...

Oficina Normas Da ABNT

by leticia-caimi

on

Report

Category:

Documents

Download: 0

Comment: 0

3

views

Comments

Description

orientacoes abnt
Download Oficina Normas Da ABNT

Transcript

  • Bibliotecas Dr. Romeu Ritter dos Reis
  • Dicas da Bibliotecária! O autor Azevedo (2012, p.19) apresenta os dez mandamentos da produção cientifica elenca entre eles:  Não investigarás tema sem fonte, porque a tua tarefa é fazer os dois se comunicarem; (Mandamento 3)  Não menosprezarás as normas, a menos que pretendas transformá-las; (Mandamento 6)  Não ignorarás os teus leitores, a menos que te aches mais importante do que eles. (Mandamento 10) AZEVEDO, Israel Belod. O prazer da produção científica: passos práticos para a produção de trabalhos acadêmicos. 13. ed. São Paulo: United Press, 2012.
  • OFICINA DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS BIBLIOTECAS DR. ROMEU RITTER DOS REIS E-mail de contato: aline_sulzbach@uniritter.edu.br E-mail de contato: biblioteca@fapa.com.br
  • Normas A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) é o Fórum Nacional de Normalização. Representa no Brasil a ISO (International Organization for Standardization). Normas envolvidas no TCC NBR 6023:2002 – Elaboração de referências NBR 6024:2003 – Numeração progressiva NBR 6027:2013 - Sumário NBR 6028:1990 – Resumo NBR 10520:2002 – Citações NBR 6022:2003 - Artigo científico NBR 14724:2011 – Trabalhos acadêmicos NBR 6022:2003 – Artigo científico
  • Ordem de apresentação (estrutura) Elementos pré-textuais Título e subtítulo  em caixa alta, centralizado e em negrito Nome(s) do(s) autor(es)  alinhados à direita  indicados com asterisco no rodapé, informando a titulação e o endereço eletrônico Motivo  Indicar em nota numérica de rodapé a motivação do artigo: trabalho de conclusão de curso, iniciação científica, etc
  • Ordem de apresentação (estrutura) Elementos textuais delimitação do tema e o ponto de vista do qual ele será tratado;  revisão de literatura: inserção do tema no âmbito da literatura acadêmica;  objetivos, ou seja, como se pretende utilizar o tema proposto e onde pretendemos chegar;  perguntas ou hipóteses: levantar questões sobre o tema proposto e deixar para respondê-las durante o desenvolvimento do trabalho, retomando-as na conclusão;  a metodologia do trabalho: o roteiro escolhido para o desenvolvimento;  a justificativa: demonstração da importância do tema;  definição de termos: definir alguns termos importantes ou neologismos que serão utilizados no decorrer do trabalho;  lendo a introdução, deve ficar claro para o leitor: - o teor da problemática do tema do trabalho - a natureza do raciocínio a ser desenvolvido.
  • Desenvolvimento Ordem de apresentação (estrutura) Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em Seções e Subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método. O desenvolvimento deve:  explicar - tornar evidente o que estava implícito, obscuro ou complexo;  discutir - comparar as várias posições que se entre chocam;  demonstrar - aplicar a argumentação apropriada à natureza do trabalho.
  • Ordem de apresentação (estrutura) Linguagem científica Impessoalidade: 3ª pessoa do singular;  objetividade;  estilo científico: informativo, de ordem racional, firmada em dados concretos;  vocabulário técnico: clareza e precisão, mas cada ramo da ciência possui uma terminologia técnica própria que deve ser observada;  a correção gramatical é indispensável;  gráficos estatísticos, desenhos, tabelas são considerados figuras e devem ser criteriosamente distribuídos no texto, tendo suas fontes citadas em notas de rodapé.
  • Dicas do Bibliotecário! Escreva sempre frases curtas e simples. Abuse dos pontos  Quando houver a necessidade de empregar termos em línguas estrangeiras, eles devem ser escritos em itálico  Evite  ecos (avaliação da produção) e cacófatos (...uma por cada tratamento ... uma porcada...)  repetições: cada indivíduo isoladamente, fatos reais, planos futuros...  expressões indefinidas: quase todos, grande maioria...  Elimine palavras desnecessárias  Como já foi apresentado anteriormente = Como já apresentado  Chegar à conclusão que = Concluir  Controle as frases órfãs ou viúvas  Não entregue um trabalho sem que outros o tenham lido: evita erros gramaticais, falhas lógicas e más exposições
  • Regras de formatação 1. Margens: Esquerda e superior 3cm, direita e inferior, 2cm 2. Espacejamento entre linhas: 1,5. Exceções – usar espaçamento simples nas notas de rodapé, nas citações longas e referências 3. Fonte: Times New Roman ou Arial tamanho 12 para o texto e 10 para as citações e notas de rodapé 4. Paginação: a numeração deve ser colocada no canto superior direito, a 2cm. da borda do papel com algarismos arábicos e tamanho da fonte menor 5. Papel: A4, branco, escrito apenas no anverso da folha 6. Alinhamento: Justificado, abrindo os parágrafos com recuo de seis toques (1TAB). Na bibliografia, alinhado à esquerda
  • Regras de formatação 7. Títulos: o título do artigo centralizado, os demais alinhados à esquerda; separa-se o título do indicativo numérico por um espaço de caractere; não se usa pontuação 8. Autoria: os nomes dos autores devem aparecer logo abaixo do título do artigo, alinhados à direita, em espaçamento simples 9. Distância entre seções: os títulos das seções e subseções devem começar na parte superior da mancha e ser separados do texto que os sucede por um espaço 1,5 entrelinhas; as subseções devem ser separadas também do texto que as precedem por um espaço 1,5
  • Resumo Resumo na língua do texto  Redigido em parágrafo único, justificado;  Não ultrapassando 250 palavras;  Não deve conter citações;  Voz ativa e na terceira pessoa do singular;  Expor as finalidades, a metodologia, os resultados e as conclusões;  Espaçamento simples entrelinhas; Palavras-chave ou descritores  logo abaixo do resumo, separadas entre si por ponto;  sugere-se entre 3 e 6;  sugere-se verificar thesauro da área ou retirá-las do título e sumário;
  • Resumo Elemento obrigatório, versão do resumo na língua do texto, para o idioma de divulgação internacional, com as mesmas características (em inglês Abstract, em espanhol Resumen, em francês Résumé, por exemplo). Deve ser seguido das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavra-chave e/ou descritores, na língua. (NBR 6028)
  • Modelo ESPAÇO DE 1,5 2 ESPAÇOS DE 1,5
  • Citação Citação é a transposição, para o texto, de um trecho ou informação extraída de outra fonte, normalmente de outro texto. As citações são normalizadas pela NBR 10520. Podem ser:  diretas ou indiretas  curtas ou longas  Podem ser referenciadas através de dois sistemas:  autor-data (sistema de origem americana)  no rodapé
  • Citação indireta É a transcrição livre, também chamada de paráfrase, do texto consultado. É necessário indicar o ano de publicação entre parênteses; não é obrigatório, entretanto, indicar as páginas (devendo, neste caso, prevalecer o bom senso). Deve-se ter cuidado ao utilizar este tipo de citação para não ser confundido com plágio. Portanto o autor deve explicitar a intenção deixando clara a fonte. O tema deve ser reescrito e reestruturado sintaticamente (e não uma simples troca das palavras originais do texto por sinônimos). Exemplo: Helgard (1977, p.270) tratam a questão da aprendizagem relacionando-a com mudanças comportamentais. Segundo Clóvis do Couto e Silva (1998), o grau de proximidade ou distância das relações entre indivíduos é dado juridicamente relevante. O grau mínimo de contato é a pertinência ao mesmo grupo social.
  • Citação direta – citação curta Citação direta é a transcrição exata de palavras ou trechos de textos de um autor, respeitando-se rigorosamente a redação, ortografia e pontuação.  citações curtas (até 3 linhas) devem ser inseridas no texto, reproduzidas entre aspas duplas  havendo aspas no texto original devem ser transformadas em aspas simples. As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior da citação. Exemplo: Segundo Sá (1995, p. 27): “[. . .] por meio da mesma ‘arte de conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte da nossa existência cotidiana [. . .]”. Podemos definir a aprendizagem como “[...] uma mudança relativamente perma- nente no comportamento e o que ocorre como resultado de prática.” (HELGARD; 1977, p.270).
  • Podemos definir a aprendizagem como “[...] uma mudança relativamente permanente no comportamento e que ocorre como resultado de prática.” (HELGARD; ATKINSON, 1979, p.270). A aprendizagem ainda pode ser definida [...] como... Citação direta – citação curta Dois autores: Helgard e Atkinson (1979, p.270) “[...] uma mudança relativamente permanente no comportamento e que ocorre como resultado de prática.” Se houver mais de 3 autores usa-se o sobrenome do primeiro autor acompanhado da expressão latina et al. Podemos dizer que o uso das normas para documentação acadêmica são a garantia do desenvolvimento adequado da produção docente institucional (OLIVEIRA et al., 2011, p.12-13).
  • A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa. “Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação.” (LIMA VAZ, 2000, p.234). Citação direta – citação curta Letra maiúscula Ponto dentro de aspas A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa, definida por Lima Vaz (2000, p.234) “pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação”. Letra minúscula Ponto fora das aspas
  •  citações longas (com mais de 3 linhas) devem constituir um parágrafo independente, recuado 4cm da margem esquerda, com fonte 10, espaço simples, sem aspas Citação direta – citação longa A consciência moral é moldada a partir da realização existencial da pessoa. Pessoa é o ser humano capaz de viver uma vida ética, tendo sempre como seus constitutivos essenciais a subsistência e a manifestação. O existir como pessoa, fundamento de todos os predicados que formam a singularidade do ser humano, é o que o distingue de todos os demais seres vivos. (LIMA VAZ, 2000, p.234). Fonte 10, espaço simples e sem aspas.
  • No trabalho, deve ser indicado o sobrenome do(s) autor(es) da fonte primária, não consultada, seguido da expressão “apud”, que significa “citado por, conforme” e o sobrenome do autor do documento consultado. Na lista de referências, ao final do trabalho, deverá aparecer somente a referência completa do documento consultado, não mais aparecendo o autor da citação indicada por apud. Citação de citação (apud) Sistema autor-data No texto: Marinho (1980 apud MARCONI; LAKATOS, 1982) apresenta a formulação do problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitado, simplifica e facilita a maneira de conduzir a investigação. Nas Referências (a obra em mãos): MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982.
  • Supressões O símbolo de supressão é [. . .] Exemplo: Só é possível construir, no presente, um futuro promissor, se conhecermos o passado e aprendermos com ele, pois o passado “[...] não deve ser compreendido como exercício de saudosismo, mera curiosidade ou preocupação erudita”. A supressão é a eliminação de uma parte do trecho que se está citando. Usa- se colchetes com reticências no início, no meio, ou no final de uma citação para marcar onde ocorre a supressão.
  • Interpolações A interpolação é a inserção de comentários ou observações que o redator do trabalho acadêmico faz na citação para facilitar a leitura, salientando ou explicando alguma expressão do trecho. Quando usados, os colchetes devem aparecer sem reticências, junto à citação. Exemplo: Afirma-se, então, o “[...] desejo de criar uma literatura independente, diversa, [a exemplo do que se verificava em outros países à época] aparecendo o classicismo como manifestação de passado colonial”. (CÂNDIDO, 1993, p.12, grifo nosso) Sônia Felipe, ao comentar Singer, nos diz: “Os interesses devem constituir o novo parâmetro ético [apresentado e defendido por Singer], e para ter interesses basta sentir dor, sofrer ou sentir prazer, e consequentemente, empreender movimentos no sentido de evitar aquela e alcançar este.” [grifo nosso].
  • Grifo Afirma-se, então, o “[...] desejo de criar uma literatura independente, diversa, aparecendo o classicismo como manifestação de passado colonial”. (CÂNDIDO, 1993, p.12, grifo nosso)
  • Erros gráficos Quando, numa citação, há erro gráfico ou de outra natureza, deve-se manter o texto original, seguido da expressão latina [sic], que informa ao leitor não tratar- se de um engano do autor, mas sim a forma como é apresentado o texto no original. “Essa noção de História contraria Foucault porque complementa a da fundação do sujeito pela transcedência [sic] de sua consciência, garantindo a sua soberania em face de toda descentralização.”
  • Traduções Quando fazemos uma citação em idioma estrangeiro (original), faz-se uma citação direta. Nesse caso indica-se a tradução em nota de rodapé. Quando citados textos em língua estrangeira devem constar no trabalho o trecho na língua original e a tradução do mesmo. A tradução pode ser feita em nota de rodapé com a indicação “tradução nossa”. O inverso também pode ocorrer. Ainda refletindo sobre a importância do uso da cor, Rudolf Arnheim nos diz que “Strictly speaking, all visual appearance owes its existence to brightness and color.”1 (1974, p.332) No rodapé: ________________ 1 Estritamente falando, toda aparência visual deve sua existência ao brilho e à cor. (ARNHEIM, 1974, p.332, tradução nossa).
  • Traduções No texto: Ainda refletindo sobre a importância do uso da cor, Rudolf Arnheim nos diz que “Estritamente falando, toda aparência visual deve sua existência ao brilho e à cor.”1 (1974, p.332, tradução nossa) No rodapé: ________________ 1 “Strictly speaking, all visual appearance owes its existence to brightness and color.” (ARNHEIM, 1974, p.332)
  • Notas explicativas “Notas usadas para comentários, esclarecimentos ou explanações, que não possam ser incluídos no texto.” (NBR 10520:2002)
  • Quando houver coincidência de sobrenomes de autores, acrescentam-se as iniciais de seus pronomes; se mesmo assim existir coincidência, colocam-se os prenomes por extenso. (BARBOSA, C., 1958) (BARBOSA, Cássio, 1965) (BARBOSA, O.; 1959) (BARBOSA, Celso, 1965) Citações Citações de diversos documentos de um mesmo autor, publicados num mesmo ano, são distinguidas pelo acréscimo de letras minúsculas. De acordo com Reeside (1927a) (REESIDE, 1927b)
  • As citações de diversos documentos de um mesmo autor, publicados em um mesmo ano, são diferenciadas pelo acréscimo de letras minúsculas, em ordem alfabética, após a data e sem espaço, conforme a lista de referências: Ex.1: Insatisfeito com o modelo social baseado no trabalho, De Masi (2000a) propõe um novo modelo centrado na simultaneidade entre trabalho, estudo e lazer. Ex. 2: As pessoas podem delegar às máquinas o seu esforço físico e a parte mais tediosa do trabalho intelectual (DE MASI, 2000b). DE MASI, Domenico. O ócio criativo. 2. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2000a. ______. O futuro do trabalho: fadiga e ócio na sociedade pós-industrial. Brasília: UnB, 2000b. Citações
  • Referências “Conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual” (NBR 6023:2002) IMPORTANTE: não devem ser referenciadas fontes bibliográficas que não foram citadas no texto. OBSERVAÇÃO: admite-se (mas não é aconselhável) uma lista adicional denominada “Bibliografia Consultada” para referências de obras não citadas formalmente, mas utilizadas no trabalho.
  • Referências TÍTULO CENTRALIZADO, NÃO NUMERADO ESPAÇO SIMPLES ENTRE REFERÊNCIAS EM ORDEM ALFABÉTICA ALINHADAS SOMENTE À ESQUERDA
  • Referências – como fazer LIVROS SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local: Editora, data. * Exemplo para obras com 1 autor. FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. 5.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1990. Exemplo para obras com 2 autores. SOBRENOME, Prenome separados por ponto e vírgula (;). SILVA, Daiçon Maciel da; SOUTO, André Kraemer. Estruturas: uma abordagem arquitetônica. 2.ed. Porto Alegre: Sagra Luzzato, 2000. * Opcionalmente pode-se incluir: tradutor, série, número total de páginas, e outros.
  • Referências – como fazer Exemplo de obra com 3 autores MARTINELLI, Dante Pinheiro; VENTURA, Carla Aparecida Arena; MACHADO, Juliano R. Negociação internacional. São Paulo: Atlas, 2004. Exemplo de obra com 4 autores FISBERG, Regina Mara et al. Inquéritos alimentares: métodos e bases científicos. Barueri: Manole, 2005. Obra de autoria desconhecida. TÍTULO: subtítulo (se houver). Edição. Local: Editora, data. DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993.
  • CAHALI, Yussef Said; CAHALI, Francisco José (Org.). Família e sucessões: direito de família patrimonial. São Paulo: R. dos Tribunais, 2011. Referências – como fazer (Org.) (Coord.) LIMA, Antonio Carlos de Souza (Coord.). Antropologia & direito: temas antropológicos para estudos jurídicos. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2012. (Ed.) PRETOV, Petar (Ed.) et al. Avanços em literatura e cultura brasileiras: século XX. Portugal: Através Editora, 2012.
  • Referências – como fazer Livros online: usa-se o mesmo padrão recomendado para o livro/monografia como um todo. Acrescentando-se informações relativas à descrição física do meio eletrônico (CD-ROM, DVD, BD49, e-book, audiobook, etc.). SOBRENOME, nome. Título do capítulo do livro. In: Autoria. Título (negrito), subtítulo (se houver). Edição (se houver). Série (se houver). Cidade: editora, data. Disponível em: < >. Acesso em: data. KRAMER, Sonia. Leitura, experiência e formação. In: Biblioteca Nacional. Leitura e cidadania. (Curso da casa da leitura, 2). Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2009. Disponível em: Acesso em: 12 set. 2013 FERNANDES, Márcia Santana (Org.). Direitos autorais e conexos: perguntas e respostas. Porto Alegre: Ed. UniRitter, 2013. E-book. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2015.
  • Referências – como fazer CAPÍTULOS DE LIVROS Autor(es), título, subtítulo (se houver) da parte, seguidos da expressão “In:” e da referência completa da monografia no todo. No final da referência, deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada. Exemplos: SARRIBLE, G. Bioética y valores sociales. In: CASADO, María (Org.). Materiales de bioética y derecho. Barcelona: Cedecs, 1996. p.62-81 Se o autor do capítulo for igual ao da obra no todo: SANTOS, F. R. dos. A colonização da terra do Tucujús. In: ______. História do Amapá, 1o grau. 2.ed. Macapá: Valcan, 1994. cap.3, p.15-24.
  • Referências – como fazer Autor entidade (entidades coletivas, governamentais, públicas, particulares etc.) As obras de responsabilidade de autor entidade (órgãos governamentais, empresas, associações, comissões, congressos, seminários etc.) têm entrada pelo próprio nome da entidade, por extenso. BRASIL. Ministério do Trabalho. Secretaria de Formação e Desenvolvimento Profissional. Educação profissional: um projeto para o desenvolvimento sustentado. Brasília, DF: SEFOR, 1995. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Política vigente para a regulamentação de medicamentos no Brasil. Brasília, DF, 2003. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Atlas do censo demográfico 2010. Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/apps/atlas/. Acesso em: 08 out. 2013
  • Referências – como fazer ARTIGOS DE PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS SOBRENOME, Prenome (do autor do artigo). Título: subtítulo do artigo (se houver). Título do periódico, Local, número do volume, número do fascículo, páginas inicial-final, mês e ano. Exemplos: FRADERA, Véra Maria Jacob de. A circulação de modelos jurídicos europeus na América Latina: um entrave à integração econômica no Cone Sul? Revista dos Tribunais, São Paulo, v.86, n.736, p.20-39, fev. 1997. RIBEIRO, P. S. G. Adoção à Brasileira: uma análise sóciojurídica. Dataveni@, São Paulo, ano 3, n.18, ago. 1998. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 1998.
  • Referências – como fazer ARTIGOS DE JORNAL SOBRENOME, Prenome (do autor do artigo). Título: subtítulo do artigo. Título do jornal, Local, dia mês, ano. Número ou título do caderno, seção ou suplemento, páginas inicial-final. Exemplo: COMISSÃO Nacional de Energia Nuclear. Diário Oficial da União, Brasília, 24 abr. 2002. Seção 3, p.4. ROCHA, Patrícia. Com os pés no chão: bailarinos e coreógrafos são obrigados a ter outras atividades para se sustentar. Zero Hora, Porto Alegre, 29 abr. 2002. Segundo Caderno, p.6.
  • Referências – como fazer Trabalho apresentado em evento Autor(es), título do trabalho apresentado, seguido da expressão In: nome do evento, numeração do evento (se houver), ano, local (cidade) de realização, título do documento (anais, atas, tópico temático etc.), local, editora, data de publicação e página inicial e final da parte referenciada. BRAYNER, A.R.A.; MEDEIROS, C.B. Incorporação do tempo em SGBD orientado a objetos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 9., 1994, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 1994. p.16-29. Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em: http://www.propesq.ufpe.br/anais.htp.htm. Acesso em: 21 jan. 1997
  • LEGISLAÇÃO Compreende a Constituição, as emendas constitucionais e os textos legais intraconstitucionais (lei complementar e ordinária, medida provisória, decreto em todas as suas formas, resolução do Senado Federal) e normas emanadas de entidades públicas e privadas (ato normativo, portaria, resolução, ordem de serviço, instrução normativa, comunicado, aviso, circular, decisão administrativa, entre outros). (NBR 6023:2002) JURISDIÇÃO. Número da Lei e data da publicação. Indicação de publicação. Exemplo: BRASIL. Lei nº 10.401 de 7 de janeiro de 2002. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2008. BRASIL. Constituição federal (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: de 5 de outubro de 1988 . 30.ed. São Paulo: Atlas; 2009. Referências – como fazer
  • Referências – como fazer JURISPRUDÊNCIA Súmulas, enunciados, acórdãos, sentenças e demais decisões judiciais. (NBR 6023:2002) NOME DO PAÍS, ESTADO OU MUNICÍPIO. Órgão judiciário competente. Tipo e número do documento. Partes envolvidas. Nome do relator precedido da palavra “Relator”. Data (dia, mês, ano). Indicação da publicação. Exemplo: BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula n. 14. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2007. BRASIL. Tribunal Regional Federal (5. Região). Apelação cível n. 42.441-PE (94.05.01629-6). Apelante: Edilemos Mamede dos Santos e outros. Apelada: Escola Técnica Federal de Pernambuco. Relator: Juiz Nereu Santos. Recife, 4 de março de 1997. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais, São Paulo, v.10, n.103, p.558-562, mar. 1998.
  • Referências – como fazer VERBETE DE DICIONÁRIO POLÍTICA. In: DICIONÁRIO da Língua Portuguesa. Lisboa: Priberam Informática, 1998. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 1999. FIGUEIREDO, Luiz Eduardo. Ideologia. In: BARRETO, Vicente de Paulo (coord.). Dicionário de filosofia jurídica. Rio de Janeiro: Renovar, 2006. p.453-456.
  • IPAD com tela de retina. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2013. Referências – como fazer SITES: APPLE Store. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2013.
  • Referências – como fazer IMAGEM EM MOVIMENTO: Inclui filmes, videocassetes, DVD, entre outros. Título, diretor, produtor, local, produtora, data e especificações do suporte em unidades físicas. O NOME da rosa. Direção: Jean-Jacques Annaud; Produção: Bernd Eichinger. São Paulo: Warner Home Video, 2004. 1 DVD (131 min.), widescreen, son. color. FAYOL: como administrar. Produção Salenger Films. São Paulo: Siamar, [2000]. 1 video-cassete (14 min.), VHS, son. color.
  • REFERÊNCIA PARA E-MAILS E LISTAS DE DISCUSSÃO Referências – como fazer AUTOR da mensagem. Assunto da mensagem [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em data de recebimento (dia, mês e ano). E-mail13: LIMA JUNIOR, José. Influência da cultura organizacional em processos de mudança [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por: em 20 set. 2007. Lista de Discussão: BIOLINE Discussion List. List maintained by The Bases de Dados Tropical, BDT in Brasil. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2007.
  • MODELO DE REFERÊNCIA PARA MAPAS RIO GRANDE DO SUL. Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem. Mapa geral do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2005. 1 mapa: 78 x 57cm. Escala: 1:800.000. Referências – como fazer
  • Referências – como fazer MODELO DE REFERÊNCIA PARA BÍBLIA BÍBLIA. Língua. Título da obra. Tradução ou versão. Local: Editora, Data de publicação. Total de páginas. Notas (se houver). BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueredo. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica, 1980. Edição Ecumênica. MODELO DE REFERÊNCIA PARA NORMAS TÉCNICAS ORGÃO NORMALIZADOR. Título: subtítulo, número da Norma. Local, ano. volume ou página (s). ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028: resumos. Rio de Janeiro, 2003. 3 p.
  • Referências – como fazer Quando houver indicação explícita de responsabilidade pelo conjunto da obra, em coletâneas de vários autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida da abreviação, no singular, do tipo de participação (organizador, compilador, editor, coordenador etc.) entre parêntese (Org.) – Organizador (Coord.) – Coordenador (Ed.) - Editor (Comp.) – Compilador
  • Referências – como fazer
  • “Se nenhuma data de publicação, distribuição, copirraite, impressão etc. puder ser determinada, registra-se uma data aproximada entre colchetes, conforme indicado.” [1971 ou 1972] um ano ou outro [1969?] data provável [1973] data certa, não indicada no item [entre 1906 e 1912] use intervalos menores de 20 anos [ca. 1960] data aproximada [197-] década certa [197-?] década provável [18-] século certo [18-?] século provável Referências – como fazer
  • Referências – como fazer No caso de homônimos de cidades, acrescenta-se o nome do estado, do país etc. Viçosa, AL Viçosa, MG Viçosa, RJ
  • Siglas “A sigla, quando mencionada pela primeira vez no texto, deve ser indicada entre parênteses, precedida do nome completo.” (ABNT 14724:2011, p.11) Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)
  • Numeração progressiva Para hierarquização do trabalho, deve-se utilizar numeração progressiva de acordo com a NBR 6024, limitando-se a, no máximo, seções quinárias. Os títulos das seções são destacados gradativamente, usando-se racionalmente os recursos de caixa-alta, negrito, itálico ou sublinhado. 1 INTRODUÇÃO 2 DA ASSINATURA 2.1 ASSINATURA DIGITALIZADA 2.2 ASSINATURA DIGITAL OU CRIPTOGRÁFICA 2.3.1 Criptografia com chave pública 2.3.2 Autenticação e certificação digital 3 ANÁLISE DA QUESTÃO À LUZ DO DIREITO COMPARADO 4 DA ASSINATURA ELETRÔNICA NO BRASIL 5 CONCLUSÃO REFERÊNCIAS
  • Figura É a ilustração gráfica por meio de imagens representadas por desenhos, gravuras ou fotografias. Podem ser referenciadas como figuras e sua numeração, título, etc., e seguem as mesmas orientações gerais dadas para as tabelas. As figuras devem aparecer no texto, numeradas seqüencialmente, independentemente do tipo de ilustração utilizada.
  • Quadro Arranjo de palavras e/ou números dispostos em colunas e linhas, porém predominantemente preenchidos com palavras.  usar letra e entrelinha menor  alinhados às margens laterais do texto e, quando pequenos, centralizados  usar linhas de delimitação no cabeçalho, para definir as laterais e o limite inferior do quadro  indicar a fonte.
  • Quadro – exemplo
  • Tabela Elementos demonstrativos de síntese de informações tratadas estatisticamente conforme as normas de apresentação tabular do IBGE (1993)  o título deve ser colocado na parte superior, precedido da palavra Tabela e de seu número de ordem em algarismos arábicos  as fontes citadas na construção de tabelas e notas eventuais aparecem no rodapé após o fio (linha) de fechamento  as colunas externas devem aparecer abertas  deve-se utilizar fios horizontais e verticais (linhas) para separar os títulos das colunas no cabeçalho e fechá-las na parte inferior, evitando-se fios verticais para separar as colunas e fios horizontais para separar as linhas  não devem figurar dados em branco  traço indica dado inexistente  reticências indicam dado desconhecido  zero deve ser usado quando o dado for menor que a metade da unidade adotada para a expressão do dado
  • Tabela – exemplo
  • Bibliotecas Dr. Romeu Ritter dos Reis Em caso de dúvida, não hesite em buscar ajuda dos Bibliotecários!
Fly UP