foi um de cafés caseiros, ministrado por Isabe- la Raposeiras. Tenho este dia como um marco na minha vida, pois ali fui apre- sentado aos cafés de alta qualidade. Vitti - No mês de maio acontece a 4ª edição da Semana do Café de Lorena. Como será este evento este ano? M.M. - Acontecerá entre os dias 21 e 24 de maio no salão de eventos do Ma- lerba Café, em Lorena. O evento reúne apreciadores de café, profissionais e inte- ressados para aprender e discutir temas sobre o universo do grão. Nesta edição, não vamos trazer um tema específico. O evento vem para ser um divisor de águas, um encontro informal. A decisão foi to- mada a partir da resposta positiva que tive dos participantes e palestrantes nas edi- ções anteriores. O evento contará com 15 palestrantes neste ano. Já confirmaram presença Isabela Raposeiras (barista, pro- prietária do Coffee Lab), Mariano Martins (Martins Café), Andreson Ramos (baris- ta), Luis Vilela (produtor), Giuliana Bastos (jornalista), Kelly Stein (jornalista), Lu- cas Salomão (barista, campeão brasileiro de Preparo de Cafés; Libermac), Luciano Salomão (barista; Wolff Café) e Mariana Proença (diretora de redação da revista Espresso), além de outros especialistas e interessados. O Sofá Café levará o projeto “Fazedores de Café” ao evento. A partici- pação na Semana do Café de Lorena é gra- tuita, sem restrições e não há necessidade de inscrição. É só chegar! Vitti - Qual o segredo para ser um bom barista e obter sucesso com o pú- blico consumidor de café? M.M. - Trabalhar com café não é fácil, e é isso que mais me instiga. Mudanças de temperatura e umidade no ambiente influenciam consideravelmente na extra- ção. Nunca estamos em piloto automá- tico na operação, porque café não é só paixão. Exige método, rigor, técnica. O barista é o profissional que atua no final de uma complexa cadeia. Mesmo com os melhores equipamentos e grãos, se o barista não souber regular um moinho adequadamente, acaba com o trabalho de todos os profissionais que vem antes dele na cadeia. Definimos padrões rigorosos de qualidade para garantir a melhor xíca- ra de café que a nossa habilidade técnica possa extrair, aliada à emoção que só um coração apaixonado pelo que faz é capaz. Vitti - Sobre o mercado do café, qual a avaliação que você faz atualmente? Há um bom público consumidor dos cafés especiais, de qualidade superior? M.M. - O mercado de cafés de alta qualidade cresce de forma sólida e cons- tante ano a ano. Conseguir convencer a população a consumir um produto sob uma nova perspectiva de qualidade é um enorme desafio visto que eles já têm uma referência do sabor do café que difere mui- to do que atualmente propomos. Alguém poderia imaginar beber um café sem amargor? Amargor em café é considera- do defeito, tecnicamente falando. Existem cafés com uma doçura natural tão acen- tuada que muitos dos meus clientes já dis- pensam o uso do açúcar. Temos consegui- do mudar hábitos através da informação e experimentação do produto. No primeiro contato, o café especial causa certo estra- nhamento porque foge de todo registro que você tem sobre café. Mas o próprio produto, com o consumo contínuo, vai fazendo esta transição e consolidando a preferência. Quem se acostuma, não con- segue mais beber os “cafés de combate” que o mercado oferece. É um trabalho de formiguinha, mas que já está incomodan- do as marcas líderes. Vitti - Quais são seus próximos pla- nos como empresário? M.M. - O próximo passo é a expan- são. Em uma parceria que muito nos orgulha, inauguraremos nos primeiros dias do segundo semestre uma nova casa especializada em café, cerveja e carne. O serviço de café será, claro, por nossa con- ta. Quando o assunto é cerveja no Vale, nada melhor que a expertise dos meninos da Cervejaria do Gordo. E todos nós, jun- tos, nos dedicaremos a um mercado novo para ambos: as carnes nobres, no melhor estilo das Parrillas argentinas. A cidade escolhida é Guaratinguetá.
  • 12 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 13Abril, 2015 Abril, 2015 A SOFISTICAÇAO E O BOM GOSTO CHEGARAM AO TAUBATÉ SHOPPING... 2Projeto de ambientes planejados para residência de até 50 m - Valor a vista R$11,528.00 - Valor total a prazo R$ 17.964,00, 36 fixas de R$ 499,00 - Taxa 2,6% a.m – de acordo as seguintes características. Dormitório casal: Armário 4 portas de giro/ 1,385 larg.x55 prof.2,35 alt./3 gavetas/5 * prateleiras/2 cabideiros/acompanha fechamento lateral e superior/painel cama 2.40 largx37.5 altura/2 nichos 75 largx35 prof x35 alt/projeto caixas brancas 15 mm MDF/painéis e portas 15mm colorido MDF/puxador alumínio/corrediça telescópica. Dormitório solteiro: Armário 4 portas de giro/ 1,385 larg.x55 prof.2,35 alt./3 gavetas/5 prateleiras/2 cabideiros/acompanha fechamento lateral e superior/ painel cama 1,60 largx37.5 altura/1 nicho 75 largx35 prof x35 alt/projeto caixas brancas 15 mm MDF/painéis e portas 15mm colorido MDF/puxador alumínio/corrediça telescópica. Lavandeira:1 armário de 2 portas de giro 60 largx66 alturax324 prof/caixa branca 15 mm MDF/portas colorida MDF/puxador alumínio. Banheiro:1 armário de 2 portas de giro 60 largx66 alturax494 prof/ caixa branca 15 mm MDF/portas colorida MDF/puxador alumínio. Cozinha:3 armários superiores com 2 portas de giro cada 80 largx66 altx324 prof/ /armário inferior 1 armário 2 portas de giro 80 largx66 altx55 prof/1 gaveteiro 4 gavetas/corrediça telescópica/ giro 40 largx66 altx55 prof/1 porta talheres/ caixa branca 15 mm MDF/portas coloridas MDF/puxador alumínio/acompanha fechamentos superior e lateral. Home Theater: 1,20largx2,05 alturax40 profundidade/1 gaveta/1 nicho/1 prateleira/ caixa branca 15 mm MDF/portas e painéis coloridos MDF/puxador alumínio/acompanha fechamentos superior e lateral. www.sof isticattomoveis.com.br Loja Jardim Satélite: Av. Andrômeda, 1382 | 12 3302.4920 | loja3@sof isticattomoveis.com.br Loja Vale Sul Shopping: piso Vale do Paraíba | 12 3341.1825 | loja5@sof isticattomoveis.com.br Loja Taubaté Shopping | loja7@sof isticattomoveis.com.br | NOVA! Loja Vila Ema: R. Madre Paula, 508 | 12 3941.7197 | loja1@sof isticattomoveis.com.br
  • 14 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 15Abril, 2015 Abril, 2015 Amigos e familiares se reuniram para pres- tigiar o lançamento do blog de Luiz Bhitten- court, em São José dos Campos. No dia 24 de março aconteceu o já consagrado Jantar às Cegas, no Restaurante Santa Figueira, em Temembé. A noite foi um sucesso; uma experiencia sensorial única! Adriano comemorou mais um aniversário ao lado de amigos e familiares. Adriano Andrade, Luiz Bhittencourt e Gisele Freymann Mario Vaz Lima e Adriana Rodrigues Eduardo Moreira, Rosângela Vasconcelos e Luiz Bhittencourt Adriano, Dj Edú Zotine e Leandro Carol e Adriano Gi lb er to F re ita s So l F er re ira Ca ro l T om ba Vitti Acontece Marcela, Presidente ADV Vale Luiz, vereadora Gorete e Hédipo Alexandra e Marco Antonio O chefe César Diláscio sendo entrevistado pela equipe do Vanguarda Mix Taubaté Design (12) 3681.1855 Av. Professor Walter Thaumaturgo (Av. do Povo), 570 - Jd. das Nações
  • 16 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 17Abril, 2015 Abril, 2015 Vitti Acontece Foi comemorado em grande estilo o aniversário de 15 anos anos da bela Bianca Barreto. Parabéns! Jamili Socuta e Luciana Mieko premia- das no Prêmio Profissionais do Vale 2014, realizado no dia 5 de fevereiro. Juliane Campello recebeu em sua casa amigas e alunas para uma aula de ZUMBA em comemoração ao dia Internacional da Mulher. dr. Gilberto Victor no Congresso Mundial de estética e Medicina. dr. Paulo Moura Carvalho médico oficial da Marinha brasileira. Taubaté recebeu os V Jogos Paulistas, com competições de atletismo, goal- ball, natação, xadrez, judô e futebol de 5, que aconteceram nos dias 21 e 22 de março. A competição foi organizada pela Federação Paulista de desporto para Cegos – FPdC e contou com a presença de atletas de 21 cidades. Comemorando 31 anos de casados, Marcos e Marina Ayello no Resort&Spa Victoria hoi An Beach, no Vietnan. Convidado, Vereadora Gorete, Presidente ADV Vale Luiz, Prefeito Ortiz Jr, Vice diretora do Madre Cecilia Lili Jogadores, Assessor de Gabinete Hédipo, Presidente ADV Vale Luiz Vice diretora do Madre Cecilia Lili, Presidente ADV Vale Luiz, Vereadora Gorete, Prefeito Ortiz Junior, Convidados, Macaé e Gilcely
  • 18 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 19Abril, 2015 Abril, 2015 AReZZO PINdA AReZZO TAUBATÉ AReZZO GUARÁ inverno 2015 Arezzo Social Arezzo Inspirada pelas principais referências de estilo das últimas décadas, a coleção Inverno 2015 Arezzo faz um resumo da moda contemporânea. Com opções para os mais diferentes perfis de mulheres, a coleção Inverno 2015 Arezzo revista clássicos e faz uma viagem pelos principais hits da moda, que passa pelos efervescentes anos 60, ao minimalismo dos anos 90. Todas as lojas Arezzo do Vale do Paraíba, fizeram um super coquetel com clientes e amigos para brindar a chegada do Inverno 2015! AReZZO COLINAS AReZZO JACAReí AReZZO CeNTeRVALe AReZZO VALe SUL
  • 20 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 21Abril, 2015 Abril, 2015 O Open House é uma ação muito im- portante para venda de um determinado imóvel. Criado no mercado imobiliário dos Estados Unidos tornou-se recorrente, pois oferece uma boa oportunidade para demonstrar aos possíveis clientes tudo aquilo que de melhor o imóvel oferece, especialmente casas em regiões com imó- veis de alto padrão. Trata-se de um concei- to de visita de imóveis sem qualquer aviso prévio ou agendamentos. O que se preten- de é abrir a casa angariada aos potenciais compradores de uma só vez. Coquetéis são realizados para rece- ber os visitantes, e o mais importante, o corretor responsável sabe absolutamente tudo do imóvel. Desde o tipo de acaba- mento, até a história do imóvel e de quem a construiu. Nesta iniciativa existem muitas van- tagens, tanto para quem vende, quanto para quem compra. Para quem vende: - Múltiplos profissionais empenhados nessa mesma venda; - A visita de mais potenciais comprado- res de uma só vez; - Poupança de tempo. Com a OPEN HOUSE as visitas podem concentrar-se num só dia. - Garantia de uma comunicação e posi- cionamento eficazes aos potenciais clien- tes: mais de 60% das casas são compra- das por pessoas que já residem na região onde está o imóvel. - Maior probabilidade de obter o preço de venda pedido. - Conhecer os comentários dos clientes. Para quem compra: - Visita aos imóveis sem ter a necessidade de marcar e de poder ao mesmo tempo ter um profissional imobiliário no local; - Possibilidade de fazer segunda visita ao imóvel no mesmo dia; - O cliente comprador irá saber que num dia especifico do mês irá ter à sua dispo- sição, na região onde pretende comprar, os melhores imóveis para visitar, e tudo isto sem ter de avisar. Em busca de oferecer mais e melhores opções aos compradores, a Imobiliária Fé- lix Imóveis Especiais de Taubaté importou esta ferramenta e aplica à realidade local. “Por conta da enorme oferta que encon- tramos hoje, sabemos que não é tão fácil captar e segurar o cliente que deseja com- prar ou trocar seu imóvel. Colocar apenas sua placa em imóveis que mais parecem um “outdoor” não é muita vantagem nos dias de hoje, sendo assim, precisamos re- novar e inovar”, comenta Douglas Félix, fundador da Félix Imóveis Especiais. “Comprar uma casa é, inegavelmen- te, a maior compra que a maioria de nós vai fazer em nossa vida e visitar “open houses” pode ser uma boa oportunidade de visitar várias propriedades diferentes sem necessariamente ter a pressão de um corretor”, completa Oscar Camargo, ge- rente de vendas da imobiliária. Sobre a Félix Imóveis Especiais A empresa nasceu e cresceu no bairro Jardim Maria Augusta, região central de Taubaté. A Félix Imóveis Especiais tem um sistema inovador de procura, visu- alização e gerenciamento de dados dos imóveis com uso de tecnologia de ponta. O mapeamento é uma ferramenta iné- dita e apresenta detalhamento comple- to de cada quadra e edifícios existentes na região na proporção correta. Todos os dados são oficiais, um levantamento, com a metragem, número de dependên- cias e demais características necessárias para uma avaliação correta pelos clientes. No site www.feliximoveisespeciais. com, casas e apartamentos são facilmente encontrados, de acordo com o parâmetro de área do imóvel. Esse é o grande diferen- cial, pois torna fácil a visualização de to- dos os imóveis do tamanho que se deseja. O resultado é uma economia de tempo, pois todas as possibilidades de compra den- tro do que o cliente deseja estão ali. A busca continua por um sistema que apresenta to- dos os imóveis disponíveis com as carac- terísticas solicitadas. Na própria busca, o cliente já encontra informações detalhadas, como fotos internas, mapa de localização, valor do Condomínio e IPTU. Além de condomínios com Taubaté Village, possuímos também mapeados os condomínios: Campos do Conde1, 2 e 3, Vale do Sol, Portal do Sol, Vale dos Prín- cipes, San Marco, Imperial, Des A´rtes, Village Paineiras, Real Ville, e outros. Na Félix Imóveis Especiais o cliente pode ficar certo que o corretor está inte- ressado em proporcionar uma consulto- ria profissional qualificada. www.feliximoveisespeciais.com Central de Atendimento: (12) 3011-9599 (12) 7812-2065 ID:772*150 O Open House oferece uma boa oportunidade para demonstrar aos possíveis clientes tudo aquilo que de melhor o imóvel oferece, especialmente casas em regiões com imóveis de alto padrão” “ Félix Imóveis Especiais Sempre buscando alternativas para facilitar a vida de quem quer comprar ou vender seu imóvel A Imobiliária Félix Imóveis Especiais de Taubaté traz para a Região Metropoli-tana do Vale do Paraíba o conceito de OPEN HOUSE, sendo pioneira nesse segmento. O empresário e fundador da em- presa, Douglas Félix, junto com Oscar Camargo, Gerente de Vendas, após muitos estudos e pesquisas sobre esse segmento nos Estados Unidos e Euro- pa, e após reunião com empresários das grandes empresas de São Paulo, tiveram a ideia de trazer para o Vale do Paraíba esse conceito inovador.
  • 22 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 23Abril, 2015 Abril, 2015 matrimônio priscilla e eduardo Realizada na Igreja São José, do Jardim europa, a cerimônia religiosa foi muito especial. Celebrada pelo Padre Cléber Sanches, emocionou a todos lembrando trechos do livro Pequeno Príncipe: “Foi o tempo dedicado à tua rosa que a fez tão importante”. Os convidados abrilhantaram a recepção no Salão Luís Nazareno, do Jockey Club de São Paulo, onde foi ofe- recido um almoço, com direito a assistir as corridas de cavalos daquele sábado ensolarado. Que deus, amor e felicidades estejam presentes em suas vidas, Priscilla e eduardo. Hora do brinde com padrinhos, madrinhas, daminhas, pajens e familiaresPriscilla e Eduardo com Padre Cléber Sanches Social São Paulo Jodália, Maria Quitéria e Iêda Maria Quitéria, Maria do Socorro e Jodália Priscilla e Eduardo com Dr. Nelson Proença Priscilla com seus colegas e amigos da Dermatologia da Santa Casa de São Paulo Dr Marcus Maia, Dra Adriana Mendes e esposo, Priscilla, Dra Rosana e filha, Dra Thaís e esposo Noiva Adriano, Cristina, Priscilla, Eduardo, Eoísa, Dr. José Carlos, Sarinha e Dieguinho Roberta, Tina, Kira, Ana Carolina, Taty, Maria Quitéria, Priscilla, Eloísa, Carlinha, Juliana, Mirella, Vanessa e Cristina Wilson, Eduardo e José Carlos Eduardo e Priscilla Laura, Priscilla, e Vanessa Alessandro, Priscilla, Eduardo e Cíntia Jodália, Salvito, Gracy, Cida e Roberto Dra Mariana, Dra Karine e famíia, Dra Clarice, Eduardo e Priscilla e Dra Elisete e família Taty e Priscilla Wilson, Maria Quitéria, Eduardo, Priscilla, Tina, Jodália, Beto e Betinho Alessandro, Fábio (no colo), Herculano, Thiago, Adriano, Dargham, Wilson, Eduardo, José Carlos, Adriano, Flávio, Marcelo, Dalvo e Beto Entrada da noiva, Priscilla com seu pai Wilson Ortiz Rafael, Priscilla e Tetey Priscilla, Silviane, Rodrigo e Lisa Helena, Luisa, Priscilla, Janaina e Mirella Wilson e Maria Quitéria FO TO S: S eR GI O dA M AS Ce NO - AM AZ IN G FO TO GR AF IA e F IL M eS
  • 24 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 25Abril, 2015 Abril, 2015 inauguração Jean Janinne Cheia de charme e em clima de descontração, a Jean Janinne Boutique inaugurou o novo espaço com muitas novidades. Jean Janinne boutique em novo endereço: Av. Charles Schneider, nº 1400 / loja 05, Podium Center (ao lado do estacionamento do Taubaté Shopping). Não deixe de conferir. FO TO S: W IL L AN RA kU Valéria Parizotto, Vera Siqueira, Gabriela e Junior Ludmila Prado, Valéria Parizotto e Tatiane Ruiz Jaqueline e Nadine Noemi Pizzotti, Vera Siqueira e Valéria Parizotto Brígida Gomes, Lúcia Ferreira e Elizabeth Rocha Junior e Alessandra Veloso Elizabeth Rocha, Lúcia Ferreira, Norma de Oliveira, Socorro e Vera Siqueira Angela Burti, Helenice Augustinho, Arlete Diaz e Junior Socorro e Lúcia Claro Social Taubaté AS AVANÇADAS TÉCNICAS DE GESTÃO EMPRESARIAL DAS MELHORES ESCOLAS DE NEGÓCIOS DO MUNDO, SEM PRECISAR SAIR DO PAÍS! São José dos Campos | São Paulo | Limeira | Santos | Mogi das Cruzes | Campinas | Sorocaba INFORMAÇÕES PARA NOVOS GRUPOS www.mbmeduc.com.br 12 3018.5099 | 12 9.9161.9950 | Nextel ID: 84*69017 Av. Alfredo Ignácio Nogueira Penido, 335 - sala 1402 - Jd . Aquariús - São José dos Campos - SP
  • 26 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 27Abril, 2015 Abril, 2015 Negócios padrões, Valores e Verdades Por Arcione Viagi Somos dirigidos pelos padrões e valores impostos pela sociedade em que vivemos e isso pode ser bom socialmente, porém, pode significar a estagnação e o viver parcial- mente. A velocidade que o dia-a-dia im- põe à nossa vida limita nossa investiga- ção deliberada do que é certo e errado, do bom e do ruim, e do exercício de des- construção das verdades ou paradigmas que nos direcionam. Somos levados a crer que uma coisa é correta sem ao menos questionar ou pes- quisar possíveis indícios que poderiam confirmar ou desconstruir tal convicção. Nossos valores são uma soma de experi- ências pessoais e observações do ambien- te em que vivemos. Por isso é tão normal para algumas pessoas aceitar o crime ou a vida desregrada, enquanto para outras isso é inadmissível. Em um estudo apresentando o perfil que os executivos chefes de grandes em- presas esperavam dos profissionais que irão ocupar os principais cargos nas suas empresas, foram utilizadas figuras me- tafóricas para ilustrar o esperado. Uma dessas figuras era a do viajante e na época em que tive acesso ao estudo não pude en- tender com clareza o que isso queria dizer. Recentemente ao assistir um filme so- bre a vida de um Rei Viking no Século X, relatando suas invasões, a forma como encaravam a morte, o respeito à natureza e adoração a deuses pagãos fui confron- tado com uma série de valores que me levou à reflexão sobre quanto ignorante podemos ser por ficarmos fechados em casulos sociais ou limitados pelas barrei- ras da distancia e da comunicação. Ao buscar fragmentos na memória en- contrei ainda um diálogo que presenciei entre duas pessoas discutindo sobre re- ligião e que também ganhou espaço na construção desse texto. Um dos partici- pantes criticava algumas características de uma religião exaltando os valores com- partilhados por ele em uma religião que lhe agradava, e que para ele representava a verdade. O outro, mais paciente e menos convicto, colocou um argumento que le- vou o grupo ao silencio. Disse ele que ter fé e seguir ensinamentos eram necessidades que todos podem ter, porém, ao extrapolar e achar que uma entre milhares de repre- sentações religiosas é mais correta do que outra é fechar os olhos para o aprendizado de valores que, na maioria das vezes, po- dem ser complementares. Finalmente, em uma conversa que tive hoje com uma pessoa muito simples em termos de formação escolar e cultural me surpreendi com a naturalidade que temas complexos de nossas vidas em so- ciedade podem ser tratados sem nenhum preconceito ou constrangimento, levan- do de certa forma até ao desconforto. Com base nesses fragmentos que apa- rentemente podem parecer desconexos é que fiz uma leitura e gostaria de compar- tilhar. Para sermos pessoas melhores e mais felizes a despeito das dificuldades, devemos viajar efetivamente para enten- dermos melhor os valores de outras pes- soas antes de fecharmos questão sobre algo. Uma viagem que começa por meio dos mais simples relacionamentos que temos diariamente com porteiros, fun- cionários de padarias e supermercados, que se alimenta com a leitura de livros diversos de história, romance ou outros e efetivamente se consolida com a viagem verdadeira em que precisamos vencer o medo do novo e sair do casulo e ir atrás de outras verdades. Se conseguirmos fazer isso de for- ma aberta e sem barreiras estaremos ganhando anos a mais de vida que ex- trapolam a vida material ou a contagem cronológica do tempo. Esse pensamento, até certo ponto sem sentido, faz com que o tempo de vida seja especifico de cada pessoa a despeito da idade cronológica que ela tenha. Poderia ser o tempo da sa- bedoria acumulada de forma tão particu- lar por cada individuo. arcione Ferreira Viagi é consultor empresarial. Contato: vitalconsultoria@gmail.com C M Y CM MY CY CMY K TP 0011-15 ANUNCIO CAMPANHA COLECAO 2015 - TAUBATE - 21x28cm - CURVAS .pdf 1 26/03/15 17:16
  • 28 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 29Abril, 2015 Abril, 2015 fashion Kids taubaté No dia 14 de março aconteceu o lançamento do quiosque da Fashion kids Brasil no Taubaté Shopping. O evento contou com o prestigio de amigos, clientes e familiares, que puderam tirar fotos com os personagens Peppa Pig e a elsa de Frozen. FO TO S: W IL L AN RA kU Marcelo, Gi Ribeiro, Tatiana e Rodrigo Bonnie, Carolina e Gi Ribeiro Camilly Detoni, Gi Ribeiro e Cassilene Detoni Gi Ribeiro, Adriana Moura Basso e João Antonio com a personagem Peppa Pig Carlos Eduardo, Eloísa, Marcela, Lúcia e Gi ao lado da personagem Elsa Gi Ribeiro e Mirian Badaró Maria Toshie Gianelli, Gi Ribeiro e Ocimar Gianelli Heloísa e Marcela com a personagem Elsa Marcela Vitti e Gi Ribeiro com a personagem Elsa Social Taubaté
  • 30 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 31Abril, 2015 Abril, 2015 Armazém 82 & sDV Wine import No último dia 25 de março, Luiz Porto Junior, proprietário da vinícola Luiz Porto Vinhos Finos, esteve em Taubaté no Armazém 82 para o Wine dinner. A noite contou com um delicioso jantar servido pela casa, harmonizado com os melhores vinhos da Luiz Porto. FO TO S: W IL L AN RA kU Social Taubaté Dr. João Carlos e Dra. Paula Germano Antonella Kather e Jorge Kather Dra. Thaís Negrini e Dr. Luiz Marcelo Negrini Wilber Leônidas e Dra. Adriana Leônidas Dr. Fábio Tashima e Patrícia Carol e Felipe Aline Lima, Thiago Carrilho e Rosana Amoroso Toshio, Junior Porto, Marcela, Paolo (proprietário da SDV Wine Import) e Joaquim (proprietário do Armazém 82)
  • 32 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 33Abril, 2015 Abril, 2015 Por Felipe Guarnieri Uma novidade que beneficia igualmente tanto o pequeno investidor (a partir de R$ 30) quanto o grande investidor (R$ 1 milhão por mês) foi colocada em funcionamento no Tesouro Direto no úl- timo dia 30 de março. Na verdade são quatro novidades. (1) O novo e melhorado site do Tesouro Di- reto contendo informações mais estru- turadas para o investidor, incluindo, por exemplo, o “orientador financeiro” que te ajuda a escolher a melhor opção de inves- timento; (2) novos limites mínimos para aplicação favorecendo o pequeno inves- tidor que pode investir agora já a par- tir do valor de um almoço; (3) aumento de liquidez para o investidor que quiser resgatar o seu dinheiro, que deixa de ser semanal e passa a ser diária; e (4) novos nomes autoexplicativos para os títulos públicos tornando a vida mais fácil de quem não é familiarizado com o merca- do financeiro (afinal, é mais fácil saber o que é Tesouro pré-fixado, ou Tesouro Selic do que LTN, NTN-B, NTN-F etc. As opções de investimento continuam as mesmas, você pode escolher um título pré-fixado onde você já sabe de antemão quanto o seu investimento vai render até o prazo de resgate; títulos indexados à inflação onde você recebe uma taxa de juros pré-definida mais a variação da in- flação do período futuro até o vencimen- to e ainda os títulos indexados à taxa de juros básicas da economia que é definida pelo COPOM, no Banco Central. Algumas destas opções pagam um cupom de juros a cada 6 meses, enquan- to que outras opções pagam tudo apenas ao final do período (tecnicamente o risco tende a ser menor com um título que paga cupom semestral). Qual é o melhor título, depende fundamentalmente da sua estra- tégia de investimento, do seu patrimônio e do momento da economia em si (contas do governo, a inflação, a perspectiva da taxa de juros etc). Mas o conceito de você aplicar diretamente em títulos públicos é bastante interessante do ponto de vis- ta de quem gosta de gerenciar o próprio portfólio, e o Brasil foi o terceiro país no mundo a permitir esta modalidade de in- vestimento às pessoas físicas. Vale lembrar o conceito de dívida pú- blica: o governo gasta mais do que arre- cada, então qual é a mágica para fechar as contas? É cobrir a diferença através de dívidas; funciona igual ao Seu João que ganha R$ 100 mil por ano, gasta R$ 80.000 e ainda compra um carro de R$ 40 mil totalizando, portanto R$ 120 mil de gastos totais. Como ele gastou R$ 20 mil a mais do que ganhou, ou ele deixou de pagar alguém de um ano para o outro, ou o mais provável é que ele tenha feito uma dívida para comprar o carro. Obvia- mente ele precisa agora continuar traba- lhando para pagar a dívida com o banco que financiou o carro. Com o governo é a mesma coisa. O Tesouro Nacional busca dinheiro no mercado para fechar as suas contas toda vez que o governo gasta mais do que arrecada. Isto não é necessariamente ruim, desde que feito dentro certos limi- tes, é claro, já que esta dívida permite um maior número de realizações pelo gover- no hoje mesmo. O mecanismo funciona da seguinte forma, o governo emite um Título Público e te vende este título por um valor em dinheiro dentro de algumas condições. Posteriormente você vai rece- bendo de volta este dinheiro com juros e/ ou correção monetária. Mas é seguro deixar voluntariamente o dinheiro na mão do governo hoje em dia? Existe uma vantagem significativa em emprestar o seu dinheiro para o Go- verno: é mais difícil levar um calote. O Governo pode ficar sem dinheiro, mas é mais difícil e como ele é literalmente dono da máquina de imprimir dinheiro, numa emergência ele pode mandar im- primir dinheiro e te pagar de volta. Em economia os títulos públicos são justamente chamados de títulos livres de risco, embora naturalmente não seja eles totalmente desprovido de riscos. Por de- finição risco zero não existe, afinal isso seria uma certeza. Agora voltando ao Tesouro Direto, até 2002 os únicos que podiam comprar tí- tulos públicos eram as tesourarias dos bancos. Você como investidor – caso qui- sesse se aproveitar desses rendimentos – precisava colocar o seu dinheiro num fundo de investimento tendo necessaria- mente o banco como intermediário. Mas então o governo criou uma ini- ciativa realmente fantástica, um site na internet (www.tesourodireto.gov.br) onde qualquer investidor pessoa física pode comprar diretamente do Tesouro Nacional títulos da dívida pública. Uma iniciativa boa para quem gosta de geren- ciar o próprio dinheiro. Felipe Guarnieri é administrador de empresas, executivo financeiro e especialista em finanças. Contato: fguarnieri@outlook.com este texto não é uma recomendação de investimentos. Economia um novo mapa do tesouro Via Vale Garden ShoppinG | TaubaTé - Sp Carmen SteffensaiX-en-proVenCe buenoS aireS CanneS hollYWood laS VeGaS niCe orlando punTa del eSTe rio de Janeiro SÃo paulo CalÇadoS, roupaS e aCeSSÓrioS 505 loJaS - 18 paÍSeS
  • 34 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 35Abril, 2015 Abril, 2015 elle & ella noivas A Loja elle ella noivas apresentou no dia 11 de março a coleção 2015 da nova noiva Jadore. O evento único e exclusivo foi realizado no Buffet deboyant e contou com a participação de maravilhosos 32 modelos. FO TO S: Jú LI O e SI M O Ne - LU M IN I F OT O Social Taubaté
  • 36 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 37Abril, 2015 Abril, 2015 empório tapioca Social Taubaté Casa Masi, Mistral e empório Tapioca realizam uma noite especial de degustação de vinhos com a presença do renomado enólogo italiano Vincenzo Protti. Vincenzo é nascido em Rimini, Itália, e obteve o título de doutor enólogo em 2006 depois de ter estudado Viticultura e enologia na Universidade de Bologna e Marketing do vinho na Universidade Jiao Tong em Shanghai, China. Foi uma noite agradável com amigos e muita descontração. Agradecemos a todos pela presença! FO TO S: W IL L AN RA kU Cintia, Orlando e Lucas Alessandra e Rodrigo, Sérgio e Miriam Edson Carmona e Eduardo Bonafé Carla e Ricardo Marcitelli Vincenzo Protti (Enologo Vinicola Masi) Maria Elena e Nina Vincenzo Protti (Masi), Orlando Bonafe (Emporio Tapioca) e Marcelo Banhara (Mistral) Cintia, Ana Valeria e Luciana Marco Antonio Bonafe e Felipe Carmona Felipe e Claudia Ballestero
  • 38 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 39Abril, 2015 Abril, 2015 Turismo Delícias do outono O frio da Serra da Mantiqueira e a fina gastronomia à base do pinhão Por Murilo Baracho / Foto Kito Vivolo (reprodução) Com a chegada do outono, no último dia 21 de março, algu-mas necessidades de adapta-ções acompanham a estação. Noites mais longas que os dias, aumento da incidência de ventos, redução gra- dativa das temperaturas, incidência de nevoeiros e queda das folhas de alguns tipos de vegetação são as principais ca- racterísticas do outono, mas que contam ainda com um diferencial muito especial: a época de especiarias gastronômicas, em especial o pinhão. A busca por mais conforto e pratos tí- picos nas estações de temperaturas baixas, faz com que tenhamos preferências mais saborosas, e consequentemente calóricas, quando o assunto é alimentação, pois o corpo produz mais hormônios para man- ter a temperatura adequada, o que abre o nosso apetite para comidas “gordas” e pratos que levam os mais charmosos in- gredientes como a truta e o pinhão. Para quem não sabe muito sobre o pinhão, vale ressaltar que trata-se de uma semente, a semente da araucária, que nasce em baixas temperaturas e não se encerra em um fruto, além disso ga- rante a alimentação de muitas espécies animais, principalmente roedores e pás- saros, e também é item obrigatório no cardápio de outono e inverno das cidades da Serra da Mantiqueira como Santo An- tônio do Pinhal e Campos do Jordão. De acordo com entrevistas do jornal O Momento, o pinhão ajuda a minimizar o risco de câncer por conter manganês, zinco, ferro, fibras e dentre outros com- ponentes, auxilia no controle do coles- terol e diabetes, age contra a fadiga e é muito eficaz para estimular a libido. O pinhão é uma especiaria do outo- no/inverno tão querida que já é parte in- dispensável do cardápio de diversos res- taurantes. Pratos como Suflê de Pinhão, Filé-mignon e pinhão sauté, Truta com risoto de pinhão, Penne Mediterrâneo e até o tradicional Arroz com Pinhão se tornam as sensações das estações de bai- xas temperaturas. A Estância Climática de Santo Antônio do Pinhal é a principal cidade da região quando o assunto é gastronomia à base de pinhão. Prova disso é a Festa do Pinhão, que acontece este ano em dois fins de se- mana, dias 16 e 17 e 23 e 24 de maio. De acordo com a Secretaria de Turismo e Cultura de Santo Antônio do Pinhal, a Festa do Pinhão espera em média três mil pessoas e conta com diversas barracas de comidas típicas, shows de MPB e música de raiz e uma feira de artesanatos que, em 2015, contará com 18 artesãos expondo seus trabalhos. Parte da Festa do Pinhão também acontece nos restaurantes da ci- dade que participam com pratos especiais contendo o ingrediente. Além do turismo gastronômico, outro destaque de Santo Antônio do Pinhal está nas paisagens, que nas estações mais frias do ano recebem ainda mais destaque. A pequena cidade, que tem cerca de 6.500 habitantes, tem seu cenário enfeitado pe- las belezas serranas e pelas araucárias, árvore adotada como símbolo da cidade, com um lugar até no brasão municipal. Satisfazer-se faz parte dos prazeres da vida, e apreciar as vastas opções da gas- tronomia constitui essa prática. Como diz o jornalista e cartunista Millôr Fer- nandes: “gastronomia é comer olhando pro céu”. Por isso, nesse outono, aproveite o que nossa região oferece e experimente as especialidades das baixas estações.
  • 40 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 41Abril, 2015 Abril, 2015Anuncio_MAES_2015_21x14cm.indd 1 25/03/15 20:42 pizza1 O Grupo Pizza1 inaugurou mais uma unidade na cidade de Taubaté. O evento contou com a presença de amigos e clientes, que prestigiaram saboreando a melhor pizza da região. FO TO S: W IL L AN RA kU Equipe Pizza1 Melissa, Jane, Milena e Valdecir Manoel e Patrícia Jéssica e Pedro Antonieta Simões, Alzira e Cristina Simões Social Taubaté
  • 42 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 43Abril, 2015 Abril, 2015 schutz Day Aconteceu no dia 20 de março, nas lojas Marina Calçados de Pinda, Guará, Centro de Taubaté e Taubaté Shopping, o coquetel de lançamento da coleção Inverno’15 da Schutz. Amigos, clientes e familiares prestigiaram o evento com muitas novidades e boa música. FO TO S: W IL L AN RA kU Rodrigo Petry, Parê, Flávia Sarabion e Danielle Liles Parê, Alexandra, Rosana Soares, Socorro, Maria Quitéria, Jodália de Queiroz, Elisabeth e Doroty Soares Andrea Ayello, Cecília Dias, Luiza Dias e Parê Cíntia Oliveira, Thaily Barreto, Murilo, Daniela e Fernanda Doroty Soares e Rosana Soares Social Taubaté INVERNO ‘15 H TO
  • 44 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 45Abril, 2015 Abril, 2015 Dia internacional da mulher Social Taubaté Aconteceu no dia 9 de março, no Plenário Jaurés Guisard, homenagem com diploma de honra ao Mérito à Dra. Ana Paula Pereira, Marcela Vitti, Maria de Lurdes Santos Silva e Roberta Barrego. A cerimônia oficial, realizada pela vereadora Profª Pollyana Gama, foi aberta a amigos e familiares. FO TO S: C âM AR A M UN IC IP AL d e TA UB AT É www.shibatacasa.com.br Taubaté: Av. Bandeirantes, 808 - Jd. Maria Augusta - Tel.: 12 3625.5700 Mogi das Cruzes: Rua Olegário Paiva, 565 - Centro - Tel.: 12 2668.6214 Caçapava: Rua João Amaral Gurgel, 980 - Maria Elmira - Tel.: 12 3653.2099 Jacareí: Av. Getúlio Vargas, 1430 - Jd. Primavera - Tel.: 12 3954.0000 cm kt on lin e. co m
  • 46 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 47Abril, 2015 Abril, 2015 Por socorro pinto helpkoka@hotmail.com socorro in foco Social Taubaté André Luiz Pinto, agora Aspirante e Médico da escola de especialistas da Aeronáutica. A graciosa Vitória marcou presença no renomado coquetel da Arezzo para conferir tudo que há de mais bonito na nova coleção inverno 2015. O Teatro Metropóle reabriu suas portas com um belo monólogo gestual encenado pelo ator global Luis Melo. A peça “AUSÊNCIA” é um convite à reflexão de nossas vidas. Aguardamos mais atrações para enriquecer ainda mais a já riquissíma cultura taubateana. No último dia 5 aconteceu o coque- tel de inauguração do novo espaço Jean Janinne. Convidados, clientes e amigos marcaram presença, dentre elas dona Aracy, que além de conferir de perto as belas coleções aproveitou para prestigiar o sucesso de sua filha. Aurea comemorou seu aniversário em grande estilo. Recebeu amigos e familiares para uma ma- ravilhosa festa árabe em que não faltou animação e, é claro, muitas coisas gostosas. Felicidades! Muita pizza, alegria e muita animação. Foi assim que a queridíssima helô comemo- rou seu aniversário ao lado de seus familiares e amigos. Parabéns! Maria Vitória Gonçales Caio de Andrade, Luis Melo e Marquinho Aurea Cintra Dias, Cristina Cintra Golmia, Omar Golmia e Marcelo C. Golmia Heloisa Rezende e Benedito do Valle Aracy Parizotto e Valéria Parizotti
  • 48 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 49Abril, 2015 Abril, 2015 Vitalli No dia 25 de março aconteceu o lançamento da coleção Outono/Inverno 2015 na Vitalli. O evento com o tema "Fique na moda e em forma!" contou com palestras da dra. Nataly Mello e dr. doc. FO TO S: W IL L AN RA kU Bárbara Freire, Selma Queiroz, Ana Sierra, Bárbara Tuan e Davi Sierra Bárbara Freire, Parê Guerson e Juliana Peloggia Paola Marcon, Marcela Freitas e Bárbara Tuan Juliana Peloggia e Sônia Fernandez Dra. Nataly Mello, Bárbara Tuan e Doutor Doc Selma Queiroz e Mariana Queiroz Social Taubaté Av. Itália, 219 Taubaté | SP |12| 3682.1277 *V áli do d e 0 8 de ab ril a 09 d e m aio . no cartão Mastercard Abriremos dia 09/05, sábado, até às 18h. vitalliloja O melhor presente para sua mãe está na Vitalli. Já foi o tempo em que ela queria uma batedeira. Hoje, ela quer arrasar! de ze 7. co m .b r DIA DAS MÃES VITALLI 10% o�em3X
  • 50 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 51Abril, 2015 Abril, 2015 Por José luiz de Almeida luizinho-cafe@hotmail.com facebook.com/luizinholanches No último mês a princesa Lore- na completou mais um ano de vida. Sua mamãe Aline Landim reuniu amigos e familiares na sua festa com o tema de fazendinha. Parabéns que deus ilumine seu caminho! Amanda di Polly, a rainha da bateria da escola de samba Mocidade Alegre - Vila das Graças de Taubaté. encontro na Ilhabela para o Projeto Por do Sol Musical, assinado pelo Produtor artístico Beto Campos, companhia do Showman Tony Gordon e do empresário gastronômico edinho (Restaurante Manjeiricão) e aguardem: em maio show da double You. Vanessa Faria comemorou no dia 25 de março seu aniversario no Santa Figueira, ao lado de Cath dietz, fazendo L de Luizinho, felizes da vida! Os amigos Julia Gomes, Talitha Rodrigues, Vitoria Schmidt (paquitinha do papai) e Sandro Machado curtindo a festa de flasback Night Fever kId VINIL, no TCC. flash Social Taubaté
  • 52 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 53Abril, 2015 Abril, 2015 night fever Aconteceu no dia 21 de março mais uma edição da famosa festa Night Fever, no Taubaté Country Club. A principal atração ficou por conta do Kid Vinil, que tocou sucessos dos anos 80 e 90. FO TO S: L UI ZI Nh O Social Taubaté
  • 54 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 55Abril, 2015 Abril, 2015 Ponto de Vista mobilidade sem fronteiras... Por Carlos Marcondes Fala-se muito, atualmente, em mobilidade urbana. Realmente, devemos repensar nosso modelo de transporte nas cidades. Tor- nou-se inviável utilizarmos automóveis como meio de locomoção individual. Basta que olhemos para muitas de nos- sas cidades na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte: nos ho- rários de pico - nas cidades do Vale, e nos finais de semana - nas cidades do Litoral, não se consegue locomover; o trânsito tra- va, causando inúmeros problemas que vão desde o incômodo ao altíssimo custo dos congestionamentos - até mesmo a impos- sibilidade de deslocamentos rápidos e que requerem urgência de ambulâncias, viatu- ras policiais, bombeiros etc. Pois bem, se não bastassem os con- gestionamentos urbanos, agora temos enfrentado problemas seriíssimos nas nossas estradas. Nossas rodovias não são suficientes para escoar centenas de milhares de veículos automotores que as utilizam e, a cada dia, as fábricas auto- motivas produzem mais e mais automó- veis, utilitários e caminhões. Está claro que Juscelino Kubitschek, ao presidir o Brasil em meados do sé- culo passado, optou por desenvolver a indústria automobilística nacional (ver- de-amarela), sufocando a todo custo ini- ciativas e investimentos na malha ferro- viária do país e até mesmo no transporte hidroviário. Este foi o grande pecado co- metido por JK, em meu ponto de vista. Lembro-me perfeitamente que, na dé- cada de 1950, século passado (por algu- ma razão que, aí sim, não me lembro), eu – com aproximadamente cinco anos de idade, acompanhado de meu pai, de sau- dosa memória, fui visitar o interior do fa- moso “trem de aço” da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil, que se encontra- va parado na Estação de Pindamonhan- gaba. Fiquei maravilhado com a beleza de seu interior: acomodações excelentes, o vagão restaurante, por exemplo, era lu- xuoso e imponente. Enfim, conseguiram destruir tudo isto. A velha “Central do Brasil” deu lugar à “Rede Ferroviária Federal” e hoje, com a privatização, temos a “MRS Logística”, que é um verdadeiro lixo. Não consigo entender por que não se utiliza a malha férrea destas linhas existentes, para se adotar o transporte ferroviário entre as nossas cidades, por exemplo. Será que os poderosos que detêm o grande cartel das empresas de ônibus não permitem? É possível! Recentemente, ao visitar a Espanha, viajei de Madri a El Escorial num bom e confortável trem, a 120 km/h. Poste- riormente, entre Madri e Toledo, viajei em outra linha de trem, não menos con- fortável, a 200 km/h. Finalmente, viajei de Paris a Barcelona, percorrendo quase 1.500 km, em um TAV (trem de alta ve- locidade), que desenvolvia 300 km/h. Ao final da viagem, a gente não queria que tivesse terminado. Enquanto isto, por aqui, nas “terras de Cabral”, sucatearam e destruíram os trens de transporte de passageiros e de cargas, que poderiam nos proporcionar uma verdadeira “mobi- lidade sem fronteiras”. Será que ainda está para nascer um estadista que mude esta triste realida- de? Que venha logo... o país não aguenta mais! Carlos Marcondes é Jornalista e advogado. Contato: cmcomunicacoes@gmail.com No mundo dos negócios, o amanhã começa hoje. www.dhfquality.com.br SALAS PRONTAS DE a38m² 58m² CONHEÇA O EMPREENDIMENTO EXCLUSIVO PARA OS PROFISSIONAIS DA SAÚDE QUE BUSCAM CONFORTO, SEGURANÇA, PRATICIDADE E SOFISTICAÇÃO. R. Equador, 254 Jd. das Nações Taubaté/SP | (12) 3622-5077 Acesse pelo celular: E S T R A T É G IA C O M U N IC A Ç Ã O M A R K E T IN G d lg f | w w w .d lg f. co m .b r
  • 56 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 57Abril, 2015 Abril, 2015 Ação social instituto Danilo reis O Instituto de De-senvolv imento Humano Danilo Pereira Reis foi a realização de um sonho que data de 1999, da terapeuta e especialista em dependên- cia química Vera Regina. Foi naquele ano que, a partir do primeiro contato com uma clínica para tratamento de depen- dentes químicos, onde realizava serviços administrativos, que surgiu a vontade de partir para um trabalho nesta área. Em julho de 2014 o Instituto final- mente pôde entrar em funcionamento, apostando na idéia de oferecer um tra- tamento diferenciado e de qualidade, quebrando os paradigmas que cercam as comunidades terapêuticas que tratam os dependentes químicos. O instituto conta com uma equi- pe de profissionais que corroboram de objetivos em comum. “O indivíduo, ao finalizar seu processo dentro do ins- tituto terá sua autonomia e autoestima resgatadas. Assim ele e família entenderão que o processo é vitalício e que podem ter prazer em viver a vida sem o uso de dro- gas ou álcool”, explica Eduardo Cunha, gestor administrativo do instituto. A abordagem usada no Instituto Da- nilo Reis segue a linha da Terapia Cog- nitiva Comportamental aliada aos 12 Passos das Irmandades Anônimas. São oferecidos serviços como aconselhamen- to terapêutico, psicólogo, serviço social, psiquiatra, arteterapia, atividades da vida diária e aloja- mento para até 28 residentes. O Instituto danilo Reis fica Rua davi de paula Oliveira palmuti, 80 – Chácaras Campestre – taubaté (sp). Contato: (12) 3624-8464/99668-5097 www.institutodaniloreis.org Eventos e Confraternizações Casamentos Batizados Palestras Aniversários Noivados Santa Figueira R E S T A U R A N T E Pç. Pe. Luiz Balmes, 120 | Centro Tremembé santafigueira @santafigueira(12) 3674-1400 Ambiente informal para a sua confraternização! Com serviços que se moldam a sua necessidade. Cardápios personalizados, de Pizzas, Petiscos do Bar e À La Carte. Com equipe especializada e estacionamento. Agora também servimos em sua casa. Faça uma visita e conheça melhor nossos serviços. Horários Flexíveis e preços especiais para grupos.
  • 58 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 59Abril, 2015 Abril, 2015 Por Anna Dennz annadennz@hotmail.com Caleidoscópio Social Caçapava Aninha Monteiro recebendo para reunião em seu escritório o Secretário de Turismo de Maceió, Jair Falcão. Vanessa Macedo, Éllder Anunciato e kika Martins em noite de glamour na dossiê com o luxo da nova coleção da Tiagra. O elegante hotel Wish Serrano Resort em Gramado foi o local escolhido pelos amigos para a comemoração do aniversário de casamento do dr. Andre Luis e Adriana Santos e também do dr. Glauco Valério e Iraci dos Santos. Welcome de Otávio "Tavinho" e Sidney Fonseca para o Marco Antônio Pereira Brito (centro), agora como Gerente Geral da CeF Caçapava. durante jantar alusivo aos 106 anos do 6 BIL - Regimento Ipiranga o Comandante Cel. Alvaro e sua esposa Monique Pinheiro, General Cunha e esposa Rosa helena Cunha e a filha Lais Cunha. em 18 de março, no charmoso restaurante Jardim, o fotógrafo Fernando Weikamp, foi festejado pelos familiares e amigos por mais um ano de vida.
  • 60 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 61Abril, 2015 Abril, 2015 Por ligia Ballot liballot@hotmail.com Aparecida Social Aparecida A princesinha Isadora acabou de chegar e já está brilhando em seu primeiro ensaio fotográfico pelas lentes de Josiane Galdino. Casamento do cantor sertanejo Rick e Geralda na Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Rodrigo e Claudia receberam a lindíssima Sheila Carvalho no aniversário da Academia happy day. equipe do hotel Rainha do Brasil. Perfeita! Prontos para as- sessorar o casamento de Rick e Geralda. Família linda curtindo as férias. Aline, Gabriel, Isabela e Carlos eduardo Macedo explorando alguns cantinhos da América do Sul. Fo to : J os ia ne G al di no Fo to : e ra sm o Ba llo t Fo to : P or ta U ol Adriano, emilia e Lucas na pré-inauguração do Boemia Petiscaria e Chopp. Um sucesso!
  • 62 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 63Abril, 2015 Abril, 2015 Por Benê Carvalho benecarvalho@revistavitti.com.br guará em pauta Social Guará Numa animada festa com boa música e muita alegria, Roque e San- dra de Castro, ao lado dos filhos Samuel e Rebeca, além de familares e amigos, comemoram os 90 anos da Sra. Isaura, no Sabor da Serra. Beth Sampaio ao lado do esposo Miguel e uma legião de amigos e colaboradores da APAe de Guará, lançou seu delicioso livro de receitas Amo- res e Sabores numa noite pra lá de badalada, na sede social do Itaguará Country Clube. Foi com o tema da Minnie a linda festa da meiga Beatrice Valezzi, comemorando seu 3º aniversário. A gatíssima Anne Vieira come- morou mais um aniversário em um seleto grupo de meninas... A Família da Clínica Orthoclass, do dr. eduardo e dra Ariane cresceu e conta agora com a presença e simpatia da dra. Andrezza Luchesi em sua equipe. O coiffeur Mauro Santos, sinônimo de dedicação e simpatia no seu Spaço Vip comemorando a realização de mais uma conquista, sua nova residência.
  • 64 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 65Abril, 2015 Abril, 2015 Por peter iote anderson_piter@terra.com.br lorena Social Lorena A cabeleireira Walquiria Maciel. Profissio- nalismo e dedicação em prol da beleza. O futuro arquiteto Phabio Barboza foi buscar inspirações na europa e apro- veitou para ver de perto a beleza do Palácio Real de Madrid. A empresária Rogéria Fonseca "on a business trip" em Genebra. O empresário Francisco esoron após mais uma reunião de negócios. A empresária Amanda Cobianchi (à esquerda), o consultor Jorge Gomes e a advogada Marina de Almeida (à direita) no encontro empresarial promovido pelo Rotary Club de Lorena.
  • 66 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 67Abril, 2015 Abril, 2015 Por fabiana ferreira fabycanoagem@hotmail.com www.luzcameraesporteacao.blogspot.com luz, Câmera, esporte e Ação Esporte Imagine 700 mulheres reunidas num grande evento esportivo, todas lin-das, vestidas para matar, ops, para correr! A Rainha da Montanha, em Guarare- ma (SP), celebrou o Mês da Mulher. Ener- gia única e astral sem igual, o dia foi delas, preparado especialmente para elas corre- rem 3, 7, 14 ou 21 km, e se divertirem na montanha, e claro, dentro de um Resort. “Não tem nada mais charmoso do que provas de corrida para mulheres! Um momento de reunir amigas, conhecer no- vas corredoras e testar seus limites. É ex- tremamente motivante ver essa reunião de mulheres, mães, esposas, donas de casa, empresárias e atletas, todas se de- safiando e dando um belo exemplo para suas famílias e toda a sociedade sobre a importância do esporte”, declara Marcela Quem disse que foi fácil? O cara lá de cima só prometeu que valeria a pena. E realmente as expressões na chegada eram de pura alegria, encantamento e satisfa- ção, e nem parecia que a prova foi pura montanha, técnica e esforço físico. Essa é daquelas provas em que o grau de esforço é medido pela duração e não pela distância. Cinco, 10 e 21 km para ninguém botar defeito, visual incrível, trechos técnicos e a beleza deslumbrante da Serra do Voturuna. Natália Ferreira, atleta de Taubaté, saiu do asfalto e experimentou a monta- nha e conta a sua experiência na 2ª par- ticipação em corrida de montanha: “Re- almente fui surpreendida pelo nível de dificuldade da prova, foi sem dúvida uma prova sensacional. Logo nos primeiros Sottile, da Assessoria de Corrida Perso- nal Fit Co de Taubaté, que correu 14 Km. Você também pode ter o seu dia de Rainha na Montanha, é só treinar e aguardar a próxima etapa em Mogi das Cruzes dia 20 de setembro. o maior trail run para mulheres do Brasil: quilômetros senti que seria uma experi- ência completamente diferente, pois de cara tinha uma subida bem íngreme, e não tinha noção que era só o começo, a pior subida estava por vir. “As trilhas se estreitaram e se torna- ram mais técnicas, a subida era inter- minável e bastante desafiadora. Enfim, o topo da Serra do Voturuna, um visual sensacional, uma paisagem maravilhosa. A descida, assim como a subida, era com- posta por muitas pedras soltas e bastante escorregadias, muitas vezes impossível correr. Tinha chovido muito na noite an- terior e o nível de atenção e concentração era altíssimo. O percurso também tinha uma trilha com mata fechada e muita lama. Os escorregões eram inevitáveis, 10 km já pareciam 20 km, minha mão estava cheia de espinhos, a perna cansada devido ao esforço de estar de pé dian- te do terreno inclinado e escorregadio, mais sempre com a vontade de seguir em frente. “Nos últimos quilômetros a sensação já é de grande satisfação, esquecemos todo perrengue bom em um instante, o sprint final é sem dúvida o melhor, adre- nalina a mil. Sem contar a grande emo- ção e sentimento inexplicável de concluir a prova, o cansaço e a dor muscular fi- cam longe da vontade de fazer tudo de novo. Quero subir mais, correr mais, me desafiar mais, que venham as próximas corridas de montanha”. O que você está esperando para sair do asfalto? Para o alto e avante! Volta dos romeiros: Correr com fé eu vou! Marcela SottileNatalia Ferreira W la di m ir To gu m i di vu lg aç ão di vu lg aç ão di vu lg aç ão di vu lg aç ão di vu lg aç ão W la di m ir To gu m iw W la di m ir To gu m iw W la di m ir To gu m iw W la di m ir To gu m iw Natalia Ferreira
  • 68 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 69Abril, 2015 Abril, 2015 Por gilberto freitas gilfreitasff@hotmail.com Atitude news Social São José dos Campos Bruno Baroni, da INVICTUS - eventos, traz a peça Princesa Sofi a para São José dos Campos. Luana Camarah no St Patricks Week do dunluce Irish Pub, em São José dos Campos. Luiz Bhittencourt lança seu blog com seus parceiros no evento explosão de Cores. João Paulo e Rogério Cordoba no St Patricks day do Bar do Coronel, em SJC. Luciano Velozo BertolinI em tarde de negócios internacionais no Guten Bier, em SJC. Vinicius Vieira, Carlos henrique Nunes e Luiz França no Standup do Santonofre, em SJC. Ambiente Construído Crise: salvar a mata Atlântica Por Adilson Peloggia e Millena Aguiar A Amazônia brasileira está sen-do observada pela comunida-de mundial pelo corte no nível do chão de sua floresta, que já tem atingido cerca de 20% da floresta ori- ginal. A maioria da população de nosso país nada faz para acabar com seu alto pre- juízo causado pela devastação da mata Atlântica, que já alcança aproximada- mente cerca de 90% de sua área desde o advento do descobrimento, sendo con- siderado como um dos principais fatores da instalação da crise hídrica e energética que assola as regiões Sul e Sudeste. Na mata Atlântica, as proporções se invertem em relação à floresta Amazô- nica, onde a preservação é maior que a devastação, restando apenas 12% de mata nativa. Se não cuidarmos desses poucos remanescentes e não recuperarmos gran- de parte do que foi desmatado, dificil- mente iremos conseguir vencer a crise hídrica. A conservação da biodiversida- de, muito importante para o nosso país, tem nas entidades SOS Mata Atlântica, Projeto Rio Vivo – Band Vale, entre ou- tras, uma tentativa de chamar a atenção para o fato de que a mata Atlântica é um dos biomas de altíssima diversidade bio- lógica, mas gravemente ameaçada pela devastação sob a influência de ações an- trópicas. A necessidade de conter a devasta- ção na mata Atlântica é imprescindível e urgente, para alimentar a recuperação de grandes áreas degradadas. Neste mo- mento em que a crise hídrica e energética tende a colapsar regiões no nosso país, começou a se compreender essa emer- gência/urgência, especialmente para as áreas das bacias hidrográficas, como a dos rios Paraíba do Sul, Piracicaba, Jun- diaí, Capivari, etc onde se localiza o siste- ma Cantareira e outros que abastecem a região de maior concentração populacio- nal do Estado de São Paulo. Um dos biomas mais importantes do Brasil, a mata Atlântica foi devastada, al- terando o cenário da história do Brasil desde o começo por volta de 1500. Foi aí que os supostos colonizadores deixaram sua característica predatória, no estabe- lecimento de um modelo de gestão, com base em uma agricultura colonial de- vastadora. Os idolatrados colonizadores portugueses não estavam preocupados em estabelecer a aplicação de conheci- mentos de proteção dos solos. O modelo então aplicado e exigido a sua eficácia, deixaram perplexos os imigrantes euro- peus que chegaram a partir do final do século 19. Nos dias de hoje a crise hídrica e ener- gética não admite alternativas para a salvação de nossos mananciais. Um do- cumento endossado pelos membros da Academia Brasileira de Ciências alerta para estiagens cada vez mais extremas. Esse documento ressalta que mesmo as chuvas em nível pluviométrico conside- rado necessário para evitar uma catás- trofe, ainda que passemos a usar água de modo consciente, e por mais que os poderes públicos constituídos estabele- çam os sistemas de abastecimento que já deveriam estar prontos, nunca mais teremos segurança hídrica. Deveremos então coibir a devastação de nossa cobertura vegetal nativa e se não recuperarmos grande parte das áreas flo- restais degradadas, principalmente nas bacias hidrográficas, teremos um colap- so. A falta de vontade política é o único e verdadeiro obstáculo para que mais acor- dos como estes sejam fechados. Porém, criar uma pressão pública enorme para forçar a vontade política é o que a nossa comunidade sabe fazer de melhor, porém sem que haja devastação de bens mate- riais. Especialistas chamam o fenômeno de colapso silencioso. Mais do que em números e estatísticas, precisamos ter uma concentração no que acontece no chão da floresta e que não sai nas ima- gens fotográficas enviadas pelos satélites. A ineficiência dos sistemas de contro- le, planos de manejo fraudulentos, impu- nidade, falta de governança na floresta, afrouxamento das leis ambientais e o sucateamento dos órgãos de fiscalização são a base dos lamentáveis números de florestas e matas nativas perdidas. Tais crimes contra a natureza e as f lorestas se manifestam principalmente em salas com ar condicionado e gabinetes ilumi- nados, gastando energia elétrica e água, locais que, mesmo sem nuvens, não são detectados pelos satélites. prof. dr. adilson peloggia é especialista em Ciências ambientais Contato: adilson.peloggia@etep.edu.br Millena Cristiane Mello aguiar administração ambiental Contato: millenacm@yahoo.com.br
  • 70 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 71Abril, 2015 Abril, 2015 Por marilda serrano marildavlserrano@uol.com.br Circulando Social São José dos Campos A mobilidade Urbana foi destaque no Seminário "São José dos Campos 2030", que trouxe um dos principais especialistas de mobilidade no Brasil, o arquiteto e urbanista Jaime Lerner. O evento teve ainda a participa- ção do prefeito Carlinhos Almeida, do engenheiro Ozires Silva e do especialista em Gestão Pública kiko Sawaya. Paulah Gauss cantou o hino Nacional na abertura do III Congresso da OBMe (Organi- zação Brasileiras das Mulheres empresárias), na Assembléia Legislativa de São Paulo. Mesmo evento em que o consagrado colunista social Ovadia Saadia tomou posse da presidência da FeBRACOS (Federação Brasilei- ra dos Colunistas Sociais). Ovadia Saadia com o jornalista Giba Um Três Presidentes da OBME: Adelina Alcantara Machado - Nacional, Betty Abraao - Campinas e Dra Maria Helena Vermot - Rio de Janeiro No Paradise Golfe, Lake & Resort (Mogi das Cruzes), os colunistas mais em voga do interior do estado de São Paulo, se encontraram para o XXVI Congresso da entidade Apacos - Associação paulista de Colunistas Sociais. Recebidos pelo diretor do Paradise, Ricardo Aly, os colunistas conferiram impressionados porque o império de mais um milhão de m2 de verde é referência brasileira no segmento lazer de luxo, congressos e convenções. Ovadia Saadia, Paulo Sergio, Fatima Cruz, Chris Bueno, Gil Fuentes, Anna Dennz, Paulinho Bauab, Enza Denadai, Jacqueline Venâncio, Paulo Roberto Pires, Marilda Serrano, Ricardo Aly, Suely Couto A faixa e coroa de miss de nove cidades do Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e Litoral Norte já tem suas donas. e elas foram conhecidas no dia 21, no Parque Municipal Fazenda engenho d´água, em Ilhabela, durante a final da Seletiva Regional Miss São Paulo 2015, promovida pela WR Modelos e Grupo Band Vale de Comunicação. Thaina Ribeiro, Stefanie Proglhof, Aléxia Reis, Isabela Mayer, Joana Rangel, Giulliana Conteruccio, Fernanda Sansevero e Denise Prado Jurados da seletiva regional que elegeram as representantes das 9 cidades do Vale do Paraíba Fo to s: Li li F al ive ira to /W R M od el os Para Montar: - 4 pães para Hambúrguer - 1 beterraba grande com casca - ½ maço de Rúcula higienizada - 400g de gorgonzola dividido em porções de 100g - 300g de Abacate - Maionese light opcional Modo de preparo: 1- Asse as beterrabas com casca envolvidas em papel alumínio no forno em temperatura máxima por 30 minu- tos. Corte em fatias de 1 cm a 1 ½ cm. 2- Prepare os Hambúrgueres. 3- Faça o molho. 4- Frite os Hambúrgueres até dourar os dois lados, depois coloque-os no forno de 5 a 10 min. Ainda quando estiver quente coloque o gorgonzola em cima para derreter. 5- Corte os pães ao meio, passe maionese se optar, coloque a rúcula, o molho, a beterraba e a carne com o gorgonzola e o abacate por cima. Para o Hambúrguer: - 800g de patinho moído - 100g cebolinha (Só a parte Branca) - Meio maço de manjericão - Sal e pimenta do reino a gosto Tempere a carne, e com as mãos molhadas boleie 4 unidades. Amasse de maneira que ainda fique grosso e coloque em um prato untado com óleo e leve à geladeira. Enquanto isso faça o molho de mel. Para o Molho: - 6 colheres sopa de manteiga - 6 colheres sopa de Mel - Molho de pimenta a gosto - 1 colher chá de molho Inglês - 2 dentes de alho bem moído - Sal e pimenta do reino a gosto. Em fogo bem baixo, derreta a man- teiga, adicione o mel, pimenta e o molho inglês. Deixe cozinhar sem ferver de 8 a 10 minutos até que os ingredientes este- jam totalmente incorporados. Mexendo ocasionalmente. Coloque o alho, o sal e a pimenta e cozinhe entre 5 e 8 minutos. Deixe esfriar com um filme plástico en- costado no molho para não endurecer. Comer é uma série de experiências: o Agridoce Gastronomia Por Rafael Ferro e Evelyn Inocêncio Comer é uma experiência de sen-tidos como qualquer outro sen-timento. O problema é que ao longo da historia o essencial do nosso dia-a-dia passou a ser banal perante as novas descobertas. O que não é de se assustar, afinal, com tão pouco tempo é realmente impossível parar para prestar atenção em tudo a nossa volta. E é por isso que o apelo para voltar a atenção no que se come é grande. Sentar, concentrar, apre- ciar, se deixar levar pelos sabores e aro- mas, qualidade e valorizar a experiência que seu dinheiro está comprando, este é o objetivo da gastronomia. Vamos aprovei- tar para mapear, prática e teoricamente, alguns sentidos e experiências pouco co- nhecidos no ato de comer. O Agridoce Por volta do meio do século XVIII a Comida Chinesa aportou na Améri- ca e um pouco mais tarde se espalhou pela Europa, e foi a primeira cozi- nha asiática a ser mundialmente co- nhecida. Ela se tornou popular entre jovens cosmopolitas que a conside- ravam “exótica”. Coincidentemen- te foi também nesse período que se deu inicio ao chamado Fusion Food – convergência entre ingredientes frescos, gostos exóticos e curiosas texturas. Mas o sabor entre a mistura do azedo com doce nunca foi novida- de, até porque há frutos que possuem essas características na sua maneira original, como a maçã madura, por exemplo. A experiência do agridoce resulta em um sabor singular, dando ao nosso paladar uma sensação única de sentir duas extremidades tão opostas do pa- ladar, mas sem distinguir um só. Tente, experimente e brinque com diferente. hambúrguer Caseiro de Beterraba com Gorgonzola e molho de Mel Rafael Ferro é chef de cozinha www.facebook.com/clementinagastronomia
  • 72 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 73Abril, 2015 Abril, 2015 Thayane, Talytha, Tais e Carol no lança- mento de outono/inverno da My Shoes. Por mariana Junqueira macjpm@hotmail.com luxo Social São José dos Campos Miriam esbanja beleza e simpatia pela cidade de Orlando, eUA. ederval Rucco e Sara Gomes em apai- xonante passeio por NY. Marcia e Ana, amigas inseparáveis, na My Shoes. Silvia Máximo comemora seu aniversá- rio em grande estilo. Parabéns! Carmem Alvim recebe a arquiteta Brunete Fraccaroli, em Campos do Jordão, na festa de lançamento da 5ª temporada de seu programa, Tudo com estilo. Por edu rosa edu@educationabroad.com.br Jacareí não pára Primeira foto do neto de Marcos Vinicius Neves, “Henry” é filho do Binho e Rafaela Stephanie! Deus abençoe essa família! A voluntaria da EDUcation “Julika Wolf” que ficará na nossa região na família do Andre e Evelyn Gualda. Trabalhará no projeto da IEF. Alunos do Ensino Fundamental do SEPP na USP acompanhados pela diretora Tania Priante. Caminha Down de Jacareí - em comemoração ao Dia Interna- cional da Síndrome de Down - 21 de março. EDUcationer “Julia Loyacono” que já completou sete meses de High School em Ohio, EUA - Saudades! Parabéns a Mariana Cabrillano Gui- marães (à direita na foto) e aos demais amigos do mês de março: Alexandre Lazaro, Eduardo Lorenzini, Lisete Faria, Julia Barrios, Lucas Arice, Alda de Miran- da, Marcela B. Amaral, Simone Zonzini, Ricardo Esper, Marisa Araújo Almeida, Aline Matsushita, Soraia Zaic, Ana Fa- tima A. Taddei de Freitas, Rosangela, M. Aparecida e Sandra Regina Rosa da Silva. Social Jacareí
  • 74 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 75Abril, 2015 Abril, 2015 Por guilherme martini gdmartinineto@gmail.com Campos Acontece Social Campos do Jordão Grupo de Amigos em passeio de Moto Clube Bodes do Asfalto - daniel G. Garcia, Angelina G. Garcia, Marcio Vas- sallo, Matheo Vassallo, Frederico Presotto, Tania Presotto Barueco, Claudinei Leme, Ana Paula Simão, Glauber Lobo, Angela Lobo, Joyme Nakayama e helena Nalayama. edgar Rodrigues no MegaCycle ao som de Rock. Amigos de São Paulo passeando de moto por Campos. O vereador Noilton Ramos, de Taubaté, Sr. Junji Abe, deputado Federal e o dr. Rubens Freire na reunião do COdIVAP realizada no hotel São Cristovão, em Campos do Jordão. Raphael Ortolani e Luiz Oliveira no MegaCycle. Juliana Godinho, Eduardo Sorrentino, Cinthia Morales e Mauricio Fioravante Caderno Especial saúde e estética
  • 76 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 77Abril, 2015 Abril, 2015
  • 78 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 79Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde pele espelho da Alma Por Renata B. L. Velloso Fronteira entre eu e outro, órgão da relação e das reações psicos-somáticas. Muitas pessoas des-conhecem que várias doenças de pele provem de um desequilíbrio emo- cional e que existem casos que precisam de acompanhamento psicológico. Diferentes emoções como tristeza, an- siedade, depressão, angústia, como tam- bém o stress propiciam algumas reações no organismo inclusive na pele. Para psi- canalistas, “a pele é uma superfície em que o mundo externo e interno imprime seus conflitos” (CRUZIEU 1989). Cada vez mais profissionais da área da dermatologia constatam que há relações entre problemas de pele e o emocional e que órgãos e sistemas participam das inf luencias das emoções. Há casos de doenças de pele em que só o tratamen- to dermatológico não dá conta, sendo necessária a atuação do psiquiatra, do psicólogo e casos que vão necessitar de cuidados multidisciplinares. A psoríase é uma das doenças mais conhecidas que pode estar ligada a fato- res psicológicos, de origem desconheci- da e de fundo emocional existe o líquen plano a qual provoca erupções na pele e coceiras intensas; o vitiligo é outra do- ença comum entre os distúrbios psico- dermatológicos. Na dermatite factícia o paciente apresenta lesões na pele produ- zidas por ele mesmo, mas nega seus maus tratos como parte de suas resistências. Quedas de cabelos e de pelos podem es- tar indicando que internamente a pessoa não está bem e que precisa de um exame detalhado para entender o que está acon- tecendo e as causas. Arrancar cabelos, sobrancelhas ou pe- los do corpo pode ser um sinal de emer- gência também, algumas crianças arran- cam casquinhas da pele ou coçam até ferir inúmeras vezes quando estão muito ansiosas, sendo este mais um dos casos a ser observado com atenção, e se necessá- rio procurar ajuda psicoterapêutica. Para o entendimento dos aspectos psi- cológicos relacionados com a pele é im- portante saber que as relações dos seres humanos agem a princípio a nível psíqui- co, ou seja, através das relações gerais com a vida vamos obtendo registros internos bons e ruins, quando traumáticos ou di- fíceis de serem processados e elaborados no campo mental podem atingir o campo somático, portanto conforme nossos re- gistros forem internalizados haverá como possibilidade o resultado do adoecimento orgânico ou psicossomático. As vivências psicológicas podem cau- sar sofrimento e muitas pessoas optam por esconder-se ou utilizar dos sintomas para obter atenção. O processo de análise de casos de doenças dermatologicamente “incuráveis” vai demandar do querer do paciente e de sua disponibilidade interna entendendo que não bastam tratamentos com remédios e pomadas, muitas vezes é preciso cuidar da questão psicossomática - mente e no corpo, ou seja, ir ao encon- tro do desconhecido relacionado aquilo que não é falado e compreendido subje- tivamente e que de alguma forma mais que cedo ou mais tarde poderá aparecer através do órgão da relação que é a pele. Renata barbosa lima Velloso. psicóloga e psicanalista. CRp - 06/99381 apVp - 00512.01 e-mail: reblima@ig.com.br
  • 80 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 81Abril, 2015 Abril, 2015
  • 82 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 83Abril, 2015 Abril, 2015
  • 84 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 85Abril, 2015 Abril, 2015
  • 86 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 87Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde tontura: o que é? Por Dr. Daniel Cauduro Salgado É a sensação de perturbação do equilíbrio corporal, conhecida popularmente como labirintite. É uma queixa muito frequente, que ocorre principalmente em idosos, e pode ser sintoma de uma infinidade de doenças. Existem várias formas de tontura. A vertigem é a forma mais comum, sendo uma sensação de estar girando no am- biente ou do ambiente estar girando ao redor. Instabilidade, flutuação, impres- são de queda e desequilíbrio ao andar são outros tipos de tontura. Náuseas e vômitos são sintomas frequentemente as- sociados. Assim, é preciso atenção aos sintomas, pois as tonturas podem causar quedas, com consequências graves. Por que temos tontura? Primeiramente vamos entender como mantemos nosso equilíbrio. Possuímos três sistemas que nos informam a posi- ção de nosso corpo no espaço: o siste- ma visual, que é diretamente controlado pelo cérebro e nos informando a respeito do ambiente em que estamos; o sistema proprioceptivo (músculos e articula- ções), que informa ao cérebro a posição do corpo no espaço; o sistema vestibular (labirinto), que informa ao cérebro todos os nossos movimentos, nos permitindo fixar o olhar nos objetos durante o deslo- camento do corpo. O labirinto está den- tro do nosso ouvido e possui duas partes, cada uma responsável por um tipo de in- formação - o vestíbulo, que nos informa sobre os movimentos, e a cóclea, que é responsável pela audição. A tontura inicia-se a partir de uma fa- lha de informação de um desses sistemas responsáveis pelo equilíbrio. Se o cérebro não recebe ou não consegue aproveitar as informações que recebe do labirinto, sur- gem problemas na manutenção da pos- tura e dos movimentos. Estima-se que cerca de 85% dos casos de tontura estão relacionados a um distúrbio do labirinto. Como tratar? O tratamento deve ser baseado na histó- ria clínica de cada paciente e no exame oto- neurológico, que é um conjunto de exames que analisam as funções do labirinto. Algumas vezes, deve-se utilizar uma medicação para melhora da tontura e também tratar outras doenças que preju- dicam o funcionamento do labirinto, tais como diabetes, aumento de colesterol e triglicerídeos. Em outros casos, é neces- sário o uso da reabilitação labiríntica ou vestibular, que se baseia em um conjun- to de exercícios que tem como objetivo treinar o labirinto afetado. A reabilitação labiríntica tem altos índices de sucesso nos casos indicados pelo médico, sendo um método simples e sem efeitos colate- rais, realizada sempre com a orientação do profissional fonoaudiólogo treinado. Exercícios físicos são de grande valia no tratamento do paciente com tontura, espe- cialmente a caminhada. Além disso, uma alimentação saudável pode controlar cerca de 90% dos casos. Os pacientes devem evi- tar os açúcares em geral, cafeína, chocola- te e alimentos ricos em sódio e gorduras, além das bebidas alcoólicas. É importante lembrar que apenas o médico especialista pode orientar cada paciente a respeito de sua doença e sobre o tratamento adequado. dr. daniel Cauduro salgado Otorrinolaringologia doutorado em Otorrinolaringologia pela usp - CRM-sp 113640
  • 88 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 89Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Ano novo, desafios e objetivos novos. Aliás, novidades não faltarão na DUOCLIN neste ano de 2015. Para começar, em Campos do Jordão, Dra. Elina Ribeiro está atendendo seus pacientes no novo espaço, otimizando assim conforto e comodidade para sua clientela naquela charmosa cidade da nossa região. Dra. Elina Ribeiro neste início de ano participou de dois congressos internacio- nais - IMCAS, (Congresso Mundial de Me- dicina Estética), em Paris, no qual levou sua querida filha, Aline Ribeiro Cunha, acadêmica no curso de Medicina; e esteve no congresso da AAD (Academia Ameri- cana de Dermatologia), em São Francisco, nos EUA, de onde trouxe o que há de novo nos tratamentos dermatológicos e cosmi- átricos, como preenchedores faciais mais seguros, redensificadores para flacidez, cla- readores para manchas, novos peelings e up grade para seus aparelhos de laser. Salienta-se aqui que Dra. Elina sempre procura atualizações nos congressos nacio- nais e internacionais, para que possa ofere- cer aos seus pacientes tudo aquilo que há de novo, e que seja cientificamente comprova- do nos tratamentos nas unidades da DUO- CLIN de Taubaté e de Campos do Jordão. Finalmente Dra. Elina Ribeiro mais uma vez demonstra seu lado empreende- dor e de arrojo profissional, não poupando qualquer esforço para buscar novidades com segurança científica nos tratamentos dermatológicos e cosmiátricos aos seus pa- cientes, sempre abordados com muito carinho e dedicação ao longo do tem- po. Segundo ela o ano de 2015 será promissor nas suas clínicas. Duoclin 2015 Fo to s: W ill An ra ku
  • 90 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 91Abril, 2015 Abril, 2015 Mamas femininas bem deli-neadas, simétricas e volup-tuosas não apenas são con-sideradas como símbolo de beleza e feminilidade, mas também são elementos importantes na manutenção da autoestima da mulher. A cada ano, um número crescente de mulheres procuram o cirurgião plástico para aumentar o volume ou melhorar o contorno de suas mamas. A cirurgia para aumento mamário, também conhecida como mamoplastia de aumento, é hoje um dos procedimentos mais realizados dentro da cirurgia plástica. No ano de 2013, de acordo com a International So- ciety of Aesthetic Surgery, foram reali- zadas 1,7 milhões de mamoplastias de aumento ao redor do mundo. Os avanços nas técnicas para a cirur- gia de aumento mamário permitem ao ci- rurgião plástico atingir os resultados de- sejados pelos pacientes de maneira mais segura e previsível. A mamoplastia de aumento pode ser uma solução para mamas pequenas, flácidas ou assimé- tricas, assim como pode restituir o volume perdido após a gestação, a amamentação, ou a perda de peso. O aumento do tama- nho e da projeção das mamas visa melho- rar o equilíbrio do corpo feminino, componente importante da autoes- tima e da autoconfiança da mulher. Atualmente existem diversos tipos de implantes mamários disponíveis no mer- cado brasileiro, conferindo ao cirurgião uma ampla gama de opções para obten- ção do resultado desejado. Eles podem variar quanto ao tamanho (volume), formato (redondo ou anatômico), perfil (baixo, moderado, alto e extra alto) e tipo de superfície (lisa ou rugosa). A escolha da prótese adequada é fundamental tam- bém para a segurança do procedimento. Deverão ser utilizadas somente próteses aprovadas pela ANVISA, Agência Nacio- nal de Vigilância Sanitária, órgão nacio- nal responsável pelos testes de qualidade e segurança desses produtos. Sabemos que as próteses modernas são feitas de silicone com maior coesividade, o que reduz o risco de ruptura e vazamentos. No entanto, como qualquer implante sin- tético utilizado no corpo humano, eles não são feitos para durar por toda a vida. Os implantes podem ser posicionados abaixo da glândula mamária ou abaixo do músculo peitoral. A cicatriz poderá ser posicionada na borda inferior da aréola, no sulco inframamário ou na região da axila. Cabe ao cirurgião plástico explicar e discutir com o seu paciente todos os fa- tores acima mencionados. Dessa forma, o planejamento cirúrgico deverá ser realiza- do baseando-se em fatores como o exame físico do paciente, as preferências pessoais do paciente e a experiência do cirurgião. O Food and Drug Administration- FDA, órgão americano responsável pela regula- mentação de diversos assuntos relacionados à saúde, listou nove perguntas importantes que todos os pacientes interessados neste procedimento deverão fazer ao seu cirur- gião na hora de planejar a sua cirurgia: 1- Qual o tempo previsto de recuperação? 2- Precisarei de auxílio para desempenhar tarefas normais em casa por quanto tempo? 3- Qual a duração estimada da cirurgia? 4- Há necessidade de procedimentos se- cundários associados à mamoplastia de aumento? 5- Qual a possibilidade de contrair uma infecção após a cirurgia plástica? 6- Quais são os riscos envolvidos na anestesia? 7- O que devo fazer para reduzir os riscos de complicação em curto e longo prazo? 8- Onde ficará a cicatriz do procedimento? 9- Por quanto tempo sentirei dor após a cirurgia plástica? Hoje em dia, a cirurgia para aumen- to das mamas apresenta menos riscos e mais opções. É importante escolher um cirurgião plástico com treinamento espe- cífico em mama, otimizando as chances de alcançar o resultado desejado. Na Clínica Fortes, o Dr. Fernando Fortes, cirurgião plástico formado pela Faculdade de Medicina da USP e com subespecializa- ção em cirurgia estética e reconstrutora da mama no Hospital das Clínicas da Faculda- de de Medicina da USP, avalia cada paciente individualmente para apresentar quais as melhores opções de prótese para cada caso e quais os procedimentos que podem ou pre- cisam ser associados na busca do melhor resultado estético. Enfim, a mamoplastia de aumento pode melhorar muito a imagem femi- nina, permitindo sentir-se mais natural com o seu próprio corpo, mas cada pa- ciente deve e precisa ser avaliado indivi- dualmente sempre na busca pelo melhor resultado com máxima segurança. Caderno Especial saúde Atualmente existem diversos tipos de implantes mamários disponíveis no mercado brasileiro, conferindo ao cirurgião uma ampla gama de opções para obtenção do resultado desejado. “ ” mamoplastia Um dos procedimentos mais realizados no mundo pode ser a solução para mamas pequenas, assimétricas e para restituir o volume perdido após gestação, amamentação, ou perda de peso www.clinicafortes.com.br (12) 3922-4422/3923-5133 rua eng. prudente meireles de morais, 847, Vila Adyana, são José dos Campos-sp Dr. Jeronimo fortes - Crm 24371 Otorrinolaringologia Cirurgia Plástica Facial Dr. felipe fortes - Crm 104318 Otorrinolaringologia Cirurgia Plástica Facial Dr. fernAnDo fortes Crm 124948 Cirurgia Plástica
  • 92 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 93Abril, 2015 Abril, 2015
  • 94 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 95Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Diante de tudo isso, você deve estar se perguntando: porque, então, correr na montanha? A sensação de terminar é incrível, fora o visual de tirar o fôlego “ ” Descidas e subidas, obstáculos e desgaste extremo atraem corredores que buscam uma aventura diferente Os Desafios da Corrida de montanha A IMPORTâNCIA dA NUTRIÇãO NO eSPORTe Os praticantes de esportes, sejam eles amadores ou pro- fissionais, geralmente necessitam de uma demanda maior de nutrientes, pois estão sujeitos às condições ad- versas devido ao desgaste nos trei- namentos. O médico nutrólogo pode avaliar a saúde destes atletas para propiciar condições satisfatórias de desempe- nho do ponto de vista nutrológico como: reparação tecidual adequa- da, diminuição da fadiga, alterações metabólicas e imunológicas causa- das pela prática esportiva, etc. Durante a consulta, somada à avaliação de exames complementa- res, é possível concluir se o pacien- te está com a saúde equilibrada ou submetido ao excesso de treinamento, se tem a composição corporal adequada ou se precisa perder gordura ou aumentar a massa muscular para prevenir lesões, além de detectar se há alguma patologia que necessite de tratamento. O nutrólogo consegue ainda identifi- car carências ou excessos nutricionais e hormonais que impactam negativamente em seu rendimento e corrigi-los e tam- bém indicar ou contra-indicar o uso de suplementos, alimentos e medicações antes, durante e depois dos períodos de treino e provas de acordo com o perfil de cada paciente e objetivo no esporte. Esses cuidados são importantes, pois visam, sobretudo, proteger o indivíduo para que o esporte seja um agregador de saúde e promotor de qualidade de vida. lenina Matioli é médica nutróloga e ortopedista (CRM-sp 95271), tem um blog com dicas para esportes, emagrecimento e vida saudável. acesse e saiba mais: www.facasuaescolha.com.br www.facebook.com/clinicajuvy Por Lenina Matioli Para quem quer mais do que cor-rer na rua, a montanha pode ser o próximo desafio. Aí vão algumas dicas aos que vão en- trar nesse universo, por Lenina Matioli, maratonista, corredora de rua há 5 anos e que há um ano resolveu se aventurar nas trilhas e morros. Um bom pace – minutos que o corre- dor leva para percorrer um quilômetro – na rua não servirá muita coisa na terra. O fato é: você vai andar, e muito, pois o terreno é íngreme demais, ou porque há pessoas mais lentas na sua frente – nem sempre no caminho há espaço para ultrapassagens – ou pela exaustão física que se impõe. Seus músculos da coxa e glúteos se- rão testados à exaustão, porque subida na montanha tem a conotação real da pala- vra – a subida da Avenida Brigadeiro na São Silvestre vira brincadeira de criança. As descidas também costumam ser bem inclinadas e muitas vezes necessi- tam de uma corda para conseguir descer de costas, como no rapel. No meio do mato, é claro, não tem posto com água ou isotônico. Você car- rega, além dos géis de carboidrato, dois quilos e meio de água nas costas na sua mochila de hidratação. O tênis apropriado é necessário, pois o percurso atravessa rios, mar, mangues, entre outros tipos de terrenos. É preciso que o solado seja antiderrapante e que não absorva água para não arrastar duas ‘pantufas’ encharcadas nos pés. Luvas são fundamentais, mesmo que não vá se agarrar cordas. Usamos as mãos o tempo todo para subir, descer e apoiar nos barrancos e, se eventualmente cair, evita machucá-las. Ao invés de bermudas ou saias, as cal- ças de compressão são a melhor opção; com tecido que seque rápido, pois a água está sempre presente. Além disso, quanto mais partes do corpo estiverem cobertas, menor o risco de se esfolar. As organizações de algumas provas ainda exigem que os participantes car- reguem alguns equipamentos de segu- rança, como bússola, sinalizador, apito, ataduras, etc. Diante de tudo isso, você deve estar se perguntando: porque, então, correr na montanha? Lenina é categórica: “A en- dorfina liberada é proporcional ao esfor- ço realizado. A sensação de terminar é incrível, fora o visual de tirar o fôlego. O bem estar apaga todas as dificuldades e te faz procurar o próximo desafio”, desta- cou a médica. O ultramaratonista Guto Nascimento, de Taubaté, treina na altitude das montanhas de Santo Antônio do Pinhal Jo na s B ar be tta / T op 1 0 Co m un ica çã o
  • 96 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 97Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Empresários e empregados estão suscetíveis a doenças decorrentes das preocupações com o cenário econômico. Saiba como proteger seu corpo e sua mente da Redação O medo de ficar desempregado assombra ambientes de tra-balho, sobretudo nesta época de crise econômica. Entre os empresários, as incertezas trazem o medo de que o negócio passe a não ir tão bem, e os problemas financeiros da firma atinjam em cheio suas vidas pessoais. Estresse, an- siedade, insônia e irritação são alguns dos resultados desta combinação perigosa. Entre empregados, um ambiente de tra- balho em que o medo contínuo de perder seu emprego está presente, doenças e dis- túrbios emocionais podem atingir a equi- pe. “Uma das coisas que as pessoas podem desenvolver é o TAG (Transtorno de An- siedade Generalizada). Isso interfere nas tarefas, já que elas têm dificuldade de con- trolar os pensamentos e prejudica o funcio- namento do trabalho”, explica a psicóloga Marina Vasconcellos, especialista em com- portamento pela Unifesp. Ela diz ainda que é comum os trabalhadores ficarem com ir- ritabilidade, insônia, estresse, gastrite e até mesmo com depressão. “A depressão é uma autopunição, as pessoas não conseguem colocar para fora a raiva, o medo e a insegurança e põe para dentro. Ela também aparece como falta de vontade de fazer qualquer coisa, até de le- vantar da cama para ir trabalhar”, declara. Para o empregador, ou microempresário que depende do seu próprio esforço para to- car o negócio, o clima de tensão e incerteza também traz seus males ao corpo e à mente. As relações familiares também ficam estre- mecidas, uma vez que a pessoa acaba des- contando nas pessoas mais próximas todo o nervoso que passa durante o dia de trabalho. “O clima tenso é às vezes piorado até mesmo pelo simples ato de assistir o no- ticiário na TV ou ler as páginas de eco- nomia. Isso gera consequências em casa, o casamento vai dificultando, a relação com os filhos fica complicada. Isso é uma realidade do nosso tempo”, afirma Mari- na. A psicóloga diz que o ideal é aliviar a ansiedade com uma atividade física e aconselha que as pessoas aproveitem esta fase para alavancar a carreira ao invés de ficar temendo pelo futuro na empresa. Para o empresário que está sentindo a pressão da crise sobre sua vida e seu negócio, vale o mesmo conselho, acres- cido da necessidade de não acreditar que simplesmente trabalhar mais vai resolver os problemas. Diante da crise, o corpo não identifica se o estresse é psicológico ou físico. Por isso, tentar resolver apenas mentalmente um problema não é solu- ção. O estresse se mantém, quando pode- ria ter sido amenizado pelo efeito de uma sessão de ginástica ou de corrida, antes de uma reunião estressante. Segundo o psiquiatra Frederico Porto, a estratégia de abandonar os cuidados com o corpo em períodos tensos, como o da atual crise econômica, implica menor velocidade e capacidade de solucionar problemas. “Cair em estado de trabalho contínuo, esquecendo que o corpo pre- cisa de recuperação, é um erro. Executi- vos que praticam exercícios, seguem uma dieta equilibrada e não perdem o foco na saúde contam com vantagem competi- tiva importante em relação aos demais, que pode ser traduzida em menor ansie- dade e estresse, além de capacidade de to- mada de decisões mais rápida”, completa. A Crise econômicaPode Afetar a Sua Saúde?
  • 98 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 99Abril, 2015 Abril, 2015 Artrite reumatóide Caderno Especial saúde A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença inf lamatória crôni-ca. Acomete as mulheres duas vezes mais do que os homens. Inicia-se geralmente entre 30 e 40 anos e sua incidência aumenta com a idade. O tabagismo é um dos fatores associa- dos ao surgimento da doença em pessoas predispostas. Os sintomas mais comuns são a artrite (dor, inchaço, calor e verme- lhidão) em qualquer articulação (junta) do corpo, sobretudo mãos e punhos, po- dendo comprometer a coluna cervical. As juntas inf lamadas provocam di- ficuldade de movimentação articular, principalmente pela manhã, associado à fadiga. Com a progressão da doença há destruição da cartilagem articular, po- dendo o paciente desenvolver deformida- des irreversíveis com incapacidade para realização de suas atividades do dia-a-dia. O médico reumatologista pode avaliar quais exames devem ser solicitados. O diagnóstico precoce com início imedia- to do tratamento é fundamental para o controle da doença e prevenção da incapa- cidade funcional. O tratamento medica- mentoso vai variar de acordo com o está- gio da doença, sua atividade e gravidade, e sempre individualizando e modificando conforme a resposta de cada doente. Na artrite reumatóide, assim como em várias outras doenças reumáticas crônicas, o seguimento pelo médico reu- matologista é imprescindível e deve ser contínuo. Exames de acompanhamento são feitos com frequência para avaliar a atividade da doença e alterações das medicações no curso da doença, sendo que apenas o médico pode diminuir ou aumentar a dose das medicações, modi- ficando o tratamento quando necessário ou indicando a terapia de reabilitação mais adequada a cada caso. dra. eliane sayuri Yamada CRM 140983 sp dr. José Roberto silva Miranda CRM 84564 sp
  • 100 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 101Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde ortodontia para todas as idades Por Dr. Ricardo Hunnicutt Uma das perguntas mais fre-quentes que um ortodentista ouve em seu consultório é a de qual o melhor momento para se colocar um aparelho ortodôn- tico. Muitos acreditam que adultos não podem mais usar aparelhos corretores para os dentes, e que crianças só devem colocar aparelho após trocarem todos os dentes de leite. Isso não é verdade. No caso das crian- ças, na maioria das vezes, um tratamen- to realizado na dentição decídua (dentes de leite) ou na dentição mista (dentes de leite e permanentes juntos), pode facili- tar muito um tratamento ortodôntico na adolescência ou até mesmo evitá-lo. Existem problemas que podem ser tratados já a partir dos 5 anos de idade, dependendo de sua gravidade. Para isso, o ortodentista deve dominar as técnicas específicas para tratamentos em crian- ças, pois nesta fase trabalhamos princi- palmente com as bases ósseas do pacien- te. Um trabalho bem feito nesta idade pode e deve melhorar em muito a vida do paciente, mas um tratamento equivocado pode causar danos para o resto da vida da criança. Por esse motivo, os pais devem buscar profissionais altamente capacita- dos para o tratamento de seus filhos. No caso de pacientes adultos, não existe uma idade limite para se realizar um tratamento ortodôntico, desde que os dentes e suas bases ósseas estejam sau- dáveis. Hoje em dia, os ortodentistas pos- suem inúmeros tipos de aparelhos fixos, devendo primeiro avaliar o caso e as expectativas do paciente para que possa oferecer a melhor opção de tratamento para o mesmo. Existem os aparelhos de porcelana para os que não querem ficar com o sor- riso metálico; os aparelhos auto-ligáveis que não precisam ser ativados todos os meses, para os que não podem visitar seu ortodentista mensalmente; e os tradicio- nais aparelhos fixos com suas borrachi- nhas coloridas, que os jovens adoram. Enfim, dos 5 ao 80 anos, todos podem usar aparelhos ortodônticos, desde que haja bom senso do profissional e colabo- ração do paciente. Sorria, a vida é muito melhor para quem sorri. dr. Ricardo Hunnicutt é especialista em Ortodontia, e atuante em Cirurgia Oral Menor. CRO-sp 57693 mitos e verdades da nutrição Caderno Especial saúde Por Renata Campello A nutrição é uma ciência. O fato de nos alimentarmos diaria-mente não nos torna aptos a saber fazer escolhas por ali- mentos saudáveis. Isso envolve ciência, muita bioquímica, inúmeras pesquisas, especializações, congressos, enfim, cons- tante atualização de conhecimentos do profissional nutricionista, que é o único prescritor habilitado e regulamentado para prescrever uma dieta. Atualmente, por meio da mídia, redes sociais, etc, o conhecimento ficou muito mais acessível e assim temos um perfil de pacientes que vem ao consultório com uma bagagem de informações, na maio- ria das vezes não fundamentadas em ci- ência e sim em modismos. Isso lança mitos diversos à popula- ção, que podem parecer inofensivos, mas podem ser extremamente prejudiciais à saúde. Quando se propõe dietas onde não se atinge um equilíbrio nutricional, a consequência pode ser desastrosa e cau- sar danos irreparáveis à saúde. Uma privação de nutrientes pode le- var à compulsão alimentar, desencadean- do obesidade e outras doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, dis- túrbios gastrointestinais, etc. Dietas equilibradas vêm para devol- ver a homeoatse (equilíbrio), que o corpo humanos tenta manter exaustivamente através de inúmeras tarefas bioquímicas, as quais necessitam de oferta constante de nutrientes. Como exemplo, vejo prá- ticas diárias de pacientes que ao fazer tantas restrições calóricas para tentativas de enegrecimentos causam carências de algumas vitaminas e minerais e isso pre- dispõe o organismo a com- portamentos compulsivos e viciantes. Assim, aumenta-se risco de obesidade e percebo nestes pacientes um stress pela dieta. Comem culpados, abstém-se do prazer, vêem a dieta como um fardo pesado e não como uma mudança de hábito necessário para que obtenham saúde e que pos- sam envelhecer de maneira saudável. A minha prescrição de hoje tem que proporcionar ao pacientes uma vida sau- dável e não apenas o ema- grecer. Mudanças não são fáceis, mas mudar pela saú- de é ainda melhor do que sermos obrigados a mudar pela doença que já se ins- tala em nosso organismo. Temos uma herança gené- tica que carregamos co- nosco, que responde por 30% do desenvolvimento de patologias mas, 70 % da expressão genética (se iremos desenvolver a do- ença) é ambiental. Sendo assim, temos em nossas mãos escolhas corretas que podem modular nos- sos genes. Alimentarmos bem envolve escolhas de alimentos saudáveis e não que apenas emagreçam ou nos tornem musculosos. Renata Campello é nutricionista.
  • 102 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 103Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde da Redação Ler no escuro prejudica a Visão? MITO. A leitura em um ambiente com pouca iluminação é apenas desconfortá- vel, proporciona um esforço maior caso a pessoa possua um distúrbio de refração, porém, não causa nenhuma doença. Coçar os olhos é perigoso e pode cegar? VERDADE. São raros os casos, mas coçar o olho com força pode causar o descolamento de retina, entre outros problemas na parte externa dos olhos. A sugestão é usar uma compressa de algo- dão e água fria para aliviar o incômodo. Se persistirem os sintomas, procure um oftalmologista. Somente os meninos podem ser dal- tônicos? MITO. Estima-se que até 8% dos me- ninos têm algum grau de daltonismo, en- quanto as meninas, menos de 1%. Comer cenoura melhora visão? MITO. As cenouras são ricas em vita- mina A, essencial para a visão, mas muitos outros alimentos também contêm essa vi- tamina. Uma dieta bem equilibrada, com ou sem cenoura, fornece toda a vitamina A necessária para uma boa visão. O leite materno cura a conjuntivite? MITO. Apesar de ser rico em anticor- pos, não se recomenda o uso, pois o leite materno pode transmitir doenças como Hepatite e HIV. E existem diferentes ti- pos de afecções, tais como: viral, bacte- riana e alérgica e cada uma destas deve ser tratada de maneira diferente. Uso de hastes flexíveis pode prejudi- car a audição? VERDADE. O uso destas hastes pode promover o deslocamento das secreções e descamações para o interior do canal, causando sensação de ouvido tampado e zumbidos. mitos Verdadese
  • 104 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 105Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Você sabe o que está comendo? Saiba como entender os rótulos com informações nutricionais dos alimentos industrializados Por Guilherme B. Barbosa Lima O grande objetivo das indús-trias alimentícias é vender o produto. Para tal fina-lidade eles desenvolvem lindas embalagens e fazem gran- des promessas sobre o alimento. Estas nem sempre são verdade. Apesar de muitos alimentos se- rem rotulados como “integrais” e “fonte de vitaminas e minerais”, estas informações nem sempre correspondem com a verdade, visto que os componentes ali exis- tentes não apresentam porções ideais para serem rotulados como “integrais”, por exemplo. Vejamos como identificar se um pro- duto é realmente o que anuncia: Segundo as novas normas da ANVI- SA, para um alimento ser “fonte” de vi- taminas ou minerais, precisa conter no mínimo 15% das nossas necessidades di- árias (ND) de vitamina ou mineral por porção do produto (ND/porção) e, para ser “rico” precisa de ao menos 30% das ND/porção. O alimento “fonte” de proteína deve conter no mínimo 6g/porção e para ele ser “rico” deve conter 12g/porção. Alimentos fontes de fibra devem con- ter 2,5g/porção e para serem ricos devem conter 5g/porção. Lembrando que devem sempre atingir a quantidade mínima dos aminoácidos essências (aminoácidos que o nosso cor- po não produz). Outro ponto importante na leitura do rótulo é no que se refere aos ingredientes que compõem o produto. Isso porque os ingredientes devem descrever os alimentos em forma decrescente (do que tem maior abundancia no produto para o menor). Um bom exemplo para você ver a im- portância da leitura é nos pães integrais. Isso porque a maioria destes produtos contém em sua lista de ingrediente a fibra enriquecida com acido fólico e ferro (farinha branca) e depois a farinha integral. Mostrando que neste ali- mento existe mais farinha branca do que integral. Assim, para que o produto seja realmente integral, ele deve ter como primeiro ingrediente des- crito no rótulo a farinha de trigo integral. Outro produto que sempre enga- na são os sucos de caixinha, uma vez que muitos deles começam com água, açúcar e somente após a fruta, o que significa que eles contém mais açúcar do que a própria fruta. Portanto, indago: será que você está comendo o que imagina? Depois dessa breve explicação sobre o rótulo, você pode escolher melhor seus alimentos e julgar sua qualidade. Guilherme b. barbosa lima é nutricionista. CRn-33366 especialista em nutrição nas doenças Crônicas não transmissíveis – Hospital Israelita albert einstein. especializando em nutrição aplicada ao exercício físico - escola de educação Física e esporte da universidade de são paulo. especializando em nutrição clinica funcional - Valéria paschoal Vp – Faculdade Cruzeiro do sul.
  • 106 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 107Abril, 2015 Abril, 2015 o infarto Agudo do miocárdio Por Dr. Felipe Guimarães Lobão Infarto ou enfarte do miocárdio é uma doença caracterizada por mor-te de parte do músculo cardíaco ocasionada por interrupção abrupta do fluxo sanguíneo para o mesmo. É uma enfermidade grave, podendo levar o in- divíduo ao óbito. Segundo dados do DATASUS, mor- rem anualmente no Brasil cerca de 66 mil pessoas vítimas de infarto agudo do mio- cárdio, sendo que cerca de 60% dos óbitos por infarto acontecem na primeira hora após o início dos sintomas. É considerada a principal causa isolada de morte no país. A principal causa do infarto é a pre- sença de aterosclerose coronária, que se caracteriza por acúmulo gradual de gorduras no interior dos vasos, seguida pela formação de um coágulo sanguíneo sobre a placa gordurosa, levando à obs- trução arterial. Observamos constantemente em nossa pratica médica, como em atendi- mentos no pronto-socorro SUS da Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro (SP), o crescente número de usuários portadores de diabetes, hipertensão arterial, coles- terol e triglicérides elevados, tabagistas e obesos, e por isso propensos à doença arterial coronariana. O tratamento do infarto deve ser ins- tituído o mais precoce possível, sendo o retardo pela procura ao atendimento mé- dico um fator importante no prognóstico do paciente. Melhores políticas de saúde vêm sendo elaboradas pela diretoria da Santa Casa de Misericórdia de Cruzei- ro, juntamente à Secretaria de Saúde do Município, para um ainda melhor aten- dimento da doença coronariana à nossa comunidade. dr. Felipe Guimarães lobão é Cardiologista e ecocardiografista titulado pela sociedade brasileira de Cardiologia e pelo departamento de Imagem em Cardiologia, atualmente Coordenador assistencial da Clínica Médica do pronto-socorro sus da santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro Contato: drfelipelobao@gmail.com Caderno Especial saúde Doce inimigo Conheça todos os tipos de açúcar e saiba porque é importante não extrapolar seu uso no consumo diário da Redação Só de pensar na variedade deliciosa de doces, você já tem receio de en-gordar. Motivos não faltam para isso, já que o açúcar realmente traz na bagagem uma reputação nada boa. O fato é que, além de esbanjar ca- lorias, os grãos adocicados não oferecem nutrientes importantes ao organismo. Não existe uma recomendação especí- fica para o consumo de açúcar. Isso varia de pessoa para pessoa, dependendo da idade, tipo de dieta, dentre outros fato- res. “Porém, por ser rico em calorias e não fornecer fibras, proteínas, vitaminas e minerais, é aconselhável diminuir a in- gestão ao máximo”, afirma a nutricionis- ta Roberta Stella, em artigo publicado no site Minha Vida. Controlar as colheri- nhas que adoçam as xícaras de café ou chá, convenhamos, é mais fácil do que calcular a quantidade de açúcar presente em seu bolo preferido. Para não extra- polar na dose, o aconselhável é analisar os rótulos alimentícios e observar se há açúcar na composição. Outro conselho é sempre lembrar que doces, pães, bolos e tortas vêm acresci- dos de açúcar. Essa, inclusive, é uma das causas da alta quantidade calórica que eles apresentam, mas não é por isso que você precisa radicalizar. Os doces não precisam ser riscados do seu cardápio, principalmente se você faz parte do fã- -clube deles. O segredo é a moderação. Açúcar mascavo é melhor do que o refinado? Não. Trata-se de um erro comum cometido por quem pretende cortar ca- lorias. A tática não funciona. A quanti- dade calórica dos dois tipos de açúcar é semelhante. “Enquanto 100 gramas de açúcar refinado apresentam 400 calorias, a mesma quantidade de açúcar mascavo contém 380 calorias”, explica a nutricio- nista Roberta Stella. Apesar do açúcar mascavo conter mais nutrientes, a orien- tação sobre as doses açucaradas inclui todos os tipos de açúcar. As vitaminas e minerais devem ser obtidos por outras fontes alimentares como, por exemplo, frutas, legumes e verduras. Para fugir do sabor residual deixado pelos adoçantes, o açúcar light é o produto mais indicado. Doce demais, saúde de menos O fato de acrescentar muitas calorias à alimentação faz com que o açúcar cause um desequilíbrio na saúde, quando con- sumido além da conta. O prejuízo mais facilmente notado é o ganho de peso. Com os quilos extras, os fatores de risco para o desenvolvimento de doenças car- diovasculares aumentam, por exemplo. Além disso, pessoas com tendência a de- senvolver diabetes ou que já sofrem com a doença devem evitá-lo. Os grãos açucarados aumentam ra- pidamente a quantidade de glicose no sangue, com a agravante de o pâncreas não produzir (ou produzir em quanti- dade insuficiente) a insulina, hormônio responsável pela retirada de glicose do sangue. Nestes casos, o açúcar deve ser substituído por edulcorantes artificiais, a fim de evitar a ingestão de alimentos que colaboram para o aumento da gli- cose sanguínea. Uma alimentação equi- librada, com a distribuição adequada dos grupos alimentares também deve ser seguida. Caderno Especial saúde Acidente vascular encefálico ou "derrame cerebral" Por Antônio Beuttenmuller Gonçalves Silva O AVE, ou acidente vascular en-cefálico, está entre a primeira e terceira causa de morte no Brasil dependendo do Estado, com mais de 100 mil mortes ao ano. 70% destes pacientes não retornam ao traba- lho e 50% permanecem dependentes de outras pessoas para atividades básicas, por sequelas cognitivas e/ou motoras. Considerando que o AVC está relacio- nado ao mau controle de doenças crôni- cas como, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo e cardiopatias, prevalece nas classes sociais com menor acesso à me- dicina preventiva e assistência básica à saúde. Na última década tem se usado com sucesso o tratamento trombolítico com o medicamento alteplase, que ajuda a dissolver o coágulo e reverter a isquemia cerebral antes que esta se torne irreversí- vel, desde que a medicação seja infundi- da nas primeiras quatro horas e meia da instalação do sintoma neurológico. No Vale do Paraíba, a Santa Casa de Cruzeiro e o Hospital de Taubaté são exemplos de hospitais públicos regionais que dispõem de serviço de emergência preparado para executar esse tratamen- to, cujos benefícios ainda são pequenos se comparados àqueles alcançados com a implantação de políticas sérias de pro- moção à saúde. dr. antônio beuttenmuller Gonçalves silva é neurologista formado pela unIFesp, tem título de especialista pela academia brasileira de neurologia, especialista em neurologia cognitivo comportamental. Coordenador do setor de emergência e neurologia na santa Casa de Cruzeiro. Cruzeiro-sp: R Voluntários paulistas 565. tel.: (12) 3144-1442 | lorena-sp: av. peixoto de Castro 23. tel.: (11) 3152- 7758 Contato: antoniobeut@yahoo.com.br AVC ocorre quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro Re pr od uç ão
  • 108 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 109Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Beleza e bem-estar ao seu alcance Mix de marcas de beleza consolidam o Taubaté Shopping como referência em lojas da área A maioria das mulheres adora cuidar da beleza. Existem vá-rios tipos de tratamentos que prometem melhorias na pele, nos cabelos, unhas, além de valorizar a autoestima. Alguns desses tratamentos podem ser complexos, mas o que muita gente não se atenta é que é possível en- contrar diversos serviços de estética em um único lugar. Além de ponto de encontro para com- pras com a família com lazer e diversão, o Taubaté Shopping mantém ainda em seu mix, marcas consolidadas em bem- -estar. Tudo para que os clientes tenham o prazer de, entre uma visita e outra, sen- tir-se ainda melhor. Além das tradicionais lojas ligadas à moda, a beleza no corpo e na mente também tem vez. A conceituadíssima academia Eliane Indiani, por exemplo, oferece serviços exclusivos aos clientes que ainda contam com a segurança e a praticidade de praticar exercícios físicos num Shopping. Já no espaço Sóbrancelhas, designers e técni- cas diferenciadas dão contorno e modernidade àquelas que são mais exigentes. Para quem busca qualidade em serviços de depila- ção, excelentes opções: Espaço Laser Depilação, DepilShop e Não + Pêlo Fotodepilação, com tecnologias e preços acessíveis a todos os bolsos. Outras grandes marcas também dão um toque de beleza em suas clientes, transformando-as em verdadeiras estrelas: O Boticario, Glitter, L´ acqua di Fiori, May- belline, Ponto Hair, Shiatsu Massagem e Yes Cosmetics também estão presentes no empreendimento e podem ser uma boa pedida para aquela produção espe- cial. Seja qual for a sua receita de beleza, o im- portante é encontrar opções que valorizam o que há de melhor em você. E, por que não, cuidar de você no lu- gar mais querido da ci- dade? Vem pro Taubaté Shopping! www.taubateshopping.com.br Siga-nos!
  • 110 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 111Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde equus equoterapia Desde abril de 2000, a Comu-nidade Terapêutica Equus vem realizando um trabalho de reabilitação com pessoas portadoras de necessidades especiais no Vale do Paraíba. Reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina em 1997, a equoterapia vem sendo indicada por médicos para uma variedade de casos clínicos de diferentes idades. Hoje, a Equus atende de bebês até idosos com indicação prescrita por um profissional da área da saúde. O que é equoterapia? Trata-se de um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicos- social de pessoas portadoras de necessi- dades especiais. Esta definição por nós adotada é difundida pela ANDE BRASIL (Associação Nacional de Equoterapia). O uso do cavalo no tratamento O cavalo, ao andar, provoca um des- locamento da pelve do praticante que o monta, fazendo com que ele busque o equilibrio por todo o tempo que estiver montado. Segundo dados analisados pela ANDE, o cavalo ao passo em 30 minutos provoca 2,2 mil deslocamentos, estimu- lando o sistema nervoso central a ade- quar o equilíbrio. Para tanto, o animal tem que ter os aprumos perfeitos e uma índole dócil, e um excelente adestramento para equo- terapia. Não podemos esquecer que o animal deverá estar saudável, com vaci- nas e vermifugações em dia e seus cascos aparados nos ângulos corretos, porque este conjunto de fatores influencia direta- mente no seu andar e, consequentemen- te, no estimulo ao paciente. Os terapeutas A equipe da Equus é formada por pro- fissionais formados em suas respectivas áreas de nível superior e com cursos de equoterapia e equitação. São eles: Vânia C.B.N. Calçada: pedagoga espe- cialista em educação especial, psicopeda- goga, equoterapeuta e equitadora. Anna Paula Cembranelli Gati: fonoaudi- óloga especialista em gerontologia e psicolo- gia infantil, equoterapeuta e equitadora. Hélio Fernando Tibúrcio: fisioterapeuta especialista em traumatologia e ortopedia, professor universitário da Anhanguera Educacional, equoterapeuta e equitador. Sandra R. de Faria Campos: terapeuta ocupacional, equoterapeuta e equitadora. Ebe Matos: psicóloga e psicopedagoga. Bruna Bondarenko: fisioterapeuta, equoterapeuta e equitadora.
  • 112 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 113Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde O Viço da Pele Por Érico Pampado Di Santis Hoje gostaria de voltar a um as-sunto: a textura da pele. Parte fundamental da beleza facial, da saúde e boa aparência do seu rosto. Relembrando, a cosmética da face depende de três fatores: volume, di- nâmica e textura. A textura corresponde ao verniz, ao viço, à superfície facial. Encontrei uma definição de viço no site dicionarioinfor- mal.com.br que eu adorei: “Exuberância de vida; vigor, verdor, frescura”. Realmente a pele pode mostrar a vida, a pele do rosto então, mostra a alma, o estado de espírito. A derme e a epiderme são as respon- sáveis diretas pela textura. A epiderme é a camada da pele mais externa, a derme vem logo abaixo sustentando a epiderme. A epiderme é formada principalmente pelos queratinócitos e a derme pelas fi- bras elásticas e fibras de colágeno. Qualquer dano nessas camadas da pele se ref letirá na aparência da pele. Tudo que nossos olhos captam é por re- flexão da luz. Uma superfície lisa reflete a luz de maneira coordenada, já uma su- perfície irregular tem suas reentrâncias as quais “roubam” luz. Se na pele houver sulcos, depressões ou relevos, nossos olhos captarão sombras ou reflexos distorcidos que não agradarão nosso cérebro. Se o colágeno, base estru- tural da nossa pele, estiver sulcado ou com alguma quebra o reflexo estará na superfí- cie da pele. É o que ocorre nas rugas. O movimento repetitivo de um mús- culo da face fica “beliscando” a derme por baixo dela e de tanto fazer isso marca, vin- ca a pele. A degradação da camada elástica da derme pelos raios ultravioletas desor- ganiza toda a estrutura dérmica. Além dos fatores citados temos de levar em con- ta os fatores genéticos e hormonais. Outra lesão que se forma na pele e que está na superfície são as manchas. A mancha tem diversas causas por isso antes de tratá-las é importante o diag- nóstico específico de cada mancha. Os tratamentos que visam melhorar a tex- tura da pele agora focando na pele facial são: Protetor solar. Sim o mais importante e mais efetivo é o protetor solar. Os outros como antioxidantes orais, cremes de uso domiciliar, despigmen- tantes, ácidos, e os procedimentos de consultório como os peelings químicos, lasers, cauterizações, ou até em centro cirúrgico como o peeling profundo de fenol podem ser efetivos quando bem in- dicado pelo seu dermatologista. A prevenção é o melhor caminho para proteger sua pele. A correção precoce dos problemas que surgirem e o acompanha- mento médico disciplinado manterão seus cuidados. Evite o uso de fórmulas caseiras que podem irritar e até queimar deixando cicatrizes permanentes na face. Cuide da acne já nos primeiros sinais de seu surgimento: os cravos. érico pampado di santis é Médico dermatologista CRM 96.546 sp RQe (Registro de Qualificação de especialista) 21.582 diretor técnico da Clínica absoluta dermatologia endocrinologia taubaté sp.
  • 114 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 115Abril, 2015 Abril, 2015
  • 116 | Vitti | revistavitti.com.br Abril, 2015 #euestouaqui www.revistavitti.com.br Empresas, produtos, serviços e tudo mais que importa na região está na Vitti. Você ainda não está? Ligue pra gente. Jacareí São José dos Campos Caçapava Taubaté Tremembé Pinda Aparecida Guaratinguetá Lorena Cruzeiro Santo Antonio do Pinhal Campos do Jordão Passa Quatro Ubatuba ø r u a z e ro .c o m anuncios21x28_venda.indd 1 10/2/14 2:43 PM
Please download to view
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
...

Revista Vitti, abril 2015 Edição n112

by revista-vitti

on

Report

Category:

Documents

Download: 0

Comment: 0

213

views

Comments

Description

Entrevista com o empresário Marcelo Malerba que comanda uma cafeteria que figura entre as 20 melhores do país; Negócios; Economia; Mercado Imobiliário; Festas e Inaugurações. Confira também o Caderno Especial de Saúde & Estética que preparamos para você!
Download Revista Vitti, abril 2015 Edição n112

Transcript

  • revistavitti.com.br | Vitti | 1Abril, 2015 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA VENDA PROIBIDA Vale do Paraíba, Litoral Norte e Sul de Minas www.revistavitti.com.br Edição 112 - Ano 10 Abril, 2015 Foto capa: Rodolfo Magalhães Mercado Imobiliário Félix Imóveis Especiais apresenta conceito de Open House Especial Saúde & Bem Estar Negócios Padrões, Valores e Verdades Economia Saiba como investir no Tesouro Direto CAPA Marcelo Malerba Confira entrevista com o empresário de Lorena que comanda uma cafeteria que figura entre as 20 melhores do país
  • 2 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 3Abril, 2015 Abril, 2015
  • 4 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 5Abril, 2015 Abril, 2015 Correio Vitti Fale conosco: opine, critique e dê sugestões. Escreva para: redacao@revistavitti.com.br CApA Março 2015errata Edição de Março 2015 Na foto ao lado, publicada na coluna Socorro in Foco (p. 36) da edição passada, a legenda correta é: blogueira Luciana Tranchesi e Thais Vargas, no Fashion + Art em São Paulo. DiretorA: Marcela Vitti Assistente: Isaura Silva DiAgrAmAção: Bruno Moura eDitor De Arte: Victor Pereira JornAlistA responsáVel: Ronaldo Casarin - MTB 52246 reVisão: Ronaldo Casarin foto DA CApA: Marcelo Malerba (Foto: Rodolfo Magalhães) repórter fotográfiCo: Will Anraku ColunistAs: São José dos Campos e Jacareí: gilberto freitas, marilda serrano e edu rosa - Caçapava: Anna Dennz Taubaté: socorro pinto e José luiz - Lorena e Aparecida: peter iote ligia Ballot Sul de Minas: Carlos moura. ColABorADores: rAfAel ferro, mAriAne BArros, JuliAnA Bueno, ADilson peloggiA, murilo BArACho, Antonio BArBosA filho, felipe guArnieri, fABiAnA ferreirA, CArlos mArConDes, ArCione ViAgi e ÉriCo pAmpADo Di sAntis. DiretorA ComerCiAl: Marcela Vitti (12) 98122-3000 / 7812 4527 / 90*1463 - marcela@revistavitti.com.br tAuBAtÉ / CAçApAVA / pinDA: Parê Guerson (12) 3624-5610 / 7812-4526 / 90*1461 / 98106-3500 - pareguerson@gmail.com são JosÉ Dos CAmpos / uBAtuBA: Marcela Vitti (12) 98122-3000 / 7812-4527 / 90*1463 - marcela@revistavitti.com.br guArAtinguetá / ApAreCiDA / lorenA: Benê Carvalho (12) 98133-2984 - carvalho.bene@ig.com.br sul De minAs: Luigi Scianni (12) 9781-5623 - luigiscianni@gmail.com DistriBuição: Rodrigo Melo Gratuita e dirigida às cidades de Taubaté, Quiririm, São José dos Campos, Caçapava, Pindamonhangaba, Guaratinguetá, Lorena, Campos do Jordão, Santo Antônio do Pinhal, Tremembé, Cruzeiro, Ubatuba e Sul de Minas Impresso no parque gráfico da Resolução Gráfica Ltda. AtenDimento Ao Cliente: (12) 3632-3060 / 7812-4525 / 90*1462 - Rua dos Operários, 118 - Taubaté - SP Os artigos, matérias, opiniões e anúncios aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, e não refletem necessariamente a opinião da Revista Vitti. É proibida a reprodução total ou parcial da revista sem autorização da Revista Vitti. “Um luxo a edição da Vitti de março. Adoro as colunas sociais da revista, sempre feitas com muito capricho. Parabéns a todos os colunistas e à equipe Vitti. Vocês são demais!” Pietra Künch, via Facebook “Quero parabenizar vocês pelo artigo “Desenvolvimento eficiente das grandes cidades”, feito pelo Peter Iote. Este é um assunto de enorme importância e que por vezes é esquecido pelos prefeitos e governadores, que deveriam ser os mais interessados em ver nossas cidades se desenvolvendo e crescendo de forma correta, evitando a degradação dos municípios. ” Robson Cantero, por e-mail “Ainda em tempo. Parabéns, Lani Goeldi, pela matéria sobre a arte que vem do guarda chuva, inspirações e obras do grande mestre xilogravurista Oswaldo Goeldi.” Ilona Heidriche, via Facebook RO dO LF O M AG AL hã eS Editorial entreVistA marcelo malerba ..................................................... 10 Batemos um papo com o empresário de Lorena que está à frente de uma das cafeterias que figuram no Top 20 nacio- nal. Marcelo fala sobre a bebida mais famosa do Brasil, do mercado e das novidades para 2015. imóVeis félix imóveis especiais lança conceito de open house.. 20 negóCios padrões, Valores e Verdades ..............................................26 eConomiA um novo mapa do tesouro .........................................32 turismo Delícias do outono ......................................................38 ponto De VistA mobilidade sem fronteiras............................................54 esporte rainha da montanha e Volta dos romeiros ................66 meio AmBiente É preciso salvar a mata Atlântica ...............................69 gAstronomiA experimentando o Agridoce .........................................71 CADerno espeCiAl sAúDe ..................................75 Já estamos no outono, e com as temperaturas mais amenas, um cafezinho vai muito bem, não é? Se você é fã da bebida, vai curtir a entrevista especial desta edição, com o empresário Marcelo Maler- ba, proprietário e barista do Malerba Café, de Lorena. Na conversa, ele contou como iniciou neste apaixonante universo dos cafés especiais e trouxe algumas novidades interessantes do setor para este ano. Vale a pena conferir. Outro destaque desta edição de abril é o nosso já co- nhecido e prestigiado Caderno Especial de Saúde. Os mais renomados profissionais da região assinam artigos abordando diversas áreas, e reportagens complementares ilustram mais este especial preparado com muito carinho. Nossos colunistas sociais capricharam este mês e tra- zem uma seleção de fotos dos eventos mais importantes que agitaram as principais cidades do Vale do Paraíba. Não deixe de conferir quem brilhou e foi notícia. Confira ainda matérias e artigos sobre gastronomia, cinema, turismo, negócios, esportes, economia e muito mais. Boa leitura, aproveite mais esta edição preparada por nosso time com muito esforço e cuidado, e que este início de outono seja agradável para todos nós. marcela Vitti Diretora “Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas. Em ti me alegrarei e salvarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.” SALMO9:1-2 um papo sobre Café e saúde Índice Índice Abril 2015 | Edição 112 | Ano 10 Cartas
  • 6 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 7Abril, 2015 Abril, 2015 pArê guerson Vendas Bruno mourA dIaGRaMadOR CArlos mourA COlunIsta sul de MInas soCorro pinto COlunIsta taubaté ligiA BAllot COlunIsta apaReCIda AnnA Dennz COlunIsta CaçapaVa JosÉ luiz COlunIsta taubaté eDuArDo rosA COlunIsta JaCaReí mArilDA serrAno COlunIsta sãO JOsé dOs CaMpOs peter iote COlunIsta lORena gilBerto freitAs COlunIsta sãO JOsé dOs CaMpOs fABiAnA ferreirA COlunIsta de espORte mAriAnA JunqueirA COlunIsta sãO JOsé dOs CaMpOs guilherme mArtini COlunIsta CaMpOs dO JORdãO isAurA silVA assIstente ViCtor pereirA edItOR de aRte Benê CArVAlho Vendas COlunIsta GuaRá Will AnrAKu FOtóGRaFO ronAlDo CAsArin edItOR roDrigo melo dIstRIbuIdOR Nossa equipe
  • 8 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 9Abril, 2015 Abril, 2015 Pastilhas Atlas. Matéria prima, tecnologia e talento 100% brasileiro.
  • 10 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 11Abril, 2015 Abril, 2015 Entrevista Fo to s: Ro do lfo M ag al hã es Peça para ele se definir. Prova-velmente ouvirá deste empre-sário e designer de 37 anos que ele é simplesmente “um apaixo- nado por café”. Batemos um papo com Marcelo Malerba, de Lorena, que investe pesado na divulgação e valo- rização do café como um item gas- tronômico. Desde que o café se instalou em sua vida, Marcelo tem se dedicado ao ofício de barista e fala sobre a bebida mais famosa do Brasil, do merca- do e das novidades para o público. Por Ronaldo Casarin Vitti - Como você se interessou pelo café e qual o caminho até a fundação do Malerba Café? Marcelo Malerba - Eu não fui atrás do café, nem tinha o hábito de beber café. Foi o café que foi se instalando na minha vida, sem pedir licença. Tinha acabado de me formar em Design de Produto na Faculda- de de Belas Artes de São Paulo, e já estava sem vontade de viver aquela vida agitada na capital. Nesta fase, ouvia constantemente uma voz interior me di- zendo para voltar para Lorena. Ra- cionalmente, marcelo malerba não via razão em voltar. Era um recém formado pronto para ingressar no merca- do de design e no interior as ofertas neste ramo são muito restritas. Naquele mo- mento de indecisão pedi a Deus um sinal de que rumo deveria tomar. Poucos dias depois recebo uma ligação do meu pai di- zendo que a Shell finalmente aprovou a instalação de uma loja de conveniência em Lorena, e que só entraria neste novo mercado se eu tomasse frente da operação. Minha família administra há 64 anos o Posto Malerba, e naquele tempo a Shell realizava anualmente um estudo de mer- cado para analisar a viabilidade de uma oferta de conveniência na cidade – e justo naquele ano a ideia foi aprovada. Confiei no sinal, arrumei minhas malas e no iní- cio de 2003 já estava de volta a Lorena. Vitti - Como foi o processo de cria- ção dos conceitos que moldaram o Ma- lerba Café? M.M. - Foram três anos de projetos, estudos e reformas até que em julho de 2006 a loja estivesse funcionando. Éramos uma loja de conveniência que tinha uma máquina de café e hoje somos uma das 20 melhores cafeterias do Brasil que também oferece alguns produtos de conveniência. Por ser um formato novo na cidade, fize- mos muitos eventos para promover o ne- gócio e trazer as pessoas para dentro do espaço. Passamos então a comemorar o Dia Nacional do Café, em todo dia 24 de maio, iniciativa que cresceu e se tornou o que hoje é a Semana do Café de Lorena. Vitti - Como foi sua iniciação na ati- vidade de barista, profissional especia- lizado em café? M.M. - Em uma das reuniões de mon- tagem da loja, nos dividimos para orçar os equipamentos necessários, e eu fiquei responsável pela máquina de café. Como não tinha o hábito de beber café até então, orcei aquelas máquinas automáticas. Um gerente que participava da montagem sugeriu uma máquina de café espresso e eu reagi imediatamente. Achei uma loucura, pois acreditava que precisava de O mercado de cafés de alta qualidade cresce de forma sólida e constante ano a ano. ” “ muito conhecimento para saber operar aquela máquina, e fui contra. Mas, para meu desespero a máquina de espresso foi escolhida por votação. Como não con- cordava com a decisão, nem participei do treinamento de operação porque achava que aquilo iria afundar o novo negócio. Passei meses sem passar perto da má- quina. Até que um cliente me perguntou: “Esse café é arábica?” – e eu não soube responder. Ali percebi que não tinha jeito e que tinha que estudar. Me inscrevi num curso básico de barista, e desde lá não pa- rei mais de estudar e transformar minha forma de entender e oferecer café. Vitti - Você é um profissional que preza muito pelo preparo na hora de servir o café. Qual a importância dessa preparação? M.M. - Investi muito em estudo. Após o curso básico, levei um ano para lançar nossa primeira carta de cafés. Precisava deste tempo para colocar toda a teoria em prática. Em São Paulo, conheci a Re- vista Espresso e ela passou a ser, aliada aos cursos, minha fonte essencial de co- nhecimento. Meu segundo curso foi um de cafés caseiros, ministrado por Isabe- la Raposeiras. Tenho este dia como um marco na minha vida, pois ali fui apre- sentado aos cafés de alta qualidade. Vitti - No mês de maio acontece a 4ª edição da Semana do Café de Lorena. Como será este evento este ano? M.M. - Acontecerá entre os dias 21 e 24 de maio no salão de eventos do Ma- lerba Café, em Lorena. O evento reúne apreciadores de café, profissionais e inte- ressados para aprender e discutir temas sobre o universo do grão. Nesta edição, não vamos trazer um tema específico. O evento vem para ser um divisor de águas, um encontro informal. A decisão foi to- mada a partir da resposta positiva que tive dos participantes e palestrantes nas edi- ções anteriores. O evento contará com 15 palestrantes neste ano. Já confirmaram presença Isabela Raposeiras (barista, pro- prietária do Coffee Lab), Mariano Martins (Martins Café), Andreson Ramos (baris- ta), Luis Vilela (produtor), Giuliana Bastos (jornalista), Kelly Stein (jornalista), Lu- cas Salomão (barista, campeão brasileiro de Preparo de Cafés; Libermac), Luciano Salomão (barista; Wolff Café) e Mariana Proença (diretora de redação da revista Espresso), além de outros especialistas e interessados. O Sofá Café levará o projeto “Fazedores de Café” ao evento. A partici- pação na Semana do Café de Lorena é gra- tuita, sem restrições e não há necessidade de inscrição. É só chegar! Vitti - Qual o segredo para ser um bom barista e obter sucesso com o pú- blico consumidor de café? M.M. - Trabalhar com café não é fácil, e é isso que mais me instiga. Mudanças de temperatura e umidade no ambiente influenciam consideravelmente na extra- ção. Nunca estamos em piloto automá- tico na operação, porque café não é só paixão. Exige método, rigor, técnica. O barista é o profissional que atua no final de uma complexa cadeia. Mesmo com os melhores equipamentos e grãos, se o barista não souber regular um moinho adequadamente, acaba com o trabalho de todos os profissionais que vem antes dele na cadeia. Definimos padrões rigorosos de qualidade para garantir a melhor xíca- ra de café que a nossa habilidade técnica possa extrair, aliada à emoção que só um coração apaixonado pelo que faz é capaz. Vitti - Sobre o mercado do café, qual a avaliação que você faz atualmente? Há um bom público consumidor dos cafés especiais, de qualidade superior? M.M. - O mercado de cafés de alta qualidade cresce de forma sólida e cons- tante ano a ano. Conseguir convencer a população a consumir um produto sob uma nova perspectiva de qualidade é um enorme desafio visto que eles já têm uma referência do sabor do café que difere mui- to do que atualmente propomos. Alguém poderia imaginar beber um café sem amargor? Amargor em café é considera- do defeito, tecnicamente falando. Existem cafés com uma doçura natural tão acen- tuada que muitos dos meus clientes já dis- pensam o uso do açúcar. Temos consegui- do mudar hábitos através da informação e experimentação do produto. No primeiro contato, o café especial causa certo estra- nhamento porque foge de todo registro que você tem sobre café. Mas o próprio produto, com o consumo contínuo, vai fazendo esta transição e consolidando a preferência. Quem se acostuma, não con- segue mais beber os “cafés de combate” que o mercado oferece. É um trabalho de formiguinha, mas que já está incomodan- do as marcas líderes. Vitti - Quais são seus próximos pla- nos como empresário? M.M. - O próximo passo é a expan- são. Em uma parceria que muito nos orgulha, inauguraremos nos primeiros dias do segundo semestre uma nova casa especializada em café, cerveja e carne. O serviço de café será, claro, por nossa con- ta. Quando o assunto é cerveja no Vale, nada melhor que a expertise dos meninos da Cervejaria do Gordo. E todos nós, jun- tos, nos dedicaremos a um mercado novo para ambos: as carnes nobres, no melhor estilo das Parrillas argentinas. A cidade escolhida é Guaratinguetá.
  • 12 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 13Abril, 2015 Abril, 2015 A SOFISTICAÇAO E O BOM GOSTO CHEGARAM AO TAUBATÉ SHOPPING... 2Projeto de ambientes planejados para residência de até 50 m - Valor a vista R$11,528.00 - Valor total a prazo R$ 17.964,00, 36 fixas de R$ 499,00 - Taxa 2,6% a.m – de acordo as seguintes características. Dormitório casal: Armário 4 portas de giro/ 1,385 larg.x55 prof.2,35 alt./3 gavetas/5 * prateleiras/2 cabideiros/acompanha fechamento lateral e superior/painel cama 2.40 largx37.5 altura/2 nichos 75 largx35 prof x35 alt/projeto caixas brancas 15 mm MDF/painéis e portas 15mm colorido MDF/puxador alumínio/corrediça telescópica. Dormitório solteiro: Armário 4 portas de giro/ 1,385 larg.x55 prof.2,35 alt./3 gavetas/5 prateleiras/2 cabideiros/acompanha fechamento lateral e superior/ painel cama 1,60 largx37.5 altura/1 nicho 75 largx35 prof x35 alt/projeto caixas brancas 15 mm MDF/painéis e portas 15mm colorido MDF/puxador alumínio/corrediça telescópica. Lavandeira:1 armário de 2 portas de giro 60 largx66 alturax324 prof/caixa branca 15 mm MDF/portas colorida MDF/puxador alumínio. Banheiro:1 armário de 2 portas de giro 60 largx66 alturax494 prof/ caixa branca 15 mm MDF/portas colorida MDF/puxador alumínio. Cozinha:3 armários superiores com 2 portas de giro cada 80 largx66 altx324 prof/ /armário inferior 1 armário 2 portas de giro 80 largx66 altx55 prof/1 gaveteiro 4 gavetas/corrediça telescópica/ giro 40 largx66 altx55 prof/1 porta talheres/ caixa branca 15 mm MDF/portas coloridas MDF/puxador alumínio/acompanha fechamentos superior e lateral. Home Theater: 1,20largx2,05 alturax40 profundidade/1 gaveta/1 nicho/1 prateleira/ caixa branca 15 mm MDF/portas e painéis coloridos MDF/puxador alumínio/acompanha fechamentos superior e lateral. www.sof isticattomoveis.com.br Loja Jardim Satélite: Av. Andrômeda, 1382 | 12 3302.4920 | loja3@sof isticattomoveis.com.br Loja Vale Sul Shopping: piso Vale do Paraíba | 12 3341.1825 | loja5@sof isticattomoveis.com.br Loja Taubaté Shopping | loja7@sof isticattomoveis.com.br | NOVA! Loja Vila Ema: R. Madre Paula, 508 | 12 3941.7197 | loja1@sof isticattomoveis.com.br
  • 14 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 15Abril, 2015 Abril, 2015 Amigos e familiares se reuniram para pres- tigiar o lançamento do blog de Luiz Bhitten- court, em São José dos Campos. No dia 24 de março aconteceu o já consagrado Jantar às Cegas, no Restaurante Santa Figueira, em Temembé. A noite foi um sucesso; uma experiencia sensorial única! Adriano comemorou mais um aniversário ao lado de amigos e familiares. Adriano Andrade, Luiz Bhittencourt e Gisele Freymann Mario Vaz Lima e Adriana Rodrigues Eduardo Moreira, Rosângela Vasconcelos e Luiz Bhittencourt Adriano, Dj Edú Zotine e Leandro Carol e Adriano Gi lb er to F re ita s So l F er re ira Ca ro l T om ba Vitti Acontece Marcela, Presidente ADV Vale Luiz, vereadora Gorete e Hédipo Alexandra e Marco Antonio O chefe César Diláscio sendo entrevistado pela equipe do Vanguarda Mix Taubaté Design (12) 3681.1855 Av. Professor Walter Thaumaturgo (Av. do Povo), 570 - Jd. das Nações
  • 16 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 17Abril, 2015 Abril, 2015 Vitti Acontece Foi comemorado em grande estilo o aniversário de 15 anos anos da bela Bianca Barreto. Parabéns! Jamili Socuta e Luciana Mieko premia- das no Prêmio Profissionais do Vale 2014, realizado no dia 5 de fevereiro. Juliane Campello recebeu em sua casa amigas e alunas para uma aula de ZUMBA em comemoração ao dia Internacional da Mulher. dr. Gilberto Victor no Congresso Mundial de estética e Medicina. dr. Paulo Moura Carvalho médico oficial da Marinha brasileira. Taubaté recebeu os V Jogos Paulistas, com competições de atletismo, goal- ball, natação, xadrez, judô e futebol de 5, que aconteceram nos dias 21 e 22 de março. A competição foi organizada pela Federação Paulista de desporto para Cegos – FPdC e contou com a presença de atletas de 21 cidades. Comemorando 31 anos de casados, Marcos e Marina Ayello no Resort&Spa Victoria hoi An Beach, no Vietnan. Convidado, Vereadora Gorete, Presidente ADV Vale Luiz, Prefeito Ortiz Jr, Vice diretora do Madre Cecilia Lili Jogadores, Assessor de Gabinete Hédipo, Presidente ADV Vale Luiz Vice diretora do Madre Cecilia Lili, Presidente ADV Vale Luiz, Vereadora Gorete, Prefeito Ortiz Junior, Convidados, Macaé e Gilcely
  • 18 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 19Abril, 2015 Abril, 2015 AReZZO PINdA AReZZO TAUBATÉ AReZZO GUARÁ inverno 2015 Arezzo Social Arezzo Inspirada pelas principais referências de estilo das últimas décadas, a coleção Inverno 2015 Arezzo faz um resumo da moda contemporânea. Com opções para os mais diferentes perfis de mulheres, a coleção Inverno 2015 Arezzo revista clássicos e faz uma viagem pelos principais hits da moda, que passa pelos efervescentes anos 60, ao minimalismo dos anos 90. Todas as lojas Arezzo do Vale do Paraíba, fizeram um super coquetel com clientes e amigos para brindar a chegada do Inverno 2015! AReZZO COLINAS AReZZO JACAReí AReZZO CeNTeRVALe AReZZO VALe SUL
  • 20 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 21Abril, 2015 Abril, 2015 O Open House é uma ação muito im- portante para venda de um determinado imóvel. Criado no mercado imobiliário dos Estados Unidos tornou-se recorrente, pois oferece uma boa oportunidade para demonstrar aos possíveis clientes tudo aquilo que de melhor o imóvel oferece, especialmente casas em regiões com imó- veis de alto padrão. Trata-se de um concei- to de visita de imóveis sem qualquer aviso prévio ou agendamentos. O que se preten- de é abrir a casa angariada aos potenciais compradores de uma só vez. Coquetéis são realizados para rece- ber os visitantes, e o mais importante, o corretor responsável sabe absolutamente tudo do imóvel. Desde o tipo de acaba- mento, até a história do imóvel e de quem a construiu. Nesta iniciativa existem muitas van- tagens, tanto para quem vende, quanto para quem compra. Para quem vende: - Múltiplos profissionais empenhados nessa mesma venda; - A visita de mais potenciais comprado- res de uma só vez; - Poupança de tempo. Com a OPEN HOUSE as visitas podem concentrar-se num só dia. - Garantia de uma comunicação e posi- cionamento eficazes aos potenciais clien- tes: mais de 60% das casas são compra- das por pessoas que já residem na região onde está o imóvel. - Maior probabilidade de obter o preço de venda pedido. - Conhecer os comentários dos clientes. Para quem compra: - Visita aos imóveis sem ter a necessidade de marcar e de poder ao mesmo tempo ter um profissional imobiliário no local; - Possibilidade de fazer segunda visita ao imóvel no mesmo dia; - O cliente comprador irá saber que num dia especifico do mês irá ter à sua dispo- sição, na região onde pretende comprar, os melhores imóveis para visitar, e tudo isto sem ter de avisar. Em busca de oferecer mais e melhores opções aos compradores, a Imobiliária Fé- lix Imóveis Especiais de Taubaté importou esta ferramenta e aplica à realidade local. “Por conta da enorme oferta que encon- tramos hoje, sabemos que não é tão fácil captar e segurar o cliente que deseja com- prar ou trocar seu imóvel. Colocar apenas sua placa em imóveis que mais parecem um “outdoor” não é muita vantagem nos dias de hoje, sendo assim, precisamos re- novar e inovar”, comenta Douglas Félix, fundador da Félix Imóveis Especiais. “Comprar uma casa é, inegavelmen- te, a maior compra que a maioria de nós vai fazer em nossa vida e visitar “open houses” pode ser uma boa oportunidade de visitar várias propriedades diferentes sem necessariamente ter a pressão de um corretor”, completa Oscar Camargo, ge- rente de vendas da imobiliária. Sobre a Félix Imóveis Especiais A empresa nasceu e cresceu no bairro Jardim Maria Augusta, região central de Taubaté. A Félix Imóveis Especiais tem um sistema inovador de procura, visu- alização e gerenciamento de dados dos imóveis com uso de tecnologia de ponta. O mapeamento é uma ferramenta iné- dita e apresenta detalhamento comple- to de cada quadra e edifícios existentes na região na proporção correta. Todos os dados são oficiais, um levantamento, com a metragem, número de dependên- cias e demais características necessárias para uma avaliação correta pelos clientes. No site www.feliximoveisespeciais. com, casas e apartamentos são facilmente encontrados, de acordo com o parâmetro de área do imóvel. Esse é o grande diferen- cial, pois torna fácil a visualização de to- dos os imóveis do tamanho que se deseja. O resultado é uma economia de tempo, pois todas as possibilidades de compra den- tro do que o cliente deseja estão ali. A busca continua por um sistema que apresenta to- dos os imóveis disponíveis com as carac- terísticas solicitadas. Na própria busca, o cliente já encontra informações detalhadas, como fotos internas, mapa de localização, valor do Condomínio e IPTU. Além de condomínios com Taubaté Village, possuímos também mapeados os condomínios: Campos do Conde1, 2 e 3, Vale do Sol, Portal do Sol, Vale dos Prín- cipes, San Marco, Imperial, Des A´rtes, Village Paineiras, Real Ville, e outros. Na Félix Imóveis Especiais o cliente pode ficar certo que o corretor está inte- ressado em proporcionar uma consulto- ria profissional qualificada. www.feliximoveisespeciais.com Central de Atendimento: (12) 3011-9599 (12) 7812-2065 ID:772*150 O Open House oferece uma boa oportunidade para demonstrar aos possíveis clientes tudo aquilo que de melhor o imóvel oferece, especialmente casas em regiões com imóveis de alto padrão” “ Félix Imóveis Especiais Sempre buscando alternativas para facilitar a vida de quem quer comprar ou vender seu imóvel A Imobiliária Félix Imóveis Especiais de Taubaté traz para a Região Metropoli-tana do Vale do Paraíba o conceito de OPEN HOUSE, sendo pioneira nesse segmento. O empresário e fundador da em- presa, Douglas Félix, junto com Oscar Camargo, Gerente de Vendas, após muitos estudos e pesquisas sobre esse segmento nos Estados Unidos e Euro- pa, e após reunião com empresários das grandes empresas de São Paulo, tiveram a ideia de trazer para o Vale do Paraíba esse conceito inovador.
  • 22 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 23Abril, 2015 Abril, 2015 matrimônio priscilla e eduardo Realizada na Igreja São José, do Jardim europa, a cerimônia religiosa foi muito especial. Celebrada pelo Padre Cléber Sanches, emocionou a todos lembrando trechos do livro Pequeno Príncipe: “Foi o tempo dedicado à tua rosa que a fez tão importante”. Os convidados abrilhantaram a recepção no Salão Luís Nazareno, do Jockey Club de São Paulo, onde foi ofe- recido um almoço, com direito a assistir as corridas de cavalos daquele sábado ensolarado. Que deus, amor e felicidades estejam presentes em suas vidas, Priscilla e eduardo. Hora do brinde com padrinhos, madrinhas, daminhas, pajens e familiaresPriscilla e Eduardo com Padre Cléber Sanches Social São Paulo Jodália, Maria Quitéria e Iêda Maria Quitéria, Maria do Socorro e Jodália Priscilla e Eduardo com Dr. Nelson Proença Priscilla com seus colegas e amigos da Dermatologia da Santa Casa de São Paulo Dr Marcus Maia, Dra Adriana Mendes e esposo, Priscilla, Dra Rosana e filha, Dra Thaís e esposo Noiva Adriano, Cristina, Priscilla, Eduardo, Eoísa, Dr. José Carlos, Sarinha e Dieguinho Roberta, Tina, Kira, Ana Carolina, Taty, Maria Quitéria, Priscilla, Eloísa, Carlinha, Juliana, Mirella, Vanessa e Cristina Wilson, Eduardo e José Carlos Eduardo e Priscilla Laura, Priscilla, e Vanessa Alessandro, Priscilla, Eduardo e Cíntia Jodália, Salvito, Gracy, Cida e Roberto Dra Mariana, Dra Karine e famíia, Dra Clarice, Eduardo e Priscilla e Dra Elisete e família Taty e Priscilla Wilson, Maria Quitéria, Eduardo, Priscilla, Tina, Jodália, Beto e Betinho Alessandro, Fábio (no colo), Herculano, Thiago, Adriano, Dargham, Wilson, Eduardo, José Carlos, Adriano, Flávio, Marcelo, Dalvo e Beto Entrada da noiva, Priscilla com seu pai Wilson Ortiz Rafael, Priscilla e Tetey Priscilla, Silviane, Rodrigo e Lisa Helena, Luisa, Priscilla, Janaina e Mirella Wilson e Maria Quitéria FO TO S: S eR GI O dA M AS Ce NO - AM AZ IN G FO TO GR AF IA e F IL M eS
  • 24 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 25Abril, 2015 Abril, 2015 inauguração Jean Janinne Cheia de charme e em clima de descontração, a Jean Janinne Boutique inaugurou o novo espaço com muitas novidades. Jean Janinne boutique em novo endereço: Av. Charles Schneider, nº 1400 / loja 05, Podium Center (ao lado do estacionamento do Taubaté Shopping). Não deixe de conferir. FO TO S: W IL L AN RA kU Valéria Parizotto, Vera Siqueira, Gabriela e Junior Ludmila Prado, Valéria Parizotto e Tatiane Ruiz Jaqueline e Nadine Noemi Pizzotti, Vera Siqueira e Valéria Parizotto Brígida Gomes, Lúcia Ferreira e Elizabeth Rocha Junior e Alessandra Veloso Elizabeth Rocha, Lúcia Ferreira, Norma de Oliveira, Socorro e Vera Siqueira Angela Burti, Helenice Augustinho, Arlete Diaz e Junior Socorro e Lúcia Claro Social Taubaté AS AVANÇADAS TÉCNICAS DE GESTÃO EMPRESARIAL DAS MELHORES ESCOLAS DE NEGÓCIOS DO MUNDO, SEM PRECISAR SAIR DO PAÍS! São José dos Campos | São Paulo | Limeira | Santos | Mogi das Cruzes | Campinas | Sorocaba INFORMAÇÕES PARA NOVOS GRUPOS www.mbmeduc.com.br 12 3018.5099 | 12 9.9161.9950 | Nextel ID: 84*69017 Av. Alfredo Ignácio Nogueira Penido, 335 - sala 1402 - Jd . Aquariús - São José dos Campos - SP
  • 26 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 27Abril, 2015 Abril, 2015 Negócios padrões, Valores e Verdades Por Arcione Viagi Somos dirigidos pelos padrões e valores impostos pela sociedade em que vivemos e isso pode ser bom socialmente, porém, pode significar a estagnação e o viver parcial- mente. A velocidade que o dia-a-dia im- põe à nossa vida limita nossa investiga- ção deliberada do que é certo e errado, do bom e do ruim, e do exercício de des- construção das verdades ou paradigmas que nos direcionam. Somos levados a crer que uma coisa é correta sem ao menos questionar ou pes- quisar possíveis indícios que poderiam confirmar ou desconstruir tal convicção. Nossos valores são uma soma de experi- ências pessoais e observações do ambien- te em que vivemos. Por isso é tão normal para algumas pessoas aceitar o crime ou a vida desregrada, enquanto para outras isso é inadmissível. Em um estudo apresentando o perfil que os executivos chefes de grandes em- presas esperavam dos profissionais que irão ocupar os principais cargos nas suas empresas, foram utilizadas figuras me- tafóricas para ilustrar o esperado. Uma dessas figuras era a do viajante e na época em que tive acesso ao estudo não pude en- tender com clareza o que isso queria dizer. Recentemente ao assistir um filme so- bre a vida de um Rei Viking no Século X, relatando suas invasões, a forma como encaravam a morte, o respeito à natureza e adoração a deuses pagãos fui confron- tado com uma série de valores que me levou à reflexão sobre quanto ignorante podemos ser por ficarmos fechados em casulos sociais ou limitados pelas barrei- ras da distancia e da comunicação. Ao buscar fragmentos na memória en- contrei ainda um diálogo que presenciei entre duas pessoas discutindo sobre re- ligião e que também ganhou espaço na construção desse texto. Um dos partici- pantes criticava algumas características de uma religião exaltando os valores com- partilhados por ele em uma religião que lhe agradava, e que para ele representava a verdade. O outro, mais paciente e menos convicto, colocou um argumento que le- vou o grupo ao silencio. Disse ele que ter fé e seguir ensinamentos eram necessidades que todos podem ter, porém, ao extrapolar e achar que uma entre milhares de repre- sentações religiosas é mais correta do que outra é fechar os olhos para o aprendizado de valores que, na maioria das vezes, po- dem ser complementares. Finalmente, em uma conversa que tive hoje com uma pessoa muito simples em termos de formação escolar e cultural me surpreendi com a naturalidade que temas complexos de nossas vidas em so- ciedade podem ser tratados sem nenhum preconceito ou constrangimento, levan- do de certa forma até ao desconforto. Com base nesses fragmentos que apa- rentemente podem parecer desconexos é que fiz uma leitura e gostaria de compar- tilhar. Para sermos pessoas melhores e mais felizes a despeito das dificuldades, devemos viajar efetivamente para enten- dermos melhor os valores de outras pes- soas antes de fecharmos questão sobre algo. Uma viagem que começa por meio dos mais simples relacionamentos que temos diariamente com porteiros, fun- cionários de padarias e supermercados, que se alimenta com a leitura de livros diversos de história, romance ou outros e efetivamente se consolida com a viagem verdadeira em que precisamos vencer o medo do novo e sair do casulo e ir atrás de outras verdades. Se conseguirmos fazer isso de for- ma aberta e sem barreiras estaremos ganhando anos a mais de vida que ex- trapolam a vida material ou a contagem cronológica do tempo. Esse pensamento, até certo ponto sem sentido, faz com que o tempo de vida seja especifico de cada pessoa a despeito da idade cronológica que ela tenha. Poderia ser o tempo da sa- bedoria acumulada de forma tão particu- lar por cada individuo. arcione Ferreira Viagi é consultor empresarial. Contato: vitalconsultoria@gmail.com C M Y CM MY CY CMY K TP 0011-15 ANUNCIO CAMPANHA COLECAO 2015 - TAUBATE - 21x28cm - CURVAS .pdf 1 26/03/15 17:16
  • 28 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 29Abril, 2015 Abril, 2015 fashion Kids taubaté No dia 14 de março aconteceu o lançamento do quiosque da Fashion kids Brasil no Taubaté Shopping. O evento contou com o prestigio de amigos, clientes e familiares, que puderam tirar fotos com os personagens Peppa Pig e a elsa de Frozen. FO TO S: W IL L AN RA kU Marcelo, Gi Ribeiro, Tatiana e Rodrigo Bonnie, Carolina e Gi Ribeiro Camilly Detoni, Gi Ribeiro e Cassilene Detoni Gi Ribeiro, Adriana Moura Basso e João Antonio com a personagem Peppa Pig Carlos Eduardo, Eloísa, Marcela, Lúcia e Gi ao lado da personagem Elsa Gi Ribeiro e Mirian Badaró Maria Toshie Gianelli, Gi Ribeiro e Ocimar Gianelli Heloísa e Marcela com a personagem Elsa Marcela Vitti e Gi Ribeiro com a personagem Elsa Social Taubaté
  • 30 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 31Abril, 2015 Abril, 2015 Armazém 82 & sDV Wine import No último dia 25 de março, Luiz Porto Junior, proprietário da vinícola Luiz Porto Vinhos Finos, esteve em Taubaté no Armazém 82 para o Wine dinner. A noite contou com um delicioso jantar servido pela casa, harmonizado com os melhores vinhos da Luiz Porto. FO TO S: W IL L AN RA kU Social Taubaté Dr. João Carlos e Dra. Paula Germano Antonella Kather e Jorge Kather Dra. Thaís Negrini e Dr. Luiz Marcelo Negrini Wilber Leônidas e Dra. Adriana Leônidas Dr. Fábio Tashima e Patrícia Carol e Felipe Aline Lima, Thiago Carrilho e Rosana Amoroso Toshio, Junior Porto, Marcela, Paolo (proprietário da SDV Wine Import) e Joaquim (proprietário do Armazém 82)
  • 32 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 33Abril, 2015 Abril, 2015 Por Felipe Guarnieri Uma novidade que beneficia igualmente tanto o pequeno investidor (a partir de R$ 30) quanto o grande investidor (R$ 1 milhão por mês) foi colocada em funcionamento no Tesouro Direto no úl- timo dia 30 de março. Na verdade são quatro novidades. (1) O novo e melhorado site do Tesouro Di- reto contendo informações mais estru- turadas para o investidor, incluindo, por exemplo, o “orientador financeiro” que te ajuda a escolher a melhor opção de inves- timento; (2) novos limites mínimos para aplicação favorecendo o pequeno inves- tidor que pode investir agora já a par- tir do valor de um almoço; (3) aumento de liquidez para o investidor que quiser resgatar o seu dinheiro, que deixa de ser semanal e passa a ser diária; e (4) novos nomes autoexplicativos para os títulos públicos tornando a vida mais fácil de quem não é familiarizado com o merca- do financeiro (afinal, é mais fácil saber o que é Tesouro pré-fixado, ou Tesouro Selic do que LTN, NTN-B, NTN-F etc. As opções de investimento continuam as mesmas, você pode escolher um título pré-fixado onde você já sabe de antemão quanto o seu investimento vai render até o prazo de resgate; títulos indexados à inflação onde você recebe uma taxa de juros pré-definida mais a variação da in- flação do período futuro até o vencimen- to e ainda os títulos indexados à taxa de juros básicas da economia que é definida pelo COPOM, no Banco Central. Algumas destas opções pagam um cupom de juros a cada 6 meses, enquan- to que outras opções pagam tudo apenas ao final do período (tecnicamente o risco tende a ser menor com um título que paga cupom semestral). Qual é o melhor título, depende fundamentalmente da sua estra- tégia de investimento, do seu patrimônio e do momento da economia em si (contas do governo, a inflação, a perspectiva da taxa de juros etc). Mas o conceito de você aplicar diretamente em títulos públicos é bastante interessante do ponto de vis- ta de quem gosta de gerenciar o próprio portfólio, e o Brasil foi o terceiro país no mundo a permitir esta modalidade de in- vestimento às pessoas físicas. Vale lembrar o conceito de dívida pú- blica: o governo gasta mais do que arre- cada, então qual é a mágica para fechar as contas? É cobrir a diferença através de dívidas; funciona igual ao Seu João que ganha R$ 100 mil por ano, gasta R$ 80.000 e ainda compra um carro de R$ 40 mil totalizando, portanto R$ 120 mil de gastos totais. Como ele gastou R$ 20 mil a mais do que ganhou, ou ele deixou de pagar alguém de um ano para o outro, ou o mais provável é que ele tenha feito uma dívida para comprar o carro. Obvia- mente ele precisa agora continuar traba- lhando para pagar a dívida com o banco que financiou o carro. Com o governo é a mesma coisa. O Tesouro Nacional busca dinheiro no mercado para fechar as suas contas toda vez que o governo gasta mais do que arrecada. Isto não é necessariamente ruim, desde que feito dentro certos limi- tes, é claro, já que esta dívida permite um maior número de realizações pelo gover- no hoje mesmo. O mecanismo funciona da seguinte forma, o governo emite um Título Público e te vende este título por um valor em dinheiro dentro de algumas condições. Posteriormente você vai rece- bendo de volta este dinheiro com juros e/ ou correção monetária. Mas é seguro deixar voluntariamente o dinheiro na mão do governo hoje em dia? Existe uma vantagem significativa em emprestar o seu dinheiro para o Go- verno: é mais difícil levar um calote. O Governo pode ficar sem dinheiro, mas é mais difícil e como ele é literalmente dono da máquina de imprimir dinheiro, numa emergência ele pode mandar im- primir dinheiro e te pagar de volta. Em economia os títulos públicos são justamente chamados de títulos livres de risco, embora naturalmente não seja eles totalmente desprovido de riscos. Por de- finição risco zero não existe, afinal isso seria uma certeza. Agora voltando ao Tesouro Direto, até 2002 os únicos que podiam comprar tí- tulos públicos eram as tesourarias dos bancos. Você como investidor – caso qui- sesse se aproveitar desses rendimentos – precisava colocar o seu dinheiro num fundo de investimento tendo necessaria- mente o banco como intermediário. Mas então o governo criou uma ini- ciativa realmente fantástica, um site na internet (www.tesourodireto.gov.br) onde qualquer investidor pessoa física pode comprar diretamente do Tesouro Nacional títulos da dívida pública. Uma iniciativa boa para quem gosta de geren- ciar o próprio dinheiro. Felipe Guarnieri é administrador de empresas, executivo financeiro e especialista em finanças. Contato: fguarnieri@outlook.com este texto não é uma recomendação de investimentos. Economia um novo mapa do tesouro Via Vale Garden ShoppinG | TaubaTé - Sp Carmen SteffensaiX-en-proVenCe buenoS aireS CanneS hollYWood laS VeGaS niCe orlando punTa del eSTe rio de Janeiro SÃo paulo CalÇadoS, roupaS e aCeSSÓrioS 505 loJaS - 18 paÍSeS
  • 34 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 35Abril, 2015 Abril, 2015 elle & ella noivas A Loja elle ella noivas apresentou no dia 11 de março a coleção 2015 da nova noiva Jadore. O evento único e exclusivo foi realizado no Buffet deboyant e contou com a participação de maravilhosos 32 modelos. FO TO S: Jú LI O e SI M O Ne - LU M IN I F OT O Social Taubaté
  • 36 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 37Abril, 2015 Abril, 2015 empório tapioca Social Taubaté Casa Masi, Mistral e empório Tapioca realizam uma noite especial de degustação de vinhos com a presença do renomado enólogo italiano Vincenzo Protti. Vincenzo é nascido em Rimini, Itália, e obteve o título de doutor enólogo em 2006 depois de ter estudado Viticultura e enologia na Universidade de Bologna e Marketing do vinho na Universidade Jiao Tong em Shanghai, China. Foi uma noite agradável com amigos e muita descontração. Agradecemos a todos pela presença! FO TO S: W IL L AN RA kU Cintia, Orlando e Lucas Alessandra e Rodrigo, Sérgio e Miriam Edson Carmona e Eduardo Bonafé Carla e Ricardo Marcitelli Vincenzo Protti (Enologo Vinicola Masi) Maria Elena e Nina Vincenzo Protti (Masi), Orlando Bonafe (Emporio Tapioca) e Marcelo Banhara (Mistral) Cintia, Ana Valeria e Luciana Marco Antonio Bonafe e Felipe Carmona Felipe e Claudia Ballestero
  • 38 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 39Abril, 2015 Abril, 2015 Turismo Delícias do outono O frio da Serra da Mantiqueira e a fina gastronomia à base do pinhão Por Murilo Baracho / Foto Kito Vivolo (reprodução) Com a chegada do outono, no último dia 21 de março, algu-mas necessidades de adapta-ções acompanham a estação. Noites mais longas que os dias, aumento da incidência de ventos, redução gra- dativa das temperaturas, incidência de nevoeiros e queda das folhas de alguns tipos de vegetação são as principais ca- racterísticas do outono, mas que contam ainda com um diferencial muito especial: a época de especiarias gastronômicas, em especial o pinhão. A busca por mais conforto e pratos tí- picos nas estações de temperaturas baixas, faz com que tenhamos preferências mais saborosas, e consequentemente calóricas, quando o assunto é alimentação, pois o corpo produz mais hormônios para man- ter a temperatura adequada, o que abre o nosso apetite para comidas “gordas” e pratos que levam os mais charmosos in- gredientes como a truta e o pinhão. Para quem não sabe muito sobre o pinhão, vale ressaltar que trata-se de uma semente, a semente da araucária, que nasce em baixas temperaturas e não se encerra em um fruto, além disso ga- rante a alimentação de muitas espécies animais, principalmente roedores e pás- saros, e também é item obrigatório no cardápio de outono e inverno das cidades da Serra da Mantiqueira como Santo An- tônio do Pinhal e Campos do Jordão. De acordo com entrevistas do jornal O Momento, o pinhão ajuda a minimizar o risco de câncer por conter manganês, zinco, ferro, fibras e dentre outros com- ponentes, auxilia no controle do coles- terol e diabetes, age contra a fadiga e é muito eficaz para estimular a libido. O pinhão é uma especiaria do outo- no/inverno tão querida que já é parte in- dispensável do cardápio de diversos res- taurantes. Pratos como Suflê de Pinhão, Filé-mignon e pinhão sauté, Truta com risoto de pinhão, Penne Mediterrâneo e até o tradicional Arroz com Pinhão se tornam as sensações das estações de bai- xas temperaturas. A Estância Climática de Santo Antônio do Pinhal é a principal cidade da região quando o assunto é gastronomia à base de pinhão. Prova disso é a Festa do Pinhão, que acontece este ano em dois fins de se- mana, dias 16 e 17 e 23 e 24 de maio. De acordo com a Secretaria de Turismo e Cultura de Santo Antônio do Pinhal, a Festa do Pinhão espera em média três mil pessoas e conta com diversas barracas de comidas típicas, shows de MPB e música de raiz e uma feira de artesanatos que, em 2015, contará com 18 artesãos expondo seus trabalhos. Parte da Festa do Pinhão também acontece nos restaurantes da ci- dade que participam com pratos especiais contendo o ingrediente. Além do turismo gastronômico, outro destaque de Santo Antônio do Pinhal está nas paisagens, que nas estações mais frias do ano recebem ainda mais destaque. A pequena cidade, que tem cerca de 6.500 habitantes, tem seu cenário enfeitado pe- las belezas serranas e pelas araucárias, árvore adotada como símbolo da cidade, com um lugar até no brasão municipal. Satisfazer-se faz parte dos prazeres da vida, e apreciar as vastas opções da gas- tronomia constitui essa prática. Como diz o jornalista e cartunista Millôr Fer- nandes: “gastronomia é comer olhando pro céu”. Por isso, nesse outono, aproveite o que nossa região oferece e experimente as especialidades das baixas estações.
  • 40 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 41Abril, 2015 Abril, 2015Anuncio_MAES_2015_21x14cm.indd 1 25/03/15 20:42 pizza1 O Grupo Pizza1 inaugurou mais uma unidade na cidade de Taubaté. O evento contou com a presença de amigos e clientes, que prestigiaram saboreando a melhor pizza da região. FO TO S: W IL L AN RA kU Equipe Pizza1 Melissa, Jane, Milena e Valdecir Manoel e Patrícia Jéssica e Pedro Antonieta Simões, Alzira e Cristina Simões Social Taubaté
  • 42 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 43Abril, 2015 Abril, 2015 schutz Day Aconteceu no dia 20 de março, nas lojas Marina Calçados de Pinda, Guará, Centro de Taubaté e Taubaté Shopping, o coquetel de lançamento da coleção Inverno’15 da Schutz. Amigos, clientes e familiares prestigiaram o evento com muitas novidades e boa música. FO TO S: W IL L AN RA kU Rodrigo Petry, Parê, Flávia Sarabion e Danielle Liles Parê, Alexandra, Rosana Soares, Socorro, Maria Quitéria, Jodália de Queiroz, Elisabeth e Doroty Soares Andrea Ayello, Cecília Dias, Luiza Dias e Parê Cíntia Oliveira, Thaily Barreto, Murilo, Daniela e Fernanda Doroty Soares e Rosana Soares Social Taubaté INVERNO ‘15 H TO
  • 44 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 45Abril, 2015 Abril, 2015 Dia internacional da mulher Social Taubaté Aconteceu no dia 9 de março, no Plenário Jaurés Guisard, homenagem com diploma de honra ao Mérito à Dra. Ana Paula Pereira, Marcela Vitti, Maria de Lurdes Santos Silva e Roberta Barrego. A cerimônia oficial, realizada pela vereadora Profª Pollyana Gama, foi aberta a amigos e familiares. FO TO S: C âM AR A M UN IC IP AL d e TA UB AT É www.shibatacasa.com.br Taubaté: Av. Bandeirantes, 808 - Jd. Maria Augusta - Tel.: 12 3625.5700 Mogi das Cruzes: Rua Olegário Paiva, 565 - Centro - Tel.: 12 2668.6214 Caçapava: Rua João Amaral Gurgel, 980 - Maria Elmira - Tel.: 12 3653.2099 Jacareí: Av. Getúlio Vargas, 1430 - Jd. Primavera - Tel.: 12 3954.0000 cm kt on lin e. co m
  • 46 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 47Abril, 2015 Abril, 2015 Por socorro pinto helpkoka@hotmail.com socorro in foco Social Taubaté André Luiz Pinto, agora Aspirante e Médico da escola de especialistas da Aeronáutica. A graciosa Vitória marcou presença no renomado coquetel da Arezzo para conferir tudo que há de mais bonito na nova coleção inverno 2015. O Teatro Metropóle reabriu suas portas com um belo monólogo gestual encenado pelo ator global Luis Melo. A peça “AUSÊNCIA” é um convite à reflexão de nossas vidas. Aguardamos mais atrações para enriquecer ainda mais a já riquissíma cultura taubateana. No último dia 5 aconteceu o coque- tel de inauguração do novo espaço Jean Janinne. Convidados, clientes e amigos marcaram presença, dentre elas dona Aracy, que além de conferir de perto as belas coleções aproveitou para prestigiar o sucesso de sua filha. Aurea comemorou seu aniversário em grande estilo. Recebeu amigos e familiares para uma ma- ravilhosa festa árabe em que não faltou animação e, é claro, muitas coisas gostosas. Felicidades! Muita pizza, alegria e muita animação. Foi assim que a queridíssima helô comemo- rou seu aniversário ao lado de seus familiares e amigos. Parabéns! Maria Vitória Gonçales Caio de Andrade, Luis Melo e Marquinho Aurea Cintra Dias, Cristina Cintra Golmia, Omar Golmia e Marcelo C. Golmia Heloisa Rezende e Benedito do Valle Aracy Parizotto e Valéria Parizotti
  • 48 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 49Abril, 2015 Abril, 2015 Vitalli No dia 25 de março aconteceu o lançamento da coleção Outono/Inverno 2015 na Vitalli. O evento com o tema "Fique na moda e em forma!" contou com palestras da dra. Nataly Mello e dr. doc. FO TO S: W IL L AN RA kU Bárbara Freire, Selma Queiroz, Ana Sierra, Bárbara Tuan e Davi Sierra Bárbara Freire, Parê Guerson e Juliana Peloggia Paola Marcon, Marcela Freitas e Bárbara Tuan Juliana Peloggia e Sônia Fernandez Dra. Nataly Mello, Bárbara Tuan e Doutor Doc Selma Queiroz e Mariana Queiroz Social Taubaté Av. Itália, 219 Taubaté | SP |12| 3682.1277 *V áli do d e 0 8 de ab ril a 09 d e m aio . no cartão Mastercard Abriremos dia 09/05, sábado, até às 18h. vitalliloja O melhor presente para sua mãe está na Vitalli. Já foi o tempo em que ela queria uma batedeira. Hoje, ela quer arrasar! de ze 7. co m .b r DIA DAS MÃES VITALLI 10% o�em3X
  • 50 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 51Abril, 2015 Abril, 2015 Por José luiz de Almeida luizinho-cafe@hotmail.com facebook.com/luizinholanches No último mês a princesa Lore- na completou mais um ano de vida. Sua mamãe Aline Landim reuniu amigos e familiares na sua festa com o tema de fazendinha. Parabéns que deus ilumine seu caminho! Amanda di Polly, a rainha da bateria da escola de samba Mocidade Alegre - Vila das Graças de Taubaté. encontro na Ilhabela para o Projeto Por do Sol Musical, assinado pelo Produtor artístico Beto Campos, companhia do Showman Tony Gordon e do empresário gastronômico edinho (Restaurante Manjeiricão) e aguardem: em maio show da double You. Vanessa Faria comemorou no dia 25 de março seu aniversario no Santa Figueira, ao lado de Cath dietz, fazendo L de Luizinho, felizes da vida! Os amigos Julia Gomes, Talitha Rodrigues, Vitoria Schmidt (paquitinha do papai) e Sandro Machado curtindo a festa de flasback Night Fever kId VINIL, no TCC. flash Social Taubaté
  • 52 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 53Abril, 2015 Abril, 2015 night fever Aconteceu no dia 21 de março mais uma edição da famosa festa Night Fever, no Taubaté Country Club. A principal atração ficou por conta do Kid Vinil, que tocou sucessos dos anos 80 e 90. FO TO S: L UI ZI Nh O Social Taubaté
  • 54 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 55Abril, 2015 Abril, 2015 Ponto de Vista mobilidade sem fronteiras... Por Carlos Marcondes Fala-se muito, atualmente, em mobilidade urbana. Realmente, devemos repensar nosso modelo de transporte nas cidades. Tor- nou-se inviável utilizarmos automóveis como meio de locomoção individual. Basta que olhemos para muitas de nos- sas cidades na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte: nos ho- rários de pico - nas cidades do Vale, e nos finais de semana - nas cidades do Litoral, não se consegue locomover; o trânsito tra- va, causando inúmeros problemas que vão desde o incômodo ao altíssimo custo dos congestionamentos - até mesmo a impos- sibilidade de deslocamentos rápidos e que requerem urgência de ambulâncias, viatu- ras policiais, bombeiros etc. Pois bem, se não bastassem os con- gestionamentos urbanos, agora temos enfrentado problemas seriíssimos nas nossas estradas. Nossas rodovias não são suficientes para escoar centenas de milhares de veículos automotores que as utilizam e, a cada dia, as fábricas auto- motivas produzem mais e mais automó- veis, utilitários e caminhões. Está claro que Juscelino Kubitschek, ao presidir o Brasil em meados do sé- culo passado, optou por desenvolver a indústria automobilística nacional (ver- de-amarela), sufocando a todo custo ini- ciativas e investimentos na malha ferro- viária do país e até mesmo no transporte hidroviário. Este foi o grande pecado co- metido por JK, em meu ponto de vista. Lembro-me perfeitamente que, na dé- cada de 1950, século passado (por algu- ma razão que, aí sim, não me lembro), eu – com aproximadamente cinco anos de idade, acompanhado de meu pai, de sau- dosa memória, fui visitar o interior do fa- moso “trem de aço” da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil, que se encontra- va parado na Estação de Pindamonhan- gaba. Fiquei maravilhado com a beleza de seu interior: acomodações excelentes, o vagão restaurante, por exemplo, era lu- xuoso e imponente. Enfim, conseguiram destruir tudo isto. A velha “Central do Brasil” deu lugar à “Rede Ferroviária Federal” e hoje, com a privatização, temos a “MRS Logística”, que é um verdadeiro lixo. Não consigo entender por que não se utiliza a malha férrea destas linhas existentes, para se adotar o transporte ferroviário entre as nossas cidades, por exemplo. Será que os poderosos que detêm o grande cartel das empresas de ônibus não permitem? É possível! Recentemente, ao visitar a Espanha, viajei de Madri a El Escorial num bom e confortável trem, a 120 km/h. Poste- riormente, entre Madri e Toledo, viajei em outra linha de trem, não menos con- fortável, a 200 km/h. Finalmente, viajei de Paris a Barcelona, percorrendo quase 1.500 km, em um TAV (trem de alta ve- locidade), que desenvolvia 300 km/h. Ao final da viagem, a gente não queria que tivesse terminado. Enquanto isto, por aqui, nas “terras de Cabral”, sucatearam e destruíram os trens de transporte de passageiros e de cargas, que poderiam nos proporcionar uma verdadeira “mobi- lidade sem fronteiras”. Será que ainda está para nascer um estadista que mude esta triste realida- de? Que venha logo... o país não aguenta mais! Carlos Marcondes é Jornalista e advogado. Contato: cmcomunicacoes@gmail.com No mundo dos negócios, o amanhã começa hoje. www.dhfquality.com.br SALAS PRONTAS DE a38m² 58m² CONHEÇA O EMPREENDIMENTO EXCLUSIVO PARA OS PROFISSIONAIS DA SAÚDE QUE BUSCAM CONFORTO, SEGURANÇA, PRATICIDADE E SOFISTICAÇÃO. R. Equador, 254 Jd. das Nações Taubaté/SP | (12) 3622-5077 Acesse pelo celular: E S T R A T É G IA C O M U N IC A Ç Ã O M A R K E T IN G d lg f | w w w .d lg f. co m .b r
  • 56 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 57Abril, 2015 Abril, 2015 Ação social instituto Danilo reis O Instituto de De-senvolv imento Humano Danilo Pereira Reis foi a realização de um sonho que data de 1999, da terapeuta e especialista em dependên- cia química Vera Regina. Foi naquele ano que, a partir do primeiro contato com uma clínica para tratamento de depen- dentes químicos, onde realizava serviços administrativos, que surgiu a vontade de partir para um trabalho nesta área. Em julho de 2014 o Instituto final- mente pôde entrar em funcionamento, apostando na idéia de oferecer um tra- tamento diferenciado e de qualidade, quebrando os paradigmas que cercam as comunidades terapêuticas que tratam os dependentes químicos. O instituto conta com uma equi- pe de profissionais que corroboram de objetivos em comum. “O indivíduo, ao finalizar seu processo dentro do ins- tituto terá sua autonomia e autoestima resgatadas. Assim ele e família entenderão que o processo é vitalício e que podem ter prazer em viver a vida sem o uso de dro- gas ou álcool”, explica Eduardo Cunha, gestor administrativo do instituto. A abordagem usada no Instituto Da- nilo Reis segue a linha da Terapia Cog- nitiva Comportamental aliada aos 12 Passos das Irmandades Anônimas. São oferecidos serviços como aconselhamen- to terapêutico, psicólogo, serviço social, psiquiatra, arteterapia, atividades da vida diária e aloja- mento para até 28 residentes. O Instituto danilo Reis fica Rua davi de paula Oliveira palmuti, 80 – Chácaras Campestre – taubaté (sp). Contato: (12) 3624-8464/99668-5097 www.institutodaniloreis.org Eventos e Confraternizações Casamentos Batizados Palestras Aniversários Noivados Santa Figueira R E S T A U R A N T E Pç. Pe. Luiz Balmes, 120 | Centro Tremembé santafigueira @santafigueira(12) 3674-1400 Ambiente informal para a sua confraternização! Com serviços que se moldam a sua necessidade. Cardápios personalizados, de Pizzas, Petiscos do Bar e À La Carte. Com equipe especializada e estacionamento. Agora também servimos em sua casa. Faça uma visita e conheça melhor nossos serviços. Horários Flexíveis e preços especiais para grupos.
  • 58 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 59Abril, 2015 Abril, 2015 Por Anna Dennz annadennz@hotmail.com Caleidoscópio Social Caçapava Aninha Monteiro recebendo para reunião em seu escritório o Secretário de Turismo de Maceió, Jair Falcão. Vanessa Macedo, Éllder Anunciato e kika Martins em noite de glamour na dossiê com o luxo da nova coleção da Tiagra. O elegante hotel Wish Serrano Resort em Gramado foi o local escolhido pelos amigos para a comemoração do aniversário de casamento do dr. Andre Luis e Adriana Santos e também do dr. Glauco Valério e Iraci dos Santos. Welcome de Otávio "Tavinho" e Sidney Fonseca para o Marco Antônio Pereira Brito (centro), agora como Gerente Geral da CeF Caçapava. durante jantar alusivo aos 106 anos do 6 BIL - Regimento Ipiranga o Comandante Cel. Alvaro e sua esposa Monique Pinheiro, General Cunha e esposa Rosa helena Cunha e a filha Lais Cunha. em 18 de março, no charmoso restaurante Jardim, o fotógrafo Fernando Weikamp, foi festejado pelos familiares e amigos por mais um ano de vida.
  • 60 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 61Abril, 2015 Abril, 2015 Por ligia Ballot liballot@hotmail.com Aparecida Social Aparecida A princesinha Isadora acabou de chegar e já está brilhando em seu primeiro ensaio fotográfico pelas lentes de Josiane Galdino. Casamento do cantor sertanejo Rick e Geralda na Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Rodrigo e Claudia receberam a lindíssima Sheila Carvalho no aniversário da Academia happy day. equipe do hotel Rainha do Brasil. Perfeita! Prontos para as- sessorar o casamento de Rick e Geralda. Família linda curtindo as férias. Aline, Gabriel, Isabela e Carlos eduardo Macedo explorando alguns cantinhos da América do Sul. Fo to : J os ia ne G al di no Fo to : e ra sm o Ba llo t Fo to : P or ta U ol Adriano, emilia e Lucas na pré-inauguração do Boemia Petiscaria e Chopp. Um sucesso!
  • 62 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 63Abril, 2015 Abril, 2015 Por Benê Carvalho benecarvalho@revistavitti.com.br guará em pauta Social Guará Numa animada festa com boa música e muita alegria, Roque e San- dra de Castro, ao lado dos filhos Samuel e Rebeca, além de familares e amigos, comemoram os 90 anos da Sra. Isaura, no Sabor da Serra. Beth Sampaio ao lado do esposo Miguel e uma legião de amigos e colaboradores da APAe de Guará, lançou seu delicioso livro de receitas Amo- res e Sabores numa noite pra lá de badalada, na sede social do Itaguará Country Clube. Foi com o tema da Minnie a linda festa da meiga Beatrice Valezzi, comemorando seu 3º aniversário. A gatíssima Anne Vieira come- morou mais um aniversário em um seleto grupo de meninas... A Família da Clínica Orthoclass, do dr. eduardo e dra Ariane cresceu e conta agora com a presença e simpatia da dra. Andrezza Luchesi em sua equipe. O coiffeur Mauro Santos, sinônimo de dedicação e simpatia no seu Spaço Vip comemorando a realização de mais uma conquista, sua nova residência.
  • 64 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 65Abril, 2015 Abril, 2015 Por peter iote anderson_piter@terra.com.br lorena Social Lorena A cabeleireira Walquiria Maciel. Profissio- nalismo e dedicação em prol da beleza. O futuro arquiteto Phabio Barboza foi buscar inspirações na europa e apro- veitou para ver de perto a beleza do Palácio Real de Madrid. A empresária Rogéria Fonseca "on a business trip" em Genebra. O empresário Francisco esoron após mais uma reunião de negócios. A empresária Amanda Cobianchi (à esquerda), o consultor Jorge Gomes e a advogada Marina de Almeida (à direita) no encontro empresarial promovido pelo Rotary Club de Lorena.
  • 66 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 67Abril, 2015 Abril, 2015 Por fabiana ferreira fabycanoagem@hotmail.com www.luzcameraesporteacao.blogspot.com luz, Câmera, esporte e Ação Esporte Imagine 700 mulheres reunidas num grande evento esportivo, todas lin-das, vestidas para matar, ops, para correr! A Rainha da Montanha, em Guarare- ma (SP), celebrou o Mês da Mulher. Ener- gia única e astral sem igual, o dia foi delas, preparado especialmente para elas corre- rem 3, 7, 14 ou 21 km, e se divertirem na montanha, e claro, dentro de um Resort. “Não tem nada mais charmoso do que provas de corrida para mulheres! Um momento de reunir amigas, conhecer no- vas corredoras e testar seus limites. É ex- tremamente motivante ver essa reunião de mulheres, mães, esposas, donas de casa, empresárias e atletas, todas se de- safiando e dando um belo exemplo para suas famílias e toda a sociedade sobre a importância do esporte”, declara Marcela Quem disse que foi fácil? O cara lá de cima só prometeu que valeria a pena. E realmente as expressões na chegada eram de pura alegria, encantamento e satisfa- ção, e nem parecia que a prova foi pura montanha, técnica e esforço físico. Essa é daquelas provas em que o grau de esforço é medido pela duração e não pela distância. Cinco, 10 e 21 km para ninguém botar defeito, visual incrível, trechos técnicos e a beleza deslumbrante da Serra do Voturuna. Natália Ferreira, atleta de Taubaté, saiu do asfalto e experimentou a monta- nha e conta a sua experiência na 2ª par- ticipação em corrida de montanha: “Re- almente fui surpreendida pelo nível de dificuldade da prova, foi sem dúvida uma prova sensacional. Logo nos primeiros Sottile, da Assessoria de Corrida Perso- nal Fit Co de Taubaté, que correu 14 Km. Você também pode ter o seu dia de Rainha na Montanha, é só treinar e aguardar a próxima etapa em Mogi das Cruzes dia 20 de setembro. o maior trail run para mulheres do Brasil: quilômetros senti que seria uma experi- ência completamente diferente, pois de cara tinha uma subida bem íngreme, e não tinha noção que era só o começo, a pior subida estava por vir. “As trilhas se estreitaram e se torna- ram mais técnicas, a subida era inter- minável e bastante desafiadora. Enfim, o topo da Serra do Voturuna, um visual sensacional, uma paisagem maravilhosa. A descida, assim como a subida, era com- posta por muitas pedras soltas e bastante escorregadias, muitas vezes impossível correr. Tinha chovido muito na noite an- terior e o nível de atenção e concentração era altíssimo. O percurso também tinha uma trilha com mata fechada e muita lama. Os escorregões eram inevitáveis, 10 km já pareciam 20 km, minha mão estava cheia de espinhos, a perna cansada devido ao esforço de estar de pé dian- te do terreno inclinado e escorregadio, mais sempre com a vontade de seguir em frente. “Nos últimos quilômetros a sensação já é de grande satisfação, esquecemos todo perrengue bom em um instante, o sprint final é sem dúvida o melhor, adre- nalina a mil. Sem contar a grande emo- ção e sentimento inexplicável de concluir a prova, o cansaço e a dor muscular fi- cam longe da vontade de fazer tudo de novo. Quero subir mais, correr mais, me desafiar mais, que venham as próximas corridas de montanha”. O que você está esperando para sair do asfalto? Para o alto e avante! Volta dos romeiros: Correr com fé eu vou! Marcela SottileNatalia Ferreira W la di m ir To gu m i di vu lg aç ão di vu lg aç ão di vu lg aç ão di vu lg aç ão di vu lg aç ão W la di m ir To gu m iw W la di m ir To gu m iw W la di m ir To gu m iw W la di m ir To gu m iw Natalia Ferreira
  • 68 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 69Abril, 2015 Abril, 2015 Por gilberto freitas gilfreitasff@hotmail.com Atitude news Social São José dos Campos Bruno Baroni, da INVICTUS - eventos, traz a peça Princesa Sofi a para São José dos Campos. Luana Camarah no St Patricks Week do dunluce Irish Pub, em São José dos Campos. Luiz Bhittencourt lança seu blog com seus parceiros no evento explosão de Cores. João Paulo e Rogério Cordoba no St Patricks day do Bar do Coronel, em SJC. Luciano Velozo BertolinI em tarde de negócios internacionais no Guten Bier, em SJC. Vinicius Vieira, Carlos henrique Nunes e Luiz França no Standup do Santonofre, em SJC. Ambiente Construído Crise: salvar a mata Atlântica Por Adilson Peloggia e Millena Aguiar A Amazônia brasileira está sen-do observada pela comunida-de mundial pelo corte no nível do chão de sua floresta, que já tem atingido cerca de 20% da floresta ori- ginal. A maioria da população de nosso país nada faz para acabar com seu alto pre- juízo causado pela devastação da mata Atlântica, que já alcança aproximada- mente cerca de 90% de sua área desde o advento do descobrimento, sendo con- siderado como um dos principais fatores da instalação da crise hídrica e energética que assola as regiões Sul e Sudeste. Na mata Atlântica, as proporções se invertem em relação à floresta Amazô- nica, onde a preservação é maior que a devastação, restando apenas 12% de mata nativa. Se não cuidarmos desses poucos remanescentes e não recuperarmos gran- de parte do que foi desmatado, dificil- mente iremos conseguir vencer a crise hídrica. A conservação da biodiversida- de, muito importante para o nosso país, tem nas entidades SOS Mata Atlântica, Projeto Rio Vivo – Band Vale, entre ou- tras, uma tentativa de chamar a atenção para o fato de que a mata Atlântica é um dos biomas de altíssima diversidade bio- lógica, mas gravemente ameaçada pela devastação sob a influência de ações an- trópicas. A necessidade de conter a devasta- ção na mata Atlântica é imprescindível e urgente, para alimentar a recuperação de grandes áreas degradadas. Neste mo- mento em que a crise hídrica e energética tende a colapsar regiões no nosso país, começou a se compreender essa emer- gência/urgência, especialmente para as áreas das bacias hidrográficas, como a dos rios Paraíba do Sul, Piracicaba, Jun- diaí, Capivari, etc onde se localiza o siste- ma Cantareira e outros que abastecem a região de maior concentração populacio- nal do Estado de São Paulo. Um dos biomas mais importantes do Brasil, a mata Atlântica foi devastada, al- terando o cenário da história do Brasil desde o começo por volta de 1500. Foi aí que os supostos colonizadores deixaram sua característica predatória, no estabe- lecimento de um modelo de gestão, com base em uma agricultura colonial de- vastadora. Os idolatrados colonizadores portugueses não estavam preocupados em estabelecer a aplicação de conheci- mentos de proteção dos solos. O modelo então aplicado e exigido a sua eficácia, deixaram perplexos os imigrantes euro- peus que chegaram a partir do final do século 19. Nos dias de hoje a crise hídrica e ener- gética não admite alternativas para a salvação de nossos mananciais. Um do- cumento endossado pelos membros da Academia Brasileira de Ciências alerta para estiagens cada vez mais extremas. Esse documento ressalta que mesmo as chuvas em nível pluviométrico conside- rado necessário para evitar uma catás- trofe, ainda que passemos a usar água de modo consciente, e por mais que os poderes públicos constituídos estabele- çam os sistemas de abastecimento que já deveriam estar prontos, nunca mais teremos segurança hídrica. Deveremos então coibir a devastação de nossa cobertura vegetal nativa e se não recuperarmos grande parte das áreas flo- restais degradadas, principalmente nas bacias hidrográficas, teremos um colap- so. A falta de vontade política é o único e verdadeiro obstáculo para que mais acor- dos como estes sejam fechados. Porém, criar uma pressão pública enorme para forçar a vontade política é o que a nossa comunidade sabe fazer de melhor, porém sem que haja devastação de bens mate- riais. Especialistas chamam o fenômeno de colapso silencioso. Mais do que em números e estatísticas, precisamos ter uma concentração no que acontece no chão da floresta e que não sai nas ima- gens fotográficas enviadas pelos satélites. A ineficiência dos sistemas de contro- le, planos de manejo fraudulentos, impu- nidade, falta de governança na floresta, afrouxamento das leis ambientais e o sucateamento dos órgãos de fiscalização são a base dos lamentáveis números de florestas e matas nativas perdidas. Tais crimes contra a natureza e as f lorestas se manifestam principalmente em salas com ar condicionado e gabinetes ilumi- nados, gastando energia elétrica e água, locais que, mesmo sem nuvens, não são detectados pelos satélites. prof. dr. adilson peloggia é especialista em Ciências ambientais Contato: adilson.peloggia@etep.edu.br Millena Cristiane Mello aguiar administração ambiental Contato: millenacm@yahoo.com.br
  • 70 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 71Abril, 2015 Abril, 2015 Por marilda serrano marildavlserrano@uol.com.br Circulando Social São José dos Campos A mobilidade Urbana foi destaque no Seminário "São José dos Campos 2030", que trouxe um dos principais especialistas de mobilidade no Brasil, o arquiteto e urbanista Jaime Lerner. O evento teve ainda a participa- ção do prefeito Carlinhos Almeida, do engenheiro Ozires Silva e do especialista em Gestão Pública kiko Sawaya. Paulah Gauss cantou o hino Nacional na abertura do III Congresso da OBMe (Organi- zação Brasileiras das Mulheres empresárias), na Assembléia Legislativa de São Paulo. Mesmo evento em que o consagrado colunista social Ovadia Saadia tomou posse da presidência da FeBRACOS (Federação Brasilei- ra dos Colunistas Sociais). Ovadia Saadia com o jornalista Giba Um Três Presidentes da OBME: Adelina Alcantara Machado - Nacional, Betty Abraao - Campinas e Dra Maria Helena Vermot - Rio de Janeiro No Paradise Golfe, Lake & Resort (Mogi das Cruzes), os colunistas mais em voga do interior do estado de São Paulo, se encontraram para o XXVI Congresso da entidade Apacos - Associação paulista de Colunistas Sociais. Recebidos pelo diretor do Paradise, Ricardo Aly, os colunistas conferiram impressionados porque o império de mais um milhão de m2 de verde é referência brasileira no segmento lazer de luxo, congressos e convenções. Ovadia Saadia, Paulo Sergio, Fatima Cruz, Chris Bueno, Gil Fuentes, Anna Dennz, Paulinho Bauab, Enza Denadai, Jacqueline Venâncio, Paulo Roberto Pires, Marilda Serrano, Ricardo Aly, Suely Couto A faixa e coroa de miss de nove cidades do Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e Litoral Norte já tem suas donas. e elas foram conhecidas no dia 21, no Parque Municipal Fazenda engenho d´água, em Ilhabela, durante a final da Seletiva Regional Miss São Paulo 2015, promovida pela WR Modelos e Grupo Band Vale de Comunicação. Thaina Ribeiro, Stefanie Proglhof, Aléxia Reis, Isabela Mayer, Joana Rangel, Giulliana Conteruccio, Fernanda Sansevero e Denise Prado Jurados da seletiva regional que elegeram as representantes das 9 cidades do Vale do Paraíba Fo to s: Li li F al ive ira to /W R M od el os Para Montar: - 4 pães para Hambúrguer - 1 beterraba grande com casca - ½ maço de Rúcula higienizada - 400g de gorgonzola dividido em porções de 100g - 300g de Abacate - Maionese light opcional Modo de preparo: 1- Asse as beterrabas com casca envolvidas em papel alumínio no forno em temperatura máxima por 30 minu- tos. Corte em fatias de 1 cm a 1 ½ cm. 2- Prepare os Hambúrgueres. 3- Faça o molho. 4- Frite os Hambúrgueres até dourar os dois lados, depois coloque-os no forno de 5 a 10 min. Ainda quando estiver quente coloque o gorgonzola em cima para derreter. 5- Corte os pães ao meio, passe maionese se optar, coloque a rúcula, o molho, a beterraba e a carne com o gorgonzola e o abacate por cima. Para o Hambúrguer: - 800g de patinho moído - 100g cebolinha (Só a parte Branca) - Meio maço de manjericão - Sal e pimenta do reino a gosto Tempere a carne, e com as mãos molhadas boleie 4 unidades. Amasse de maneira que ainda fique grosso e coloque em um prato untado com óleo e leve à geladeira. Enquanto isso faça o molho de mel. Para o Molho: - 6 colheres sopa de manteiga - 6 colheres sopa de Mel - Molho de pimenta a gosto - 1 colher chá de molho Inglês - 2 dentes de alho bem moído - Sal e pimenta do reino a gosto. Em fogo bem baixo, derreta a man- teiga, adicione o mel, pimenta e o molho inglês. Deixe cozinhar sem ferver de 8 a 10 minutos até que os ingredientes este- jam totalmente incorporados. Mexendo ocasionalmente. Coloque o alho, o sal e a pimenta e cozinhe entre 5 e 8 minutos. Deixe esfriar com um filme plástico en- costado no molho para não endurecer. Comer é uma série de experiências: o Agridoce Gastronomia Por Rafael Ferro e Evelyn Inocêncio Comer é uma experiência de sen-tidos como qualquer outro sen-timento. O problema é que ao longo da historia o essencial do nosso dia-a-dia passou a ser banal perante as novas descobertas. O que não é de se assustar, afinal, com tão pouco tempo é realmente impossível parar para prestar atenção em tudo a nossa volta. E é por isso que o apelo para voltar a atenção no que se come é grande. Sentar, concentrar, apre- ciar, se deixar levar pelos sabores e aro- mas, qualidade e valorizar a experiência que seu dinheiro está comprando, este é o objetivo da gastronomia. Vamos aprovei- tar para mapear, prática e teoricamente, alguns sentidos e experiências pouco co- nhecidos no ato de comer. O Agridoce Por volta do meio do século XVIII a Comida Chinesa aportou na Améri- ca e um pouco mais tarde se espalhou pela Europa, e foi a primeira cozi- nha asiática a ser mundialmente co- nhecida. Ela se tornou popular entre jovens cosmopolitas que a conside- ravam “exótica”. Coincidentemen- te foi também nesse período que se deu inicio ao chamado Fusion Food – convergência entre ingredientes frescos, gostos exóticos e curiosas texturas. Mas o sabor entre a mistura do azedo com doce nunca foi novida- de, até porque há frutos que possuem essas características na sua maneira original, como a maçã madura, por exemplo. A experiência do agridoce resulta em um sabor singular, dando ao nosso paladar uma sensação única de sentir duas extremidades tão opostas do pa- ladar, mas sem distinguir um só. Tente, experimente e brinque com diferente. hambúrguer Caseiro de Beterraba com Gorgonzola e molho de Mel Rafael Ferro é chef de cozinha www.facebook.com/clementinagastronomia
  • 72 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 73Abril, 2015 Abril, 2015 Thayane, Talytha, Tais e Carol no lança- mento de outono/inverno da My Shoes. Por mariana Junqueira macjpm@hotmail.com luxo Social São José dos Campos Miriam esbanja beleza e simpatia pela cidade de Orlando, eUA. ederval Rucco e Sara Gomes em apai- xonante passeio por NY. Marcia e Ana, amigas inseparáveis, na My Shoes. Silvia Máximo comemora seu aniversá- rio em grande estilo. Parabéns! Carmem Alvim recebe a arquiteta Brunete Fraccaroli, em Campos do Jordão, na festa de lançamento da 5ª temporada de seu programa, Tudo com estilo. Por edu rosa edu@educationabroad.com.br Jacareí não pára Primeira foto do neto de Marcos Vinicius Neves, “Henry” é filho do Binho e Rafaela Stephanie! Deus abençoe essa família! A voluntaria da EDUcation “Julika Wolf” que ficará na nossa região na família do Andre e Evelyn Gualda. Trabalhará no projeto da IEF. Alunos do Ensino Fundamental do SEPP na USP acompanhados pela diretora Tania Priante. Caminha Down de Jacareí - em comemoração ao Dia Interna- cional da Síndrome de Down - 21 de março. EDUcationer “Julia Loyacono” que já completou sete meses de High School em Ohio, EUA - Saudades! Parabéns a Mariana Cabrillano Gui- marães (à direita na foto) e aos demais amigos do mês de março: Alexandre Lazaro, Eduardo Lorenzini, Lisete Faria, Julia Barrios, Lucas Arice, Alda de Miran- da, Marcela B. Amaral, Simone Zonzini, Ricardo Esper, Marisa Araújo Almeida, Aline Matsushita, Soraia Zaic, Ana Fa- tima A. Taddei de Freitas, Rosangela, M. Aparecida e Sandra Regina Rosa da Silva. Social Jacareí
  • 74 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 75Abril, 2015 Abril, 2015 Por guilherme martini gdmartinineto@gmail.com Campos Acontece Social Campos do Jordão Grupo de Amigos em passeio de Moto Clube Bodes do Asfalto - daniel G. Garcia, Angelina G. Garcia, Marcio Vas- sallo, Matheo Vassallo, Frederico Presotto, Tania Presotto Barueco, Claudinei Leme, Ana Paula Simão, Glauber Lobo, Angela Lobo, Joyme Nakayama e helena Nalayama. edgar Rodrigues no MegaCycle ao som de Rock. Amigos de São Paulo passeando de moto por Campos. O vereador Noilton Ramos, de Taubaté, Sr. Junji Abe, deputado Federal e o dr. Rubens Freire na reunião do COdIVAP realizada no hotel São Cristovão, em Campos do Jordão. Raphael Ortolani e Luiz Oliveira no MegaCycle. Juliana Godinho, Eduardo Sorrentino, Cinthia Morales e Mauricio Fioravante Caderno Especial saúde e estética
  • 76 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 77Abril, 2015 Abril, 2015
  • 78 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 79Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde pele espelho da Alma Por Renata B. L. Velloso Fronteira entre eu e outro, órgão da relação e das reações psicos-somáticas. Muitas pessoas des-conhecem que várias doenças de pele provem de um desequilíbrio emo- cional e que existem casos que precisam de acompanhamento psicológico. Diferentes emoções como tristeza, an- siedade, depressão, angústia, como tam- bém o stress propiciam algumas reações no organismo inclusive na pele. Para psi- canalistas, “a pele é uma superfície em que o mundo externo e interno imprime seus conflitos” (CRUZIEU 1989). Cada vez mais profissionais da área da dermatologia constatam que há relações entre problemas de pele e o emocional e que órgãos e sistemas participam das inf luencias das emoções. Há casos de doenças de pele em que só o tratamen- to dermatológico não dá conta, sendo necessária a atuação do psiquiatra, do psicólogo e casos que vão necessitar de cuidados multidisciplinares. A psoríase é uma das doenças mais conhecidas que pode estar ligada a fato- res psicológicos, de origem desconheci- da e de fundo emocional existe o líquen plano a qual provoca erupções na pele e coceiras intensas; o vitiligo é outra do- ença comum entre os distúrbios psico- dermatológicos. Na dermatite factícia o paciente apresenta lesões na pele produ- zidas por ele mesmo, mas nega seus maus tratos como parte de suas resistências. Quedas de cabelos e de pelos podem es- tar indicando que internamente a pessoa não está bem e que precisa de um exame detalhado para entender o que está acon- tecendo e as causas. Arrancar cabelos, sobrancelhas ou pe- los do corpo pode ser um sinal de emer- gência também, algumas crianças arran- cam casquinhas da pele ou coçam até ferir inúmeras vezes quando estão muito ansiosas, sendo este mais um dos casos a ser observado com atenção, e se necessá- rio procurar ajuda psicoterapêutica. Para o entendimento dos aspectos psi- cológicos relacionados com a pele é im- portante saber que as relações dos seres humanos agem a princípio a nível psíqui- co, ou seja, através das relações gerais com a vida vamos obtendo registros internos bons e ruins, quando traumáticos ou di- fíceis de serem processados e elaborados no campo mental podem atingir o campo somático, portanto conforme nossos re- gistros forem internalizados haverá como possibilidade o resultado do adoecimento orgânico ou psicossomático. As vivências psicológicas podem cau- sar sofrimento e muitas pessoas optam por esconder-se ou utilizar dos sintomas para obter atenção. O processo de análise de casos de doenças dermatologicamente “incuráveis” vai demandar do querer do paciente e de sua disponibilidade interna entendendo que não bastam tratamentos com remédios e pomadas, muitas vezes é preciso cuidar da questão psicossomática - mente e no corpo, ou seja, ir ao encon- tro do desconhecido relacionado aquilo que não é falado e compreendido subje- tivamente e que de alguma forma mais que cedo ou mais tarde poderá aparecer através do órgão da relação que é a pele. Renata barbosa lima Velloso. psicóloga e psicanalista. CRp - 06/99381 apVp - 00512.01 e-mail: reblima@ig.com.br
  • 80 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 81Abril, 2015 Abril, 2015
  • 82 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 83Abril, 2015 Abril, 2015
  • 84 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 85Abril, 2015 Abril, 2015
  • 86 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 87Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde tontura: o que é? Por Dr. Daniel Cauduro Salgado É a sensação de perturbação do equilíbrio corporal, conhecida popularmente como labirintite. É uma queixa muito frequente, que ocorre principalmente em idosos, e pode ser sintoma de uma infinidade de doenças. Existem várias formas de tontura. A vertigem é a forma mais comum, sendo uma sensação de estar girando no am- biente ou do ambiente estar girando ao redor. Instabilidade, flutuação, impres- são de queda e desequilíbrio ao andar são outros tipos de tontura. Náuseas e vômitos são sintomas frequentemente as- sociados. Assim, é preciso atenção aos sintomas, pois as tonturas podem causar quedas, com consequências graves. Por que temos tontura? Primeiramente vamos entender como mantemos nosso equilíbrio. Possuímos três sistemas que nos informam a posi- ção de nosso corpo no espaço: o siste- ma visual, que é diretamente controlado pelo cérebro e nos informando a respeito do ambiente em que estamos; o sistema proprioceptivo (músculos e articula- ções), que informa ao cérebro a posição do corpo no espaço; o sistema vestibular (labirinto), que informa ao cérebro todos os nossos movimentos, nos permitindo fixar o olhar nos objetos durante o deslo- camento do corpo. O labirinto está den- tro do nosso ouvido e possui duas partes, cada uma responsável por um tipo de in- formação - o vestíbulo, que nos informa sobre os movimentos, e a cóclea, que é responsável pela audição. A tontura inicia-se a partir de uma fa- lha de informação de um desses sistemas responsáveis pelo equilíbrio. Se o cérebro não recebe ou não consegue aproveitar as informações que recebe do labirinto, sur- gem problemas na manutenção da pos- tura e dos movimentos. Estima-se que cerca de 85% dos casos de tontura estão relacionados a um distúrbio do labirinto. Como tratar? O tratamento deve ser baseado na histó- ria clínica de cada paciente e no exame oto- neurológico, que é um conjunto de exames que analisam as funções do labirinto. Algumas vezes, deve-se utilizar uma medicação para melhora da tontura e também tratar outras doenças que preju- dicam o funcionamento do labirinto, tais como diabetes, aumento de colesterol e triglicerídeos. Em outros casos, é neces- sário o uso da reabilitação labiríntica ou vestibular, que se baseia em um conjun- to de exercícios que tem como objetivo treinar o labirinto afetado. A reabilitação labiríntica tem altos índices de sucesso nos casos indicados pelo médico, sendo um método simples e sem efeitos colate- rais, realizada sempre com a orientação do profissional fonoaudiólogo treinado. Exercícios físicos são de grande valia no tratamento do paciente com tontura, espe- cialmente a caminhada. Além disso, uma alimentação saudável pode controlar cerca de 90% dos casos. Os pacientes devem evi- tar os açúcares em geral, cafeína, chocola- te e alimentos ricos em sódio e gorduras, além das bebidas alcoólicas. É importante lembrar que apenas o médico especialista pode orientar cada paciente a respeito de sua doença e sobre o tratamento adequado. dr. daniel Cauduro salgado Otorrinolaringologia doutorado em Otorrinolaringologia pela usp - CRM-sp 113640
  • 88 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 89Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Ano novo, desafios e objetivos novos. Aliás, novidades não faltarão na DUOCLIN neste ano de 2015. Para começar, em Campos do Jordão, Dra. Elina Ribeiro está atendendo seus pacientes no novo espaço, otimizando assim conforto e comodidade para sua clientela naquela charmosa cidade da nossa região. Dra. Elina Ribeiro neste início de ano participou de dois congressos internacio- nais - IMCAS, (Congresso Mundial de Me- dicina Estética), em Paris, no qual levou sua querida filha, Aline Ribeiro Cunha, acadêmica no curso de Medicina; e esteve no congresso da AAD (Academia Ameri- cana de Dermatologia), em São Francisco, nos EUA, de onde trouxe o que há de novo nos tratamentos dermatológicos e cosmi- átricos, como preenchedores faciais mais seguros, redensificadores para flacidez, cla- readores para manchas, novos peelings e up grade para seus aparelhos de laser. Salienta-se aqui que Dra. Elina sempre procura atualizações nos congressos nacio- nais e internacionais, para que possa ofere- cer aos seus pacientes tudo aquilo que há de novo, e que seja cientificamente comprova- do nos tratamentos nas unidades da DUO- CLIN de Taubaté e de Campos do Jordão. Finalmente Dra. Elina Ribeiro mais uma vez demonstra seu lado empreende- dor e de arrojo profissional, não poupando qualquer esforço para buscar novidades com segurança científica nos tratamentos dermatológicos e cosmiátricos aos seus pa- cientes, sempre abordados com muito carinho e dedicação ao longo do tem- po. Segundo ela o ano de 2015 será promissor nas suas clínicas. Duoclin 2015 Fo to s: W ill An ra ku
  • 90 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 91Abril, 2015 Abril, 2015 Mamas femininas bem deli-neadas, simétricas e volup-tuosas não apenas são con-sideradas como símbolo de beleza e feminilidade, mas também são elementos importantes na manutenção da autoestima da mulher. A cada ano, um número crescente de mulheres procuram o cirurgião plástico para aumentar o volume ou melhorar o contorno de suas mamas. A cirurgia para aumento mamário, também conhecida como mamoplastia de aumento, é hoje um dos procedimentos mais realizados dentro da cirurgia plástica. No ano de 2013, de acordo com a International So- ciety of Aesthetic Surgery, foram reali- zadas 1,7 milhões de mamoplastias de aumento ao redor do mundo. Os avanços nas técnicas para a cirur- gia de aumento mamário permitem ao ci- rurgião plástico atingir os resultados de- sejados pelos pacientes de maneira mais segura e previsível. A mamoplastia de aumento pode ser uma solução para mamas pequenas, flácidas ou assimé- tricas, assim como pode restituir o volume perdido após a gestação, a amamentação, ou a perda de peso. O aumento do tama- nho e da projeção das mamas visa melho- rar o equilíbrio do corpo feminino, componente importante da autoes- tima e da autoconfiança da mulher. Atualmente existem diversos tipos de implantes mamários disponíveis no mer- cado brasileiro, conferindo ao cirurgião uma ampla gama de opções para obten- ção do resultado desejado. Eles podem variar quanto ao tamanho (volume), formato (redondo ou anatômico), perfil (baixo, moderado, alto e extra alto) e tipo de superfície (lisa ou rugosa). A escolha da prótese adequada é fundamental tam- bém para a segurança do procedimento. Deverão ser utilizadas somente próteses aprovadas pela ANVISA, Agência Nacio- nal de Vigilância Sanitária, órgão nacio- nal responsável pelos testes de qualidade e segurança desses produtos. Sabemos que as próteses modernas são feitas de silicone com maior coesividade, o que reduz o risco de ruptura e vazamentos. No entanto, como qualquer implante sin- tético utilizado no corpo humano, eles não são feitos para durar por toda a vida. Os implantes podem ser posicionados abaixo da glândula mamária ou abaixo do músculo peitoral. A cicatriz poderá ser posicionada na borda inferior da aréola, no sulco inframamário ou na região da axila. Cabe ao cirurgião plástico explicar e discutir com o seu paciente todos os fa- tores acima mencionados. Dessa forma, o planejamento cirúrgico deverá ser realiza- do baseando-se em fatores como o exame físico do paciente, as preferências pessoais do paciente e a experiência do cirurgião. O Food and Drug Administration- FDA, órgão americano responsável pela regula- mentação de diversos assuntos relacionados à saúde, listou nove perguntas importantes que todos os pacientes interessados neste procedimento deverão fazer ao seu cirur- gião na hora de planejar a sua cirurgia: 1- Qual o tempo previsto de recuperação? 2- Precisarei de auxílio para desempenhar tarefas normais em casa por quanto tempo? 3- Qual a duração estimada da cirurgia? 4- Há necessidade de procedimentos se- cundários associados à mamoplastia de aumento? 5- Qual a possibilidade de contrair uma infecção após a cirurgia plástica? 6- Quais são os riscos envolvidos na anestesia? 7- O que devo fazer para reduzir os riscos de complicação em curto e longo prazo? 8- Onde ficará a cicatriz do procedimento? 9- Por quanto tempo sentirei dor após a cirurgia plástica? Hoje em dia, a cirurgia para aumen- to das mamas apresenta menos riscos e mais opções. É importante escolher um cirurgião plástico com treinamento espe- cífico em mama, otimizando as chances de alcançar o resultado desejado. Na Clínica Fortes, o Dr. Fernando Fortes, cirurgião plástico formado pela Faculdade de Medicina da USP e com subespecializa- ção em cirurgia estética e reconstrutora da mama no Hospital das Clínicas da Faculda- de de Medicina da USP, avalia cada paciente individualmente para apresentar quais as melhores opções de prótese para cada caso e quais os procedimentos que podem ou pre- cisam ser associados na busca do melhor resultado estético. Enfim, a mamoplastia de aumento pode melhorar muito a imagem femi- nina, permitindo sentir-se mais natural com o seu próprio corpo, mas cada pa- ciente deve e precisa ser avaliado indivi- dualmente sempre na busca pelo melhor resultado com máxima segurança. Caderno Especial saúde Atualmente existem diversos tipos de implantes mamários disponíveis no mercado brasileiro, conferindo ao cirurgião uma ampla gama de opções para obtenção do resultado desejado. “ ” mamoplastia Um dos procedimentos mais realizados no mundo pode ser a solução para mamas pequenas, assimétricas e para restituir o volume perdido após gestação, amamentação, ou perda de peso www.clinicafortes.com.br (12) 3922-4422/3923-5133 rua eng. prudente meireles de morais, 847, Vila Adyana, são José dos Campos-sp Dr. Jeronimo fortes - Crm 24371 Otorrinolaringologia Cirurgia Plástica Facial Dr. felipe fortes - Crm 104318 Otorrinolaringologia Cirurgia Plástica Facial Dr. fernAnDo fortes Crm 124948 Cirurgia Plástica
  • 92 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 93Abril, 2015 Abril, 2015
  • 94 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 95Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Diante de tudo isso, você deve estar se perguntando: porque, então, correr na montanha? A sensação de terminar é incrível, fora o visual de tirar o fôlego “ ” Descidas e subidas, obstáculos e desgaste extremo atraem corredores que buscam uma aventura diferente Os Desafios da Corrida de montanha A IMPORTâNCIA dA NUTRIÇãO NO eSPORTe Os praticantes de esportes, sejam eles amadores ou pro- fissionais, geralmente necessitam de uma demanda maior de nutrientes, pois estão sujeitos às condições ad- versas devido ao desgaste nos trei- namentos. O médico nutrólogo pode avaliar a saúde destes atletas para propiciar condições satisfatórias de desempe- nho do ponto de vista nutrológico como: reparação tecidual adequa- da, diminuição da fadiga, alterações metabólicas e imunológicas causa- das pela prática esportiva, etc. Durante a consulta, somada à avaliação de exames complementa- res, é possível concluir se o pacien- te está com a saúde equilibrada ou submetido ao excesso de treinamento, se tem a composição corporal adequada ou se precisa perder gordura ou aumentar a massa muscular para prevenir lesões, além de detectar se há alguma patologia que necessite de tratamento. O nutrólogo consegue ainda identifi- car carências ou excessos nutricionais e hormonais que impactam negativamente em seu rendimento e corrigi-los e tam- bém indicar ou contra-indicar o uso de suplementos, alimentos e medicações antes, durante e depois dos períodos de treino e provas de acordo com o perfil de cada paciente e objetivo no esporte. Esses cuidados são importantes, pois visam, sobretudo, proteger o indivíduo para que o esporte seja um agregador de saúde e promotor de qualidade de vida. lenina Matioli é médica nutróloga e ortopedista (CRM-sp 95271), tem um blog com dicas para esportes, emagrecimento e vida saudável. acesse e saiba mais: www.facasuaescolha.com.br www.facebook.com/clinicajuvy Por Lenina Matioli Para quem quer mais do que cor-rer na rua, a montanha pode ser o próximo desafio. Aí vão algumas dicas aos que vão en- trar nesse universo, por Lenina Matioli, maratonista, corredora de rua há 5 anos e que há um ano resolveu se aventurar nas trilhas e morros. Um bom pace – minutos que o corre- dor leva para percorrer um quilômetro – na rua não servirá muita coisa na terra. O fato é: você vai andar, e muito, pois o terreno é íngreme demais, ou porque há pessoas mais lentas na sua frente – nem sempre no caminho há espaço para ultrapassagens – ou pela exaustão física que se impõe. Seus músculos da coxa e glúteos se- rão testados à exaustão, porque subida na montanha tem a conotação real da pala- vra – a subida da Avenida Brigadeiro na São Silvestre vira brincadeira de criança. As descidas também costumam ser bem inclinadas e muitas vezes necessi- tam de uma corda para conseguir descer de costas, como no rapel. No meio do mato, é claro, não tem posto com água ou isotônico. Você car- rega, além dos géis de carboidrato, dois quilos e meio de água nas costas na sua mochila de hidratação. O tênis apropriado é necessário, pois o percurso atravessa rios, mar, mangues, entre outros tipos de terrenos. É preciso que o solado seja antiderrapante e que não absorva água para não arrastar duas ‘pantufas’ encharcadas nos pés. Luvas são fundamentais, mesmo que não vá se agarrar cordas. Usamos as mãos o tempo todo para subir, descer e apoiar nos barrancos e, se eventualmente cair, evita machucá-las. Ao invés de bermudas ou saias, as cal- ças de compressão são a melhor opção; com tecido que seque rápido, pois a água está sempre presente. Além disso, quanto mais partes do corpo estiverem cobertas, menor o risco de se esfolar. As organizações de algumas provas ainda exigem que os participantes car- reguem alguns equipamentos de segu- rança, como bússola, sinalizador, apito, ataduras, etc. Diante de tudo isso, você deve estar se perguntando: porque, então, correr na montanha? Lenina é categórica: “A en- dorfina liberada é proporcional ao esfor- ço realizado. A sensação de terminar é incrível, fora o visual de tirar o fôlego. O bem estar apaga todas as dificuldades e te faz procurar o próximo desafio”, desta- cou a médica. O ultramaratonista Guto Nascimento, de Taubaté, treina na altitude das montanhas de Santo Antônio do Pinhal Jo na s B ar be tta / T op 1 0 Co m un ica çã o
  • 96 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 97Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Empresários e empregados estão suscetíveis a doenças decorrentes das preocupações com o cenário econômico. Saiba como proteger seu corpo e sua mente da Redação O medo de ficar desempregado assombra ambientes de tra-balho, sobretudo nesta época de crise econômica. Entre os empresários, as incertezas trazem o medo de que o negócio passe a não ir tão bem, e os problemas financeiros da firma atinjam em cheio suas vidas pessoais. Estresse, an- siedade, insônia e irritação são alguns dos resultados desta combinação perigosa. Entre empregados, um ambiente de tra- balho em que o medo contínuo de perder seu emprego está presente, doenças e dis- túrbios emocionais podem atingir a equi- pe. “Uma das coisas que as pessoas podem desenvolver é o TAG (Transtorno de An- siedade Generalizada). Isso interfere nas tarefas, já que elas têm dificuldade de con- trolar os pensamentos e prejudica o funcio- namento do trabalho”, explica a psicóloga Marina Vasconcellos, especialista em com- portamento pela Unifesp. Ela diz ainda que é comum os trabalhadores ficarem com ir- ritabilidade, insônia, estresse, gastrite e até mesmo com depressão. “A depressão é uma autopunição, as pessoas não conseguem colocar para fora a raiva, o medo e a insegurança e põe para dentro. Ela também aparece como falta de vontade de fazer qualquer coisa, até de le- vantar da cama para ir trabalhar”, declara. Para o empregador, ou microempresário que depende do seu próprio esforço para to- car o negócio, o clima de tensão e incerteza também traz seus males ao corpo e à mente. As relações familiares também ficam estre- mecidas, uma vez que a pessoa acaba des- contando nas pessoas mais próximas todo o nervoso que passa durante o dia de trabalho. “O clima tenso é às vezes piorado até mesmo pelo simples ato de assistir o no- ticiário na TV ou ler as páginas de eco- nomia. Isso gera consequências em casa, o casamento vai dificultando, a relação com os filhos fica complicada. Isso é uma realidade do nosso tempo”, afirma Mari- na. A psicóloga diz que o ideal é aliviar a ansiedade com uma atividade física e aconselha que as pessoas aproveitem esta fase para alavancar a carreira ao invés de ficar temendo pelo futuro na empresa. Para o empresário que está sentindo a pressão da crise sobre sua vida e seu negócio, vale o mesmo conselho, acres- cido da necessidade de não acreditar que simplesmente trabalhar mais vai resolver os problemas. Diante da crise, o corpo não identifica se o estresse é psicológico ou físico. Por isso, tentar resolver apenas mentalmente um problema não é solu- ção. O estresse se mantém, quando pode- ria ter sido amenizado pelo efeito de uma sessão de ginástica ou de corrida, antes de uma reunião estressante. Segundo o psiquiatra Frederico Porto, a estratégia de abandonar os cuidados com o corpo em períodos tensos, como o da atual crise econômica, implica menor velocidade e capacidade de solucionar problemas. “Cair em estado de trabalho contínuo, esquecendo que o corpo pre- cisa de recuperação, é um erro. Executi- vos que praticam exercícios, seguem uma dieta equilibrada e não perdem o foco na saúde contam com vantagem competi- tiva importante em relação aos demais, que pode ser traduzida em menor ansie- dade e estresse, além de capacidade de to- mada de decisões mais rápida”, completa. A Crise econômicaPode Afetar a Sua Saúde?
  • 98 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 99Abril, 2015 Abril, 2015 Artrite reumatóide Caderno Especial saúde A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença inf lamatória crôni-ca. Acomete as mulheres duas vezes mais do que os homens. Inicia-se geralmente entre 30 e 40 anos e sua incidência aumenta com a idade. O tabagismo é um dos fatores associa- dos ao surgimento da doença em pessoas predispostas. Os sintomas mais comuns são a artrite (dor, inchaço, calor e verme- lhidão) em qualquer articulação (junta) do corpo, sobretudo mãos e punhos, po- dendo comprometer a coluna cervical. As juntas inf lamadas provocam di- ficuldade de movimentação articular, principalmente pela manhã, associado à fadiga. Com a progressão da doença há destruição da cartilagem articular, po- dendo o paciente desenvolver deformida- des irreversíveis com incapacidade para realização de suas atividades do dia-a-dia. O médico reumatologista pode avaliar quais exames devem ser solicitados. O diagnóstico precoce com início imedia- to do tratamento é fundamental para o controle da doença e prevenção da incapa- cidade funcional. O tratamento medica- mentoso vai variar de acordo com o está- gio da doença, sua atividade e gravidade, e sempre individualizando e modificando conforme a resposta de cada doente. Na artrite reumatóide, assim como em várias outras doenças reumáticas crônicas, o seguimento pelo médico reu- matologista é imprescindível e deve ser contínuo. Exames de acompanhamento são feitos com frequência para avaliar a atividade da doença e alterações das medicações no curso da doença, sendo que apenas o médico pode diminuir ou aumentar a dose das medicações, modi- ficando o tratamento quando necessário ou indicando a terapia de reabilitação mais adequada a cada caso. dra. eliane sayuri Yamada CRM 140983 sp dr. José Roberto silva Miranda CRM 84564 sp
  • 100 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 101Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde ortodontia para todas as idades Por Dr. Ricardo Hunnicutt Uma das perguntas mais fre-quentes que um ortodentista ouve em seu consultório é a de qual o melhor momento para se colocar um aparelho ortodôn- tico. Muitos acreditam que adultos não podem mais usar aparelhos corretores para os dentes, e que crianças só devem colocar aparelho após trocarem todos os dentes de leite. Isso não é verdade. No caso das crian- ças, na maioria das vezes, um tratamen- to realizado na dentição decídua (dentes de leite) ou na dentição mista (dentes de leite e permanentes juntos), pode facili- tar muito um tratamento ortodôntico na adolescência ou até mesmo evitá-lo. Existem problemas que podem ser tratados já a partir dos 5 anos de idade, dependendo de sua gravidade. Para isso, o ortodentista deve dominar as técnicas específicas para tratamentos em crian- ças, pois nesta fase trabalhamos princi- palmente com as bases ósseas do pacien- te. Um trabalho bem feito nesta idade pode e deve melhorar em muito a vida do paciente, mas um tratamento equivocado pode causar danos para o resto da vida da criança. Por esse motivo, os pais devem buscar profissionais altamente capacita- dos para o tratamento de seus filhos. No caso de pacientes adultos, não existe uma idade limite para se realizar um tratamento ortodôntico, desde que os dentes e suas bases ósseas estejam sau- dáveis. Hoje em dia, os ortodentistas pos- suem inúmeros tipos de aparelhos fixos, devendo primeiro avaliar o caso e as expectativas do paciente para que possa oferecer a melhor opção de tratamento para o mesmo. Existem os aparelhos de porcelana para os que não querem ficar com o sor- riso metálico; os aparelhos auto-ligáveis que não precisam ser ativados todos os meses, para os que não podem visitar seu ortodentista mensalmente; e os tradicio- nais aparelhos fixos com suas borrachi- nhas coloridas, que os jovens adoram. Enfim, dos 5 ao 80 anos, todos podem usar aparelhos ortodônticos, desde que haja bom senso do profissional e colabo- ração do paciente. Sorria, a vida é muito melhor para quem sorri. dr. Ricardo Hunnicutt é especialista em Ortodontia, e atuante em Cirurgia Oral Menor. CRO-sp 57693 mitos e verdades da nutrição Caderno Especial saúde Por Renata Campello A nutrição é uma ciência. O fato de nos alimentarmos diaria-mente não nos torna aptos a saber fazer escolhas por ali- mentos saudáveis. Isso envolve ciência, muita bioquímica, inúmeras pesquisas, especializações, congressos, enfim, cons- tante atualização de conhecimentos do profissional nutricionista, que é o único prescritor habilitado e regulamentado para prescrever uma dieta. Atualmente, por meio da mídia, redes sociais, etc, o conhecimento ficou muito mais acessível e assim temos um perfil de pacientes que vem ao consultório com uma bagagem de informações, na maio- ria das vezes não fundamentadas em ci- ência e sim em modismos. Isso lança mitos diversos à popula- ção, que podem parecer inofensivos, mas podem ser extremamente prejudiciais à saúde. Quando se propõe dietas onde não se atinge um equilíbrio nutricional, a consequência pode ser desastrosa e cau- sar danos irreparáveis à saúde. Uma privação de nutrientes pode le- var à compulsão alimentar, desencadean- do obesidade e outras doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, dis- túrbios gastrointestinais, etc. Dietas equilibradas vêm para devol- ver a homeoatse (equilíbrio), que o corpo humanos tenta manter exaustivamente através de inúmeras tarefas bioquímicas, as quais necessitam de oferta constante de nutrientes. Como exemplo, vejo prá- ticas diárias de pacientes que ao fazer tantas restrições calóricas para tentativas de enegrecimentos causam carências de algumas vitaminas e minerais e isso pre- dispõe o organismo a com- portamentos compulsivos e viciantes. Assim, aumenta-se risco de obesidade e percebo nestes pacientes um stress pela dieta. Comem culpados, abstém-se do prazer, vêem a dieta como um fardo pesado e não como uma mudança de hábito necessário para que obtenham saúde e que pos- sam envelhecer de maneira saudável. A minha prescrição de hoje tem que proporcionar ao pacientes uma vida sau- dável e não apenas o ema- grecer. Mudanças não são fáceis, mas mudar pela saú- de é ainda melhor do que sermos obrigados a mudar pela doença que já se ins- tala em nosso organismo. Temos uma herança gené- tica que carregamos co- nosco, que responde por 30% do desenvolvimento de patologias mas, 70 % da expressão genética (se iremos desenvolver a do- ença) é ambiental. Sendo assim, temos em nossas mãos escolhas corretas que podem modular nos- sos genes. Alimentarmos bem envolve escolhas de alimentos saudáveis e não que apenas emagreçam ou nos tornem musculosos. Renata Campello é nutricionista.
  • 102 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 103Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde da Redação Ler no escuro prejudica a Visão? MITO. A leitura em um ambiente com pouca iluminação é apenas desconfortá- vel, proporciona um esforço maior caso a pessoa possua um distúrbio de refração, porém, não causa nenhuma doença. Coçar os olhos é perigoso e pode cegar? VERDADE. São raros os casos, mas coçar o olho com força pode causar o descolamento de retina, entre outros problemas na parte externa dos olhos. A sugestão é usar uma compressa de algo- dão e água fria para aliviar o incômodo. Se persistirem os sintomas, procure um oftalmologista. Somente os meninos podem ser dal- tônicos? MITO. Estima-se que até 8% dos me- ninos têm algum grau de daltonismo, en- quanto as meninas, menos de 1%. Comer cenoura melhora visão? MITO. As cenouras são ricas em vita- mina A, essencial para a visão, mas muitos outros alimentos também contêm essa vi- tamina. Uma dieta bem equilibrada, com ou sem cenoura, fornece toda a vitamina A necessária para uma boa visão. O leite materno cura a conjuntivite? MITO. Apesar de ser rico em anticor- pos, não se recomenda o uso, pois o leite materno pode transmitir doenças como Hepatite e HIV. E existem diferentes ti- pos de afecções, tais como: viral, bacte- riana e alérgica e cada uma destas deve ser tratada de maneira diferente. Uso de hastes flexíveis pode prejudi- car a audição? VERDADE. O uso destas hastes pode promover o deslocamento das secreções e descamações para o interior do canal, causando sensação de ouvido tampado e zumbidos. mitos Verdadese
  • 104 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 105Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Você sabe o que está comendo? Saiba como entender os rótulos com informações nutricionais dos alimentos industrializados Por Guilherme B. Barbosa Lima O grande objetivo das indús-trias alimentícias é vender o produto. Para tal fina-lidade eles desenvolvem lindas embalagens e fazem gran- des promessas sobre o alimento. Estas nem sempre são verdade. Apesar de muitos alimentos se- rem rotulados como “integrais” e “fonte de vitaminas e minerais”, estas informações nem sempre correspondem com a verdade, visto que os componentes ali exis- tentes não apresentam porções ideais para serem rotulados como “integrais”, por exemplo. Vejamos como identificar se um pro- duto é realmente o que anuncia: Segundo as novas normas da ANVI- SA, para um alimento ser “fonte” de vi- taminas ou minerais, precisa conter no mínimo 15% das nossas necessidades di- árias (ND) de vitamina ou mineral por porção do produto (ND/porção) e, para ser “rico” precisa de ao menos 30% das ND/porção. O alimento “fonte” de proteína deve conter no mínimo 6g/porção e para ele ser “rico” deve conter 12g/porção. Alimentos fontes de fibra devem con- ter 2,5g/porção e para serem ricos devem conter 5g/porção. Lembrando que devem sempre atingir a quantidade mínima dos aminoácidos essências (aminoácidos que o nosso cor- po não produz). Outro ponto importante na leitura do rótulo é no que se refere aos ingredientes que compõem o produto. Isso porque os ingredientes devem descrever os alimentos em forma decrescente (do que tem maior abundancia no produto para o menor). Um bom exemplo para você ver a im- portância da leitura é nos pães integrais. Isso porque a maioria destes produtos contém em sua lista de ingrediente a fibra enriquecida com acido fólico e ferro (farinha branca) e depois a farinha integral. Mostrando que neste ali- mento existe mais farinha branca do que integral. Assim, para que o produto seja realmente integral, ele deve ter como primeiro ingrediente des- crito no rótulo a farinha de trigo integral. Outro produto que sempre enga- na são os sucos de caixinha, uma vez que muitos deles começam com água, açúcar e somente após a fruta, o que significa que eles contém mais açúcar do que a própria fruta. Portanto, indago: será que você está comendo o que imagina? Depois dessa breve explicação sobre o rótulo, você pode escolher melhor seus alimentos e julgar sua qualidade. Guilherme b. barbosa lima é nutricionista. CRn-33366 especialista em nutrição nas doenças Crônicas não transmissíveis – Hospital Israelita albert einstein. especializando em nutrição aplicada ao exercício físico - escola de educação Física e esporte da universidade de são paulo. especializando em nutrição clinica funcional - Valéria paschoal Vp – Faculdade Cruzeiro do sul.
  • 106 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 107Abril, 2015 Abril, 2015 o infarto Agudo do miocárdio Por Dr. Felipe Guimarães Lobão Infarto ou enfarte do miocárdio é uma doença caracterizada por mor-te de parte do músculo cardíaco ocasionada por interrupção abrupta do fluxo sanguíneo para o mesmo. É uma enfermidade grave, podendo levar o in- divíduo ao óbito. Segundo dados do DATASUS, mor- rem anualmente no Brasil cerca de 66 mil pessoas vítimas de infarto agudo do mio- cárdio, sendo que cerca de 60% dos óbitos por infarto acontecem na primeira hora após o início dos sintomas. É considerada a principal causa isolada de morte no país. A principal causa do infarto é a pre- sença de aterosclerose coronária, que se caracteriza por acúmulo gradual de gorduras no interior dos vasos, seguida pela formação de um coágulo sanguíneo sobre a placa gordurosa, levando à obs- trução arterial. Observamos constantemente em nossa pratica médica, como em atendi- mentos no pronto-socorro SUS da Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro (SP), o crescente número de usuários portadores de diabetes, hipertensão arterial, coles- terol e triglicérides elevados, tabagistas e obesos, e por isso propensos à doença arterial coronariana. O tratamento do infarto deve ser ins- tituído o mais precoce possível, sendo o retardo pela procura ao atendimento mé- dico um fator importante no prognóstico do paciente. Melhores políticas de saúde vêm sendo elaboradas pela diretoria da Santa Casa de Misericórdia de Cruzei- ro, juntamente à Secretaria de Saúde do Município, para um ainda melhor aten- dimento da doença coronariana à nossa comunidade. dr. Felipe Guimarães lobão é Cardiologista e ecocardiografista titulado pela sociedade brasileira de Cardiologia e pelo departamento de Imagem em Cardiologia, atualmente Coordenador assistencial da Clínica Médica do pronto-socorro sus da santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro Contato: drfelipelobao@gmail.com Caderno Especial saúde Doce inimigo Conheça todos os tipos de açúcar e saiba porque é importante não extrapolar seu uso no consumo diário da Redação Só de pensar na variedade deliciosa de doces, você já tem receio de en-gordar. Motivos não faltam para isso, já que o açúcar realmente traz na bagagem uma reputação nada boa. O fato é que, além de esbanjar ca- lorias, os grãos adocicados não oferecem nutrientes importantes ao organismo. Não existe uma recomendação especí- fica para o consumo de açúcar. Isso varia de pessoa para pessoa, dependendo da idade, tipo de dieta, dentre outros fato- res. “Porém, por ser rico em calorias e não fornecer fibras, proteínas, vitaminas e minerais, é aconselhável diminuir a in- gestão ao máximo”, afirma a nutricionis- ta Roberta Stella, em artigo publicado no site Minha Vida. Controlar as colheri- nhas que adoçam as xícaras de café ou chá, convenhamos, é mais fácil do que calcular a quantidade de açúcar presente em seu bolo preferido. Para não extra- polar na dose, o aconselhável é analisar os rótulos alimentícios e observar se há açúcar na composição. Outro conselho é sempre lembrar que doces, pães, bolos e tortas vêm acresci- dos de açúcar. Essa, inclusive, é uma das causas da alta quantidade calórica que eles apresentam, mas não é por isso que você precisa radicalizar. Os doces não precisam ser riscados do seu cardápio, principalmente se você faz parte do fã- -clube deles. O segredo é a moderação. Açúcar mascavo é melhor do que o refinado? Não. Trata-se de um erro comum cometido por quem pretende cortar ca- lorias. A tática não funciona. A quanti- dade calórica dos dois tipos de açúcar é semelhante. “Enquanto 100 gramas de açúcar refinado apresentam 400 calorias, a mesma quantidade de açúcar mascavo contém 380 calorias”, explica a nutricio- nista Roberta Stella. Apesar do açúcar mascavo conter mais nutrientes, a orien- tação sobre as doses açucaradas inclui todos os tipos de açúcar. As vitaminas e minerais devem ser obtidos por outras fontes alimentares como, por exemplo, frutas, legumes e verduras. Para fugir do sabor residual deixado pelos adoçantes, o açúcar light é o produto mais indicado. Doce demais, saúde de menos O fato de acrescentar muitas calorias à alimentação faz com que o açúcar cause um desequilíbrio na saúde, quando con- sumido além da conta. O prejuízo mais facilmente notado é o ganho de peso. Com os quilos extras, os fatores de risco para o desenvolvimento de doenças car- diovasculares aumentam, por exemplo. Além disso, pessoas com tendência a de- senvolver diabetes ou que já sofrem com a doença devem evitá-lo. Os grãos açucarados aumentam ra- pidamente a quantidade de glicose no sangue, com a agravante de o pâncreas não produzir (ou produzir em quanti- dade insuficiente) a insulina, hormônio responsável pela retirada de glicose do sangue. Nestes casos, o açúcar deve ser substituído por edulcorantes artificiais, a fim de evitar a ingestão de alimentos que colaboram para o aumento da gli- cose sanguínea. Uma alimentação equi- librada, com a distribuição adequada dos grupos alimentares também deve ser seguida. Caderno Especial saúde Acidente vascular encefálico ou "derrame cerebral" Por Antônio Beuttenmuller Gonçalves Silva O AVE, ou acidente vascular en-cefálico, está entre a primeira e terceira causa de morte no Brasil dependendo do Estado, com mais de 100 mil mortes ao ano. 70% destes pacientes não retornam ao traba- lho e 50% permanecem dependentes de outras pessoas para atividades básicas, por sequelas cognitivas e/ou motoras. Considerando que o AVC está relacio- nado ao mau controle de doenças crôni- cas como, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo e cardiopatias, prevalece nas classes sociais com menor acesso à me- dicina preventiva e assistência básica à saúde. Na última década tem se usado com sucesso o tratamento trombolítico com o medicamento alteplase, que ajuda a dissolver o coágulo e reverter a isquemia cerebral antes que esta se torne irreversí- vel, desde que a medicação seja infundi- da nas primeiras quatro horas e meia da instalação do sintoma neurológico. No Vale do Paraíba, a Santa Casa de Cruzeiro e o Hospital de Taubaté são exemplos de hospitais públicos regionais que dispõem de serviço de emergência preparado para executar esse tratamen- to, cujos benefícios ainda são pequenos se comparados àqueles alcançados com a implantação de políticas sérias de pro- moção à saúde. dr. antônio beuttenmuller Gonçalves silva é neurologista formado pela unIFesp, tem título de especialista pela academia brasileira de neurologia, especialista em neurologia cognitivo comportamental. Coordenador do setor de emergência e neurologia na santa Casa de Cruzeiro. Cruzeiro-sp: R Voluntários paulistas 565. tel.: (12) 3144-1442 | lorena-sp: av. peixoto de Castro 23. tel.: (11) 3152- 7758 Contato: antoniobeut@yahoo.com.br AVC ocorre quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro Re pr od uç ão
  • 108 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 109Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde Beleza e bem-estar ao seu alcance Mix de marcas de beleza consolidam o Taubaté Shopping como referência em lojas da área A maioria das mulheres adora cuidar da beleza. Existem vá-rios tipos de tratamentos que prometem melhorias na pele, nos cabelos, unhas, além de valorizar a autoestima. Alguns desses tratamentos podem ser complexos, mas o que muita gente não se atenta é que é possível en- contrar diversos serviços de estética em um único lugar. Além de ponto de encontro para com- pras com a família com lazer e diversão, o Taubaté Shopping mantém ainda em seu mix, marcas consolidadas em bem- -estar. Tudo para que os clientes tenham o prazer de, entre uma visita e outra, sen- tir-se ainda melhor. Além das tradicionais lojas ligadas à moda, a beleza no corpo e na mente também tem vez. A conceituadíssima academia Eliane Indiani, por exemplo, oferece serviços exclusivos aos clientes que ainda contam com a segurança e a praticidade de praticar exercícios físicos num Shopping. Já no espaço Sóbrancelhas, designers e técni- cas diferenciadas dão contorno e modernidade àquelas que são mais exigentes. Para quem busca qualidade em serviços de depila- ção, excelentes opções: Espaço Laser Depilação, DepilShop e Não + Pêlo Fotodepilação, com tecnologias e preços acessíveis a todos os bolsos. Outras grandes marcas também dão um toque de beleza em suas clientes, transformando-as em verdadeiras estrelas: O Boticario, Glitter, L´ acqua di Fiori, May- belline, Ponto Hair, Shiatsu Massagem e Yes Cosmetics também estão presentes no empreendimento e podem ser uma boa pedida para aquela produção espe- cial. Seja qual for a sua receita de beleza, o im- portante é encontrar opções que valorizam o que há de melhor em você. E, por que não, cuidar de você no lu- gar mais querido da ci- dade? Vem pro Taubaté Shopping! www.taubateshopping.com.br Siga-nos!
  • 110 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 111Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde equus equoterapia Desde abril de 2000, a Comu-nidade Terapêutica Equus vem realizando um trabalho de reabilitação com pessoas portadoras de necessidades especiais no Vale do Paraíba. Reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina em 1997, a equoterapia vem sendo indicada por médicos para uma variedade de casos clínicos de diferentes idades. Hoje, a Equus atende de bebês até idosos com indicação prescrita por um profissional da área da saúde. O que é equoterapia? Trata-se de um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicos- social de pessoas portadoras de necessi- dades especiais. Esta definição por nós adotada é difundida pela ANDE BRASIL (Associação Nacional de Equoterapia). O uso do cavalo no tratamento O cavalo, ao andar, provoca um des- locamento da pelve do praticante que o monta, fazendo com que ele busque o equilibrio por todo o tempo que estiver montado. Segundo dados analisados pela ANDE, o cavalo ao passo em 30 minutos provoca 2,2 mil deslocamentos, estimu- lando o sistema nervoso central a ade- quar o equilíbrio. Para tanto, o animal tem que ter os aprumos perfeitos e uma índole dócil, e um excelente adestramento para equo- terapia. Não podemos esquecer que o animal deverá estar saudável, com vaci- nas e vermifugações em dia e seus cascos aparados nos ângulos corretos, porque este conjunto de fatores influencia direta- mente no seu andar e, consequentemen- te, no estimulo ao paciente. Os terapeutas A equipe da Equus é formada por pro- fissionais formados em suas respectivas áreas de nível superior e com cursos de equoterapia e equitação. São eles: Vânia C.B.N. Calçada: pedagoga espe- cialista em educação especial, psicopeda- goga, equoterapeuta e equitadora. Anna Paula Cembranelli Gati: fonoaudi- óloga especialista em gerontologia e psicolo- gia infantil, equoterapeuta e equitadora. Hélio Fernando Tibúrcio: fisioterapeuta especialista em traumatologia e ortopedia, professor universitário da Anhanguera Educacional, equoterapeuta e equitador. Sandra R. de Faria Campos: terapeuta ocupacional, equoterapeuta e equitadora. Ebe Matos: psicóloga e psicopedagoga. Bruna Bondarenko: fisioterapeuta, equoterapeuta e equitadora.
  • 112 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 113Abril, 2015 Abril, 2015 Caderno Especial saúde O Viço da Pele Por Érico Pampado Di Santis Hoje gostaria de voltar a um as-sunto: a textura da pele. Parte fundamental da beleza facial, da saúde e boa aparência do seu rosto. Relembrando, a cosmética da face depende de três fatores: volume, di- nâmica e textura. A textura corresponde ao verniz, ao viço, à superfície facial. Encontrei uma definição de viço no site dicionarioinfor- mal.com.br que eu adorei: “Exuberância de vida; vigor, verdor, frescura”. Realmente a pele pode mostrar a vida, a pele do rosto então, mostra a alma, o estado de espírito. A derme e a epiderme são as respon- sáveis diretas pela textura. A epiderme é a camada da pele mais externa, a derme vem logo abaixo sustentando a epiderme. A epiderme é formada principalmente pelos queratinócitos e a derme pelas fi- bras elásticas e fibras de colágeno. Qualquer dano nessas camadas da pele se ref letirá na aparência da pele. Tudo que nossos olhos captam é por re- flexão da luz. Uma superfície lisa reflete a luz de maneira coordenada, já uma su- perfície irregular tem suas reentrâncias as quais “roubam” luz. Se na pele houver sulcos, depressões ou relevos, nossos olhos captarão sombras ou reflexos distorcidos que não agradarão nosso cérebro. Se o colágeno, base estru- tural da nossa pele, estiver sulcado ou com alguma quebra o reflexo estará na superfí- cie da pele. É o que ocorre nas rugas. O movimento repetitivo de um mús- culo da face fica “beliscando” a derme por baixo dela e de tanto fazer isso marca, vin- ca a pele. A degradação da camada elástica da derme pelos raios ultravioletas desor- ganiza toda a estrutura dérmica. Além dos fatores citados temos de levar em con- ta os fatores genéticos e hormonais. Outra lesão que se forma na pele e que está na superfície são as manchas. A mancha tem diversas causas por isso antes de tratá-las é importante o diag- nóstico específico de cada mancha. Os tratamentos que visam melhorar a tex- tura da pele agora focando na pele facial são: Protetor solar. Sim o mais importante e mais efetivo é o protetor solar. Os outros como antioxidantes orais, cremes de uso domiciliar, despigmen- tantes, ácidos, e os procedimentos de consultório como os peelings químicos, lasers, cauterizações, ou até em centro cirúrgico como o peeling profundo de fenol podem ser efetivos quando bem in- dicado pelo seu dermatologista. A prevenção é o melhor caminho para proteger sua pele. A correção precoce dos problemas que surgirem e o acompanha- mento médico disciplinado manterão seus cuidados. Evite o uso de fórmulas caseiras que podem irritar e até queimar deixando cicatrizes permanentes na face. Cuide da acne já nos primeiros sinais de seu surgimento: os cravos. érico pampado di santis é Médico dermatologista CRM 96.546 sp RQe (Registro de Qualificação de especialista) 21.582 diretor técnico da Clínica absoluta dermatologia endocrinologia taubaté sp.
  • 114 | Vitti | revistavitti.com.br revistavitti.com.br | Vitti | 115Abril, 2015 Abril, 2015
  • 116 | Vitti | revistavitti.com.br Abril, 2015 #euestouaqui www.revistavitti.com.br Empresas, produtos, serviços e tudo mais que importa na região está na Vitti. Você ainda não está? Ligue pra gente. Jacareí São José dos Campos Caçapava Taubaté Tremembé Pinda Aparecida Guaratinguetá Lorena Cruzeiro Santo Antonio do Pinhal Campos do Jordão Passa Quatro Ubatuba ø r u a z e ro .c o m anuncios21x28_venda.indd 1 10/2/14 2:43 PM
Fly UP